Trabalho de organizacao e metodologia da educacao infantil

2.172 visualizações

Publicada em

Trabalho de organizacao e metodologia da educacao infantil

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.172
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho de organizacao e metodologia da educacao infantil

  1. 1. Universidade Anhanguera Uniderp – Polo Bela Vista Pedagogia – 4 semestre Organização e metodologia da Educação Infantil Prof. Patrícia Ocariz de Souza Rosa Situações Didáticas voltadas para crianças do Ensino Infantil ANNY CAROLINE B. HOFFMEISTER RA : 413079 DIOLMIRA ARECO BARBOSA RA: 414491 ROSENIR ALVES DE OLIVEIRAMOLINA RA: 408288 VIVIAN RENATA GONÇALVES COELHO DE OLIVEIRA RA: 414500 Bela Vista, 17 de setembro de 2014
  2. 2. Situações Didáticas voltadas para crianças do Ensino Infantil O presente trabalho tem por objetivo relatar aspectos para compreender a história da educação infantil, nos tempos antigos e como se diferencia nos tempos atuais Quais metodologias usadas, materiais usados, instrumentos de avaliação, e como a educação vem se modificando no seu jeito de trabalhar.
  3. 3. FOTOS DA ÉPOCA ANTIGA Fotos de aproximadamente; A partir 1980. Numero proporcional; Aproximadamente, 18 meninas e 18 meninos. Tipo de vestimenta; Meninas, de vestido branco manga longa, sapato preto. Meninos, calça camisa manga longa, sapato social. Organização das crianças; Na 2° foto todas em fileiras; Na 1° foto todos em grupos fazendo alguma atividade. Postura das crianças; Na 2° foto; Posicionamento adequado, e expressão de felicidade. E na 3° foto todos inclinados, realizando atividades e com expressão de felicidade.
  4. 4. FOTOS DOS DIAS ATUAIS Fotos de aproximadamente; A partir de2014 Numero proporcional; De 5 a 10 meninos e meninas. Tipo de vestimenta; Alguns de uniforme, outros de regata, outros sem uniforme. Organização das crianças; Na 1° foto, todos enfileirados lado a lado, e na 2° foto todos em pé Postura das crianças; Algumas crianças quietas, e outras com a mão levantada para responder a alguma questão.
  5. 5. Entrevistas Entrevistamos duas pessoas que estudaram nas décadas de 70 e 80 adiante. Maria de Lourdes (40 anos) e Roberto de Almeida (47 anos). Os materiais usados eram: Borracha, caneta tinteiro, régua de madeira, estojo de lata ou madeira, caderno tipo brochura. Os uniformes usadas eram: Mulheres: “O uniforme era saia azul-marinho plissada, blusa branca e por cima o blusão vermelho e azul-marinho”. Homens: "Camiseta com o logotipo do colégio, calça jeans escura e tênis na cor azul, vermelho ou branco.“ Formas de agrupamento: Naquela época as classes dos meninos eram separadas das classes das meninas.
  6. 6. Memorias positivas: Das aulas de artes eram muito interessantes, brincávamos muito. Musicas Cantadas: Cantigas de rodas, O sapo não lava o pé, atirei o pau no gato, samba Le Le, músicas folclóricas Instrumentos de avaliação: A avaliação era a forma de testar e medir os acertos e erros dos alunos, com provas e também quando fazíamos coisas ditas erradas, éramos castigados com palmatórias, joelhos no milho ou castigos sentados no canto da sala em silêncio e de costa para a sala. Organização e participação das festividades: No dia das mães Brincávamos, desenhávamos, cantávamos, dançávamos, fazia teatro. Procedimentos que ficaram na memória sobre as intervenções feitas pelos professores: A professora cantava todas as manhãs e nos contava histórias fabulosas
  7. 7. Texto comparativo Durante as entrevistas e estudos percebemos que através dos tempos muitas coisas mudaram na educação infantil. Ao contrário dos dias atuais, em algumas décadas atrás havia um cuidado muito grande com a socialização das crianças, ou eram divididos em pequenos grupos de até quatro pessoas, acreditava-se que as crianças em grupos poderiam não se comportar tão bem quanto as professoras gostariam. Notamos que o caráter das instituições, a necessidade de suprir o vazio deixado pelas mães é uma das características que não mudou. Descobrimos que os materiais utilizados somente foram acrescentados e modernizados, como o uso de novas tecnologias, como o computador, Datashow, etc. Porem o velho lápis, caderno e borracha sempre estão presentes em nossas salas de aula, até mesmo na educação infantil.
  8. 8. TEORICOS DESENVOLVIMENTO HUMANO MOTRICIDADE LINGUAGEM E COGNIÇAO PIAGET Cientista suíço que revolucionou a forma de encarar a infância. Foi um dos mais importantes pesquisadores e auxiliar da educação e da pedagogia. Nasceu em Neuchatel, em 9/8/1896 e morreu em 17/8/1980. Embora fosse ótimo pesquisador, ele era biólogo e não criou um método de ensino, pois não atuou como pedagogo. Seu estudo se restringiu ao processo pelo qual o ser humano adquire conhecimentos. Ele dividiu os períodos de acordo com o aparecimento de novas qualidades de pensamento e que, por sua vez, interfere no desenvolvimento do indivíduo. - 1º período: sensório motor (0 a 2 anos); - 2º período: pré-operatório (2 a 7 anos); - 3º período: operações concretas (7 a 11 ou 12 anos); - 4º período: operações formais (11 ou 12 anos em diante). Cada período é caracterizado por aquilo que de melhor o ser humano consegue fazer nessas faixas etárias. Por volta dos cinco meses, a criança consegue coordenar os movimentos das mãos e olhos e pegar objetos. Neste período, fica evidente que o desenvolvimento físico motriz acelerado é suporte para o aparecimento de novas habilidades. No período de 2 a 7 anos, há a maturação neurofisiológica e, com esta, completa-se e amplia-se a motricidade permitindo o desenvolvimento de novas habilidades como a coordenação motora fina. Pegar pequenos objetos com as pontas dos dedos, segurar o lápis corretamente etc No curto espaço de tempo, por volta de dois anos, a criança evolui de uma atividade passiva em relação ao ambiente para uma atitude ativa e participativa. Começa a imitar regras e a compreender algumas palavras, e é capaz da fala imitativa. A 1ª infância (de 2 a 7 anos) é o período mais importante, quando se dá o aparecimento da linguagem e irá acarretar modificações nos aspectos intelectual, afetivo e social da criança. A interação e a comunicação entre os indivíduos são as consequências mais evidentes do desenvolvimento da linguagem e da cognição.
  9. 9. TEORICOS DESENVOLVIMENTO HUMANO MOTRICIDADE LINGUAGEM E COGNIÇAO Lev Vygotsky nasceu em 1896 em Arsha, perto de Minsk, capital da Bielo Rússia. Era médico e morreu aos 38 anos de tuberculose. Fundou um laboratório de Psicologia e se destacou pela cultura enciclopédica. Ele acreditava que a criança é um (ser) indivíduo social. Criou a teoria do processo social histórico e o conceito de zona de desenvolvimento proximal, que é a distância entre o que o indivíduo já sabe, já domina, e o que ele tem potencial para aprender. Constituiu teses e ideias inovadoras sobre temas como a relação entre o pensamento e a linguagem, a natureza do processo de desenvolvimento da criança e o papel da instrução no desenvolvimento. Um dos pressupostos básicos de sua teoria é que as origens das formas superiores de comportamento consciente devem ser achadas nas relações sociais que o homem mantém. Ele entendia o homem como ser ativo sobre o mundo e que transforma suas ações para que construam o funcionamento do plano interno. Ele considerava o desenvolvimento infantil sobre três aspectos: o instrucional, o cultural e o histórico. Segundo Vygotsky, a história da sociedade e do desenvolvimento humano caminham juntas. Inicialmente, a fala acompanha a motricidade e, posteriormente, a fala dirige, determina e domina o curso da ação, com sua função planejadora. Os movimentos da criança afetam o adulto, não o objeto diretamente. O gesto é criado na interação. A criança passa a ter controle de uma forma de sinal pelas relações sociais e interativas. Está alicerçado no plano das interações. Todos os movimentos e expressões verbais da criança, no início de sua vida, são importantes, pois afetam o adulto, que os interpreta e devolve à criança como ação e/ou com a fala. No que concerne à cognição, ele deu ênfase ao processo de internalização como mecanismo que intervém no desenvolvimento das funções psicológicas da aprendizagem. Esta é a reconstrução interna de uma operação externa e tem como base a linguagem.
  10. 10. TEORICOS DESENVOLVIMENTO HUMANO MOTRICIDADE LINGUAGEM E COGNIÇAO WALLON Henri Wallon, além de elaborar uma teoria sobre o desenvolvimento humano, em virtude de sua preocupação com a educação, escreveu também suas ideias pedagógicas: sua psicogenética é essencialmente sociocultural e relativista, com forte lastro orgânico. Sua teoria considera o desenvolvimento da pessoa completa integrada ao meio social considerando-se os aspectos afetivo, cognitivo e motor integrados. O desenvolvimento se dá na integração do ser humano (seu aparato orgânico) com o meio social. A motricidade e seu desenvolvimento, para Wallon, está ancorada no desenvolvimento neurológico, como condição e limite. No estágio sensório-motor, a criança realiza um extenso e diferenciado acordo entre as percepções e os movimentos. Com a maturação neurológica os reflexos, são inibidos e a criança torna-se capaz de realizar exercícios sensório-motores conduzindo a um duplo resultado: ligar o efeito perceptível e diversificar os movimentos. As habilidades de linguagem, Wallon acreditava serem aptidões cultivadas, desenvolvidas em contato com a cultura, e não apenas inatas, embora dependam também das condições orgânicas. Quanto ao desenvolvimento cognitivo, para Wallon, todos deveriam ter oportunidades iguais e respeito à singularidade (subjetividade) de cada pessoa. A todo o desenvolvimento intelectual, estético e moral seria oferecida uma base comum para oportunizar à criança experimentar, descobrir suas tendências de acordo com o seu estágio de desenvolvimento.
  11. 11. TEORICOS DESENVOLVIMENTO HUMANO MOTRICIDADE LINGUAGEM E COGNIÇAO MONTESSORI O método montessoriano, ou abordagem biopsicológica, continua atual e questiona rótulos de normalidade e anormalidade entre as crianças. As que são estimuladas a desenvolverem avançam, segundo a descoberta feita por Montessori de algumas leis que regem o desenvolvimento humano e a aprendizagem da criança. Os principais norteadores montessorianos baseiam-se nas etapas do desenvolvimento biopsicológico infantil e, assim, as crianças ver-se-iam envolvidas com diversas atividades simultaneamente em sala de aula: uns com matemática, outros com arte e linguagem etc. Sua abordagem era um modo de ver o desenvolvimento da criança entremeado com as condições ambientais que poderiam favorecer ou atrapalhar. Quanto à motricidade, para ela toda característica específica de uma pessoa é adquirida com a ajuda de um impulso passageiro. A motricidade não é somente cognitiva, mas fruto do esforço guiado cuidadosamente por instintos ou períodos. A criança que não tiver acesso a experiências que permitam o desenvolvimento, no tempo certo, sofrerá um distúrbio no seu desenvolvimento. Para Montessori, a linguagem é uma das maneiras de a criança interagir com o meio. A linguagem surge, na infância, num processo natural e inconsciente pela necessidade de se expressar. A cognição e a aprendizagem, para ela, ocorrem por conta própria e, portanto, precisa-se ter vontade para aprender. Quando é motivada, a criança passa a ter interesse e autoconfiança. O método promove o desenvolvimento da concentração. Períodos sensíveis: período sensível por ordem; período sensível por detalhes; período sensível para utilização das mãos; período sensível para andar; período sensível para a linguagem.
  12. 12. TEORICOS DESENVOLVIMENTO HUMANO MOTRICIDADE LINGUAGEM E COGNIÇAO WALDORF “Educar para o futuro” significa encarar, a partir da própria organização escolar, os principais desafios que a atualidade propõe. Na pedagogia Waldorf, dá-se importância à educação no primeiro setênio (0 a 7 anos de idade), por tratar-se da fase da vida na qual é desenvolvida a organização do corpo físico. Nessa fase, a criança aprende a adequar-se aos apelos do mundo por meio da imitação das pessoas e das ocorrências ao seu redor. Cabe aos adultos escolherem a qualidade do ambiente e as atitudes dignas de serem imitadas pelas crianças. A solução está na real compreensão fisiológica e psicológica do desenvolvimento. Nos primeiros meses e até três anos, a criança sente visível necessidade de movimentar-se constantemente, mas com movimentos caóticos e desajeitados. Aos 4 ou 5 anos, a criança nessa fase continua com a necessidade de conquistar a consciência corporal, isto é, estimular e condicionar, mas o ambiente deve proporcionar situações para a alegria e a segurança. Ela já responde aos estímulos dos adultos, como a possibilidade de alfabetização precoce entre 4 e 5 anos. Além de não interferir de forma a melhorar a capacidade intelectual quando adulto, não é produtivo tirar da criança a oportunidade de desenvolver a fantasia, despertar a alegria da conquista e aquisição da sua segurança diante do mundo. Dos 5 aos 7 anos, há o surgimento de um novo comportamento. A imaginação se cristaliza levemente em representações mentais das experiências vividas no mundo. Tem início os primeiros passos de um raciocínio e, só agora, em torno de 6 anos completos, no sétimo ano de vida, é que podemos apelar para uma compreensão de ideias, de pensamentos sobre o mundo.
  13. 13. TEORICOS DESENVOLVIMENTO HUMANO MOTRICIDADE LINGUAGEM E COGNIÇAO FREINET O livre arbítrio também deve ser considerado entre as crianças. Segundo Freinet, toda criança já possui uma consciência moral. Para Celestin Freinet, todo indivíduo é sociopolítico, ou seja, tem a sua parte de responsabilidade na sociedade a qual está inserida e, consequentemente, é influenciada politicamente, mesmo não querendo. Para ele, o desenvolvimento humano passa por formação de pessoas livres, construtoras de um juízo sólido e de nobre caráter. Para Freinet, o desenvolvimento da motricidade de cada ser humano deve respeitar a sua individualidade (subjetividade), mas não ter problemas de integração social. Para ele, a vontade humana é a força motriz que faz com que as pessoas se movimentem. Para Freinet, deve-se oferecer aos educandos leituras e atividades diversificadas, com jornais, revistas e outras, oportunizando o desenvolvimento da linguagem e promover a construção do conhecimento e a compreensão de estudos do meio e do universo que nos cerca. Devem-se empregar atividades que possibilitem formular hipóteses num conceito de aprendizado de normas e sequência didática. Essa pedagogia se fundamenta em quatro eixos: cooperação (construir conhecimento comutativamente);comunicação (formalizar e transmitir); documentação (o chamado livro da vida); afetividade (com um vínculo entre as pessoas e delas com o conhecimento).
  14. 14. AVALIAÇAO Na Educação Infantil, a avaliação não pode ser restrita a atividades no papel ("provinhas"). A avaliação deve ser diária e em todas as atividades realizadas, inclusive nas brincadeiras e jogos. Avaliação na educação infantil é um procedimento de fundamental importância, pois permite identificar as conquistas alcançadas pela criança. É através da avaliação que o professor pode perceber se o método de ensino utilizado está sendo adequado para aquele grupo. Relatório: Constitui-se em uma atividade composta por uma série de ações, tais como: observação do professor, registros das aulas, elaboração de relatórios, participação dos pais na avaliação dos filhos. Relatórios, são instrumentos utilizados pelos professores para observar as crianças, anotando as situações, as experiências e os diversos aspectos da caminhada do grupo, dos alunos individualmente e de seus processos, tanto na aprendizagem quanto no âmbito relacional e de grupo.
  15. 15. Observação: A observação é um meio de avaliação muito importante na educação infantil, pois através dela o professor acompanha o desenvolvimento da criança no seu cotidiano. Com a observação diária o professor identifica se a criança está atingindo os objetivos esperados para aquela determinada atividade, se os resultados foram alcançados e se há pontos a serem reformulados. Partindo da observação das atividades proporcionadas a elas, o professor deve criar oportunidades onde as crianças irão desenvolver novos aprendizados, criando possibilidades através da brincadeira.
  16. 16. Registro: O registro é um acompanhamento da observação, pois através da observação o professor deve registrar tudo que acontece em sua sala de aula. O registro pode ser feito de diversas maneiras como: escrita, fotografias, vídeos, gravação de áudio e outros. É muito importante esse registro diário, pois não podemos confiar em nossa memória, o professor pode esquecer algum detalhe importante que seja fundamental na hora de fazer o parecer descritivo da criança.
  17. 17. Bibliografia http://ivoneavelar.blogspot.com.br/2012/09/a-visao-dos-educadores-sobre. html Oliveira, Zilma de Moraes Ramos de. Educação Infantil : fundamentos e métodos. 7.ed. São Paulo : Cortez, 2011

×