Abc                                                                 Resolução 2.804 – Banco Central do Brasil             ...
Abc                                                                 Resolução 2.804 – Banco Central do Brasil             ...
Abc                                                                   Resolução 2.804 – Banco Central do Brasil1. INTRODUÇ...
Abc                                                                     Resolução 2.804 – Banco Central do Brasil4. POLÍTI...
Abc                                                                    Resolução 2.804 – Banco Central do Brasil     4.2. ...
Abc                                                                     Resolução 2.804 – Banco Central do Brasil     4.5....
Abc                                                              Resolução 2.804 – Banco Central do Brasil7.    COMITÊS E ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Estrutura de gerenciamento_de_risco_de_liquidez_2011

238 visualizações

Publicada em

Estrutura de Risco de Liquidez

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
238
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estrutura de gerenciamento_de_risco_de_liquidez_2011

  1. 1. Abc Resolução 2.804 – Banco Central do Brasil Abc BANCO STANDARD DE INVESTIMENTOS S.A. (“BSI”) STANDARD BANK INTERNATIONAL HOLDINGS S.A. (“SIH”) ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZÚLTIMA VERSÃO APROVAÇÃO Março 2011 Conselho de AdministraçãoGestão de Risco de Liquidez Pág. 1 de 7
  2. 2. Abc Resolução 2.804 – Banco Central do Brasil ÍNDICE GERAL1. INTRODUÇÃO ____________________________________________________________________ 32. DEFINIÇÃO DE RISCO DE LIQUIDEZ _______________________________________________ 33. ESTRUTURA DE RISCO DE LIQUIDEZ ______________________________________________ 34. POLÍTICAS E PROCEDIMENTOS PARA GESTÃO DE LIQUIDEZ _______________________ 4 4.1. POLÍTICA E GERENCIAMENTO DO RISCO DE LIQUIDEZ ____________________________________ 4 4.2. GERENCIAMENTO DIÁRIO E MONITORAMENTO DE LIMITES ________________________________ 5 4.3. LIMITES _________________________________________________________________________ 5 4.4. MOEDAS ESTRANGEIRAS ___________________________________________________________ 5 4.5. LIQUIDEZ INTRA-GRUPO ___________________________________________________________ 65. PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA SITUAÇÕES DE CRISE DE LIQUIDEZ ______________ 6 5.1. DEFINIÇÃO DO PLANO DE CONTINGÊNCIA ______________________________________________ 6 5.2. FORMALIZAÇÃO DO PLANO DE CONTINGÊNCIA NO BSI ___________________________________ 66. TESTES DE ESTRESSE DE LIQUIDEZ ______________________________________________ 67. COMITÊS E ÁREAS RESPONSÁVEIS PELO GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ 7 7.1. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DO BANCO STANDARD DE INVESTIMENTOS SA (CONSELHO) ____ 7 7.2 COMITÊ DE GERENCIAMENTO DE ATIVOS E PASSIVOS - BANCO STANDARD DE INVESTIMENTOS SA (BSI-ALCO) __________________________________________________________________________ 7 7.2. DIRETORA DE RISCO ______________________________________________________________ 7 7.3. DIRETOR GLOBAL DE RISCO DE LIQUIDEZ _____________________________________________ 7 7.4. GERENTE DE RISCO DE MERCADO E LIQUIDEZ DO BANCO STANDARD DE INVESTIMENTOS S.A. __ 7Gestão de Risco de Liquidez Pág. 2 de 7
  3. 3. Abc Resolução 2.804 – Banco Central do Brasil1. INTRODUÇÃO O conceito de liquidez é vital para quaisquer instituições do mercado financeiro e de capitais.Entende-se como liquidez a capacidade de uma instituição de honrar os seus compromissosfinanceiros no vencimento, incorrendo em pouca ou nenhuma perda. Define-se gestão de liquidez como o conjunto de processos que visam a garantir a capacidade depagamento da instituição, considerando o planejamento financeiro, os limites de riscos e a otimizaçãodos recursos disponíveis.2. DEFINIÇÃO DE RISCO DE LIQUIDEZ O risco de liquidez é traduzido pela possibilidade de a instituição não ser capaz de honrar seuscompromissos no vencimento, ou somente fazê-lo com elevadas perdas. Se uma única instituiçãofalha neste compromisso, todo o sistema financeiro pode sofrer repercussões. Este risco pode serclassificado em risco de liquidez de fluxo de caixa e risco de liquidez de mercado. O risco de liquidez de fluxo de caixa pode ser definido como sendo a possibilidade daocorrência de descasamentos entre os pagamentos e os recebimentos que afetem a capacidade depagamento da instituição. O risco de liquidez de mercado pode ser ocasionado pela perda na liquidação de uma posiçãode participação relativamente significativa no mercado e/ou de uma estratégia de liquidação acordadae/ou de características da operação e/ou da perda de valor dos ativos que compõem a liquidez. Desta forma, gerenciar o risco de liquidez constitui-se em uma atividade das mais importantes nasinstituições do mercado financeiro e de capitais.3. ESTRUTURA DE RISCO DE LIQUIDEZ A estrutura de Gerenciamento de Risco de Liquidez do Banco Standard de Investimentos édefinida através de políticas internas da instituição. Estas políticas têm por base os padrões mínimosde governança de riscos do Grupo Standard, conhecidos como Risk Standards, e maisespecificamente no caso de Risco de Liquidez os Liquidity Risk Standards. A Área de Risco de Mercado e Liquidez é subordinada localmente à Diretoria de Risco e, demaneira matricial, à área Global de Risco de Mercado e Liquidez. Isto garante a atuaçãoindependente das áreas de negócio e com a responsabilidade de monitorar e analisar o risco deliquidez. O BSI estabelece em suas políticas sistemas adequados para a mensuração e controle dasexposições ao risco de liquidez, tanto para as operações incluídas na carteira de negociação comopara as demais carteiras, assim, é responsável por garantir que o nível de exposição esteja de acordocom o apetite de risco definido pela Diretoria de Risco local e área Global de Risco de Liquidez, bemcomo com o nível de capital. O Gerenciamento de Risco de Liquidez do BSI segue todos os padrões estabelecidos pelo BancoCentral do Brasil e também está em conformidade com as políticas definidas pelo Standard BankInternational Holdings (SBIH). O BSI também designou um diretor responsável pela Estrutura de Risco de Mercado e Liquidez,cujo nome está registrado junto ao Banco Central do Brasil. O diretor indicado não realiza funções deadministração de recursos de terceiros e tampouco operações de tesouraria.Gestão de Risco de Liquidez Pág. 3 de 7
  4. 4. Abc Resolução 2.804 – Banco Central do Brasil4. POLÍTICAS E PROCEDIMENTOS PARA GESTÃO DE LIQUIDEZ 4.1. Política e Gerenciamento do Risco de Liquidez A política e procedimentos de gestão de liquidez na instituição deve ser claramente definida ecomunicada para toda a instituição e, em especial para os executivos responsáveis pela gestão econtrole da liquidez. No BSI as duas principais políticas que atendem a esta finalidade são (1) Políticade Liquidez e (2) Plano de Contingência de Liquidez. Estas políticas incluem: • Estabelecimento do processo de mensuração e monitoramento de liquidez. • Estabelecimento de parâmetros e limites para assegurar níveis de liquidez adequados. • Estabelecimento de procedimentos de controle para assegurar a aderência às políticas e procedimentos definidos pela diretoria. • Definição de metodologia para testes de stress de liquidez • Estabelecimento de procedimentos para identificação de crise de liquidez e procedimentos a serem adotados (procedimentos de contingência). • Descrição de relatórios que permitam o monitoramento dos riscos de liquidez assumidos; A política interna de gerenciamento de risco de liquidez do Banco Standard de Investimentos S.A.possui ênfase nos seguintes aspectos: • Monitoramento freqüente dos descasamentos oriundos do uso de passivos de curto-prazo para lastrear ativos de longo-prazo, o que pode aumentar o potencial de futuras crises de liquidez; • Garantir que a liquidez da instituição seja suficiente para fazer frente às necessidades de caixa diárias, tanto aquelas cíclicas como não-cíclicas, assim como também as necessidades de longo-prazo; • Manter níveis mínimos de ativos com alta liquidez de mercado, juntamente como acesso a outras fontes de liquidez; • Assegurar uma base de operações de captação (funding) que seja adequadamente diversificada; • Sempre cumprir com os níveis mínimos exigidos pelos requerimentos regulatórios. As políticas relativas à liquidez e funding do BSI são determinadas pelo Comitê deGerenciamento de Ativos e Passivos (BSI-ALCO), com base nas definições de Risco de Liquidez(Liquidity Risk Standards) do Standard Bank Group, levando também em consideração os requisitosmínimos estabelecidos pelo Banco Central do Brasil. Quaisquer alterações na política ou respectivos limites, portanto, devem ser aprovados pelo BSI-ALCO em uma de suas reuniões regulares.Gestão de Risco de Liquidez Pág. 4 de 7
  5. 5. Abc Resolução 2.804 – Banco Central do Brasil 4.2. Gerenciamento Diário e Monitoramento de Limites É responsabilidade da Tesouraria do BSI garantir o gerenciamento prudente da liquidez doBanco, de acordo com esta política. A área de controle de Risco de Mercado e Liquidez é responsável pelo monitoramento e porprover suporte e controle relativos ao gerenciamento do risco de liquidez. A área de controle de Risco de Mercado e Liquidez é também responsável pela produção dosrelatórios regulares que demonstram os riscos de liquidez contra seus limites específicos,demonstrando eventuais excessos. 4.3. Limites A Política de Gerenciamento de Risco de Liquidez do BSI estabelece limites máximos para osdescasamentos entre vencimentos de ativos e passivos. Para as faixas de vencimento até um ano,em bases cumulativas, os valores agregados de entradas de caixa menos as respectivas saídas decaixa agregadas não deverão exceder os percentuais de depósitos. Excessos sobre os limites devem ser imediatamente notificados ao BSI-ALCO e açõesapropriadas deverão ser acordadas. Além disto, é norma interna do Banco Standard de Investimentos manter um volume suficiente deativos com liquidez de mercado livres. O valor destes ativos com liquidez de mercado livre, nofechamento dos mercados do dia anterior menos um desconto aplicável para refletir a liquidez emcaso de venda - forçada, deve a qualquer tempo ser maior do que 10% das captações (fundingliabilities). O Banco Standard de Investimentos, adicionalmente, deverá manter uma base razoavelmentediversificada de depósitos para cada moeda em que mantiver posições materiais. Para atender a estaexigência, observam-se os seguintes limites internos: • A soma dos depósitos e linhas de crédito stand by recebidos por qualquer depositante único (incluindo empresas do Standard Bank Group) juntamente com as cartas de fiança recebidas, vencendo entre 0 e 3 meses, não deverão exceder 10% dos depósitos; • A soma dos depósitos e linhas de crédito stand by recebidos dos 10 maiores depositantes vencendo entre 0 e 3 meses, incluindo as cartas de fiança, conforme acima, não deverão exceder 20% dos depósitos recebidos; • Se os limites de concentração de depositantes acima forem excedidos, ativos com liquidez de mercado adicionais serão exigidos, de acordo com a matriz especial (special dealing approval matrix) aprovada pelo “Africa and International ALCO”. 4.4. Moedas Estrangeiras Os descasamentos de liquidez da moeda Reais serão calculados e monitorados diariamente deacordo com os limites definidos anteriormente nesta política. Descasamentos de fluxos de caixa em moedas estrangeiras, derivados de transações de câmbiosão, no presente estágio, de menor valor e relevância e, por esta razão, estes descasamentos serãoanalisados uma vez por semana, por meio dos relatórios de fluxo de caixa do sistema de câmbio,com o objetivo de averiguar se eles se mantêm pouco relevantes.Gestão de Risco de Liquidez Pág. 5 de 7
  6. 6. Abc Resolução 2.804 – Banco Central do Brasil 4.5. Liquidez Intra-Grupo O uso destas linhas deverá ser autorizado pelo Head of Global Markets (Londres) ou por quemseja seu respectivo delegado, a partir de uma requisição do gestor da tesouraria (Global Markets –São Paulo).5. PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA SITUAÇÕES DE CRISE DE LIQUIDEZ 5.1. Definição do Plano de Contingência O plano de contingência de liquidez tem como objetivo minimizar, o máximo possível, o impactode uma crise de liquidez por meio da definição de uma estrutura de governança que: Apresente detalhes de como o Banco responderá a um problema de liquidez, incluindo a identificação antecipada, processo de escalada e diretrizes para o gerenciamento durante a crise de liquidez; Possibilite um entendimento do impacto que uma crise de liquidez pode ter para todos as partes envolvidas (stakeholders); Identifique informações essenciais para o gerenciamento da crise; Registre os tipos e as possíveis causas de uma crise de liquidez; e Incorpore o princípio do emprestador de último recurso (lender of last resort) na eventualidade de o Banco não conseguir bons resultados em suas iniciativas para lidar com a crise de liquidez devido tanto ao fato de a crise ter sido causada por um fator devastador ou no caso de o Banco não dispor de capital suficiente.; • Defina da seqüência em que cada fonte de liquidez será acionada; • Identifique outras possíveis ações a serem tomadas sob situações de contingência; 5.2. Formalização do Plano de Contingência no BSI O plano de contingência de liquidez do Banco Standard de Investimentos, segue os padrõesadotados pelo Grupo Standard e está detalhado em documento específico (“Plano de Contingênciade Liquidez do BSI”). Tal plano deve ser lido em conjunto com conjunto com a Política de Liquidez do BSI e documentosobre os Standards de Risco de Liquidez do Grupo.6. TESTES DE ESTRESSE DE LIQUIDEZ Além dos relatórios regulares demonstrando as posições de descasamentos de liquidez contrarespectivos limites e linhas-mestras (guidelines), a área de risco de mercado e liquidez é responsávelpor implantar testes de stress de liquidez. As variáveis e premissas adotadas para os testes deEstresse de Liquidez, assim como seus resultados são analisados periodicamente pelo ALCO. Os Testes de Estresse de Liquidez do BSI seguem o padrão estabelecido pelos Standards deLiquidez do Grupo e dividem-se: a) Caso Base: cenário normal b) Estresse de Mercado: estresse de liquidez originado por crise de mercado c) Estresse da Firma: estresse de liquidez por problema específico da firma d) Estresse Combinado: combinação dos cenários (b) e (c). Os resultados dos testes de estresse de liquidez são analisados levando em consideração limitesestabelecidos para cada cenário em termos de período mínimo de sobrevivência.Gestão de Risco de Liquidez Pág. 6 de 7
  7. 7. Abc Resolução 2.804 – Banco Central do Brasil7. COMITÊS E ÁREAS RESPONSÁVEIS PELO GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ 7.1. Conselho de Administração do Banco Standard de Investimentos SA (Conselho) 7.2 Comitê de Gerenciamento de Ativos e Passivos - Banco Standard de Investimentos SA (BSI-ALCO) 7.2. Diretora de Risco 7.3. Diretor Global de Risco de Liquidez 7.4. Gerente de Risco de Mercado e Liquidez do Banco Standard de Investimentos S.A.Gestão de Risco de Liquidez Pág. 7 de 7

×