1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE
URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA
1 SEMINÁRIOS T...
1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE
URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA
- - -
- I:Geol...
1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE
URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA
1.3 Instabilid...
1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE
URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA
Seção esquemát...
1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE
URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA
1.3.2.1 Mont S...
1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE
URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA
Seção geológic...
1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE
URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA
1.3.2.2 Túnel ...
1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE
URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA
- - -
- I:Geol...
1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE
URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA
Seção geológic...
1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE
URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA
Seção geológic...
1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE
URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA
1.3.2.5 Ponte ...
1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE
URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA
lagoas para o ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Geologia da ilha de santa catarina - 26/06/2012

421 visualizações

Publicada em

Apresentação feita na mesa sobre Áreas de Risco e Saneamento Básico no primeiro SEMINÁRIO TÉCNICO DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE URBANA em 26 DE JUNHO DE 2012

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
421
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Geologia da ilha de santa catarina - 26/06/2012

  1. 1. 1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA 1 SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA 1.1 Introdução A geologia tem importância no planejamento e mobilidade urbana, principalmente no que se refere ao Uso e Ocupação do Solo e no Sistema Viário. Os principais aspectos relacionados com o Uso e Ocupação do Solo e no Sistema Viário, se referem a condições instáveis de encostas e corte, a áreas onde ocorrem solos moles. 1.2 Geologia da Ilha de Santa Catarina Os comentários sobre a geologia da Ilha de Santa Catarina estão baseados no Mapa Geológico da Ilha de Santa Catarina, elaborado por Francisco Caruso Júnior e João Awdziej, em 1993. - - - - I:Geologia_Fpolis_SeminarioApresentacao_Seminario_Urbano.odt Cap.1 – Pág.1
  2. 2. 1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA - - - - I:Geologia_Fpolis_SeminarioApresentacao_Seminario_Urbano.odt Cap.1 – Pág.2
  3. 3. 1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA 1.3 Instabilidades de encostas e cortes na Ilha de Santa Catarina Tem-se observado que as instabilidades de encostas e cortes que ocorreram na Ilha de Santa Catarina, estão associadas aos seguintes condicionamentos geológicos/geotécnicos. 1.3.1 Depósitos de tálus/colúvio Não deve haver grande preocupação em se distinguir um depósito de tálus de um depósito de colúvio, pois comumente estão associada e intercalados. Um depósito de tálus é formada pela ação da gravidade. Numa encosta com declividade elevada há a queda de blocos de rocha e solo, simplesmente pela ação da gravidade. Um depósito coluvial nada mais é de um antigo escorregamento, onde os fatores de instabilidade atuantes foram a gravidade e a água. A identificação de um depósito coluvial torna-se mais fácil, quando consegue-se identificar a cicatriz do escorregamento e logo abaixo, o material escorregado. Porém, nem sempre estas duas características estão associadas. Na Ilha de Santa Catarina, são vários os locais onde são observados os depósitos de tálus/colúvio. Como exemplo, tem-se a encosta do Morro da Cruz, Mont Serrat, Morro da Mariquinha, Morro do Mocotó, Morro do Horácio, Queimadas, Cacupé, Ribeirão da Ilha, Ingleses, Morro da Lagoa. 1.3.1.1 Morro do Horácio Em 1990, a queda de blocos de granito de grande diâmetro trouxe preocupação da comunidade do Morro do Horácio. Formou-se uma escarpa no contato entre o granito e o dique de diabásio, devido a maior alterabilidade do diabásio em relação ao granito. Desta escarpa, se desprenderam grandes blocos de granito e seu solo formando um depósito de tálus/colúvio. Muitas casas foram construídas junto a estes blocos instáveis, sendo necessária uma obra de estabilização, que constou de uma grelha atirantada. - - - - I:Geologia_Fpolis_SeminarioApresentacao_Seminario_Urbano.odt Cap.1 – Pág.3
  4. 4. 1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA Seção esquemática da instabilidade devida a queda de blocos no Morro do Horácio. 1.3.1.2 Encosta do Morro da Cruz A encosta do Morro da Cruz é formada por um grande depósito de tálus/colúvio, onde estão depositados grande volume de solo coluvial e blocos de granito de grande diâmetro, dispostos de modo instável. Várias obras de contenção já foram realizadas, para a contenção de blocos instáveis, como o atirantamento de blocos no Morro da Mariquinha. Recentemente, se desprenderam blocos atingindo várias casas. 1.3.2 Diques de diabásio secionando o granito Uma das condições que tem causado instabilidades, se verifica quando diques de diabásio secionam o granito. Por ter uma alterabilidade maior, devido ao maior fraturamento e uma constituição mineralógica de maior alterabilidade, o local de ocorrência do dique de diabásio tende formar uma depressão alongada, um vale alongado. No contato entre o granito e o diabásio, forma-se uma escarpa. O maior fraturamento do diabásio faz com que a água percole por suas fraturas, formando um verdadeiro canal subterrâneo de percolação da água, confinado pelo granito, menos permeável. Este condicionamento geológico tem gerado muitas instabilidades. - - - - I:Geologia_Fpolis_SeminarioApresentacao_Seminario_Urbano.odt Cap.1 – Pág.4
  5. 5. 1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA 1.3.2.1 Mont Serrat Após um período chuvoso prolongado, a encosta do Mont Serrat, que fica logo acima da Escola Técnica Federal, escorregou afetando diversas casas, tanto na porção de montante do escorregamento, como na parte de jusante. Analisando o condicionamento geológico, constata-se a ocorrência de um dique de diabásio, bastante espesso, da ordem de 250 m. Este dique se alonga desde a Penitenciária abrangendo a face da cidade, passando após pela encosta do Bairro Saco dos Limões. Este ponto de passagem de uma encosta para outra, é facilmente identificado, por uma sela na crista do morro. - - - - I:Geologia_Fpolis_SeminarioApresentacao_Seminario_Urbano.odt Cap.1 – Pág.5
  6. 6. 1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA Seção geológica esquemática do escorregamento no Mont Serrat. - - - - I:Geologia_Fpolis_SeminarioApresentacao_Seminario_Urbano.odt Cap.1 – Pág.6
  7. 7. 1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA 1.3.2.2 Túnel da Via Expressa Sul O emboque do Túnel da Via Expressa Sul, no lado do Saco dos Limões, foi executado com grande dificuldade e custo, isto porque, o emboque se deu exatamente no dique de diabásio. Devido a maior alterabilidade do diabásio, a espessura de solo era elevada, dificultando o emboque. Foi necessária a execução de enfilagem e Jet grouting, para a contenção do teto do túnel para somente depois, efetuar a escavação e a execução de concreto projetado. 1.3.2.3 Morro do Cacupé - - - - I:Geologia_Fpolis_SeminarioApresentacao_Seminario_Urbano.odt Cap.1 – Pág.7
  8. 8. 1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA - - - - I:Geologia_Fpolis_SeminarioApresentacao_Seminario_Urbano.odt Cap.1 – Pág.8
  9. 9. 1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA Seção geológica esquemática do corte do Morro do Cacupé, antes da reativação do escorregamento. Seção geológica esquemática do corte do Morro do Cacupé, após a reativação do escorregamento. - - - - I:Geologia_Fpolis_SeminarioApresentacao_Seminario_Urbano.odt Cap.1 – Pág.9
  10. 10. 1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA Seção geológica esquemática projeto de estabilização do corte do Morro do Cacupé, após a reativação do escorregamento. 1.3.2.4 Morro da Lagoa No acesso à Lagoa da Conceição, também ocorre um dique de diabásio, que foi causa de escorregamento. - - - - I:Geologia_Fpolis_SeminarioApresentacao_Seminario_Urbano.odt Cap.1 – Pág.10
  11. 11. 1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA 1.3.2.5 Ponte Hercílio Luz Seção geológica esquemática do canal do estreito, junto à Ponte Hercílio Luz. 1.4 Solos compressíveis - Solos Moles Os solos compressíveis ou solos moles, são formados por solos argilosos, pretos ou cinza escuro, devido a presença elevada de matéria orgânica. As turfas também se comportam como solos compressíveis. Estes solos apresentam baixíssima capacidade de suporte, rompendo com facilidade, quando submetidos a uma pressão, como a de um aterro. Além do problema da ruptura, também apresentam o inconveniente de sofrerem adensamento, que é a lenta redução de espessura, quando submetidos a uma carga. Assim, quando um aterro é colocado sobre os solos compressíveis, a cota do aterro vai baixando, num período da ordem de 20 anos. O adensamento tem que ser determinado para cada solo compressível, através de ensaio. Também através de ensaio, pode-se determinar a altura crítica do aterro. Devido a esta dificuldade, deve-se evitar o loteamento em áreas de ocorrência de solos compressíveis, pois podem acarretar problemas de fundação, do surgimento de fissuras nas edificações. Como exemplo, tem-se as arquibancadas, junto as pontes. Estas edificações estão com sérios problemas estruturais, devido a recalques diferenciais. Na Ilha os solos compressíveis ocorrem no aterro da Baia Sul, no acesso ao aeroporto, no norte da Ilha, em Canasvieiras, no mangue do Itacorubi. Um exemplo foi o planejamento do Sapiens Park. Inicialmente, foram projetadas - - - - I:Geologia_Fpolis_SeminarioApresentacao_Seminario_Urbano.odt Cap.1 – Pág.11
  12. 12. 1 – SEMINÁRIOS TÉCNICOS DE PLANEJAMENTO E MOBILIDADE URBANA - 26-06-12 - GEOLOGIA DA ILHA DE SANTA CATARINA lagoas para o suprimento de material de aterro. No entanto, as sondagens mostraram que nestes locais, ocorriam solos compressíveis, de utilização inviável para aterro. O lay out do projeto teve que ser modificado. 1.5 Materiais de construção Um dos sérios problemas que enfrenta a Ilha, é a fonte de materiais de construção, especialmente, solos para aterro. O Departamento Nacional da Produção Minera (DNPM) bloqueou a Ilha para a exploração mineral. Assim, não são emitidos Decretos de Lavra ou Licenciamentos para exploração de solo ou rocha na Ilha. Isto implica no transporte distante de materiais para a execução das obras. Como exemplo, temos o acesso ao Aeroporto Hercílio Luz, que necessita de 400.00 m3 de solo para a execução dos aterros. Este material de aterro terá que vir da região de Colônia Santana, distante cerca de 38 km do aeroporto. - - - - I:Geologia_Fpolis_SeminarioApresentacao_Seminario_Urbano.odt Cap.1 – Pág.12

×