Figuras de
linguagem
Professora Andreia Cordeiro
Antítese
Quando ideias opostas estão
associadas sem que entre elas haja
contradição, ocorre a antítese.
É o que vimos na c...
Os contrastes dão ênfase: a Bela fica
ainda mais deslumbrante ao lado da
Fera. Assim funciona a antítese.
Soneto da separação – Vinícius
de Moraes
De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas u...
Metáfora
A metáfora consiste em retirar uma palavra
de seu contexto convencional (denotativo)
e transportá-la para um novo...
Personificação ou prosopopeia
Atribuição de ações, qualidades ou sentimentos
próprios do ser humano a seres inanimados.
A ...
Personificação no título do filme

Em O beijo da
morte é atribuída
a morte uma
condição própria
do ser humano:
a de beijar...
Hipérbole
É o exagero puro e simples.

Era louco por seu time.
Com isso, quer se dizer que o sujeito
gostava muitíssimo de...
Bibliografia
TORRALVO, Izete Fragata. MINCHILLO,
Carlos Cortez. Linguagem em movimento,
volume 1. SP: FTD, 2010.
<http://e...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Figuras de linguagem

522 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre as figuras de linguagem com alguns exemplos.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
522
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Figuras de linguagem

  1. 1. Figuras de linguagem Professora Andreia Cordeiro
  2. 2. Antítese Quando ideias opostas estão associadas sem que entre elas haja contradição, ocorre a antítese. É o que vimos na canção do Lulu Santos e Nelson Mota, “Certas coisas”: som/silêncio; luz/escuridão; dia/noite; não/sim; cala/fala.
  3. 3. Os contrastes dão ênfase: a Bela fica ainda mais deslumbrante ao lado da Fera. Assim funciona a antítese.
  4. 4. Soneto da separação – Vinícius de Moraes De repente do riso fez-se o pranto Silencioso e branco como a bruma E das bocas unidas fez-se a espuma E das mãos espalmadas fez-se o espanto. De repente da calma fez-se o vento Que dos olhos desfez a última chama E da paixão fez-se o pressentimento E do momento imóvel fez o drama. De repente, não mais que de repente Fez-se de triste o que se fez amante E de sozinho o que se fez contente Fez-se do amigo próximo o distante Fez-se da vida uma aventura errante De repente, não mais que de repente.
  5. 5. Metáfora A metáfora consiste em retirar uma palavra de seu contexto convencional (denotativo) e transportá-la para um novo campo de significação (conotativa), por meio de uma comparação implícita, de uma similaridade existente entre as duas: Buscava o coração do Brasil. Ora, o Brasil não possui o órgão biológico em questão. Portanto, coração significa aí o centro vital, a essência, o âmago do país.
  6. 6. Personificação ou prosopopeia Atribuição de ações, qualidades ou sentimentos próprios do ser humano a seres inanimados. A noite estava triste A noite não possui sentimentos. Sentimentos são próprios de pessoas (personas). O furacão espalhava sua fúria. Comparam-se aqui os estragos causados pelo furacão aos que uma pessoa em fúria pode causar. O furacão não possui esse sentimento.
  7. 7. Personificação no título do filme Em O beijo da morte é atribuída a morte uma condição própria do ser humano: a de beijar.
  8. 8. Hipérbole É o exagero puro e simples. Era louco por seu time. Com isso, quer se dizer que o sujeito gostava muitíssimo de seu time. “Por você eu dançaria tango no teto, Eu limparia os trilhos do metrô, Eu iria a pé do Rio a Salvador... [...]” (Frejat, Por você) O eu lírico exagera nas ações que poderia fazer por seu amor.
  9. 9. Bibliografia TORRALVO, Izete Fragata. MINCHILLO, Carlos Cortez. Linguagem em movimento, volume 1. SP: FTD, 2010. <http://educacao.uol.com.br/portugues/anti tese-figura-que-explora-a-ideia-doscontrarios.jhtm> acessado em 15/06/2011.

×