SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 57
DESCRITORES
Acolhida
Pequeno raio de
esperança
https://www.menti.com/qqn8gfpsso
https://www.youtube.com/watch?v=XcAyzi1-yIE
D1
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D1 - LOCALIZAR INFORMAÇÃO
EXPLÍCITA
RETA FINAL PARA O SAEB
D1 - LOCALIZAR INFORMAÇÃO EXPLÍCITA
SEQUÊNCIA DIDÁTICA:
RESOLUÇÃO DE ITEM
TEXTO
ANUNCIADO
ALTERNATIVAS
RETA FINAL PARA O SAEB
5º
RETA FINAL PARA O SAEB
A menina e o pássaro encantado
A menina amava aquele pássaro e podia ouvi-lo sem parar, dia após dia. E o pássaro
amava a menina e por isto voltava sempre. Mas chegava sempre uma hora de tristeza.
“−Tenho de ir”, ele dizia.
“−Por favor, não vá. Fico tão triste. Terei saudades. E vou chorar...” E a menina fazia um
beicinho...
“−Eu também terei saudades” dizia o pássaro. “Eu também vou chorar. Mas eu vou lhe
contar um segredo: as plantas precisam da água, nós precisamos do ar, os peixes
precisam dos rios... E o meu encanto precisa da saudade. É aquela saudade, na espera
da volta que faz com que minhas penas fiquem bonitas. Se eu não for não haverá
saudade. Eu deixarei de ser um pássaro encantado. E você deixará de me amar.” Assim
ele partiu. A menina, sozinha, chorava de tristeza à noite, imaginando se o pássaro
voltaria.
ALVES, Rubem. A menina e o pássaro encantado. São Paulo: Edições Loyola, 1992, p.11-13 (Fragmento)
Leia o texto abaixo
RETA FINAL PARA O SAEB
O encanto do pássaro precisa
A.da saudade da menina
B.da tristeza da menina
C.da dúvida da menina
D.o choro da menina
5º
RETA FINAL PARA O SAEB
A menina e o pássaro encantado
A menina amava aquele pássaro e podia ouvi-lo sem parar, dia após dia. E o pássaro
amava a menina e por isto voltava sempre. Mas chegava sempre uma hora de tristeza.
“−Tenho de ir”, ele dizia.
“−Por favor, não vá. Fico tão triste. Terei saudades. E vou chorar...” E a menina fazia um
beicinho...
“−Eu também terei saudades” dizia o pássaro. “Eu também vou chorar. Mas eu vou lhe
contar um segredo: as plantas precisam da água, nós precisamos do ar, os peixes
precisam dos rios... E o meu encanto precisa da . É aquela saudade, na espera
da volta que faz com que minhas penas fiquem bonitas. Se eu não for não haverá
saudade. Eu deixarei de ser um pássaro encantado. E você deixará de me amar.” Assim
ele partiu. A menina, sozinha, chorava de tristeza à noite, imaginando se o pássaro
voltaria.
ALVES, Rubem. A menina e o pássaro encantado. São Paulo: Edições Loyola, 1992, p.11-13 (Fragmento)
saudade
RETA FINAL PARA O SAEB
O encanto do pássaro precisa
A.da saudade da menina
B.da tristeza da menina
C.da dúvida da menina
D.o choro da menina
D3
Inferir sentido
de palavra ou
expressão
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D3 - INFERIR SENTIDO DE PALAVRA OU
EXPRESSÃO
RETA FINAL PARA O SAEB
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D3 - INFERIR SENTIDO DE PALAVRA OU EXPRESSÃO
SEQUÊNCIA
DIDÁTICA:
RESOLUÇÃO DE ITEM
RETA FINAL PARA O SAEB
SEQUÊNCIA
DIDÁTICA:
RESOLUÇÃO DE ITEM
RETA FINAL PARA O SAEB
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D3 - INFERIR SENTIDO DE PALAVRA OU EXPRESSÃO
RETA FINAL PARA O SAEB
O CARACOL E A PITANGA
Há dois dias o caracol galgava lentamente o tronco da pitangueira, subindo e
parando e subindo. Quarenta e oito horas de esforço tranquilo, de caminhar quase
filosófico. De repente, enquanto ele fazia mais um movimento para avançar, desceu
pelo tronco, apressadamente, no seu passo fustigado e ágil, uma formiga-maluca,
dessas que vão e vêm mais rápidas que coelho de desenho animado. Parou um
instantinho, olhou zombeteira o caracol e disse: “Volta, volta, velho! Que é que você
vai fazer lá em cima? Não é tempo de pitanga.” “Vou indo, vou indo.” – respondeu
calmamente o caracol. -“quando eu chegar lá em cima vai ser tempo de pitanga.”
Moral: No Brasil não há pressa!
FERNANDES, Millôr. 100 fábulas fabulosas. Rio de Janeiro: Record, 2003. [s.p.].
RETA FINAL PARA O SAEB
A expressão “Caminhar filosófico” na linha (3) significa andar de maneira
A. calma
B. ágil
C.animada
D.apressada
5º
RETA FINAL PARA O SAEB
O CARACOL E A PITANGA
Há dois dias o caracol galgava lentamente o tronco da pitangueira, subindo e
parando e subindo. Quarenta e oito horas de esforço tranquilo, de caminhar quase
filosófico. De repente, enquanto ele fazia mais um movimento para avançar,
desceu pelo tronco, apressadamente, no seu passo fustigado e ágil, uma formiga-
maluca, dessas que vão e vêm mais rápidas que coelho de desenho animado.
Parou um instantinho, olhou zombeteira o caracol e disse: “Volta, volta, velho! Que
é que você vai fazer lá em cima? Não é tempo de pitanga.” “Vou indo, vou indo.” –
respondeu calmamente o caracol. -“quando eu chegar lá em cima vai ser tempo de
pitanga.”
Moral: No Brasil não há pressa!
FERNANDES, Millôr. 100 fábulas fabulosas. Rio de Janeiro: Record, 2003. [s.p.].
Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de
esforço tranquilo, caminhar “caminhar filosófico”.
Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de
esforço tranquilo, caminhar CALMO?
RETA FINAL PARA O SAEB
A expressão “Caminhar filosófico” na linha (3) significa andar de maneira
A. calma
B. ágil
C.animada
D.apressada
Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de
esforço tranquilo, caminhar “caminhar filosófico”.
Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de
esforço tranquilo, caminhar ÁGIL?
RETA FINAL PARA O SAEB
A expressão “Caminhar filosófico” na linha (3) significa andar de maneira
A. calma
B. ágil
C.animada
D.apressada
Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de
esforço tranquilo, caminhar “caminhar filosófico”.
Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de
esforço tranquilo, caminhar ANIMADA?
RETA FINAL PARA O SAEB
A expressão “Caminhar filosófico” na linha (3) significa andar de maneira
A. calma
B. ágil
C.animada
D.apressada
Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de
esforço tranquilo, caminhar “caminhar filosófico”.
Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de
esforço tranquilo, caminhar APRESSADA?
RETA FINAL PARA O SAEB
A expressão “Caminhar filosófico” na linha (3) significa andar de maneira
A. calma
B. ágil
C.animada
D.apressada
5º
Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de
esforço tranquilo, caminhar “caminhar filosófico”.
Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de
esforço tranquilo, caminhar CALMO?
RETA FINAL PARA O SAEB
A expressão “Caminhar filosófico” na linha (3) significa andar de maneira
A. calma
B. ágil
C.animada
D.apressada
D4
Inferir uma
informação
implícita em
um texto
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D4 - INFERIR UMA INFORMAÇÃO IMPLÍCITA EM UM TEXTO
EXPLÍCITO
EXPLÍCITO
EXPLÍCITO
EXPLÍCITO
EXPLÍCITO
EXPLÍCITO
RETA FINAL PARA O SAEB
IMPLÍCITO
EXPLÍCITO
HÁBITO DE ELABORAR
EXPECTATIVA
5º
A BAILARINA
Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.
Não conhece nem dó nem ré
mas sabe ficar na ponta do pé.
Não conhece nem mi nem fá
Mas inclina o corpo para cá e para lá
Não conhece nem lá nem si,
mas fecha os olhos e sorri.
Roda, roda, roda, com os bracinhos no ar
e não fica tonta nem sai do lugar.
MEIRELES, C. Ou isto ou aquilo. 6ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D4 - INFERIR UMA INFORMAÇÃO IMPLÍCITA EM UM TEXTO
RETA FINAL PARA O SAEB
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D4 - INFERIR UMA INFORMAÇÃO IMPLÍCITA EM UM TEXTO
RETA FINAL PARA O SAEB
A personagem do poema:
A.É uma cantora.
B.É uma ótima dançarina.
C.É uma menina infeliz.
D.É uma bailarina experiente.
SE… ENTÃO...
A BAILARINA
Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.
Não conhece nem dó nem ré
mas sabe ficar na ponta do pé.
Não conhece nem mi nem fá
Mas inclina o corpo para cá e para lá
Não conhece nem lá nem si,
mas fecha os olhos e sorri.
Roda, roda, roda, com os bracinhos no ar
e não fica tonta nem sai do lugar.
MEIRELES, C. Ou isto ou aquilo. 6ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D4 - INFERIR UMA INFORMAÇÃO IMPLÍCITA EM UM TEXTO
RETA FINAL PARA O SAEB
A personagem do poema:
A.É uma cantora.
B.É uma ótima dançarina.
C.É uma menina infeliz.
D.É uma bailarina experiente.
SE… ENTÃO...
A BAILARINA
Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.
Não conhece nem dó nem ré
mas sabe ficar na ponta do pé.
Não conhece nem mi nem fá
Mas inclina o corpo para cá e para lá
Não conhece nem lá nem si,
mas fecha os olhos e sorri.
Roda, roda, roda, com os bracinhos no ar
e não fica tonta nem sai do lugar.
MEIRELES, C. Ou isto ou aquilo. 6ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D4 - INFERIR UMA INFORMAÇÃO IMPLÍCITA EM UM TEXTO
RETA FINAL PARA O SAEB
A personagem do poema:
A.É uma cantora.
B.É uma ótima dançarina.
C.É uma menina infeliz.
D.É uma bailarina experiente.
SE… ENTÃO...
A BAILARINA
Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.
Não conhece nem dó nem ré
mas sabe ficar na ponta do pé.
Não conhece nem mi nem fá
Mas inclina o corpo para cá e para lá
Não conhece nem lá nem si,
mas fecha os olhos e sorri.
Roda, roda, roda, com os bracinhos no ar
e não fica tonta nem sai do lugar.
MEIRELES, C. Ou isto ou aquilo. 6ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D4 - INFERIR UMA INFORMAÇÃO IMPLÍCITA EM UM TEXTO
RETA FINAL PARA O SAEB
A personagem do poema:
A.É uma cantora.
B.É uma ótima dançarina.
C.É uma menina infeliz.
D. É uma bailarina experiente.
SE… ENTÃO...
A BAILARINA
Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.
Não conhece nem dó nem ré
mas sabe ficar na ponta do pé.
Não conhece nem mi nem fá
Mas inclina o corpo para cá e para lá
Não conhece nem lá nem si,
mas fecha os olhos e sorri.
Roda, roda, roda, com os bracinhos no ar
e não fica tonta nem sai do lugar.
MEIRELES, C. Ou isto ou aquilo. 6ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D4 - INFERIR UMA INFORMAÇÃO IMPLÍCITA EM UM TEXTO
RETA FINAL PARA O SAEB
A personagem do poema:
A.É uma cantora.
B.É uma ótima dançarina.
C.É uma menina infeliz.
D.É uma bailarina experiente.
D6
Identificar
tema em
um texto
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D6 - IDENTIFICAR O TEMA EM UM TEXTO
RETA FINAL PARA O SAEB
PERSPECTIVA
DO AUTOR
PERSPECTIVA
DO LEITOR
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D6 - IDENTIFICAR TEMA EM UM TEXTO
RETA FINAL PARA O SAEB
Mata Atlântica
A floresta densa e úmida que você vê,
quando vai a muitas de suas praias
preferidas é a Mata Atlântica.
Quando o Brasil foi descoberto, ela
margeava todo o litoral, desde o Nordeste até
o Sul do país.
Hoje, restam apenas 7% da vegetação,
abrigo de mais de 20 mil espécies de plantas,
261 espécies de mamíferos, 340 de anfíbios,
192 de répteis e 1 020 de pássaros. Boa
parte dessas espécies só existe na Mata
Atlântica.
Nova Escola, mar.2009.
Qual é o assunto desse texto?
A. A constituição da Mata Atlântica.
B. A extensão do litoral brasileiro.
C.O desaparecimento da floresta.
D.O descobrimento do Brasil.
O texto fala O TEMPO TODO
sobre o quê?
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D6 - IDENTIFICAR TEMA EM UM TEXTO
RETA FINAL PARA O SAEB
Mata Atlântica
A floresta densa e úmida que você vê,
quando vai a muitas de suas praias
preferidas é a Mata Atlântica.
Quando o Brasil foi descoberto, ela
margeava todo o litoral, desde o Nordeste até
o Sul do país.
Hoje, restam apenas 7% da vegetação,
abrigo de mais de 20 mil espécies de plantas,
261 espécies de mamíferos, 340 de anfíbios,
192 de répteis e 1 020 de pássaros. Boa
parte dessas espécies só existe na Mata
Atlântica.
Nova Escola, mar.2009.
Qual é o assunto desse texto?
A. A constituição da Mata Atlântica.
B. A extensão do litoral brasileiro.
C.O desaparecimento da floresta.
D.O descobrimento do Brasil.
O texto fala O TEMPO TODO
sobre o quê?
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D6 - IDENTIFICAR TEMA EM UM TEXTO
RETA FINAL PARA O SAEB
Mata Atlântica
A floresta densa e úmida que você vê,
quando vai a muitas de suas praias
preferidas é a Mata Atlântica.
Quando o Brasil foi descoberto, ela
margeava todo o litoral, desde o Nordeste até
o Sul do país.
Hoje, restam apenas 7% da vegetação,
abrigo de mais de 20 mil espécies de plantas,
261 espécies de mamíferos, 340 de anfíbios,
192 de répteis e 1 020 de pássaros. Boa
parte dessas espécies só existe na Mata
Atlântica.
Nova Escola, mar.2009.
Qual é o assunto desse texto?
A. A constituição da Mata Atlântica.
B. A extensão do litoral brasileiro.
C.O desaparecimento da floresta.
D.O descobrimento do Brasil.
O texto fala O TEMPO TODO
sobre o quê?
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D6 - IDENTIFICAR TEMA EM UM TEXTO
RETA FINAL PARA O SAEB
Mata Atlântica
A floresta densa e úmida que você vê,
quando vai a muitas de suas praias
preferidas é a Mata Atlântica.
Quando o Brasil foi descoberto, ela
margeava todo o litoral, desde o Nordeste até
o Sul do país.
Hoje, restam apenas 7% da vegetação,
abrigo de mais de 20 mil espécies de plantas,
261 espécies de mamíferos, 340 de anfíbios,
192 de répteis e 1 020 de pássaros. Boa
parte dessas espécies só existe na Mata
Atlântica.
Nova Escola, mar.2009.
Qual é o assunto desse texto?
A. A constituição da Mata Atlântica.
B. A extensão do litoral brasileiro.
C.O desaparecimento da floresta.
D.O descobrimento do Brasil.
O texto fala O TEMPO TODO
sobre o quê?
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D6 - IDENTIFICAR TEMA EM UM TEXTO
RETA FINAL PARA O SAEB
Mata Atlântica
A floresta densa e úmida que você vê,
quando vai a muitas de suas praias
preferidas é a Mata Atlântica.
Quando o Brasil foi descoberto, ela
margeava todo o litoral, desde o Nordeste até
o Sul do país.
Hoje, restam apenas 7% da vegetação,
abrigo de mais de 20 mil espécies de plantas,
261 espécies de mamíferos, 340 de anfíbios,
192 de répteis e 1 020 de pássaros. Boa
parte dessas espécies só existe na Mata
Atlântica.
Nova Escola, mar.2009.
Qual é o assunto desse texto?
A. A constituição da Mata Atlântica.
B. A extensão do litoral brasileiro.
C.O desaparecimento da floresta.
D.O descobrimento do Brasil.
O texto fala O TEMPO TODO
sobre o quê?
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D6 - IDENTIFICAR TEMA EM UM TEXTO
RETA FINAL PARA O SAEB
Mata Atlântica
A floresta densa e úmida que você vê,
quando vai a muitas de suas praias
preferidas é a Mata Atlântica.
Quando o Brasil foi descoberto, ela
margeava todo o litoral, desde o Nordeste até
o Sul do país.
Hoje, restam apenas 7% da vegetação,
abrigo de mais de 20 mil espécies de plantas,
261 espécies de mamíferos, 340 de anfíbios,
192 de répteis e 1 020 de pássaros. Boa
parte dessas espécies só existe na Mata
Atlântica.
Nova Escola, mar.2009.
Qual é o assunto desse texto?
A. A constituição da Mata Atlântica.
B. A extensão do litoral brasileiro.
C.O desaparecimento da floresta.
D.O descobrimento do Brasil.
O texto fala O TEMPO TODO
sobre o quê?
D11
Distinguir um
fato da opinião
relativa a esse
fato
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D11 - DISTINGUIR UM FATO DA OPINIÃO RELATIVA A ESSE FATO
RETA FINAL PARA O SAEB
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D11 - DISTINGUIR UM FATO DA OPINIÃO RELATIVA A ESSE FATO
ACONTECEU!
PODE SER COMPROVADO!
NÃO DÁ PARA DISCORDAR!
RETA FINAL PARA O SAEB
É UM PENSAMENTO!
NÃO PODE SER
COMPROVADA!
DÁ PARA DISCORDAR!
RETA FINAL PARA O SAEB
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D11 - DISTINGUIR UM FATO DA OPINIÃO RELATIVA A ESSE FATO
RETA FINAL PARA O SAEB
OLHANDO PARA OS DESCRITORES
D11 - DISTINGUIR UM FATO DA OPINIÃO RELATIVA A ESSE FATO
RETA FINAL PARA O SAEB
Ariel chega suado na classe .D.Maria Luisa está colocando nas carteira a prova de
Ciências já corrigida. Inda bem que ela colocou a nota para baixo.
Ariel acha que deu vexame, o pior é que vai ter que levar a prova para a mãe assinar.
Senta-se devagarinho e olha a prova.O Jair, ao lado, deve ter tirado um notão porque
está rindo sozinho. Também, grande coisa! O Jair só faz estudar! É tão grosso no
futebol, que nem o professor de ginástica tem coragem de escalar ele para o time! Vê
que Irene tirou dois, mas ela não está nem aí. A mãe dela deve ser dessas que não
enchem muito. Se ele tirasse dois, coitado dele. Vira a ponta da prova bem devagar. E,
só se fosse milagre.
Mas milagre não ia acontecer com ele e justo na prova de Ciências.
Estava lá, bem grande, em vermelho, no alto da página: Três.
Pronto, estava azarado.
PINSKY,Mirna.As muitas mães de Ariel.SP:Melhoramentos,1980.
Leia o texto abaixo.
RETA FINAL PARA O SAEB
1 FATO
3OPINIÕES
Identifique um fato importante do texto:
A. A personagem achava que ia passar vexame.
B. A personagem percebeu que Irene não se importava com a nota.
C.A personagem tirou três na prova de Ciências.
D.A personagem estava azarada.
MATRIZ DOS SABERES
FUNDAMENTAL
S05
RETA FINAL PARA O SAEB
Ariel chega suado na classe .D.Maria Luisa está colocando nas carteira a prova
de Ciências já corrigida. Inda bem que ela colocou a nota para baixo.
Ariel acha que deu vexame, o pior é que vai ter que levar a prova para a mãe
assinar. Senta-se devagarinho e olha a prova.O Jair, ao lado, deve ter tirado um
notão porque está rindo sozinho. Também, grande coisa! O Jair só faz estudar!
É tão grosso no futebol, que nem o professor de ginástica tem coragem de
escalar ele para o time! Vê que Irene tirou dois, mas ela não está nem aí. A mãe
dela deve ser dessas que não enchem muito. Se ele tirasse dois, coitado dele.
Vira a ponta da prova bem devagar. E, só se fosse milagre.
Mas milagre não ia acontecer com ele e justo na prova de Ciências.
Estava lá, bem grande, em vermelho, no alto da página: Três.
Pronto, estava azarado.
PINSKY,Mirna.As muitas mães de Ariel.SP:Melhoramentos,1980.
RETA FINAL PARA O SAEB
1 FATO
3OPINIÕES
Identifique um fato importante do texto:
A. A personagem achava que ia passar vexame.
B. A personagem percebeu que Irene não se importava com a nota.
C.A personagem tirou três na prova de Ciências.
D.A personagem estava azarada.
OPINIÃO:
QUESTIONÁVEL
OPINIÃO:
QUESTIONÁVEL
FATO:
INQUESTIONÁVEL
OPINIÃO:
QUESTIONÁVEL
RETA FINAL PARA O SAEB
Identifique um fato importante do texto:
A. A personagem achava que ia passar vexame.
B. A personagem percebeu que Irene não se importava com a nota.
C.A personagem tirou três na prova de Ciências.
D.A personagem estava azarada.
FATO:
INQUESTIONÁVEL
Descritores Elementares.pptx
Descritores Elementares.pptx
Descritores Elementares.pptx
Descritores Elementares.pptx

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Descritores Elementares.pptx

Semelhante a Descritores Elementares.pptx (20)

Apresentação poesia1
Apresentação poesia1Apresentação poesia1
Apresentação poesia1
 
Música infantilimpress
Música infantilimpressMúsica infantilimpress
Música infantilimpress
 
MúSi..
MúSi..MúSi..
MúSi..
 
Musica infantil brasileira
Musica infantil brasileiraMusica infantil brasileira
Musica infantil brasileira
 
SIMULADO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 7° ANO - doc
SIMULADO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 7° ANO - docSIMULADO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 7° ANO - doc
SIMULADO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 7° ANO - doc
 
PROJETO POESIA
PROJETO POESIAPROJETO POESIA
PROJETO POESIA
 
Poemas Pra CriançAs
Poemas Pra CriançAsPoemas Pra CriançAs
Poemas Pra CriançAs
 
Projeto: Cantigas de roda
Projeto: Cantigas de roda Projeto: Cantigas de roda
Projeto: Cantigas de roda
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO 2º CICLO - 4º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO 2º CICLO - 4º BIMESTREAVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO 2º CICLO - 4º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO 2º CICLO - 4º BIMESTRE
 
Redacao 8serie-ef
Redacao 8serie-efRedacao 8serie-ef
Redacao 8serie-ef
 
Port1 a bailarina - 2 aulas
Port1   a bailarina - 2 aulasPort1   a bailarina - 2 aulas
Port1 a bailarina - 2 aulas
 
Curso de atualização redação oficial
Curso de atualização  redação oficialCurso de atualização  redação oficial
Curso de atualização redação oficial
 
Poeima na ong
Poeima na ongPoeima na ong
Poeima na ong
 
Projeto carnaval
Projeto carnavalProjeto carnaval
Projeto carnaval
 
0104 historia das vogais
0104 historia das vogais0104 historia das vogais
0104 historia das vogais
 
Atividades portugues semana-da-patria1
Atividades portugues  semana-da-patria1Atividades portugues  semana-da-patria1
Atividades portugues semana-da-patria1
 
Projeto
ProjetoProjeto
Projeto
 
Gêneros literários 2
Gêneros literários 2Gêneros literários 2
Gêneros literários 2
 
1ª tarefa conexart 2013
1ª tarefa conexart 20131ª tarefa conexart 2013
1ª tarefa conexart 2013
 

Mais de Antônia marta Silvestre da Silva

Plano de Aula Português 4º ano - com o gênero textual conto de fadas e questõ...
Plano de Aula Português 4º ano - com o gênero textual conto de fadas e questõ...Plano de Aula Português 4º ano - com o gênero textual conto de fadas e questõ...
Plano de Aula Português 4º ano - com o gênero textual conto de fadas e questõ...Antônia marta Silvestre da Silva
 
Eixo+de+Literatura_Anos+Iniciais_Módulo+1_2023+(1)_abcdpdf_pdf_para_ppt.pptx
Eixo+de+Literatura_Anos+Iniciais_Módulo+1_2023+(1)_abcdpdf_pdf_para_ppt.pptxEixo+de+Literatura_Anos+Iniciais_Módulo+1_2023+(1)_abcdpdf_pdf_para_ppt.pptx
Eixo+de+Literatura_Anos+Iniciais_Módulo+1_2023+(1)_abcdpdf_pdf_para_ppt.pptxAntônia marta Silvestre da Silva
 

Mais de Antônia marta Silvestre da Silva (20)

TRILHA DOS DESCRITORES - 5º ano Língua Portuguesa
TRILHA DOS DESCRITORES - 5º ano Língua PortuguesaTRILHA DOS DESCRITORES - 5º ano Língua Portuguesa
TRILHA DOS DESCRITORES - 5º ano Língua Portuguesa
 
♡Planejamento Anual 5º ano -Língua guesa
♡Planejamento Anual 5º ano -Língua guesa♡Planejamento Anual 5º ano -Língua guesa
♡Planejamento Anual 5º ano -Língua guesa
 
Planejamento bimestral 2º ano - 1° bim.pdf
Planejamento bimestral 2º ano - 1° bim.pdfPlanejamento bimestral 2º ano - 1° bim.pdf
Planejamento bimestral 2º ano - 1° bim.pdf
 
PLANO DECURSO ED. FÍSICA 3º AO 5° ANOS ~~ALCIONE.pdf
PLANO DECURSO ED. FÍSICA 3º AO 5° ANOS ~~ALCIONE.pdfPLANO DECURSO ED. FÍSICA 3º AO 5° ANOS ~~ALCIONE.pdf
PLANO DECURSO ED. FÍSICA 3º AO 5° ANOS ~~ALCIONE.pdf
 
CORRELAÇÃO DE MATRIZES 1º AO 5ºº ANO.pdf
CORRELAÇÃO DE MATRIZES 1º AO 5ºº ANO.pdfCORRELAÇÃO DE MATRIZES 1º AO 5ºº ANO.pdf
CORRELAÇÃO DE MATRIZES 1º AO 5ºº ANO.pdf
 
Planejamento bimestral 5º ano de todas as disciplinas
Planejamento bimestral 5º ano de todas as disciplinasPlanejamento bimestral 5º ano de todas as disciplinas
Planejamento bimestral 5º ano de todas as disciplinas
 
DOCUMENTO CURRICULAR REFERENCIAL DO CEARÁ.pdf
DOCUMENTO CURRICULAR REFERENCIAL DO CEARÁ.pdfDOCUMENTO CURRICULAR REFERENCIAL DO CEARÁ.pdf
DOCUMENTO CURRICULAR REFERENCIAL DO CEARÁ.pdf
 
Plano de Aula Português 4º ano - com o gênero textual conto de fadas e questõ...
Plano de Aula Português 4º ano - com o gênero textual conto de fadas e questõ...Plano de Aula Português 4º ano - com o gênero textual conto de fadas e questõ...
Plano de Aula Português 4º ano - com o gênero textual conto de fadas e questõ...
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA.pdf
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA.pdfCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA.pdf
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA.pdf
 
EXERC_1-PROVA-BRASIL-DESCR-15-5o-Ano-L.P.docx
EXERC_1-PROVA-BRASIL-DESCR-15-5o-Ano-L.P.docxEXERC_1-PROVA-BRASIL-DESCR-15-5o-Ano-L.P.docx
EXERC_1-PROVA-BRASIL-DESCR-15-5o-Ano-L.P.docx
 
3ª FORMAÇÃO REGIONAL - PAIC INTEGRAL CEARÁ
3ª FORMAÇÃO REGIONAL - PAIC INTEGRAL CEARÁ3ª FORMAÇÃO REGIONAL - PAIC INTEGRAL CEARÁ
3ª FORMAÇÃO REGIONAL - PAIC INTEGRAL CEARÁ
 
BALADÃO TIK TOK 2º ano COM OS DESCRITORES DO SAEB\SPAECE
BALADÃO TIK TOK  2º ano COM OS DESCRITORES DO SAEB\SPAECEBALADÃO TIK TOK  2º ano COM OS DESCRITORES DO SAEB\SPAECE
BALADÃO TIK TOK 2º ano COM OS DESCRITORES DO SAEB\SPAECE
 
fORMAÇÃO CONTINUADA AVALIAÇÕES EXTERNAS.pptx
fORMAÇÃO CONTINUADA AVALIAÇÕES EXTERNAS.pptxfORMAÇÃO CONTINUADA AVALIAÇÕES EXTERNAS.pptx
fORMAÇÃO CONTINUADA AVALIAÇÕES EXTERNAS.pptx
 
AULAO_DE_LINGUA_PORTUGUESA.pptx
AULAO_DE_LINGUA_PORTUGUESA.pptxAULAO_DE_LINGUA_PORTUGUESA.pptx
AULAO_DE_LINGUA_PORTUGUESA.pptx
 
Eixo+de+Literatura_Anos+Iniciais_Módulo+1_2023+(1)_abcdpdf_pdf_para_ppt.pptx
Eixo+de+Literatura_Anos+Iniciais_Módulo+1_2023+(1)_abcdpdf_pdf_para_ppt.pptxEixo+de+Literatura_Anos+Iniciais_Módulo+1_2023+(1)_abcdpdf_pdf_para_ppt.pptx
Eixo+de+Literatura_Anos+Iniciais_Módulo+1_2023+(1)_abcdpdf_pdf_para_ppt.pptx
 
variaeslingusticas-150714203732-lva1-app6891.pptx
variaeslingusticas-150714203732-lva1-app6891.pptxvariaeslingusticas-150714203732-lva1-app6891.pptx
variaeslingusticas-150714203732-lva1-app6891.pptx
 
Slide módulo 4.pptx
Slide módulo 4.pptxSlide módulo 4.pptx
Slide módulo 4.pptx
 
descritor 26 .1.3.pptx
descritor 26 .1.3.pptxdescritor 26 .1.3.pptx
descritor 26 .1.3.pptx
 
BALADINHA VOANDO MAIS ALTO .pptx
BALADINHA VOANDO MAIS ALTO .pptxBALADINHA VOANDO MAIS ALTO .pptx
BALADINHA VOANDO MAIS ALTO .pptx
 
AÇÕES DE DEZEMBRO.pptx
AÇÕES DE DEZEMBRO.pptxAÇÕES DE DEZEMBRO.pptx
AÇÕES DE DEZEMBRO.pptx
 

Último

Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 

Último (20)

Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 

Descritores Elementares.pptx

  • 4. D1
  • 5.
  • 6. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D1 - LOCALIZAR INFORMAÇÃO EXPLÍCITA RETA FINAL PARA O SAEB
  • 7. D1 - LOCALIZAR INFORMAÇÃO EXPLÍCITA SEQUÊNCIA DIDÁTICA: RESOLUÇÃO DE ITEM TEXTO ANUNCIADO ALTERNATIVAS RETA FINAL PARA O SAEB
  • 8. 5º RETA FINAL PARA O SAEB A menina e o pássaro encantado A menina amava aquele pássaro e podia ouvi-lo sem parar, dia após dia. E o pássaro amava a menina e por isto voltava sempre. Mas chegava sempre uma hora de tristeza. “−Tenho de ir”, ele dizia. “−Por favor, não vá. Fico tão triste. Terei saudades. E vou chorar...” E a menina fazia um beicinho... “−Eu também terei saudades” dizia o pássaro. “Eu também vou chorar. Mas eu vou lhe contar um segredo: as plantas precisam da água, nós precisamos do ar, os peixes precisam dos rios... E o meu encanto precisa da saudade. É aquela saudade, na espera da volta que faz com que minhas penas fiquem bonitas. Se eu não for não haverá saudade. Eu deixarei de ser um pássaro encantado. E você deixará de me amar.” Assim ele partiu. A menina, sozinha, chorava de tristeza à noite, imaginando se o pássaro voltaria. ALVES, Rubem. A menina e o pássaro encantado. São Paulo: Edições Loyola, 1992, p.11-13 (Fragmento) Leia o texto abaixo
  • 9. RETA FINAL PARA O SAEB O encanto do pássaro precisa A.da saudade da menina B.da tristeza da menina C.da dúvida da menina D.o choro da menina
  • 10. 5º RETA FINAL PARA O SAEB A menina e o pássaro encantado A menina amava aquele pássaro e podia ouvi-lo sem parar, dia após dia. E o pássaro amava a menina e por isto voltava sempre. Mas chegava sempre uma hora de tristeza. “−Tenho de ir”, ele dizia. “−Por favor, não vá. Fico tão triste. Terei saudades. E vou chorar...” E a menina fazia um beicinho... “−Eu também terei saudades” dizia o pássaro. “Eu também vou chorar. Mas eu vou lhe contar um segredo: as plantas precisam da água, nós precisamos do ar, os peixes precisam dos rios... E o meu encanto precisa da . É aquela saudade, na espera da volta que faz com que minhas penas fiquem bonitas. Se eu não for não haverá saudade. Eu deixarei de ser um pássaro encantado. E você deixará de me amar.” Assim ele partiu. A menina, sozinha, chorava de tristeza à noite, imaginando se o pássaro voltaria. ALVES, Rubem. A menina e o pássaro encantado. São Paulo: Edições Loyola, 1992, p.11-13 (Fragmento) saudade
  • 11. RETA FINAL PARA O SAEB O encanto do pássaro precisa A.da saudade da menina B.da tristeza da menina C.da dúvida da menina D.o choro da menina
  • 13.
  • 14. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D3 - INFERIR SENTIDO DE PALAVRA OU EXPRESSÃO RETA FINAL PARA O SAEB
  • 15. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D3 - INFERIR SENTIDO DE PALAVRA OU EXPRESSÃO SEQUÊNCIA DIDÁTICA: RESOLUÇÃO DE ITEM RETA FINAL PARA O SAEB
  • 16. SEQUÊNCIA DIDÁTICA: RESOLUÇÃO DE ITEM RETA FINAL PARA O SAEB OLHANDO PARA OS DESCRITORES D3 - INFERIR SENTIDO DE PALAVRA OU EXPRESSÃO
  • 17. RETA FINAL PARA O SAEB O CARACOL E A PITANGA Há dois dias o caracol galgava lentamente o tronco da pitangueira, subindo e parando e subindo. Quarenta e oito horas de esforço tranquilo, de caminhar quase filosófico. De repente, enquanto ele fazia mais um movimento para avançar, desceu pelo tronco, apressadamente, no seu passo fustigado e ágil, uma formiga-maluca, dessas que vão e vêm mais rápidas que coelho de desenho animado. Parou um instantinho, olhou zombeteira o caracol e disse: “Volta, volta, velho! Que é que você vai fazer lá em cima? Não é tempo de pitanga.” “Vou indo, vou indo.” – respondeu calmamente o caracol. -“quando eu chegar lá em cima vai ser tempo de pitanga.” Moral: No Brasil não há pressa! FERNANDES, Millôr. 100 fábulas fabulosas. Rio de Janeiro: Record, 2003. [s.p.].
  • 18. RETA FINAL PARA O SAEB A expressão “Caminhar filosófico” na linha (3) significa andar de maneira A. calma B. ágil C.animada D.apressada
  • 19. 5º RETA FINAL PARA O SAEB O CARACOL E A PITANGA Há dois dias o caracol galgava lentamente o tronco da pitangueira, subindo e parando e subindo. Quarenta e oito horas de esforço tranquilo, de caminhar quase filosófico. De repente, enquanto ele fazia mais um movimento para avançar, desceu pelo tronco, apressadamente, no seu passo fustigado e ágil, uma formiga- maluca, dessas que vão e vêm mais rápidas que coelho de desenho animado. Parou um instantinho, olhou zombeteira o caracol e disse: “Volta, volta, velho! Que é que você vai fazer lá em cima? Não é tempo de pitanga.” “Vou indo, vou indo.” – respondeu calmamente o caracol. -“quando eu chegar lá em cima vai ser tempo de pitanga.” Moral: No Brasil não há pressa! FERNANDES, Millôr. 100 fábulas fabulosas. Rio de Janeiro: Record, 2003. [s.p.].
  • 20. Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de esforço tranquilo, caminhar “caminhar filosófico”. Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de esforço tranquilo, caminhar CALMO? RETA FINAL PARA O SAEB A expressão “Caminhar filosófico” na linha (3) significa andar de maneira A. calma B. ágil C.animada D.apressada
  • 21. Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de esforço tranquilo, caminhar “caminhar filosófico”. Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de esforço tranquilo, caminhar ÁGIL? RETA FINAL PARA O SAEB A expressão “Caminhar filosófico” na linha (3) significa andar de maneira A. calma B. ágil C.animada D.apressada
  • 22. Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de esforço tranquilo, caminhar “caminhar filosófico”. Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de esforço tranquilo, caminhar ANIMADA? RETA FINAL PARA O SAEB A expressão “Caminhar filosófico” na linha (3) significa andar de maneira A. calma B. ágil C.animada D.apressada
  • 23. Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de esforço tranquilo, caminhar “caminhar filosófico”. Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de esforço tranquilo, caminhar APRESSADA? RETA FINAL PARA O SAEB A expressão “Caminhar filosófico” na linha (3) significa andar de maneira A. calma B. ágil C.animada D.apressada
  • 24. 5º Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de esforço tranquilo, caminhar “caminhar filosófico”. Há dois dias o caracol [...] Quarenta e oito horas de esforço tranquilo, caminhar CALMO? RETA FINAL PARA O SAEB A expressão “Caminhar filosófico” na linha (3) significa andar de maneira A. calma B. ágil C.animada D.apressada
  • 26.
  • 27. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D4 - INFERIR UMA INFORMAÇÃO IMPLÍCITA EM UM TEXTO EXPLÍCITO EXPLÍCITO EXPLÍCITO EXPLÍCITO EXPLÍCITO EXPLÍCITO RETA FINAL PARA O SAEB IMPLÍCITO EXPLÍCITO HÁBITO DE ELABORAR EXPECTATIVA
  • 28. 5º A BAILARINA Esta menina tão pequenina quer ser bailarina. Não conhece nem dó nem ré mas sabe ficar na ponta do pé. Não conhece nem mi nem fá Mas inclina o corpo para cá e para lá Não conhece nem lá nem si, mas fecha os olhos e sorri. Roda, roda, roda, com os bracinhos no ar e não fica tonta nem sai do lugar. MEIRELES, C. Ou isto ou aquilo. 6ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002 OLHANDO PARA OS DESCRITORES D4 - INFERIR UMA INFORMAÇÃO IMPLÍCITA EM UM TEXTO RETA FINAL PARA O SAEB
  • 29. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D4 - INFERIR UMA INFORMAÇÃO IMPLÍCITA EM UM TEXTO RETA FINAL PARA O SAEB A personagem do poema: A.É uma cantora. B.É uma ótima dançarina. C.É uma menina infeliz. D.É uma bailarina experiente. SE… ENTÃO... A BAILARINA Esta menina tão pequenina quer ser bailarina. Não conhece nem dó nem ré mas sabe ficar na ponta do pé. Não conhece nem mi nem fá Mas inclina o corpo para cá e para lá Não conhece nem lá nem si, mas fecha os olhos e sorri. Roda, roda, roda, com os bracinhos no ar e não fica tonta nem sai do lugar. MEIRELES, C. Ou isto ou aquilo. 6ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002
  • 30. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D4 - INFERIR UMA INFORMAÇÃO IMPLÍCITA EM UM TEXTO RETA FINAL PARA O SAEB A personagem do poema: A.É uma cantora. B.É uma ótima dançarina. C.É uma menina infeliz. D.É uma bailarina experiente. SE… ENTÃO... A BAILARINA Esta menina tão pequenina quer ser bailarina. Não conhece nem dó nem ré mas sabe ficar na ponta do pé. Não conhece nem mi nem fá Mas inclina o corpo para cá e para lá Não conhece nem lá nem si, mas fecha os olhos e sorri. Roda, roda, roda, com os bracinhos no ar e não fica tonta nem sai do lugar. MEIRELES, C. Ou isto ou aquilo. 6ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002
  • 31. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D4 - INFERIR UMA INFORMAÇÃO IMPLÍCITA EM UM TEXTO RETA FINAL PARA O SAEB A personagem do poema: A.É uma cantora. B.É uma ótima dançarina. C.É uma menina infeliz. D.É uma bailarina experiente. SE… ENTÃO... A BAILARINA Esta menina tão pequenina quer ser bailarina. Não conhece nem dó nem ré mas sabe ficar na ponta do pé. Não conhece nem mi nem fá Mas inclina o corpo para cá e para lá Não conhece nem lá nem si, mas fecha os olhos e sorri. Roda, roda, roda, com os bracinhos no ar e não fica tonta nem sai do lugar. MEIRELES, C. Ou isto ou aquilo. 6ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002
  • 32. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D4 - INFERIR UMA INFORMAÇÃO IMPLÍCITA EM UM TEXTO RETA FINAL PARA O SAEB A personagem do poema: A.É uma cantora. B.É uma ótima dançarina. C.É uma menina infeliz. D. É uma bailarina experiente. SE… ENTÃO... A BAILARINA Esta menina tão pequenina quer ser bailarina. Não conhece nem dó nem ré mas sabe ficar na ponta do pé. Não conhece nem mi nem fá Mas inclina o corpo para cá e para lá Não conhece nem lá nem si, mas fecha os olhos e sorri. Roda, roda, roda, com os bracinhos no ar e não fica tonta nem sai do lugar. MEIRELES, C. Ou isto ou aquilo. 6ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002
  • 33. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D4 - INFERIR UMA INFORMAÇÃO IMPLÍCITA EM UM TEXTO RETA FINAL PARA O SAEB A personagem do poema: A.É uma cantora. B.É uma ótima dançarina. C.É uma menina infeliz. D.É uma bailarina experiente.
  • 35.
  • 36. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D6 - IDENTIFICAR O TEMA EM UM TEXTO RETA FINAL PARA O SAEB PERSPECTIVA DO AUTOR PERSPECTIVA DO LEITOR
  • 37. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D6 - IDENTIFICAR TEMA EM UM TEXTO RETA FINAL PARA O SAEB Mata Atlântica A floresta densa e úmida que você vê, quando vai a muitas de suas praias preferidas é a Mata Atlântica. Quando o Brasil foi descoberto, ela margeava todo o litoral, desde o Nordeste até o Sul do país. Hoje, restam apenas 7% da vegetação, abrigo de mais de 20 mil espécies de plantas, 261 espécies de mamíferos, 340 de anfíbios, 192 de répteis e 1 020 de pássaros. Boa parte dessas espécies só existe na Mata Atlântica. Nova Escola, mar.2009. Qual é o assunto desse texto? A. A constituição da Mata Atlântica. B. A extensão do litoral brasileiro. C.O desaparecimento da floresta. D.O descobrimento do Brasil. O texto fala O TEMPO TODO sobre o quê?
  • 38. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D6 - IDENTIFICAR TEMA EM UM TEXTO RETA FINAL PARA O SAEB Mata Atlântica A floresta densa e úmida que você vê, quando vai a muitas de suas praias preferidas é a Mata Atlântica. Quando o Brasil foi descoberto, ela margeava todo o litoral, desde o Nordeste até o Sul do país. Hoje, restam apenas 7% da vegetação, abrigo de mais de 20 mil espécies de plantas, 261 espécies de mamíferos, 340 de anfíbios, 192 de répteis e 1 020 de pássaros. Boa parte dessas espécies só existe na Mata Atlântica. Nova Escola, mar.2009. Qual é o assunto desse texto? A. A constituição da Mata Atlântica. B. A extensão do litoral brasileiro. C.O desaparecimento da floresta. D.O descobrimento do Brasil. O texto fala O TEMPO TODO sobre o quê?
  • 39. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D6 - IDENTIFICAR TEMA EM UM TEXTO RETA FINAL PARA O SAEB Mata Atlântica A floresta densa e úmida que você vê, quando vai a muitas de suas praias preferidas é a Mata Atlântica. Quando o Brasil foi descoberto, ela margeava todo o litoral, desde o Nordeste até o Sul do país. Hoje, restam apenas 7% da vegetação, abrigo de mais de 20 mil espécies de plantas, 261 espécies de mamíferos, 340 de anfíbios, 192 de répteis e 1 020 de pássaros. Boa parte dessas espécies só existe na Mata Atlântica. Nova Escola, mar.2009. Qual é o assunto desse texto? A. A constituição da Mata Atlântica. B. A extensão do litoral brasileiro. C.O desaparecimento da floresta. D.O descobrimento do Brasil. O texto fala O TEMPO TODO sobre o quê?
  • 40. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D6 - IDENTIFICAR TEMA EM UM TEXTO RETA FINAL PARA O SAEB Mata Atlântica A floresta densa e úmida que você vê, quando vai a muitas de suas praias preferidas é a Mata Atlântica. Quando o Brasil foi descoberto, ela margeava todo o litoral, desde o Nordeste até o Sul do país. Hoje, restam apenas 7% da vegetação, abrigo de mais de 20 mil espécies de plantas, 261 espécies de mamíferos, 340 de anfíbios, 192 de répteis e 1 020 de pássaros. Boa parte dessas espécies só existe na Mata Atlântica. Nova Escola, mar.2009. Qual é o assunto desse texto? A. A constituição da Mata Atlântica. B. A extensão do litoral brasileiro. C.O desaparecimento da floresta. D.O descobrimento do Brasil. O texto fala O TEMPO TODO sobre o quê?
  • 41. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D6 - IDENTIFICAR TEMA EM UM TEXTO RETA FINAL PARA O SAEB Mata Atlântica A floresta densa e úmida que você vê, quando vai a muitas de suas praias preferidas é a Mata Atlântica. Quando o Brasil foi descoberto, ela margeava todo o litoral, desde o Nordeste até o Sul do país. Hoje, restam apenas 7% da vegetação, abrigo de mais de 20 mil espécies de plantas, 261 espécies de mamíferos, 340 de anfíbios, 192 de répteis e 1 020 de pássaros. Boa parte dessas espécies só existe na Mata Atlântica. Nova Escola, mar.2009. Qual é o assunto desse texto? A. A constituição da Mata Atlântica. B. A extensão do litoral brasileiro. C.O desaparecimento da floresta. D.O descobrimento do Brasil. O texto fala O TEMPO TODO sobre o quê?
  • 42. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D6 - IDENTIFICAR TEMA EM UM TEXTO RETA FINAL PARA O SAEB Mata Atlântica A floresta densa e úmida que você vê, quando vai a muitas de suas praias preferidas é a Mata Atlântica. Quando o Brasil foi descoberto, ela margeava todo o litoral, desde o Nordeste até o Sul do país. Hoje, restam apenas 7% da vegetação, abrigo de mais de 20 mil espécies de plantas, 261 espécies de mamíferos, 340 de anfíbios, 192 de répteis e 1 020 de pássaros. Boa parte dessas espécies só existe na Mata Atlântica. Nova Escola, mar.2009. Qual é o assunto desse texto? A. A constituição da Mata Atlântica. B. A extensão do litoral brasileiro. C.O desaparecimento da floresta. D.O descobrimento do Brasil. O texto fala O TEMPO TODO sobre o quê?
  • 43. D11 Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato
  • 44.
  • 45. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D11 - DISTINGUIR UM FATO DA OPINIÃO RELATIVA A ESSE FATO RETA FINAL PARA O SAEB
  • 46. OLHANDO PARA OS DESCRITORES D11 - DISTINGUIR UM FATO DA OPINIÃO RELATIVA A ESSE FATO ACONTECEU! PODE SER COMPROVADO! NÃO DÁ PARA DISCORDAR! RETA FINAL PARA O SAEB
  • 47. É UM PENSAMENTO! NÃO PODE SER COMPROVADA! DÁ PARA DISCORDAR! RETA FINAL PARA O SAEB OLHANDO PARA OS DESCRITORES D11 - DISTINGUIR UM FATO DA OPINIÃO RELATIVA A ESSE FATO
  • 48. RETA FINAL PARA O SAEB OLHANDO PARA OS DESCRITORES D11 - DISTINGUIR UM FATO DA OPINIÃO RELATIVA A ESSE FATO
  • 49. RETA FINAL PARA O SAEB Ariel chega suado na classe .D.Maria Luisa está colocando nas carteira a prova de Ciências já corrigida. Inda bem que ela colocou a nota para baixo. Ariel acha que deu vexame, o pior é que vai ter que levar a prova para a mãe assinar. Senta-se devagarinho e olha a prova.O Jair, ao lado, deve ter tirado um notão porque está rindo sozinho. Também, grande coisa! O Jair só faz estudar! É tão grosso no futebol, que nem o professor de ginástica tem coragem de escalar ele para o time! Vê que Irene tirou dois, mas ela não está nem aí. A mãe dela deve ser dessas que não enchem muito. Se ele tirasse dois, coitado dele. Vira a ponta da prova bem devagar. E, só se fosse milagre. Mas milagre não ia acontecer com ele e justo na prova de Ciências. Estava lá, bem grande, em vermelho, no alto da página: Três. Pronto, estava azarado. PINSKY,Mirna.As muitas mães de Ariel.SP:Melhoramentos,1980. Leia o texto abaixo.
  • 50. RETA FINAL PARA O SAEB 1 FATO 3OPINIÕES Identifique um fato importante do texto: A. A personagem achava que ia passar vexame. B. A personagem percebeu que Irene não se importava com a nota. C.A personagem tirou três na prova de Ciências. D.A personagem estava azarada.
  • 51. MATRIZ DOS SABERES FUNDAMENTAL S05 RETA FINAL PARA O SAEB Ariel chega suado na classe .D.Maria Luisa está colocando nas carteira a prova de Ciências já corrigida. Inda bem que ela colocou a nota para baixo. Ariel acha que deu vexame, o pior é que vai ter que levar a prova para a mãe assinar. Senta-se devagarinho e olha a prova.O Jair, ao lado, deve ter tirado um notão porque está rindo sozinho. Também, grande coisa! O Jair só faz estudar! É tão grosso no futebol, que nem o professor de ginástica tem coragem de escalar ele para o time! Vê que Irene tirou dois, mas ela não está nem aí. A mãe dela deve ser dessas que não enchem muito. Se ele tirasse dois, coitado dele. Vira a ponta da prova bem devagar. E, só se fosse milagre. Mas milagre não ia acontecer com ele e justo na prova de Ciências. Estava lá, bem grande, em vermelho, no alto da página: Três. Pronto, estava azarado. PINSKY,Mirna.As muitas mães de Ariel.SP:Melhoramentos,1980.
  • 52. RETA FINAL PARA O SAEB 1 FATO 3OPINIÕES Identifique um fato importante do texto: A. A personagem achava que ia passar vexame. B. A personagem percebeu que Irene não se importava com a nota. C.A personagem tirou três na prova de Ciências. D.A personagem estava azarada. OPINIÃO: QUESTIONÁVEL OPINIÃO: QUESTIONÁVEL FATO: INQUESTIONÁVEL OPINIÃO: QUESTIONÁVEL
  • 53. RETA FINAL PARA O SAEB Identifique um fato importante do texto: A. A personagem achava que ia passar vexame. B. A personagem percebeu que Irene não se importava com a nota. C.A personagem tirou três na prova de Ciências. D.A personagem estava azarada. FATO: INQUESTIONÁVEL