M.I.P. BAHIA – foco em C.B. 
Eng.Agr. Celito E. Breda 
Consultor Agron.- CÍRCULO VERDE
PLANTIOS OESTE DA BAHIA 
•SOJA …………………………… 1,35 MM HA 
•MILHO ……………………….. 0,25 MM HA 
•ALGODAO…………………… 0,31 MM HA 
•OUTROS...
PREJUIZOS 3 ANOS 
•PRAGAS (HELICOV/FALSA MED/BICUDO/MOSCA BR/SPOD…)…… 3 BI R$ 
•SECA………………………………………………. 2,5 BI R$ 
•TOTAL ...
M.I.P. ADEQUADO 
•O M.I.P. só terá sucesso sob o guarda chuva”de um PROGRAMA FITOSSANITÁRIO 
•Se usarmos 4 ferramentas de ...
DEFINIÇAO DE UM P.F. 
•M.I.P. DE FORMA COLETIVA/INTEGRADA 
•ORGANIZADO PELAS INSTITUIÇOES DO AGRO 
•AÇÕES DENTRO E FORA DA...
HISTORICO DE Contr.Biol.(CB) BRASIL 
•Duas tentativas frustradas anteriormente. 
•Terceira tentativa e a mais enganjada-20...
PORQUE C.B. 
•Helicoverpa armígera- só químico nao resolve 
•Mais recente: Plusias/Spodopteras/Mosca Br/Nematoides...(só q...
ALTOS CUSTOS E BAIXA EFICIENCIA 
•OS CUSTOS EM DEFENSIVOS ESTÃO ACIMA DO TOLERÁVEL; 
•AS MOLÉCULAS ATÉ ENTAO UTILIZADAS NA...
Custos com BIOLÓGICOS 
•BAHIA 13/14 : APROX. 20 MM U$$(10/HA) 
•BRASIL 13/14: MENOS DE 5 U$$/HA 
•BAHIA 14/15(PROJEÇAO) : ...
INSETICIDAS BT 
•“PROIBIDO” SEU USO EM ÁREAS DE REFÚGIO 
•DESNECESSÁRIO USO EM ALG BT2(por enquanto) 
•NECESSÁRIO EM ALG W...
TRICHOGRAMA(vespinhas) 
•USO ESTRATÉGICO: soja Intacta(5-10% da área total); milho VIPTERA – faixas; abaixar os custos com...
VIRUS NPV – ESTRATÉGIA PARA BA 
•SOJA NAO BT : controle efetivo de Helicoverpa 
•ALGODAO BT1 E WS: controle efetivo e Ferr...
Novas e urgentes necessidades de C.B. 
•VIRUS PARA PLUSIAS 
•VIRUS PARA SPODOPTERAS 
•INSET BT MAIS EFICIENTES E/OU ESPECÍ...
PROVÁVEIS PRAGAS POTENCIAIS 
•PARA SAFRA 14/15: spodopteras/mosca branca/percevejos/bicudo 
•PARA A SAFRA 17/18: Helicover...
MEDIDAS PARA OBTER SUCESSO EM C.B. 
•CONTROLE CULTURAL/QUÍMICO/OGM EFICAZ 
•FORTALECER O PORTFOLIO DE PRODUTOS(biol) 
•MUD...
NECESSIDADES URGENTES DA BAHIA MEDIDAS COMPLEMENTARES MIP 
•“ELIMINAR” O BICUDO Algod – PROJETO DE SUPRESSÃO RIGOROSO. 
•V...
RESGATAR EQUILÍBRIO NA REGIAO. 
•FAVORECER AMBIENTE PARA INS BENÉFICOS 
•APLICAR/INUNDAR, DE FORMA COLETIVA, I.B. 
•APLICA...
Ambiente equilibrado 
•COM O M.I.P. COLETIVO(P.F.) 
•AGRICULTORES CONSCIENTES 
•MENOS APLICAÇOES DE DEFENSIVOS 
•DEFENSIVO...
CRISOPIDEOS
TACHINIDEOS
PERCEVEJOS PREDADORES
HELICOVERPA COM VIRUS NPV
VIRUS NPV
NPV
NPV
PRIMEIROS SINAIS DO VIRUS
JOANINHAS 
Predadoras de ovos, ninfas e adultos de ácaros
OCORRÊNCIA NATURAL DE PREDADORES 
Coleoptera: Eriopis connexa
OCORRÊNCIA NATURAL DE PARASITÓIDES 
Hymenoptera: Trichogrammatidae
Ocorrência natural de Trichogramma sp. em lavoura de soja 
Fazenda Ilha Bela, Luis Eduardo Magalhães-BA (06/Fevereiro/2014...
TABELA DE SELETIVIDADE DE DEFENSIVOS A INIMIGOS NATURAIS 
AUSTRÁLIA (Cotton Pest Management Guide 2012-13)
TABELA DE SELETIVIDADE DE DEFENSIVOS A INIMIGOS NATURAIS 
AUSTRÁLIA (Cotton Pest Management Guide 2012-13)
TRABALHO AVALIANDO VAGENS DANIFICADAS – 
FEIJÃO 
21/08/2013 31/08/2013 03/09/2013 
Trat. 
VIRUS Via 
Barra VIRUS Via Pivô ...
MUITO OBRIGADO!!! 
•CONSULTOR PELA CIRCULO VERDE 
•DIRETOR ABAPA E FBA 
•PRESIDENTE GBCA 
•COORD.TÉCNICO DO P.F. Oeste Bah...
Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.
Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.
Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.
Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.
Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.
Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.
Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.
Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.
Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.
Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.
Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.

255 visualizações

Publicada em

Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.. Agricultura e Polinizadores, Campinas, 25 de agosto de 2014.

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
255
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.

  1. 1. M.I.P. BAHIA – foco em C.B. Eng.Agr. Celito E. Breda Consultor Agron.- CÍRCULO VERDE
  2. 2. PLANTIOS OESTE DA BAHIA •SOJA …………………………… 1,35 MM HA •MILHO ……………………….. 0,25 MM HA •ALGODAO…………………… 0,31 MM HA •OUTROS……………………… 0,30 MM HA
  3. 3. PREJUIZOS 3 ANOS •PRAGAS (HELICOV/FALSA MED/BICUDO/MOSCA BR/SPOD…)…… 3 BI R$ •SECA………………………………………………. 2,5 BI R$ •TOTAL EM 3 SAFRAS………………………5,5 BI R$
  4. 4. M.I.P. ADEQUADO •O M.I.P. só terá sucesso sob o guarda chuva”de um PROGRAMA FITOSSANITÁRIO •Se usarmos 4 ferramentas de forma Integrada: • @ CONTROLE CULTURAL • @ CONTROLE QUÍMICO SELETIVO • @ CONTROLE C/OGM EFICAZ • @ CONTROLE BIOLÓGICO
  5. 5. DEFINIÇAO DE UM P.F. •M.I.P. DE FORMA COLETIVA/INTEGRADA •ORGANIZADO PELAS INSTITUIÇOES DO AGRO •AÇÕES DENTRO E FORA DA PORTEIRA •TEM EQUIPE DE CAMPO ORIENTATIVA (Associaçoes de Produtores) •EQUIPE FISCALIZADORA(ADAB E MAPA) •TEM ALTOS CUSTOS OPERACIONAIS E TÉCNICOS •AUMENTAM MUITO AS CHANCES DO M.I.P. DAR CERTO.
  6. 6. HISTORICO DE Contr.Biol.(CB) BRASIL •Duas tentativas frustradas anteriormente. •Terceira tentativa e a mais enganjada-2013 •Sucessos passados com BACULOVIRUS soja •Sucessos recentes com TRICHOGRAMA cana. •Sucessos recentes com Inseticidas Bt. •Sucesso recente com virus Hz- NPV •Outros…
  7. 7. PORQUE C.B. •Helicoverpa armígera- só químico nao resolve •Mais recente: Plusias/Spodopteras/Mosca Br/Nematoides...(só químico nao resolve); • CUSTOS EM QUÍMICOS muito altos; • FALTA LIBERAÇAO DE NOVAS MOLÉCULAS QUÍMICAS MAIS EFICIENTES para diminuir número de aplicações(=Benz.Emamectin); •SUSTENTABILIDADE AMEAÇADA; •Pressão dos ECOLOGICOS/AMBIENTALISTAS; •NECESSIDADE DE MUDANÇAS URGENTES. •RESGATAR O EQUILIBRIO NO AMBIENTE
  8. 8. ALTOS CUSTOS E BAIXA EFICIENCIA •OS CUSTOS EM DEFENSIVOS ESTÃO ACIMA DO TOLERÁVEL; •AS MOLÉCULAS ATÉ ENTAO UTILIZADAS NAO SÃO MUITO EFICIENTES; •OS AGRICULTORES NÃO QUEREM APLICAR DEF. E/OU QUEREM GASTAR MENOS; •NINGUEM GOSTA DE “RASGAR”DINHEIRO. •EM AGRICULTURA TROPICAL É BEM MAIS COMPLICADO O M.I.P.(níveis de pragas sempre alto).
  9. 9. Custos com BIOLÓGICOS •BAHIA 13/14 : APROX. 20 MM U$$(10/HA) •BRASIL 13/14: MENOS DE 5 U$$/HA •BAHIA 14/15(PROJEÇAO) : 50-60 MM U$$ • aumento de 200% em Biológicos numa safra. • liderança com VIRUS NPV para Heliothinae •Proximos anos teremos maior incremento nos biológicos, cultural e OGM’S que nos químicos.
  10. 10. INSETICIDAS BT •“PROIBIDO” SEU USO EM ÁREAS DE REFÚGIO •DESNECESSÁRIO USO EM ALG BT2(por enquanto) •NECESSÁRIO EM ALG WS/Bt1 E SOJA IPRO •MILHO – POUCO USADO(vai aumentar) •FEIJAO IRRIGADO – USO MEDIANO(Crescente) •Bt caseiro- EFICIENCIA BX e continuará seu uso (riscos de perder a tecnologia).
  11. 11. TRICHOGRAMA(vespinhas) •USO ESTRATÉGICO: soja Intacta(5-10% da área total); milho VIPTERA – faixas; abaixar os custos com BIOFÁBRICAS PRÓPRIAS; •Dificuldade de aplicaçao/liberaçao •SINCRONISMO na fabricaçao e aplicaçao •Presença do Bicudo e percevejos no algodoeiro – desequilibra muito e mata as vespinhas (carga alta de insetic).
  12. 12. VIRUS NPV – ESTRATÉGIA PARA BA •SOJA NAO BT : controle efetivo de Helicoverpa •ALGODAO BT1 E WS: controle efetivo e Ferramenta de MANEJO DE RESISTENCIA •ALGODAO BT2 e TWI LINK: MANEJO DE RESISTENCIA(futura) •SORGO/MILHETO: manejo obrigatório no vazio Sanitario. •Feijao IRRIGADO: manejo obrigatório vazio sanitario. •Ferramenta de manejo noutros hospedeiros da lagarta.
  13. 13. Novas e urgentes necessidades de C.B. •VIRUS PARA PLUSIAS •VIRUS PARA SPODOPTERAS •INSET BT MAIS EFICIENTES E/OU ESPECÍFICOS •TRICHOGRAMA USO GENERALIZADO e a custos bxs. •APLICAÇAO DE CALENDARIO DE INSETIC.SELET. •USO DE FUNGOS para Mosca branca/Bicudo/Lagartas/Percevejos
  14. 14. PROVÁVEIS PRAGAS POTENCIAIS •PARA SAFRA 14/15: spodopteras/mosca branca/percevejos/bicudo •PARA A SAFRA 17/18: Helicoverpa em soja e algodao/Spodopteras em todas/ Mosca br/percevejos/bicudo(provável perda das principais proteinas Bt’s).
  15. 15. MEDIDAS PARA OBTER SUCESSO EM C.B. •CONTROLE CULTURAL/QUÍMICO/OGM EFICAZ •FORTALECER O PORTFOLIO DE PRODUTOS(biol) •MUDANÇA DE CULTURA DE TODOS BRASILEIROS DO AGRONEGOCIO(acostumados em químicos). •TREINAMENTO DE MONITORES PARA DAR CERTO •PRECISAO MAIOR NAS APLICAÇOES/”TIME” •CONSULTORIA AGRONOMICA EFICAZ EM 100%. •APELO AMBIENTAL E SOCIAL CORRETOS.
  16. 16. NECESSIDADES URGENTES DA BAHIA MEDIDAS COMPLEMENTARES MIP •“ELIMINAR” O BICUDO Algod – PROJETO DE SUPRESSÃO RIGOROSO. •VAZIO SANITÁRIO em 100% das propriedades(hoje atinge somente 80% dos produtores). •PRESERVAÇÃO/LONGEVIDADE DOS EVENTOS BT (com Refúgio adequado) •CALENDARIZAÇÃO DE INSETICIDAS (Quim & Biol); •INSETICIDAS MAIS EFICIENTES(Moléculas novas) •CALENDÁRIO DE PLANTIO ADEQUADO •MELHORES OPÇOES PARA MOSCA BR/PERCEV
  17. 17. RESGATAR EQUILÍBRIO NA REGIAO. •FAVORECER AMBIENTE PARA INS BENÉFICOS •APLICAR/INUNDAR, DE FORMA COLETIVA, I.B. •APLICAR INSET.BIOLÓGICOS DE FORMA COLETIVA E ROTINEIRA •DIMINUIR OS QUÍMICOS; USAR OS MAIS SELETIVOS e OS MAIS EFICIENTES (faltam); •MAIS PESQUISAS PARA DESENVOLVIM. E VALIDAÇAO DE AGENTES BIOLÓGICOS.
  18. 18. Ambiente equilibrado •COM O M.I.P. COLETIVO(P.F.) •AGRICULTORES CONSCIENTES •MENOS APLICAÇOES DE DEFENSIVOS •DEFENSIVOS MENOS NOCIVOS À SAÚDE E M.A •USO INTENSIVO E COLETIVO DE AGENTES BIOLÓGICOS •PRESERVAÇAO DE INSETOS BENEFICOS •PRESERVAÇÃO DE POLINIZADORES NATURAIS
  19. 19. CRISOPIDEOS
  20. 20. TACHINIDEOS
  21. 21. PERCEVEJOS PREDADORES
  22. 22. HELICOVERPA COM VIRUS NPV
  23. 23. VIRUS NPV
  24. 24. NPV
  25. 25. NPV
  26. 26. PRIMEIROS SINAIS DO VIRUS
  27. 27. JOANINHAS Predadoras de ovos, ninfas e adultos de ácaros
  28. 28. OCORRÊNCIA NATURAL DE PREDADORES Coleoptera: Eriopis connexa
  29. 29. OCORRÊNCIA NATURAL DE PARASITÓIDES Hymenoptera: Trichogrammatidae
  30. 30. Ocorrência natural de Trichogramma sp. em lavoura de soja Fazenda Ilha Bela, Luis Eduardo Magalhães-BA (06/Fevereiro/2014) Ponto Ovos Total Ovos Claros Ovos Escuros Parasitismo (%) 1 10 1 9 90,0% 2 14 6 8 57,1% 3 15 6 9 60,0% 4 14 5 9 64,3% 5 14 3 11 78,6% 6 12 5 7 58,3% 7 15 6 9 60,0% 8 13 5 8 61,5% 9 12 4 8 66,7% 10 9 6 3 33,3% 11 16 6 10 62,5% 12 9 3 6 66,7% 13 8 2 6 75,0% 14 8 3 5 62,5% 15 4 1 3 75,0% TOTAL 62 111 64,2%
  31. 31. TABELA DE SELETIVIDADE DE DEFENSIVOS A INIMIGOS NATURAIS AUSTRÁLIA (Cotton Pest Management Guide 2012-13)
  32. 32. TABELA DE SELETIVIDADE DE DEFENSIVOS A INIMIGOS NATURAIS AUSTRÁLIA (Cotton Pest Management Guide 2012-13)
  33. 33. TRABALHO AVALIANDO VAGENS DANIFICADAS – FEIJÃO 21/08/2013 31/08/2013 03/09/2013 Trat. VIRUS Via Barra VIRUS Via Pivô QuímicoVia Barra 1 - 100 mL/Ha BT 2 200 mL/Ha 100 mL/Ha BT 3 150 mL/Ha 100 mL/Ha BT 4 100 mL/Ha 100 mL/Ha BT 5 - 100 mL/Ha Intrepid 0,2 L/Ha 6 200 mL/Ha 100 mL/Ha Intrepid 0,2 L/Ha 7 150 mL/Ha 100 mL/Ha Intrepid 0,2 L/Ha 8 100 mL/Ha 100 mL/Ha Intrepid 0,2 L/Ha 9 - 100 mL/Ha - 10 200 mL/Ha 100 mL/Ha - 11 150 mL/Ha 100 mL/Ha - 12 100 mL/Ha 100 mL/Ha - 21/08/2013 31/08/2013 03/09/2013 Trat. VIRUS Via Barra QuímicoVia Barra VIRUS Via Pivô 1 - Avaunt 0,5L/Ha 100 mL/Ha 2 200 mL/Ha Avaunt 0,5L/Ha 100 mL/Ha 3 150 mL/Ha Avaunt 0,5L/Ha 100 mL/Ha 4 100 mL/Ha Avaunt 0,5L/Ha 100 mL/Ha 5 - Prêmio 0,12L/Há 100 mL/Ha 6 200 mL/Ha Prêmio 0,12L/Ha 100 mL/Ha 7 150 mL/Ha Prêmio 0,12L/Ha 100 mL/Ha 8 100 mL/Ha Prêmio 0,12L/Ha 100 mL/Ha 9 - - 100 mL/Ha 10 200 mL/Ha - 100 mL/Ha 11 150 mL/Ha - 100 mL/Ha 12 100 mL/Ha - 100 mL/Ha
  34. 34. MUITO OBRIGADO!!! •CONSULTOR PELA CIRCULO VERDE •DIRETOR ABAPA E FBA •PRESIDENTE GBCA •COORD.TÉCNICO DO P.F. Oeste Bahia •REPRESENTANTE TECNICO PELA ABRAPA •Celito.breda@circuloverde.com.br •www.circuloverde.com.br

×