LOS BANCOS DEL TIEMPO Y EL
FOMENTO DE LA CIUDADANÍA
ACTIVA
BANCOS DE TEMPO EM
PORTUGAL E CIDADANIA ATIVA
I – O outro sentido do mesmo tempo…
O tempo da CIDADANIA ATIVA
CRONOS
Dificuldade em contabilizar
o tempo cronológico,
qua...
I – O outro sentido do mesmo tempo…
O tempo da CIDADANIA ATIVA
 O Banco de Tempo enquadra-se numa cultura do tempo,
difer...
II – Potencial de transformação social e
económica dos Bancos de Tempo
 “O Banco de Tempo tem também um potencial
transfo...
II – Potencial de transformação social e
económica dos Bancos de Tempo
 “Os Bancos de Tempo, entre outras iniciativas, sã...
III – Intervenção dos Bancos de Tempo no
processo de transição para outra forma de
viver
Projeto “Banco de Tempo e Comérci...
III – Intervenção dos Bancos de Tempo no
processo de transição para outra forma de
viver
Projeto “Banco de Tempo e Comérci...
III – Intervenção dos Bancos de Tempo no
processo de transição para outra forma de
viver
Projeto “Banco de Tempo e Comérci...
III – Intervenção dos Bancos de Tempo no
processo de transição para outra forma de
viver
Projeto “Banco de Tempo e Comérci...
III – Intervenção dos Bancos de Tempo no
processo de transição para outra forma de
viver
Banco de Tempo e Igualdade de Gén...
III – Intervenção dos Bancos de Tempo no
processo de transição para outra forma de
viver
Encontro Internacional do
Banco d...
III – Intervenção dos Bancos de Tempo no
processo de transição para outra forma de
viver
Acolhimento das pessoas e família...
Conclusão
Em Portugal, temos nutrido, no interior do Banco de Tempo, o
interesse, a participação e o pensamento crítico so...
Obrigada pelo seu tempo!
http://www.bancodetempo.net/pt/
https://www.facebook.com/Banco-de-Tempo-713541758710151/
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Intervenció Sra. Margarida Amélia Santos. Presidenta Fundación Cuidar el Futuro, Movimiento GRAAL de Portugal

154 visualizações

Publicada em

Intervenció Sra. Margarida Amélia Santos. Presidenta Fundación Cuidar el Futuro, Movimiento GRAAL de Portugal. A les XV Jornades del Banc del Temps de 28.XI.2015 al Palau Macaya

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
154
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Intervenció Sra. Margarida Amélia Santos. Presidenta Fundación Cuidar el Futuro, Movimiento GRAAL de Portugal

  1. 1. LOS BANCOS DEL TIEMPO Y EL FOMENTO DE LA CIUDADANÍA ACTIVA BANCOS DE TEMPO EM PORTUGAL E CIDADANIA ATIVA
  2. 2. I – O outro sentido do mesmo tempo… O tempo da CIDADANIA ATIVA CRONOS Dificuldade em contabilizar o tempo cronológico, quantitativo, contado em horas e minutos de prestação de um serviço, como é exigido, naturalmente, pelos Regulamentos. KAIROS O tempo que é oportunidade de transformação, o tempo em que o coração entra… O outro sentido do mesmo tempo, é motor de construção de um mundo cidadão, é o tempo da CIDADANIA ATIVA.
  3. 3. I – O outro sentido do mesmo tempo… O tempo da CIDADANIA ATIVA  O Banco de Tempo enquadra-se numa cultura do tempo, diferente da dominante e que torna as nossas vidas mais humanas. (…) Contraria a pressa de produzir, de consumir, chega e ocupa-se das pessoas e do seu bem-estar.  Muitos dos serviços trocados refletem um outro paradigma de uso do tempo: a priorização da qualidade de vida, do estar com os outros do cuidado e reforço dos vínculos a outras pessoas e à natureza.
  4. 4. II – Potencial de transformação social e económica dos Bancos de Tempo  “O Banco de Tempo tem também um potencial transformador da nossa realidade, na medida em que propõe outras regras, porque se inscreve num outro paradigma e se rege por outra lógica…”  Não se move pela procura do lucro  Não circula dinheiro  Não hierarquiza  Não exclui  Rejeita o individualismo
  5. 5. II – Potencial de transformação social e económica dos Bancos de Tempo  “Os Bancos de Tempo, entre outras iniciativas, são hoje não apenas uma necessidade, mas também a urgência de uma outra forma de ser cidadão e cidadã na construção de um outro mundo possível, mais justo, mais igualitário e mais respeitador da Natureza.” S. Martinho – Banco de Tempo de Sta Maria da Feira - Nov. 2015
  6. 6. III – Intervenção dos Bancos de Tempo no processo de transição para outra forma de viver Projeto “Banco de Tempo e Comércio Justo: Reforçando outras Economias  Crítica ao modelo socioeconómico dominante;  Afirmação do Banco de Tempo, enquanto parte de uma Outra Economia, na promoção do consumo responsável, no aprofundamento do conhecimento e da colaboração com outras organizações e iniciativas da Economia Solidária que partilham com o Banco de Tempo princípios e práticas solidárias, equitativas e justas.
  7. 7. III – Intervenção dos Bancos de Tempo no processo de transição para outra forma de viver Projeto “Banco de Tempo e Comércio Justo: Reforçando outras Economias
  8. 8. III – Intervenção dos Bancos de Tempo no processo de transição para outra forma de viver Projeto “Banco de Tempo e Comércio Justo: Reforçando outras Economias
  9. 9. III – Intervenção dos Bancos de Tempo no processo de transição para outra forma de viver Projeto “Banco de Tempo e Comércio Justo: Reforçando outras Economias
  10. 10. III – Intervenção dos Bancos de Tempo no processo de transição para outra forma de viver Banco de Tempo e Igualdade de Género  Promoção contínua da reflexão sobre as questões da conciliação e da desigualdade entre mulheres e homens e consideramos que também aqui o Banco de Tempo joga um papel de grande relevância. Encontro Internacional do Banco de Tempo – Cidadania e Igualdade – 19 e 20 Jun 15
  11. 11. III – Intervenção dos Bancos de Tempo no processo de transição para outra forma de viver Encontro Internacional do Banco de Tempo – Cidadania e Igualdade 19 e 20 Jun 15
  12. 12. III – Intervenção dos Bancos de Tempo no processo de transição para outra forma de viver Acolhimento das pessoas e famílias refugiadas  Criação de condições para que o Banco de Tempo, enquanto rede, possa dar um contributo efetivo no acolhimento das pessoas e famílias que, para escapar à guerra, deixam tudo para trás e arriscam as suas vidas em viagens que fazem em condições desumanas. Encontro Nacional do Banco de Tempo (12 Nov. 2015) Comunicação da representante do Graal na PAR (Plataforma de Apoio aos Refugiados)
  13. 13. Conclusão Em Portugal, temos nutrido, no interior do Banco de Tempo, o interesse, a participação e o pensamento crítico sobre temas da cidadania: desigualdades à escala local e global, sustentabilidade ambiental, consumo responsável, igualdade de género, e agora, os refugiados. É fértil na partilha de saberes, no desenvolvimento de talentos e na vivência da própria participação cidadã nas comunidades.
  14. 14. Obrigada pelo seu tempo! http://www.bancodetempo.net/pt/ https://www.facebook.com/Banco-de-Tempo-713541758710151/

×