SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
Orações Subordinadas
Adverbiais
Conceito
Uma oração subordinada adverbial é aquela que
exerce a função de adjunto adverbial do verbo da
oração principal.
São introduzidas pelas conjunções subordinativas e
classificadas de acordo com as circunstâncias que
exprimem. Podem ser: causais, comparativas,
concessivas, condicionais, conformativas,
consecutivas, finais, proporcionais e temporais.
Função
Por estas orações atribuirem uma
circunstância à oração principal, são
adverbiais. É raro encontrar períodos
que podem ser transformados em           Faço tudo de manhã. -
compostos por orações adverbiais,        Período simples
porque são poucos verbos que possuem
o mesmo radical que o advérbio
                                         Faço tudo quando amanhecer. -
(orações fixas). Por exemplo, não há
                                         Período composto
verbo relacionado ao advérbio ontem,
logo, não se tem oração subordinada
com este advérbio. Já o advérbio de
manhã, possui o verbo amanhecer, logo,
é clara a trasformação:


O oposto também ocorre, em certas orações é impossível
haver advérbio ou locução adverbial que tenha o mesmo
significado que a oração subordinada. Por estes fatos, a
oração subordinada adverbial é a menos característica,
mas a mais significativa. De acordo com a circunstância
estabelecida, elas são divididas:
Classificação
Oração subordinada adverbial causal -
 Indicam uma circunstância de causa.


   Ex:“ Fui aprovado, porque estudei.”
         Oração principal




          Principais conjunções e
          Locuções:
          que, pois, porque, como, visto
          que, uma vez que , já que....
Outros
Exemplos:
     Não fui trabalhar, já que peguei gripe.
      Oração Principal: Não fui trabalhar
      Oração Sub. Adv. Causal: já que peguei gripe
     A menina chorava porque havia caido da bicicleta.
      Oração Principal: A menina chorava
      Oração Sub. Adv. Causal: porque havia caido
      da bicicleta
     Ele foi visitar a prima já que ela estava com
      hipertensão.
      Oração Principal: Ele foi visitar a prima
      Oração Sub. Adv. Causal: já que ela estava
      com hipertensão
Oração subordinada adverbial condicional -
  Constituem um obstáculo, uma condição. É iniciada por uma
  conjunção subordinativa condicional ou por uma locução




  Ex: Contanto que se esforce, você terá um futuro brilhante.
                                     Oração principal



Principais conjunções e Locuções: se, a
menos que, desde que, caso, contanto que.

                            Principal conjunção
                            subordinativa condicional: SE
Outros
exemplos:
   Não farão nada, exceto se me prometerem uma coisa.
    Oração Principal: Não farão nada
    Oração Sub. Adv. Condicional: exceto se me prometerem
    uma coisa
   Não serão expulsos caso cumpram as nossas regras.
    Oração Principal: Não serão expulsos
    Oração Sub. Adv. Condicional: caso cumpram as nossas
    regras
   Encomendarei comida a não ser que você não esteja com fome.
    Oração Principal: Encomendarei comida
    Oração Sub. Adv. Condicional: a não ser que você não
    esteja com fome
Oração Subordinada Adverbial Comparativa:
     Funciona como adjunto adverbial de comparação, ou seja,
     compara com a oração principal



    Ex: Diocresildo era mais esforçado que o
    irmão.
                              Comparaç
                              ão

É iniciada por uma conjunção
subordinativa comparativa. São
elas: (mais) ... que, (menos)... que,
(tão)... quanto, como.
                                        Geralmente o verbo fica
                                        subentendido
Outros Exemplos:
   Os olhos dela eram tão lindos quanto era o céu.
    Oração Principal: Os olhos dela eram tão lindos
    Oração Sub. Adv. Comparativa: quanto era o céu
   Ele fazia as coisas mais lentamente que o andar de
    uma tartaruga.
    Oração Principal: Ele fazia as coisas mais lentamente
    Oração Sub. Adv. Comparativa: que o andar de uma tartaruga
   A multidão gritava mais alto que o som feito pelas
    caixas de som.
    Oração Principal: A multidão gritava mais alto
    Oração Sub. Adv. Comparativa: que o som feito pelas caixas
    de som
Oração Subordinada Adverbial Concessiva:
    Funciona como adjunto adverbial de concessão, indicam
    uma ideia ou um fato insistente.




Ex: Todos se retiraram, apesar de não terem
terminado a prova.




                              É iniciada por uma conjunção
                      subordinativa concessiva ou por uma
                                 locução. São elas: embora,
                       conquanto, não obstante, apesar de
                        que, se bem que, mesmo que, posto
                               que, ainda que, em que pese.
Outros
Exemplos:
   Ele não se mexia por mais que eu tentasse mexê-lo.
    Oração Principal: Ele não se mexia
    Oração Sub. Adv. Concessiva: por mais que eu tentasse
    mexê-lo
   Ainda que você tente de tudo, nada vai me fazer mudar
    de ideia.
    Oração Principal: nada vai me fazer mudar de ideia
    Oração Sub. Adv. Concessiva: Ainda que você tente de tudo
   Nem quando eu me atirar de um desfiladeiro ele fará
    algo assim.
    Oração Principal: ele fará algo assim
    Oração Sub. Adv. Concessiva: Nem quando eu me atirar de
    um desfiladeiro
 Oração Subordinada Adverbial Conformativa:
    Funciona como adjunto adverbial de conformidade, indicam a
    conformidade.




Ex: Construímos nossa casa, conforme as especificações dadas
pela Prefeitura.




É iniciada por uma conjunção
subordinativa conformativa ou
por uma locução. São elas: como,
conforme, segundo.
Outros
Exemplos:
   Conforme o que o médico dizia, o câncer é uma modificação
    celular.
    Oração Principal: o câncer é uma modificação celular
    Oração Sub. Adv. Conformativa: Conforme o que o médico dizia
   Segundo o que estava escrito na revista, o cantor casou-se
    com a atriz.
    Oração Principal: o cantor casou-se com a atriz
    Oração Sub. Adv. Conformativa: Segundo o que estava escrito na
    revista
   O Haiti foi devastado por mais abalos sísmicos, de acordo
    com o que estava escrito no jornal.
    Oração Principal: O Haiti foi devastado por mais abalos sísmicos
    Oração Sub. Adv. Conformativa: de acordo com o que estava escrito
    no jornal
Oração Subordinada Adverbial Consecutiva:
     Funciona como adjunto adverbial de consequência.




  Ex: Ele fala tão alto, que não precisa do
  microfone.



                            É iniciada pela conjunção
Na oração principal         subordinativa consecutiva que.
normalmente surge
um advérbio de
intensidade tal,
tanto, tamanho(a).         Conjunções: (tão)... que,
                           (tanto)... que, (tamanho)... que.
Outros
Exemplos:
   Ela assustava os outros de modo que todos acabavam se
    apavorando.
    Oração Principal: Ela assustava os outros
    Oração Sub. Adv. Consecutiva: de modo que todos acabavam se
    apavorando
   Estavam tão entusiasmados com a festa que nem
    perceberam escurecer.
    Oração Principal: Estavam tão entusiasmados com a festa
    Oração Sub. Adv. Consecutiva: que nem perceberam escurecer
   Falavam tão baixo de forma que todos precisavam se
    aproximar para ouvir.
    Oração Principal: Falavam tão baixo
    Oração Sub. Adv. Consecutiva: de forma que todos precisavam se
    aproximar para ouvir
 Oração Subordinada Adverbial Temporal:
   Funciona como adjunto adverbial de tempo.




Ex: Fico triste, sempre que vou à casa de
Juvenildo.


           É iniciada por uma conjunção
           subordinativa temporal ou por
           uma locução. São elas: quando,
           enquanto, sempre que, assim que,
           desde que, logo que, mal.
Outros
Exemplos:
   Isto me ocorre sempre quando estou com raiva.
    Oração Principal: Isto me ocorre
    Oração Sub. Adv. Temporal: sempre quando estou com
    raiva
   Desde que ele faleceu ela vive tristemente.
    Oração Principal: ela vive tristemente
    Oração Sub. Adv. Temporal: Desde que ele faleceu
   Eu ouvia cochichos na hora em que eu falava.
    Oração Principal: Eu ouvia cochichos
    Oração Sub. Adv. Temporal: na hora em que eu falava.
 Oração Subordinada Adverbial de Final:
   Funciona como adjunto adverbial de finalidade.



Ex: Ele não precisa do microfone, para que todos o
ouçam.




                       É iniciada por uma
                       conjunção subordinativa
                       final ou por uma locução.
                       São elas: a fim de que,
                       para que, porque.
Outros Exemplos:
   Queria ir para casa para que pudesse acabar meus deveres.
    Oração Principal: Queria ir para casa
    Oração Sub. Adv. Final: para que pudesse acabar meus deveres
   Largaria meu emprego a fim de que houvesse mais tempo
    livre.
    Oração Principal: Largaria meu emprego
    Oração Sub. Adv. Final: a fim de que houvesse mais tempo livre
   Gostaria de voltar no tempo para que eu pudesse consertar
    meus erros.
    Oração Principal: Gostaria de voltar no tempo
    Oração Sub. Adv. Final: para que eu pudesse consertar meus erros
Oração Subordinada Adverbial Proporcional:
   Funciona como adjunto adverbial de proporção.




Ex: À medida que o tempo passa, mais experientes
ficamos.




É iniciada por uma locução
conjuntiva subordinativa
proporcional. São elas: à
proporção que, à medida que,
tanto mais.
   Quanto mais chuva cair, mais enchente haverá.
    Oração Principal: Quanto mais chuva cair
    Oração Sub. Adv. Proporcional: mais enchente haverá
   À medida que aumentar mais a renda per capita, diminuirá
    assim também o número de pessoas com fome.
    Oração Principal: À medida que aumentar a renda per
    capita
    Oração Sub. Adv. Proporcional: diminuirá assim
    também o número de pessoas com fome.
   Quanto mais o tempo passava, com mais remorsos do
    acidente ele ficava.
    Oração Principal: com mais remorsos do acidente ele
    ficava
    Oração Sub. Adv. Proporcional: Quanto mais o tempo
    passava
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Orações subordinadas adjetivas.pdf
Orações subordinadas adjetivas.pdfOrações subordinadas adjetivas.pdf
Orações subordinadas adjetivas.pdfGuilhermeGomes316536
 
Orações adverbiais
Orações adverbiaisOrações adverbiais
Orações adverbiaisEfrain Santos
 
1000 Questões de Português Cespe - Assuntos mais Cobrados
1000 Questões de Português Cespe - Assuntos mais Cobrados1000 Questões de Português Cespe - Assuntos mais Cobrados
1000 Questões de Português Cespe - Assuntos mais CobradosEstratégia Concursos
 
9º ano E. F. II - Pronomes Relativos
9º ano E. F. II - Pronomes Relativos9º ano E. F. II - Pronomes Relativos
9º ano E. F. II - Pronomes RelativosAngélica Manenti
 
Variações Linguísticas
Variações LinguísticasVariações Linguísticas
Variações Linguísticas7 de Setembro
 
Regência verbal e nominal
Regência verbal e nominalRegência verbal e nominal
Regência verbal e nominalCamila Rodrigues
 
Orações Subordinadas Adjetivas
Orações Subordinadas AdjetivasOrações Subordinadas Adjetivas
Orações Subordinadas AdjetivasAngela Santos
 
Relações de palavras e de sentido
Relações de palavras e de sentidoRelações de palavras e de sentido
Relações de palavras e de sentidoma.no.el.ne.ves
 
Orações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivasOrações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivasnixsonmachado
 
Orações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivasOrações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivasFábio Guimarães
 
Processo de formação de palavras
Processo de formação de palavrasProcesso de formação de palavras
Processo de formação de palavrasKaren Olivan
 

Mais procurados (20)

Orações subordinadas adjetivas.pdf
Orações subordinadas adjetivas.pdfOrações subordinadas adjetivas.pdf
Orações subordinadas adjetivas.pdf
 
Orações adverbiais
Orações adverbiaisOrações adverbiais
Orações adverbiais
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Semantica
SemanticaSemantica
Semantica
 
1000 Questões de Português Cespe - Assuntos mais Cobrados
1000 Questões de Português Cespe - Assuntos mais Cobrados1000 Questões de Português Cespe - Assuntos mais Cobrados
1000 Questões de Português Cespe - Assuntos mais Cobrados
 
Regencia verbal
Regencia verbalRegencia verbal
Regencia verbal
 
9º ano E. F. II - Pronomes Relativos
9º ano E. F. II - Pronomes Relativos9º ano E. F. II - Pronomes Relativos
9º ano E. F. II - Pronomes Relativos
 
Níveis de linguagem
Níveis de linguagemNíveis de linguagem
Níveis de linguagem
 
Variações Linguísticas
Variações LinguísticasVariações Linguísticas
Variações Linguísticas
 
Regência verbal e nominal
Regência verbal e nominalRegência verbal e nominal
Regência verbal e nominal
 
Variação Linguística
Variação LinguísticaVariação Linguística
Variação Linguística
 
Pronomes
PronomesPronomes
Pronomes
 
Orações Subordinadas Adjetivas
Orações Subordinadas AdjetivasOrações Subordinadas Adjetivas
Orações Subordinadas Adjetivas
 
Relações de palavras e de sentido
Relações de palavras e de sentidoRelações de palavras e de sentido
Relações de palavras e de sentido
 
Operadores argumentativos
Operadores argumentativosOperadores argumentativos
Operadores argumentativos
 
Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.
 
Orações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivasOrações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivas
 
Período Composto
Período CompostoPeríodo Composto
Período Composto
 
Orações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivasOrações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivas
 
Processo de formação de palavras
Processo de formação de palavrasProcesso de formação de palavras
Processo de formação de palavras
 

Destaque

Período composto por coordenação
Período composto por coordenaçãoPeríodo composto por coordenação
Período composto por coordenaçãoFelipe Moreira
 
Cefet/Coltec Aula 13 Orações Subordinadas Adverbiais
Cefet/Coltec Aula 13  Orações Subordinadas AdverbiaisCefet/Coltec Aula 13  Orações Subordinadas Adverbiais
Cefet/Coltec Aula 13 Orações Subordinadas AdverbiaisProfFernandaBraga
 
Oracoes subordinada adverbial_ii
Oracoes subordinada adverbial_iiOracoes subordinada adverbial_ii
Oracoes subordinada adverbial_iiCassandra Cruz
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisEdson Alves
 
Escola municipal prof° antonio lopes lins
Escola municipal prof° antonio lopes linsEscola municipal prof° antonio lopes lins
Escola municipal prof° antonio lopes linsflamengo99
 
Classificação das orações coordenadas
Classificação das orações coordenadasClassificação das orações coordenadas
Classificação das orações coordenadasAyla De Sá Marques
 
Orações coordenadas revisão
Orações coordenadas revisãoOrações coordenadas revisão
Orações coordenadas revisãorafaelcef3
 
Orações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas AdverbiaisOrações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas AdverbiaisFábio Guimarães
 
Orações sub adverbiais 2015
Orações sub adverbiais   2015Orações sub adverbiais   2015
Orações sub adverbiais 2015Christiane Queiroz
 
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Orações Subordinadas
www.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Orações Subordinadaswww.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Orações Subordinadas
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Orações SubordinadasVideoaulas De Português Apoio
 
História do Brasil
História do BrasilHistória do Brasil
História do BrasilJorge Miklos
 
Prova Orações Subordinadas
Prova Orações SubordinadasProva Orações Subordinadas
Prova Orações SubordinadasJomari
 

Destaque (20)

Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Período composto por coordenação
Período composto por coordenaçãoPeríodo composto por coordenação
Período composto por coordenação
 
Cefet/Coltec Aula 13 Orações Subordinadas Adverbiais
Cefet/Coltec Aula 13  Orações Subordinadas AdverbiaisCefet/Coltec Aula 13  Orações Subordinadas Adverbiais
Cefet/Coltec Aula 13 Orações Subordinadas Adverbiais
 
Oracoes subordinada adverbial_ii
Oracoes subordinada adverbial_iiOracoes subordinada adverbial_ii
Oracoes subordinada adverbial_ii
 
1.orações coordenadas início
1.orações coordenadas   início1.orações coordenadas   início
1.orações coordenadas início
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiais
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiais
 
Escola municipal prof° antonio lopes lins
Escola municipal prof° antonio lopes linsEscola municipal prof° antonio lopes lins
Escola municipal prof° antonio lopes lins
 
Or. adverbiais
Or. adverbiaisOr. adverbiais
Or. adverbiais
 
Classificação das orações coordenadas
Classificação das orações coordenadasClassificação das orações coordenadas
Classificação das orações coordenadas
 
Revisão de Sintaxe
Revisão de SintaxeRevisão de Sintaxe
Revisão de Sintaxe
 
Orações coordenadas revisão
Orações coordenadas revisãoOrações coordenadas revisão
Orações coordenadas revisão
 
Portugês
Portugês Portugês
Portugês
 
Orações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas AdverbiaisOrações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas Adverbiais
 
EXERCÍCIOS DE ORAÇÕES COORDENADAS
EXERCÍCIOS DE ORAÇÕES COORDENADASEXERCÍCIOS DE ORAÇÕES COORDENADAS
EXERCÍCIOS DE ORAÇÕES COORDENADAS
 
Orações sub adverbiais 2015
Orações sub adverbiais   2015Orações sub adverbiais   2015
Orações sub adverbiais 2015
 
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Orações Subordinadas
www.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Orações Subordinadaswww.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Orações Subordinadas
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Orações Subordinadas
 
História do Brasil
História do BrasilHistória do Brasil
História do Brasil
 
Prova Orações Subordinadas
Prova Orações SubordinadasProva Orações Subordinadas
Prova Orações Subordinadas
 
Geometria espacial BY GLEDSON
Geometria espacial BY GLEDSONGeometria espacial BY GLEDSON
Geometria espacial BY GLEDSON
 

Semelhante a Orações Sub Adv

Slide Oração subordinada adverbial 9º ano.pdf
Slide Oração subordinada adverbial 9º ano.pdfSlide Oração subordinada adverbial 9º ano.pdf
Slide Oração subordinada adverbial 9º ano.pdfthaisayumi2
 
Orações subordinadas adverbiais 2013
Orações subordinadas adverbiais 2013Orações subordinadas adverbiais 2013
Orações subordinadas adverbiais 2013Christiane Queiroz
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisMara Virginia
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisElaine Junger
 
Slide Orações Subordinadas
Slide Orações SubordinadasSlide Orações Subordinadas
Slide Orações SubordinadasJomari
 
Slides - oracoes-subordinadas-adverbiais.ppt
Slides - oracoes-subordinadas-adverbiais.pptSlides - oracoes-subordinadas-adverbiais.ppt
Slides - oracoes-subordinadas-adverbiais.pptMARLYCARVALHO8
 
Oração subordinada
Oração subordinadaOração subordinada
Oração subordinadaJomari
 
Oração subordinada
Oração subordinadaOração subordinada
Oração subordinadaJomari
 
Oracoes subordinadas-adverbiais
Oracoes subordinadas-adverbiaisOracoes subordinadas-adverbiais
Oracoes subordinadas-adverbiaissandrammagnani
 
oracoes-subordinadas-adverbiais (3º ano).ppt
oracoes-subordinadas-adverbiais (3º ano).pptoracoes-subordinadas-adverbiais (3º ano).ppt
oracoes-subordinadas-adverbiais (3º ano).pptCAMILACRISTINASILVAB
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisElaine Teixeira
 
Cefet/Coltec Aula 14 Função do "que"
Cefet/Coltec Aula 14  Função do "que"Cefet/Coltec Aula 14  Função do "que"
Cefet/Coltec Aula 14 Função do "que"ProfFernandaBraga
 
Coordenação e Subordinação 8.ºC
Coordenação e Subordinação 8.ºCCoordenação e Subordinação 8.ºC
Coordenação e Subordinação 8.ºCJosé Ferreira
 

Semelhante a Orações Sub Adv (20)

Slide Oração subordinada adverbial 9º ano.pdf
Slide Oração subordinada adverbial 9º ano.pdfSlide Oração subordinada adverbial 9º ano.pdf
Slide Oração subordinada adverbial 9º ano.pdf
 
Orações subordinadas adverbiais 2013
Orações subordinadas adverbiais 2013Orações subordinadas adverbiais 2013
Orações subordinadas adverbiais 2013
 
Orações Subordinadas
Orações SubordinadasOrações Subordinadas
Orações Subordinadas
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiais
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiais
 
Slide Orações Subordinadas
Slide Orações SubordinadasSlide Orações Subordinadas
Slide Orações Subordinadas
 
Slides - oracoes-subordinadas-adverbiais.ppt
Slides - oracoes-subordinadas-adverbiais.pptSlides - oracoes-subordinadas-adverbiais.ppt
Slides - oracoes-subordinadas-adverbiais.ppt
 
Oração subordinada
Oração subordinadaOração subordinada
Oração subordinada
 
Oração subordinada
Oração subordinadaOração subordinada
Oração subordinada
 
oracoes-subordinadas-adverbiais.ppt
oracoes-subordinadas-adverbiais.pptoracoes-subordinadas-adverbiais.ppt
oracoes-subordinadas-adverbiais.ppt
 
Oracoes subordinadas-adverbiais
Oracoes subordinadas-adverbiaisOracoes subordinadas-adverbiais
Oracoes subordinadas-adverbiais
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Conjuncoes2
Conjuncoes2Conjuncoes2
Conjuncoes2
 
oracoes-subordinadas-adverbiais (3º ano).ppt
oracoes-subordinadas-adverbiais (3º ano).pptoracoes-subordinadas-adverbiais (3º ano).ppt
oracoes-subordinadas-adverbiais (3º ano).ppt
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Orações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiaisOrações subordinadas adverbiais
Orações subordinadas adverbiais
 
Cefet/Coltec Aula 14 Função do "que"
Cefet/Coltec Aula 14  Função do "que"Cefet/Coltec Aula 14  Função do "que"
Cefet/Coltec Aula 14 Função do "que"
 
Coordenação e Subordinação 8.ºC
Coordenação e Subordinação 8.ºCCoordenação e Subordinação 8.ºC
Coordenação e Subordinação 8.ºC
 
Frase complexa
Frase complexaFrase complexa
Frase complexa
 

Último

Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 

Último (20)

Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 

Orações Sub Adv

  • 2. Conceito Uma oração subordinada adverbial é aquela que exerce a função de adjunto adverbial do verbo da oração principal. São introduzidas pelas conjunções subordinativas e classificadas de acordo com as circunstâncias que exprimem. Podem ser: causais, comparativas, concessivas, condicionais, conformativas, consecutivas, finais, proporcionais e temporais.
  • 3. Função Por estas orações atribuirem uma circunstância à oração principal, são adverbiais. É raro encontrar períodos que podem ser transformados em Faço tudo de manhã. - compostos por orações adverbiais, Período simples porque são poucos verbos que possuem o mesmo radical que o advérbio Faço tudo quando amanhecer. - (orações fixas). Por exemplo, não há Período composto verbo relacionado ao advérbio ontem, logo, não se tem oração subordinada com este advérbio. Já o advérbio de manhã, possui o verbo amanhecer, logo, é clara a trasformação: O oposto também ocorre, em certas orações é impossível haver advérbio ou locução adverbial que tenha o mesmo significado que a oração subordinada. Por estes fatos, a oração subordinada adverbial é a menos característica, mas a mais significativa. De acordo com a circunstância estabelecida, elas são divididas:
  • 4. Classificação Oração subordinada adverbial causal - Indicam uma circunstância de causa. Ex:“ Fui aprovado, porque estudei.” Oração principal Principais conjunções e Locuções: que, pois, porque, como, visto que, uma vez que , já que....
  • 5. Outros Exemplos:  Não fui trabalhar, já que peguei gripe. Oração Principal: Não fui trabalhar Oração Sub. Adv. Causal: já que peguei gripe  A menina chorava porque havia caido da bicicleta. Oração Principal: A menina chorava Oração Sub. Adv. Causal: porque havia caido da bicicleta  Ele foi visitar a prima já que ela estava com hipertensão. Oração Principal: Ele foi visitar a prima Oração Sub. Adv. Causal: já que ela estava com hipertensão
  • 6. Oração subordinada adverbial condicional - Constituem um obstáculo, uma condição. É iniciada por uma conjunção subordinativa condicional ou por uma locução Ex: Contanto que se esforce, você terá um futuro brilhante. Oração principal Principais conjunções e Locuções: se, a menos que, desde que, caso, contanto que. Principal conjunção subordinativa condicional: SE
  • 7. Outros exemplos:  Não farão nada, exceto se me prometerem uma coisa. Oração Principal: Não farão nada Oração Sub. Adv. Condicional: exceto se me prometerem uma coisa  Não serão expulsos caso cumpram as nossas regras. Oração Principal: Não serão expulsos Oração Sub. Adv. Condicional: caso cumpram as nossas regras  Encomendarei comida a não ser que você não esteja com fome. Oração Principal: Encomendarei comida Oração Sub. Adv. Condicional: a não ser que você não esteja com fome
  • 8. Oração Subordinada Adverbial Comparativa: Funciona como adjunto adverbial de comparação, ou seja, compara com a oração principal Ex: Diocresildo era mais esforçado que o irmão. Comparaç ão É iniciada por uma conjunção subordinativa comparativa. São elas: (mais) ... que, (menos)... que, (tão)... quanto, como. Geralmente o verbo fica subentendido
  • 9. Outros Exemplos:  Os olhos dela eram tão lindos quanto era o céu. Oração Principal: Os olhos dela eram tão lindos Oração Sub. Adv. Comparativa: quanto era o céu  Ele fazia as coisas mais lentamente que o andar de uma tartaruga. Oração Principal: Ele fazia as coisas mais lentamente Oração Sub. Adv. Comparativa: que o andar de uma tartaruga  A multidão gritava mais alto que o som feito pelas caixas de som. Oração Principal: A multidão gritava mais alto Oração Sub. Adv. Comparativa: que o som feito pelas caixas de som
  • 10. Oração Subordinada Adverbial Concessiva: Funciona como adjunto adverbial de concessão, indicam uma ideia ou um fato insistente. Ex: Todos se retiraram, apesar de não terem terminado a prova. É iniciada por uma conjunção subordinativa concessiva ou por uma locução. São elas: embora, conquanto, não obstante, apesar de que, se bem que, mesmo que, posto que, ainda que, em que pese.
  • 11. Outros Exemplos:  Ele não se mexia por mais que eu tentasse mexê-lo. Oração Principal: Ele não se mexia Oração Sub. Adv. Concessiva: por mais que eu tentasse mexê-lo  Ainda que você tente de tudo, nada vai me fazer mudar de ideia. Oração Principal: nada vai me fazer mudar de ideia Oração Sub. Adv. Concessiva: Ainda que você tente de tudo  Nem quando eu me atirar de um desfiladeiro ele fará algo assim. Oração Principal: ele fará algo assim Oração Sub. Adv. Concessiva: Nem quando eu me atirar de um desfiladeiro
  • 12.  Oração Subordinada Adverbial Conformativa: Funciona como adjunto adverbial de conformidade, indicam a conformidade. Ex: Construímos nossa casa, conforme as especificações dadas pela Prefeitura. É iniciada por uma conjunção subordinativa conformativa ou por uma locução. São elas: como, conforme, segundo.
  • 13. Outros Exemplos:  Conforme o que o médico dizia, o câncer é uma modificação celular. Oração Principal: o câncer é uma modificação celular Oração Sub. Adv. Conformativa: Conforme o que o médico dizia  Segundo o que estava escrito na revista, o cantor casou-se com a atriz. Oração Principal: o cantor casou-se com a atriz Oração Sub. Adv. Conformativa: Segundo o que estava escrito na revista  O Haiti foi devastado por mais abalos sísmicos, de acordo com o que estava escrito no jornal. Oração Principal: O Haiti foi devastado por mais abalos sísmicos Oração Sub. Adv. Conformativa: de acordo com o que estava escrito no jornal
  • 14. Oração Subordinada Adverbial Consecutiva: Funciona como adjunto adverbial de consequência. Ex: Ele fala tão alto, que não precisa do microfone. É iniciada pela conjunção Na oração principal subordinativa consecutiva que. normalmente surge um advérbio de intensidade tal, tanto, tamanho(a). Conjunções: (tão)... que, (tanto)... que, (tamanho)... que.
  • 15. Outros Exemplos:  Ela assustava os outros de modo que todos acabavam se apavorando. Oração Principal: Ela assustava os outros Oração Sub. Adv. Consecutiva: de modo que todos acabavam se apavorando  Estavam tão entusiasmados com a festa que nem perceberam escurecer. Oração Principal: Estavam tão entusiasmados com a festa Oração Sub. Adv. Consecutiva: que nem perceberam escurecer  Falavam tão baixo de forma que todos precisavam se aproximar para ouvir. Oração Principal: Falavam tão baixo Oração Sub. Adv. Consecutiva: de forma que todos precisavam se aproximar para ouvir
  • 16.  Oração Subordinada Adverbial Temporal: Funciona como adjunto adverbial de tempo. Ex: Fico triste, sempre que vou à casa de Juvenildo. É iniciada por uma conjunção subordinativa temporal ou por uma locução. São elas: quando, enquanto, sempre que, assim que, desde que, logo que, mal.
  • 17. Outros Exemplos:  Isto me ocorre sempre quando estou com raiva. Oração Principal: Isto me ocorre Oração Sub. Adv. Temporal: sempre quando estou com raiva  Desde que ele faleceu ela vive tristemente. Oração Principal: ela vive tristemente Oração Sub. Adv. Temporal: Desde que ele faleceu  Eu ouvia cochichos na hora em que eu falava. Oração Principal: Eu ouvia cochichos Oração Sub. Adv. Temporal: na hora em que eu falava.
  • 18.  Oração Subordinada Adverbial de Final: Funciona como adjunto adverbial de finalidade. Ex: Ele não precisa do microfone, para que todos o ouçam. É iniciada por uma conjunção subordinativa final ou por uma locução. São elas: a fim de que, para que, porque.
  • 19. Outros Exemplos:  Queria ir para casa para que pudesse acabar meus deveres. Oração Principal: Queria ir para casa Oração Sub. Adv. Final: para que pudesse acabar meus deveres  Largaria meu emprego a fim de que houvesse mais tempo livre. Oração Principal: Largaria meu emprego Oração Sub. Adv. Final: a fim de que houvesse mais tempo livre  Gostaria de voltar no tempo para que eu pudesse consertar meus erros. Oração Principal: Gostaria de voltar no tempo Oração Sub. Adv. Final: para que eu pudesse consertar meus erros
  • 20. Oração Subordinada Adverbial Proporcional: Funciona como adjunto adverbial de proporção. Ex: À medida que o tempo passa, mais experientes ficamos. É iniciada por uma locução conjuntiva subordinativa proporcional. São elas: à proporção que, à medida que, tanto mais.
  • 21. Quanto mais chuva cair, mais enchente haverá. Oração Principal: Quanto mais chuva cair Oração Sub. Adv. Proporcional: mais enchente haverá  À medida que aumentar mais a renda per capita, diminuirá assim também o número de pessoas com fome. Oração Principal: À medida que aumentar a renda per capita Oração Sub. Adv. Proporcional: diminuirá assim também o número de pessoas com fome.  Quanto mais o tempo passava, com mais remorsos do acidente ele ficava. Oração Principal: com mais remorsos do acidente ele ficava Oração Sub. Adv. Proporcional: Quanto mais o tempo passava
  • 22. FIM