SlideShare uma empresa Scribd logo

Atividade: Trabalho em Grupo II

1 de 10
Baixar para ler offline
APRENDER A COLABORAR
ANDREIA DURÃES
CONCEITO DE GRUPO
• Conjunto de indivíduos com um objectivo comum em
interdependência que cooperam para atingir o fim que
os reuniu.
• Segundo Estrela (2002), o grupo turma, é um grupo
formal que obedece a características especiais. O grupo
não se constitui de forma voluntária e os fins que devem
atingir são-lhes impostos.
FUNÇOES DO TRABALHO DE GRUPO
• Regular as aprendizagens
▫ Processo activo e construtivo onde os aprendentes definem os
objectivos para a sua aprendizagem e regulam a sua cognição,
motivação e comportamento, tendo em conta as
características do ambiente em que estão inseridos.
• Socializar
▫ Melhora as suas competências sociais, uma vez que aprendem
a compatibilizar as suas conveniências com as necessidades dos
outros, melhorando assim a sua capacidade de diálogo.
• Potencializar o equilíbrio emocional
▫ Desenvolve as relações entre os elementos do grupo, podendo
satisfazer as suas necessidades básicas, como a de ser aceite ou
a de estabelecer relações amistosas.
Bonals, 2000
PONTOS DE REFERÊNCIA PARA O TG
• Trabalho individual de cada elemento do grupo
▫ Obrigatoriedade para a tomada de decisão sobre quem faz o quê.
▫ Respeito pelas contribuições individuais
• Tarefa adequada para o grupo cooperativo
▫ Resolução de problemas
▫ Tarefas abertas
▫ Partilha de conhecimentos e competências para um fim comum
• Treinos de competências para trabalhar em grupo cooperativo
▫ Elevado grau de tolerância e compreensão mutua.
▫ Empenhamento na discussão e questionamento de competências
• Avaliação
▫ Professor / Formador deve estar atento ao processo no sentido de
dar feedback ao grupo, para que este melhore a capacidade de
monitorização das tarefas.
Veiga Simão, 2000
CONCEITO DE COOPERAÇÃO
• COOPERAÇÃO COMO ESTRUTURA
▫ Rede de objectivos presente num conjunto de pessoas, que só poderão ser
alcançados se todos tiverem consciência que os outros também
deverão/poderão alcançar os seus objectivos.
• COOPERAÇÃO COMO CARACTERISTICA PESSOAL
▫ Característica de personalidade
• COOPERAÇÃO COMO COMPORTAMENTO
▫ Comportamento observável do aluno em sala de aula, numa situação de
aprendizagem.
“Na cooperação, o objectivo é partilhado e é o relacionamento para alcançá-lo que
mantém juntos os indivíduos que cooperam” (Owens, 1985)
CONCEITO DE MOTIVAÇÃO
• Motivação é a força que potencia e dirige o
comportamento (estimula e mantém o
comportamento - persistência)
• Implica escolhas e tomadas de decisão, mais ou
menos conscientes.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Rosilene carvalho medav_atividade_iv
Rosilene carvalho medav_atividade_ivRosilene carvalho medav_atividade_iv
Rosilene carvalho medav_atividade_ivRose Carvalho
 
Aula sobre os quatro tipos de agrupamento humano
Aula sobre os quatro tipos de agrupamento humanoAula sobre os quatro tipos de agrupamento humano
Aula sobre os quatro tipos de agrupamento humanoWalter Poltronieri
 
Comportamento Organizacional - Técnico em Comércio
Comportamento Organizacional - Técnico em ComércioComportamento Organizacional - Técnico em Comércio
Comportamento Organizacional - Técnico em ComércioAntonio Pinto Pereira
 
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: MotivaçãoDebora Miceli
 
Relações interpessoais para o curso Pro-funcionário 21032009
Relações interpessoais para o curso Pro-funcionário 21032009Relações interpessoais para o curso Pro-funcionário 21032009
Relações interpessoais para o curso Pro-funcionário 21032009JUCILANA
 
Dinâmica de grupo 4 adm
Dinâmica de grupo 4 admDinâmica de grupo 4 adm
Dinâmica de grupo 4 admBusao Coletivo
 
Liderança e comportamento organizacional
Liderança e comportamento organizacionalLiderança e comportamento organizacional
Liderança e comportamento organizacionalRicardo Albuquerque
 
01. Dinâmica das Relações Interpessoais: O Indivíduo e o Grupo
01. Dinâmica das Relações Interpessoais: O Indivíduo e o Grupo01. Dinâmica das Relações Interpessoais: O Indivíduo e o Grupo
01. Dinâmica das Relações Interpessoais: O Indivíduo e o GrupoDebora Miceli
 
GESTÃO DO CONHECIMENTO EMPRESARIAL
GESTÃO DO CONHECIMENTO EMPRESARIALGESTÃO DO CONHECIMENTO EMPRESARIAL
GESTÃO DO CONHECIMENTO EMPRESARIALCarlos Benjoino Bidu
 
Comportamento Organizacional - Formação
Comportamento Organizacional - FormaçãoComportamento Organizacional - Formação
Comportamento Organizacional - FormaçãoElsa Fernandes
 
Liderança, clima e cultura organizacional
Liderança, clima e cultura organizacionalLiderança, clima e cultura organizacional
Liderança, clima e cultura organizacionalpcm1nd
 
Relações Interpessoais 1
Relações Interpessoais 1Relações Interpessoais 1
Relações Interpessoais 1Jorge Barbosa
 
Relacionamento interpessoal e trabalho em equipe - Aula 3
Relacionamento interpessoal e trabalho em equipe - Aula 3Relacionamento interpessoal e trabalho em equipe - Aula 3
Relacionamento interpessoal e trabalho em equipe - Aula 3Professor Cristiano Barreto
 
Relacionamento interpessoal e trabalho em equipe - Aula 1
Relacionamento interpessoal e trabalho em equipe - Aula 1Relacionamento interpessoal e trabalho em equipe - Aula 1
Relacionamento interpessoal e trabalho em equipe - Aula 1Professor Cristiano Barreto
 

Mais procurados (19)

Rosilene carvalho medav_atividade_iv
Rosilene carvalho medav_atividade_ivRosilene carvalho medav_atividade_iv
Rosilene carvalho medav_atividade_iv
 
Aula sobre os quatro tipos de agrupamento humano
Aula sobre os quatro tipos de agrupamento humanoAula sobre os quatro tipos de agrupamento humano
Aula sobre os quatro tipos de agrupamento humano
 
Diagramadinamica
DiagramadinamicaDiagramadinamica
Diagramadinamica
 
Comportamento Organizacional - Técnico em Comércio
Comportamento Organizacional - Técnico em ComércioComportamento Organizacional - Técnico em Comércio
Comportamento Organizacional - Técnico em Comércio
 
Competências do formador
Competências do formadorCompetências do formador
Competências do formador
 
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação
02. Dinâmica das Relações Interpessoais: Motivação
 
Relações interpessoais para o curso Pro-funcionário 21032009
Relações interpessoais para o curso Pro-funcionário 21032009Relações interpessoais para o curso Pro-funcionário 21032009
Relações interpessoais para o curso Pro-funcionário 21032009
 
Dinâmica de grupo 4 adm
Dinâmica de grupo 4 admDinâmica de grupo 4 adm
Dinâmica de grupo 4 adm
 
Liderança e comportamento organizacional
Liderança e comportamento organizacionalLiderança e comportamento organizacional
Liderança e comportamento organizacional
 
01. Dinâmica das Relações Interpessoais: O Indivíduo e o Grupo
01. Dinâmica das Relações Interpessoais: O Indivíduo e o Grupo01. Dinâmica das Relações Interpessoais: O Indivíduo e o Grupo
01. Dinâmica das Relações Interpessoais: O Indivíduo e o Grupo
 
GESTÃO DO CONHECIMENTO EMPRESARIAL
GESTÃO DO CONHECIMENTO EMPRESARIALGESTÃO DO CONHECIMENTO EMPRESARIAL
GESTÃO DO CONHECIMENTO EMPRESARIAL
 
Comportamento Organizacional - Formação
Comportamento Organizacional - FormaçãoComportamento Organizacional - Formação
Comportamento Organizacional - Formação
 
Grupos - Social
Grupos - SocialGrupos - Social
Grupos - Social
 
Liderança, clima e cultura organizacional
Liderança, clima e cultura organizacionalLiderança, clima e cultura organizacional
Liderança, clima e cultura organizacional
 
Relações Interpessoais 1
Relações Interpessoais 1Relações Interpessoais 1
Relações Interpessoais 1
 
Relacionamento interpessoal e trabalho em equipe - Aula 3
Relacionamento interpessoal e trabalho em equipe - Aula 3Relacionamento interpessoal e trabalho em equipe - Aula 3
Relacionamento interpessoal e trabalho em equipe - Aula 3
 
Relacionamento interpessoal e trabalho em equipe - Aula 1
Relacionamento interpessoal e trabalho em equipe - Aula 1Relacionamento interpessoal e trabalho em equipe - Aula 1
Relacionamento interpessoal e trabalho em equipe - Aula 1
 
Relacão Interpessoal
Relacão InterpessoalRelacão Interpessoal
Relacão Interpessoal
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
 

Destaque

A influência da motivação na produtividade no trabalho
A influência da motivação na produtividade no trabalhoA influência da motivação na produtividade no trabalho
A influência da motivação na produtividade no trabalhoLuciane Zuanazzi
 
Durães, Maia & Matos, (2010). Trabalho Colaborativo: Uma estratégia para a Re...
Durães, Maia & Matos, (2010). Trabalho Colaborativo: Uma estratégia para a Re...Durães, Maia & Matos, (2010). Trabalho Colaborativo: Uma estratégia para a Re...
Durães, Maia & Matos, (2010). Trabalho Colaborativo: Uma estratégia para a Re...Andreia Durães
 
Final.conceção e desenvolvimento de ambientes de aprendizagem online
Final.conceção e desenvolvimento de ambientes de aprendizagem onlineFinal.conceção e desenvolvimento de ambientes de aprendizagem online
Final.conceção e desenvolvimento de ambientes de aprendizagem onlineGuilhermina Miranda
 
Overview of the evaluation field
Overview of the evaluation fieldOverview of the evaluation field
Overview of the evaluation fieldAndreia Durães
 
Manualcalameo
ManualcalameoManualcalameo
Manualcalameomanjosp
 
´Projecto FInal - Módulo de Formação
´Projecto FInal - Módulo de Formação´Projecto FInal - Módulo de Formação
´Projecto FInal - Módulo de FormaçãoAndreia Durães
 
3.a sessao -_ferramentas_web_2.0
3.a sessao -_ferramentas_web_2.03.a sessao -_ferramentas_web_2.0
3.a sessao -_ferramentas_web_2.0manjosp
 
Apresentação regina
Apresentação reginaApresentação regina
Apresentação reginareginacunha1
 
O discurso da qualidade e a qualidade do discurso.
O discurso da qualidade e a qualidade do discurso. O discurso da qualidade e a qualidade do discurso.
O discurso da qualidade e a qualidade do discurso. Andreia Durães
 
Tecnologias educacionais Wordle
Tecnologias educacionais WordleTecnologias educacionais Wordle
Tecnologias educacionais WordleAdriana Carvalho
 
Conteudos 2.a sessao
Conteudos 2.a sessaoConteudos 2.a sessao
Conteudos 2.a sessaomanjosp
 
Noam chomsky el asalto neoliberal a las universidades y cómo debe ser la ed...
Noam chomsky   el asalto neoliberal a las universidades y cómo debe ser la ed...Noam chomsky   el asalto neoliberal a las universidades y cómo debe ser la ed...
Noam chomsky el asalto neoliberal a las universidades y cómo debe ser la ed...Guilhermina Miranda
 
Resposta à crítica oito ensaios que não precisa de ler de gonçalo mira
Resposta à crítica oito ensaios que não precisa de ler de gonçalo miraResposta à crítica oito ensaios que não precisa de ler de gonçalo mira
Resposta à crítica oito ensaios que não precisa de ler de gonçalo miraGuilhermina Miranda
 
Tutorial issuu
Tutorial issuuTutorial issuu
Tutorial issuumanjosp
 
ANÁLISE COMPARATIVA DOS REGIMES DE GESTÃO ESCOLAR
ANÁLISE COMPARATIVA DOS REGIMES DE GESTÃO ESCOLARANÁLISE COMPARATIVA DOS REGIMES DE GESTÃO ESCOLAR
ANÁLISE COMPARATIVA DOS REGIMES DE GESTÃO ESCOLARAndreia Durães
 

Destaque (20)

A influência da motivação na produtividade no trabalho
A influência da motivação na produtividade no trabalhoA influência da motivação na produtividade no trabalho
A influência da motivação na produtividade no trabalho
 
Paulo de Morais entrevista
Paulo de Morais entrevistaPaulo de Morais entrevista
Paulo de Morais entrevista
 
Durães, Maia & Matos, (2010). Trabalho Colaborativo: Uma estratégia para a Re...
Durães, Maia & Matos, (2010). Trabalho Colaborativo: Uma estratégia para a Re...Durães, Maia & Matos, (2010). Trabalho Colaborativo: Uma estratégia para a Re...
Durães, Maia & Matos, (2010). Trabalho Colaborativo: Uma estratégia para a Re...
 
Final.conceção e desenvolvimento de ambientes de aprendizagem online
Final.conceção e desenvolvimento de ambientes de aprendizagem onlineFinal.conceção e desenvolvimento de ambientes de aprendizagem online
Final.conceção e desenvolvimento de ambientes de aprendizagem online
 
Uivo
UivoUivo
Uivo
 
Overview of the evaluation field
Overview of the evaluation fieldOverview of the evaluation field
Overview of the evaluation field
 
Manualcalameo
ManualcalameoManualcalameo
Manualcalameo
 
´Projecto FInal - Módulo de Formação
´Projecto FInal - Módulo de Formação´Projecto FInal - Módulo de Formação
´Projecto FInal - Módulo de Formação
 
3.a sessao -_ferramentas_web_2.0
3.a sessao -_ferramentas_web_2.03.a sessao -_ferramentas_web_2.0
3.a sessao -_ferramentas_web_2.0
 
Apresentação regina
Apresentação reginaApresentação regina
Apresentação regina
 
O discurso da qualidade e a qualidade do discurso.
O discurso da qualidade e a qualidade do discurso. O discurso da qualidade e a qualidade do discurso.
O discurso da qualidade e a qualidade do discurso.
 
Tecnologias educacionais Wordle
Tecnologias educacionais WordleTecnologias educacionais Wordle
Tecnologias educacionais Wordle
 
Inovação Educativa
Inovação EducativaInovação Educativa
Inovação Educativa
 
Trabalhos em wordle
Trabalhos em wordle Trabalhos em wordle
Trabalhos em wordle
 
Conteudos 2.a sessao
Conteudos 2.a sessaoConteudos 2.a sessao
Conteudos 2.a sessao
 
Noam chomsky el asalto neoliberal a las universidades y cómo debe ser la ed...
Noam chomsky   el asalto neoliberal a las universidades y cómo debe ser la ed...Noam chomsky   el asalto neoliberal a las universidades y cómo debe ser la ed...
Noam chomsky el asalto neoliberal a las universidades y cómo debe ser la ed...
 
Resposta à crítica oito ensaios que não precisa de ler de gonçalo mira
Resposta à crítica oito ensaios que não precisa de ler de gonçalo miraResposta à crítica oito ensaios que não precisa de ler de gonçalo mira
Resposta à crítica oito ensaios que não precisa de ler de gonçalo mira
 
Tutorial issuu
Tutorial issuuTutorial issuu
Tutorial issuu
 
ANÁLISE COMPARATIVA DOS REGIMES DE GESTÃO ESCOLAR
ANÁLISE COMPARATIVA DOS REGIMES DE GESTÃO ESCOLARANÁLISE COMPARATIVA DOS REGIMES DE GESTÃO ESCOLAR
ANÁLISE COMPARATIVA DOS REGIMES DE GESTÃO ESCOLAR
 
Questionário
QuestionárioQuestionário
Questionário
 

Semelhante a Atividade: Trabalho em Grupo II

O que é trabalho em grupo
O que é trabalho em grupoO que é trabalho em grupo
O que é trabalho em grupoMarcelo Ribas
 
Trabalho_em_Equipe.pptx
Trabalho_em_Equipe.pptxTrabalho_em_Equipe.pptx
Trabalho_em_Equipe.pptxErickOdilon
 
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAISANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAISRutileia Feliciano
 
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAISANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAISRutileia Feliciano
 
Ii encontro de supervisores escolares
Ii encontro de supervisores escolaresIi encontro de supervisores escolares
Ii encontro de supervisores escolaresMagda Marques
 
Contributos para o trabalho de grupo trabalho colaborativo
Contributos para o trabalho de grupo trabalho colaborativoContributos para o trabalho de grupo trabalho colaborativo
Contributos para o trabalho de grupo trabalho colaborativoBiblioteca Avelar Brotero
 
funcoes administracao 1.pptx
funcoes administracao 1.pptxfuncoes administracao 1.pptx
funcoes administracao 1.pptxSuzileneSantos2
 
UFCD - 6561 -Equipas Multidisciplinares .pptx
UFCD - 6561 -Equipas Multidisciplinares  .pptxUFCD - 6561 -Equipas Multidisciplinares  .pptx
UFCD - 6561 -Equipas Multidisciplinares .pptxNome Sobrenome
 
Faculdade alfredo nasser_Compreendendo equipes nas organizações
Faculdade alfredo nasser_Compreendendo equipes nas organizaçõesFaculdade alfredo nasser_Compreendendo equipes nas organizações
Faculdade alfredo nasser_Compreendendo equipes nas organizaçõesLukas Oliveira
 
Trabalho de psico grupo e equipe
Trabalho de psico grupo e equipeTrabalho de psico grupo e equipe
Trabalho de psico grupo e equipeLigia Coppetti
 
manual_gestao_de_equipas- ufcd 7844.pptx
manual_gestao_de_equipas- ufcd 7844.pptxmanual_gestao_de_equipas- ufcd 7844.pptx
manual_gestao_de_equipas- ufcd 7844.pptxRaquel Peixoto
 
Aula 04 (1ºsem) 2013 comportamento humano nas organizações
Aula 04 (1ºsem) 2013   comportamento humano nas organizaçõesAula 04 (1ºsem) 2013   comportamento humano nas organizações
Aula 04 (1ºsem) 2013 comportamento humano nas organizaçõesadmunip2013
 
Para Os Alunos
Para Os AlunosPara Os Alunos
Para Os Alunosariomc
 

Semelhante a Atividade: Trabalho em Grupo II (20)

O que é trabalho em grupo
O que é trabalho em grupoO que é trabalho em grupo
O que é trabalho em grupo
 
Trabalho_em_Equipe.pptx
Trabalho_em_Equipe.pptxTrabalho_em_Equipe.pptx
Trabalho_em_Equipe.pptx
 
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAISANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
 
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAISANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
ANÁLISE E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROFISSIONAIS
 
Ii encontro de supervisores escolares
Ii encontro de supervisores escolaresIi encontro de supervisores escolares
Ii encontro de supervisores escolares
 
Contributos para o trabalho de grupo trabalho colaborativo
Contributos para o trabalho de grupo trabalho colaborativoContributos para o trabalho de grupo trabalho colaborativo
Contributos para o trabalho de grupo trabalho colaborativo
 
Grupos de formação
Grupos de formaçãoGrupos de formação
Grupos de formação
 
funcoes administracao 1.pptx
funcoes administracao 1.pptxfuncoes administracao 1.pptx
funcoes administracao 1.pptx
 
UFCD - 6561 -Equipas Multidisciplinares .pptx
UFCD - 6561 -Equipas Multidisciplinares  .pptxUFCD - 6561 -Equipas Multidisciplinares  .pptx
UFCD - 6561 -Equipas Multidisciplinares .pptx
 
Faculdade alfredo nasser_Compreendendo equipes nas organizações
Faculdade alfredo nasser_Compreendendo equipes nas organizaçõesFaculdade alfredo nasser_Compreendendo equipes nas organizações
Faculdade alfredo nasser_Compreendendo equipes nas organizações
 
Trabalho de psico grupo e equipe
Trabalho de psico grupo e equipeTrabalho de psico grupo e equipe
Trabalho de psico grupo e equipe
 
manual_gestao_de_equipas- ufcd 7844.pptx
manual_gestao_de_equipas- ufcd 7844.pptxmanual_gestao_de_equipas- ufcd 7844.pptx
manual_gestao_de_equipas- ufcd 7844.pptx
 
Trabalho em-equipe
Trabalho em-equipeTrabalho em-equipe
Trabalho em-equipe
 
Discovery Week ZUP | Aumente a capacidade do seu Time com Team Building
Discovery Week ZUP | Aumente a capacidade do seu Time com Team BuildingDiscovery Week ZUP | Aumente a capacidade do seu Time com Team Building
Discovery Week ZUP | Aumente a capacidade do seu Time com Team Building
 
Aula 04 (1ºsem) 2013 comportamento humano nas organizações
Aula 04 (1ºsem) 2013   comportamento humano nas organizaçõesAula 04 (1ºsem) 2013   comportamento humano nas organizações
Aula 04 (1ºsem) 2013 comportamento humano nas organizações
 
Inteligencia emocional no trabalho
Inteligencia emocional no trabalhoInteligencia emocional no trabalho
Inteligencia emocional no trabalho
 
Para Os Alunos
Para Os AlunosPara Os Alunos
Para Os Alunos
 
APRESENTAÇÃO
APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO
APRESENTAÇÃO
 
Prática de Team Building | Baseado Team Building Workshop | Professional Team...
Prática de Team Building | Baseado Team Building Workshop | Professional Team...Prática de Team Building | Baseado Team Building Workshop | Professional Team...
Prática de Team Building | Baseado Team Building Workshop | Professional Team...
 
gruposeequipespdf
gruposeequipespdfgruposeequipespdf
gruposeequipespdf
 

Mais de Andreia Durães

Modelo de competências pdf
Modelo de competências pdfModelo de competências pdf
Modelo de competências pdfAndreia Durães
 
Introdução ao coaching
Introdução ao coachingIntrodução ao coaching
Introdução ao coachingAndreia Durães
 
Planeamento Educativo - Projetos Educativos de Escola
Planeamento Educativo - Projetos Educativos de EscolaPlaneamento Educativo - Projetos Educativos de Escola
Planeamento Educativo - Projetos Educativos de EscolaAndreia Durães
 
Sociologia - Inserção dos Jovens na Vida Ativa
Sociologia - Inserção dos Jovens na Vida AtivaSociologia - Inserção dos Jovens na Vida Ativa
Sociologia - Inserção dos Jovens na Vida AtivaAndreia Durães
 
Atividade: O Trabalho em Grupo I
Atividade: O Trabalho em Grupo IAtividade: O Trabalho em Grupo I
Atividade: O Trabalho em Grupo IAndreia Durães
 
A LIDERANÇA EDUCACIONAL DA DIRECÇÃO ESCOLAR EM ESPANHA: ENTRE A NECESSIDADE E...
A LIDERANÇA EDUCACIONAL DA DIRECÇÃO ESCOLAR EM ESPANHA: ENTRE A NECESSIDADE E...A LIDERANÇA EDUCACIONAL DA DIRECÇÃO ESCOLAR EM ESPANHA: ENTRE A NECESSIDADE E...
A LIDERANÇA EDUCACIONAL DA DIRECÇÃO ESCOLAR EM ESPANHA: ENTRE A NECESSIDADE E...Andreia Durães
 
Conferência: RUMO À ESCOLA SEM MUROS
Conferência: RUMO À ESCOLA SEM MUROSConferência: RUMO À ESCOLA SEM MUROS
Conferência: RUMO À ESCOLA SEM MUROSAndreia Durães
 
Análise da Aplicação: A B C da Segurança
Análise da Aplicação: A B C da SegurançaAnálise da Aplicação: A B C da Segurança
Análise da Aplicação: A B C da SegurançaAndreia Durães
 
ApresentaçãO Pessoal TE I
ApresentaçãO Pessoal TE IApresentaçãO Pessoal TE I
ApresentaçãO Pessoal TE IAndreia Durães
 

Mais de Andreia Durães (13)

Gestão de tempo
Gestão de tempoGestão de tempo
Gestão de tempo
 
Modelo de competências pdf
Modelo de competências pdfModelo de competências pdf
Modelo de competências pdf
 
Introdução ao coaching
Introdução ao coachingIntrodução ao coaching
Introdução ao coaching
 
Planeamento Educativo - Projetos Educativos de Escola
Planeamento Educativo - Projetos Educativos de EscolaPlaneamento Educativo - Projetos Educativos de Escola
Planeamento Educativo - Projetos Educativos de Escola
 
Trabalho final aoe
Trabalho final aoeTrabalho final aoe
Trabalho final aoe
 
Sociologia - Inserção dos Jovens na Vida Ativa
Sociologia - Inserção dos Jovens na Vida AtivaSociologia - Inserção dos Jovens na Vida Ativa
Sociologia - Inserção dos Jovens na Vida Ativa
 
Constituicao ipss
Constituicao ipssConstituicao ipss
Constituicao ipss
 
Atividade: O Trabalho em Grupo I
Atividade: O Trabalho em Grupo IAtividade: O Trabalho em Grupo I
Atividade: O Trabalho em Grupo I
 
Avaliação de Projetos
Avaliação de ProjetosAvaliação de Projetos
Avaliação de Projetos
 
A LIDERANÇA EDUCACIONAL DA DIRECÇÃO ESCOLAR EM ESPANHA: ENTRE A NECESSIDADE E...
A LIDERANÇA EDUCACIONAL DA DIRECÇÃO ESCOLAR EM ESPANHA: ENTRE A NECESSIDADE E...A LIDERANÇA EDUCACIONAL DA DIRECÇÃO ESCOLAR EM ESPANHA: ENTRE A NECESSIDADE E...
A LIDERANÇA EDUCACIONAL DA DIRECÇÃO ESCOLAR EM ESPANHA: ENTRE A NECESSIDADE E...
 
Conferência: RUMO À ESCOLA SEM MUROS
Conferência: RUMO À ESCOLA SEM MUROSConferência: RUMO À ESCOLA SEM MUROS
Conferência: RUMO À ESCOLA SEM MUROS
 
Análise da Aplicação: A B C da Segurança
Análise da Aplicação: A B C da SegurançaAnálise da Aplicação: A B C da Segurança
Análise da Aplicação: A B C da Segurança
 
ApresentaçãO Pessoal TE I
ApresentaçãO Pessoal TE IApresentaçãO Pessoal TE I
ApresentaçãO Pessoal TE I
 

Último

1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.azulassessoriaacadem3
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Jean Carlos Nunes Paixão
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfRuannSolza
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...apoioacademicoead
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...azulassessoriaacadem3
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
 
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docxGABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
Namorar não és ser don .
Namorar não és ser don                  .Namorar não és ser don                  .
Namorar não és ser don .
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
 

Atividade: Trabalho em Grupo II

  • 2. CONCEITO DE GRUPO • Conjunto de indivíduos com um objectivo comum em interdependência que cooperam para atingir o fim que os reuniu. • Segundo Estrela (2002), o grupo turma, é um grupo formal que obedece a características especiais. O grupo não se constitui de forma voluntária e os fins que devem atingir são-lhes impostos.
  • 3. FUNÇOES DO TRABALHO DE GRUPO • Regular as aprendizagens ▫ Processo activo e construtivo onde os aprendentes definem os objectivos para a sua aprendizagem e regulam a sua cognição, motivação e comportamento, tendo em conta as características do ambiente em que estão inseridos. • Socializar ▫ Melhora as suas competências sociais, uma vez que aprendem a compatibilizar as suas conveniências com as necessidades dos outros, melhorando assim a sua capacidade de diálogo. • Potencializar o equilíbrio emocional ▫ Desenvolve as relações entre os elementos do grupo, podendo satisfazer as suas necessidades básicas, como a de ser aceite ou a de estabelecer relações amistosas. Bonals, 2000
  • 4. PONTOS DE REFERÊNCIA PARA O TG • Trabalho individual de cada elemento do grupo ▫ Obrigatoriedade para a tomada de decisão sobre quem faz o quê. ▫ Respeito pelas contribuições individuais • Tarefa adequada para o grupo cooperativo ▫ Resolução de problemas ▫ Tarefas abertas ▫ Partilha de conhecimentos e competências para um fim comum • Treinos de competências para trabalhar em grupo cooperativo ▫ Elevado grau de tolerância e compreensão mutua. ▫ Empenhamento na discussão e questionamento de competências • Avaliação ▫ Professor / Formador deve estar atento ao processo no sentido de dar feedback ao grupo, para que este melhore a capacidade de monitorização das tarefas. Veiga Simão, 2000
  • 5. CONCEITO DE COOPERAÇÃO • COOPERAÇÃO COMO ESTRUTURA ▫ Rede de objectivos presente num conjunto de pessoas, que só poderão ser alcançados se todos tiverem consciência que os outros também deverão/poderão alcançar os seus objectivos. • COOPERAÇÃO COMO CARACTERISTICA PESSOAL ▫ Característica de personalidade • COOPERAÇÃO COMO COMPORTAMENTO ▫ Comportamento observável do aluno em sala de aula, numa situação de aprendizagem. “Na cooperação, o objectivo é partilhado e é o relacionamento para alcançá-lo que mantém juntos os indivíduos que cooperam” (Owens, 1985)
  • 6. CONCEITO DE MOTIVAÇÃO • Motivação é a força que potencia e dirige o comportamento (estimula e mantém o comportamento - persistência) • Implica escolhas e tomadas de decisão, mais ou menos conscientes.
  • 7. CONCEITO DE CONFLITO • O conflito produz-se quando há um choque de interesses (Casamayor, 1998). • Pode acontecer quando duas ou mais pessoas competem por objectivos ou recursos que não são compatíveis (Jares, 1997).
  • 8. CONCEITO DE LIDERANÇA • A liderança é um processo através do qual um individuo exerce influência sobre outros individuo ou um grupo de indivíduos, no sentido de reforçar a realização de determinados objectivos. • Existem vários tipos de liderança, ou seja, do lider exercer a sua influência ou poder.
  • 9. CONCEITO DE COESÃO • Descreve as forças positivas que mantêm o grupo unido e evitam a sua deterioração. • Esta coesão pode ser reforçada, através de: ▫ Interacção amigável ▫ Cooperação ▫ Estatuto do grupo aumentado ▫ Ameaças exteriores ▫ Liderança democrática
  • 10. CONCEITO DE REDE DE COMUNICAÇÃO • Comunicação é o conjunto de canais e modos como as pessoas se relacionam no interior de um grupo.