( 1845- 1900)
“ Quando não se tem aquilo que se gosta é
necessário gostar-se daquilo que se tem.”
1845
Nasce na
Póvoa de
Varzim
1855 Morre em Paris
1900
1895
1885
1865
Início da
sua
atividade
literária
(?)
Vai para a
Uni...
Romances
Novelas
Contos
 Presença: heterodiegético ( “ Era uma vez
um rei (…) que partira a batalhar … “ )
 Focalização: omnisciente
 Posição: ...
Situação Inicial: dois primeiros parágrafos
 Desenvolvimento: terceiro parágrafo até “…
que nenhuma audácia pode transpo...
 Organização das sequências narrativas:
encadeamento
 Desfecho da ação: ação fechada
 Ação Principal: quando a aia troc...
 Relevo:
 Protagonista: aia
Personagens secundárias: o rei, a rainha,
o tio, o príncipe e o escravo
Figurantes: multid...
 Personagem modelada: aia
 Personagens planas: o resto das
personagens
Aia
Modos de caracterização
Física “ … bela e robusta…” “..,atirando os cabelos para
trás,…”
Psicológica “A leal escrava…”...
Rainha
Modos de caracterização
Física “ …quase nua”
“… desgrenhada…”
Psicológica “… solitária e triste a sua
rainha…”
“… d...
Rei
Modos de caracterização
Física “.., moço…”
“… formoso…”
Psicológica “…valente,…”
“… alegre.”
Social “…um rei..”
Direta...
Tio
Modos de caracterização
Física “… homem enorme,….”
“…, face flamejante,…”
Psicológica “ …mais temeroso”
“… depravado e...
Principezinho
Modos de caracterização
Física “… tinha o cabelo louro e
fino,…”
“ Os olhos de ambos reluziam
como pedras pr...
Escravozinho
Modos de caracterização
Física “…tinha o cabelo negro e
crespo.”
“ Os olhos de ambos reluziam
como pedras pre...
Espaço Físico Espaço Social Espaço
Psicológico
Exterior Interior Ambiente de
corte
•“castelo sobre os montes” “no
cimo das...
 Tempo Cronológico:
“A Lua cheia que o vira marchar, levado no seu sonho
de conquista e de fama, começava a minguar…”;
...
 Tempo histórico: Idade Média
Nome da figura de Estilo Expressão retirada do texto
Dupla Adjetivação “ Era uma vez um rei, moço e valente,… ”
“ Os olhos...
Eça de Queiroz e os seus contos- A aia
Eça de Queiroz e os seus contos- A aia
Eça de Queiroz e os seus contos- A aia
Eça de Queiroz e os seus contos- A aia
Eça de Queiroz e os seus contos- A aia
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Eça de Queiroz e os seus contos- A aia

794 visualizações

Publicada em

Análise do conto "A aia"

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
794
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Eça de Queiroz e os seus contos- A aia

  1. 1. ( 1845- 1900) “ Quando não se tem aquilo que se gosta é necessário gostar-se daquilo que se tem.”
  2. 2. 1845 Nasce na Póvoa de Varzim 1855 Morre em Paris 1900 1895 1885 1865 Início da sua atividade literária (?) Vai para a Universidade de Coimbra para tirar a Licenciatura de Direito Em Paris, exerce o cargo de cônsul de Portugal 1875 Vive em Inglaterra, onde exerce o cargo de cônsul em Newcastle e Bristol Conclui o curso e muda-se para Lisboa onde exerce advocacia e jornalismo Nomeado administrador do Concelho de Leira Nomeado cônsul de Portugal em Havana ( Cuba)
  3. 3. Romances Novelas Contos
  4. 4.  Presença: heterodiegético ( “ Era uma vez um rei (…) que partira a batalhar … “ )  Focalização: omnisciente  Posição: subjetiva (“ Mas como? Que bolsas de ouro podem pagar um filho? “ )
  5. 5. Situação Inicial: dois primeiros parágrafos  Desenvolvimento: terceiro parágrafo até “… que nenhuma audácia pode transpor.”  Ponto culminante: “ Ora uma noite,…” até “ …, que punhado de rubis, ia ela escolher? “  Desenlace: três últimos parágrafos  Momentos da narrativa:
  6. 6.  Organização das sequências narrativas: encadeamento  Desfecho da ação: ação fechada  Ação Principal: quando a aia trocou os berços dos bebés, para salvar o principezinho. Como o irmão bastardo do rei matou o filho da aia, o principezinho acabou por sobreviver e a rainha maravilhada, recompensou-a, levando-a à câmara dos tesouros. A aia, como recompensa, escolheu um punhal, e cravou-o no coração, porque foi a única maneira que aia arranjou para voltar a dar de mamar ao seu filho.
  7. 7.  Relevo:  Protagonista: aia Personagens secundárias: o rei, a rainha, o tio, o príncipe e o escravo Figurantes: multidão, exército, as aias e os soldados
  8. 8.  Personagem modelada: aia  Personagens planas: o resto das personagens
  9. 9. Aia Modos de caracterização Física “ … bela e robusta…” “..,atirando os cabelos para trás,…” Psicológica “A leal escrava…” “Agarrara o punhal, e com ele apertado fortemente na mão, (…) . E cravou o punhal no coração.” “Nascida naquela casa real, ela tinha a paixão,…” “…, a ambos cercava de carinho igual,…” “ …- como se os braços em que estreitava o seu príncipe fossem muralhas de uma cidadela…” Social “…escrava…” Direta Indireta Tipos de caracterização
  10. 10. Rainha Modos de caracterização Física “ …quase nua” “… desgrenhada…” Psicológica “… solitária e triste a sua rainha…” “… desventurosa” “ E desgrenhada quase nua….” “… a rainha invadiu a câmara,…” “…, num choro, despedaçada.” Social “…, a rainha…” Direta Indireta Tipos de caracterização
  11. 11. Rei Modos de caracterização Física “.., moço…” “… formoso…” Psicológica “…valente,…” “… alegre.” Social “…um rei..” Direta Indireta Tipos de caracterização
  12. 12. Tio Modos de caracterização Física “… homem enorme,….” “…, face flamejante,…” Psicológica “ …mais temeroso” “… depravado e bravio…” “…, consumido de cobiças grosseiras,…” “…, à maneira de um lobo que entre a sua atalaia espera a presa.” “…, de face mais escura que a noite e coração mais escuro que a face,…” “…, faminto do trono,…” Social “…, irmão bastardo do rei,….” Direta Indireta Tipos de caracterização
  13. 13. Principezinho Modos de caracterização Física “… tinha o cabelo louro e fino,…” “ Os olhos de ambos reluziam como pedras preciosas.” “ O corpozinho tenro…” Psicológica Social “… o príncipe.” “… o berço de um era magnífico e de marfim entre brocados…” Direta Indireta Tipos de caracterização
  14. 14. Escravozinho Modos de caracterização Física “…tinha o cabelo negro e crespo.” “ Os olhos de ambos reluziam como pedras preciosas.” “… o seu corpinho gordo…” Psicológica “… a sua alma livre e simples de escravo.” Social “… o escravozinho,…” “… e o berço do outro pobre e de verga.” Direta Indireta Tipos de caracterização
  15. 15. Espaço Físico Espaço Social Espaço Psicológico Exterior Interior Ambiente de corte •“castelo sobre os montes” “no cimo das serras” “planície” •“As portas da cidade” •“na galeria” – palácio •“naquela casa real” • palácio •câmara onde se encontram os berços • “câmara dos tesouros” •palácio • rei •rainha •principezinho • aia •escravozinho •guardas “ O rei seu amo , decerto, já estaria agora reinando num outro reino, para além das nuvens…”
  16. 16.  Tempo Cronológico: “A Lua cheia que o vira marchar, levado no seu sonho de conquista e de fama, começava a minguar…”; “Ambos tinham nascido na mesma noite de Verão.”; “…uma noite…”, “…a luz da madrugada, já clara e rósea…”.
  17. 17.  Tempo histórico: Idade Média
  18. 18. Nome da figura de Estilo Expressão retirada do texto Dupla Adjetivação “ Era uma vez um rei, moço e valente,… ” “ Os olhos de ambos reluziam como pedras preciosas. “ “ O seu cavalo de batalha, as suas armas, os seus pajens tinham subido com ele às alturas. ” Comparação “ Uma roca não governa como uma espada. “ Metáfora “ … os seus cabelos de ouro. “ Comparação Enumeração “..e já o sol se erguia, e era tarde, e o seu menino chorava decerto, e procurava…” Polissíndeto

×