INTRODUÇÃO À NORMAS
TÉCNICAS
PRODUZIDO POR: MARCUS
NORMAS TÉCNICAS
 CONCEITOS:
 Inspetor: Encarregado de fazer a
inspeção, isto é, o que observa e
fiscaliza
 Inspeção: At...
NORMAS TÉCNICAS
 Normas: Regra; preceito; modelo; lei;
método.
 Projeto: Plano geral de um trabalho
de um ato.
 Projeta...
NORMAS TÉCNICAS
PROCESSSO
INSPEÇÃO
FINAL
PROJETO
PRODUTO
NORMAS TÉCNICAS
PROJETO
DADOS DE ENTRADA
ESPECIFICAÇÃO DE
PROJETO
NORMA DO PROJETO
NORMAS TÉCNICAS
 PROJETO:
1. O projeto é elaborado através dos
dados de entrada, conforme
especificação de aquisição do
c...
NORMAS TÉCNICAS
1. Exemplo de norma de projeto
ASME VIII para fabricação vasos
de pressão.
2. Qualificação do projeto
obje...
NORMAS TÉCNICAS
PROCESSO
NORMAS
DE
PROJETO
NORMAS
DE
EXECUÇÃO
PROCEDIMENTOS
NORMAS TÉCNICAS
 PROCESSO:
1.Execução do projeto.
2.Uso de procedimentos de execução e
inspeção conforme procedimentos
el...
NORMAS TÉCNICAS
INSPEÇÃO FINAL
NORMAS
DE
PROJETO
NORMAS
DE
EXECUÇÃO
CHECK LIST
NORMAS TÉCNICAS
 INSPEÇÃO FINAL:
1.Execução da inspeção do final de
linha, avaliando a conformidade do
produto segundo re...
NORMAS TÉCNICAS
PROCEDIMENTOS
NORMAS PETROBRAS N 133
NORMAS REG. NR 13
NORMAS ASME V; XI; II
NORMA ASME VIII
NORMAS TÉCNICAS
 NORMAS ASME, NOMENCLATURA:
 A- AMERICAN
 S – SOCIETY
 M – MECHANICAL
 E - ENGENEERS
NORMAS TÉCNICAS
 ASME VIII
 NORMA UTILIZADA PARA FABRICAÇÃO
DE VASOS DE PRESSÃO E É DIVIDIDA
EM PARTES.
 UG 2 – UG 15
...
NORMAS TÉCNICAS
 UG 16 – UG 35
 PROJETO; MÉTODO DE FABRICAÇÃO
E COMBINAÇÃO; MATERIAIS EM
COMBINAÇÃO; PROJETO DE
TEMPERAT...
NORMAS TÉCNICAS
 UG 36 – UG 46
 ABERTURA S E REFORÇOS
 UG 47 – UG 50
 UG 53 – UG 55
 LIGAMENTOS
 UG 75 – UG 85
 FAB...
NORMAS TÉCNICAS
 UG 78
 REPAROS EM DEFEITOS DE
MATERIAIS
 UG 84
 TESTE DE IMPACTO (CHARPY)
 UG 85
 TRATAMENTO TÉRMICO
NORMAS TÉCNICAS
 UG 90
 INSPEÇÃO E TESTE
 UG 91
 INSPETOR
 UG 92
 ACESSO P/ INSPETOR
NORMAS TÉCNICAS
 UG 93
 INSPEÇÃO DE MATERIAIS
 UG 94
 MARCAÇÃO DOS MATERIAIS
 UG 95
 EXAMINAÇÃO DA SUPERFÍCIE
DURANT...
NORMAS TÉCNICAS
 UG 96
 CHECK DIMENSIONAL DAS PARTES
DOS COMPONENTES
 UG 97
 INSPEÇÃO DURANTE A FABRICAÇÃO
 UG 98
 P...
NORMAS TÉCNICAS
 UG 99
 PADRÃO PARA TESTE
HIDROSTÁTICO
 UG 100
 TESTE PNEUMÁTICO
 UG 101
 TESTE DE PROVA P/ PRESSÃO ...
NORMAS TÉCNICAS
 UG 102
 PADRÕES PARA TESTE
 UG 103
 TESTE NÃO DESTRUTIVO
 UG 80.1
 DESVIOS MÁX. PERMISSÍVEL P/ UMA
...
NORMAS TÉCNICAS
 UG 84.3
 ESPECIFICAÇÃO P/ TESTE DE
IMPACTO NOS MATERIAIS,
PRODUTOS E FORMAS
 UG 20
 CRITÉRIO P/ PROJE...
NORMAS TÉCNICAS
 UG 21
 PRESSÃO DE PROJETO – VASOS
PROJETADOS PARA A CONDIÇÃO
MAIS SEVERA DE INCIDÊNCIA DE
PRESSÃO E TEM...
NORMAS TÉCNICAS
 PART D1 BPT UB
 REQUERIMENTOS P/ VASOS DE
PRESSÃO FABRICADOS POR
BRASAGEM.
 PART D1 B PT UF
 REQUERIM...
NORMAS TÉCNICAS
 PART D1 CPT UCL
 REQUERIMENTO PRA VASOS DE
PRESSÃO CONSTRUÍDOS DE
MATERIAIS COM RESISTÊNCIA
INTEGRAL À ...
NORMAS TÉCNICAS
 ASME II
 ESPECIFICAÇÕES PARA ELETRODOS
DAS VARETAS DE SOLDAGEM E OS
METAIS DE ENCHIMENTO
 APÊNDICE I
...
NORMAS TÉCNICAS
 SFA – 5.1;SFA 5.2; SFA 5.5 –
ELETRODOS DE AÇO BAIXA LIGA
PARA SOLGAGEM COM ELETRODO
REVESTIDO; SFA 5.11 ...
NORMAS TÉCNICAS
 ASME IX
 PART QW – SOLDAGEM
 ARTIGO II – QUALIFICAÇÃO DE
PROCEDIMENTO DE SOLDAGEM
 ARTIGO III – QUALI...
NORMAS TÉCNICAS
 QW 440 – COMPOSIÇÃO QUÍMICA
DE METAL DE SOLDA
 ARTIGO V – PADROES P/
ESPECIFICAÇÃO DE PROCEDIMENTO
DE S...
NORMAS TÉCNICAS
 ASME V
 MÉTODO DE EXAME NÃO
DESTRUTIVO.
 DIVIDIDO EM ARTIGOS:
 ARTIGO II
 EXAME RADIOGRÁFICO :
EQUIP...
NORMAS TÉCNICAS
 ARTIGO IV
 EXAME ULTRASÔNICO: APÊNDICE
MANDATÓRIO; APÊNDICE NÃO
MANDATÓRIO. EX: DISPOSIÇÃO DE
PONTOS DE...
NORMAS TÉCNICAS
 ASME V:
 ARTIGO VI
 EXAME LÍQUIDO PENETRANTE
 ARTIGO VII
 EXAME PARTÍCULA MAGNÉTICA
NORMAS TÉCNICAS
 ARTIGO VIII
 EDDY CURRENT EXAMINATION OR
TUBULAR PRODUCT
 ARTIGO IX
 EXAME VISUAL
 ARTIGO X
 TESTE ...
NORMAS TÉCNICAS
 ASME V:
 ARTIGO XI
 EXAMINAÇÃO ACÚSTICA PARA FIBRAS E
PLÁSTICOS
 ARTIGO XII
 EXAMINAÇÃO ACÚSTICA DE ...
NORMAS TÉCNICAS
 NR 13 - Caldeiras e Vasos de Pressão
(113.000-5).
 13.6 Vasos de pressão - disposições
gerais.
 13.6.1...
NORMAS TÉCNICAS
 13.6.1.2. Os vasos de pressão
abrangidos por esta NR estão
classificados em categorias de acordo
com o A...
NORMAS TÉCNICAS
 a) "Prontuário do Vaso de Pressão" a
ser fornecido pelo
fabricante, contendo as seguintes
informações:
...
NORMAS TÉCNICAS
 conjunto de desenhos e demais
dados necessários para o
monitoramento da sua vida útil;
 CLASSIFICAÇÃO D...
NORMAS TÉCNICAS
 ANEXO III
 1. Esta NR deve ser aplicada aos
seguintes equipamentos:
 a) qualquer vaso cujo produto "PV...
NORMAS TÉCNICAS
 UM CASO PRÁTICO
 4.1 - Dados de Projeto
 código de projeto: ASME VIII Div
I, ed. 1968
fabricante: Brow...
NORMAS TÉCNICAS

temperatura projeto: 120oC
pressão de teste hidrostático: 30
kgf / cm2
PMTA: 23,5 kgf / cm2 - limitado
p...
NORMAS TÉCNICAS
 material: A-515 Gr 70
capacidade: 19,2 m3
comprimento total do vaso: 7000
mm
diâmetro interno do casco: ...
NORMAS TÉCNICAS
 4.2 Condições operacionais
 função: recebedor de propano do
topo da coluna retificadora
pressão de oper...
NORMAS TÉCNICAS
 temperatura mínima de operação: O
vaso opera normalmente nas
condições acima, em campanhas de
aproximada...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Introdução à normas técnicas

671 visualizações

Publicada em

normas

Publicada em: Engenharia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
671
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução à normas técnicas

  1. 1. INTRODUÇÃO À NORMAS TÉCNICAS PRODUZIDO POR: MARCUS
  2. 2. NORMAS TÉCNICAS  CONCEITOS:  Inspetor: Encarregado de fazer a inspeção, isto é, o que observa e fiscaliza  Inspeção: Ato de examinar, isto é, fiscalizar.  Inspecionar: Exercer a inspeção sobre, baseado em critérios normativos.
  3. 3. NORMAS TÉCNICAS  Normas: Regra; preceito; modelo; lei; método.  Projeto: Plano geral de um trabalho de um ato.  Projetar: Formar o projeto de.  Produto: Efeito de produzir.
  4. 4. NORMAS TÉCNICAS PROCESSSO INSPEÇÃO FINAL PROJETO PRODUTO
  5. 5. NORMAS TÉCNICAS PROJETO DADOS DE ENTRADA ESPECIFICAÇÃO DE PROJETO NORMA DO PROJETO
  6. 6. NORMAS TÉCNICAS  PROJETO: 1. O projeto é elaborado através dos dados de entrada, conforme especificação de aquisição do cliente. 2. Requisitos do projeto para atendimento a especificação do cliente conforme norma do projeto.
  7. 7. NORMAS TÉCNICAS 1. Exemplo de norma de projeto ASME VIII para fabricação vasos de pressão. 2. Qualificação do projeto objetivando aprovação para uso, segundo requisitos normativos e especificação do projeto.
  8. 8. NORMAS TÉCNICAS PROCESSO NORMAS DE PROJETO NORMAS DE EXECUÇÃO PROCEDIMENTOS
  9. 9. NORMAS TÉCNICAS  PROCESSO: 1.Execução do projeto. 2.Uso de procedimentos de execução e inspeção conforme procedimentos elaborados por normas específicas. Ex: ASME V; ASME XI; Normas Petrobrás (N 133). 3.Fabricação e inspeção e ensaios do produto em atendimento aos requisitos normativos.
  10. 10. NORMAS TÉCNICAS INSPEÇÃO FINAL NORMAS DE PROJETO NORMAS DE EXECUÇÃO CHECK LIST
  11. 11. NORMAS TÉCNICAS  INSPEÇÃO FINAL: 1.Execução da inspeção do final de linha, avaliando a conformidade do produto segundo requisitos de projetos conforme normas essenciais (ASME VIII). 2.Inspeção de check list do produto para verificação do cumprimento as requisitos normativos e de projeto para liberação ao uso.
  12. 12. NORMAS TÉCNICAS PROCEDIMENTOS NORMAS PETROBRAS N 133 NORMAS REG. NR 13 NORMAS ASME V; XI; II NORMA ASME VIII
  13. 13. NORMAS TÉCNICAS  NORMAS ASME, NOMENCLATURA:  A- AMERICAN  S – SOCIETY  M – MECHANICAL  E - ENGENEERS
  14. 14. NORMAS TÉCNICAS  ASME VIII  NORMA UTILIZADA PARA FABRICAÇÃO DE VASOS DE PRESSÃO E É DIVIDIDA EM PARTES.  UG 2 – UG 15  TRATA SOBRE MATERIAIS FORJADOS; FUNDIDOS; PIPES E TUBOS; MATERIAIS DE SOLDAGEM; FABRICAÇÃO; PARAFUSOS; ESTOJOS; PORCAS; ESPECIFICAÇÃO E PRODUTO.
  15. 15. NORMAS TÉCNICAS  UG 16 – UG 35  PROJETO; MÉTODO DE FABRICAÇÃO E COMBINAÇÃO; MATERIAIS EM COMBINAÇÃO; PROJETO DE TEMPERATURA E PRESSÃO; RESISTÊNCIA A CORROSÃO.
  16. 16. NORMAS TÉCNICAS  UG 36 – UG 46  ABERTURA S E REFORÇOS  UG 47 – UG 50  UG 53 – UG 55  LIGAMENTOS  UG 75 – UG 85  FABRICAÇÃO; CORTES; ESTOQUES; IDENTIFICAÇÃO DOS MATERIAIS
  17. 17. NORMAS TÉCNICAS  UG 78  REPAROS EM DEFEITOS DE MATERIAIS  UG 84  TESTE DE IMPACTO (CHARPY)  UG 85  TRATAMENTO TÉRMICO
  18. 18. NORMAS TÉCNICAS  UG 90  INSPEÇÃO E TESTE  UG 91  INSPETOR  UG 92  ACESSO P/ INSPETOR
  19. 19. NORMAS TÉCNICAS  UG 93  INSPEÇÃO DE MATERIAIS  UG 94  MARCAÇÃO DOS MATERIAIS  UG 95  EXAMINAÇÃO DA SUPERFÍCIE DURANTE A FABRICAÇÃO
  20. 20. NORMAS TÉCNICAS  UG 96  CHECK DIMENSIONAL DAS PARTES DOS COMPONENTES  UG 97  INSPEÇÃO DURANTE A FABRICAÇÃO  UG 98  PRESSÃO MÁXIMA DE TRABALHO
  21. 21. NORMAS TÉCNICAS  UG 99  PADRÃO PARA TESTE HIDROSTÁTICO  UG 100  TESTE PNEUMÁTICO  UG 101  TESTE DE PROVA P/ PRESSÃO MÁX. DE TRABALHO
  22. 22. NORMAS TÉCNICAS  UG 102  PADRÕES PARA TESTE  UG 103  TESTE NÃO DESTRUTIVO  UG 80.1  DESVIOS MÁX. PERMISSÍVEL P/ UMA FORMA CIRCULAR DE VASO DE PRESSÃO
  23. 23. NORMAS TÉCNICAS  UG 84.3  ESPECIFICAÇÃO P/ TESTE DE IMPACTO NOS MATERIAIS, PRODUTOS E FORMAS  UG 20  CRITÉRIO P/ PROJETO COM RELAÇÃO A TEMPERATURA
  24. 24. NORMAS TÉCNICAS  UG 21  PRESSÃO DE PROJETO – VASOS PROJETADOS PARA A CONDIÇÃO MAIS SEVERA DE INCIDÊNCIA DE PRESSÃO E TEMPERATURA ESPERADA  PART UW  FABRICAÇÃO DE VASOS COM PROCESSO DE SOLDAGEM
  25. 25. NORMAS TÉCNICAS  PART D1 BPT UB  REQUERIMENTOS P/ VASOS DE PRESSÃO FABRICADOS POR BRASAGEM.  PART D1 B PT UF  REQUERIMENTO PARA VASOS FABRICADOS COM FORJADOS  PART D1 C PT UCD  FABRICAÇÃO DE VASOS COM FERRO
  26. 26. NORMAS TÉCNICAS  PART D1 CPT UCL  REQUERIMENTO PRA VASOS DE PRESSÃO CONSTRUÍDOS DE MATERIAIS COM RESISTÊNCIA INTEGRAL À CORROSÃO
  27. 27. NORMAS TÉCNICAS  ASME II  ESPECIFICAÇÕES PARA ELETRODOS DAS VARETAS DE SOLDAGEM E OS METAIS DE ENCHIMENTO  APÊNDICE I  SJ UNIDADES
  28. 28. NORMAS TÉCNICAS  SFA – 5.1;SFA 5.2; SFA 5.5 – ELETRODOS DE AÇO BAIXA LIGA PARA SOLGAGEM COM ELETRODO REVESTIDO; SFA 5.11 – NICKEL E LIGAS DE NÍQUEL PARA SOLDAGEM COM ELETRODO REVESTIDO  EX: SFA 5.5 – CLASSIFICAÇÃO AWS - E 10018
  29. 29. NORMAS TÉCNICAS  ASME IX  PART QW – SOLDAGEM  ARTIGO II – QUALIFICAÇÃO DE PROCEDIMENTO DE SOLDAGEM  ARTIGO III – QUALIFICAÇÃO DE PERFORMANCE DE SOLDAGEM  QW 410 – TÉCNICA
  30. 30. NORMAS TÉCNICAS  QW 440 – COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE METAL DE SOLDA  ARTIGO V – PADROES P/ ESPECIFICAÇÃO DE PROCEDIMENTO DE SOLDAGEM  PARTE QUE TRATA DO PROCESSO POR BRASAGEM  ARTIGO XI A XIV
  31. 31. NORMAS TÉCNICAS  ASME V  MÉTODO DE EXAME NÃO DESTRUTIVO.  DIVIDIDO EM ARTIGOS:  ARTIGO II  EXAME RADIOGRÁFICO : EQUIPAMENTOS; CALIBRAÇÃO ; EXAMINAÇÃO ; DOCUMENTAÇÃO
  32. 32. NORMAS TÉCNICAS  ARTIGO IV  EXAME ULTRASÔNICO: APÊNDICE MANDATÓRIO; APÊNDICE NÃO MANDATÓRIO. EX: DISPOSIÇÃO DE PONTOS DE REFERÊNCIA DOS VASOS  ARTIGO V  MÉTODO DE EXAMINAÇÃO ULTRASÔNICO PARA MATERIAIS E FABRICAÇÃO
  33. 33. NORMAS TÉCNICAS  ASME V:  ARTIGO VI  EXAME LÍQUIDO PENETRANTE  ARTIGO VII  EXAME PARTÍCULA MAGNÉTICA
  34. 34. NORMAS TÉCNICAS  ARTIGO VIII  EDDY CURRENT EXAMINATION OR TUBULAR PRODUCT  ARTIGO IX  EXAME VISUAL  ARTIGO X  TESTE DE VAZAMENTO
  35. 35. NORMAS TÉCNICAS  ASME V:  ARTIGO XI  EXAMINAÇÃO ACÚSTICA PARA FIBRAS E PLÁSTICOS  ARTIGO XII  EXAMINAÇÃO ACÚSTICA DE VASOS METÁLICOS DURANTE O TESTE DE PRESSÃO  ARTIGO XIII  EXAMINAÇÃO ACÚSTICA – MONITORAÇ.
  36. 36. NORMAS TÉCNICAS  NR 13 - Caldeiras e Vasos de Pressão (113.000-5).  13.6 Vasos de pressão - disposições gerais.  13.6.1. Vasos de pressão são equipamentos que contêm fluidos sob pressão interna ou externa.  13.6.1.1. O campo de aplicação desta NR, no que se refere a vasos de pressão, está definido no Anexo III.
  37. 37. NORMAS TÉCNICAS  13.6.1.2. Os vasos de pressão abrangidos por esta NR estão classificados em categorias de acordo com o Anexo IV.  a) 13.6.4 Todo vaso de pressão deve possuir, no estabelecimento onde estiver instalado, a seguinte documentação devidamente atualizada
  38. 38. NORMAS TÉCNICAS  a) "Prontuário do Vaso de Pressão" a ser fornecido pelo fabricante, contendo as seguintes informações:  - código de projeto e ano de edição;  - especificação dos materiais;  - procedimentos utilizados na fabricação, montagem;  - inspeção final e determinação da
  39. 39. NORMAS TÉCNICAS  conjunto de desenhos e demais dados necessários para o monitoramento da sua vida útil;  CLASSIFICAÇÃO DE VASOS DE PRESSÃO  1. Para efeito desta NR, os vasos de pressão são classificados em categorias segundo o tipo de fluido e o potencial de risco.
  40. 40. NORMAS TÉCNICAS  ANEXO III  1. Esta NR deve ser aplicada aos seguintes equipamentos:  a) qualquer vaso cujo produto "PV" seja superior a 8 (oito), onde "P" é a máxima pressão de operação em KPa e "V" o seu volume geométrico interno em m3, incluindo:
  41. 41. NORMAS TÉCNICAS  UM CASO PRÁTICO  4.1 - Dados de Projeto  código de projeto: ASME VIII Div I, ed. 1968 fabricante: Brown Boveri ano fabricação: 1972 pressão projeto: 20 kgf / cm2
  42. 42. NORMAS TÉCNICAS  temperatura projeto: 120oC pressão de teste hidrostático: 30 kgf / cm2 PMTA: 23,5 kgf / cm2 - limitado pelos tampos alívio de tensões: corpo não, tampos sim tolerância de corrosão: 3,2 mm
  43. 43. NORMAS TÉCNICAS  material: A-515 Gr 70 capacidade: 19,2 m3 comprimento total do vaso: 7000 mm diâmetro interno do casco: 1900 mm espessura do casco: 22 mm espessura dos tampos: 25,4 mm espessura bota: 12,7 mm espessura tampo: 12 ,7 mm
  44. 44. NORMAS TÉCNICAS  4.2 Condições operacionais  função: recebedor de propano do topo da coluna retificadora pressão de operação: 15 kgf / cm2 temperatura de operação: ambiente
  45. 45. NORMAS TÉCNICAS  temperatura mínima de operação: O vaso opera normalmente nas condições acima, em campanhas de aproximadamente um ano. Somente quando é necessária intervenção da manutenção no sistema, o vaso é completamente drenado pela bota e despressurizado. Neste processo, o vaso sofre um congelamento abrupto, podendo atingir temperaturas inferiores a – 30oC, preferencialmente na bota e

×