AV. FRANCISCO MOTA, 572
BAIRRO COSTA E SILVA
MOSSORÓ-RN | CEP: 59.625-900
FOLHA DA UFERSA
DOCUMENTÁRIO
JULHO DE 2013
ED. N...
EXPEDIENTE
QUEM FAZ A UFERSA
JJOOSSÉÉ DDEE AARRIIMMAATTEEAA DDEE MMAATTOOSS
Ser hoje reitor da Universidade
Federal Rural ...
Pau dos Ferros e Caraúbas comemoram
instalação dos novos câmpus
EXPANSÃO
com a instalação de um Pólo da Uni-
versidade Abe...
4 FOLHA DA UFERSA | JULHO DE 2013
Fórum discute universidade mais acessível
EQUIDADE
Intérprete de Libras durante o evento...
FOLHA DA UFERSA | JULHO DE 2013 5
- A antiga Esam, hoje Universidade Federal Rural do
Semi-Árido, foi criada por meio de D...
6 FOLHA DA UFERSA | JULHO DE 2013
"40 Horas na Memória" tem
lançamento em agosto
PAULO FREIRE
O documentário tem como prot...
FOLHA DA UFERSA | JULHO DE 2013 7
NOSSOS VALORES
Professor Dr. Alex Augusto Gonçalves
Capacitação com inscrições abertas
A...
8 FOLHA DA UFERSA | JULHO DE 2013
Vamos evitar desperdício de alimentos
RESTAURANTE
Com uma média de 1.000 refei-
ções diá...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Folha da Ufersa - Ed01 julho 2013

1.550 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.550
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
948
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Folha da Ufersa - Ed01 julho 2013

  1. 1. AV. FRANCISCO MOTA, 572 BAIRRO COSTA E SILVA MOSSORÓ-RN | CEP: 59.625-900 FOLHA DA UFERSA DOCUMENTÁRIO JULHO DE 2013 ED. Nº01 - MOSSORÓ/RN INFORMATIVO INTERNO DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRODUZIDO PELA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA UFERSA www.ufersa.edu.br ""4400 HHoorraass nnaa MMeemmóórriiaa"" PPrroodduuççããoo ddaa UUffeerrssaa,, qquuee sseerráá llaannççaaddaa eemm aaggoossttoo,, tteemm ccoommoo pprroottaaggoonniissttaass 1199 eexx­­aalluunnooss ddee PPaauulloo FFrreeiirree nnaa cciiddaaddee ddee AAnnggiiccooss.. PPáágg.. 0066 CARAÚBAS/PAU DOS FERROS Novas instalações agradam comunidade acadêmica. Pág. 03 DCE Estudantes têm nova representação. Pág. 08 INCLUSÃO Ufersa discute acessibilidade. Pág. 04 - QUEM FAZ A UFERSA: REITOR JOSÉ DE ARIMATEA DE MATOS; PÁG. 02 - UFERSA REATIVA OUVIDORIA; PÁG. 03 - PROGRAMAS DA PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS BENEFICIAM SERVIDORES DA UFERSA; PÁG. 05 - DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS: VAMOS EVITAR! PÁG. 08 E Mais:
  2. 2. EXPEDIENTE QUEM FAZ A UFERSA JJOOSSÉÉ DDEE AARRIIMMAATTEEAA DDEE MMAATTOOSS Ser hoje reitor da Universidade Federal Rural do Semi-Árido só au- menta a nossa responsabilidade como servidor público há mais de 30 anos, sendo 11 desses na Ufersa, principalmente, por ter sido eleito com a participação de toda a comu- nidade ufersiana. Na minha rotina diária, descen- tralizamos ações para uma gestão mais participativa e democrática. Te- mos o grande desafio de consolidar as conquistas obtidas nos últimos anos, como por exemplo, a expansão territorial com a criação dos novos câmpus e a ampliação dos cursos de graduação e pós-graduação, numa sintonia permanente com o cresci- mento da Ufersa. Para isso, trabalha- mos também para a concretização de novos projetos como a criação do Centro de Ciências da Saúde com a instalação do curso de Medicina. Com a responsabilidade e o compromisso com o bem público, procuramos fazer da Universidade Federal Rural do Semi-Árido uma Instituição voltada para o desenvol- vimento local, regional e nacional. Para isso, pautamos nossas ações para uma Ufersa mais inclusiva, com mais oportunidades de crescimento pessoal – alunos, servidores técnico- administrativos e docentes – fazendo com que a Ufersa tenha cada vez mais o reconhecimento que merece da nossa sociedade. MMoottiivvaaççããoo Atualmente, parece que a desmo- tivação tornou-se um câncer nas orga- nizações. Será? Vamos conversar um pouco a respeito. Dentre as várias possíveis definições sobre Motivação, talvez a própria palavra seja a melhor referência para nos ajudar a pensar no seu significado. Na questão dos motivos, certa- mente cabe uma autoanálise a fim de percebermos claramente quem está estabelecendo as diretrizes de nossas vidas. Quem está dirigindo o carro da sua viagem por esta terra? Outro ponto importante é saber quais são os motivos. Algumas pesso- as passam a vida inteira correndo atrás de algo que não sabem o que é. Conseguem obter vitórias, conquistam patamares elevados, que a maioria sequer chega perto. E mesmo assim, vivem tristes como se estivessem de luto de si mesmo. Isso tem nome, chama-se Autossabotagem. Na segunda metade da palavra temos as Ações. Bom, aqui a questão é de atitude. Não basta sabermos o que fazer (Conhecimento), como fazer (Habilidade), temos que fazer (Atitude). Motivação certamente representa o que todos devemos ter. Motivos (Metas com planejamento) para as Ações (Atitudes). Muitos são ricos em atitu- des, mas pobres de planejamento. Por outro lado há milhares que analisam, analisam e não agem. Acabam adoe- cendo de parálise (paralisia por análise). Faça como Steve Jobs, quando descobriu que estava com câncer e decidiu fazer apenas o que fosse significativo e que valesse a pena. Não espere descobrir a brevidade da vida, viva-a intensamente enquanto a tem. Sucesso e um bom trabalho. 2 FOLHA DA UFERSA | JULHO DE 2013 RRaaddaammééss DDaannttaass ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA UFERSA - EDIÇÃO: PASSOS JÚNIOR. TEXTOS: PASSOS JÚNIOR, RENATA JAGUARIBE, HIGO LIMA, VANESSA D'OLIVIÊR. PROJETO GRÁFICO: AMANDA FREITAS. DIAGRAMAÇÃO: AMANDA FREITAS. FOTOS: EDUARDO MENDONÇA. REVISÃO: DIEGO FARIAS. . ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR DA UFERSA - REITOR: JOSÉ DE ARIMATEA DE MATOS. VICE-REITOR: FRANCISCO ODOLBERTO DE ARAÚJO. PRÓ-REITOR DE GRADUAÇÃO: PROFº. AUGUSTO CARLOS PAVÃO. PRÓ-REITOR DE PLANEJAMENTO: GEORGE BEZERRA RIBEIRO. PRÓ-REITORA DE ADMINISTRAÇÃO: ANAKLÉA MÉLO SILVEIRA DA CRUZ COSTA. PRÓ-REITORA DE GESTÃO DE PESSOAS: KELIANE DE OLIVEIRA CAVALCANTE. PRÓ-REITOR DE PESQUISA E PÓS- GRADUAÇÃO: PROFº. RUI SALES JÚNIOR. PRÓ-REITOR DE EXTENSÃO E CULTURA: PROFº. LUIZ AUGUSTO VIEIRA CORDEIRO. PRÓ-REITOR DE ASSUNTOS COMUNITÁRIOS: PROFº. RODRIGO SÉRGIO FERREIRA DE MOURA. EDITORIAL A partir deste mês, a Universidade Federal Rural do Semi- Árido ganha o jornal Folha da Ufersa. Com edição mensal, trazemos a proposta de melhorar a comunicação interna no âmbito da Universidade. Para alcançar essa meta, contamos com a participação de todos com dicas e sugestões. Esperamos que leiam e gostem. Se for o caso, critiquem, mas elogiem também. Esse espaço é nosso. Passos Junior assecom@ufersa.edu.br | Editor AAggeennddaa ddee EEvveennttooss Reitor da Ufersa - I Colóquio MP-RN e GEDEV – Discutindo sobre Criminalidade e Violência Inscrições no site 10 e 11 de Julho/Amâncio Ramalho - I Semana de Engenharias: Energia & Mecânica Inscrições no Centro de Convivência até o dia 5 de Julho 09 a 12 de Julho/Ufersa - III Semana de Engenharia de Produção (SEMEPRO) e IV Seminário da IAGRAM 6 a 9 de Agosto - Semana de Engenharia de Petróleo (PETROWEEK) 12 a 16 de Agosto - I Conferência Brasileira do GeoGebra Submissão de Trabalhos: 19/06 a 31/07 Inscrições até Outubro
  3. 3. Pau dos Ferros e Caraúbas comemoram instalação dos novos câmpus EXPANSÃO com a instalação de um Pólo da Uni- versidade Aberta do Brasil. Já na Ufersa Caraúbas são 1.050 alunos, distribuídos nos cur- sos de Ciência e Tecnologia, Enge- nharia Elétrica, Engenharia Civil e Engenharia Mecânica, com possibili- dade para implantação das Licencia- turas em Letras, habilitação em Inglês, e Música. A previsão é de que, quando estiver em pleno funcio- namento, a Ufersa Caraúbas receba 1.900 estudantes. Os novos câmpus agradaram toda a comunidade acadêmica. “Fizemos o máximo para estarmos aqui, apesar dos problemas, hoje, estamos mais bem instalados que antes, pois o bloco de sala de aula oferece as condições ideais para o aprendizado, inclusive, com climati- zação”, frisou o reitor, José de Arimatea de Matos. Para os alunos de Caraúbas, a boa notícia é que dentro de três meses a biblioteca será entregue. Quanto ao restauran- te e a residência universitária deve- rão ser iniciadas ainda neste ano, tanto em Caraúbas, como em Pau dos Ferros. Apesar de estarem funcionando parcialmente, as novas instalações agradam a comunidade universitária do Médio e do Alto Oeste FOLHA DA UFERSA | JULHO DE 2013 3 Com foto oficial em frente ao prédio administrativo, os estudantes e a equipe técnica pedagógica da Ufersa Pau dos Ferros comemoram a mudança para as novas instalações da Universidade. Em Pau dos Ferros estão em funcionamento quatro pré- dios: administrativo, bloco de salas de aula e o bloco de laboratórios, que engloba os laboratórios de Química, Física e Informática. Outros três prédi- os estão em obras. O campus de Pau dos Ferros funciona com 450 alunos em dois cursos de Bacharelado em Ciência e Tecnologia, mas com a expectativa para mais quatro cursos de engenha- ria. A partir de 2014, também contará com os cursos de Licenciatura em Matemática, Física e Computação, Ufersa reativa Ouvidoria SERVIÇO A Ouvidoria da Ufersa retoma suas atividades e os canais de comunicação com a comunidade universitária e o público externo. Por meio dela, a Universidade terá condições de conhecer as dificulda- des e lacunas na prestação de serviço e a necessidade de pro- gramar e/ou melhorar a sua qualida- de e a satisfação de seus usuários. “A Ouvidoria tem por objetivo defen- der os interesses da comunidade, estabelecendo meios que assegu- rem conforto e segurança no atendi- mento às pessoas e desburocra- tizando trâmites”, ressaltou Antônio Wilton de Morais Junior, ouvidor da Instituição. Seguindo as normas que ga- rantem a discrição e o sigilo quanto à identificação dos usuários, o atendimento da Ouvidoria pode ser realizado presencialmente de 07h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h30, na Sala da Ouvidoria, localizada no hall do Registro Escolar, no 1º andar do prédio da Reitoria. Além do e-mail e telefone, o contato pode ser feito pelo preen- chimento e envio do formulário disponível no Sistema SIGAA. Após o recebimento do chamado do usuário, a Ouvidoria entra em conta- to com o setor responsável que terá o prazo de 7 dias para que o diri- gente da unidade se pronuncie por escrito sobre o teor dos documen- tos que lhe forem encaminhados pelo ouvidor. “As chamadas só são finalizadas quando os reclamantes recebem feedback”, frisou Wilton. CONTATO: (84) 3317-8232 ouvidoria@ufersa.edu.br
  4. 4. 4 FOLHA DA UFERSA | JULHO DE 2013 Fórum discute universidade mais acessível EQUIDADE Intérprete de Libras durante o evento Com a criação da Coordenação Geral de Ação Afirma- tiva, Diversidade e Inclusão Social, a Ufersa passou a desen- volver ações incisivas com relação a pessoas com necessi- dades especiais. Durante o Fórum, o reitor José de Arimatea de Matos ressaltou o desejo e o compromisso da gestão para com a questão, enfatizando a importância do trabalho desenvolvido pela Caadis. “Desde outubro, quando a Coor- denação foi criada, observamos o desejo, o dinamismo e a realização de ações efetivas para implementações no âmbi- to da Ufersa”, afirmou. Para a representante do Ministério da Educação, a professora Rosana Cipriano Jacinto da Silva, Coordenadora de Políticas Pedagógicas, é de grande importância traçar medidas estratégicas e políticas para o atendimento aos estudantes. “Devemos partir da conceitualização do que é deficiência, dando maior atenção às necessidades especí- ficas”, afirmou. Ainda segundo a professora, uma educação inclusiva pressupõe uma sociedade inclusiva. “Trata-se de atitudes e estruturas para que a Instituição se torne acessível a todos”, finalizou. A abertura do Fórum contou com a participação do Coral Mãos em Sintonia, do Centro Estadual de Capacitação de Educadores e Atendimento aos Surdos. O Fórum contou ainda com a apresentação de 25 trabalhos em pôsteres. A preocupação com as necessidades especiais centralizou as discussões do I Fórum de Acessibilidade, Diversidade e Inclusão, promovido pela Universidade Federal Rural do Semi-Árido, por meio da Coordenação Geral de Ação Afirmativa, Diversidade e Inclusão Social – Caadis. A comunidade acadêmica ufersiana, juntamente com diversos segmentos da sociedade, discutiu propostas para o acesso e a permanência de pessoas com necessi- dades especiais na Universidade. “A proposta é discutir e viabilizar políticas de inclusão para esse público”, afirma a professora Ady Canário, coordenadora da Caadis. Dados do IBGE (2010) indicam que, no Brasil, o percentual de habitantes com algum tipo de deficiência é de 23,9%, o que corresponde a mais de 45 milhões de pessoas. Com relação ao Rio Grande do Norte, o percentual é ainda maior, 27%; tendo Mossoro 26%. A chapa 2, Movimente-se, venceu as eleições para o comando do Diretó- rio Central dos Estudantes (DCE) da Ufersa, tendo assumido no final de maio. Encabeçado pelas estudantes Rayane Andrade (presidente), do 5º período de Direito, e Maria Clara Dias (vice), do 6º período de Agronomia, o grupo é formado por 25 assentos, in- cluindo as representações dos câmpus de Caraúbas, Pau dos Ferros e Angicos. Eles permanecerão à frente do Diretório por um ano. O primeiro passo do novo coman- do foi dado com as reuniões junto às Pró-Reitorias e a Administração Central. A chapa chegou ao poder do DCE com a proposta de diminuir o valor cobrado pela emissão das carteirinhas de estu- dante e da fotocópia. “Já estamos conversando com as empresas e, quanto à xérox, já conseguimos com as Pró-Reitorias um assento na Comissão de Contratos e Licitações”, repassa Maria Clara, argumentando que “há uma fábrica de pessoas sobrevivendo com dinheiro das carteirinhas e a xérox é uma concessão, portanto, tem que ter um preço diferenciado”. De base progressista, o novo comando do DCE é resultado da articulação de estudantes de vários movimentos sociais dentro e fora da Universidade, de grupos de pesquisa e extensão, como, por exemplo, o GEDIC (Grupo de Estudo em Direito Crítico, Marxismo e América Latina). “Antes de participarmos dos movimentos estudan- tis na Universidade, somos integrantes dos movimentos sociais”, explica a presidente Rayane Andrade. O novo comando chega ao Dire- tório no momento em que o Brasil vai às ruas em manifestações populares. A mobilização que explodiu nas grandes e médias cidades foi, sobretudo, encabe- çada por estudantes. “Mossoró sempre teve na sua história momentos de lutas, mas acho que a classe estudantil não ‘acordou’ à altura do que aconteceu Nova direção assume DCE ESTUDANTES nas outras cidades”, avalia as integran- tes, complementando que a marca dessa gestão será a articulação com os estudantes, sobretudo por meio dos 12 Centros Acadêmicos e dos câmpus. Parte da equipe do DCE
  5. 5. FOLHA DA UFERSA | JULHO DE 2013 5 - A antiga Esam, hoje Universidade Federal Rural do Semi-Árido, foi criada por meio de Decreto Munici- pal em 18 de abril de 1967, na gestão do prefeito de Mossoró Raimundo Soares de Souza, sendo incorporada à Rede Federal de Ensino Superior no dia 21 de outubro de 1969, também por meio de Decreto. - O primeiro vestibular da Esam aconteceu em janeiro de 1968 para o curso de Eng. Agronômica. - A Esam teve como fundador o professor Jerônimo Vingt-Un Rosado Maia, tendo ele assumido por dois períodos a direção da Instituição. - O curso de Medicina Veterinária foi criado em 1994 e os cursos de Zootecnia e Eng. Agrícola em 2003. - A transformação da Esam em Ufersa aconteceu no dia 29 de julho de 2005. Nova vida, novos desafios APOSENTADORIA Após a certeza da missão cumpri- da, o que fazer para encarar os novos desafios advindos com a aposen- tadoria? Para orientar os servidores que estão em vias desse processo garantido por lei, a Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas da Ufersa desen- volve o Programa de Preparação para Aposentadoria – PPA. São encontros mensais para debater temas como: significados e sentidos do trabalho; saúde e bem-estar, legislação previ- denciária e orçamento doméstico, culminado com uma ampla discussão sobre novos projetos de vida. “A preparação adequada para a aposentadoria é uma forma do servidor se adaptar melhor à nova realidade direcionando um novo rumo à sua vida”, justifica o reitor da Ufersa, profes- sor José de Arimatea de Matos. A maioria dos servidores públicos não recebe orientações sobre a nova reali- dade e são acometidos por problemas de saúde e convívio social. Para a pró-reitora de gestão de pessoas, Keliane Oliveira, a preparação para a aposentadoria é uma tendência nos dias atuais e indispensável para o futuro dos servidores. “Essa prepara- ção deve anteceder a aposentadoria”, reforça, salientado que, no entanto, o trabalho não deve ser encarado como uma obrigação, fardo, mas um reco- nhecimento social, por meio da forma- ção familiar e escolar voltada para a qualidade no trabalho. Visando o bem estar físico dos servidores, a Universidade implantou o Programa “Movendo a Ufersa". A proposta é incentivar e viabilizar a prática de atividades físicas. O trabalho conta com a orientação do educador físico Armando Gomes. “Com esse programa, queremos contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos servi- dores”, ressalta a assistente social Lúcia Maria de Sousa. O Programa contemplará inicialmente o Campus Mossoró. Os servidores, antes de iniciar as atividades físicas, são submetidos a exame de aptidão física, fornecido por um médico cardiologista. As atividades propostas são hidroginástica, com aulas de 17h30 às 18h30, nos dias de segunda, quarta e quinta-feira; caminhada orientada, de 06h30 às 07h, na terça e quarta- feira, no pátio interno do Campus Leste; e ginástica laboral que será realizada nos dias de terça e quarta-feira, nos setores com agendamento de horário. SERVIDOR Tem que suar! SAÚDE Servidores durante aula de hidroginástica na Ufersa
  6. 6. 6 FOLHA DA UFERSA | JULHO DE 2013 "40 Horas na Memória" tem lançamento em agosto PAULO FREIRE O documentário tem como protagonistas 19 ex-alunos do educador Paulo Freire numa experiência pioneira em Angicos Bastidores da entrevista realizada na casa do senhor Manoel Bezerra (seu Biel), em Angicos dos ex-alunos, o documentário conta com a participação especial do poeta cordelista Hailton Mangabeira, na apre- sentação, e do músico Carlos Zens, assinando a trilha sonora. Com mais de 7 horas de gravação captadas, o filme mostra o recorte his- tórico de como aconteceu e o que representou o projeto na vida dos ex- alunos. “O roteiro abrange cinco temá- ticas: o cotidiano de Angicos na época; as aulas e o que foi estudado; como era Paulo Freire; o que mais marcou dessa experiência e, por último, qual o legado das 40 horas”, explica a roteiris- ta do documentário, a jornalista Renata Jaguaribe. Com duração aproximada de 30 minutos, o documentário tem direção de fotografia de Eduardo Mendonça, edição de Diego Farias, produção de Amanda Freitas, assistentes de produ- ção, Higo Lima, Vanessa d’Oliviêr, Valéria Dantas e Cinara Ribeiro. O quê? Lançamento do filme “40 Horas na Memória"; Quando? 01 de agosto; Horário: 19h; Local: Auditório do Centro de Convivência da Ufersa Angicos. SERVIÇO Há exatamente 50 anos, o Sertão Central do Rio Grande do Norte viven- ciava experiência pioneira na alfabeti- zação de jovens e adultos, com o Projeto 40 Horas de Angicos, do edu- cador Paulo Freire, realizado em 1963. Para resgatar essa experiência, a Assessoria de Comunicação da Ufersa está produzindo o documentário “40 Horas na Memória: Resgate da Experi- ência dos Alunos de Paulo Freire em Angico/RN”, tendo como protagonistas 19 ex-alunos, hoje idosos com idade acima de 70 anos. O lançamento vai acontecer em primeiro de agosto, na Ufersa Angicos. Filmado durante os meses de fevereiro e março, o documentário é ambientado nas residências de cada um dos participantes. “É uma forma de mostrar a realidade atual dessas pes- soas, bem como resgatar a memória desses idosos, por meio da oralidade, após 50 anos dessa experiência pionei- ra na área da Educação”, ressalta o diretor do documentário, o jornalista Passos Júnior. O filme será a primeira peça audiovisual produzida pela Universida- de para o acervo do Memorial Paulo Freire que está sendo construído nas dependências da Ufersa Angicos. Além Ex-aluna durante entrevista Gravação na casa de uma das entrevistadas MAKINGOF
  7. 7. FOLHA DA UFERSA | JULHO DE 2013 7 NOSSOS VALORES Professor Dr. Alex Augusto Gonçalves Capacitação com inscrições abertas A partir do segundo semestre, os servidores técnico-administrativos da Ufersa vão poder dar continuidade ao Plano Anual de Capacitação 2013, que começou em 5 de junho, com o curso Iniciação no Serviço Público. No total, serão oferecidos mais quatro cursos distribuídos nas áreas gerencial, inter- pessoal e pessoal. Os cursos vão co- meçar em agosto, prosseguindo até o mês de outubro. A inscrição será feita mediante o envio do formulário disponi- bilizado na página da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas: http://www2.ufersa .edU.br/portal/divisoes/ddrh. Na área gerencial serão ofereci- dos os cursos Gestão de Contratos e Serviços e Planejamento Estratégico. Na área interpessoal, o curso Relações Interpessoais no Trabalho e, na área O livro Tecnologia do Pescado - Ciência, Tecnologia, Inovação e Legislação (Editora Atheneu), do professor do curso de Engenharia de Pesca, Alex Augusto Gonçalves, foi o 2º colocado do Concurso Jabuti 2012, concorrendo com 2.230 livros inscritos na categoria Tecnologia e Informática. O título tem a contribuição de 49 profissionais da área de pesca e aquicultura. A obra está organizada em quatro seções: Ciência do Pescado, Tecnologia do Pescado, Inovação e Legislação. O objetivo, afirma o autor, é promover o avanço da pesquisa e o desenvolvimento da área de pescado, bem como estimular o progresso profissional de técnicos e pesquisadores da área. Em maio de 2013, o professor Alex foi convidado para ministrar o curso de Tecnolo- gia do Pescado e Controle de Qualidade do Pescado no Wuxi Aquaculture Training Centre (Freshwater Fisheries Research Center - Chinese Acade- my of Fishery Sciences), na China. O curso faz parte do projeto “Pro- motion of Processing and Marketing of Freshwater Fish Products: Bangladesh, India, Indonesia, Pakistan and Sri lanka”. Ainda em 2013, o professor representou a Ufersa em dois eventos nacionais ao proferir a palestra “Inovação de produtos de pescado para o consumidor” no Congresso Internacional de Gastronomia e Ciência de Alimentos, em Fortaleza (CE) e “Produtos de valor agregado com camarão – necessidade ou desejo?” na 10° Edição da Feira Nacional do Camarão, em Natal. O professor foi convidado para sessão de autógrafos durante a 29ª edição da Fispal Tecnologia, Feira Internacional de Embala- gens, Processos e Logística para as Indústrias de Alimentos e Bebidas, o maior evento do setor na América Latina, em São Paulo. Em setembro e novembro, o professor irá novamente representar a Ufersa em dois eventos internacionais: 2013 World Seafood Congress, no Canadá, e no 1st Annual World Economic Forum on Tilapia Aquaculture Production, no México. pessoal, o curso Autodesenvolvimento: Programação e Prática. Cada curso disponibilizará 30 vagas. A diretora da Divisão de Desenvo- lvimento de Recursos Humanos da Ufersa, Náglia Bezerra, explica que, para o curso Gestão de Contratos e Serviços, a prioridade das vagas é para os servidores que atuam como fiscais de contratos e serviços. Já no curso de Planejamento Estratégico a prioridade das vagas será para os servidores ocu- pantes de função gerencial. Náglia Bezerra, diretora da DDRH
  8. 8. 8 FOLHA DA UFERSA | JULHO DE 2013 Vamos evitar desperdício de alimentos RESTAURANTE Com uma média de 1.000 refei- ções diárias, o Restaurante Universitá- rio da Ufersa alerta aos usuários para o fim do desperdício de alimentos. Com a fixação do preço de R$ 2,50 para o almoço e de R$ 2,00 o jantar, alguns frequentadores estão deixando a comi- da no prato, gerando o desperdício de alimentos. “Antes, com o pagamento no quilo, esse problema não se veri- ficava”, alerta a nutricionista do R.U da Universidade, Débora Cristina. O problema não é pontual, pois segundo dados da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), 1,3 bilhão de tone- lada de comida é desperdiçada a cada ano. Enquanto isso, a fome atinge 01 em cada 07 pessoas no mundo. Ainda segundo a FAO, mais de 20 mil crian- ças com menos de 5 anos morrem diariamente vítimas de desnutrição. No Brasil, a quantidade de pesso- as que passam necessidade ultrapassa os 13 milhões, por falta de renda ou baixos salários. A conscientização das pessoas em reduzir o desperdício de comida trará resultados positivos rela- cionados à economia de dinheiro e diminuição do impacto ambiental da produção de comida. Segundo a Orga- nização das Nações Unidas (ONU), a fome é o único grande problema solu- cionável do mundo. Confira algumas dicas simples para evitar o desperdício de alimentos: • Faça uma lista de compras antes de chegar ao supermer- cado. Essa rotina faz com que o consumidor opte por produtos realmente necessários; • Esteja atento aos rótulos para saber a procedência, com- posição e mais importante, a data de validade. Na hora de comprar, dê preferência a pro- dutos da região; • Coloque no prato somente aquilo que vai comer. Em alguns restaurantes os clientes que des- perdiçam comida são obrigados a pagar multas, portanto é me- lhor repetir, do que jogar fora; • Separe os alimentos em pe- quenas porções. As famílias pe- quenas ou pessoas que moram sozinhas devem levar esse re- quisito a sério na hora de entrar na cozinha; • Reaproveite os alimentos. Isso pode ser aplicado a cascas de frutas e legumes, talos de vegetais, entre outras coisas que podem ser usadas em novas receitas. Na hora da refeição no RU... ...monte seu prato de forma que... ...evite o desperdício de alimentos Servidora é aprovada para mestradoA contadora Lizete Figueira Costa do quadro técnico-administra- tivo da Ufersa foi aprovada em ter- ceiro lugar pelo Comitê Científico da Universidade de Aveiro, em Portugal, para cursar mestrado em Contabili- dade, no ramo de Auditoria. Além de manter contato com outras culturas e ampliar seus co- nhecimentos técnicos e acadêmicos em sua área de atuação, diz-se satisfeita também pela oportunidade de realizar um curso em um país da Europa, visto que são raros os cur- sos de mestrado em contabilidade no Brasil. Contribuíram para a sua apro- vação o seu conhecimento técnico e o currículo, com ênfase em auditoria e contabilidade pública. “Sou servi- dora da Instituição e os conhecimen- tos que vou buscar serão, certamen- te, em seu proveito para que possa prestar um serviço de qualidade à Ufersa e à sociedade”, pondera. A seleção faz parte de um programa de pós-graduação conti- nuada. “Situação ainda mais gratifi- cante para mim como profissional que estou tendo o acesso, como também para a Instituição que traba- lho. Espero que esse processo sirva como incentivo aos meus colegas servidores que também pretendem enriquecer seus conhecimentos”, concluiu Lizete Costa. QUALIFICAÇÃO Lizete Costa, contadora da Ufersa

×