Texto Áureo
“ O Temor do Senhor é o princípio da
Ciência; os loucos desprezam a
sabedoria e a instrução” (Pv 1.7)
VERDADE PRÁTICA
Provérbios e Eclesiastes são
verdadeiras pérolas da sabedoria
divina para o nosso bom viver.
OBJETIVOS
Conhecer o conceito geral dos livros de Provérbios
e Eclesiastes.
Identificar as fontes da sabedoria dos sábios
...
CARACTERÍSTICAS LITERÁRIAS DOS LIVROS DE:
1. O estilo literário do livro dos Provérbios é
Pelo menos dois: Provérbios e In...
PALAVRA CHAVE
Sabedoria:
Grande instrução;
ciência, erudição, saber
I - JOIAS DA LITERATURA SAPIENCIAL
1.O livro de Provérbios.
2. O livro de Eclesiastes.
II- A SABEDORIA DOS ANTIGOS
1. A in...
INTRODUÇÃO
 Desde criança somos ensinados a ouvir e
atentar para os bons conselhos . Quem não
se lembra, por exemplo, de ...
 Mais forte do que qualquer outra
fonte, a bíblia está recheada
dessa pérolas.
 São bons conselhos que revelam a
sabedor...
I – JOIAS DA LITERATURA SAPIENCIAL
1. O livro de Provérbios.  Acerca da autoria de Provérbios, o
expositor bíblico Willia...
I – JOIAS DA LITERATURA SAPIENCIAL
2. O livro de Eclesiastes.
 O termo original (Heb. Qoheleth)
significa “reunir ou “jun...
 Eclesiastes, juntamente com
Cantares, Jó, Salmos e Provérbios,
também faz parte do gênero
literário conhecido como
“Lite...
 Ao contrário do que muitos pensam, o
livro de Eclesiastes não expõe uma
espécie de ceticismo ou desencanto
existencial.
...
Como anda a sua vida?
Está vivendo intensamente, com alegria
no Senhor?
II – A SABEDORIA DOS ANTIGOS
1. A inteligência dos sábios.
 O livro de Provérbios faz referência ás
“palavras dos sábios”...
II – A SABEDORIA DOS ANTIGOS
2. A sabedoria de Salomão.
 O texto de 1 Rs 4.29-31, diz: “ Deu
também Deus a Salomão sabedo...
 O escritor americano Eugene Peterson
mostra a singularidade da sabedoria
salomônica em diferentes áreas da vida.
 Mas e...
III – AS FONTES DA SABEDORIA
1. A sabedoria popular
 Embora não seja um consenso entre
os intérpretes, mas parece não
hav...
 Esse fato é claramente
demonstrado quando se faz um
paralelo entre as instruções de
Amenemope e os provérbios de
Salomão...
 A sabedoria divina levou Salomão a
comentar praticamente a respeito de tudo
o que há debaixo do sol: “Discorreu sobre
to...
IV – O PROPÓSITO DA SABEDORIA
1. Valores éticos e morais.
 Os seis primeiros versículos de
Provérbios mostram com muita
c...
 4º dar aos simples prudência e aos
jovens conhecimento e sensatez.
 5º ouvir crescer em sabedoria;
 6º adquirir sábios...
IV – O PROPÓSITO DA SABEDORIA
2. Valores espirituais.
 O valor espiritual dos provérbios
fica bem demonstrado no uso que
...
 A literatura sapiencial, representada
pelos livros de Provérbios e
Eclesiastes, revela que o temor do
Senhor é o fundame...
CONCLUSÃO
A literatura sapiencial, representada neste
trimestre pelos livros de Provérbios e
Eclesiastes revela que o tem...
Antonio Fernandes de Oliveira é casado com a
irmã Guiomar Silva L. de Oliveira, é Díacono
da IEADERN, Assembleia de Deus n...
Lição 1 do 4º trimestre  O Valor dos Bons Conselhos.
Lição 1 do 4º trimestre  O Valor dos Bons Conselhos.
Lição 1 do 4º trimestre  O Valor dos Bons Conselhos.
Lição 1 do 4º trimestre  O Valor dos Bons Conselhos.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Lição 1 do 4º trimestre O Valor dos Bons Conselhos.

2.039 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.039
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
52
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição 1 do 4º trimestre O Valor dos Bons Conselhos.

  1. 1. Texto Áureo “ O Temor do Senhor é o princípio da Ciência; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução” (Pv 1.7)
  2. 2. VERDADE PRÁTICA Provérbios e Eclesiastes são verdadeiras pérolas da sabedoria divina para o nosso bom viver.
  3. 3. OBJETIVOS Conhecer o conceito geral dos livros de Provérbios e Eclesiastes. Identificar as fontes da sabedoria dos sábios antigos. Compreender o propósito da sabedoria ensinada em Provérbios e Eclesiastes. Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
  4. 4. CARACTERÍSTICAS LITERÁRIAS DOS LIVROS DE: 1. O estilo literário do livro dos Provérbios é Pelo menos dois: Provérbios e Instrução. 2. Provérbios: A expressão é de difícil definição, mas suas características são singulares: a) concisão; b) sagacidade; c) forma memorável; d) base na experiência; e) verdade universal; f) objetivo prático e longo uso. Quase sempre, o provérbio é descrito como poético ou rítmico, com metáforas sucintas, vivazes, convincentes e admiráveis 3. Instrução: Quase sempre articulada o legado de um pai ao filho, ou do mestre ao discípulo, que incluem ordens de proibições e as motivações pelos quais eles devem obedecer. 1. O livro se divide em quatro partes: a primeira, a central, a segunda e o epílogo. 2. Primeira parte [1. 1-3.15]. Reflexões bem organizadas sobre a vida, acompanhadas de um poema enternecedor sobre o tempo. 3. Parte central [3. 16-11.8]. Alguns provérbios aparecem. De vez em quando uma parábola e poesia também. 4. Segunda parte[11.9-12.8]. Há uma mudança de tom . A ideia é dar esperança ao jovem, pois a velhice chega depressa demais. 5. O epílogo [vv.9-14]. Esta seção é a justificativa de como o pregador ensinou ao povo provérbios e ensinos verdadeiros e com clareza. PROVÉRBIOS ECLESIASTES
  5. 5. PALAVRA CHAVE Sabedoria: Grande instrução; ciência, erudição, saber
  6. 6. I - JOIAS DA LITERATURA SAPIENCIAL 1.O livro de Provérbios. 2. O livro de Eclesiastes. II- A SABEDORIA DOS ANTIGOS 1. A inteligência dos sábios 2. A sabedoria de Salomão. III - AS FONTES DA SABEDORIA 1. A sabedoria popular. 2. A sabedoria divina. IV - O PROPÓSITO DA SABEDORIA 1. Valores éticos e morais. 2. Valores espirituais. ESBOÇO DA LIÇÃO
  7. 7. INTRODUÇÃO  Desde criança somos ensinados a ouvir e atentar para os bons conselhos . Quem não se lembra, por exemplo, de uma máxima que ouviu na infância?  Todas as culturas valem-se de parábolas, lendas, enigmas e máximas como veículos de transmissão dos seus valores morais, éticos e espirituais.  Essa máximas sintetizam um saber popular responsável não somente pela transmissão de uma cultura, mas também funcionam como normas de conduta.  Normas e condutas ficam ainda mais fortes quando o exemplo vem de casa.
  8. 8.  Mais forte do que qualquer outra fonte, a bíblia está recheada dessa pérolas.  São bons conselhos que revelam a sabedoria divina. Tais máximas bíblicas são expressas em linguagem figurada, das mais variadas formas (parábolas, fábulas, enigmas e provérbios).  Por isso, neste trimestre, conheceremos o que a Bíblia revela sobre os conselhos divinos contidos nos livros de provérbios e Eclesiastes.  Veremos ainda como esses conselhos se revelam na vida dos que temem ao Senhor.
  9. 9. I – JOIAS DA LITERATURA SAPIENCIAL 1. O livro de Provérbios.  Acerca da autoria de Provérbios, o expositor bíblico William MacDonald destaca: “As vezes, o livro é chamado de “Provérbios de Salomão”.  Uma vez que a maioria deles foi escrito por esse rei sábio (Pv 1.1; 10.1; 25.1). Salomão formulou três mil provérbios (1Rs 4.32).  Mas apenas algumas centenas deles foram agrupados sob a inspiração do Espírito Santo para fazer parte da Escritura Sagrada.  O capítulo 30 apresenta as palavras de Agur, filho de Jaque (Pv 30.1), e o capítulo 31 traz as palavras do “rei Lemuel” (Pv 31.1).  Não sabemos quem são esses homens, embora alguns acreditam que se tratam de outros nomes de Salomão.
  10. 10. I – JOIAS DA LITERATURA SAPIENCIAL 2. O livro de Eclesiastes.  O termo original (Heb. Qoheleth) significa “reunir ou “juntar”.  Para a tradução do título, várias foram as tentativas: Eclesiastes, o Pregador, o Orador, o Presidente, o Filósofo e até o Professor.  Autoria: podemos verificar, por dedução, no próprio texto a autoria de Salomão (Ec 1.1, 12, 16;12.9, 10).  Data: o périodo em que foi escrito esta obra remonta a velhice do rei Salomão; desta forma, podemos sugerir uma data aproximada, por volta do ano 935 a.C.
  11. 11.  Eclesiastes, juntamente com Cantares, Jó, Salmos e Provérbios, também faz parte do gênero literário conhecido como “Literatura Sapiencial”.  Embora escrito pelo filho de Davi e pertença ao mesmo gênero literário, o livro de Eclesiastes possui um estilo diferente de Provérbios.  Ele se apresenta como um discurso usado em assembleias ou templos. Alguns intérpretes acreditam que se trata de uma coletânea utilizada por Salomão em seus discursos.
  12. 12.  Ao contrário do que muitos pensam, o livro de Eclesiastes não expõe uma espécie de ceticismo ou desencanto existencial.  (Ceticismo é um estado de quem duvida de tudo, de quem é descrente. Um indivíduo cético caracteriza-se por ter predisposição constante para a dúvida, para a incredulidade).  (Desencanto existencial: Decepção, desilusão acerca da existência).  Salomão faz um balanço da vida do ponto de vista de alguém que teve o privilégio de vivê-la com com intensidade, mas que descobre ser ela totalmente vazia se não vivida por Deus e eu digo amém.
  13. 13. Como anda a sua vida? Está vivendo intensamente, com alegria no Senhor?
  14. 14. II – A SABEDORIA DOS ANTIGOS 1. A inteligência dos sábios.  O livro de Provérbios faz referência ás “palavras dos sábios” (Pv22.17;24.23).  Não há ainda um consenso sobre a real identidade desses sábios citados nestes textos, mas uma coisa fica clara, a todos eles Salomão superou em sabedoria.  As máximas contidas no livro de Provérbios contém o pensamento salomônico sobre vários aspectos da vida.  Para o escritor Earl D. Radmacher, a sabedoria do livro provérbios “ se relaciona muito mais com o que nós chamamos de sentido comum.  É uma maneira de entender o funcionamento do mundo.
  15. 15. II – A SABEDORIA DOS ANTIGOS 2. A sabedoria de Salomão.  O texto de 1 Rs 4.29-31, diz: “ Deu também Deus a Salomão sabedoria, grandíssimo entendimento e larga inteligência como a areia que está na praia do mar.  Era a sabedoria de Salomão maior do que a de todos os do Oriente e do que toda a sabedoria dos egípcios.  Era mais sábio do que todos os homens, mais sábio do que Etã, ezraita, e do que hemã, Calcol e Darda, filhos de maol; e correu a sua fama por todas as nações em redor.
  16. 16.  O escritor americano Eugene Peterson mostra a singularidade da sabedoria salomônica em diferentes áreas da vida.  Mas especialmente nos Provérbios, há uma amostra de como honrar os pais, criar os filhos, lidar com o dinheiro, conduzir a sexualidade, trabalhar e exercitar liderança, usar bem as palavras, tratar os amigos com gentileza, comer e beber saudavelmente, bem como cultivar emoções e atitudes em relação aos outros de modo pacífico.  A pessoa sábia (heb. Charam) evita a maldade e promove o bem. Provérbios não são unicamente promessas de Deus, também são observações e princípios acerca de como funciona a vida.
  17. 17. III – AS FONTES DA SABEDORIA 1. A sabedoria popular  Embora não seja um consenso entre os intérpretes, mas parece não haver dúvidas de que Salomão se valeu de muitas máximas que circulavam nos seus dias.  Isso de forma alguma pode ser considerado como um demérito para suas monumentais obras literárias.  A obra destaca que há de fato muita semelhança entre o que disse o sábio hebreu com aquilo que escreveu Amenemope, um sábio egípcio que viveu muito antes de Salomão (1305-1080 a. C)
  18. 18.  Esse fato é claramente demonstrado quando se faz um paralelo entre as instruções de Amenemope e os provérbios de Salomão 22.17-24.22.  No entanto , a Escritura põe em destaque que a sabedoria de Salomão sobrepujava todo o saber dos seus dias, que incluindo os egípcios que eram famosos pela grande sabedoria que possuíam (1 Rs 4.30).  Podemos entender que Deus dá inteligência aos homens para que estes possam analisar as situações da vida e tirar delas conclusões que servirão para si mesmos e para outras pessoas , como ocorre no livro de Provérbios.
  19. 19.  A sabedoria divina levou Salomão a comentar praticamente a respeito de tudo o que há debaixo do sol: “Discorreu sobre todas as plantas, desde o cedro que está no Líbano até ao hissopo que brota do muro; também falou dos animais e das aves, dos répteis e dos peixes.  De todos os povos vinha gente para ouvir a sabedoria de Salomão, e também enviados de todos os reis da terra que tinham ouvido da sua sabedoria” (1Rs 4.33,34).  De onde vinha tanta sabedoria? O texto bíblico revela que Salomão orou pedindo a Deus sabedoria (1Rs 3.9), e que o Senhor respondeu-lhe integralmente (1Rs 3.10-12)  Esta é a fonte da sabedoria de Salomão e explica o porquê de ninguém conseguir superá-la.
  20. 20. IV – O PROPÓSITO DA SABEDORIA 1. Valores éticos e morais.  Os seis primeiros versículos de Provérbios mostram com muita clareza que o propósito desse livro é o cultivo dos valores éticos-morais.  Na instrução do livro de Provérbios encontramos um conjunto de valores éticos e morais que revelam o propósito desses conselhos.  Ali consta todo o objetivo proposto pelo livro:  1º conhecer a sabedoria e a instrução;  2º entender as palavras da prudência;  3º receber a instrução do entendimento, a justiça, o juízo e a equidade;
  21. 21.  4º dar aos simples prudência e aos jovens conhecimento e sensatez.  5º ouvir crescer em sabedoria;  6º adquirir sábios conselhos;  7º compreender Provérbios e sua interpretação, bem como também as palavras dos sábios e suas metáforas (Pv 1.1-6).
  22. 22. IV – O PROPÓSITO DA SABEDORIA 2. Valores espirituais.  O valor espiritual dos provérbios fica bem demonstrado no uso que nosso Senhor Jesus Cristo fez dos mesmos. Como bem observou Antonio Neves de Mesquita.  Jesus fez amplo uso dos ensinos de Provérbios na sua doutrinação prática.  Muitas das suas parábolas estão calcadas em seus ensinos. Por exemplo, a parábola dos primeiros lugares em (Lc 14.7-10) quando, quando convidado para banquetes, está firmemente relacionada com Provérbios 25.6,7.
  23. 23.  A literatura sapiencial, representada pelos livros de Provérbios e Eclesiastes, revela que o temor do Senhor é o fundamento de todo o saber.  Ninguém pode ser considerado sábio de fato se os seus conselhos não revelam princípios do saber divino.  Um sábio não é alguém dotado apenas de muita informação ou inteligência, mas alguém que aprendeu que o temor do Senhor á a base de toda moral-social.
  24. 24. CONCLUSÃO A literatura sapiencial, representada neste trimestre pelos livros de Provérbios e Eclesiastes revela que o temor do Senhor é o fundamento de todo o saber. Que Deus o abençoe ricamente e que nesse trimestre possamos aprender de Deus com os livros de Provérbios e Eclesiastes.
  25. 25. Antonio Fernandes de Oliveira é casado com a irmã Guiomar Silva L. de Oliveira, é Díacono da IEADERN, Assembleia de Deus no Estado do Rio Grande do Norte, Copastor na Congregação Rio Doce Setor XXXV. Email:antonioeguiomaroliveira@hotmail.com Tel: (84) 8862-2579 Facebook: Antonio Fernandes Oliveira Blog: www.israeledosenhor.blogspot.com.br

×