Sócrates: Vida e obra

8.051 visualizações

Publicada em

Trata de um dos mais brilhantes filósofos que a humanidade já teve. A própria Filosofia se divide em duas grandes partes a dos pré-socráticos e a dos pros. Você certamente irá se apaixonar por esta forma de ensinar, levar o discente a parir a ideia é algo fantástico inventado pelo sábio Sócrates.

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.051
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
94
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sócrates: Vida e obra

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO - UFMA CAMPUS VII SEMINÁRIO DE FILOSOFIA TEMA: ANTONIO CARLOS MESQUITA DE SOUZA CODÓ-MA, MAIO DE 2012
  2. 2. ONDE E COMO? Na Grécia Século V a. C.
  3. 3. BIOGRAFIA Sócrates nasceu em Atenas, Grécia provavelmente em 470/469 a. C ; Era de origem humilde, filho de Sophroniscus, um escultor especialista em entalhar colunas nos templos e de uma parteira chamada Fenarete; Desde a juventude, Sócrates tinha o hábito de debater e dialogar com as pessoas de sua cidade, realizar seu trabalho em locais públicos ( nas praças públicas e ginásios) agindo de forma descontraída e descompromissada (pelo menos na aparência), dialogando com todas as pessoas, o que fascinava jovens, mulheres e políticos de sua época; Naturalistas: "O que é a natureza ou o fundamento último das coisas?"; Sócrates: "O que é a natureza ou a realidade última do homem?"
  4. 4. Biografia ( cont.) Sócrates foi casado com Xântipe e teve Lamprocles, e do segundo casamento com Myrto, filha de Aristides, Sophroniscus e Menexenus; De acordo com algumas fontes, Sócrates aprendeu a profissão de seu pai; Na obra de seu amigo Xenofonte, Sócrates aparece declarando que se dedicava àquilo que ele considerava a arte ou ocupação mais importante: maiêutica; Quanto à política, foi ele valoroso soldado e rígido magistrado. Mas, em geral, conservou-se afastado da vida pública e da política contemporânea, que contrastavam com o seu temperamento crítico e com o seu reto juízo. Em sua cela, foi condenado a suicidar-se tomando um veneno chamado cicuta, em 399 AC.
  5. 5. Missão de Sócrates Existe uma lenda que afirma que Sócrates começou a tornar- se naquilo que foi ao aperceber-se que não era nada; “conheci-te a ti mesmo”, ensinamento, método e atitude; Sócrates ( “... não é do acúmulo de riquezas das quais nasce a virtude, mas do aperfeiçoamento da alma é que nascem as riquezas e tudo o que mais importa ao homem e ao Estado.") Ensinar o homem a cuidar de sua própria alma seria a principal tarefa a ser desempenhada por ele ( Apologia de Sócrates, de Platão);
  6. 6. Método: A Ironia Utilizava-se sempre do diálogo; Aparentemente aceitava as respostas; Depois, por meio de interrogatório hábil, mostrava as tolices e absurdos de ideias superficiais; Destinava-se a levar o interlocutor à convicção do erro; Ela quer libertá-lo e abri-lo à verdade Imagem da localização da Ágora em Atenas
  7. 7. Método: A Ironia (cont. ) Sócrates foi comparado ora a uma tremelga ora a um moscardo. Justamente como a tremelga paralisa a sua presa, do mesmo modo Sócrates paralisava o interlocutor seguro de si próprio e que não via que o seu saber não era senão um pseudo-saber, uma ignorância que se ignora.
  8. 8. Método: A Ironia (cont. ) Como diz Kierkegaard: “a ironia não é a verdade mas o caminho, pois a ironia impede todo o homem de ter a última palavra pois no fundo não há palavra que possa ser dada como última.”
  9. 9. Método: A Maêutica A partir da opinião primitiva do interlocutor; Arte de fazer nascer ideia; trazer ao mundo a verdade que há dentro de cada um; “ … interrogo os outros, mas nunca manifesto o meu pensamento a cerca de nada.” Aspecto actual da antiga Ágora
  10. 10. DOUTRINAS FILOSOFICAS A introspecção é o característico da filosofia de Sócrates. Como é sabido, Sócrates não deixou nada escrito. As notícias que temos de sua vida e de seu pensamento, devemo-las especialmente aos seus dois discípulos Xenofonte e Platão, de feição intelectual muito diferente. Xenofonte, autor de Anábase, em seus Ditos Memoráveis, legou-nos de preferência o aspecto prático e moral da doutrina do mestre. Tinha um estilo simples e harmonioso, mas sem profundidade, não obstante a sua devoção para com o mestre e a exatidão das notícias, não entendeu o pensamento filosófico de Sócrates, sendo mais homem de ação do que um pensador.

×