SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
Olá, aluno(a)! Está com dificuldade ou sem tempo para elaborar
essa MAPA? Iremos te ajudar!
Entre em contato
(63) 99129-5554
MAPA – SAÚDE - BIOQUÍMICA HUMANA - 53/2023
MAPA DE BIOQUÍMICA HUMANA
CARO ESTUDANTE, seja bem-vindo(a) à atividade de MAPA (Material de Avaliação Prática de
Aprendizagem) da disciplina de Bioquímica Humana.
Instruções iniciais:
1. Utilize o modelo de MAPA padrão para realizar esta atividade. Ele se encontra em "Material da
Disciplina". Siga todas as instruções constantes nesse modelo.
2. Assista ao vídeo com as instruções para a realização do MAPA e acesse os materiais
complementares, que estarão na "Sala do Café".
"[...]Hoje vai ser uma festa! Bolo, guaraná, muito doce pra você!", diz a letra da música de
aniversário mais famosa da Xuxa Meneghel. Tão famosa a ponto de você provavelmente ter
cantado ela ao invés de ter lido-a. Desde sempre, festinha infantil é sinônimo de doce. E o açúcar
rola solto entre os convidados. Porém, o consumo do produto, além de ser proibido para menores
de dois anos, pode ser essencialmente danoso para os pequeninos. Uma pesquisa realizada por
cientistas da Universidade de Queensland, na Austrália, revela que os efeitos do açúcar no
cérebro são parecidos com aqueles provocados pelo consumo de drogas como a cocaína. "Com
base nas semelhanças comportamentais e neuroquímicas observadas entre os efeitos do açúcar
e drogas, podemos deduzir que o açúcar atenda aos critérios para uma substância de abuso e
possa ser ‘viciante’ para alguns indivíduos quando consumido de maneira exagerada", afirma a
nutricionista Luciana Sarmento [...]."
"[...] Desde 2015, a OMS recomenda que o limite máximo para açúcares livres oferecidos para
crianças acima de dois anos deve ser 10% do valor energético total e, idealmente, 5%. O que
equivale a aproximadamente 25 gramas (aproximadamente seis colheres de chá) de açúcares
adicionados por dia. Nas crianças, a dependência do açúcar pode se manifestar através de
distúrbios de comportamento: Hiperatividade, dificuldade de concentração, irritabilidade e outros
problemas psicológicos que podem estar ligados à dieta e ao excesso de consumo de açúcar [...]."
"[...] Tem havido uma falta de clareza e consenso sobre quanto açúcar adicionado é considerado
saudável para crianças. Então, o açúcar permanece um ingrediente comumente presente em
comidas, bebidas e o consumo geral por crianças permanece alto. Não existe referência quanto
ao tipo açúcar que deve ser consumido, mas obviamente os açúcares nutritivos são os mais
indicados dentro das quantidades preconizadas. Recomenda-se não consumir açúcar de nenhum
tipo (refinado, cristal, mascavo, mel, melado, rapadura etc.) durante os dois primeiros anos de
vida da criança. Ao oferecer o açúcar, a criança pode rejeitar outros sabores. O açúcar adicionado,
ou seja, aquele que a gente usa para adoçar alimentos ou bebidas, tem efeito prejudicial para as
crianças. Existe uma associação direta entre ingestão de açúcar e distúrbios metabólicos como
obesidade, dislipidemias aumento da pressão arterial, diabetes mellitus. Dados recentes apontam
que mais de 30% das nossas crianças de cinco a nove anos sofrem com excesso de peso [...]."
Fonte: https://www.estadao.com.br/emais/bem-estar/acucar-para-crianca-saiba-porque-voce-
nao-deve-oferecer-aos-
pequeninos/#:~:text=Desde%20sempre%2C%20festinha%20infantil%20%C3%A9,essencialmen
te%20danoso%20para%20os%20pequeninos. Acesso em: 20 jun. 2023
"Crianças e adolescentes são a faixa etária mais afetada pela Diabetes Mellitus tipo 1 (DM1),
sendo esta uma das doenças crônicas mais comuns da infância. Aproximadamente 20 de cada
100.000 crianças e adolescentes podem desenvolver DM1 a cada ano. DM2 acomete geralmente
adultos, mas pode ocorrer em adolescentes obesos."
Fonte: https://www.einstein.br/especialidades/pediatria/estrutura/clinica-
especialidades/servicos/diabetes-
infantil#:~:text=Sim%2C%20mas%20geralmente%20Diabetes%20Mellitus,desenvolver%20DM1
%20a%20cada%20ano. Acesso em: 20 jun. 2023
Com base nestas informações, vamos nos imaginar em uma situação em que você, realizando
seu estágio obrigatório, participa de um projeto de extensão na Unidade Básica de Saúde (UBS)
de seu bairro, que acompanha crienças e adolescente diagnosticados com Diabetes Mellitus.
Neste projeto, a equipe multiprofissional realiza periodicamente coleta de dados antropométricos
(peso e altura) e bioquímicos de crianças e adolecentes, faixa etária variando de 0 a 16 anos.
Dentre as incumbências que lhe foram apresentadas está a de verificar a composição da massa
corporal, para análise de quadros de obesidade, além de observar possíveis distúrbios no
metabolismo da glicose, com o objetivo de manutenção de dados dos quadros de diabetes.
Após analisar os dados coletados pela sua participação no projeto, dois casos lhe chamam
atenção:
Caso 1: João, 15 anos, IMC 34, glicemia em jejum 191 mg/dL, hemoglobina glicada 7,9%, insulina
1,2 U/mL - diagnosticado com Diabetes Mellitus do tipo 1.
Caso 2: Maria, 14 anos, IMC 27, glicemia em jejum 253 mg/dL, hemoglobina glicada 8,2%,
insulina 23 U/mL - diagnosticado com Diabetes Mellitus do tipo 2.
Após avaliar os dois casos, estudar o material complementar disponível e entender pontos
importantes do Diabetes Mellitus, você ficou responsável por apresentar um relatório detalhado
ao seu orientador do projeto, levando em conta dados bioquímicos. Para isso, algumas perguntas
devem ser respondidas:
1) Sabendo que o açucar é um carboidrato e que a maioria deles existem sob a forma de
polissacarídeos, DESCREVA os tipos e função de polissacarídeos e onde podem ser
encontrados.
2) O jejum pode ser extremamente prejudicial aos indivíduos que são diabéticos do tipo 1 sem
tratamento, podendo levar a superprodução de corpos cetônicos. Pensando nessa situação
clínica, ESCREVA as pricipais etapas da oxidação de ácidos graxos (beta-oxidação) e seus
principais produtos objetivando a formação de glicose e corpos cetônicos.
3) COMENTE como a alimentação desregulada destas crianças pode levá-las a desenvolver
Diabetes Mellitus do tipo 2 (sua resposta deve mencionar a resistência à insulina).
4) DISCORRA a importância da insulina para o metabolismo da glicose. E, levando em conta a
dosagem de insulina dos pacientes acima, QUAL criança possivelmente necessitará de aplicação
de insulina?
BOM TRABALHO!!!
ALGUMAS ORIENTAÇÕES FINAIS
Sobre o arquivo a ser enviado:
O arquivo deve ser enviado única e exclusivamente pelo seu Studeo, no campo "M.A.P.A." desta
disciplina. Toda e qualquer outra forma de entrega deste Modelo de Resposta MAPA não é
considerada. Apenas o formato de PDF será aceito.
SOMENTE UM ARQUIVO PODE SER ANEXADO NO STUDEO.
A qualidade do trabalho será considerada na hora da avaliação, então faça tudo com cuidado,
responda à demanda adequadamente e mostre sempre o seu raciocínio de modo claro e direto.
Problemas frequentes a evitar:
→ Coloque um nome simples no seu arquivo. Se o nome tiver caracteres estranhos
(principalmente pontos) ou for muito grande, a equipe de correção pode não conseguir abrir o seu
trabalho, e ele pode ser zerado.
→ Se você usa OPEN OFFICE ou MAC, transforme o arquivo em .pdf para evitar
incompatibilidades.
→ Verifique se você está enviando o arquivo correto! Identifique o arquivo com o seu primeiro e
último nome e a disciplina, para evitar que você troque o arquivo na hora de anexar. Exemplo:
MAPA_BIquimica_CarlaAraujo.pdf.
Como enviar o seu arquivo:
→ Ao final do enunciado desta atividade, no Studeo, tem uma caixa de envio de arquivo. Basta
clicar e selecionar sua atividade, ou arrastar o arquivo até ela.
→ Antes de clicar em FINALIZAR, certifique-se de que está tudo certo, pois uma vez finalizado
você não poderá mais modificar o arquivo. Sugerimos que você clique no link gerado da sua
atividade e faça o download para conferir.

Mais conteúdo relacionado

Mais de AzulAssessoriaAcadmi7

2.d) Para a situação descrita em 2.c), calcule a corrente média na carga.
2.d) Para a situação descrita em 2.c), calcule a corrente média na carga.2.d) Para a situação descrita em 2.c), calcule a corrente média na carga.
2.d) Para a situação descrita em 2.c), calcule a corrente média na carga.AzulAssessoriaAcadmi7
 
1.2.d) Calcule a potência média dissipada na chave em relação ao ciclo de cha...
1.2.d) Calcule a potência média dissipada na chave em relação ao ciclo de cha...1.2.d) Calcule a potência média dissipada na chave em relação ao ciclo de cha...
1.2.d) Calcule a potência média dissipada na chave em relação ao ciclo de cha...AzulAssessoriaAcadmi7
 
1.2.d) Calcule a potência média dissipada na chave em relação ao ciclo de cha...
1.2.d) Calcule a potência média dissipada na chave em relação ao ciclo de cha...1.2.d) Calcule a potência média dissipada na chave em relação ao ciclo de cha...
1.2.d) Calcule a potência média dissipada na chave em relação ao ciclo de cha...AzulAssessoriaAcadmi7
 
1.2.c) Calcule a potência máxima dissipada durante a ligação da chave;
1.2.c) Calcule a potência máxima dissipada durante a ligação da chave;1.2.c) Calcule a potência máxima dissipada durante a ligação da chave;
1.2.c) Calcule a potência máxima dissipada durante a ligação da chave;AzulAssessoriaAcadmi7
 
1.2.c) Calcule a potência máxima dissipada durante a ligação da chave;
1.2.c) Calcule a potência máxima dissipada durante a ligação da chave;1.2.c) Calcule a potência máxima dissipada durante a ligação da chave;
1.2.c) Calcule a potência máxima dissipada durante a ligação da chave;AzulAssessoriaAcadmi7
 
1.1.d) Calcule a eficiência da transferência de potência.
1.1.d) Calcule a eficiência da transferência de potência.1.1.d) Calcule a eficiência da transferência de potência.
1.1.d) Calcule a eficiência da transferência de potência.AzulAssessoriaAcadmi7
 
1.1.d) Calcule a eficiência da transferência de potência.
1.1.d) Calcule a eficiência da transferência de potência.1.1.d) Calcule a eficiência da transferência de potência.
1.1.d) Calcule a eficiência da transferência de potência.AzulAssessoriaAcadmi7
 
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...AzulAssessoriaAcadmi7
 
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...AzulAssessoriaAcadmi7
 
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...AzulAssessoriaAcadmi7
 
1.1.b) Ainda considerando a chave Q1 ideal, calcule o valor médio da potência...
1.1.b) Ainda considerando a chave Q1 ideal, calcule o valor médio da potência...1.1.b) Ainda considerando a chave Q1 ideal, calcule o valor médio da potência...
1.1.b) Ainda considerando a chave Q1 ideal, calcule o valor médio da potência...AzulAssessoriaAcadmi7
 
1.1.b) Ainda considerando a chave Q1 ideal, calcule o valor médio da potência...
1.1.b) Ainda considerando a chave Q1 ideal, calcule o valor médio da potência...1.1.b) Ainda considerando a chave Q1 ideal, calcule o valor médio da potência...
1.1.b) Ainda considerando a chave Q1 ideal, calcule o valor médio da potência...AzulAssessoriaAcadmi7
 
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...AzulAssessoriaAcadmi7
 
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...AzulAssessoriaAcadmi7
 
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...AzulAssessoriaAcadmi7
 
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;AzulAssessoriaAcadmi7
 
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;AzulAssessoriaAcadmi7
 
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;AzulAssessoriaAcadmi7
 

Mais de AzulAssessoriaAcadmi7 (20)

2.d) Para a situação descrita em 2.c), calcule a corrente média na carga.
2.d) Para a situação descrita em 2.c), calcule a corrente média na carga.2.d) Para a situação descrita em 2.c), calcule a corrente média na carga.
2.d) Para a situação descrita em 2.c), calcule a corrente média na carga.
 
1.2.d) Calcule a potência média dissipada na chave em relação ao ciclo de cha...
1.2.d) Calcule a potência média dissipada na chave em relação ao ciclo de cha...1.2.d) Calcule a potência média dissipada na chave em relação ao ciclo de cha...
1.2.d) Calcule a potência média dissipada na chave em relação ao ciclo de cha...
 
1.2.d) Calcule a potência média dissipada na chave em relação ao ciclo de cha...
1.2.d) Calcule a potência média dissipada na chave em relação ao ciclo de cha...1.2.d) Calcule a potência média dissipada na chave em relação ao ciclo de cha...
1.2.d) Calcule a potência média dissipada na chave em relação ao ciclo de cha...
 
1.2.c) Calcule a potência máxima dissipada durante a ligação da chave;
1.2.c) Calcule a potência máxima dissipada durante a ligação da chave;1.2.c) Calcule a potência máxima dissipada durante a ligação da chave;
1.2.c) Calcule a potência máxima dissipada durante a ligação da chave;
 
1.2.c) Calcule a potência máxima dissipada durante a ligação da chave;
1.2.c) Calcule a potência máxima dissipada durante a ligação da chave;1.2.c) Calcule a potência máxima dissipada durante a ligação da chave;
1.2.c) Calcule a potência máxima dissipada durante a ligação da chave;
 
1.1.d) Calcule a eficiência da transferência de potência.
1.1.d) Calcule a eficiência da transferência de potência.1.1.d) Calcule a eficiência da transferência de potência.
1.1.d) Calcule a eficiência da transferência de potência.
 
1.1.d) Calcule a eficiência da transferência de potência.
1.1.d) Calcule a eficiência da transferência de potência.1.1.d) Calcule a eficiência da transferência de potência.
1.1.d) Calcule a eficiência da transferência de potência.
 
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...
 
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...
 
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...
1.1.c) A partir dos itens anteriores, qual o valor médio da potência na chave...
 
1.1.b) Ainda considerando a chave Q1 ideal, calcule o valor médio da potência...
1.1.b) Ainda considerando a chave Q1 ideal, calcule o valor médio da potência...1.1.b) Ainda considerando a chave Q1 ideal, calcule o valor médio da potência...
1.1.b) Ainda considerando a chave Q1 ideal, calcule o valor médio da potência...
 
1.1.b) Ainda considerando a chave Q1 ideal, calcule o valor médio da potência...
1.1.b) Ainda considerando a chave Q1 ideal, calcule o valor médio da potência...1.1.b) Ainda considerando a chave Q1 ideal, calcule o valor médio da potência...
1.1.b) Ainda considerando a chave Q1 ideal, calcule o valor médio da potência...
 
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...
 
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...
 
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...
1.1.a) Considerando a chave Q1 como ideal calcule o valor médio da corrente n...
 
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;
 
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;
 
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;
1.2.b) Calcule a potência média dissipada na chave durante o estado bloqueado;
 
a) Entre 10 e 12 slides.
a) Entre 10 e 12 slides. a) Entre 10 e 12 slides.
a) Entre 10 e 12 slides.
 
a) Entre 10 e 12 slides.
a) Entre 10 e 12 slides. a) Entre 10 e 12 slides.
a) Entre 10 e 12 slides.
 

Último

Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxrenatacolbeich1
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 

Último (20)

Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 

Efeitos do açúcar na saúde de crianças e adolescentes

  • 1. Olá, aluno(a)! Está com dificuldade ou sem tempo para elaborar essa MAPA? Iremos te ajudar! Entre em contato (63) 99129-5554 MAPA – SAÚDE - BIOQUÍMICA HUMANA - 53/2023 MAPA DE BIOQUÍMICA HUMANA CARO ESTUDANTE, seja bem-vindo(a) à atividade de MAPA (Material de Avaliação Prática de Aprendizagem) da disciplina de Bioquímica Humana. Instruções iniciais: 1. Utilize o modelo de MAPA padrão para realizar esta atividade. Ele se encontra em "Material da Disciplina". Siga todas as instruções constantes nesse modelo. 2. Assista ao vídeo com as instruções para a realização do MAPA e acesse os materiais complementares, que estarão na "Sala do Café". "[...]Hoje vai ser uma festa! Bolo, guaraná, muito doce pra você!", diz a letra da música de aniversário mais famosa da Xuxa Meneghel. Tão famosa a ponto de você provavelmente ter cantado ela ao invés de ter lido-a. Desde sempre, festinha infantil é sinônimo de doce. E o açúcar rola solto entre os convidados. Porém, o consumo do produto, além de ser proibido para menores de dois anos, pode ser essencialmente danoso para os pequeninos. Uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade de Queensland, na Austrália, revela que os efeitos do açúcar no cérebro são parecidos com aqueles provocados pelo consumo de drogas como a cocaína. "Com base nas semelhanças comportamentais e neuroquímicas observadas entre os efeitos do açúcar e drogas, podemos deduzir que o açúcar atenda aos critérios para uma substância de abuso e possa ser ‘viciante’ para alguns indivíduos quando consumido de maneira exagerada", afirma a nutricionista Luciana Sarmento [...]." "[...] Desde 2015, a OMS recomenda que o limite máximo para açúcares livres oferecidos para crianças acima de dois anos deve ser 10% do valor energético total e, idealmente, 5%. O que equivale a aproximadamente 25 gramas (aproximadamente seis colheres de chá) de açúcares adicionados por dia. Nas crianças, a dependência do açúcar pode se manifestar através de distúrbios de comportamento: Hiperatividade, dificuldade de concentração, irritabilidade e outros problemas psicológicos que podem estar ligados à dieta e ao excesso de consumo de açúcar [...]."
  • 2. "[...] Tem havido uma falta de clareza e consenso sobre quanto açúcar adicionado é considerado saudável para crianças. Então, o açúcar permanece um ingrediente comumente presente em comidas, bebidas e o consumo geral por crianças permanece alto. Não existe referência quanto ao tipo açúcar que deve ser consumido, mas obviamente os açúcares nutritivos são os mais indicados dentro das quantidades preconizadas. Recomenda-se não consumir açúcar de nenhum tipo (refinado, cristal, mascavo, mel, melado, rapadura etc.) durante os dois primeiros anos de vida da criança. Ao oferecer o açúcar, a criança pode rejeitar outros sabores. O açúcar adicionado, ou seja, aquele que a gente usa para adoçar alimentos ou bebidas, tem efeito prejudicial para as crianças. Existe uma associação direta entre ingestão de açúcar e distúrbios metabólicos como obesidade, dislipidemias aumento da pressão arterial, diabetes mellitus. Dados recentes apontam que mais de 30% das nossas crianças de cinco a nove anos sofrem com excesso de peso [...]." Fonte: https://www.estadao.com.br/emais/bem-estar/acucar-para-crianca-saiba-porque-voce- nao-deve-oferecer-aos- pequeninos/#:~:text=Desde%20sempre%2C%20festinha%20infantil%20%C3%A9,essencialmen te%20danoso%20para%20os%20pequeninos. Acesso em: 20 jun. 2023 "Crianças e adolescentes são a faixa etária mais afetada pela Diabetes Mellitus tipo 1 (DM1), sendo esta uma das doenças crônicas mais comuns da infância. Aproximadamente 20 de cada 100.000 crianças e adolescentes podem desenvolver DM1 a cada ano. DM2 acomete geralmente adultos, mas pode ocorrer em adolescentes obesos." Fonte: https://www.einstein.br/especialidades/pediatria/estrutura/clinica- especialidades/servicos/diabetes- infantil#:~:text=Sim%2C%20mas%20geralmente%20Diabetes%20Mellitus,desenvolver%20DM1 %20a%20cada%20ano. Acesso em: 20 jun. 2023 Com base nestas informações, vamos nos imaginar em uma situação em que você, realizando seu estágio obrigatório, participa de um projeto de extensão na Unidade Básica de Saúde (UBS) de seu bairro, que acompanha crienças e adolescente diagnosticados com Diabetes Mellitus. Neste projeto, a equipe multiprofissional realiza periodicamente coleta de dados antropométricos (peso e altura) e bioquímicos de crianças e adolecentes, faixa etária variando de 0 a 16 anos. Dentre as incumbências que lhe foram apresentadas está a de verificar a composição da massa corporal, para análise de quadros de obesidade, além de observar possíveis distúrbios no metabolismo da glicose, com o objetivo de manutenção de dados dos quadros de diabetes.
  • 3. Após analisar os dados coletados pela sua participação no projeto, dois casos lhe chamam atenção: Caso 1: João, 15 anos, IMC 34, glicemia em jejum 191 mg/dL, hemoglobina glicada 7,9%, insulina 1,2 U/mL - diagnosticado com Diabetes Mellitus do tipo 1. Caso 2: Maria, 14 anos, IMC 27, glicemia em jejum 253 mg/dL, hemoglobina glicada 8,2%, insulina 23 U/mL - diagnosticado com Diabetes Mellitus do tipo 2. Após avaliar os dois casos, estudar o material complementar disponível e entender pontos importantes do Diabetes Mellitus, você ficou responsável por apresentar um relatório detalhado ao seu orientador do projeto, levando em conta dados bioquímicos. Para isso, algumas perguntas devem ser respondidas: 1) Sabendo que o açucar é um carboidrato e que a maioria deles existem sob a forma de polissacarídeos, DESCREVA os tipos e função de polissacarídeos e onde podem ser encontrados. 2) O jejum pode ser extremamente prejudicial aos indivíduos que são diabéticos do tipo 1 sem tratamento, podendo levar a superprodução de corpos cetônicos. Pensando nessa situação clínica, ESCREVA as pricipais etapas da oxidação de ácidos graxos (beta-oxidação) e seus principais produtos objetivando a formação de glicose e corpos cetônicos. 3) COMENTE como a alimentação desregulada destas crianças pode levá-las a desenvolver Diabetes Mellitus do tipo 2 (sua resposta deve mencionar a resistência à insulina). 4) DISCORRA a importância da insulina para o metabolismo da glicose. E, levando em conta a dosagem de insulina dos pacientes acima, QUAL criança possivelmente necessitará de aplicação de insulina? BOM TRABALHO!!! ALGUMAS ORIENTAÇÕES FINAIS Sobre o arquivo a ser enviado: O arquivo deve ser enviado única e exclusivamente pelo seu Studeo, no campo "M.A.P.A." desta disciplina. Toda e qualquer outra forma de entrega deste Modelo de Resposta MAPA não é considerada. Apenas o formato de PDF será aceito. SOMENTE UM ARQUIVO PODE SER ANEXADO NO STUDEO. A qualidade do trabalho será considerada na hora da avaliação, então faça tudo com cuidado, responda à demanda adequadamente e mostre sempre o seu raciocínio de modo claro e direto. Problemas frequentes a evitar: → Coloque um nome simples no seu arquivo. Se o nome tiver caracteres estranhos (principalmente pontos) ou for muito grande, a equipe de correção pode não conseguir abrir o seu trabalho, e ele pode ser zerado. → Se você usa OPEN OFFICE ou MAC, transforme o arquivo em .pdf para evitar incompatibilidades. → Verifique se você está enviando o arquivo correto! Identifique o arquivo com o seu primeiro e último nome e a disciplina, para evitar que você troque o arquivo na hora de anexar. Exemplo: MAPA_BIquimica_CarlaAraujo.pdf. Como enviar o seu arquivo: → Ao final do enunciado desta atividade, no Studeo, tem uma caixa de envio de arquivo. Basta clicar e selecionar sua atividade, ou arrastar o arquivo até ela.
  • 4. → Antes de clicar em FINALIZAR, certifique-se de que está tudo certo, pois uma vez finalizado você não poderá mais modificar o arquivo. Sugerimos que você clique no link gerado da sua atividade e faça o download para conferir.