Biomecânica ocupacionalb32003

6.165 visualizações

Publicada em

0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.165
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.235
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
251
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Biomecânica ocupacionalb32003

  1. 1. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL Biomecânica do SER HUMANO - Características BásicasDefinição: Parte da Biomecânica Geral que se ocupa dos movimentos corporais e forças relacionados ao trabalho.  Parte do conhecimento da Ergonomia aplicada ao trabalho origina- se no estudo da “máquina humana”. Lida 2005  Partes da Máquina: - Ossos - Músculos - Ligamentos - Tendões Luiz Antonio Bertagna
  2. 2. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL Biomecânica do SER HUMANO - Características Básicas ALAVANCAS - Definição Estando interagindo um segmento rígido girando sobre um ponto de apoio,submetido a ação de uma força ou potência que age contra uma resistência,temos uma ALAVANCA. ALAVANCAS - Correlação Seguimentos Corporais a) Osso = Seguimento Rígido b) Articulação = Ponto de Apoio c) Potência = Exercida pelos Músculos d) Resistência = Peso Seguimento - Peso Levantado - Hudson 1995 Luiz Antonio Bertagna
  3. 3. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL Biomecânica do SER HUMANO - Características Básicas1. Tipos de ALAVANCAS1.1 Alavanca de 1º Grau ou Interfixa Pescoço e Coluna Vertebral- Ponto de Apoio localizado entre Potência e a Resistência- Quanto > distância da Potência ao Ponto de Apoio < a Potência (Força) para vencer a Resistência- Braço de Potência = distância da Potência ao Ponto de Apoio- Braço de Resistência = distância da Resistência ao Ponto de Apoio Conclusão- Quanto > o Braço de Potência < será a Força para vencer a ResistênciaLuiz Antonio Bertagna
  4. 4. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL Biomecânica do SER HUMANO - Características Básicas 1. Tipos de ALAVANCAS 1.2 Alavanca de 2º Grau ou Inter Resistente - Braço de Potência > que o Braço de Resistência Conclusão - Força para vencer a Resistência é sempre menor que o valor nominal da Resistência- Obs:- Esse tipo de alavanca não é praticamente encontrado nos seguimentos do nosso corpo- Quando for necessário uso da Força deve-se aumentar o Braço de Potência Luiz Antonio Bertagna
  5. 5. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL Biomecânica do SER HUMANO - Características Básicas 1. Tipos de ALAVANCAS 1.2 Alavanca de 3º Grau ou InterPotente - Braço de Potência < que o Braço de Resistência - Desvantagem Mecânica > para vencer Resistência - Vantagem Mecânica > para Velocidade e Amplitude Movimentos 1cm / 15 cm - Esse tipo de alavanca é predominante nos seguimentos do nosso corpo Conclusão- Força para vencer a Resistência é sempre maior que o valor nominal da Resistência Luiz Antonio Bertagna
  6. 6. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL Biomecânica do SER HUMANO Características Básicas 1. Contrações Dinâmicas – adaptação muito boa 2. Contrações Estáticas - Dor muscular Intensa - Ácido Lático - Fadiga PrecoceLuiz Antonio Bertagna
  7. 7. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL Biomecânica do SER HUMANO Características Básicas - Os músculos têm : a) Força: - Potência Máxima em uma única contração voluntária b) Resistência: - Capacidade de Repetição ou Tempo de Sustentação Esforço c) Flexibilidade: - Amplitude de Movimento dos Membros ao se moverem d) Velocidade: - Tempo de Reação e Tempo de Movimento e) Potência: - Combinação de Força e Velocidade f) Agilidade: - Capacidade de mudar de direção e posição rapidamente g) Equilíbrio: - Capacidade manter posicionamento durante movimento vigoroso g) Coordenação: - Relação entre movimentos repetidos e de alta velocidadeLuiz Antonio Bertagna
  8. 8. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL Biomecânica do SER HUMANO Características Básicas - Regras Aplicadas ao Ser Humano no Trabalho :  Nunca usar esforço excessivo de uma só vez;  Praticar ginástica de aquecimento e alongamento no início da jornada;  Garantir a adaptação gradativa do automatismo dos movimentos;  50% da F.M. é o limite de segurança para esforço físico isolado;  A Freqüência do esforço determina a % da F.M que pode ser usada;  A melhor Postura para trabalhar alterna posições sentado, em pé e andando;Luiz Antonio Bertagna
  9. 9. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL  Situações de Sobrecarga Biomecânica no Trabalho Sempre que tenha que exercer grande ForçaFísica e Esforço Estático : Sustentação de carga com os membros superiores; Postura de pé, parada durante grande parte da jornada; Postura de pé apoiada sobe um dos pés; Trabalho com os braços acima do nível dos ombros; Movimentação, manuseio e levantamento de cargas pesadas; Pequenas contrações musculares estáticas PC; Braços e Antebraços suspensos Uso da mão como morsa;Luiz Antonio Bertagna
  10. 10. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL  Situações de Sobrecarga Biomecânica no Trabalho Alavanca biomecanicamente desfavorável em que: a distância da potência ao ponto de apoio seja muito pequenaa distância entre a resistência e o ponto de apoio seja muito grandeTodas a situações de desagregação do esforço muscular.Ex: colocar caixa pesada no chão de forma lenta.Luiz Antonio Bertagna
  11. 11. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL  Postura e Movimento - Relação de Importância Trabalho e Vida Cotidiana: - são determinados pela Tarefa e Posto de Trabalho Postura e Movimento acionam: - músculos, ligamentos e articulações - músculos, força necessária para postura e movimento - ligamentos têm função auxiliar - articulações permitem deslocamentos de partes do corpo - Posturas e Movimentos inadequados produzem: tensões mecânicas músculos , ligamentos e articulações gasto energético elevado grande esforço muscular, coração e pulmõesLuiz Antonio Bertagna
  12. 12. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL  Postura e Movimento - Relação de Importância Tarefa e Posto de Trabalho - recomendações: - articulações em posição neutra - músculos, ligamentos se estendem o mínimo - músculos, liberam a força máxima - postura fora da posição neutra , ex: Braços erguidos Perna levantada Cabeça abaixada Tronco inclinadoLuiz Antonio Bertagna
  13. 13. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL  Postura e Movimento - Relação de Importância Conserve Pesos Próximos ao Corpo: - Pesos afastados > tensão e pende para frente - Articulações serão mais exigidas: Ex: Peso de 20 Kg - cotovelo, ombro e costas Evite Curvar-se para Frente - Peso médio do Tronco 40 Kg - Manutenção da Posição - Contração Músculos e Ligamentos - > tensão parte inferior tronco é = a doresLuiz Antonio Bertagna
  14. 14. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL  Postura e Movimento - Relação de Importância  Evite Inclinar a Cabeça - Peso médio da Cabeça 4 a 5 Kg - Inclinação > 30º para frente = - Tensão nos músculos manutenção postura - Dores na nuca e ombros - Cabeça mais próxima postura vertical  Evite Torções do Tronco - Tensões nas vértebras - Discos intervertebrais são tensionados - Articulações e Músculos submetidos cargas assimétricas prejudiciaisLuiz Antonio Bertagna
  15. 15. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL  Postura e Movimento - Relação de Importância Evite Movimento Brusco com Picos de Tensão- Movimentos Bruscos = Alta tensão de curta duração- Aceleração Movimento = Fortes Dores Costas Prevenção- Levantamento gradual peso- Pré aquecimento muscular- Movimentos Rítmico, Suave e Contínuo Luiz Antonio Bertagna
  16. 16. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL  Postura e Movimento - Relação de Importância  Alternância de Posturas e Movimentos - Evite Postura e Movimentos Repetitivos longo período - Causam Lesões musculares e articulares - Fadiga Muscular e Queda no Desempenho  Prevenção - Alternância de Posturas e Tarefas - Rodízio nos Postos de TrabalhoLuiz Antonio Bertagna
  17. 17. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL  Postura e Movimento - Relação de Importância Prevenção da Exaustão Muscular-Gráfico Tempo de Recuperação da Exaustão Muscular- Músculo Exausto: Curva 1 Recuperação + - 30 min = 90 %-Músculo Meio Exausto: Curvas 2, 3 e 4 Recuperação + - 15 min = 90 %- Recuperação Completa várias horas Luiz Antonio Bertagna
  18. 18. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL  Postura e Movimento - Relação de Importância  Pausas Curtas e Freqüentes - Ao Longo da Jornada - Redução da Fadiga - Pausas Longas ao Final Jornada Ex: Espera pelo Completamento do Ciclo Carregador retorna descarregado Pausas PeriódicasLuiz Antonio Bertagna
  19. 19. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL  Trabalho Estático e Dinâmico - Postura e Movimento1. Trabalho Estático - Contração Isométrica - Contração Contínua para manter uma posição - Aplicação de 50% força máxima pode durar 1 minuto - Até 20% força máxima contração tempo maior -Entre 15 % e 20% força máxima dias e semanas = dores e sinais de fadiga - Evitar ultrapassar 8% força máxima se executada diariamente Luiz Antonio Bertagna
  20. 20. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL  Trabalho Estático e Dinâmico - Postura e Movimento1. Trabalho Dinâmico - Contração Isotônica - Contração e relaxamento alternados - Bomba Hidráulica ativando circulação - Maior aporte de O2 > Resistência a Fadiga - Trabalho Estático DEVE ser evitado ou... - Aliviado com mudança de postura e -Melhorando posicionamento de peças e ferramentas Luiz Antonio Bertagna
  21. 21. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL  Dores e Traumas Musculares - Postura e Movimento Dores Musculares- Acúmulo de Subprodutos do Metabolismo- Trabalho Estático - Circulação SanguíneaDigitação Escrever - Pressão dos DedosManuseio de Cargas PesadasPosturas InadequadasEx: Torção da Coluna Luiz Antonio Bertagna
  22. 22. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL  Dores e Traumas Musculares - Posturas e Movimentos Traumas Musculares - Incompatibilidade: Exigência Trabalho X Capacidade FísicaImpacto: Força Súbita e Curto TempoEsforço Excessivo Cargas Excessivas Sem Pausas Causa Eventual com Uso Força e Movimento Inadequado Movimentos Altamente Repetitivo DORT - LTC - LER Luiz Antonio Bertagna
  23. 23. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas 2. Posturas • Posturas Básicas: - Posição Deitada - Posição Sentada - Posição Em Pé Parte do Corpo % do Peso Total • Esforço Cabeça 6 a 8% deSustentação: Tronco 40 a 46 % MMSS 11 a 14 % MMII 33 a 40 % Luiz Antonio Bertagna
  24. 24. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA Características Básicas 2. Posturas • 2.1 Postura Deitada: Vantagens - Não há concentração Tensão no Corpo Espaço de Trabalho - Sangue Flui Livre para todas as partes - Remoção de Metabólitos e Toxinas dos Músculos - Energético de valor Mínimo - próximo Basal - Recomendada para Repouso e Recuperação Desvantagens- Inadequada Trabalho - Sustentação Cabeça (4 a 5 Kg)- Movimentos Difíceis - Falta de Apoio Ex: Mecânico de Veículos Luiz Antonio Bertagna
  25. 25. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Características Básicas 2. Posturas• 2.2 Postura Em Pé: Vantagens- Grande Mobilidade Corporal- Liberdade dos MMSS e MMII- Facilidade alcançar controles máquinas- Possibilidade efetuar deslocamentos- Uso dinâmico Braços e PernasDesvantagens- Altamente Fatigante – trabalho estático musculatura- Induz a oscilação corporal - Dificuldade para o coração bombear sangue- Dificulta movimentos de precisão - Consumo de energia torna-se elevado Luiz Antonio Bertagna
  26. 26. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Características Básicas 2. Posturas • 2.2 Postura Em Pé: - Tolerância do Ser Humano- Inconveniência - Posição de Trabalho: Fadiga Músculos Panturrilha - Tendências Hereditárias - Ficar Parado De Pé Varizes - Carregar Cargas Pesadas - Trabalhar em Ambientes Quentes - OBS: Andar muito – Subir Escadas “Não Acarreta Varizes” Luiz Antonio Bertagna
  27. 27. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Características Básicas 2. Postura Em Pé a. Orientações Gerais ao Trabalhador  Trabalhando em Pé mantenha o corpo na vertical;  Havendo regulagem de altura: 1) Altura do Púbis para trabalho Pesado 2) Altura do Cotovelo para trabalho NÃO Pesado 3) Altura da Linha Mamilar para trabalho de Precisão Deslocar para Frente e ou Lados – pegar componentes Operações Distintas e Freqüentes - Locais Diferentes Quando o Esforço for para Baixo Luiz Antonio Bertagna
  28. 28. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Características Básicas 2. Posturas - Mudanças Posturais no Esqueleto e Funcionamento • 2.3 Postura Sentada: dos Músculos 2.3.1 Alteração na Pressão dos Discos Intervertebrais - Aumento de 50% na Pressão dos Discos - Aumento da Tendência de Degeneração - Anulado efeito do Arco Plantar e Tecidos Moles MMII Espaço de Trabalho - Inclinação Corpo > Tendência de Queda, Ação Gravidade - Esforço > Músculos Paravertebrais - Contração Estática - Paravertebrais fixados nos Corpos Vertebrais > Pressão Discos Luiz Antonio Bertagna
  29. 29. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas2. Posturas• 2.3 Postura Sentada: 2.3.2 Área de Apoio- Tuberosidade Isquiática – 25 cm2 - Peso de 75% corpo- Estofamento Base Rígida – 2 a 3 Cm de espessura Luiz Antonio Bertagna
  30. 30. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas 2. Posturas • 2.3 Postura Sentada: Resistência 2.3.3 Assento Resistência – Estabilidade - Durabilidade Carga Mínima 1100 N ou 112 Kg (1KG = 9,82 N) - Não tombe facilmente - Pessoas Tensas e Inseguras - 05 pés de apoio - Durabilidade Ideal de 15 anos Luiz Antonio Bertagna
  31. 31. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas 2. Posturas • 2.3 Postura Sentada:  2.3.3 Dimensões do Assento - Altura Poplítea = Altura do Assento - Altura Superior/Inferior –Interferem Distribuição do Peso - Variação da Regulagem Assento: Mínimo = 35,1 cm (5% mulheres) + 03 Cm Máximo = 48,0 cm (95% homens) + 03 Cm - Largura = 40,0 Cm -Profundidade = borda assento 2 cm 38 a 44 Cm Luiz Antonio Bertagna
  32. 32. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Características Básicas 2. Posturas - Mudanças Posturais no Esqueleto e Funcionamento • 2.3 Postura Sentada: dos Músculos 2.3.4 Alteração na Pressão dos Discos Intervertebrais - Redução da Fadiga X Apoio de Cotovelos - Compressão do Nervo Ulnar - Inclinação Frente = Pressão Parte Anterior - Inclinação Frente = Tensão Parte Posterior - Lesão no Núcleo Pulposo - Apoio Lombar < Pressão intradiscal  Pressão 3º Disco Lombar - Pessoa de 70 Kg em Diversas Posições Luiz Antonio Bertagna
  33. 33. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Características Básicas 2. Posturas - Mudanças Posturais no Esqueleto e Funcionamento • 2.3 Postura Sentada: dos Músculos 2.3.5 Músculos do Dorso a - Arqueamento do Dorso; Discreta Cifose Torácica e Pressão nos Discos- Mínima Atividade Muscular- Curvaturas da Coluna = Zero- Contudo a Pressão nos Discos é Assimétrica- Postura Ereta Coluna = Fadiga Precoce- Ângulo de 100 a 110º melhor Atende- Ângulos Maiores 110º Atendem Incompatíveis Trabalho Luiz Antonio Bertagna
  34. 34. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Características Básicas 2. Posturas • 2.3 Postura Sentada: - Mudanças Posturais no Esqueleto e Funcionamento dos Músculos 2.3.6 Músculos do Pescoço - Inclinação Excessiva = Esforço Estático e Fadiga - Ângulo > conforto 37º Graus - Ideal Monitor Computador Luiz Antonio Bertagna
  35. 35. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Características Básicas 2. Posturas • 2.3 Postura Sentada: - Mudanças Posturais no Esqueleto e Funcionamento dos Músculos 2.3.7 Compressão de Tecidos e a Circulação Sanguínea- Compressão Posterior da Coxa Ideal = 34%- Retorno Venoso Prejudicado- Movimento Bomba Muscular e- Estático Pressão Coluna Líquida Dificulta- Más condições Ergonômicas do Assento - Agrava a Condição - Falta de Apoio para os Pés ou Pés Luiz Antonio Bertagna
  36. 36. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Características Básicas 2. Posturas• 2.3 Postura Sentada: - Mudanças Posturais no Esqueleto e Funcionamento dos Músculos 2.3.8 Recomendações de Ergonomia – Trabalho Posição Sentada Cada 2 horas: Levantar-se por 1) Cadeira Estofada com Tecido que Permita Transpiração 15 minutos - Espuma de > Densidade e Mais Dura - Obesos - Espuma de < Densidade e Mais Macia 2) Altura da Cadeira deve Ser Regulável - Fácil Operação do Mecanismo 3) Dimensão Antero – Curta / Comprida - Coxas Apoiada sem compressão Poplítea Luiz Antonio Bertagna
  37. 37. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Características Básicas 2. Posturas• 2.3 Postura Sentada: - Mudanças Posturais no Esqueleto e Funcionamento dos Músculos 2.3.8 Recomendações de Ergonomia – Trabalho Posição Sentada4) Borda Anterior do Assento Arredondada - Fossa Poplítea e sua Vulnerabilidade - Bordas Arredondadas5) Assento Posição Horizontal - Desejável - Inclinação 10 a 15 Graus - Inclinação para Trás – Inadequada PT - Inclinação para Trás e Direção Veículos Luiz Antonio Bertagna
  38. 38. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Características Básicas 2. Posturas• 2.3 Postura Sentada: - Mudanças Posturais no Esqueleto e Funcionamento dos Músculos 2.3.8 Recomendações de Ergonomia – Trabalho Posição Sentada 6) Cadeira de Trabalho e Apoio para o Dorso - Reduz a Pressão nos Discos - Musculatura Paravertebral em Repouso Diminui peso sobre os Discos Intervertebrais - Apoio Pouco Utilizado em Escritórios 7) Ângulo Entre Assento e Apoio Dorsal Regulável - Se Fixo – em 100 Graus - Atende Discos Intervertebrais e Músculos Paravertebrais Luiz Antonio Bertagna
  39. 39. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Características Básicas 2. Posturas• 2.3 Postura Sentada: - Mudanças Posturais no Esqueleto e Funcionamento dos Músculos 2.3.8 Recomendações de Ergonomia – Trabalho Posição Sentada 8) Apoio para Dorso e Curvaturas da Coluna - Retificados: Estimulam a Cifose - Arqueados: Acentuam a Curva da Lordose - Diminuem Pressão Discos > Fadiga Pescoço 9) Apoio Dorso com Regulagem de Altura – Baixo e Altos - Apoio Média Altura = Coluna Lombar e Torácica - Apoio Dorsal Alto: ter Parte Superior Curvada Trás Bloqueio MMSS e Compressão Ponta da Escápula Luiz Antonio Bertagna
  40. 40. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Características Básicas 2. Posturas • 2.3 Postura Sentada: - Mudanças Posturais no Esqueleto e Funcionamento dos Músculos  2.3.8 Recomendações de Ergonomia – Trabalho Posição Sentada10) Espaço para Acomodar Nádegas - Espaço Real ou Virtual (Espuma Macia) - Inexistência Causa Desconforto11) Posto de Trabalho Semi Circular / Perpendicular - Cadeira Giratória - Mobilidade – Cadeira com Rodízios - Facilidade Correr = Instabilidade Mecânica - Dificuldade Movimento = Anulação Rodízio - Cinco Apoios – Giro no Eixo Posto Semi Circular Luiz Antonio Bertagna
  41. 41. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Características Básicas 2. Posturas• 2.3 Postura Sentada: - Mudanças Posturais no Esqueleto e Funcionamento dos Músculos 2.3.8 Recomendações de Ergonomia – Trabalho Posição Sentada 12) Os Pés Devem Estar Sempre Apoiados - PT com Apoio Pés Escalonado 5X5 Cm - Pessoas Altas e Médias - Apoio no Chão - Pessoas Baixas – Mesas Padrão c/ Apoio - 30 X 40 Cm – Inclinação Opcional - Ñ Derrapante - Apoio da Cadeira - Difícil Regulagem - Barras e Suportes - Estreitos Luiz Antonio Bertagna
  42. 42. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Características Básicas 2. Posturas• 2.3 Postura Sentada: - Mudanças Posturais no Esqueleto e Funcionamento dos Músculos 2.3.8 Recomendações de Ergonomia – Trabalho Posição Sentada 13) Possuir Espaço Pernas Debaixo da Mesa ou PT - Evitar Gavetas Embaixo da Mesa - Caixas de Papel –Outros Materiais 14) Mesa de Trabalho - Requisitos - Borda Anterior Arredondada - Puxadores tipo Prensa X Pinça - 40 Cm - Último Nível Gaveta - Pernas do Interlocutor - Material Não Reflexivo (Fórmica / Vidro) Luiz Antonio Bertagna
  43. 43. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas 2. Posturas • 2.3. Postura Sentada:  2.3.9 Condições Ergonômicas e AntiErgonômicas Cadeira Alta - Compressão Posterior Coxa - Pés Suspensos = Edema - Agravamento Varizes Cadeira Baixa - Redistribuição Percentagem Apoio - Redução Apoio Posterior Coxa - Aumento Nádegas e Costas- (caso contrário) Maior Apoio Costas ou Esforço Estático Luiz Antonio Bertagna
  44. 44. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas2. Posturas• 2.3. Postura Sentada: 2.3.9 Condições Ergonômicas e AntiErgonômicas1) Assento Inclinado para Trás- Objeto / Controle ao Alcance Mãos- Objeto / Controle Fora Alcance Mãos- Dorsalgias e Lesões Discos2) Falta de Apoio para o Dorso - Ex: Banquinhos - Equilíbrio = Encurvar Tronco - Pernas Trás e Pés Cruzados - Bancos muito Altos Luiz Antonio Bertagna
  45. 45. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas2. Posturas• 2.3. Postura Sentada: 2.3.9 Condições Ergonômicas e AntiErgonômicas3) Falta de Apoio para os Pés- Cadeira Regulável – PT Sem Apoio Pés- Edema de MMII4) Apoio Lombar Alto - Limita Movimento MMSS5) Apoio Lombar Fino - Não Funciona - Mochos de Dentista Luiz Antonio Bertagna
  46. 46. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas2. Posturas• 2.3. Postura Sentada: 2.3.9 Condições Ergonômicas e AntiErgonômicas6) Assento Não Almofadado ou Espumado- Pouco Tempo Posição Sentada- Compressão Glútea com Fadiga- Aumento Pressão Discos Luiz Antonio Bertagna
  47. 47. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas2. Posturas• 2.3. Postura Sentada: 2.3.9 Condições Ergonômicas e AntiErgonômicas 7) Distância Ântero-Posterior Assento- Apoiando as Costas = Compressão Poplítea e Edema- Apóia o Dorso = Fadiga e Dor na Posição Ereta8) Ângulo Assento Encosto Reto 90 º Graus - Dorso Retificado = Fadiga Muscular Luiz Antonio Bertagna
  48. 48. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas 2. Posturas • 2.3. Postura Sentada:  2.3.10 Condições Inadequadas Não Dependentes da Cadeira 1) Balcões / Bancadas Feitas para Trabalho Em Pé - Balcões Altos – Ajustes Prejudicados- Elevar Assento sempre será Insuficiente - Coluna Retificada - Pés Suspensos Luiz Antonio Bertagna
  49. 49. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas2. Posturas• 2.3. Postura Sentada: 2.3.10 Condições Inadequadas Não Dependentes da Cadeira 2) Máquina /Equipamento Longe do Trabalhador - Abandono do Apoio Dorsal -Pernas Fletidas Sob Assento - Equilíbrio - Resulta em: a) Cruzamento dos Pés b) Edema de MMII Luiz Antonio Bertagna
  50. 50. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas2. Posturas• 2.3. Postura Sentada: 2.3.10 Condições Inadequadas Não Dependentes da Cadeira 3) Falta de Espaço para as Pernas - Gavetas no Lugar das Pernas - Muito Tempo Em Pé - Improviso Cadeiras - Não há Espaço para Pernas - Posição Lateral - Tronco Rodado Luiz Antonio Bertagna
  51. 51. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas2. Posturas• 2.3. Postura Sentada: 2.3.10 Condições Inadequadas Não Dependentes da Cadeira3) Arranjos Longe do Corpo – Regra da Ergonomia - Equipamentos Operados Próximos às Mãos - Cadeiras Sem Rodízios ou Não Giratória - Distância dos Olhos ao Documento - Distância das Mãos ao Teclado Luiz Antonio Bertagna
  52. 52. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas2. Posturas• 2.3.1 Postura Semi Sentada: - Pouco Confortável – Temporário- Corpo em Pé – Oscilação– Semi Sentado + Estável- Máquinas Não Puderem Operadas Sentada ( Maiores Movimentos)- Rápidas Mudanças de Postura (Em Pé X Sentada Luiz Antonio Bertagna
  53. 53. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas2. Posturas• 2.3.1 Postura Semi Sentada: Cadeira Balans- Imobiliza Membros Inferiores- Sobrecarga Joelhos e Pernas- Maiores Contrações Estáticas- Inadequada Uso Contínuo- Curtos Períodos- Mudança Postura Tradicional Luiz Antonio Bertagna
  54. 54. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas 2. Posturas • 2.3.2 Alturas Recomendadas - Alturas Lida 2006 - PT dimensionados > Pessoas - Fatores Considerados  Altura Superfície Trabalho  Alcances Normais e Máximos Espaço Pernas –Movimentação Lateral Dimensionamento das Folgas  Altura Visão e ângulo Visual Luiz Antonio Bertagna
  55. 55. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas2. Posturas• 2.3.2 Sistema OWAS – Ovaco Working Posture Analysing Sistem1- Sistema Prático Registro Posturas - Pesquisadores Finlandeses - Dorso = 4 Posições-72 Posturas - Braços = 3 Posições Típicas - Pernas = 7 Posições - Carga = 3 Posições - Local = 0 Seção Luiz Antonio Bertagna
  56. 56. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas2. Posturas • 2.3.2 Sistema OWAS – Ovaco Working Posture Analysing Sistem - Classificação Posturas - Classes  Classe 1 = Postura Normas Dispensa Cuidados – Casos Excepcionais Classe 2 = Verificada Próxima Revisão Rotineira Método Trabalho Classe 3 = Atenção Curto Prazo Classe 4 = Atenção Imediata- Tempo Duração /Percentagem Jornada de Trabalho Luiz Antonio Bertagna
  57. 57. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas 2. Posturas • 2.3.2 Sistema OWAS – Ovaco Working Posture Analysing Sistem 2- Classificação Posturas - Classes - Classe 1 = Postura Normas Dispensa Cuidados – Casos Excepcionais - Classe 2 = Verificada Próxima Revisão Rotineira Método Trabalho- Classe 3 = Atenção Curto Prazo- Classe 4 = Atenção Imediata- Combinação das Variáveis Luiz Antonio Bertagna
  58. 58. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas 2. Posturas • 2.3.3 Diagrama de Áreas Dolorosas – Corlett e Manenica 1980 1- Divisão em 24 Seguimentos Corporais - Seqüência de Aplicação- Entrevista com Trabalhadores - Indicação Pontos Dolorosos- Apresentação do Diagrama- Classificação dos Pontos - 8 Níveis a. (0) Sem Desconforto b. (8) Extremamente Desconfortável- Correções 3º Nível Luiz Antonio Bertagna
  59. 59. BIOMECÂNICA OCUPACIONAL APLICAÇÃO PRÁTICA – Espaço de Trabalho - Características Básicas 2. Posturas• 2.3.4 Questionário Nórdico 1- Auto Preenchimento - 9 Parte Corporais - Indicação Pontos Dolorosos - Tempo Preenchimento : - 2 a 9 Min. = Média 4 minutos 2 - Três Situações Avaliadas a. Problema Últimos 7 dias? b. Problema Últimos 12 meses? c. Problema Afastamento Últimos 12 meses? Luiz Antonio Bertagna

×