Antonio Celso Villari - A.B.E.L.H.A

374 visualizações

Publicada em

Antonio Celso Villari - A.B.E.L.H.A. Agricultura e Polinizadores, Campinas, 25 de agosto de 2014

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
374
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Antonio Celso Villari - A.B.E.L.H.A

  1. 1. 2º Workshop Agricultura e Polinizadores 25 de agosto de 2014
  2. 2. A.B.E.L.H.A
  3. 3. A motivação • Inexistência de dados e informações locais confiáveis sobre o tema; • Falta de uma plataforma de conhecimento que congregasse dados do setor; • Reprodução de matérias internacionais na mídia, sem considerar a realidade no Brasil • Ausência de troca de conhecimento entre os diferentes stakeholders envolvidos.
  4. 4. A mídia O tema “abelhas” está sendo pautas de mídias importantes no país. No primeiro semestre, o assunto foi repercutido em veículos de grande repercussão como: Jornal Nacional, Jornal Hoje, Folha de S. Paulo, Jô Soares, O Estado de S. Paulo e Jornal da Band.
  5. 5. O tema na imprensa A cobertura de imprensa sobre a mortalidade das abelhas cresceu significativamente em relação ao ano passado:
  6. 6. A ideia A associação A.B.E.L.H.A nasce da ideia de criar um grupo representativo para a causa da preservação às abelhas, construindo uma rede de apoiadores em todos os segmentos de interesse e uma plataforma de conhecimento em âmbito nacional, especialmente nas regiões onde a questão impacte a economia e a sociedade. Diferencial Grupo multidisciplinar que reúna vários elos da cadeia de criação de abelhas e da agricultura responsável.
  7. 7. Missão Quem somos A.B.E.L.H.A – Associação Brasileira de Estudo das Abelhas é uma associação civil, sem fins lucrativos e sem nenhuma conotação político-partidária ou ideológica. Missão Reunir, produzir e divulgar informações com base científica e o apoio de uma rede de parceiros, que visem à preservação e uso sustentável das abelhas e outros polinizadores no Brasil, resguardando seu papel na biodiversidade e promovendo sua convivência harmônica e utilização com as diferentes culturas agrícolas.
  8. 8. Objetivos  Criar uma rede em prol da preservação de abelhas e outros polinizadores, e manter amplo diálogo com todas as partes interessadas, entre elas representantes do setor de apicultura e criação de outros polinizadores, da academia, do agronegócio e da sociedade.  Captar e difundir informações com base científica a fim de reuni-las em uma plataforma de conhecimento sobre abelhas e outros polinizadores, e tornar-se fonte de consulta e agente de conscientização para a sociedade.  Incentivar a atuação do cidadão cientista.  Contribuir para o desenvolvimento de uma base de dados e estudos sobre as abelhas e outros polinizadores.  Trabalhar em conjunto com os órgãos reguladores e de fiscalização para sugerir e incentivar as práticas de uso e conservação de polinizadores.  Aprofundar o conhecimento sobre a importância das abelhas para a produção de alimentos e preservação ambiental.  Incentivar formas de convivência harmônica entre o agronegócio e a conservação e manejo sustentável de polinizadores.  Contribuir para o desenvolvimento de uma base de dados e estudos sobre a diversidade de insetos polinizadores e sua relação com a estrutura da paisagem.
  9. 9. Organograma Comitê Executivo Limite: 10 membros Associações - criação de abelhas e cadeia do mel Associações - Agricultura Indústrias proteção de cultivos Associados / Assembleia empresas, instituições ou pessoas físicas (sem limite de número) Diretor Executivo Conselho honorário Representantes dos setores público e privado ligados à agricultura, cadeia de valor do mel e pesquisa Secretário executivo Assistente Comitê Científico Pesquisadores de universidades / instituições ligados ao tema
  10. 10. Associados  CBA (Confederação Brasileira de Apicultura)  ABAG (Associação Brasileira de Agrobusiness)  UNICA (União da Indústria de Cana-de-Açúcar)  Syngenta  Bayer  Basf  ANDEF (Associação Nacional dos Fabricantes de Defensivos Agrícolas)  Sindiveg (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal) Em conversação  CNA (Confederação Nacional da Agricultura)  FAESP (Federação da Agricultura do Estado de São Paulo)  Ihara  Federações de apicultura Possíveis parcerias  EMBRAPA  CI
  11. 11. Comitê Científico COMPOSIÇÃO INICIAL DO COMITÊ CIENTÍFICO • Décio Gazzoni (Embrapa) • Vera Imperatriz (USP) • Breno Freitas (UFCE) • Betina Blochtein (UFRGS) • Cristiano Menezes (Embrapa Amazônia Oriental) • Denise Alves (Esalq-USP)
  12. 12. Primeiros temas discutidos pelo conselheiros Objetivos: • Correta informação científica sobre produção de abelhas • Possível subsídios às políticas públicas relacionadas à polinização, a polinizadores e à segurança alimentar Temas: • Biodiversidade e serviço de ecossistemas • Serviços de ecossistemas e polinização, polinizadores e segurança alimentar • Abelhas e declínio de polinizadores • A criação de polinização: apicultura, meliponicultura, abelhas solitárias • Produtos das abelhas • Educação e abelhas na escola
  13. 13. Materiais
  14. 14. Ações em andamento • Elaboração de materiais como Folder e Guia sobre abelha; • Participação em eventos do setor como o 20º Congresso Brasileiro de Apicultura; • Reuniões setoriais (polinização, cadeia do mel, agricultura) com grupos acadêmicos; • Discussão sobre estudos científicos; • Criação da plataforma de conhecimento; • Site e mídias sociais; • Engajamento de stakeholders; • Relacionamento com órgãos governamentais; • Relacionamento com a imprensa.

×