VERDADE PRÁTICA
Ajudando os nossos irmãos, contribuímos para a obra
de Deus, e , ao Senhor, oferecemos a mais pura ação de...
TEXTO ÁUREO
“Eu te oferecerei voluntariamente sacrifícios;
louvarei o teu nome, ó Senhor, porque é bom”
(Sl 54.6)
INTRODUÇÃO
 Além de apresentar assuntos de
ordem doutrinária, a Epístola aos
Filipenses destaca a gratidão e a
alegria do...
I – A PARTICIPAÇÃO DA IGREJA NAS TRIBULAÇÕES
1. Os filipenses tomam parte nas aflições do Apóstolo
 Paulo via a participa...
2. O exemplo da igreja após o
Pentecostes.
 A igreja de Filipos viva a mesma dimensão
de serviço da comunidade de Jerusal...
II – REMINISCÊNCIA: O ATO DE DAR E RECEBER
1. Paulo relembra o apoio dos filipenses.
 O versículo 15 destaca a generosida...
2 – O necessário para viver
 O versículo 16 revela-nos outro grande
feito. Enquanto o apóstolo estava em
Tessalônica, a i...
3. “Não procuro dádivas”.
 A oferta que Paulo recebeu dos filipenses
tinha um caráter espiritual, pois ele não
andava a p...
O dinheiro tem atrapalhado a sua
comunhão com o Senhor?
III – A OBLAÇÃO DE AMOR E SAUDAÇÕES FINAIS (4.18-23)
1. A oblação no Antigo Testamento.
 A palavra “oblação” está relacio...
2. A oblação e a generosidade dos filipenses
 Paulo encara como verdadeira oblação a
assistência que os filipenses lhe of...
3. Doxologia.
 Os versículos 20 a 23 trazem a saudação
final do apóstolo à igreja em Filipos.
 Paulo não poderia conclui...
CONCLUSÃO
 Após estudarmos essa preciosa e rica epístola,
o nosso desejo é que você ame cada vez mais o
Senhor Jesus, e q...
Lição 13 - 3º trimestre. Congregação Rio Doce- Setor XXXV  Natal - RN
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Lição 13 - 3º trimestre. Congregação Rio Doce- Setor XXXV Natal - RN

438 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
438
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição 13 - 3º trimestre. Congregação Rio Doce- Setor XXXV Natal - RN

  1. 1. VERDADE PRÁTICA Ajudando os nossos irmãos, contribuímos para a obra de Deus, e , ao Senhor, oferecemos a mais pura ação de graças.
  2. 2. TEXTO ÁUREO “Eu te oferecerei voluntariamente sacrifícios; louvarei o teu nome, ó Senhor, porque é bom” (Sl 54.6)
  3. 3. INTRODUÇÃO  Além de apresentar assuntos de ordem doutrinária, a Epístola aos Filipenses destaca a gratidão e a alegria do apóstolo Paulo.  O Apóstolo descreve o quanto o seu coração se aqueceu com a demonstração de carinho dos filipenses.  No final da epístola, ele revela a sua total confiança na suficiência de Cristo, pois esta lhe concedeu força prosseguir em frente.
  4. 4. I – A PARTICIPAÇÃO DA IGREJA NAS TRIBULAÇÕES 1. Os filipenses tomam parte nas aflições do Apóstolo  Paulo via a participação dos filipenses em suas tribulações como o agir de Deus para fortalecer o seu coração.  A expressão “tomar parte” (v.14) sugere a ideia de “partilhar com, ou coparticipar de”.  A igreja estava participando das aflições e tribulações do Apóstolo.  Ela sentia as agruras de sua prisão. Por outro lado, o apóstolo sentia-se abençoado por Deus pelo fato de ser lembrado com tamanho amor e ternura pela igreja de Filipos.
  5. 5. 2. O exemplo da igreja após o Pentecostes.  A igreja de Filipos viva a mesma dimensão de serviço da comunidade de Jerusalém nos dias de Pentecostes(At 2.45-47)  Com o seu exemplo, os filipenses nos ensinam que “tomar parte”, ou “associar- se”, nas tribulações é mostrar que o nosso amor é recíproco para com eles. Ou seja: devemos nos amar uns aos outros, pois assim Cristo nos amou.
  6. 6. II – REMINISCÊNCIA: O ATO DE DAR E RECEBER 1. Paulo relembra o apoio dos filipenses.  O versículo 15 destaca a generosidade dos irmãos filipenses em relação a Paulo.  Mesmo sendo uma igreja iniciante e pobre, assim que tomaram conhecimento da dificuldade de Paulo, não pensaram duas vezes em ajuda-lo.  Será que nós cristãos no dia de hoje também pensamos assim como a igreja de Filipos.  Por isso que o apóstolo não podia esquecer do amor que a igreja filipense demonstrou com relação à ele.
  7. 7. 2 – O necessário para viver  O versículo 16 revela-nos outro grande feito. Enquanto o apóstolo estava em Tessalônica, a igreja em Filipos continuava a enviar-lhe ajuda para a sus subsistência.  Eles não estavam interessados apenas em seus interesse próprios, tinham em mente as urgências do reino de Deus.  Paulo sabia da tentação que o dinheiro causava, as ofertas que ele recebia eram aplicadas integralmente na obra missionária.  Fujamos das armadilhas das riquezas desse mundo, pois, como disse o sábio Salomão, “ quem ama o dinheiro jamais dele se farta”.
  8. 8. 3. “Não procuro dádivas”.  A oferta que Paulo recebeu dos filipenses tinha um caráter espiritual, pois ele não andava a procura de dádivas.  (v.17) quem vive do ministério deve aprender este princípio áureo: o ministro de Deus não pode e não deve permitir que o dinheiro o escravize.  O verdadeiro obreiro do Senhor não busca seus próprio interesses, mas o crescimento da igreja de Cristo.
  9. 9. O dinheiro tem atrapalhado a sua comunhão com o Senhor?
  10. 10. III – A OBLAÇÃO DE AMOR E SAUDAÇÕES FINAIS (4.18-23) 1. A oblação no Antigo Testamento.  A palavra “oblação” está relacionada à linguagem proveniente do sistema sacrificial levítico.  O termo remete-nos a estas expressões: “ cheiro de suavidade” e “sacrifício agradável e aprazível” (v.18).  E estas por sua vez estão relacionadas às “ofertas de consagração” a Deus identificadas como “holocaustos” (Lv 1.3-17), “ofertas de manjares” (Lv 2; 6.14-23), oferta de libação e oferta pacífica (Nm 15.1-10).  Portanto, quando falamos de oblação, nos referimos a uma oferta sacrificial comestível – azeite, flor de farinha etc. Uma parte era queimada para memorial e a outra para o consumo dos sacerdotes (Lv 2.1-3)
  11. 11. 2. A oblação e a generosidade dos filipenses  Paulo encara como verdadeira oblação a assistência que os filipenses lhe ofereciam.  Assim, tendo em vista a generosidade praticada pelos filipenses, Paulo declara com plena convicção : “O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus” (v.19)  A expressão “o meus Deus” aponta para aquEle que haveria de suprir não somente as suas necessidades, como também a dos filipenses e também as nossas. Aleluia!
  12. 12. 3. Doxologia.  Os versículos 20 a 23 trazem a saudação final do apóstolo à igreja em Filipos.  Paulo não poderia concluir a sua carta de forma mais adequada: “ A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. Amém (v.23)  ele mostra assim, que todo o enfoque da carta é Cristo, e que nós, seus seguidores, temos de nos lembrar e viver por sua graça, pois “Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados” (2 Co 5.19)  Por isso
  13. 13. CONCLUSÃO  Após estudarmos essa preciosa e rica epístola, o nosso desejo é que você ame cada vez mais o Senhor Jesus, e que sua vida seja uma “oblação de amor” a Ele.  Jesus é o meio que Deus providenciou para reconciliar o mundo com Deus, exalte o Seu nome, porque você foi reconciliado com Ele em Cristo Jesus. A exemplo da igreja de Filipos, não esqueça: “A alegria do Senhor é a nossa força” (Nm 8.10)  Alegre o coração de Deus, tenha uma vida santa, ande a cada dia em novidade de vida e você será mais abençoado em nome de Jesus

×