25 de abril 1974 (1)

715 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
715
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
158
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

25 de abril 1974 (1)

  1. 1. 25 deabril de1974 entrevistas
  2. 2. 1) Onde estava no dia 25 de Abril de 1974?-Estava no Luxemburgo, vimos na televisão muitos soldados na rua. (JerónimaBarradas)-Estava em casa. (Mário Sameiro)-Estava a trabalhar numa plantação de eucaliptos. (Leonor Xavier).-Estava em casa, levantei-me cedo para ir trabalhar. (João Carreiras)-Em Avis. (Senhorinha Ferreira)-Nos Covões a morar lá, e tinha uma telefonia que dizia que se tinha dado o 25 deAbril. (Francisca Rosa)-Em casa. (Vitória Martins)-Estava em casa. (Manuel Traquinas Pires)-Em Aldeia Velha, no Monte Novo .(Edite Rodrigues)- Estava na escola, ainda era estudante. (António Prates)
  3. 3. 2) O que fez nesse dia?- Trabalhava num aviário. (Jerónima Barradas)-Ficámos em casa, pois ninguém sabia ao certo o que tinha acontecido. (Mário Sameiro)-Nesse dia soube pela rádio que tinha havido uma-revolução cujo objetivo era derrubar a ditadura. (Leonor Xavier).-Trabalhei (pedreiro) e ouvia as notícias na rádio sobre o golpe de estado feito pelosmilitares. (João Carreiras)-Fiquei cheia de medo porque pensava que havia guerra em Lisboa. (SenhorinhaFerreira)
  4. 4. -Liguei o rádio e dava sempre a mesma música e estava ansiosa por nãosaber o que se passava. (Vitória Martins)-Foi um dia normal. (Manuel Traquinas Pires)-Não fiz nada. (Edite Rodrigues)-Estudei. (António Prates)
  5. 5. 3) Como se vivia antes do 25 de Abril de 74? -Vivíamos mal, não havia trabalho, não tínhamos férias, nem feriados.(Jerónima Barradas) - Passava-se muita necessidade e vivia-se oprimido, pois vivíamos numaditadura que nos impedia de manifestar as nossas vontades. (Mário Sameiro) -Vivia-se mal, não havia liberdade, nem direitos. (Leonor Xavier). - Mal, não havia trabalho nem condições de sobrevivência. (João Carreiras)
  6. 6. - Vivia-se mal, não havia liberdade de expressão. (Senhorinha Ferreira)-Vivia-se muito mal, ganhava-se muito pouco. (Francisca Rosa)- Vivíamos mais pobres. (Vitória Martins)-Era melhor que presentemente (Manuel Traquinas Pires)-Vivia-se mal e com muito medo. (Edite Rodrigues)- Vivia-se com dificuldade e sem as liberdades de agora. (António Prates)
  7. 7. 4) Andou ou conhece alguém que tivesse combatido nas guerras doultramar? Como era a guerra?-O meu marido esteve 2 anos (veio em 1970) em Moçambique. A guerra era umainjustiça era matar os pretos. (Jerónima Barradas)-Eu não, mas todos os meus tios andaram. Era uma guerra violenta e injusta.(Mário Sameiro)-Não fui mas conheço, foram dois irmãos meus. Matavam-se uns aos outros. (JoãoCarreiras)-Conheceu pessoas que combateram numa guerrainjusta e cruel. Portugal pretendia colonizar os povos daqueles países sem lhe dar liberdade de elesdecidirem por eles próprios. (Leonor Xavier).
  8. 8. -Conheci. A guerra era dar tiros uns aos outros. (Vitória Martins)-Não fui à guerra. (Manuel Traquinas Pires)-Fui militar e fui à guerra de Angola. Nos anos de 1965 a 1967. (FranciscoRosado)-O meu marido. Andava aos tiros e a matar na Guiné. (Edite Rodrigues)- Conheço o meu tio. A guerra era cruel (António Prates)
  9. 9. 5) Qual foi o(s) sentimento(s) que viveu nesses tempos (25 de Abril)?-Fomos sabendo pelos familiares notícias de Portugal, voltamos no ano seguinte.Formaram-se as cooperativas, começou a haver mais trabalho e as pessoaspassaram a ter mais liberdade. (Jerónima Barradas)-Um sentimento de liberdade, pois com o 25 de Abril e pôs-se fim a um regime deditadura. Passamos a ter liberdade para fazer e pensarmos sem medo da ditadura.(Mário Sameiro)-Alegria, liberdade, confiança, paz e criou-se um país novo com direitos e trabalho, saúde para todos, direito à educação, conquistou-se o Poder Local Democrático e realizou-se a Reforma Agrária. (Leonor Xavier).-Foi uma alegria porque tinha esperança de viver melhor. (João Carreiras)
  10. 10. -Com medo porque pensava que não ia dar em nada (Senhorinha Ferreira)-Muitos bons, muito bonitos. A festa dos cravos foi a coisa mais linda. (Francisca Rosa)-Com muita alegria. (Vitória Martins)-De alegria e agora é de tristeza. (Manuel Traquinas Pires)- Com esperança e alegria. (Edite Rodrigues)-Liberdade e alegria. (António Prates)- Fiquei muito contente, foi uma coisa muitoboa para toda a gente. Havia muito trabalho.(Francisca Rosa) “E depois do adeus”- Paulo de Carvalho Trabalho realizado pela turma de 4º Ano de Avis

×