Triade vice diretor

772 visualizações

Publicada em

SARESP - São José dos Campos

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
772
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
142
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Triade vice diretor

  1. 1. Tríade SARESP 2014 Encontro com Vice Diretores/as 21/10/2014
  2. 2. Conscientização/Divulgação Qualidade Participação e Compromisso Divulgação na comunidade Ciclo de reuniões com pais/responsáveis Empenho e dedicação Ações desenvolvidas pela DE em 2014 Conscientização dos alunos Tríade SARESP 2014
  3. 3. Divulgação na comunidade Participação e compromisso Ações desenvolvidas pela DE em 2014 Conscientização dos alunos Vices Diretores PMEC Grêmio Est. PC + Professores Núcleo Pedagógico Supervisão de Ensino Equipes Gestoras Tríade SARESP 2014 Qualidade Acesso Permanência Vices Diretores #divisão de responsabilidades PC+ Profs Alunos compareçam nos dias 11 e 12/11 Alunos participem do SARESP com total empenho e comprometimento Ciclo de reuniões com pais/responsáveis Participação e compromisso Conscientização e divulgação
  4. 4. ANEXO II - SARESP 2014 - Calendário de Provas – EF & EM Data Provas Anos/Séries 11/11 - Língua Portuguesa 2º ano EF 3º ano EF - Língua Portuguesa - Redação (amostra) 5º ano EF - Língua Portuguesa - Matemática 7º ano EF / 9º ano EF 3ª série EM 12/11 - Matemática 2º ano EF / 3º ano EF 5º ano EF -Ciências (Ciências da Natureza) 7º ano EF /9º ano EF - Biologia, Física e Química (Ciê. da Natureza) 3ª série EM - Redação (amostra) 7º ano EF / 9º ano EF 3ª série EM Resolução SE Nº 41/2014 - Dispõe sobre a realização das provas de avaliação relativas ao SARESP/2014
  5. 5. “Cotidiano Escolar” “É um lugar de transição e de encontro, de interferências e de conflitos.” p.29 “(...) é preciso considerar a complexidade do cotidiano escolar (...) p.27 “Paradigmas do cotidiano” João Carlos Tedesco (1999) 2. construção composta de numerosos elementos interligados ou que funcionam como um todo 7. passível de ser encarado ou apreciado sob diversos ângulos Conforme Houaiss:
  6. 6. Cotidiano escolar : transição, encontros, interferências e conflitos “ ”
  7. 7. Cotidiano escolar : transição, encontros, interferências e conflitos
  8. 8. Cotidiano escolar : transição, encontros, interferências e conflitos
  9. 9. Cotidiano escolar : transição, encontros, interferências e conflitos
  10. 10. Cotidiano escolar : transição, encontros, interferências e conflitos
  11. 11. Cotidiano escolar : transição, encontros, interferências e conflitos
  12. 12. SUPER VICE-DIRETOR/A Cotidiano escolar : transição, encontros, interferências e conflitos
  13. 13. Cotidiano escolar : transição, encontros, interferências e conflitos
  14. 14. Legislação VICE-DIRETOR/A Art. 63 – O integrante do Quadro do Magistério tem o dever constante (...), além das obrigações previstas em outras normas, deverá: III – empenhar-se em prol do desenvolvimento do aluno, utilizando processos que acompanhem o progresso científico da educação XV – participar do processo de planejamento, execução e avaliação das atividades escolares; LEI 444/1985 - Dispõe sobre o Estatuto do Magistério Paulista Artigo 5º – O Quadro do Magistério é constituído, (...), na seguinte conformidade: c) Assistente de Diretor de Escola (Vice diretor) Capítulo II - Do Núcleo de Direção Art. 62 - O núcleo de direção da escola é o centro executivo do planejamento, organização, coordenação, avaliação e integração de todas as atividades desenvolvidas no âmbito da unidade escolar. Parágrafo único - Integram o núcleo de direção o diretor de escola e o vice- diretor. TÍTULO V - DA ORGANIZAÇÃO TÉCNICO-ADMINISTRATIVA PARECER CEE nº 67/98 - CEF/CEM -Aprovado em 18-03-98
  15. 15. Participação e compromisso
  16. 16. Participação X Compromisso “Onde os alunos estão?” “Onde a escola está?” Estabelecer essa relação à partir do que já foi construído! “Usar as peças que temos, jogadas que temos e não a que não temos.” (Kasparov, 1997)
  17. 17. PALAVRAS: LOUCAS E POUCAS PAULO RONCA
  18. 18. PAULO AFONSO CARUSO RONCA “Não sei se já alguma vez disse ao leitor que as idéias, para mim, são como nozes, e que até hoje não descobri melhor processo para saber o que está dentro de umas e de outras, senão quebrá- las.” Machado de Assis
  19. 19. Avaliação educacional de larga escala Processo de Avaliação Rendimento e Desempenho Escolar Investiga, compara e acompanha o desenvolvimento de um sistema educacional
  20. 20. SUMÁRIO EXECUTIVO - SARESP 2013 1.1. – Finalidades do SARESP: # fornecer informações consistentes, periódicas e comparáveis sobre a situação da escolaridade básica (...); # como um dos critérios de acompanhamento das metas a serem atingidas pelas escolas; # aprimorar o planejamento pedagógico das escolas, mediante a análise dos resultados e a comparação entre os resultados obtidos pela escola e os seus objetivos; # disponibilizar os resultados de cada escola pública estadual à população em geral, condição essencial para o acompanhamento do ensino (...);
  21. 21. 1.1. – Finalidades do SARESP: Alunos Pais/responsáveis Dados e informações Objetivos Propostas de mudanças “Propaganda”
  22. 22. OS RESULTADOS DO SARESP Proficiência em lugar de Nota/ Conceito. Posicionamento em Escala em lugar de lista de aprovados Classificação em Níveis como mecanismo para induzir ações de melhoria. (Abaixo do Básico / Básico / Adequado / Avançado)
  23. 23. Níveis de proficiência Abaixo do Básico Domínio insuficiente dos conteúdos, competências e habilidades desejáveis para a série/ano Domínio mínimo dos conteúdos, competências e habilidades, mas possuem as estruturas necessárias para interagir com a série/ano subsequente. Domínio pleno dos conteúdos, compe- tências e habilidades desejáveis para a série/ano Domínio dos conteúdos, competências e habilidades acima do requerido na série/ano Básico Adequado Avançado
  24. 24. O QUE ESSES DADOS NOS MOSTRAM O SIGNIFICADO DA MÉDIA: Como está minha turma? Como está minha escola? DESCRIÇÃO DO NÍVEL: O que é que meus alunos são capazes de fazer? O que é preciso reforçar? O que há para ser corrigido? Até onde posso desafiar?
  25. 25. Encaminhamentos: Elaborar um plano de ação de conscientização e divulgação da comunidade sobre a importância do SARESP: •Quanto dias temos? • Articulação entre a equipe gestora capacitada: vice-diretor, vice- diretor do PEF, Professor Mediador, aluno representante do Grêmio Estudantil; •Data- local –hora •Descrição do assunto; •O que é importante ressaltar neste momento? •Como mobiliar? •Cartazes, panfletos, mural, carro de som, radio da escola, •Reuniões com a comunidade: no final de semana para o PEF? •Um olhar especial para os pais/responsáveis das turmas que farão o SARESP 2014? •Sensibilizações?

×