EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena                           APARECIDA BARBOSA     ...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena         1. EJA PONTOS E CONTRAPONTOS           1...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena          Minha infância foi muito boa para mim, ...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenavoltávamos andando de lá para poder aprender a le...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenaescola era conhecida como “Escolinha”, não lembro...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenatrês anos sai de casa com meus filhos, pelo fato ...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena          Até que fui me Informar no CEEJA, e lá ...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena      2. O PROCESSO DE EDUCAÇÃO NO CONTEXTO DE MA...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena            Na Primeira República, a discussão qu...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena                         2.1 Contribuições de Pau...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenapreconceitos, buscando-se novas ideias e proposta...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenaadministrativos onde, não havia um processo de co...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena      3. DESLOCAMENTO          O processo de desl...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena      4. O CLIMA E O MEIO AMBIENTE DE PARAGUAÇU- ...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena            Sendo um rio muito extenso com seisce...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena        5. O CLIMA DE PRAIA GRANDE          Praia...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena        6. ALIMENTAÇÃO            A alimentação é...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de MadalenaFonte: Scielo                                    ...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena          Fonte: Recicloteca          Nos países ...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenada melancia e do melão aquele próximo à casca, el...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenaretarda o crescimento dos vegetais, além de impos...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena      7. SEQUÊNCIA DIDÁTICATEMA: Caminhos interdi...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena  Material inicial:      Pesquisa com Madalena  ...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenainaceitáveis a princípio para Madalena pelo fato ...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena  1 colher de sopa de fermento em pó;  1 colher d...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena280 graus mais ou menos 30 ou 35 minutos, espete ...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de MadalenaREFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASEIRÓS, Mauricio. Praia ...
EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenamovimento-brasileiro-alfabetizacao.htm acessado e...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

EJA - PONTOS E CONTRA PONTOS

3.081 visualizações

Publicada em

1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Para que a aula não seja uma sessão pipoca é preciso que o professor saiba explorar esse importante recurso que é a tecnologia.exemplo:o filme aproxima os alunos de situações pessoais,como cenários e sons do passado e do presente. A garantia de que eles aprenderão o conteúdo só de pende do professor, pois a exibição de filmes em classe pode ser um momento de critica e aprofundamento do tema e quando usado como ilustração e substituir o discurso do professor toda informação cai no vazio os alunos não aprendem nada perdendo assim uma oportunidade maravilhosa de ensinar e aprender. Antecedidos por discussões que o analizem e o coloquem em relação com determinadas conjunturas históricas, articulando com conteúdo histórico em sala de aula
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.081
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

EJA - PONTOS E CONTRA PONTOS

  1. 1. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena APARECIDA BARBOSA Contribuição de: GLÓRIA CAMANHO REGINA DUARTEINTRODUÇÃO O presente trabalho visa analisar por meio de uma entrevista com umaestudante do CEEJA, quais os fatores que contribuíram para que uma grande parteda população das décadas de 60/70/80 não concluíram seus estudos em idadeapropriada, onde houve a necessidade de políticas publicas como a criação daEducação para Jovens e Adultos, para diminuir o analfabetismo no Brasil. E por meio desta entrevista identificaremos quais as políticaseducacionais que estavam em vigor na época, pesquisando o que a lei propunhapara a educação, e se a mesma ocorreu de fato. Ao obter estes dados, identificaremos por meio desta entrevista, comosão as condições de vida desta estudante, e se a ausência de estudo emdeterminada situação de sua vida fez falta ou se a mesma não sentiu asconsequências, e qual a sua visão sobre a educação atual. E mediante todos os dados adquiridos nesta entrevista, elaboraremos umplano de aula para a EJA, contextualizando com vários momentos de sua vida,sendo este plano interdisciplinar que visa interligar as diferentes disciplinas com omeio ambiente. Página 2 de 28
  2. 2. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena 1. EJA PONTOS E CONTRAPONTOS 1.1 Entrevista com Madalena a) Como é o seu nome? Maria Madalena pode me chamar de Lena, lá onde morava eu eraconhecida como Leni. b) Conte um pouco sobre sua história de vida: Eu nasci na Bahia em Barra da Estiva no ano de 1960, e fui criada emParaguaçu, um povoado muito distante, onde não havia luz nem água encanadatínhamos que andar muito para pegar água no rio, lavar louça, roupa, etc. e osvizinhos era muito distante um dos outros (as residências) não são que nem aqui.Apesar disso, os moradores são muito hospedeiros, gentil um contribuindo com ooutro. A cidade ficava muito distante do local onde eu morava, e naquela épocanão havia transporte. Hoje tem carros particulares que cobram 50,00 reais por viagem, além dealguns ônibus da prefeitura que levam as crianças a escola em outra cidade e nosfinais de semana a feira, fora isto se precisar se locomover no decorrer da semanasó conseguimos de carona ou carros particulares. c) Como foi a sua infância? Página 3 de 28
  3. 3. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena Minha infância foi muito boa para mim, pois tinha liberdade, coisas queas crianças não têm hoje, pois brincava nos cafezais, subia nas árvores como o péde manga, tinha uma vida saudável, alimentação saudável, pois apesar de não termuito dinheiro, mas em nossa terra tinha alimentação “pra dar e vender” (risos). Na roça tinha plantações de café que era o que mais tinha nas fazendas,onde quando era época de colheita era momento de fartura para os fazendeiros.Também tinha batata, chuchu, manga, feijão comum, feijão andu, diversas ervas,algodão, mandioca, mamão, abóboras, abobrinhas e cabaças onde nestas são feitoartesanatos, foi por isso que logo que cheguei aqui me espantei com os preços dasverduras e legumes, e ao mesmo tempo o desperdício nos finais das feiras, etambém a qualidade, pois os legumes, frutas e verduras daqui duram bem menostempo e é muito caro. d) Em que ano você veio para São Paulo? Eu vim com 12 anos em 1972, para trabalhar em São Paulo em casa defamília, para ajudar meus pais, pois estávamos passando por momentos difíceis(saúde) e viemos para São Paulo para fazer tratamento da minha mãe, onde aprincipio trabalhei na praia, logo em casa de família. e) Como era a escola do local onde a senhora morou, pode frequentá-la por quantos anos quando pequena? Conte um pouco de suas lembranças, se não, fale o que aconteceu para não poder frequentar a escola? Na realidade só havia uma escola na cidade bem distante, ondelevávamos quase um dia para chegar lá. Então não tinha como ir à escola. Lembroque naquela época tinha uma senhora que alfabetizava em sua casa, e noschamávamos de escolinha, ficava um pouco distante de minha, aonde íamos e Página 4 de 28
  4. 4. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenavoltávamos andando de lá para poder aprender a ler. Lembro-me que o rapaz queme alfabetizou ele nunca tinha ido a uma escola de verdade, ele tinha aprendidocom esta senhora e começou a dar as aulas também. Eu fiz as quatro series em um ano, pois as aulas funcionavam daseguinte forma, os alunos liam um livro e ao fazer os exercícios corretos dos livrosíamos eliminando as séries, porém isto variava de pessoa para pessoa, tinhapessoas que demoravam mais, foi no ano de 1969 que fiz as quatro primeirasseries. Então, depois de um ano em São Paulo capital, vim para Praia Grandeno Tude Bastos para a casa do meu tio, pois minha mãe ia vir da Bahia paratrabalhar na praia e para se tratar em Santos. f) A senhora pode contar sobre sua mãe, pai e outros parentes, se foram à escola ou não? Então os meus parentes, como tia mãe e pai, eram todos analfabetos,minha mãe foi aprender a assinar seu nome há uns 10 anos atrás, e não tiveirmãos sou filha única. Minha mãe é filha de índia e meu pai era descendente dealemão, onde lembro que eles escreviam, mas não sei dizer sobre os estudos, poistive muito pouco contato com sua família, pois moravam muito distante a minhafamília por parte de pai. g) Quando chegou aqui, foi logo trabalhar ou matriculou-se em uma escola pública? Quando cheguei aqui a princípio trabalhei em casa de família, e resolvime matricular em uma escola no Tude Bastos perto da casa do meu tio, esta Página 5 de 28
  5. 5. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenaescola era conhecida como “Escolinha”, não lembro o nome, ela ficava perto doCAMP- Centro de Amigos do Menor Patrulheiro de Praia Grande, eles acharammelhor me colocaram na quarta série, pois foi a ultima série que tinha feito naBahia. h) Nesta instituição a senhora terminou os estudos? Como é o nome desta escola? Você sabe se ela ainda existe? Não, infelizmente não, pois, surgiram alguns problemas e logo tive queparar, era difícil conciliar trabalho e escola. i) Fale um pouco da vida aqui e se a falta de ir a escola impediu de ter um salário melhor? Com certeza, pois sempre trabalhei em casa de família. Trabalhava parasustentar minha família, pois o pai das crianças bebia e não contribuía e ainda eraagressivo, então logo sai de casa com meus filhos pequenos, a menor tinhaapenas três anos, mas a intenção era estudar, porém as coisas foram acontecendoe os estudos foram ficando para traz. Aposentei-me esse ano com um salário mínimo, devido à falta deoportunidade para estudar e conseguir outras profissões. Além de estudar noCEEJA, fiz cursos de artesanatos como chinelos decorados, bordados, e corte ecostura, esses me ajudam a melhorar um pouquinho minha renda mensal.j) Conte sobre seus filhos, como eles enfrentaram a escola gostavam? Eu não tive muita sorte nos estudos, mas graças a Deus meus filhostiveram, mesmo tendo a ausência de um pai, pois quando minha filha menor tinha Página 6 de 28
  6. 6. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenatrês anos sai de casa com meus filhos, pelo fato dele ter me dado um soco no olhoe estava muito inchado isso foi à gota d’água. Eles tiveram acesso à escola e era próxima de casa, pois ao sair de casafui à casa do meu tio, mas uma alma bondosa encaminhada por Deus me deu estepedacinho de terra onde construímos um cômodo e um banheiro com ajuda dosirmãos da igreja onde frequentava. Eles sempre foram muito bem na escola, nunca repetiram, são quatro,dois homens e duas mulheres, só fiquei triste por que o mais velho parou na oitavasérie e nunca mais voltou, mas ele tem muitos livros e lê muito, é muito inteligente. O do meio (dos homens) parou na oitava, e só foi voltar bem depois, fezeliminação de matéria e esta na faculdade fazendo letras. Os meninos são maisvelhos, as duas meninas vieram depois. A minha filha do meio parou também, e voltou em 2008 e terminou oensino médio no EJA, já a casula não parou iniciou em 1991 e terminou no final de2001 o ensino médio, o sonho dela era fazer faculdade, mas não conseguiu devidoàs condições financeiras, mas agora graças a Deus ela esta fazendo.l) Conte a sua história de estudante na EJA e o que a senhora acredita quepode melhorar nas aulas? Iniciei a estudar este ano, por incentivo de meus filhos, onde no inicioencontrei dificuldade, pois a escola onde estudei no Tude Bastos não existe mais,hoje é uma escola Municipal, foi na escola eles não tinham minha ficha, fui àSEDUC e na Secretaria de ensino ninguém achava meu cadastro, pois em 76 elesnão tinham informática na escola, e as escolas municipais não quiseram fazeraquela prova para encaixar na série que mais me enquadrava, falando que tinhaque iniciar da primeira serie. Página 7 de 28
  7. 7. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena Até que fui me Informar no CEEJA, e lá eles fizeram a prova e passeipara a quinta série, e hoje estou fazendo o processo de eliminação de matéria.Gostei muito de lá, os professores são muito bom e estão sempre dispostos atirarem nossas duvidas. E o legal que eu faço meu horário de estudo.m) A senhora, por favor, diga-nos se os estudos da EJA ajudam os jovens eos que têm a melhor idade a terem expectativas de emprego melhor econtinuar seguindo os estudos posteriormente em uma faculdade? Pelo menos aonde eu faço sim, já ouvi falar de outros lugares que nãosão bons, os alunos logo desiste, mas gostei muito de lá, e nunca é tarde paraestudar, e ajuda muito sim, mas depende da força de vontade de estudar.Como o caso de meu filho que desistiu na oitava serie isso porque briguei muito, enaquela época te batíamos nos filhos para eles estudarem, (rsrs), mas depois quetomou juízo voltou e fez CEEJA, o mesmo que estou fazendo e hoje esta no quintosemestre no curso de letras. Página 8 de 28
  8. 8. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena 2. O PROCESSO DE EDUCAÇÃO NO CONTEXTO DE MADALENA O aluno da EJA- Educação de Jovens e Adultos- geralmente é aqueleque não estudou na época “certa” por falta de oportunidade, como: falta de valor nafamília pela educação; por necessidade de trabalhar na infância; por questões degêneros ou descriminação que levam a exclusão social; por gravidez precoce; porenvolvimento nas drogas; e por falta de acesso a escola. “Madalena” na entrevista relata que um dos fatores pelos quais ela nãoestudou na idade própria foi à falta de escola em sua localidade, onde este fator éde caráter econômico, social e político. Apesar de inúmeras dificuldadesenfrentadas por Madalena, hoje ela encontra motivação para estudar, onde fezvários cursos, como diferentes tipos de bordado (Ponto Cruz, Vagonite, etc),Pedraria, Corte e Costura no Instituto Universal Brasileiro, além de fazer sabãocaseiro reaproveitando óleo de cozinha. Hoje aos 52 anos, ela faz parte de uma educação voltada para os jovense adultos que não concluíram em idade escolar, o CEEJA - Centro Estadual deEducação de Jovens e Adultos – que, segundo Priscila Sellis (2010): O CEEJA é mantido pelo Estado e reconhecido pelo Ministério da Educação em nível de Educação de Jovens e Adultos (EJA), seu ensino é caracterizado como uma escola do futuro. Nela, o aluno frequenta a escola nos dias e horários que considerar viável à sua realidade. A duração do curso dependerá exclusivamente do aluno, visto que é ele quem define quando e como irá realizar o curso. A educação de jovens e adultos não é recente, pois no Brasil colônia osjesuítas se dedicaram na educação dos índios e negros visando com isso difundir oevangelho, porém este sistema de ensino adotado pelos jesuítas foi sedesorganizando gradativamente até ser abandonado por eles em 1759. E com issoo ensino ficou abandonado nesta época sem nenhuma outra proposta de ensinoconsistente. Porém, com o passar dos anos, foram aparecendo algumas propostasde educação de adultos, até que no Império em 1824, a primeira constituiçãoBrasileira garantiu que a instrução primeira deveria ser voltada para todo o cidadão,não deixando de fora os jovens e adultos, porém, faltaram-se ações neste setorpara que esta garantia legal fosse concretizada. Página 9 de 28
  9. 9. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena Na Primeira República, a discussão que ocorria sobre a educaçãoenglobava a educação básica e a educação de jovens adultos sem haver distinçãoentre elas no processo pedagógico, e sem haver uma implementação de políticaspublicas especificas. Quando o estado começou a manifestar suas atribuições eresponsabilidades em 1940 começou-se a distinguir a educação de jovens eadultos, vinculando as verbas públicas para o atendimento a educação em nívelnacional. A educação de jovens e adultos segundo HADDAD: “é uma produto de miséria social, pois é consequência dos males do sistema publico regular de ensino e das condições de vida da maioria da população, sendo um marco condicionante da miséria social”. ...Pois a sociedade mundial está no encanto da tecnologia e comunicação e ao mesmo tempo desencanto por ter destruído uma parte considerável dos seus recursos naturais e não pode realizar um desenvolvimento que beneficiasse uma maioria crescente de empobrecidos, constituída, muitas vezes, como produto deste próprio desenvolvimento. Produto de miséria social, pois, a EJA, é fruto da falta de instituiçõeseducacionais nas localidades mais carente do Brasil, onde estes não tinhamacesso e nem meios para frequentar a escola, eram poucos que conseguia apenasse alfabetizar como no caso de Madalena. Na década de 60, período este pela qual Madalena não teve acesso àescola, houve a renuncia do presidente Jânio Quadros, a qual o mandato deveriaser concluído por João Goulart, onde este era considerado a ter interessesesquerdistas. Mediante esses fatos iniciou-se a crise política a qual resultou nogolpe militar. Como já foi abordada anteriormente, a EJA, é uma modalidade deensino brasileira que carrega na sua história dificuldades desde que os jesuítaseram os responsáveis pela educação brasileira, porém em 1960 surge a pedagogiade Paulo Freire uma educação popular entendida como ensino dos conteúdosescolares relacionados ao cotidiano do individuo e que se articulava com a açãopolítica. Página 10 de 28
  10. 10. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena 2.1 Contribuições de Paulo Freire Em 1964 foi aprovado o Plano Nacional de Alfabetização orientado pela proposta de Paulo Freire, porém foi substituído pelo MOBRAL, um Movimento Brasileiro de Alfabetização instituído pelo regime militar, um método que se preocupava apenas em fazer os alunos aprenderem a ler e escrever, sem preocupar-se com a formação do homem. Uma tática usada pelos militares para manter seus interesses enquanto dominadores da sociedade, domínio este que durou de 1964 á 1985. Já Paulo Freire defendia a Educação como um instrumento de mudança social, visando à libertação dos sujeitos de uma consciência ingênuo-resultante de uma sociedade opressora - para uma consciência critica tornando-os capazes de lutarem para a transformação da realidade. Para Paulo Freire a Educação deveria ser significativa, capaz de desenvolver nos sujeitos à capacidade de perceber a denuncia da realidade, conduzindo o educando a uma leitura do seu contexto social, das suas histórias e da sua vida, pois para qualquer educação é preciso atribuir valor aos saberes que o educando já traz do seu meio. Autores como Cunha e Góes, Paiva e Bastos mencionam que as décadas de 50-60 foram marcadas por projetos voltados a alfabetização de jovens e adultos, sejam eles para o acesso à escrita e leitura – grande desafio do momento histórico -, ou para formar cidadãos participantes em seu meio social. Porém para o regime militar, qualquer movimento democrático era combatido. No entanto não foi o suficiente para apagar ou negar da nossa história momentos tão importantes para a nossa educação quanto às experiências educacionais de Paulo Freire, tendo como a mais marcante o fato de alfabetizar pessoas em 45 dias. A sua proposta de alfabetização e inspiração para todos os educadores até os dias atuais (Regina Duarte). Esse período estabeleceu um momento muito especial na educação dejovens e adultos, a qual foi e é considerado como um “período de luzes”, queocorreu entre 1959 a 1964, pois se começou a confrontar as ideias de Página 11 de 28
  11. 11. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenapreconceitos, buscando-se novas ideias e propostas educacionais, passando aEJA ser reconhecida pelas suas características e peculiaridades nos planospedagógicos a qual foram incorporados os pensamentos de Paulo Freire, eposteriormente com a constituição de 1967, a qual veio assegurar o direito daeducação como direitos de todos, assegurando a gratuidade do ensino, comodescreve o artigo 168: Art. 168 A educação é direito de todos e será dada no lar e na escola; Assegurada a igualdade de oportunidade, deve inspirar-se no princípio da unidade nacional e nos ideais de liberdade e solidariedade humana. § 1º - O ensino será ministrado nos diferentes graus pelos Poderes Públicos. § 3º - A legislação do Ensino adotará os seguintes princípios: II - O ensino dos sete aos quatorze anos é obrigatório para todos e gratuito nos estabelecimentos primários oficiais; III - o ensino oficial ulterior ao primário será, igualmente, gratuito para quantos, demonstrando efetivo aproveitamento, provarem falta ou insuficiência de recursos. Sempre que possível, o Poder Público substituirá o regime de gratuidade pelo de concessão de bolsas de estudo, exigido o posterior reembolso no caso de ensino de grau superior. Esta constituição foi formulada sobre vigência do regime militar, ondeesta retirou à vinculação da receita a educação, institucionalizando o subsidiopublico ao setor privado. Defendendo assim, que a educação é um direito que deveser efetivo e acessível a todos, onde esta poderá ser realizada nas instituiçõesescolares, como em lar, com o objetivo de que a educação abranja a todos osindivíduos, até os locais carentes de instituição de ensino, este fato ocasionou aeducação de Madalena, onde esta teve acesso às quatro primeiras séries doensino fundamental I, pois a residência a qual madalena estudou, só ofertava oensino até o quarto ano do ensino fundamental. A EJA é consequência das mazelas das políticas publicas, onde essascontribuem para os ranços presentes na educação. Pois uma parte considerável dapopulação brasileira não teve acesso à educação em idade apropriada, pois, nasregiões menos favorecidas ocorria a falta de escolas, e só havia escolas nasregiões mais distantes, como nos centros urbanos. Na constituição de 1988 no artigo 208 e na LDB 9.394/96 afirma que édever do estado garantir a educação a todos, até aqueles que não tiveram acessoem idade apropriada. Na constituição de 88 houve também a designação de verbapara a educação, ficando o estado com o dever de investir 25% da receita naeducação e 18% dever do município, porém era conferida apenas parte destedinheiro a educação, onde ocasionou a falta de acesso à população menosfavorecida, pois a renda era bem inferior das regiões sul e sudeste. A outra partedeste dinheiro que deveria ser investido na educação, era utilizado nos setores Página 12 de 28
  12. 12. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenaadministrativos onde, não havia um processo de conferencia para averiguar osinvestimentos conferindo se estes realmente foram utilizados na educação e comisso percebemos os fatores que contribuíram para a marginalização da EJA, é decaráter político, econômico, social, educacional e psicológico, por não haverconscientização e incentivo a educação. Página 13 de 28
  13. 13. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena 3. DESLOCAMENTO O processo de deslocamento é muito comum, principalmente na décadade 60/ 70/80, onde a população brasileira das regiões menos favorecidas migrava àbusca de melhor condição de vida. Hoje esse processo ainda é comum, porém, as políticas educacionaistem melhorado consideravelmente a qual ampliou o numero de instituições deensino nas regiões a qual não se tinha acesso a educação, como na Cidade deMadalena, já se pode encontrar uma escola e universidade na cidade visinha. Percebemos em nossos pais, que além da emigração também ocorra àimigração, onde o fator que propicia essa imigração é a chegada do pré-sal epoucas mão de obras qualificadas, como também, muitos imigram com objetivos decrescimento a essa nova fase de crescimento em que o Brasil esta passando. Madalena mudou-se da região a qual habitava para outra região pornecessidades financeiras, ela migrou-se da Bahia para São Paulo a busca demelhores condições de vida, onde esta por sua vez, não obteve muito sucesso pornão ter tido oportunidades de estudos em idade apropriada. Segundo o dicionário Aurélio emigrar é sair voluntariamente de seu paíspara se estabelecer voluntariamente a outro; migrar: mudar de uma região paraoutra e de um país para outro; imigrantes: entrar em um país estranho para nele seestabelecer; Página 14 de 28
  14. 14. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena 4. O CLIMA E O MEIO AMBIENTE DE PARAGUAÇU- BAHIA No município de Ibicoara, cidade natal de Madalena nasceu onde estálocalizado o povoado de Paraguaçu onde esta viveu sua infância, o clima ésemiárido e subúmido a seco. Em 67% da área é semiárido, com chuvas anuaisinferiores a 700 mm, onde na parte superior da região, mais especificamente, nachapada diamantina, o clima é mais ameno é subúmido a seco. A sua cobertura vegetal na área da chapada da diamantina sobrevém oque restou das florestas antigas e campos rupestres, onde predominam aspastagens intercaladas por áreas com vegetação de caatinga, com seu trecho finalno planalto pré-litorânea, onde sobrevêm áreas agrícolas e florestais secundáriasda mata atlântica. O clima Semiárido é caracterizado pela baixa umidade, e provoca longosperíodos secos e chuvas ocasionais, e o clima subúmido a seco caracteriza-se porapresentar frio no inverno e quente e seco no verão, mantendo uma temperaturamédia anual de 21,5°C. Paraguaçu, nome dado ao povoado de Ibicoara onde Madalena foicriada, sendo este o maior rio baiano que nasce no Morro do Ouro, Serra do Cocal,município de Barra da Estiva, Chapada Diamantina, segue em direção nortepassando pelos municípios de Ibicoara, Mucugê passando pela cidade de Andaraí,e muda de direção em seu curso para oeste e leste. Este mesmo rio é uma espéciede divisor entre os municípios de Itaeté, Boa Vista do Tupim, MarcionílioSouza, Itaberaba, Iaçu, Rafael Jambeiro, Santa Teresinha, AntônioCardoso, Castro Alves, Santo Estevão, Cruz das Almas, GovernadorMangabeira, Cabaceiras do Paraguaçu, Conceição da Feira, Muritiba de São Félix,e nas cidades de São Felix de Cachoeira e Maragogipe desemboca na Baía deTodos os Santos entre os municípios de Maragogipe e Saubara. Página 15 de 28
  15. 15. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena Sendo um rio muito extenso com seiscentos quilômetros de curso, ondebanha cidades importantes, inclusive sob o ponto de vista turístico sendo um rionavegável da foz até as cidades de Cachoeira e São Félix, e ao longo deste trechoacham-se duas ilhas, a de Monte Cristo e a Ilha dos Franceses, razão pela qualeste rio é considerado turístico pelos seus atrativos, beleza natural das paisagenscom uma visão encantadora do acervo arquitetônico presente a suas margens. Ibicoara surgiu no século XIX, com a chegada de Garimpeiros a procurade ouro, e nesta época surgiu à cultura do café sendo fortemente presente até osdias atuais, como a criação de gado. Ibicoara foi emancipado de Muçugê em 1962.Hoje são ainda presente os festejos herdados do passado, como a festa junina e ocarnaval. Os principais pratos típicos são o godó que é o cortado de bananaverde, o beiju e o cuscuz. A cidade é uma das maiores produtoras de café ehortigranjeiro do estado, como também destacam a apicultura, o artesanato e afabricação de cachaça. Sendo uma cidade que vem crescendo ano a ano, por ser muitoprodutora e conter atividade de ecoturismo e quais vem gerando empregos erendas para a região. Página 16 de 28
  16. 16. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena 5. O CLIMA DE PRAIA GRANDE Praia Grande é uma cidade litorânea, que faz parte da regiãometropolitana da baixada santista, presente no Estado de São Paulo. Foi à primeiraregião criada sem status de capital Estadual, mediante a lei complementar 815 de30 de junho de 1996. Foi na Praia Grande que madalena viveu uma uma parte de suaadolecencia, e vive até os dias atuais onde sente falta do clima de sua região aorelatar que lar o clima e gostoso e fresco, onde o clima da atual cidade (PraiaGrande) onde ela mora segundo o Winkipedia Livre é: ...subtropical úmido, sem meses secos, com verões quentes e invernos brandos, sendo o mês mais quente Janeiro, com uma média de vinte e quatro graus centígrados, e o mais frio julho com uma média de dezessete graus centígrados. O clima subtropical úmido geralmente se faz presente no interior doscontinentes ou nos litoral lestes destes, com latitudes entre 23º e 35º em ambos oshemisférios, onde os verões deste clima geralmente contem dias úmido devido asmassas tropicais instáveis. Com esses dados podemos ter uma aula dialética, ou seja, fazer umacontraposição do que aprendemos e do que vivemos. Como a media em grauscentígrados do atual verão e inverno de Praia Grande que contrapõe com a teoria,e as diferenças climáticas das duas cidades onde madalena passou parte de suavida. Página 17 de 28
  17. 17. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena 6. ALIMENTAÇÃO A alimentação é à base da vida e dela depende o estado de saúde doser humano. A falta de conhecimento sobre os princípios nutritivos como o nãoreaproveitamento ocasiona a toneladas de desperdícios de recursos de nutrientesalimentares no Brasil, onde pesquisas mostram que uma grande parte daspropriedades de nutrientes está presente nas cascas que são desprezadas ejogadas ao lixo orgânico. Veja a seguir os nutrientes presentes em algumas cascasde frutas, legumes e verduras: Valores nutricionais das cascas, talos e folhas:Talos de salsinha Aproveitados como temperos, contém vitamina C, que auxilia na absorção de ferro e auxilia na imunidade, elevando a resistência a doenças.Folhas e talos de couve flor Sua folha possui vitamina C. Utilizada em recheios de tortas, esfihas, panquecas, sopas e bolinhos.Casca de maracujá A casca é rica em fibras que auxiliam no controle do colesterol elevado.Casca de Batata Pode-se utilizá-la cozida ou ate frita como aperitivo. Rica em minerais e fibras, a casca serve para fazer receitas de bolinhos. Página 18 de 28
  18. 18. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de MadalenaFonte: Scielo Página 19 de 28
  19. 19. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena Fonte: Recicloteca Nos países em desenvolvimento ou subdesenvolvidos, o desperdício éum serio problema que deve ser resolvido na produção, distribuição earmazenamento desses alimentos. Como antigamente as pessoas tinham maior contato com os alimentosno seu plantio, essas tinham uma relação natural com o ambiente, onde a maioriavivia no campo e com isso tinha um enorme conhecimento sobre os alimentoscomo sua conservação e meios de aproveitar todos os benefícios destes, e essasricas informações passavam de geração a geração. Como Madalena na segundaentrevistas, pois ao reler analisar sua entrevista recorreiamos a ela, a qual nosacrescentava cada vez mais com sua experiência de vida riquíssima. Ela noscontou que os mamões que caiam do pé ainda verdes era aproveitados, fazendodiversas receitas como refogado que fica parecido com o chuchu, e a parte branca Página 20 de 28
  20. 20. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenada melancia e do melão aquele próximo à casca, ela faz uma salada refrescante emuito saborosa, a qual o sabor é parecido com o do pepino. Pensando nesses dados obtidos por meio de pesquisas e entrevista, quevimos à importância do conhecimento para Madalena sobre o reaproveitamentoalimentar, contribuindo para o prosseguimento de uma alimentação saudável pormeio do reaproveitamento de partes de alimento (cascas, caroços, sementes, etc.)que é descartado ao lixo por muitos, onde este torna se prejudicial ao meioambiente se não forem descartados de maneira apropriada, gerando o mau cheiroe o aparecimento, desenvolvimento e proliferação de bactérias, fungos, insetos eratos, esses fatores contribuem para a contaminação do solo e da água,contribuindo para o surgimento de varias doenças (infectocontagiosas e virais) quevivem ou frequentam esses ambientes contaminados. O lixo que descartamos na cozinha, tais como: frutas, verduras,legumes, casca de ovo, carne, frango, ossos, espinhos, etc. são nomeados comolixo orgânico, onde este, quando não descartado de maneira correta, ao sedecompor produz o chorume – liquido viscoso e de cheiro forte e desagradável –que em contato com rios, mares, lençóis freáticos causa a contaminação do solo eda água. Em Paraguaçu- Bahia, não há seleta coletiva, onde os moradoresenterram os lixos em suas fazendas ou terrenos, e alguns é misturado na terra dasplantações servindo de adubo. Hoje em dia há inúmeras possibilidades de reaproveitar os lixospreservando o meio ambiente e a saúde da população. Como é o caso do lixoorgânico que pode ser usado para a produção de energia – biogás- o qual ao sedecompor é gerado o gás metano. O óleo de cozinha também é outro inimigo do meio ambiente, pois seuacumulo alimenta os ratos e polui rios, interfere a passagem de luz na água, Página 21 de 28
  21. 21. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenaretarda o crescimento dos vegetais, além de impossibilitar a oxigenação na águaprejudicando a vida dos peixes e crustáceo. Madalena sabe o quanto o óleo é prejudicial à saúde, e por isso ela nãodescarta na pia, mas reaproveita fazendo sabão caseiro. Percebemos que existeminúmeras formas de reaproveitamento e de reciclagem que além de contribuir parao meio ambiente também contribui para a geração de renda além de contribuir paraa economia. Página 22 de 28
  22. 22. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena 7. SEQUÊNCIA DIDÁTICATEMA: Caminhos interdisciplinares no contexto de Madalena e o meio ambiente.OBJETIVO: Contextualizar os conceitos a serem assimilados com a vida deMadalena, partindo do conhecimento de vivência para ampliá-lo.Conceitos (saber) a serem assimilados:  História: A história da cidade de Ibicoara - Bahia.  Geografia: O clima da região;  Ciências: Alimentação saudável;  Matemática: Fração.  Lingua Portuguesa: Gênero textual: Receita.  Temas transversais: Pluralidade cultural, Meio ambiente e Saúde 8. CONTEUDOS Aprender a fazer e identificar:  Fatores sociais, políticos e econômicos que contribuem ou não para aqualidade de vida;  Conhecer e internalizar as diferentes situações climáticas mediante asestações do ano presentes em nosso país;  Ser capaz de diferenciar as diferenças entre os três conceitos: migração,emigração e imigração, identificando e como ocorre; Página 23 de 28
  23. 23. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena Material inicial:  Pesquisa com Madalena Mediante a pesquisa junto com os alunos identificaremos pontosimportantes para debates, a qual será contextualizada com diversos conceitos eáreas do conhecimento, sendo uma aula interdisciplinar, onde esta ira partir darealidade vivida de muitos estudantes da EJA.Das aulas: 1ª aula: Essa aula objetiva, a princípio levar os educando a saber os conceitosde Emigração, Imigração e Migração, contextualizando com a o processo deemigração de Madalena. 2ª aula: Em um segundo momento visa descrever o clima da cidade natal(Paraguaçu/Bahia) e da cidade para onde Migrou (Praia Grande / São Paulo),levando esses a reconstruir seus conhecimentos, passando do senso comum parao cientifico sobre os diferentes climas das regiões de um mesmo país. Levandoestes, a saber, a fazer e identificar o porquê de um mesmo clima tornar maisameno em diferentes regiões. 3ª aula: Com a conscientização dessas diferenças, visamos levar o aluno aidentificarem as dificuldades encontradas mediante o clima, hábitos, alimentação ecusto de vida, o qual nesses últimos dois tópicos debateremos o processo deplantar e colher a própria alimentação e as dificuldades encontradas, sendo estas Página 24 de 28
  24. 24. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenainaceitáveis a princípio para Madalena pelo fato de ter que comprar e pagar caropor algo que tem de fartura em sua terra. 4ª aula:  Desta maneira debateremos com os educando possíveis meios dereaproveitamento alimentar como instrumento para garantir a qualidade e oaproveitamento integral dos alimentos, visando com isso contribuir para oaprendizado de todos ao identificarem possíveis formas de ter uma alimentaçãosaudável e econômica. Além de ser uma forma de alimentação que os alunospoderão fazer para a criança com dificuldades alimentares a comer sem identificaralguns alimentos não aceitáveis por elas. 5ª aula: Nesta aula iremos ver na prática esse processo de reaproveitamento dosalimentos, obsevando o que outrora seria descartado possíveis fontes riquíssimasde vitamina para a alimentação. Levando o aluno a ser um cidadão conciente, ondesuas atitudes irão fazer toda a diferença para o meio ambiente. Nesta aula prática eles observarão e verão como ocorre o processo defermentação, as vitaminas presentes nas cascas e caroços das frutas e verduras eno que estas vitaminas contribuem para a saúde, ou seja, as suas funções para onosso organismo. Receita a ser utilizada na aula: Bolo de abobrinha – Glória Camanhos. Ingredientes 3 xícaras de farinha de trigo; Página 25 de 28
  25. 25. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena 1 colher de sopa de fermento em pó; 1 colher de sopa de canela em pó; 1 colher de sopa de achocolatado; 3 ovos; 1 xícara e meia ou duas de açúcar; 1 abobrinha italiana; 1/2 xícara de óleo, 1/2 xícara de leite; (pode medir meia xícara de óleo e até completar a xícara água,colocar). duas colheres de leite em pó); Cobertura 1 xícara e meia de açúcar; 4 colheres de achocolatado; 1 colher de sopa de margarina; 1 colher de sobremesa de gengibre em pó; 1/2 xícara de água dois cravos da índia; Preparo Coloque no liquidificador a abobrinha lavada e cortada a“grosso modo” o açúcar, o óleo, a água os ovos e bater bem emuma bacia peneire a farinha o fermento a canela e o achocolatado. Misture o líquido e bata bem. Unte a assadeira commargarina, derrame o bolo e leve a assar em forno pré-aquecido a Página 26 de 28
  26. 26. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalena280 graus mais ou menos 30 ou 35 minutos, espete um palito equando este sair seco apague o fogo. Recheio Em uma panela leve ao fogo acrescente o açúcar, amargarina, o gengibre, os cravo da índia e a água. Faça uma caldaa ponto de fio e derrame sobre o bolo quente. Página 27 de 28
  27. 27. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de MadalenaREFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASEIRÓS, Mauricio. Praia Grande noticias. Disponível emhttp://www.praiagrande.sp.gov.br/pgnoticias/noticias/noticia_01.asp?cod=23946&cd_categoria= acessado em 15 de agosto de 2012.IVANA. Educação nas Constituições Brasileiras. Disponível em:http://www.xtimeline.com/evt/view.aspx?id=152841 acessado em 17 deagosto de 2012HADDAD, Sergio. Escolarização de Jovens e Adultos.http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n14/n14a07.pdf acessado em 17 deagosto de 2012HADDAD, Sergio. Tendências atuais na Educação de Jovens eAdultos. Disponivel em:http://biblioteca.planejamento.gov.br/biblioteca-tematica-1/textos/educacao-cultura/texto-128-2013-tendencias-atuais-na-educacao-de-jovens-e-adultos.pdf, acessado em 15 de agosto de 2012.PIERRO, Maria Clara Di. EJA em Segundo Planohttp://revistaescola.abril.com.br/politicas-publicas/modalidades/eja-plano-618045.shtml acessado em 14 de agosto de 2012.ARANHA, M. L. de A. História da educação. 2. ed. São Paulo:Moderna, 2000.Autor desconhecido. Educação de Jovens e Adultos e MovimentoBrasileiro de Alfabetização.http://monografias.brasilescola.com/historia/a-educacao-jovens-adultos- Página 28 de 28
  28. 28. EJA PONTOS E CONTRA PONTOS - Processo Educacional no Contexto de Madalenamovimento-brasileiro-alfabetizacao.htm acessado em 15 de agosto de2012Outras fontes:http://www.senept.cefetmg.br/galerias/Anais_2010/Artigos/GT6/PROJETO_ALIMENTACAO.pdfhttp://www.scielo.br/pdf/cta/v25n4/27658http://recicloteca.org.br/blog/index.php/2011/09/19/que-tal-uma-refeicao-nutrit Página 29 de 28

×