A energia do corpo humano e as dietas

6.427 visualizações

Publicada em

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.427
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
74
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A energia do corpo humano e as dietas

  1. 1. FENÔMENOS BIOLÓGICOS Á U R E A C R I S T I N A C H A R L E S M A C H A D O M Y L E N A Z A T Z A energia do corpo humano e as dietas 1 18/4/2014
  2. 2. O que é energia? Energia é um conceito básico da física. Ela representa a capacidade de realização de trabalho. Na física do corpo humano energia é de importância primária. Todas as atividades do corpo humano, incluindo o pensamento, envolvem variações de energia. 2 18/4/2014
  3. 3. Energia nos alimentos A energia que consumimos vem dos alimentos que ingerimos. Quando no rótulo de um determinado alimento está escrito alguma coisa do tipo “cada 100 g deste produto contém 400 kcal”, quer dizer que ao digerirmos esse alimento nosso organismo será capaz de produzir 400 kcal. 3 18/4/2014
  4. 4. Como é processada está energia: 4  Molécula funciona como combustível e é quebrada até virar energia para o corpo.  Um exemplo é o pão: depois de ingerido, ele é quebrado em tamanhos menores, através da mastigação e digestão.  Isso acontece até que o carboidrato seja reduzido à sua menor unidade: a glicose.  No intestino delgado, ela é absorvida pelo sistema venoso, segue para o fígado, tecidos periféricos e finalmente à célula. 18/4/2014
  5. 5. 5 18/4/2014
  6. 6. Como é obtida a energia que faz nosso corpo funcionar? A energia é obtida dos nutrientes dos alimentos, como a glicose, as proteínas e os carboidratos. Para começo de conversa, energia não é nenhuma molécula: é a capacidade que nosso corpo tem de realizar trabalho, ou seja, fazer força ou provocar deslocamentos. 6 18/4/2014
  7. 7. Como é obtida a energia que faz nosso corpo funcionar? Mas, para que um pedacinho do pão nosso de cada dia vire energia, não basta que seja engolido, mastigado e digerido. Ele tem que ser quebrado em moléculas pequenas, que possam ser absorvidas pelas células. 7 18/4/2014
  8. 8. Como é obtida a energia que faz nosso corpo funcionar? A glicose é a principal dessas moléculas. Os seres humanos, durante o processo evolutivo, conseguiram usar melhor a glicose que vem dos alimentos, retirando dela o máximo de energia. 8 18/4/2014
  9. 9. 9 18/4/2014
  10. 10. Como é obtida a energia que faz nosso corpo funcionar? As bactérias, por exemplo, obtêm só 4% do seu potencial, enquanto o corpo humano transforma em trabalho 30% da energia que consome, o mesmo que um automóvel. 10 18/4/2014
  11. 11. Como é obtida a energia que faz nosso corpo funcionar? O restante da glicose vai para a manutenção das atividades vitais do organismo, como batimentos cardíacos e sinapses cerebrais. Por isso, temos que abastecer nossa "máquina" várias vezes ao dia. 11 18/4/2014
  12. 12. Como é obtida a energia que faz nosso corpo funcionar? Só não vale sair por aí assaltando a geladeira. Para funcionar bem, uma pessoa deve consumir, em média, 30 calorias por quilo de seu peso. Uma pessoa com 64 quilos, por exemplo, deve fazer uma dieta diária de cerca de 2 mil calorias. 12 18/4/2014
  13. 13. Eficiência mecânica do corpo humano Quando estamos em repouso ou em um nível de atividade bem baixo, quase toda a energia que consumimos é usada para manter nosso organismo em funcionamento, que corresponde a uma potência de aproximadamente 80 W. Ou seja, quase nada é gasto como “trabalho externo”, ou seja, trabalho mecânico. 13 18/4/2014
  14. 14. Eficiência mecânica do corpo humano No dia-a-dia precisamos de uns 120 W, para garantir o funcionamento normal do corpo e mais alguma energia para o trabalho mecânico que fazemos nas atividades usuais: andar, levantar e sentar, subir escadas, etc. 14 18/4/2014
  15. 15. 15 18/4/2014
  16. 16. Conta energética- Para onde vai a energia que o corpo produz:  CÉREBR0 - 19% As sinapses (comunicação entre os neurônios) consomem a maior parte da energia. Como tem pouco glicogênio de reserva, o cérebro pode sofrer danos graves quando falta glicose, mesmo que por um breve intervalo de tempo. 16 18/4/2014
  17. 17. Eficiência mecânica do corpo humano  MÚSCULOS ESQUELÉTICOS - 18% As contrações musculares demandam muita energia. Em atividades físicas intensas, os músculos utilizam o glicogênio, que armazenam em grande quantidade.  CORAÇÃO - 7% O coração depende muito da energia imediata da glicose. Por isso, as mitocôndrias são mais abundantes no músculo cardíaco do que no esquelético. 17 18/4/2014
  18. 18. Eficiência mecânica do corpo humano  BAÇO E FÍGADO - 27% É principalmente no fígado que nosso estoque energético - o glicogênio - está armazenado. É dele que retiramos a energia enquanto dormimos, por exemplo.  RINS - 10% A maior parte dessa energia é usada para a produção de urina. O restante é utilizado para fabricar hormônios ou eliminar toxinas. 18 18/4/2014
  19. 19. Eficiência mecânica do corpo humano  RESTO DO CORPO - 19% 19 18/4/2014
  20. 20. Conservação de energia A energia que utilizamos é proveniente dos alimentos e, em geral é modificada quimicamente antes de ser aproveitada. Depois da transformação química e produção de moléculas da ATP, que é a fonte de energia utilizável pelo corpo humano, esta é empregada na manutenção dos órgãos em funcionamento, manter a temperatura constante e realizar trabalho externo. 20 18/4/2014
  21. 21. Conservação de energia Apenas uma parte (cerca de 5%) desta energia é eliminada na forma de fezes e urina. A energia empregada no funcionamento dos órgãos é parcialmente convertida em calor e uma porção desse calor é utilizada para manter a temperatura do corpo e o restante é eliminado. 21 18/4/2014
  22. 22. Conservação de energia A conservação de energia no corpo humano é descrita pela Primeira Lei da Termodinâmica: E = Q - W 22 18/4/2014
  23. 23. Refrigeração do corpo A energia produzida internamente em nosso corpo ou virará energia mecânica externa – empurrar a água de uma piscina, aumentar a energia potencial de tijolos ou de nosso corpo, etc – ou servirá para aquecer-nos. 23 18/4/2014
  24. 24.  Mas nós não podemos deixar que o corpo se aqueça muito além dos 370C. Para isso, temos que resfriá-lo, pois uma temperatura excessiva prejudica o controle motor, o que pode levar, em casos extremos, à morte. 24 18/4/2014
  25. 25. Se produzimos cerca de 120 W, precisamos eliminar exatamente 120 W para que a temperatura do corpo não se altere. O corpo humano, e dos demais animais, tem algumas formas de refrigeração: irradiação, aquecimento do ar próximo à pele – e esse ar se vai, sendo substituído por outro mais frio – e evaporação de água. 25 18/4/2014
  26. 26. Note que mesmo em dias ou regiões frias precisamos eliminar os 120 W: as roupas grossas são necessárias para que eliminemos apenas esses 120 W, não mais, o que faria com que a temperatura do corpo ficasse demasiadamente baixa. Se estamos em atividade física, a potência dissipada é maior e, portanto, a necessidade de refrigeração também é maior. 26 18/4/2014
  27. 27. Dietas Definição:  Refere-se aos hábitos alimentares individuais.  Cada pessoa tem uma dieta específica (saudável ou não). 18/4/2014 27
  28. 28. Proteínas  A proteína é um nutriente indispensável para a manutenção do nosso organismo e para a nossa saúde, pois ela possui enzimas e hormônios que são substâncias essências para o bom funcionamento do organismo.  A quantidade de proteína recomendada pelo ministério da saúde é de 75 gramas por dia, mas isso vária de acordo com o tipo físico da pessoa (sua altura, peso, idade, se pratica exercício físico, etc). 18/4/2014 28
  29. 29. Carboidratos  Os carboidratos são as principais fontes de energia na nossa alimentação. Durante o processo de digestão, eles são quebrados e transformados em glicose.  É a principal fonte de energia para o cérebro e o sistema nervoso central. É necessário um constante suprimento de glicose para que o cérebro e os tecidos nervosos funcionem corretamente. 18/4/2014 29
  30. 30. Fibras  As fibras, encontradas em grãos, frutas e hortaliças, são componentes dos alimentos que não são digeridos pelo organismo. Elas passam quase intactas pelo sistema digestivo e são eliminadas pelas fezes. Também não têm valor nutritivo, nem energético (não têm calorias). 18/4/2014 30
  31. 31. Fibras 31  Na verdade, elas são imprescindíveis à dieta. Como não são digeridas, vão para o intestino, onde atuam como “vassouras”, que carregam os resíduos alimentares e a gordura excedente na alimentação pelo intestino, baixando o nível de colesterol absorvido. 18/4/2014
  32. 32. Proteínas, carboidratos e fibras na digestão  Proteínas: Boa parte que se come é decomposta em partes durante o processo de digestão e estas partes são aproveitadas para a construção de outras proteínas, como músculos, por exemplo, no próprio organismo.  Fibras: São necessárias e auxiliam no movimento de material através dos intestinos, mas não fornecem energia porque não são digeridas. 18/4/2014 32
  33. 33. Proteínas, carboidratos e fibras na digestão 33  Carboidratos: O organismo transforma estas substâncias em glicose, que se dissolve na corrente sanguínea e pode ser transportada até as células. Essa glicose passa por reação de combustão e fornece a energia necessária para o organismo. 18/4/2014
  34. 34. Dietas  Muitas dietas encontradas em revistas femininas indicam um cardápio baseado em um consumo diário de 1.200 cal ou menos.  Para uma ingestão energética equilibrada, deve-se levar em consideração a taxa de metabolismo basal (TMB), e como estas dietas não são calculadas individualmente, pode-se considerá-las inadequadas, uma vez que estas podem não atender às necessidades energéticas do indivíduo, podendo gerar riscos à saúde de quem as pratica. 18/4/2014 34
  35. 35. Dietas erradas  O próprio colesterol e outras gorduras são essenciais das membranas das células. Mudanças exageradas na proporção de gorduras saturadas e insaturadas na dieta podem modificar a composição dessas membranas. Essas alterações interferem com os mecanismos de transporte de todas as substâncias que entram ou saem da célula: fatores de crescimento, hormônios, bactérias, vírus e agentes cancerígenos. 18/4/2014 35
  36. 36. Consequência da dieta errada  Como consequência da composição gordurosa da membrana celular, processos como nutrição, resposta imunológica, produção de hormônios, condução de estímulos através dos neurônios, envelhecimento e apoptose, a morte celular programada. 18/4/2014 36
  37. 37. Conclusão Com base nos resultados apresentados acima concluímos que a energia é de grande importância para a manutenção das funções básicas do nosso organismo. Deve-se ressaltar também que o conceito de energia é de valor considerável na física do corpo humano. Portanto a energia é fulcral para a realização de atividades humanas. 37 18/4/2014
  38. 38. Referencias:  http://axpfep1.if.usp.br/~otaviano/energianocorpohumano.html  http://mundoestranho.abril.com.br/materia/como-e-obtida-a- energia-que-faz-nosso-corpo-funcionar  http://www.bertolo.pro.br/biologia/Disciplinas/Biofisica/Bimestre 2/Apostila3.htm http://www.sbfisica.org.br/fne/Vol9/Num2/a09.pdf http://www.conservacaodeenergia.com/arq5655/ARQ5655_apostil a_cap1_2.pdf http://www.notapositiva.com/trab_estudantes/trab_estudantes/ed uctecnol/7energia.htm http://www.novafisica.net/conteudo/cont-2-proc-termicos2.htm Livro Física para ciências Biológicas e Biomédicas, Emiko Okuno. Cap.11 38 18/4/2014

×