49399532 servindo-a-deus

392 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
392
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

49399532 servindo-a-deus

  1. 1. SÉRIE: BÍBLIA SAGRADA MOZAR MARTINS DE SOUZA
  2. 2. SERVINDO A DEUS ÍNDICE Harmonização _____ Traçando objetivos definidos em sua vida 09 12 Confiança em si mesmo 28 O hábito da economia 37 Como dominar o medo da pobreza 50 Iniciativa e liderança 54 A imaginação 60 Autocontrole 67 O hábito de se fazer mais do que a obrigação 77 Uma personalidade atraente 89 Fracasso 96 4
  3. 3. SERVINDO A DEUS Tolerância 101 Concentração 106 Cooperação 115 Servindo a Deus 121 A MENTE HUMANA A mente humana grava e executa tudo que Ilhe é enviado seja através de palavras, pensamentos ou atos, seus ou de terceiros, sejam positivos ou negativos, basta que você os aceite. Essa ação sempre irá acontecer, independente se traga ou não resultados positivos para você. Um cientista de Phoenix Arizona queria provar essa teoria. Precisava de um voluntário que chegasse às últimas conseqüências. Conseguiu um em una penitenciária. Era um condenado a morte que seria executado na penitenciaria de Saint Louis no Estado de Missouri onde existe pena de morte executada em cadeira elétrica. 5
  4. 4. SERVINDO A DEUS Propôs a ele o seguinte: ele participaria de uma experiência científica, na qual seria feito um pequeno corte em seu pulso, o suficiente para gotejar o seu sangue até a ultima gota final. Ele teria uma chance de sobreviver, caso o sangue coagulasse. Se isso acontecesse, ele seria libertado, caso contrário, ele iria falecer pela perda do sangue, porém, teria urna morte sem sofrimento e sem dor. O condenado aceitou, pois era preferível do que morrer na cadeira elétrica e ainda teria uma chance de sobreviver. O condenado foi colocado em urna cama alta, dessas de hospitais e amarraram o seu corpo para que não se movesse. Fizeram um pequeno corte em seu pulso. Abaixo do pulso, foi colocada uma pequena vasilha de alumínio. Foi dito a ele que ouviria o gotejar de seu sangue na vasilha. O corte foi superficial e não atingiu nenhuma artéria ou veia, mas foi o suficiente para que ele sentisse que seu pulso fora cortado. Sem que ele soubesse, debaixo da cama tinha um frasco de soro com uma pequena válvula. Ao cortarem o pulso, abriram à válvula do frasco para que ele acreditasse que era o sangue dele que estava caindo na vasilha de alumínio. Na verdade, era o soro do frasco que gotejava. De 10 em 10 minutos, o dentista, sem que o condenado visse fechava um pouco a válvula do frasco e o gotejamento diminuía. O condenado acreditava que era seu sangue que estava diminuindo. Com o passar do tempo, foi perdendo a cor e ficando cada vez mais pálido. Quando o dentista fechou por completo a válvula o condenado teve uma parada cardíaca e faleceu, sem ter perdido sequer urna gota de sangue. O cientista conseguiu provar que a mente humana cumpre, ao pé da letra, tudo que lhe é enviado e aceito pelo seu hospedeiro, seja 6
  5. 5. SERVINDO A DEUS positivo ou negativo e que sua ação envolve todo o organismo, quer seja na parte orgânica ou psíquica. Essa história é um alerta para filtrarmos o que enviamos para nossa mente, pois ela não distingue Somos o que pensamos e acreditamos ser, o real da fantasia, o certo do errado, simplesmente grava e cumpre o que lhe é enviado. Quem pensa em fracassar, já fracassou mesmo antes de tentar. O texto acima é parte de um texto retirado da revista Superlnteressante de Junho 2002... Durante nossa vida aprendemos muitas coisas, mas é nas dificuldades, doença é que aprendemos mais. Toda doença é transitória, em essência somos sadios e voltaremos sempre para essa condição. A doença é um sintoma de nossas ações e de nossos pensamentos irrefletidos. Uma vez que aprendamos à lição do que fazer, já não reincidiremos naquela dor, aprenderemos a evitá-la. Assim, a doença mental não precisa de encarceramento – necessita de amor e compreensão, porque transfere do espírito um estado de perturbação profunda do ser emocional que não conta com o anteparo da razão para lhe estruturar as ações e compreender a vida e especialmente os semelhantes, buscando, como forma de proteção, a fuga, por meio do que conhecemos como loucura. No momento em que o homem compreender-se e compreender para que finalidade existe, nada disso voltará a ocorrer. Ele verá que não há dor insolúvel, e que de nada vale querer eximir-se à 7
  6. 6. SERVINDO A DEUS vida porque ela é superior às forças do mal. Não está em nosso poder impor-lhes limite, dar-lhe fim. As ilusões que temos a respeito da vida, material e espiritual, é que fazem com que geremos nossos infortúnios. Na maioria das vezes, idealizamos ou o paraíso ou o inferno, estamos felizes ou tristes e, raras vezes conseguimos compreender o ponto de equilíbrio que nos cabe. Somos aprendizes da vida e dessa forma temos que nos equilibrar, compreendendo que a dor ou a alegria é estadia transitória de nossas emoções, e que a felicidade real não é fugaz, ao contrário, é fruto do entendimento do que Deus deseja de nós. Tão logo compreendamos o que estamos aprendendo, compreendamos o que Deus nos quer ensinar, iremos adquirir coisas fundamentais: a conquista e a descoberta do estado de felicidade constituído pela aquisição de humildade e paciência; humildade para compreender que somos criaturas e como tais, tem a aprender na grande obra do Senhor; e, finalmente a aceitação das lições da vida. E mais: à medida que vamos tendo noção de que fomos criados para atingir regiões de felicidade, vai se tornando fácil ver que todo o restante é transitório e que depende de nós construirmos o céu ou o inferno, e, que Deus está sempre conosco nos amparando. Humildade real é saber conhecer nossos limites, não culpar qualquer outro por nossos erros e assumir todas as atitudes, sejam elas boas ou más, assinar cada uma de nossas ações, sem transferir responsabilidade. Agindo assim, começamos a compreender a conquista do equilíbrio e, ao somarmos a isso um tanto de paciência, estaremos adquirindo um caráter de estabilidade. A paciência é virtude que temos que exercitar inicialmente conosco mesmo, como de resto todas as demais, pois assim aprenderemos a nos amar e então a amar ao próximo. Exercitar a 8
  7. 7. SERVINDO A DEUS paciência consigo mesmo, é compreender que falhamos, ou até que falimos em determinados casos. Mas não pode ser uma virtude passiva, simplesmente aceitar; não é sermos paciente com o erro, mais sim com a nossa condição de aprendizes. Não se exige do aprendiz a perfeição do Mestre, porém se incentiva o aprendiz a retomar o trabalho com maior esforço e dedicação para que se aproxime um pouco dos graus do Mestre Jesus. Paciência é aceitação e trabalho. Ao aceitarmo-nos como aprendizes, retirando lições de nossas imperfeições, entendemos melhor nosso irmão deixando de exigir dele uma perfeição que sabemos não ser possível. Compreendemos que se muitas vezes somos magoados, machucados, feridos, é porque ele é um aprendiz e não consegue agir conosco da forma que Jesus ensinou. Aceitamos porque nós também carregamos imperfeições, se não da mesma ordem, de outra. Deixemos que o tempo e o trabalho o aperfeiçoem – esse é o destino – e não carreguemos sentimentos desnecessários, já que a humildade nos ensinou que devemos assinar todas as ações, assumindo nossa parcela de responsabilidade nos erros de nossas relações. 9
  8. 8. SERVINDO A DEUS HARMONIZAÇÃO “Socorro Senhor! Porque já não há homens piedosos; desaparecem os fiéis entre os filhos dos homens. Falam com falsidade uns aos outros, falam com lábios bajuladores e coração fingido.” Salmo 12.1 Harmonização significaria um espírito que se desenvolve por meio da cooperação harmoniosa entre duas ou mais pessoas que se aliam com o objetivo de realizar uma determinada missão, pois o objetivo na vida de cada um, é conseguir sucesso. Seja qual for este objetivo, nós o conseguiremos com menos dificuldade depois que tivermos aprendido a desenvolver uma personalidade agradável e também a arte de aliar-se com os outros para um determinado empreendimento, sem os atritos nem a inveja que levam milhões à miséria, necessidades e fracasso, todos os anos. 10
  9. 9. SERVINDO A DEUS Sem isso não se podem alcançar grandes triunfos na vida e ninguém gozará de poder sem personalidade suficiente para influenciar pessoas à cooperação num espírito de harmonia. Acredito que a mente é formada pelo mesmo fluído universal, a mesma energia que constitui o éter que enche o universo e, é um fato já bem conhecido que certas mentes se chocam, quando entram em contato com outras, ao passo que algumas mostram uma grande afinidade entre si. Entre os dois extremos do antagonismo e das afinidades naturais, nascendo do contato mental, há uma grande possibilidade para as várias reações de um cérebro a outro. Há casos em que um espírito se adapta tão bem a outro que o amor à primeira vista é o resultado do contato. Em outros casos há um total antagonismo, que o aborrecimento mútuo se mostra claramente logo ao primeiro encontro. Isso acontece sem que as pessoas em questão tenham trocado uma só palavra e sem qualquer indício das causas que habitualmente agem como estímulo para o amor ou ao ódio. Acredito que a nossa mente é formada por um fluído ou substância, ou energia – como quer que a chamemos – semelhante ao éter e quando duas mentes aproximam-se, a ponto de haver contato, a fusão das unidades desse material mental produz uma reação química, e iniciam as vibrações que afetam os dois indivíduos, quer agradável, quer desagradavelmente. O homem que é poderoso nada teme, nem mesmo a Deus. O homem poderoso ama a Deus, mas nunca o teme. O poder duradouro jamais nasce do medo. Qualquer poder que tenha o medo por base, está condenado a criar e a se desintegrar, 11
  10. 10. SERVINDO A DEUS Compreenda bem isto e nunca incidas na infelicidade de procurar conquistar poder inspirado no medo de outras pessoas, que talvez venham a lhe dever uma obediência temporária. TRAÇANDO OBJETIVOS EM SUA VIDA “Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes o seu prazer está na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite”. Salmos 1.2 Estes textos foram redigidos para agir como um estimulante mental que o levará a organizar e dirigir, para um fim definido, todas as suas forças mentais, aparelhando assim o estupendo poder que a maioria das pessoas desperdiça em idéias vagas, absurdas e sem objetivo. Manter uma unidade de propósito, é essencial para o triunfo seja qual for a idéia que se fizer sobre a definição do termo. Entretanto essa unidade de propósito pode, como geralmente acontece, exigir que o pensamento se estenda sobre vários assuntos 12
  11. 11. SERVINDO A DEUS relacionados a ela, e para se conseguir uma vitória, há muitos fatores que deverão ser relacionados e merecer atenção. Um espírito bem organizado; alerta e enérgico, é o resultado de vários estímulos, todos descritos neste livro. É aconselhável que leia este livro munido de uma caneta e papel, e adote o costume de anotar os pensamentos e idéias que forem surgindo. Aceitando essa sugestão, você depois de ter lido este livro umas duas vezes, terá adquirido uma série de idéias suficientes para transformar inteiramente o seu plano de vida. Seguindo este costume, inteirar-se-á, muito cedo de que o cérebro se torna uma espécie de magneto, e que irá atrair idéias úteis que pairam no leve ar. Não cometa uma injustiça para consigo mesmo, se começar a ler este livro com a idéia, por mais leve que seja, de que não precisas saber de mais nada, já sabes de tudo o que lhe é necessário. Na verdade homem algum é tão versado sobre um determinado assunto, a ponto de poder considerar-se como a última palavra nele. Nenhum de nós sabe muito, e, pela própria natureza do nosso ser, jamais poderemos saber tanto quanto necessitamos, a fim de termos uma vida sã e sermos felizes durante a existência. A humildade é um mensageiro do triunfo. Mas, se não nos tornarmos humildes em nosso próprio coração, não estaremos aptos para tirar grandes proveitos das experiências e pensamentos alheios. O melhor local para se estudar um homem é na nossa própria mente, fazendo uma análise completa de nós mesmos. Quando nós conseguirmos nos conhecer perfeitamente - se é que conseguiremos isso algum dia –, muito saberemos sobre os outros. Mas, para conhecer 13
  12. 12. SERVINDO A DEUS os outros, não como parecem ser, mas como são, na realidade, precisaremos estudá-los, nos seguintes aspectos: 1 – A posição do corpo e o modo de falar e caminhar; 2 – O tom da voz, sua qualidade e seu volume; 3 – Os olhos, se evitam as pessoas ou se as encaram; 4 – O emprego das palavras, a sua tendência, natureza e qualidade. Através dessas janelas abertas podemos entrar na alma de um homem e ter uma visão do que ele é realmente. Avançando mais um pouco, se quisermos conhecer os homens, devemos estudá-los: - Quando irritados; - Quando estão amando; - Quando tem questões de dinheiro; - Quando comendo (a sós); - Quando escrevem; - Quando estão em dificuldades; - Quando alegres e triunfantes; - Quando abatidos e derrotados; - Quando procuram causar uma boa impressão aos outros; - Quando informados sobre a desgraça alheia; - Quando informados da boa sorte dos outros; - Quando perdem em um esporte; - Quando vencem; 14
  13. 13. SERVINDO A DEUS - Quando a sós, meditando. É preciso observá-los em todos os seus estados de espírito, o que equivale a dizer que não temos o direito de julgar os outros apenas pelas aparências. As aparências valem, não há dúvida, mas enganam e muito. Você com esta leitura, ao final ficará apto a fazer um balanço de você mesmo e de outras pessoas, sem os preconceitos e prejulgamentos apressados. Você enxergará as pessoas através da crosta externa dos adornos pessoais, da chamada cultura e coisas semelhantes, e penetrará profundamente no coração dos que o cercam. As pessoas geralmente preferem a ilusão à realidade. As novas verdades, quando aceitas são tomadas com o proverbial grão de sal. Alguns dentre nós exige mais que uma pitada; querem uma quantidade muito maior capaz de temperar as novas idéias, que assim se tornam sem utilidade. Por causa disso, a introdução, tal como esta parte é longa, mas trata de assuntos que se destinam a preparar o caminho para novas idéias, de maneira tal que nenhuma delas possa causar choque ao cérebro do amigo. As estradas daqueles que tratam com a verdade é sempre muito árdua. Alguma coisa na natureza humana nos faz sentir o choque das idéias novas. Não gostamos de sermos perturbados nas nossas próprias crenças e preconceitos que quase nos foram legados como móveis de família. Na maturidade, muitos dentre nós atingimos a um estado de hibernação, e vivemos atormentados e alimentados pela gordura de antigos feitiços. Se uma nova idéia invade o nosso covil, levantamo-nos rugindo do nosso sono de inverno. 15
  14. 14. SERVINDO A DEUS Más não há uma razão justa para que a média das pessoas feche sempre o espírito às idéias novas. Nada pode ser mais trágico do que a inércia mental. Para cada dez pessoas que são fisicamente preguiçosas, existem cem que são mentalmente estagnadas. E um espírito estagnado é campo fértil e propício para o medo. Meu avô sempre colocava em suas orações a seguinte frase: “Deus, me dê Senhor, um espírito aberto”. Se muita gente seguisse o exemplo, poderiam salvar-se das desvantagens dos preconceitos. E que lugar agradável para viver seria então o mundo. Todas as pessoas devem ter empenho em reunir novas idéias de fontes estranhas ao ambiente em que vivem e trabalham diariamente. Se não procurar novas idéias, o espírito se tornará acanhado, estagnado, estreito e fechado. Os fazendeiros devem visitar a cidade freqüentemente, andar entre fisionomias estranhas e altos edifícios. Voltarão a sua fazenda com o espírito rejuvenescido, com mais coragem e entusiasmo. O homem da cidade sempre que possível deve fazer uma viagem com novos aspectos, diferentes que o rodeiam na labuta diária. Todos necessitam de uma mudança de ambiente, em períodos regulares, da mesma maneira que é essencial a variedade na alimentação. O espírito se torna mais alerta, mais elástico e mais pronto para trabalhar com rapidez e eficiência, depois de ter sido banhado com novas idéias, fora do campo das suas atividades. Não tenhas medo das novas idéias. Elas podem significar a diferença entre o triunfo e o fracasso. Há uma celebre frase do escritor e cientista americano Herbert Spencer: “Há um princípio que é uma barreira contra todas as informações e prova contra todos os argumentos e que não pode deixar de manter um homem na eterna ignorância”. 16
  15. 15. SERVINDO A DEUS Este princípio é a condenação, antes do exame. Tenha sempre em mente estas palavras: Este livro, estará envolvendo princípios não muito divulgados, e por este motivo, será difícil para algumas pessoas aceitá-lo como verdadeiro, antes de experimentá-lo. Vamos então, procurar definir o que é um triunfo: Triunfo é o desenvolvimento do poder com o qual se obtém tudo o que se deseja na vida, sem interferir com os direitos dos outros. Estou frisando com certa insistência a palavra poder, pois ela está sempre inseparavelmente relacionada com o triunfo. Vivemos num mundo e numa era de intensa concorrência, e por toda parte está em vigor a lei da sobrevivência do mais forte. Por tudo isso, todos aqueles que pretendem alcançar um triunfo duradouro, tem de atingir o seu alvo por meio do poder. O que é poder? Poder é energia ou esforço organizado. Este livro lhe ensinará a maneira de organizar fatos, conhecimentos e as faculdades da mente numa unidade de poder. Ele nos faz uma promessa definitiva: dominando-o e aplicandoo, poderemos obter tudo o que quisermos, contanto que esteja dentro dos limites da razão. Essa qualificação leva em conta a educação, a cultura ou a ignorância da pessoa, a sua resistência, o seu 17
  16. 16. SERVINDO A DEUS temperamento e todas as outras qualidades mencionadas em outras partes como sendo os fatores essenciais para a obtenção do triunfo. Um esforço organizado pode ser transformado em poder, que pode ser um poder perigoso, se não for guiado com a inteligência. Uma das maiores tragédias da época presente de lutas e de loucuras financeiras, é o fato de que apenas poucas pessoas se empenham nos esforços que mais lhe agradam. Um dos meus objetivos é ajudar a você meu amigo, a descobrir o seu lugar apropriado no mundo de trabalho, onde a prosperidade material e a felicidade podem ser encontradas em abundância. Este livro num todo se destina a ser um estímulo que facilitará o conhecimento das suas forças mentais e espirituais tal qual elas são, e despertará em você a ambição, a visão e a determinação, que o levarão a adiantar-se e a reclamar o que lhe pertence por direito. Para que possamos ter uma visão mais concreta de como o princípio do esforço organizado se pode tornar poderoso, paremos por um momento e deixemos a nossa imaginação traçar um quadro do que resultaria, se todas as correntes de uma sociedade em uma pequena cidade resolvessem formar uma sociedade ou aliança com o objetivo de fundir o seu poder e empregá-lo em benefício dessa cidade. Os resultados seriam espantosos. Conhecem-se três poderes principais, no mundo do esforço organizado: as igrejas, as escolas e a imprensa. Imaginemos o que poderia acontecer facilmente, se essas três grandes forças formadoras da opinião pública entrassem em aliança com o propósito de fazer surgir qualquer transformação necessária na conduta da sociedade humana. Poderiam no decorrer de uma única década, ou talvez uma geração modificar a atual ética dos negócios, a tal ponto que seria um verdadeiro 18
  17. 17. SERVINDO A DEUS suicídio tentar alguém fazer uma transação sob qualquer standard que não fosse o da regra estabelecida. Tal aliança poderia transformar as tendências comerciais, sociais e morais de todo o mundo ocidental; teria poder suficiente para forçar no espírito das gerações vindouras qualquer ideal desejado. Não é fácil a gente tomar conhecimento que, noventa por cento da população do mundo segue pela vida afora sem um objetivo, sem a menor concepção do trabalho para o qual se adaptam melhor e sem ter mesmo qualquer noção da necessidade disso que se chama objetivo definido, pelo qual lutar. Há uma razão psicológica, bem como outra de ordem econômica para a seleção de um objetivo definido na vida. Em primeiro lugar, vamos dedicar a nossa atenção, ao lado psicológico da questão: É fato bem estabelecido na psicologia que os atos das pessoas estão sempre em harmonia com os pensamentos que lhes dominam o cérebro. Qualquer objetivo definido, deliberadamente fixado na mente e nela conservado, tendo-se a determinação de realizá-lo, acaba por saturar todo o consciente até influenciá-lo a entrar automaticamente em ação física no corpo, para a consecução do referido propósito. Assim o objetivo definido na vida deve ser escolhido com um grande cuidado e, depois de escolhido, deverá ser escrito e colocado num lugar onde se possa vê-lo pelo menos uma vez por dia. Isso tem por efeito psicológico impressionar o seu subconsciente a tal ponto que você passe a aceitar esse propósito como um lema, um projeto que finalmente dominará a suas atividades na vida e o guiará passo-a-passo, para a consecução desse objetivo. O subconsciente pode ser comparado a um magneto e quando está vitalizado e inteiramente saturado com qualquer propósito definido, 19
  18. 18. SERVINDO A DEUS tem uma tendência decidida para atrair tudo o que é necessário para a realização desse propósito. Nós atrairemos inevitavelmente as pessoas que se harmonizem com a nossa própria filosofia de vida. Atrairemos sempre pessoas que serão de grande valor para as nossas realizações e nunca um obstáculo. Não há ambiente desagradável que seja bastante para deter um homem ou uma mulher que saiba aplicar o princípio da auto-sugestão, na criação de um objetivo definido. Uma pessoa assim dotada pode quebrar os grilhões da pobreza, destruir os germes da doença, ascender da situação mais humilde ao poder e ao apogeu. Em parte alguma a falta de um objetivo definido se torna mais gritante ou mais prejudicial do que nas relações entre os pais e filhos. Os filhos sentem com muita acuidade a atitude vacilante dos pais e tiram vantagem disto com muita liberdade. O mesmo se encontra em todos os domínios da vida – o homem com um objetivo definido impõe respeito e atenção em todas as ocasiões. Vejamos agora o lado econômico da questão: Se um navio perde o leme no meio do oceano e começa a girar em torno de si mesmo, gastará todo o seu combustível sem chegar ao seu destino, apesar de gastar energia suficiente para atingi-lo e dele voltar várias vezes. O homem que trabalha sem um objetivo definido, que não é apoiado por um plano definido para a sua execução, assemelha-se ao navio acima. Trabalho árduo e boas intenções nem sempre serão suficientes para conduzir um homem ao triunfo, pois como pode um homem estar 20
  19. 19. SERVINDO A DEUS certo de que alcançou um êxito, sem ter antes estabelecido no espírito algum objetivo definido que deseje? Se o triunfo depende do poder, se o poder é o esforço organizado, e se o primeiro passo na direção da organização é um propósito definido, é então muito fácil ver a razão pela qual esse propósito é essencial. Enquanto não escolhe um objetivo definido na vida, o homem dissipa energias e dispersa pensamentos sobre diversos assuntos e em variadas direções, que não conduzem ao poder, mas à indecisão e à fraqueza. Com a ajuda de uma lente podemos aprender uma grande lição sobre o valor do esforço organizado. Com a lente podemos focalizar os raios do sol sobre um ponto definido, de maneira tão forte que o seu calor poderá abrir um buraco numa tábua; sem a lente – que representa o propósito definido – os mesmos raios de sol podem incidir sobre a mesma tábua durante um milhão de anos sem a queimar. Do esforço conjunto resulta o poder maior que se pode alcançar. As maiores fortunas do mundo foram acumuladas por meio do uso do principio do esforço conjunto. O que o homem pode realizar sozinho durante uma vida inteira, por mais bem organizado que seja, é muito pouco, mas o que se pode alcançar por meio de uma aliança com os outros, é na verdade ilimitado. Se você conhece bem o jogo de futebol, sabe naturalmente que o time vencedor será aquele que estiver organizado e que tenha mais conjunto e harmonia. Na sua luta pelo triunfo você deverá ter em mente sempre a necessidade de saber o que quer, qual é precisamente o seu propósito definido e o valor do princípio do esforço organizado, para a obtenção do que constitui esse propósito. 21
  20. 20. SERVINDO A DEUS De uma vaga maneira, quase todas as pessoas tem um propósito, isto é o desejo de ganhar dinheiro, mas isso não é um propósito definido no sentido em que o termo é empregado nesta parte. Antes de nosso propósito poder ser considerado como definido, mesmo que esse objetivo seja a acumulação de dinheiro, precisamos chegar a uma decisão quanto ao método preciso por meio do qual pretendemos acumular dinheiro. Não basta dizer que se ganhará dinheiro empenhando-se em qualquer negócio. É preciso escolher o gênero de negócio, e também decidir sobre o ponto onde ele será localizado, bem como as normas em que deverá ser conduzido. Uma cuidadosa observação sobre a filosofia prática de mais de cem pessoas que alcançaram grande êxito na vida, em suas atividades, mostrou o fato de que se trata de pessoas de pronta decisão. O hábito de trabalhar com um objetivo principal definido criará o hábito de pronta decisão, que será de grande auxílio para você em tudo que empreender. Além disso, o hábito de trabalhar com esse objetivo irá ajudá-lo a concentrar toda a atenção numa determinada missão, até realizá-la. A concentração do esforço e o hábito de trabalhar com um propósito definido, eis os fatores essenciais para o triunfo, e que se encontram sempre juntos. Um faz nascer o outro. Os mais prósperos homens de negócios são pessoas de pronta decisão que trabalham sempre com um propósito definido, como finalidade na vida. Deve haver no mundo qualquer coisa que o amigo pode fazer melhor do que qualquer outra pessoa. Procure, pois, e ao encontrar essa linha de esforço, transforme-a no seu objetivo definido. Organize então todas as suas forças e se lance ao trabalho com a certeza de que está caminhando para o triunfo. 22
  21. 21. SERVINDO A DEUS Na sua procura da tarefa para a qual está melhor indicado é vantajoso ter sempre em mente que conseguirá maior êxito empenhando no trabalho que for mais do seu agrado, pois é fato demais conhecido que o homem triunfa com mais facilidade num campo de esforço em que se lança de corpo e alma. Você sendo uma pessoa religiosa encontrará muitas vantagens em fazer do seu propósito definido, o objeto de suas preces, uma vez por dia ou mais, se for necessário. Acreditando-se na existência de um Deus que pode ajudá-lo e que efetivamente o ajudará, bem como ajuda a todos aqueles que buscam realizar um trabalho construtivo no mundo, pode ficar certo de que tem todo o direito de dirigir-lhe o seu pedido para que o auxilie nessa cruzada para a realização do que encerra tudo o que há de real para si na vida. CONFIANÇA EM SI MESMO “Em Deus faremos proezas, porque ele mesmo calca aos pés os nossos adversários”. 23
  22. 22. SERVINDO A DEUS Salmos 18.13 O ceticismo é um inimigo mortal do progresso e do desenvolvimento individual. Por certo a nossa era não comporta o ceticismo, pois nela foi descoberto e dominado um número maior de leis da natureza do que em toda a história da raça humana. Em poucas décadas, testemunhamos o domínio dos mares e do espaço, dominamos o ar, suprimimos distâncias, dominamos o raio, fizemos com que a eletricidade movesse a roda da indústria e temos hoje comunicações instantâneas entre o mundo todo. Na verdade a era atual é de luz, de desenvolvimento, de descobertas, e, contudo, mal ainda tocamos a superfície do saber. Entretanto, quando abrirmos a porta que levará ao poder secreto, que ainda está armazenado dentro de nós, iremos adquirir conhecimentos que farão empalidecer muitas das descobertas do passado e do presente. O pensamento é a forma de energia mais altamente desenvolvida e organizada que conhecemos, e a presente era é de mais experiências e pesquisas, que certamente nos levarão a uma compreensão cada vez maior dessa força misteriosa que se chama pensamento e que repousa dentro de nós. Já adquirimos muitos conhecimentos sobre a mente humana, e sabermos que um homem pode liberar-se dos efeitos dos medos acumulados durante mil gerações, com o auxílio da auto-sugestão. Já descobrimos que esse medo é a razão principal da pobreza, do fracasso e da miséria que se apresentam sob milhares de formas. Já descobrimos também que o homem que domina o medo pode triunfar 24
  23. 23. SERVINDO A DEUS em qualquer empreendimento sejam quais forem os esforços reunidos para derrotá-lo. O desenvolvimento da confiança em si mesmo ou autoconfiança começa com a eliminação desse monstro que se chama medo, o qual segreda no ouvido das pessoas: Não podes fazer isso, Tens medo de fazer aquilo. Tens medo de experimentar. Temes a opinião das outras pessoas. Tens medo de não possuir habilidade. O demônio do medo, porém, anda se esgueirando. A ciência encontrou uma arma para empregar na batalha contra esse velho inimigo do progresso. Toda pessoa herda a influência dos seus medos básicos e sob esses medos principais, podem ser agrupados os menos. Todo ser humano quando chega a idade do discernimento, é subjugado até certo ponto por um ou mais medos básicos. Existem miríades de formas de medos, mas nenhum é tão funesto como o medo da pobreza e da velhice. Fazemos dos nossos corpos, escravos porque temos medo desses dois males e, assim procuramos juntar dinheiro para a velhice. Essa forma de medo tem tanta força sobre nós que submetemos o nosso corpo a um esforço desmedido e nos acontecem justamente às coisas que procuramos evitar. “Não te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam a iniqüidade. Pois eles em breve definharão como a relva e murcharão como a erva verde. Confia no Senhor e faze o bem; habita na terra e alimenta-te da verdade. Agrada-te do Senhor, e ele satisfará os desejos do 25
  24. 24. SERVINDO A DEUS teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais ele fará“. Provérbios 24:19. Observe um homem, ao entrar na casa dos quarenta e cinco anos, idade da maturidade mental. Que tragédia. Entretanto, é aos quarenta anos que o homem começa a assimilar os ensinamentos da natureza, tal como aparecem nas florestas e nas fisionomias das criaturas humanas mais desenvolvidas. Porém, o medo nos impele com tanta violência que nos torna cegos e nos perdemos no emaranhado dos desejos que estão em conflito. Perdemos de vista o princípio do esforço organizado e, em vez de conservarmos as forças da natureza que nos rodeiam e nos podem levar a grandes alturas, as desdenhamos e elas se tornam assim forças destruidoras. Enumeremos alguns fatos que demonstram a maneira como se faz má aplicação dessa grande força de Deus. Um homem fica decepcionado com um amigo que lhe foi falso, e passa a concluir (por meio da auto-sugestão) que nenhum homem lhe merece mais confiança. Esses pensamentos se fixam de tal modo no seu subconsciente que ditam inteiramente a sua atitude para com os outros. Voltemos agora ao que já foi dito anteriormente, sobre os pensamentos dominantes no cérebro humano, e que atraem aqueles cujas idéias são iguais. Apliquemos a lei da atração, em breve, veremos porque razão o descrente atrai o descrente. Apresentemos mais um exemplo: 26
  25. 25. SERVINDO A DEUS Um homem vê sempre apenas o que há de melhor naqueles com os quais entra em contato. Se os seus amigos se mostram indiferentes, ele não dá a menor importância a isso, pois, decidiu consigo mesmo encher o seu espírito com pensamentos otimistas, entusiastas e cheios de fé nas outras pessoas. Se alguém lhe fala com aspereza, responde com delicadeza. Por meio da mesma e eterna lei da atração, chama para si a atenção de pessoas cujo teor de vida e pensamentos se harmonizem com os seus. Eis aqui um outro homem, filhos de pais muito pobres. Desde que chegou a idade do raciocínio teve consciência da sua pobreza. Ouvia falar da pobreza. Sentiu-se agarrado pela mão gelada da pobreza e ficou tão impressionado que fixou no seu espírito a sua situação como uma coisa a que tinha de se submeter. Quase inconscientemente, convenceu-se de que tinha de se submeter e que seria para sempre pobre. Até que essa idéia se tornou o pensamento dominante no seu cérebro. A auto-sugestão o estava relegando rapidamente para a retaguarda do cenário da vida. E finalmente se tornou um covarde. A ambição se foi, a oportunidade não mais lhe apareceu, e se apareceu, coitado, ele não a soube ver. Aceitou o seu destino. É fato bem conhecido que as faculdades mentais, se atrofiam e mirram, quando não se faz uso delas. A confiança em si mesmo não é exceção à regra. Desenvolve-se quando usada e desaparece quando não exercitada. Longe de ser uma desvantagem, a luta pela vida é uma vantagem decisiva, pois serve para desenvolver todas as qualidades que se acham adormecidas no indivíduo e que sem ela jamais despertariam. 27
  26. 26. SERVINDO A DEUS Muitos homens só encontram o seu lugar, porque tiveram de lutar pela vida. A falta de conhecimento das vantagens dessa luta tem levado muitos pais a dizerem: “Tive de lutar muito quando moço, mas procurei fazer com que meus filhos não o necessitem”. Pobres criaturas insensatas. As facilidades se transformam geralmente em desvantagens. Há nesse mundo coisas muito piores do que uma pessoa ser obrigada a trabalhar desde o princípio da vida. A indolência forçada será muito pior do que os trabalhos forçados, sendo forçado a trabalhar e a desempenhar o seu trabalho da melhor maneira, o indivíduo adquire temperança, autocontrole, força de vontade e inúmeras outras virtudes que os ociosos jamais conhecerão. A falta da necessidade de lutar somente conduz à ausência de ambição e de força de vontade, como também, o que é ainda pior, cria no espírito do indivíduo, um estado de letargia, que irá gerar a falta de confiança em si mesmo. A pessoa que abandonou a luta porque o esforço já não é necessário, aplica o principio de auto-sugestão, aplica-o, porém para minar o seu próprio poder de autoconfiança. Assim, o indivíduo nestas condições irá cair num estado de espírito que o fará agir como uma marionete que é obrigada a fazer isto ou aquilo. O cérebro humano que me seja permitido a repetição, pode ser comparado a uma bateria elétrica. Pode ser positivo ou negativo. A confiança em si mesmo ou autoconfiança é a qualidade por meio da qual o cérebro recebe nova carga e se torna positivo. As pessoas deveriam ter um credo, a ser mentalizado diariamente ao sair para o trabalho e ao se deitar, que deveria ser mais ou menos assim: 28
  27. 27. SERVINDO A DEUS Acredito em Deus, na minha igreja e inteiramente no meu pastor. Creio nos meus amigos e nas pessoas que trabalham comigo; no meu chefe, e, em minha família. Acredito que Deus me emprestará tudo o que necessito para triunfar, contanto que eu me esforce para alcançá-lo por meios lícitos e honestos. Acredito nas orações e nunca fecharei meus olhos para dormir sem pedir antes a divina orientação, a fim de ser paciente com os outros e ser mais tolerante com os que não acreditam como eu acredito. Sei que o triunfo é o resultado do esforço inteligente e não depende de sorte, de magia, de amigos duvidosos, de companheiros ou do meu chefe. Acredito totalmente que tirarei da vida exatamente o que nela coloquei, e, assim sendo, serei cauteloso quanto a tratar os outros, como eu gostaria que eles fossem comigo. Não caluniarei a aqueles de quem não gosto. Procurarei estar atento e nunca diminuindo o meu trabalho por ver que os outros o fazem. Prestarei o melhor serviço que for capaz, porque jurei a mim mesmo triunfar na vida, e sei que o triunfo é sempre o resultado do esforço consciente e eficaz. Finalmente, perdoarei os que me ofendem, porque compreendo que algumas vezes também ofendo aos outros e necessito de perdão. Analise esse credo e veja como o pronome pessoal foi empregado. Nenhum homem pode tornar seu esse credo sem desenvolver atitudes positivas, que atrairá para si pessoas que o ajudarão na sua luta pelo triunfo. Procure ler o credo pelo menos duas vezes por dia, até que o mesmo faça parte de sua organização mental. Conserve uma cópia diante de si para que se lembre, a todo o momento de que jurou colocá-lo em prática. Agindo assim, fará um emprego eficiente do princípio da auto-sugestão, como meio de desenvolver a confiança em si mesmo. 29
  28. 28. SERVINDO A DEUS O HÁBITO DA ECONOMIA “Quem planeja e trabalha com dedicação ficará rico”. Provérbios 21.5 O homem sempre está procurando ganhar sem trabalhar ou como a Bíblia diz, comer sem trabalhar (II Tess 3:10). Mas, mesmo que 30
  29. 29. SERVINDO A DEUS o trabalho seja obrigação não significa que o trabalho tem que ser desgostoso. Quando o trabalho agrada a Deus, até um servo pode em muito servir o Senhor (Fil. 2:7). Muitas vezes é a atitude que determina se um trabalho é abençoado ou não. Atividade em si nem sempre traz bênçãos de Deus. Seria bom lembrar a parábola dos talentos para entender que o esforço mínimo e uma atitude errada não tem nenhuma virtude (Mat. 25:14-30). Como a Bíblia é a nossa única regra de fé e ordem, ela cuida de tudo que é necessário para que o homem agrade a Deus. Sobre o assunto de dinheiro, ela não é diferente. A Bíblia mostra como ser abençoado, ou melhor, como usar o dinheiro na maneira sábia para sermos abençoados. Deve ficar claro que a Bíblia não mostra ao homem como ser rico ou abençoado com bens. Quando falamos de ser abençoados no assunto de dinheiro falamos de como usar o dinheiro para agradar a Deus. Deus sendo agradado há bênçãos. Estas bênçãos podem ser virtudes, sabedoria, ou até bens. O alvo para o justo é agradar a Deus, não ter qualquer benção. Alvo: Viver Dentro de Suas Possibilidades O alvo de ter um orçamento é de viver dentro de suas possibilidades financeiras. O orçamento foi desenvolvido para dar uma visão de mês em mês a sua maneira de viver em comparação com suas capacidades financeiras. Para ter um orçamento funcional é necessário um equilíbrio entre necessidades, preferências e desejos. 31
  30. 30. SERVINDO A DEUS Necessidades são aquelas despesas indispensáveis para o funcionamento normal do lar (alimentação, vestimenta, moradia, atenção medica, escolaridade, etc.). Preferências são as decisões que podemos fazer sobre a qualidade dos bens que sentimos serem necessários (vestimenta social em vez de vestimenta escolar, filé mignon em vez de hambúrguer, um carro novo em vez de um carro usado, etc. Considere I Ped 3:3,4). Desejos são aquelas coisas que podem esperar até que as necessidades sejam cuidadas (uma segunda casa, moveis novos na casa inteira, forno microondas, etc. Considere I João 2:15,16). Sempre haverá barreiras para atingir qualquer alvo. Há aquela pressão social de adquirir mais e mais bens e também existe a atitude de que só o melhor de tudo é melhor. Essas duas idéias são barreiras para ter um orçamento bem ordenado. Crédito para adiar decisões importantes e difíceis pode também ser uma barreira para atingir o alvo de qualquer orçamento. Se estivermos precisando de crédito constantemente é uma indicação que estamos vivendo fora das nossas possibilidades. Por último não tendo um fundo para emergências pode ser uma barreira também para cuidar das necessidades de uma família e viver dentro das possibilidades financeiras.Se não somos cientes das barreiras e se não temos um equilíbrio preciso entre as necessidades, preferências e os desejos, seremos levados para o ponto onde a nossa renda quase nem cuidará das despesas. Se isso é o seu caso há uma decisão necessária: ou invente um meio de ter mais renda, ou corte as despesas. Não há outra fórmula mágica ou segredo. 32
  31. 31. SERVINDO A DEUS Quando se pensa em fazer um orçamento, pode ser que pensamentos exagerados invadam seu raciocínio que podem destruir os princípios fundamentais dele. Devemos sempre lembrar que nunca um orçamento deve ser enquadrado como uma camisa de força, nem uma arma para ferir um ou outro membro da família. O orçamento não foi desenvolvido para desanimar ninguém na família, mas contrariamente, foi formulado para estimular consistência para atingir alvos reais e dar flexibilidade no manejo da renda no lar. Se o orçamento é entendido de outra forma, um entendimento melhor do que é um orçamento é preciso. Se vamos fazer algo decentemente e com ordem como a Bíblia nos pede, devemos ter um plano. Todavia, um plano bom sempre requer ação, autocontrole e pode até requerer sacrifícios. O orçamento ideal deve ser divido em três partes: Primeiramente será a divisão de Deus e o governo. Em segundo lugar deve ser a família e as dívidas. Por último há expansão. Vejamos estas três: a) Deus e o Governo. Devemos colocar Deus em primeiro lugar onde Ele merece e deseja estar. Até no assunto do planejamento do nosso dinheiro podemos servir o Senhor. (Mat. 6:33; Malaquias 3:8). O governo merece a sua parte também. Mal ou bem, o governo é um instrumento que Deus estabeleceu para cuidar de nós (Rom 13:1-7; Mat. 22:21). b) Família e Dívidas. Depois de Deus e o governo vem a família (I Tim 5:8) e o cumprimento da nossa palavra (dívidas, Sl 37:21). 33
  32. 32. SERVINDO A DEUS c) Expansão. Esta só vem depois de cuidar dos primeiros dois pontos e inclui os investimentos, poupança, multiplicação dos bens e ajuda extra aos outros (II Cor 8:14). Antes de colocar o plano em andamento, um levantamento de dados sobre o nível presente de renda e gastos é necessário. Um mês de anotar cada gasto talvez seja necessário para perceber com exatidão onde a renda está sendo utilizada. Depois que já sabemos por quais ralos está indo o dinheiro no lar todos os meses e necessário determinar quais são os alvos e as ações que vamos implementar para atingir os alvos. Examine 1 Timóteo 6.10 cuidadosamente: “Porque o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males”. A raiz do mal não é o dinheiro em si. A raiz de muito mal é a atitude errada com relação ao dinheiro. No Velho Testamento a maioria das pessoas mais santas estavam entre as pessoas mais ricas de sua época. Jó, Abraão e Davi eram todos ricos, todavia não permitiram que a riqueza interferisse no relacionamento deles com o Senhor. Ensinar a alguém a fazer economia sem ensinar-lhe a maneira de economizar, e o mesmo que desenhar um cavalo e escrever em baixo: isto é um cavalo. Todo mundo sabe que economizar dinheiro é uma das coisas essenciais para o triunfo, mas a grande pergunta que se faz à maioria dos que não economizam é a seguinte: “Como poderei fazer isso”. É verdade que o homem por meio dessa lei, forma a sua personalidade. Por meio da repetição, qualquer ato cumprido por nós, algumas vezes se torna um hábito, e a nossa mente parece então não 34
  33. 33. SERVINDO A DEUS ser mais do que uma massa de forças estimuladoras, originando-se dos nossos hábitos diários. Uma vez fixado na mente, o hábito impele voluntariamente o individuo a ação. Por exemplo, siga alguém um caminho todos os dias quando se dirigir ao trabalho, ou a outro lugar que visite com freqüência, e, dentro de pouco tempo, o hábito estará formado. A mente das pessoas a levará automaticamente por aquele caminho sem que ai intervenha o pensamento. Ainda mais, se sair com intenção de seguir em qualquer outra direção, se não tiver em mente a idéia de mudar de caminho, o hábito a conduzirá pelo caminho de todos os dias. Milhares de pessoas atravessam a vida na pobreza, por terem feito um emprego destruidor da lei de Deus, e por terem feito um emprego destruidor do hábito. Por não compreenderem isso, nem também a da atração, por meio da qual as coisas semelhantes se atraem, aqueles que permanecem na pobreza raramente se convencem de que a sua situação é uma conseqüência lógica dos seus próprios atos; se fixarmos na mente a idéia de que a nossa capacidade de ganhar dinheiro se limita a certa quantia, nunca chegaremos a ganhar mais do que isso aceitaremos a limitação, e muito em breve nos sentiremos mergulhados no medo da pobreza; as oportunidades não baterão à porta; a nossa sentença será lavrada, e a nossa sorte decidida. A formação do hábito da economia não significa a limitação da capacidade de ganhar dinheiro; significa justamente o contrário, isto é, que o aplicará de modo a não somente conservar o que se ganhou, de uma maneira sistemática, como também a colocar na nossa frente oportunidades maiores, dando-nos visão, confiança em nós mesmos, 35
  34. 34. SERVINDO A DEUS imaginação, entusiasmo, iniciativa e autonomia para aumentar a nossa capacidade de ganhar dinheiro. Por outras palavras, quando você compreender realmente a lei do hábito terá assegurado o seu triunfo no grande jogo de ganhar dinheiro. Você deverá proceder da seguinte maneira: Primeiro, por meio da formulação de um objetivo definido, organize na sua mente uma descrição perfeita e nítida do que quer, inclusive a quantia que pretende ganhar. O subconsciente se apoderará então do quadro traçado e o empregará como uma planta, para modelar os pensamentos e ações em planos práticos, para a consecução do objetivo ou propósito definido. Por meio da lei do hábito a pessoa fixa na mente o propósito do seu objetivo definido, até que ele fique implantado de modo firme e permanente, Esse processo destruirá a consciência da pobreza, que será substituída pela consciência da prosperidade. Começará então a exigir prosperidade, a esperá-la e a preparar assim, o caminho para o estabelecimento do hábito da economia. Segundo, tendo dessa maneira aumentada a capacidade de ganhar dinheiro, fará uso do hábito, estabelecendo por meio de uma declaração escrita o seu objetivo principal definido, para por de lado uma determinada quantia. Assim, quando o salário aumentar, a economia crescerá na mesma proporção. Exigindo de si mesmo um aumento da capacidade de ganhar mais dinheiro, e, por outro lado, separando sistematicamente uma quantia certa do que se ganhou, dentro em pouco tempo chegará à eliminação de todas as limitações imaginárias do seu espírito e terá 36
  35. 35. SERVINDO A DEUS aberto o caminho para a independência financeira. Nada mais fácil de se conseguir. Fazendo a aplicação disto em sentido contrário, deixando que o medo da pobreza se apodere de sua mente, cedo terá reduzido a sua capacidade de ganhar dinheiro a ponto de não poder sequer ganhar o suficiente para fazer frente às suas próprias necessidades. Todos nós somos vítimas dos nossos hábitos, seja qual for a nossa situação na vida. Qualquer idéia deliberadamente fixada na mente ou qualquer idéia que permitamos se fixe na nossa mente como resultado da sugestão do ambiente, da influência dos outros, etc., levará você certamente a praticar atos de acordo. Forme alguém o hábito de pensar e falar em prosperidade e abundância, e muito em breve evidências materiais começarão a se manifestar sob a forma de novas oportunidades, mais amplas e inesperadas. As coisas iguais se atraem. Se um comerciante se habitua a falar e a pensar que os seus negócios não vão bem, as coisas irão realmente mal de fato. Um pessimista, se o deixarmos exercer a sua influência durante muito tempo, pode destruir o trabalho de meia dúzia de homens competentes e conseguirá isso implantando nos espíritos a idéia da pobreza e do fracasso. E isso numa empresa, nos escritórios é vital que seja evitado a qualquer custo. Para que uma chefia realmente capaz possa conseguir a confiança e a cooperação de seus subordinados, é um processo muito lento. 37
  36. 36. SERVINDO A DEUS Se esta chefia não ficar alerta para esses tipos de pessoas, poderá por todo o seu trabalho a perder bem como uma chance de triunfar na área. Não devemos desejar ser esse tipo de pessoa. Em dezenas de milhares de lares, o tópico da conversa em geral é a pobreza, a falta de coisas, e por isso, a maioria desses lares não obtém mais do que isso. Pensam em pobreza, e aceitam a pobreza como o seu quinhão na vida. Julgam que pelo fato de que os seus antepassados terem sido pobres, eles permanecerão pobres também. A consciência da pobreza é formada em conseqüência do hábito de pensar em pobreza e ter medo dela. “Assim como os pobres são dominados pelos ricos, quem pede dinheiro emprestado se torna escravo de quem empresta”. Provérbios 22.7 No provérbio acima aprendemos porque o nosso Senhor fala tão diretamente sobre essa área de dívida. Quando estamos endividados, estamos numa posição de servidão a quem nos emprestou. E quanto mais afundados na dívida nos tornarmos, cada vez mais nos tornaremos servos do outro. Não temos liberdade de decidir onde gastar a nossa renda porque o nosso dinheiro já está legalmente comprometido com essas dívidas. A dívida é um senhor impiedoso, um inimigo mortal do hábito da economia. A pobreza, por si só, é suficiente para matar a ambição e destruir a autoconfiança e a esperança, mas acrescente-se a ela a responsabilidade das dívidas e toda e qualquer vítima destes dois cruéis senhores estará inevitavelmente condenado ao fracasso. 38
  37. 37. SERVINDO A DEUS Sob o peso das dívidas, nenhum homem é capaz de dar o seu melhor trabalho ou de se expressar em termos que infundem respeito, de criar ou de levar avante um objetivo definido na vida. O homem que se deixa levar pelas dívidas, é tão desamparado como o escravo limitado pela ignorância ou preso aos grilhões. COMO DOMINAR O MEDO DA POBREZA “Evitai que alguém retribua a outrem mal por mal; pelo contrário segui sempre o bem entre vós e para com outros. Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo, dai graças, porque está é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.” I Tessalonicenses 5.15-18. 39
  38. 38. SERVINDO A DEUS Contentamento é mencionado sete vezes na Bíblia, e seis vezes tem a ver com o dinheiro. Você precisa aprender a se tornar contente. Em Filípenses 4.1112, Paulo escreve: “Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez”. Examine estes versículos cuidadosamente. Não nascemos com o instinto de contentamento; pelo contrário, é algo que precisamos aprender. Para ser ver livre do medo da pobreza, o indivíduo que tem dívidas precisa tomar duas decisões Primeiro, abandonar o hábito de comprar a crédito além do seu limite, e, em seguida procurar liquidar pouco a pouco as dívidas já contraídas. Livre-se da preocupação das dívidas e estarás pronto para retornar a novos hábitos e redirigir a sua marcha para a prosperidade. Deves adotar como parte de seu objetivo principal, o hábito de economizar certa parte de seu rendimento, mesmo que essa economia seja de apenas alguns poucos reais por mês. Muito cedo o hábito se instalará em sua mente, e sentirás alegria em economizar. 40
  39. 39. SERVINDO A DEUS Qualquer hábito pode ser abandonado e substituído por outro mais desejável. O hábito de gastar deve ser substituído pelo de economizar, pois isso contribuirá para que se alcance a independência financeira. Não basta porém libertar-se de um hábito indesejável, pois hábitos assim tem a tendência a reaparecem a menos que sejam substituídos por outros de natureza diferente. A perda de um hábito qualquer deixa um vazio na mente que precisa ser preenchido com outra forma de hábito, pois do contrário o velho ocupante retornará e reclamará o seu lugar. O homem pobre está à mercê do que tem dinheiro. E isto é um fato, seja qual for à habilidade que se possua, a educação que se tenha ou o talento de que seja dotado. Não há pois, meio de escapar ao fato de que a maioria das pessoas nos julgará em grande parte pela conta que tivermos no banco, quem quer que sejamos. Ao encontrar um estranho, a primeira pergunta que ocorre a maioria das pessoas é a seguinte: Será que ele é rico? Quanto será que possui? Se a pessoa tem ou parece ter dinheiro, é bem recebido em todos os lares e casas comerciais, seus filhos serão bajulados, e as oportunidades não lhe faltarão; agora, coitado dele se por acaso tiver uma recaída ou realmente só ter a aparência e nada de dinheiro. Porque, se for uma pessoa mal-arranjada, roupa amarrotada, colarinho sujo e demonstrar outros sinais de pobreza, coitadinho dele, a multidão lhe pisará nos pés e lançará no seu rosto a fumaça do desrespeito e desprezo, por tudo o quanto ele tenha feito ou que possa fazer. 41
  40. 40. SERVINDO A DEUS Essas informações não são agradáveis, mas prestam um serviço muito bom, pois possuem uma virtude: exprimem a verdade. A tendência para julgar as pessoas pelo dinheiro ou bens que possui ou que aparentam ter, não é confiada apenas a uma classe da sociedade. Todos nós temos muito dela, quer reconheçamos ou não o fato. Numa empresa, o fundo de reserva é essencial para fazermos operações eficientes em quaisquer negócios, do mesmo modo, as economias são essenciais para o triunfo individual. Sem fundos de economia, o indivíduo sofre por dois lados; primeiro, pela incapacidade de agarrar as oportunidades que aparecem apenas para as pessoas que possuem algum capital, e em seguida pelos tremendos embaraços que surgem numa emergência. INICIATIVA E LIDERANÇA “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se a em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno”. Salmos 139.23-24. Iniciativa e liderança são termos associados, pois a liderança é essencial para a consecução do triunfo, e a iniciativa é a verdadeira 42
  41. 41. SERVINDO A DEUS base sobre a qual é construída essa qualidade necessária que se chama liderança. A iniciativa é tão essencial ao triunfo como o eixo é essencial para a roda. O que é iniciativa? É a qualidade rara, e muito rara que incita, ou antes, impele a pessoas a fazer o que é preciso, sem, ser necessário que alguém lhe mande fazer. Ou, a iniciativa consiste em se fazer o que é preciso sem ser necessário que alguém nos mande fazer. Existem as pessoas acima, e em seguida, vem àqueles que fazem o que é preciso, bastando para isso que se lhes diga uma vez. Porém, veja bem, existem os que levam as mensagens, adquirem horas, mas nem sempre o pagamento é proporcional. Em segundo lugar, virão, os que não fazem o que é preciso senão quando a necessidade os obriga. Esses recebem a indiferença e uma paga mesquinha. Finalmente, temos o indivíduo que não faz nada direito, mesmo que alguém lhes mostre a maneira certa de fazer e fique observando; este está sempre desempregado, é tratado com o desdém que merece a menos que tenha um pai rico, e neste caso. o destino fica pacientemente a sua espera. Uma das peculiaridades da liderança é que essa qualidade nunca se encontra entre os que adquiriram o hábito de tomar a iniciativa. A liderança é algo que devemos adquirir, pois não nasce espontaneamente. Ao procurarmos analisar todos os lideres que conhecemos, veremos que todos eles, não somente exerceram a iniciativa, como também se lançaram ao trabalho com um propósito definido. Veremos também que eram ou são dotados de muita confiança em si mesmos. 43
  42. 42. SERVINDO A DEUS A iniciativa é a grande chave que abre a porta da oportunidade, e é uma grande afirmativa, pois ela encerra também uma grande verdade. Delinearei agora o plano que deverás seguir para se tornar uma pessoa de iniciativa e um líder em seu campo de ação. Em primeiro lugar, deverás perder o hábito da demora, e eliminá-lo do seu material construtivo. O hábito de deixar para amanhã o que poderias ter feito ontem, é prejudicial, e nada poderemos realizar na vida, antes de nos livrarmos dele. O método pelo qual podemos nos livrar desse hábito indesejável é baseado no principio da auto-sugestão. Copie pois a formula seguinte, e coloque-a de maneira bem visível no seu quarto para que possas visualizá-la toda as manhã e todas as noites. Tendo escolhido meu objetivo principal definido, compreendo que é meu dever transformá-lo em realidade. Assim adquirirei o hábito de realizar todos os dias uma ação definida, que me fará dar um passo a mais para a consecução desse objetivo. Sei que a demora é um inimigo mortal de todos aqueles que desejam tornar-se lideres em qualquer empreendimento, e, assim, eliminarei esse hábito da minha vida do seguinte modo: a - Fazendo todos os dias ao menos uma coisa definida que precisa ser feita sem que seja necessário alguém me dizer que devo ou não faze-la. b – Olharei em volta de mim todos os dias, até encontrar uma coisa que fazer e que seja útil para minha empresa e meus colegas, e vou faze-la sem esperar uma recompensa. c – Falarei pelo menos a uma pessoa, todos os dias sobre a importância que tem o hábito de fazermos o que tem de ser feito, sem a necessidade de que alguém o ordene. 44
  43. 43. SERVINDO A DEUS Posso verificar que os músculos do meu corpo se tornam fortes à proporção que são usados; assim compreendo que o hábito da iniciativa se torna fixo na mesma proporção em que for exercitado. Quanto mais eu praticar esse hábito mais decisivo ele se tornará. Compreendo que pela prática do hábito de tomar a iniciativa em todas as coisas relacionadas com a minha ocupação de todos os dias, não somente desenvolverei esse hábito, como atrairei a atenção daqueles que darão mais valor ao meu trabalho, notando os meus esforços. Seja qual for a nossa ocupação, todos os dias nos encontraremos sempre uma oportunidade de sermos úteis aos outros, independentemente dos nossos deveres habituais. Prestando esse serviço adicional, sabemos naturalmente que não poderemos esperar pagamento pelo mesmo. Prestaremos esse serviço porque eles nos proporcionam meios de exercitarmos e de desenvolvermos e nos tornarmos mais fortes em nosso espírito de iniciativa que queremos possuir. Em todo campo do esforço humano, aquele que se destaca como primeiro, tem de viver constantemente à luz da publicidade. Onde quer que se encontre a liderança, sob qualquer forma a emulação e a inveja, estarão em campo, lideradas por pessoas a quem estaremos incomodando, que tentarão por todos os meios nos derrubar. Quando o trabalho de um homem se torna um padrão para todo mundo, se torna também um alvo para as arremetidas dos invejosos. Se o seu trabalho é apenas medíocre, ninguém se importará com ele, mas se conseguir realizar um bom trabalho ou uma obra-prima, um milhão de faladores se preocuparão com você. 45
  44. 44. SERVINDO A DEUS A inveja não projeta a sua língua contra o artista medíocre, ninguém procurará ultrapassar ou caluniar um artista cuja obra não traz em si a marca do gênio. Muito tempo depois de realizado um grande trabalho, ainda os invejosos e desapontados continuarão a gritar que não é possível realizá-lo. O condutor é atacado justamente por ser o condutor, e o esforço para igualá-lo não é mais que uma prova de sua liderança. Não conseguindo igualá-lo, o vulgo procurará destruir ou depreciar o seu trabalho, porém não faz mais do que confirmar a superioridade daquele que se esforça por suplantar. Não há nada de novo em tudo isso. A inveja, o medo, a cobiça, a ambição, o egoísmo e o desejo de elevar-se, são tão velhos quanto o mundo em que vivemos e as paixões humanas. E tudo isso de nada serve, se o líder é verdadeiramente um líder e tem a consciência de que fez e está fazendo o melhor possível; ele continuará sendo. “Senhor, tu tens sido o nosso refúgio, de geração em geração. Antes que os montes nascessem e se formasse a terra e o mundo, de eternidade a eternidade, tu és Deus”. Salmos 90.1-2. 46
  45. 45. SERVINDO A DEUS A IMAGINAÇÃO “Senhor, tu me sondas e me conheces. Sabes quando me assento e quando me levanto; de longe penetras os meus pensamentos. Esquadrinhas o meu andar e o meu deitar e conheces todos os meus caminhos. Ainda a palavra não me chegou à língua, e tu, Senhor, já a conheces toda. Tu me cercas por trás e por diante e sobre mim pões a mão”. Salmos 139.1-5. A imaginação é a oficina do espírito humano, onde as velhas idéias e os fatos estabelecidos podem ser reunidos em novas 47
  46. 46. SERVINDO A DEUS combinações e empregados de novas maneiras. A imaginação tem sido chamada de poder criador da mente, mas este termo é um tanto abstrato e profundo, pois normalmente é empregado pelas pessoas apenas como um meio de se conseguir vantagens materiais e bens financeiros. Nunca teremos um objetivo definido em nossa vida ou uma autoconfiança, iniciativa e liderança, se não criarmos primeiro essas qualidades na imaginação, vendo-nos já de posse das mesmas. Da mesma forma que o carvalho nasce do germe que existe na semente, e o pássaro se desenvolve do germe que dorme no ovo, assim também as nossas realizações nascem de planos organizados que criamos na nossa imaginação. Primeiro vem o pensamento; em seguida a sua realização e organização em idéias e planos, e finalmente a transformação desses planos em realidade. O começo, como vemos, está na imaginação. Ela tanto é interpretativa como criadora. Pode examinar fatos, conceitos e idéias, e pode formar com eles novas combinações e planos. Através de sua capacidade interpretativa, a imaginação tem uma força que geralmente não lhe é atribuída. Ela tem o poder de registrar vibrações e ondas de pensamentos postas em movimento por forças exteriores, do mesmo modo que o aparelho de rádio capta vibrações do som. O principio por meio do qual funciona essa capacidade interpretativa da imaginação chama-se telepatia, isto é a comunicação do pensamento de um cérebro a outro, em grandes distâncias, sem o auxílio de instrumentos físicos ou mecânicos. A telepatia é um fator importante para você que se prepara para fazer uso da imaginação, porque esta capacidade telepática da 48
  47. 47. SERVINDO A DEUS imaginação está sempre captando ondas e vibrações de pensamentos de toda espécie. Os chamados estalos ou inspirações que levam o indivíduo a formar uma opinião ou tomar uma decisão no decorrer de um ato que não está em harmonia com a lógica e a razão, são usualmente o resultado de ondas de pensamentos registrados na imaginação. A fim de que possas compreender a que ponto são intimamente ligados as partes sobre as quais estou falando, consideremos por exemplo o que acontece quando um vendedor que perde a confiança em si mesmo e nas mercadorias que vende; e vai visitar um cliente em perspectiva. Quer este tenha ou não confiança de fato, a sua imaginação apreende imediatamente a falta de confiança no espírito do vendedor, Os seus próprios pensamentos conspiram contra os seus esforços. Isto explicará, de outro ângulo, porque motivo a autoconfiança é fator importante que entra na grande luta pelo triunfo na vida. O princípio da telepatia e a lei da atração explicam muitos fracassos. Se a mente tem a tendência para atrair do éter as vibrações de pensamentos que se harmonizem com os pensamentos dominantes de outras mentes, podemos facilmente compreender porque razão uma mente negativa, que mergulha no fracasso, e não possui a força revitalizadora da confiança em si mesma, deixa de atrair uma mente positiva dominada por idéias de triunfo. Se cada empreendimento é a proteção da sombra de um homem, conforme declarou Emerson, é claro que o homem deve refletir confiança, entusiasmo sadio e harmonia, para que estas qualidades possam por sua vez, serem refletidas em todos os que auxiliam no seu trabalho. 49
  48. 48. SERVINDO A DEUS Você jamais conhecerá a sua capacidade, antes de aprender a maneira de aliar os seus esforços com a imaginação. O trabalho de nossas mãos, sem imaginação, dará apenas alguns lucros, porém quando dirigido de maneira adequada, poderá conquistar toda a riqueza de que precisamos. Existem dois meios de tirar lucro da imaginação, a saber: primeiro, desenvolvendo essa qualidade na própria mente; segundo, associando-se com alguém que já a tenha desenvolvido. Assim, se você sentir que sua própria imaginação, é inadequada, deverá formar uma aliança com alguém cuja imaginação seja suficientemente desenvolvida para suprir a sua deficiência. E para isso, existem várias formas de aliança. Por exemplo, há a aliança pelo casamento, a aliança comercial, a aliança com amigos e, a que existe entre empregados e empregadores; chefes e subordinados. Seja qual for o nosso meio de vida, há sempre lugar para a imaginação. Se o vento da fortuna sopra temporariamente contra nós, lembremos de poder dominá-lo e procurar fazer com ele nos leve em busca do nosso objetivo. Basta para isso fazer um bom uso da imaginação. O papagaio do êxito se ergue contra o vento, e não com ele. Há ainda uma outra forma de aplicar a imaginação, e errada, isto é, quando um rapaz ou moça acha que já sabe mais da vida do que os seus próprios pais. Porém essa forma é sempre sujeita a modificarse com o tempo. Meus filhos já me ensinaram o que o meu pai tentou em vão me ensinar, quando eu tinha a idade deles. O tempo e a imaginação – que é muitas vezes um produto do tempo – os ensina 50
  49. 49. SERVINDO A DEUS muito, porém a coisa mais importante que aprendemos com eles é o seguinte: “Todos os homens se parecem uns com os outros, de muitas maneiras”. A escolha de um objetivo definido exige o uso da imaginação e decisão. O poder da decisão aumenta com a prática. A pronta determinação força a criar um objetivo definido e torna mais poderosa a sua capacidade para chegar a decisões, em outros assuntos. As adversidades e as derrotas temporárias são em geral males que vem para o bem, pois forçam o individuo a fazer o uso da imaginação e decisão. É por isso que uma pessoa sempre luta com maior ardor quando sabe que tem atrás de si uma parede, e que não há um caminho para uma retirada. Chega logo a decisão de lutar, em vez de fugir. A imaginação nunca é tão ativa como quando o indivíduo se encontra diante de alguma emergência que lhe exigirá pronta decisão e ação definitiva. Nesses momentos de emergências, as pessoas chegam a decisões, constroem planos, fazem uso da imaginação, de tal maneira que passam a ser olhados como gênios. Muitos gênios nasceram assim, da necessidade de dar um estímulo fora do comum à imaginação, em conseqüência de qualquer experiência que exija pensamentos rápidos e pronta decisão. “Pois o Senhor conhece o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios perecerá”. Salmos 1.6. 51
  50. 50. SERVINDO A DEUS O AUTOCONTROLE “Bem-aventurados os irrepreensíveis no seu caminho, que andam na lei do Senhor. Bem-aventurados os que guardam as suas prescrições e o buscam de todo coração; não praticam iniqüidades e andam nos seus caminhos”. Salmos 119.1-3. Já aprendemos o valor do entusiasmo, e também a maneira de criar o entusiasmo e de transmitir a sua influência aos outros por meio do principio da sugestão. Passemos agora a estudar o autocontrole, isto é o controle de si mesmo, por meio do qual podemos dirigir os nossos entusiasmos para fins construtivos. Sem autocontrole, o entusiasmo se assemelha à luz do raio; pode atingir um ponto qualquer, pode destruir vidas e propriedades. O entusiasmo é a qualidade vital que desperta o indivíduo para a ação, ao passo que o autocontrole é o fiel da balança 52
  51. 51. SERVINDO A DEUS que dirige a ação, de modo que seja sempre construtiva e não destrutiva. O autocontrole se torna um fator importante porque a sua falta causa sérios danos aos que se tornam vitimas dela, como também porque aqueles que não o exercem perdem uma grande força indispensável na luta pela consecução do objetivo definido. Se você se descuidar de exercer o autocontrole é provável que esteja prejudicando os outros e pode ter certeza de que está prejudicando a si mesmo. Vamos examinar agora o significado da expressão autocontrole ou domínio de si mesmo, tal como aparece em muitas pessoas. Para isso vamos descrever a conduta habitual de uma pessoa que possua essa qualidade. Uma pessoa de autocontrole bastante desenvolvido não se deixa arrastar pelo ódio, inveja, ciúme, medo, vingança ou qualquer outra forma de emoção destrutiva. Uma pessoa que tenha um autocontrole desenvolvido não irá cair em êxtase, nem se entusiasmar exageradamente por causa de pessoa alguma. A violência, o egoísmo, a aprovação de atos sem um acurado exame, indicam a falta de autocontrole, numa de suas formas mais perigosas. A confiança em si mesmo é um dos fatores primordiais do triunfo, mas, quando esta faculdade se desenvolve além do razoável, torna-se perigosíssima. O sacrifício pessoal é uma qualidade recomendável, mas quando levado ao extremo, também se torna uma perigosa forma de autocontrole. Temos para conosco o dever de não permitir que as emoções concentrem a nossa felicidade na conservação da felicidade 53
  52. 52. SERVINDO A DEUS dos outros. O amor é essencial à felicidade, mas a pessoa que ama profundamente a ponto de sua felicidade depender inteiramente da outra pessoa, assemelha-se ao cordeiro que entra na toca do lobo, e lhe pede para dormir ali. Uma pessoa que tem o autocontrole não se deixará influenciar pelos cínicos e pelos pessimistas, nem permitirá que outros pensamentos que não os seus venham a agir por ela. Esta pessoa entusiasmará e estimulará a sua imaginação e seu entusiasmo até que os mesmos produzam a ação. Ela não odeia os que pensam de modo diferente; pelo contrário, se esforçará por compreender o motivo do desacordo e tentará tirar as vantagens que puder desse fato. Vejamos agora uma falta de controle que é mais prejudicial do que todas as formas combinadas: O hábito de formar opiniões antes de analisar os fatos. Ninguém tem o direito de formar uma opinião que não seja baseada naquilo que se julga sinceramente ser verdade, ou então em alguma razoável; entretanto, se nos examinarmos cuidadosamente, verificaremos que costumamos formar opiniões na base do que desejaríamos ou não acreditar. Outro, o hábito de gastar mais do que é necessário. Estamos numa era de gastos e de velocidade, e o pensamento dominante na maioria das pessoas é procurar viver com mais velocidade do que os nossos vizinhos ou amigos. O homem é um animal por excelência. Achamos difícil deixar de fazer o que vemos os outros fazerem. 54
  53. 53. SERVINDO A DEUS Naturalmente tal advertência não se aplicará a você. Destina-se aos que estão acorrentados à pobreza, gastando mais do que conseguem ganhar, e não ouviram falar ainda que existem leis que precisam ser respeitadas por todos os que almejam triunfar na vida. A autodisciplina é o fator essencial no desenvolvimento do poder pessoal, pois torna fácil controlar a tendência a gastar mais do que se ganha, e o hábito de responder a tudo o que se ouve ofensivo, bem como os destruidores que desperdiçam as nossas energias com esforços não produtivos. Pelos atos se conhecem as pessoas. Se seus atos são construtivos e está em paz consigo mesmo, não terás necessidade de dar explicações, pois seus atos falarão por si mesmos. O mundo cedo esquece os demolidores. Não ergue monumentos e não concede honrarias senão aos construtores. Para conseguir o triunfo no sentido mais amplo e verdadeiro, devemos conquistá-lo por meio do domínio de nós mesmos. Somente assim adquiriremos o equilíbrio. O homem é o produto de um milhão de anos de transformações evolutivas. Desde gerações sem conta, Deus vem temperando e aprimorando o material que entra na formação do homem. Pouco a pouco foi removido nas gerações precedentes os instintos animais e as paixões baixas, até que começou a produzir na terra o mais perfeito espécime que existe. Dotou-nos de razão, equilíbrio e a medida para nos tornar mais capazes de controle e de fazer conosco o que quisermos. Nenhum outro ser vivente foi dotado de tanto domínio de si mesmo como o homem, ao qual Deus deu o poder de usar a forma de energia mais altamente organizada que se conhece: o pensamento. 55
  54. 54. SERVINDO A DEUS Não é improvável que o pensamento seja o elo mais próximo entre as coisas materiais e o mundo da divindade. Não somente temos o poder de pensar, como também e o que é mais importante, temos o poder de controlar os nossos próprios pensamentos e dirigi-los à vontade. Podemos selecionar o material que produzirá o nosso pensamento, e a isso chamamos de auto-sugestão. Podemos também permitir que outros escolham o material para os nossos pensamentos, e isso é sugestão. É na verdade humilhante que a maioria dos pensamentos sejam produzidos por sugestões vindas de fora, de outros e é ainda mais humilhante ter de admitir que a maioria dentre nós aceita tais sugestões cegamente, sem verificar ou examina-las na sua veracidade ou não. Lemos jornais, vemos televisão todos os dias como se o que neles se escrevesse ou falasse fossem baseados nos fatos. Deixamonos levar pelos outros como se tudo o que dizem fosse a expressão da verdade pura e simples. O pensamento é a única coisa neste mundo sobre a qual temos um controle absoluto; entretanto a não ser que você seja uma exceção, isto é um entre mil, permitirá que os outros penetrem e aí depositem, por meio da sugestão, temores, infelicidade, adversidades e idéias falsas. Temos dentro de nós o poder de selecionar o material que constituirá os pensamentos dominantes do nosso espírito e você pode ter a certeza absoluta de que os pensamentos que dominarem o seu cérebro serão os que o levarão ao fracasso ou ao triunfo na vida, de acordo com a sua natureza. Você está em busca de uma chave que lhe abrirá a porta das origens do poder. Entretanto tem nas mãos essa chave e poderá fazer uso dela, desde que aprenda a controlar seus pensamentos. 56
  55. 55. SERVINDO A DEUS Fixe em sua mente pensamentos construtivos, positivos, que se harmonizem com o seu objetivo definido, e a sua mente transformará esses pensamentos em realidade, que lhe restituirão como um produto acabado. Quando escolhemos deliberadamente os pensamentos que dominam nosso cérebro e nos recusamos firmemente a aceitar sugestões de fora, sem antes analisa-las, estamos exercendo um autocontrole, na sua forma mais eficiente e elevada. Coloquemos, pois no espírito, deliberadamente a espécie de pensamentos que mais desejemos, e não deixemos que nele se instalem os pensamentos que outras pessoas desejem incutir em nós, por meio da sugestão e, assim nos tornaremos pessoas dotadas de autoconfiança e autocontrole. Este privilégio de estimular o espírito com sugestões e pensamentos escolhidos por nós mesmos é um poder que nos foi dado pela divina providência. Se exercermos esse santo direito, nada haverá dentro dos limites do possível que esteja além de nós. Se perdermos a calma, com ela perderemos os nossos argumentos e as nossas transações. E assim, tudo em nós indicará uma pessoa que não se familiarizou com os fundamentos sobre os quais se baseia o autocontrole e o principal desses fundamentos é o privilégio de escolher nossos pensamentos que irão dominar o nosso cérebro. Nós seres humanos somos limitados apenas pelos nossos desejos. Quando o nosso desejo é muito forte, daremos a impressão de possuirmos poderes sobre-humanos de realização. Se você se encontrar num prédio em chamas e verificar que todas as portas e janelas estão fechadas, tudo indicará que procurará forçar uma saída para livrar-se da morte, pois é seu desejo salvar a própria vida. 57
  56. 56. SERVINDO A DEUS Se você desejar adquirir, por exemplo, a arte de negociar com inteligência e se estiveres convencido de que isso terá importância para a consecução de seus objetivos, fará também o mesmo contanto que o seu desejo seja realmente forte. Lance na sua mente, a semente de um desejo forte e construtivo, fazendo o seguinte credo moral: “Desejo ser útil aos meus semelhantes durante esta minha curta jornada, e para isso estou adotando esse credo como uma norma que devo seguir nas minhas relações com as outras pessoas. Procurarei educar a mim mesmo de tal maneira que jamais encontre falsidade nos outros, mesmo que esteja em desacordo com eles ou que o seu trabalho eu venha a achar inferior, enquanto que eles estão sendo sinceros e fazendo o melhor que podem. Respeitarei a minha pátria, a minha Igreja, o meu pastor, a minha profissão, o meu emprego, onde ganho o meu sustento e a mim mesmo. Serei honesto e justo para com meus semelhantes tanto quanto desejo que sejam comigo. Serei uma pessoa cujo nome vai merecer respeito em toda a parte. Basearei minhas expectativas de recompensas no fundamento sólido do serviço prestado, e desejarei pagar sempre o preço do triunfo com um esforço honesto. Olharei para o meu trabalho como uma oportunidade para ser aproveitada com alegria, e não como algo que se deverá suportar com sacrifícios. Esperarei por dificuldades e abrirei meu caminho através delas. Evitarei a demora em todas as suas formas e nunca deixarei para amanhã o que deverei fazer hoje. Finalmente participarei com alegria das alegrias da vida, de modo a ser cortes para com os meus semelhantes, leal para com meus amigos e sincero para com Deus, o qual está sempre suavizando minha jornada”. A energia que a maioria das pessoas desperdiçam com a falta de controle, se organizada e empregada de maneira construtiva, 58
  57. 57. SERVINDO A DEUS suprimiria a todas as nossas necessidades e a todos os nossos confortos desejados. O tempo em que muitas pessoas gastam ao falar da vida alheia, se fosse aproveitado de maneira útil, seria suficiente para elas poderem atingir o seu objetivo definido, se é que alguém tem algum. Todas as pessoas que triunfam na vida são dotadas de autocontrole em grande medida. Todos os que fracassam tem quase sempre nota muito baixa, nessa importante lei da conduta humana. 59
  58. 58. SERVINDO A DEUS O HÁBITO DE FAZER MAIS DO QUE A OBRIGAÇÃO “Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens, ciente de que recebereis do Senhor a recompensa da herança. A Cristo, o Senhor; é que estais servindo”. “Colossenses 5.23-24. Pode parecer que estarei me afastando do objetivo do título com uma dissertação sobre o amor. Mas, se você tiver um pouco de paciência e terminar a leitura, creio que concordará em que essa questão do amor não poderia ter sido omitida. A palavra amor será empregada aqui num sentido muito geral e amplo. Há muitos objetos, motivos e pessoas que despertam em nós o sentimento do amor. Há trabalhos de que não gostamos, pessoas que nos agradam moderadamente e, sob certas condições há trabalhos que amamos realmente e pessoas que adoramos. Os grandes artistas amam ao seu trabalho. O trabalho diário, por outro lado, em geral não somente achamos desagradável, como podemos até detestá-los. 60
  59. 59. SERVINDO A DEUS O trabalho que você executa unicamente com o intuito de ganhar dinheiro, raramente irá amar; na maioria das vezes será desagradável ou até mesmo detestado. Quando nos ocupamos de um trabalho que nos dá prazer, poderemos trabalhar durante longas horas, sem sentirmos o cansaço. O trabalho que desperta ódio ou aborrecimento, logo nos trará a fadiga. A nossa resistência depende pois, em grande parte da satisfação, insatisfação ou prazer que sentimos no que estamos fazendo. O homem será mais eficiente, mais rápido e obterá melhores resultados quando se empenhar num trabalho pelo qual sente amor ou que realizar em benefício da pessoa amada. Sempre que o elemento amor entra em qualquer tarefa que realizamos, a qualidade do trabalho irá melhorar bastante, e aumentará a sua quantidade, sem que haja aumento correspondente de fadiga. Quando o homem está empenhado num trabalho que lhe agrade, não sentirá dificuldade em fazer mais e melhor trabalho do que é a sua obrigação, e, é por essa razão que todos nós devemos a nós mesmos fazer o possível para encontrarmos a espécie de trabalho que mais nos agrade. O homem que se empenha num trabalho que mais lhe agrade nem sempre conta na sua escolha, com o apoio dos amigos mais íntimos e de seus parentes, precisando lançar mão de uma grande parte de suas energias, muitas vezes durante anos, com o fito de chegar a um ponto em que passará a ter esse apoio. Geralmente os principais obstáculos no caminho daqueles que desejam dedicar-se ao seu trabalho preferido são apresentados pelo fato de que nem sempre o trabalho pelo qual se sente mais amor é lucrativo. 61
  60. 60. SERVINDO A DEUS Entretanto, essa desvantagem, a única encontrada por quem se dedica a um trabalho preferido, é geralmente recompensada por dois grandes benefícios: Primeiro: geralmente a pessoa encontra no trabalho a maior de todas as recompensas, uma felicidade sem precedentes. Segundo: a sua recompensa em dinheiro, quando comparada com o esforço de uma vida inteira, é sempre maior, pela simples razão de que o trabalho realizado com amor é, quase sempre em quantidade maior e de melhor qualidade. Há dezenas de razões demonstrando que se deve gostando ou não, de se desenvolver o hábito de prestar um serviço maior que é nossa obrigação. Entretanto, existem duas razões que transcendem as demais: Primeiro: estabelecendo a reputação de ser uma pessoa que presta mais e melhores serviços do que é seu dever prestar, ganharemos em comparação com os que nos cercam e que assim não o fazem, e o contraste será tão notável que haverá grande procura por nossos serviços, seja qual for o nosso gênero de atividade. Segundo: a razão mais importante que se tem para agir assim, a razão básica e fundamental, pode ser descrita nos seguintes termos: Suponhamos que alguém desejasse desenvolver mais o braço direito e que fizesse isso atando o braço esquerdo ao lado do corpo com uma corda, tirando-lhe assim todo o uso, e deixando-o um longo tempo em repouso. Essa inação traria em resultado a força no braço direito, 62
  61. 61. SERVINDO A DEUS mas traria também uma atrofia e fraqueza ao braço atado, podendo a pessoa a acabar perdendo o braço. Sabemos que para conseguir ter o braço direito bastante forte, o único meio é trabalhar com ele o mais arduamente possível. Observemos o braço de um ferreiro, se desejarmos saber de que maneira um braço pode adquirir força. Da resistência nasce a força, a arvore mais forte de uma floresta não é a que fica protegida pela sombra e abrigada do sol, e sim a que fica a descoberto, e que é forçada a lutar pela existência, contra os ventos e a chuva. É por meio dessa operação de uma das leis invariáveis de Deus, que a luta e a resistência desenvolve a força, e o objetivo dessa parte é mostrar a você a maneira de dominar isso, de modo a lhe auxiliar nessa luta. O hábito de prestar mais e melhores serviços do que é a sua obrigação de fazer, não somente o tornará mais prestimoso, como também desenvolverá de maneira extraordinária a sua capacidade e contribuirá para lhe fazer adquirir uma reputação que lhe será muito valiosa. Se formarmos esse hábito, nos tornaremos tão hábeis no nosso trabalho que poderemos exigir uma melhor remuneração do que aqueles que se descuidam disso. Você que é empregado pode assim tornar-se tão valioso a ponto de poder fixar o seu próprio salário, e nenhum empregador sensato procurará evitar isso. Se um empregador tiver a imprudência de tentar retirar a um empregado a compensação a que ele faz jus, esse empregado não ficará prejudicado por muito tempo, pois outros patrões descobrirão as suas qualidades excepcionais e lhe oferecerão emprego. 63
  62. 62. SERVINDO A DEUS O fato de que a maioria das pessoas faz apenas o necessário para permanecer no emprego, é uma vantagem para todos os que assim agem e lucram, quando comparados com os outros. Trabalhando o menos possível, uma pessoa pode conservar o emprego, mas não passará disso, e, quando escassear o trabalho, essas pessoas serão as primeiras a serem dispensadas. Agora, detenha-se caso tenha a intenção de responder com o costumeiro argumento: “Mas o meu patrão é diferente”. Você nem mesmo deve pensar em tal coisa. Sem dúvida que o seu patrão é diferente. Todos os homens são diferentes a muitos respeitos, mas são muito semelhantes nisso: Todos eles serão sempre uns tanto egoístas; de fato serão bastante egoístas, se não desejarem um ótimo funcionário que arriscasse a sua sorte com um competidor, e esse egoísmo pode servirlhe como um ativo e não como um passivo e responsabilidade. Se você tem capacidade para tornar-se tão hábil, a pessoa que necessita dos seus serviços não poderá de modo algum passar sem eles. Isto não é uma invenção minha, nem pretendo ter descoberto que o hábito de prestar mais e melhores serviços do que é a nossa obrigação, constitui um meio de fazer uso dessa lei. O que fiz, foi unicamente me apropriar de uma descrição do Crow, e você poderá igualmente apropriar-se dela, depois de ter compreendido o seu significado. 64
  63. 63. SERVINDO A DEUS Você poderá iniciar esse processo de apropriação tentando uma experiência, que pode facilmente abrir-lhe os olhos, e por em apoio dos seus esforços, poderes que não julgava possuir. Porém não tente a experiência com o mesmo espírito com que certa mulher quis experimentar naquela passagem da bíblia, que se refere ao poder miraculoso da fé. A bíblia dizia: “se tiveres a fé de um grão de mostarda e disserdes a aquela montanha muito alta, que se transporte para outra parte, ela se transportará”. A mulher em questão morava perto de uma montanha que podia avistar da porta de sua casa. Uma noite ao recolher-se, ordenou enfaticamente à montanha que se transportasse para outro lugar. Na manhã seguinte, saltou da cama e correu para a porta, mas, infelizmente a montanha continua lá, firme no mesmo lugar. É exatamente o que esperava, exclamou. Sabia que a montanha permaneceria lá. Peço que tente a experiência com fé absoluta, pois ela marcará um dos pontos decisivos mais importantes de sua vida. Peço-lhe que tome como objeto da sua experiência uma montanha que se oponha à sua entrada no templo do triunfo. E qual será essa montanha, perguntará você. Essa montanha é a idéia de que estás sendo logrado, quando não recebes pagamento em dinheiro pelos serviços que presta a mais. Esse sentimento pode estar se expressando inconscientemente, e destruindo até mesmo os alicerces do seu templo do triunfo de diversas maneiras que você não observou ainda. 65
  64. 64. SERVINDO A DEUS Nos tipos mais baixos da humanidade, tal sentimento em geral procura externar-se mais ou menos nos seguintes termos: Não ganho para fazer tal coisa, e portanto não serei idiota para trabalhar feito um burro de carga e ainda mais de graça. O triunfo precisa ser atraído por meio da compreensão e da aplicação de leis que são imutáveis, como a lei da gravidade. Ele não pode ser pego a laço como a um boi. Por esse motivo, peço que faça a experiência que aqui descrevo, com o objetivo de familiarizar-se com uma das coisas: a lei do aumento de lucro. Durante os próximos seis meses, decida-se a prestar pelo menos a uma pessoa, serviços pelos quais não espera, nem aceitará pagamento em dinheiro. Procure saber como funciona a empresa em que trabalha, e procure aprender todas as rotinas possíveis que nela são realizadas, podendo com isso ajudar a todos com os seus conhecimentos, ajudando-os em suas tarefas ou a tomar decisões sobre problemas rotineiros, antes que eles sejam levados ao seu patrão ou ao seu superior imediato. Realizada com fé essa experiência, ela revelará uma das mais importantes e poderosas leis que entram na consecução do triunfo permanente, e garanto-lhe, não o decepcionará. Fazendo essa experiência com um estado de espírito apropriado, você descobrirá o que já foi revelado a todos os que a aplicaram. 66
  65. 65. SERVINDO A DEUS Ninguém pode prestar um serviço qualquer sem receber recompensa, da mesma maneira que não é possível recusar-se a prestar um serviço sem sofrer a perda da recompensa. Causa e efeito, meios e fins, semente e fruto; eles não podem ser separados, nos diz Emerson, pois o efeito sempre aparecerá na causa, o fim preexiste nos meios, o fruto na semente. Se trabalharmos para um patrão mal-agradecido, vamos nos esforçar ainda mais, pois é para Deus que trabalhamos. A cada esforço nosso, receberemos a paga. Quanto mais demorar o pagamento, melhor para nós, pois o receberemos com juros e correção monetária. A lei de Deus é, esforce-se e terá o seu prêmio, mas os que não esforçam não a adquirem. Em geral o homem é atormentado pela idéia de que está sendo enganado, de que estão se aproveitando de sua ingenuidade. Mas é impossível que um homem seja enganado senão por ele mesmo. Mas há em nossas negociações uma terceira parte que é muda. Deus se encarrega de providenciar o cumprimento de todos os contratos, de modo que um serviço honesto não pode ser perdido. Em vez de dizer às pessoas: mostre-me seu dinheiro e eu mostrarei o que posso fazer, invertamos a regra dizendo: deixe que eu lhe mostre os meus serviços, de maneira a poder olhar para o seu dinheiro; se gostar de meus serviços. Todos nós temos de prestar mais e melhores serviços do que é nossa obrigação, pois isso coloca inteiramente sobre os nossos ombros a responsabilidade que assumimos. Uma das verdades mais essenciais e mais duras que aprendi, é que cada pessoa deve ser o seu próprio mestre. Todos nós somos 67
  66. 66. SERVINDO A DEUS hábeis em arranjar álibis e desculpas para apoiar os nossos erros. Não procuramos enfrentar os fatos e realidade tal como são, e sim como desejaríamos que fosse para nós. Preferimos a lisonja e a ilusão, a uma verdade fria e dura, e aí é que está o ponto mais fraco nos homens. Além disso, nos revoltamos sempre contra aqueles que ousam nos mostrar a verdade, em nosso próprio benefício. E isto um dia terá de acabar, o homem terá de evoluir, e um dia terá evoluído o bastante para sanar automaticamente essa grande falha. 68
  67. 67. SERVINDO A DEUS UMA PERSONALIDADE ATRAENTE “Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio”. Salmos 90.12 O que é uma personalidade atraente? Naturalmente a resposta será: uma personalidade que atraí. Mas, o que é que faz com que uma personalidade atraia? E é isto mesmo, que vamos tentar lhe expor. Nossa personalidade é a soma total das características e sinais peculiares que nos distinguem de todas as outras pessoas. As roupas que vestimos, os traços do nosso rosto, o tom da nossa voz, os nossos pensamentos, tudo isso faz parte da nossa personalidade. Se nossa personalidade é atraente ou não, isso é coisa diferente. A parte mais importante da personalidade é a que represente o nosso caráter, a parte que não é visível. Os estilos das roupas, a sua propriedade, desempenham uma parte importante nessa questão de personalidade, pois é uma verdade que todos formarão a primeira impressão sobre uma pessoa pelo que observarem da sua aparência externa. 69
  68. 68. SERVINDO A DEUS Até mesmo a maneira de apertar a mão forma uma parte importante na nossa personalidade, tem muita importância quanto a atrair ou a repelir as pessoas, e tal arte pode ser cultivada. A expressão dos olhos também desempenha uma parte muito importante quanto à personalidade, pois há pessoas, muito mais numerosas do que se possa imaginar, que podem ver através dos nossos olhos, os corações e desvendar o que neles está escrito. Agora, vejamos de que maneira podemos arranjar essa exterioridade, de modo que sirva para dar expressão a nossa personalidade e para que atraia sempre. Há um meio de expressar esse conjunto, esse meio é o seguinte: Tomar sempre um interesse profundo e sincero pelo que os outros fazem. Nos olhamos para uma pessoa que venceu na vida e admiramos que tenha conseguido triunfar, mas nos descuidamos de analisar os seus métodos e esquecemos também o preço que ela teve que pagar, para a preparação cuidadosa e bem organizada que foi necessária, antes que pudesse colher os frutos dos seus esforços. Você não está encontrando aqui um só princípio novo: todos eles são tão velhos quanto à civilização, entretanto apenas poucos sabem aplicá-los. Sem dúvida haverá alguém que interprete mal o princípio que procuro agora deixar bem claro e tire daí uma conclusão de que qualquer tipo de adulação barata poderá substituir um interesse genuíno e sincero. Espero que você não seja um destes, e que compreenda a verdadeira psicologia sobre a qual esta parte se baseará, que terá interesse em estudar as pessoas de modo a encontrar nelas ou 70
  69. 69. SERVINDO A DEUS no seu trabalho, algo que admire realmente, o que não será difícil. Apenas dessa maneira poderás desenvolver uma personalidade irresistivelmente atraente. Voltemos agora a nossa atenção para os modos e meios pelos quais uma pessoa poderá desenvolver uma personalidade atraente: Iniciemos com a primeira condição essencial, que é o caráter; pois ninguém poderá ter uma personalidade atraente se não possuir a base de um caráter integro e verdadeiro. Pois, por meio da telepatia, telegrafamos a natureza de nosso caráter às pessoas com quem entramos em contato, sendo isso responsável pelo que chamamos de intuição, um sentimento que temos de que as pessoas de que acabamos de encontrar, mas sobre a qual nada sabemos, não merece a nossa confiança. Podemos mostrar sorrisos artificiais para ocultar os nossos sentimentos e praticar a arte de apertar a mão de um modo tal que imitemos perfeitamente o gesto de uma pessoa que possua esta arte, mas se essas manifestações externas de uma personalidade atraente não forem o fator vital que se chama sinceridade de propósito, repelirão em vez de atrair. Como poderá, pois, alguém, construir um caráter? O primeiro passo: é observar uma autodisciplina rígida. Selecionar pessoas cujos caracteres são construídos na qualidade que deseje. Crie na sua imaginação uma mesa de trabalho ou conselho e reúna as suas personagens todas as noites. Junte personalidades que você admire e deseje imitar as qualidades. Redija uma declaração concisa das qualidades que você deseja adquirir de cada uma delas. 71
  70. 70. SERVINDO A DEUS Comece então a afirmar ou sugerir a você mesmo, em voz alta, que já começa a desenvolver em você em imaginação as figuras sentadas em torno dessa mesa imaginária. O segundo passo: é procurar dominar os seus pensamentos e conservar sempre a mente vitalizada com idéias de natureza positiva pelo menos dez vezes por dia; quando tiver alguns minutos para si, feche os olhos e dirija o pensamento para as figuras que escolheu; pense com uma fé que não conhece limites, que estás começando a tornar-se parecido com elas. Terceiro passo: procure todos os dias uma pessoa na qual encontre uma habilidade que mereça elogio e elogie. Lembre-se um louvor não de natureza barata, insincera, mas sim genuíno. Pronuncie suas palavras de elogio, com firmeza o bastante para impressionar a quem você falar. Esse processo de falar alto tem efeitos notáveis. Primeiro: põe em movimento, a vibração por meio da qual o pensamento que apóia as palavras vão se fixar no subconsciente. Segundo: desenvolve a capacidade para falar com firmeza e convicção que levará certamente a pessoa a tornar-se um bom orador. Terceiro: procure atrair para si pessoas, atraindo-se para eles. Quarto: procure sempre lembrar que a nossa única limitação, dentro do razoável, é a que estabelecemos na nossa própria mente. Se você cultivar os melhores pensamentos e ações no desenvolvimento de uma personalidade de caráter positivo e aprender a 72
  71. 71. SERVINDO A DEUS expressar-se com firmeza e convicção, terás desenvolvido uma personalidade, pois atrás dessas virão às outras qualidades. Há um grande poder de atração na pessoa que tem um caráter positivo, e este poder se expressa por meio de fontes visíveis e invisíveis. Desde o momento em que nos aproximamos de uma pessoa assim, mesmo que não tenhamos articulado uma única palavra, faz-se sentir a influência deste poder que vem de dentro de nós. Se você tiver subordinados, procure sempre levar uma palavra de incentivo e um genuíno elogio ao seu trabalho ou a sua postura, deixe as broncas e os puxões de orelhas para as suas falhas, e quando ocorrerem, e somente nestas horas. Com isso ele irá se sentir confiante em si mesmo e poderá render um melhor trabalho e lhe garanto que lhe será muito mais fiel, se for tratado com consideração e honestidade. Ele sempre corresponderá ao que lhe for solicitado, por mais penoso ou trabalhoso que seja. 73

×