SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 44
Baixar para ler offline
CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL - LTDA
CENTRO LITERATUS - CEL
CURSO DE TECNICO EM ENFERMAGEM
FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM
Posicionamento e a sua
Importância
JANDRESSON SOARES DE ARAÚJO LEANDRO SILVA DE ARAÚJO
KESIA IZEL TAVARES LAINIER CRISTINA PINTO CRUZ
GEORGE LUCAS DUARTE MORAES GILDERLANE NUNES OLIVEIRA
JAMILIS SIMÕES DOS SANTOS JORGE COELHO DE BRITO
LARISSA BORGES RAMOS
17 18/16M
Fundamentos de Enfermagem
Existem várias formas de se posicionar o paciente no leito, cada
qual com sua finalidade e justificativa. Lembrando que o paciente
precisa fazer mudanças de posicionamento a cada duas horas para
evitar formação de úlceras por pressão (UPP), mas há casos em que
não há possibilidade. Para estas exceções, caberá ao profissional
decidir caso a caso o que melhor pode ser feito, a fim de maximizar o
conforto e alívio.
A enfermagem precisa ter os conhecimentos necessários para
mudar o paciente de posição de modo seguro e sem causar nenhum
tipo de danos possível.
Cada posição favorece a realização de um determinado
procedimento ou exame a ser executado. Logo, é imprescindível que
os profissionais de enfermagem conheçam todas as posições.
Posicionamento e a sua Importância
Conceito Geral
Posição
Decúbito Dorsal -DD
Essa posição dorsal também pode ser chamada de supina, o
paciente fica deitado de costas com a cabeça e os ombros ligeiramente
elevados. Esse decúbito proporciona conforto ao paciente, além de um
bom alinhamento do corpo.
Considera-se que para melhorar o conforto devem ser utilizados
travesseiros, almofadas e rolos, para dar apoio ao paciente, evitando as
posições viciosas dos pés e mãos e preservar a posição anatômica do
corpo.
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Dorsal - DD
Conceito
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Dorsal - DD
Procedimento
Afim de promover conforto ao paciente e conseguir um bom
alinhamento do corpo são utilizados travesseiros, almofadas e rolos,
para dar apoio ao paciente, evitar as posições viciosas dos pés e mãos e
preservar a posição anatômica do corpo.
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Dorsal - DD
Procedimento
Posicionar-se de pé ao lado da cabeceira da cama com um dos pés
a um passo à frente do outro, manter as costas eretas, flexionar os
joelhos e abaixar os quadris e colocar um travesseiro sob a cabeça e
ombros do paciente.
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Dorsal - DD
Procedimento
Posicionar-se de pé ao lado do centro da cama com um dos pés a
um passo à frente do outro, manter as costas eretas, flexionar os joelhos
e abaixar os quadris e colocar um travesseiro sob a região lombar.
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Dorsal - DD
Procedimento
Dirigir-se até os pés da cama, posicionar-se e proceder a colocação
de um travesseiro nas pernas permitindo uma ligeira flexão dos joelhos
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Dorsal - DD
Procedimento
Colocar um rolo nos pés afim de evitar posição viciosa dos mesmos.
• É evitar a formação de úlcera por pressão ou lesões por pressão
que é causada nos tecidos, por isso é primordial considerar nosso
cuidado pautado em aliviar a pressão. Portanto, a mudança de decúbito
é a mais efetiva ação.
• O decúbito dorsal é indicado para realização do exame físico, como
abdômen, tórax e alguns exames por imagens, cirurgias, entre outros.
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Dorsal - DD
Importância & Observações
Pontos de Pressão
Posição
Decúbito Lateral - DL
A posição lateral é uma posição em que o paciente fica deitado de
lado em um plano paralelo ao chão, podendo ser tanto decúbito lateral
direito ou esquerdo, dependendo do lado que o paciente estiver.
Normalmente o pescoço fica numa posição neutra em relação ao
tronco e geralmente os membros ficam flexionados.
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Lateral - DL
Conceito
Decúbito Lateral
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Lateral - DL
Procedimento
Nessa posição o paciente fica deitado de lado com ambos os
braços para frente e os joelhos e quadris curvados. O peso é
suportado pela lateral do ilíaco e pela escápula.
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Lateral - DL
Procedimento
• Assumir a posição de pé ao lado da cama para o qual é desejado
que o paciente seja lateralizado.
• Colocar o braço mais distante do paciente sobre o tórax e o outro
braço deve estar em posição lateral ao corpo e para fora dele.
Posicionar a perna do paciente mais distante sobre a outra perna.
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Lateral - DL
Procedimento
• Ficar de frente para a beirada da cama e assumir uma postura de
base ampla com um dos pés a frente do outro;
• Colocar uma das mãos no ombro mais afastado do paciente e a
outra sobre o quadril.
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Lateral - DL
Procedimento
• Manter as costas eretas, deslocar o peso da perna da frente para a trás,
flexionando os joelhos e abaixando os quadris, o paciente é lateralizado na
direção do executor do movimento
• O paciente é apoiado pelos cotovelos do executor do movimento que
repousam sobre o colchão. O paciente adota o decúbito lateral, voltado para a
beirada da cama;
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Lateral - DL
Procedimento
• Colocar um travesseiro sob a cabeça e ombros do paciente e
posicionar os braços do paciente para frente e colocar um travesseiro
na região torácica anterior para apoiar o braço.
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Lateral - DL
Procedimento
• Posicionar as pernas fletidas sendo que a parte superior da perna
é fletida em grau maior que a parte inferior. Colocar um travesseiro
entre os joelhos que permaneceram flexionados.
• Essa posição que o paciente assume na cama serve para aliviar a
pressão exercida pelo peso de seu corpo sobre o sacro ou outras partes
vulneráveis a úlceras por pressão.
• A posição de decúbito lateral é indicada em cirurgias renais,
massagens nas costas, mudança de decúbito, melhora do fluxo
sanguíneo, lavagem gástrica e além de proporcionar conforto, entre
outros.
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Lateral - DL
Importância & Observações
Pontos de Pressão na Posição Decúbito Lateral
Posição
Decúbito Ventral - DV
O paciente fica deitado com o ventre para baixo, braços fletidos ou
esticados e mãos sob a testa. Esse decúbito serve para fazer
realizações de exames na região cervical e na coluna vertebral.
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Ventral - DV
Conceito
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Ventral - DV
Procedimento
As medidas de sustentação para o paciente nessa posição
incluem a utilização de travesseiros e almofadas, conforme a
necessidade.
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Ventral - DV
Procedimento
• Posicionar-se de pé ao lado da cabeceira da cama com um
dos pés a um passo à frente do outro, manter as costas eretas,
flexionar os joelhos e abaixar os quadris e colocar um travesseiro
sob a cabeça e ombros do paciente.
• A cabeça deve ficar voltada para um dos lados e os braços do
paciente ao longo do travesseiro, afim de manter a posição
anatômica.
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Ventral - DV
Procedimento
• Posicionar-se de pé ao lado da parte central da cama com um
dos pés a um passo à frente do outro, manter as costas eretas,
flexionar os joelhos e abaixar os quadris.
• Colocar um travesseiro sob o abdome do paciente, no nível do
diafragma, para dar apoio à curvatura lombar e no caso de
paciente do sexo feminino, retirar o peso do tórax.
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Ventral - DV
Procedimento
• Dirigir-se até os pés da cama, posicionar-se e proceder a
colocação de um pequeno travesseiro sob a parte inferior das
pernas.
• Afim de levantar os dedos dos pés do paciente da cama e
permitir uma ligeira flexão dos joelhos.
• Trabalhe com movimentos firmes e seguros, utilizando a mão toda e não
somente as pontas dos dedos;
• Tenha as mãos sempre secas e quentes;
• Nunca movimente sozinho um paciente obeso ou com dependência total;
• Use sempre a mecânica corporal;
• Faça movimentos sincronizados quando há dois ou mais operadores;
• Respeite as limitações do paciente;
• Mantenha a privacidade do paciente;
• Preste atenção quando o paciente estiver com infusão venosa.
OBS: Para drenos, sondas e outros aparelhos não sejam dobrados ou
retirados em movimentos bruscos, planeje o movimento antes de escutá-lo.
Fundamentos de Enfermagem
Decúbito Ventral - DV
Importância & Observações
Pontos de Pressão na Posição Decúbito Ventral
Posição Fowler
A posição de Fowler é uma posição em que o paciente fica em
decúbito dorsal, semi-sentado ou sentado, onde os braços podem ficar
estendidos ao lado do corpo, cabeceira da cama elevada e os membros
inferiores podem permanecer retos e estendidos sobre a cama ou
levemente elevados.
Fundamentos de Enfermagem
Fowler
Conceito
Posição
Fowler
Posição semi
Fowler
1. Lavar as mãos.
2. Separar o material.
3. Orientar o paciente e/ou o acompanhante sobre o que será feito.
4. Posicionar o biombo S/N.
5. Calçar as luvas de procedimento.
6. Manter o paciente em posição dorsal, semi-sentado, encostado,
com os joelhos fletidos, apoiados em travesseiros ou estrado da
cama modificado.
7. Elevar a cabeceira da cama em ângulo de 45º ou 90º.
8. Elevar o estrado dos pés da cama para evitar que o cliente
escorregue.
9. Verificar se o paciente está confortável.
10. Proteger o paciente com o lençol.
11. Após o exame, tratamento ou refeição, posicionar o paciente
confortavelmente.
12. Recompor a unidade.
13. Retirar as luvas de procedimento e desprezá-las.
14. Lavar as mãos.
15. Anotar o procedimento realizado em impresso próprio, no
prontuário do paciente.
Fundamentos de Enfermagem
Fowler
Procedimento
• É uma posição tipicamente utilizada para libertar a tensão sobre os
músculos do paciente e para melhorar a respiração, sendo indicada
para pacientes que apresentam problemas respiratórios e cardíacos,
em pós-operatório nasal, buco maxilo e tireoidectomia, higiene
oral, passagem de sondas: nasogástrica ou nasoenteral, conforto e
durante a alimentação do paciente.
• Também é usada como prevenção de aspiração pelas vias
respiratórias de secreções ou vômitos em pacientes com nível de
consciência rebaixados.
• É importante lembrar que existem variações desta posição
podendo ser baixo com ângulo de 45º, intermediário com 60º e alto
de 90º.
• Salienta-se que é extremamente importante e necessário que a
equipe de enfermagem mude a posição desse paciente a cada duas
Fundamentos de Enfermagem
Fowler
Importância & Observações
Posição Ginecológica
Muito parecida com a posição litotômica, tanto que alguns autores
referem-na como litotômica, diferenciando apenas pela curvatura dos
joelhos, pois na litotômica ficam dobrados a 90º.
A posição ginecológica é aquela em que a paciente fica em decúbito
dorsal com as pernas fletidas e as coxas em adução e flexão.
Fundamentos de Enfermagem
Ginecológica
Conceito
1. Lavar as mãos.
2. Separar o material.
3. Orientar a cliente e/ou o acompanhante sobre o que será feito.
4. Posicionar o biombo.
5. Calçar as luvas de procedimento
6. Colocar a cliente em decúbito dorsal.
7. Joelhos flexionados e bem separados.
8. Calcanhares sobre a cama.
9. Proteger a cliente com o lençol até o momento do exame.
10. Após o exame ou tratamento, colocar a cliente em posição
confortável.
11. Recompor a unidade.
12. Retirar as luvas de procedimento e desprezá-las.
13. Lavar as mãos.
14. Anotar o procedimento realizado em impresso próprio, no prontuário
da cliente.
Fundamentos de Enfermagem
Ginecológica
Procedimento
• É indicada para realizar um exame vaginal ou vulvo vaginal,
cateterismo vesical feminino, tricotomia, parto normal, entre outras.
• Antes de realizar qualquer exame ginecológico, é preciso nos
adaptarmos à situação de cada paciente. É normal que a mulher possa
ter algum grau de insegurança ou temor.
• É muito importante tranquilizar a paciente e explicar o procedimento,
estabelecendo um grau de segurança e confiança. Confiança e
segurança que deve existir mesmo na sala de exame, local com
bastante privacidade.
• Considera-se conveniente para os profissionais do sexo
masculino que estejam acompanhados por uma profissional do
sexo feminino.
Fundamentos de Enfermagem
Ginecológica
Importância & Observações
Posição Genupeitoral
A posição genupeitoral ou genito - peitoral é o decúbito no qual o
peito e os joelhos ficam apoiados no leito. É caracterizada por se
verificar apoio simultâneo do peito e dos joelhos no mesmo plano
horizontal, ficando o eixo do tronco inclinado de trás para a frente e de
cima para baixo.
A cabeça deve estar lateralizada, apoiada sobre os braços.
Fundamentos de Enfermagem
Genupeitoral
Conceito
1. Lavar as mãos.
2. Separar os materiais.
3. Orientar o paciente e/ ou o acompanhante sobre o que será feito.
4. Posicionar o biombo.
5. Calçar as luvas de procedimento.
6. Solicitar ao paciente para que fique em decúbito ventral (caso o paciente
necessite o profissional deverá realizar).
7. Apoiar o peito do paciente de encontro com o colchão.
8. Pedir ao paciente para fletir os joelhos.
9. Colocar a cabeça virada para um dos lados, sobre um travesseiro.
10. Pedir para o paciente estender os braços sobre a cama, na altura da
cabeça.
11. Solicitar ao paciente para que descanse o peso sobre a cabeça, ombro,
peito e os joelhos, formando assim, um ângulo reto entre as coxas e as
pernas.
12. Proteger o paciente com o lençol, expondo apenas o necessário.
13. Após o exame, colocar o paciente em posição confortável.
14. Retirar as luvas de procedimento e desprezá-las.
15. Lavar as mãos. Fundamentos de Enfermagem
Procedimento
Genupeitoral
• Essa posição é indicada para realizar exames do reto e vagina,
sigmoidoscopia, em casos de flatulência, etc.
• O paciente deve ser orientado e acompanhado quanto a posição e
a finalidade.
• Mantenha sempre a privacidade do paciente , expondo somente a
área a ser manipulada no momento do exame.
Fundamentos de Enfermagem
Importância & Observações
Genupeitoral
Fundamentos de Enfermagem
Coxins
Fundamentos de Enfermagem
Tipos de Cama
Sem a ocupação do leito paciente. Permanece fechada até a
admissão de um novo paciente.
Cama Fechada
Fundamentos de Enfermagem
Tipos de Cama
Com ocupação do leito paciente, que pode ou não se locomover.
Cama Aberta
Fundamentos de Enfermagem
Tipos de Cama
Deve ser preparada logo após o encaminhamento do paciente para
cirurgia, facilitando sua recepção ao retorno do centro cirúrgico.
Cama de Operado
Fundamentos de Enfermagem
Tipos de Cama
Finalidades
OBS: Não encostar os lençóis no jaleco ou no chão.
Não passar as mãos sobre os lençóis, com intuito de esticá-los.
1. Proporcionar repouso, conforto, segurança e bem estar ao
paciente.
2. Economizar tempo e energia da equipe de enfermagem.
3. Manter a unidade com aspecto agradável.
Conclusão

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptxAULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptxlucas106085
 
Faceta Aula 1 conforto do paciente . (2).pptx
Faceta Aula 1 conforto do paciente . (2).pptxFaceta Aula 1 conforto do paciente . (2).pptx
Faceta Aula 1 conforto do paciente . (2).pptxCELEYCOELHODESOUZA
 
Fundamentos em enfermagem.pptx
Fundamentos em enfermagem.pptxFundamentos em enfermagem.pptx
Fundamentos em enfermagem.pptxMirnaKathary1
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Will Nunes
 
1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagem1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagemElter Alves
 
Monitorização a beira do leito
Monitorização a beira do leitoMonitorização a beira do leito
Monitorização a beira do leitoresenfe2013
 
Slaid 1 fundamentos da enfermagem
Slaid 1 fundamentos da enfermagemSlaid 1 fundamentos da enfermagem
Slaid 1 fundamentos da enfermagemRosiane Maria
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCentro Universitário Ages
 
Rotinas gerais de_enfermagem
Rotinas gerais de_enfermagemRotinas gerais de_enfermagem
Rotinas gerais de_enfermagemAline R Louro
 
Parada Cardiorrespiratória
Parada CardiorrespiratóriaParada Cardiorrespiratória
Parada CardiorrespiratóriaMarkus Fiuza
 

Mais procurados (20)

AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptxAULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
 
Centro CirúRgico Parte 1
Centro CirúRgico Parte 1Centro CirúRgico Parte 1
Centro CirúRgico Parte 1
 
Faceta Aula 1 conforto do paciente . (2).pptx
Faceta Aula 1 conforto do paciente . (2).pptxFaceta Aula 1 conforto do paciente . (2).pptx
Faceta Aula 1 conforto do paciente . (2).pptx
 
Fundamentos em enfermagem.pptx
Fundamentos em enfermagem.pptxFundamentos em enfermagem.pptx
Fundamentos em enfermagem.pptx
 
Saep.pdf
Saep.pdfSaep.pdf
Saep.pdf
 
Aula 1 historia da enfermagem enf3
Aula 1  historia da enfermagem enf3Aula 1  historia da enfermagem enf3
Aula 1 historia da enfermagem enf3
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagem1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagem
 
Medicação em pediatria
Medicação em pediatriaMedicação em pediatria
Medicação em pediatria
 
Monitorização a beira do leito
Monitorização a beira do leitoMonitorização a beira do leito
Monitorização a beira do leito
 
Paciente internado
Paciente internadoPaciente internado
Paciente internado
 
técnica de AVP.pptx
técnica de AVP.pptxtécnica de AVP.pptx
técnica de AVP.pptx
 
Slaid 1 fundamentos da enfermagem
Slaid 1 fundamentos da enfermagemSlaid 1 fundamentos da enfermagem
Slaid 1 fundamentos da enfermagem
 
Prontuário
ProntuárioProntuário
Prontuário
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
 
História da enfermagem
História da enfermagemHistória da enfermagem
História da enfermagem
 
Rotinas gerais de_enfermagem
Rotinas gerais de_enfermagemRotinas gerais de_enfermagem
Rotinas gerais de_enfermagem
 
Posições Cirúrgicas
Posições CirúrgicasPosições Cirúrgicas
Posições Cirúrgicas
 
Aula Drenos[1]
Aula   Drenos[1]Aula   Drenos[1]
Aula Drenos[1]
 
Parada Cardiorrespiratória
Parada CardiorrespiratóriaParada Cardiorrespiratória
Parada Cardiorrespiratória
 

Semelhante a Posicionamento do paciente

Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leitoPrimeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leitoCleanto Santos Vieira
 
Atividade e mobilidade
Atividade e mobilidadeAtividade e mobilidade
Atividade e mobilidadeEliane Xavier
 
Pop facenf-transporte-e-mobilizações-n.-081
Pop facenf-transporte-e-mobilizações-n.-081Pop facenf-transporte-e-mobilizações-n.-081
Pop facenf-transporte-e-mobilizações-n.-081KleberFerreira28
 
POSIÇÕES PARA EXAMES.pdf
POSIÇÕES PARA EXAMES.pdfPOSIÇÕES PARA EXAMES.pdf
POSIÇÕES PARA EXAMES.pdfCASA
 
Aula 8 Cuidados na Fisioterapia do Idoso.pptx
Aula 8 Cuidados na Fisioterapia do Idoso.pptxAula 8 Cuidados na Fisioterapia do Idoso.pptx
Aula 8 Cuidados na Fisioterapia do Idoso.pptxNadjaAndrade5
 
aula posies cirrgicas.pptx
aula posies cirrgicas.pptxaula posies cirrgicas.pptx
aula posies cirrgicas.pptxvaniceandrade1
 
Aula 2 __posicoes_para_exames
Aula 2 __posicoes_para_examesAula 2 __posicoes_para_exames
Aula 2 __posicoes_para_examesMarci Oliveira
 
Aula 7 posições cirúrgicas
Aula 7 posições cirúrgicasAula 7 posições cirúrgicas
Aula 7 posições cirúrgicasMarci Oliveira
 
Cuidados no Posicionamento Cirúrgico
Cuidados no Posicionamento CirúrgicoCuidados no Posicionamento Cirúrgico
Cuidados no Posicionamento Cirúrgicocrisenf
 
AULA 10 POSIÇÃO CIRURGICA.pptx
AULA 10 POSIÇÃO CIRURGICA.pptxAULA 10 POSIÇÃO CIRURGICA.pptx
AULA 10 POSIÇÃO CIRURGICA.pptxFabianaRomoGuimares
 
Sessão Ed. Saúde Posicionamentos.pptx
Sessão Ed. Saúde Posicionamentos.pptxSessão Ed. Saúde Posicionamentos.pptx
Sessão Ed. Saúde Posicionamentos.pptxTamiresTeixeira25
 
Sessão Ed. Saúde Posicionamentos.pdf
Sessão Ed. Saúde Posicionamentos.pdfSessão Ed. Saúde Posicionamentos.pdf
Sessão Ed. Saúde Posicionamentos.pdfMartimRaposo2
 
Apendice 6 - Acção de formaçao posicionamentos.pdf
Apendice 6 - Acção de formaçao posicionamentos.pdfApendice 6 - Acção de formaçao posicionamentos.pdf
Apendice 6 - Acção de formaçao posicionamentos.pdfestrelacadente5
 
Abordagem Fisioterapêutica Básica na Geriatria
Abordagem Fisioterapêutica Básica na GeriatriaAbordagem Fisioterapêutica Básica na Geriatria
Abordagem Fisioterapêutica Básica na GeriatriaMauro Borges
 
Guia de Orientações ao Paciente Amputado.pdf
Guia de Orientações ao Paciente Amputado.pdfGuia de Orientações ao Paciente Amputado.pdf
Guia de Orientações ao Paciente Amputado.pdfAlandersonJosuVieira
 
Escoliose e método klapp.
Escoliose e método klapp.Escoliose e método klapp.
Escoliose e método klapp.Paulo Bueno
 

Semelhante a Posicionamento do paciente (20)

Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leitoPrimeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
 
Atividade e mobilidade
Atividade e mobilidadeAtividade e mobilidade
Atividade e mobilidade
 
Pop facenf-transporte-e-mobilizações-n.-081
Pop facenf-transporte-e-mobilizações-n.-081Pop facenf-transporte-e-mobilizações-n.-081
Pop facenf-transporte-e-mobilizações-n.-081
 
POSIÇÕES PARA EXAMES.pdf
POSIÇÕES PARA EXAMES.pdfPOSIÇÕES PARA EXAMES.pdf
POSIÇÕES PARA EXAMES.pdf
 
Aula 8 Cuidados na Fisioterapia do Idoso.pptx
Aula 8 Cuidados na Fisioterapia do Idoso.pptxAula 8 Cuidados na Fisioterapia do Idoso.pptx
Aula 8 Cuidados na Fisioterapia do Idoso.pptx
 
aula posies cirrgicas.pptx
aula posies cirrgicas.pptxaula posies cirrgicas.pptx
aula posies cirrgicas.pptx
 
Aula 2 __posicoes_para_exames
Aula 2 __posicoes_para_examesAula 2 __posicoes_para_exames
Aula 2 __posicoes_para_exames
 
Aula 7 posições cirúrgicas
Aula 7 posições cirúrgicasAula 7 posições cirúrgicas
Aula 7 posições cirúrgicas
 
Cuidados no Posicionamento Cirúrgico
Cuidados no Posicionamento CirúrgicoCuidados no Posicionamento Cirúrgico
Cuidados no Posicionamento Cirúrgico
 
AULA 10 POSIÇÃO CIRURGICA.pptx
AULA 10 POSIÇÃO CIRURGICA.pptxAULA 10 POSIÇÃO CIRURGICA.pptx
AULA 10 POSIÇÃO CIRURGICA.pptx
 
Sessão Ed. Saúde Posicionamentos.pptx
Sessão Ed. Saúde Posicionamentos.pptxSessão Ed. Saúde Posicionamentos.pptx
Sessão Ed. Saúde Posicionamentos.pptx
 
Sessão Ed. Saúde Posicionamentos.pdf
Sessão Ed. Saúde Posicionamentos.pdfSessão Ed. Saúde Posicionamentos.pdf
Sessão Ed. Saúde Posicionamentos.pdf
 
Apendice 6 - Acção de formaçao posicionamentos.pdf
Apendice 6 - Acção de formaçao posicionamentos.pdfApendice 6 - Acção de formaçao posicionamentos.pdf
Apendice 6 - Acção de formaçao posicionamentos.pdf
 
Intraoperatórios
IntraoperatóriosIntraoperatórios
Intraoperatórios
 
Curso 68
Curso 68Curso 68
Curso 68
 
Cuidador de idoso_13
Cuidador de idoso_13Cuidador de idoso_13
Cuidador de idoso_13
 
Abordagem Fisioterapêutica Básica na Geriatria
Abordagem Fisioterapêutica Básica na GeriatriaAbordagem Fisioterapêutica Básica na Geriatria
Abordagem Fisioterapêutica Básica na Geriatria
 
Apostila quiropraxia-2010
Apostila quiropraxia-2010Apostila quiropraxia-2010
Apostila quiropraxia-2010
 
Guia de Orientações ao Paciente Amputado.pdf
Guia de Orientações ao Paciente Amputado.pdfGuia de Orientações ao Paciente Amputado.pdf
Guia de Orientações ao Paciente Amputado.pdf
 
Escoliose e método klapp.
Escoliose e método klapp.Escoliose e método klapp.
Escoliose e método klapp.
 

Mais de Jandresson Soares de Araújo

ALGORITMO DE AGREGAÇÃO DE POLÍGONOS DE DESMATAMENTOS PARA A IDENTIFICAÇÃO DE ...
ALGORITMO DE AGREGAÇÃO DE POLÍGONOS DE DESMATAMENTOS PARA A IDENTIFICAÇÃO DE ...ALGORITMO DE AGREGAÇÃO DE POLÍGONOS DE DESMATAMENTOS PARA A IDENTIFICAÇÃO DE ...
ALGORITMO DE AGREGAÇÃO DE POLÍGONOS DE DESMATAMENTOS PARA A IDENTIFICAÇÃO DE ...Jandresson Soares de Araújo
 
TERESA CRISTINA REGO - VYGOTSKY Uma Perspectiva Histórico-Cultural da Educaç...
TERESA CRISTINA REGO - VYGOTSKY Uma  Perspectiva Histórico-Cultural da Educaç...TERESA CRISTINA REGO - VYGOTSKY Uma  Perspectiva Histórico-Cultural da Educaç...
TERESA CRISTINA REGO - VYGOTSKY Uma Perspectiva Histórico-Cultural da Educaç...Jandresson Soares de Araújo
 
INFRAESTRUTURAS NA AMAZÔNIA - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
INFRAESTRUTURAS NA AMAZÔNIA - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASINFRAESTRUTURAS NA AMAZÔNIA - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
INFRAESTRUTURAS NA AMAZÔNIA - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASJandresson Soares de Araújo
 
Estudo sobre os conteúdos de Geografia Física no livro Didático - AO USAR COM...
Estudo sobre os conteúdos de Geografia Física no livro Didático - AO USAR COM...Estudo sobre os conteúdos de Geografia Física no livro Didático - AO USAR COM...
Estudo sobre os conteúdos de Geografia Física no livro Didático - AO USAR COM...Jandresson Soares de Araújo
 
Oficina e Estudo sobre Anemômetro e Biruta - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CIT...
Oficina e Estudo sobre Anemômetro e Biruta - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CIT...Oficina e Estudo sobre Anemômetro e Biruta - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CIT...
Oficina e Estudo sobre Anemômetro e Biruta - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CIT...Jandresson Soares de Araújo
 
Relatório biogeografia - Pirâmide de Vegetação em Biogeografia - AO USAR COMO...
Relatório biogeografia - Pirâmide de Vegetação em Biogeografia - AO USAR COMO...Relatório biogeografia - Pirâmide de Vegetação em Biogeografia - AO USAR COMO...
Relatório biogeografia - Pirâmide de Vegetação em Biogeografia - AO USAR COMO...Jandresson Soares de Araújo
 
Bioma Pantanal - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
Bioma Pantanal - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASBioma Pantanal - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
Bioma Pantanal - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASJandresson Soares de Araújo
 
NOVAS TECNOLOGIAS PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DE BIOGEOGRAFIA - AO USAR COMO F...
NOVAS TECNOLOGIAS PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DE BIOGEOGRAFIA - AO USAR COMO F...NOVAS TECNOLOGIAS PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DE BIOGEOGRAFIA - AO USAR COMO F...
NOVAS TECNOLOGIAS PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DE BIOGEOGRAFIA - AO USAR COMO F...Jandresson Soares de Araújo
 
UM OLHAR ETNOGRÁFICO NA FEIRA DO SÃO JOSÉ 2 - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CI...
UM OLHAR ETNOGRÁFICO NA FEIRA DO SÃO JOSÉ 2 - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CI...UM OLHAR ETNOGRÁFICO NA FEIRA DO SÃO JOSÉ 2 - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CI...
UM OLHAR ETNOGRÁFICO NA FEIRA DO SÃO JOSÉ 2 - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CI...Jandresson Soares de Araújo
 
A IMPORTÂNCIA DA DIDÁTICA HISTÓRICO-CRITICA NA ATUALIDADE O DESAFIO DA APLICA...
A IMPORTÂNCIA DA DIDÁTICA HISTÓRICO-CRITICA NA ATUALIDADE O DESAFIO DA APLICA...A IMPORTÂNCIA DA DIDÁTICA HISTÓRICO-CRITICA NA ATUALIDADE O DESAFIO DA APLICA...
A IMPORTÂNCIA DA DIDÁTICA HISTÓRICO-CRITICA NA ATUALIDADE O DESAFIO DA APLICA...Jandresson Soares de Araújo
 
Observação da Nuvens - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
Observação da Nuvens - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASObservação da Nuvens - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
Observação da Nuvens - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASJandresson Soares de Araújo
 
A MODERNIDADE NAS PERSPECTIVAS SOCIOLÓGICAS DE KARL MARX, ÉMILE DURKHEIM E MA...
A MODERNIDADE NAS PERSPECTIVAS SOCIOLÓGICAS DE KARL MARX, ÉMILE DURKHEIM E MA...A MODERNIDADE NAS PERSPECTIVAS SOCIOLÓGICAS DE KARL MARX, ÉMILE DURKHEIM E MA...
A MODERNIDADE NAS PERSPECTIVAS SOCIOLÓGICAS DE KARL MARX, ÉMILE DURKHEIM E MA...Jandresson Soares de Araújo
 
Estetica de Kant - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
Estetica de Kant - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASEstetica de Kant - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
Estetica de Kant - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASJandresson Soares de Araújo
 
Continuidade da Imanência no Ocidente - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NA...
Continuidade da Imanência no Ocidente - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NA...Continuidade da Imanência no Ocidente - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NA...
Continuidade da Imanência no Ocidente - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NA...Jandresson Soares de Araújo
 
geografia da percepção - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
geografia da percepção - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASgeografia da percepção - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
geografia da percepção - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASJandresson Soares de Araújo
 
O POSITIVISMO COMO FUNDAMENTO DA GEOGRAFIA TRADICIONAL - AO USAR COMO FONTE P...
O POSITIVISMO COMO FUNDAMENTO DA GEOGRAFIA TRADICIONAL - AO USAR COMO FONTE P...O POSITIVISMO COMO FUNDAMENTO DA GEOGRAFIA TRADICIONAL - AO USAR COMO FONTE P...
O POSITIVISMO COMO FUNDAMENTO DA GEOGRAFIA TRADICIONAL - AO USAR COMO FONTE P...Jandresson Soares de Araújo
 
TEORIA DO SPOSITO - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
TEORIA DO SPOSITO - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASTEORIA DO SPOSITO - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
TEORIA DO SPOSITO - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASJandresson Soares de Araújo
 
CONCEPÇÃO DE ESPAÇO EM KANT, DE ACORDO COM A SUA TEORIA ELEMENTAR TRANSCENDEN...
CONCEPÇÃO DE ESPAÇO EM KANT, DE ACORDO COM A SUA TEORIA ELEMENTAR TRANSCENDEN...CONCEPÇÃO DE ESPAÇO EM KANT, DE ACORDO COM A SUA TEORIA ELEMENTAR TRANSCENDEN...
CONCEPÇÃO DE ESPAÇO EM KANT, DE ACORDO COM A SUA TEORIA ELEMENTAR TRANSCENDEN...Jandresson Soares de Araújo
 
ESCOLAS DO PENSAMENTO GEOGRÁFICO: NEOPOSITIVISMO & NOVA GEOGRAFIA: O PARADI...
ESCOLAS DO PENSAMENTO GEOGRÁFICO: NEOPOSITIVISMO  &  NOVA GEOGRAFIA: O PARADI...ESCOLAS DO PENSAMENTO GEOGRÁFICO: NEOPOSITIVISMO  &  NOVA GEOGRAFIA: O PARADI...
ESCOLAS DO PENSAMENTO GEOGRÁFICO: NEOPOSITIVISMO & NOVA GEOGRAFIA: O PARADI...Jandresson Soares de Araújo
 

Mais de Jandresson Soares de Araújo (20)

ALGORITMO DE AGREGAÇÃO DE POLÍGONOS DE DESMATAMENTOS PARA A IDENTIFICAÇÃO DE ...
ALGORITMO DE AGREGAÇÃO DE POLÍGONOS DE DESMATAMENTOS PARA A IDENTIFICAÇÃO DE ...ALGORITMO DE AGREGAÇÃO DE POLÍGONOS DE DESMATAMENTOS PARA A IDENTIFICAÇÃO DE ...
ALGORITMO DE AGREGAÇÃO DE POLÍGONOS DE DESMATAMENTOS PARA A IDENTIFICAÇÃO DE ...
 
TERESA CRISTINA REGO - VYGOTSKY Uma Perspectiva Histórico-Cultural da Educaç...
TERESA CRISTINA REGO - VYGOTSKY Uma  Perspectiva Histórico-Cultural da Educaç...TERESA CRISTINA REGO - VYGOTSKY Uma  Perspectiva Histórico-Cultural da Educaç...
TERESA CRISTINA REGO - VYGOTSKY Uma Perspectiva Histórico-Cultural da Educaç...
 
INFRAESTRUTURAS NA AMAZÔNIA - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
INFRAESTRUTURAS NA AMAZÔNIA - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASINFRAESTRUTURAS NA AMAZÔNIA - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
INFRAESTRUTURAS NA AMAZÔNIA - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
 
Estudo sobre os conteúdos de Geografia Física no livro Didático - AO USAR COM...
Estudo sobre os conteúdos de Geografia Física no livro Didático - AO USAR COM...Estudo sobre os conteúdos de Geografia Física no livro Didático - AO USAR COM...
Estudo sobre os conteúdos de Geografia Física no livro Didático - AO USAR COM...
 
Oficina e Estudo sobre Anemômetro e Biruta - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CIT...
Oficina e Estudo sobre Anemômetro e Biruta - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CIT...Oficina e Estudo sobre Anemômetro e Biruta - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CIT...
Oficina e Estudo sobre Anemômetro e Biruta - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CIT...
 
Relatório biogeografia - Pirâmide de Vegetação em Biogeografia - AO USAR COMO...
Relatório biogeografia - Pirâmide de Vegetação em Biogeografia - AO USAR COMO...Relatório biogeografia - Pirâmide de Vegetação em Biogeografia - AO USAR COMO...
Relatório biogeografia - Pirâmide de Vegetação em Biogeografia - AO USAR COMO...
 
Bioma Pantanal - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
Bioma Pantanal - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASBioma Pantanal - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
Bioma Pantanal - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
 
NOVAS TECNOLOGIAS PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DE BIOGEOGRAFIA - AO USAR COMO F...
NOVAS TECNOLOGIAS PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DE BIOGEOGRAFIA - AO USAR COMO F...NOVAS TECNOLOGIAS PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DE BIOGEOGRAFIA - AO USAR COMO F...
NOVAS TECNOLOGIAS PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DE BIOGEOGRAFIA - AO USAR COMO F...
 
UM OLHAR ETNOGRÁFICO NA FEIRA DO SÃO JOSÉ 2 - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CI...
UM OLHAR ETNOGRÁFICO NA FEIRA DO SÃO JOSÉ 2 - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CI...UM OLHAR ETNOGRÁFICO NA FEIRA DO SÃO JOSÉ 2 - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CI...
UM OLHAR ETNOGRÁFICO NA FEIRA DO SÃO JOSÉ 2 - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CI...
 
A IMPORTÂNCIA DA DIDÁTICA HISTÓRICO-CRITICA NA ATUALIDADE O DESAFIO DA APLICA...
A IMPORTÂNCIA DA DIDÁTICA HISTÓRICO-CRITICA NA ATUALIDADE O DESAFIO DA APLICA...A IMPORTÂNCIA DA DIDÁTICA HISTÓRICO-CRITICA NA ATUALIDADE O DESAFIO DA APLICA...
A IMPORTÂNCIA DA DIDÁTICA HISTÓRICO-CRITICA NA ATUALIDADE O DESAFIO DA APLICA...
 
Observação da Nuvens - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
Observação da Nuvens - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASObservação da Nuvens - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
Observação da Nuvens - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
 
A MODERNIDADE NAS PERSPECTIVAS SOCIOLÓGICAS DE KARL MARX, ÉMILE DURKHEIM E MA...
A MODERNIDADE NAS PERSPECTIVAS SOCIOLÓGICAS DE KARL MARX, ÉMILE DURKHEIM E MA...A MODERNIDADE NAS PERSPECTIVAS SOCIOLÓGICAS DE KARL MARX, ÉMILE DURKHEIM E MA...
A MODERNIDADE NAS PERSPECTIVAS SOCIOLÓGICAS DE KARL MARX, ÉMILE DURKHEIM E MA...
 
Estetica de Kant - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
Estetica de Kant - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASEstetica de Kant - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
Estetica de Kant - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
 
Continuidade da Imanência no Ocidente - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NA...
Continuidade da Imanência no Ocidente - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NA...Continuidade da Imanência no Ocidente - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NA...
Continuidade da Imanência no Ocidente - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NA...
 
geografia da percepção - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
geografia da percepção - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASgeografia da percepção - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
geografia da percepção - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
 
O POSITIVISMO COMO FUNDAMENTO DA GEOGRAFIA TRADICIONAL - AO USAR COMO FONTE P...
O POSITIVISMO COMO FUNDAMENTO DA GEOGRAFIA TRADICIONAL - AO USAR COMO FONTE P...O POSITIVISMO COMO FUNDAMENTO DA GEOGRAFIA TRADICIONAL - AO USAR COMO FONTE P...
O POSITIVISMO COMO FUNDAMENTO DA GEOGRAFIA TRADICIONAL - AO USAR COMO FONTE P...
 
TEORIA DO SPOSITO - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
TEORIA DO SPOSITO - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIASTEORIA DO SPOSITO - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
TEORIA DO SPOSITO - AO USAR COMO FONTE POR FAVOR CITAR NAS REFERÊNCIAS
 
CONCEPÇÃO DE ESPAÇO EM KANT, DE ACORDO COM A SUA TEORIA ELEMENTAR TRANSCENDEN...
CONCEPÇÃO DE ESPAÇO EM KANT, DE ACORDO COM A SUA TEORIA ELEMENTAR TRANSCENDEN...CONCEPÇÃO DE ESPAÇO EM KANT, DE ACORDO COM A SUA TEORIA ELEMENTAR TRANSCENDEN...
CONCEPÇÃO DE ESPAÇO EM KANT, DE ACORDO COM A SUA TEORIA ELEMENTAR TRANSCENDEN...
 
ESCOLAS DO PENSAMENTO GEOGRÁFICO: NEOPOSITIVISMO & NOVA GEOGRAFIA: O PARADI...
ESCOLAS DO PENSAMENTO GEOGRÁFICO: NEOPOSITIVISMO  &  NOVA GEOGRAFIA: O PARADI...ESCOLAS DO PENSAMENTO GEOGRÁFICO: NEOPOSITIVISMO  &  NOVA GEOGRAFIA: O PARADI...
ESCOLAS DO PENSAMENTO GEOGRÁFICO: NEOPOSITIVISMO & NOVA GEOGRAFIA: O PARADI...
 
Tendência Liberal não Diretiva
Tendência Liberal não DiretivaTendência Liberal não Diretiva
Tendência Liberal não Diretiva
 

Posicionamento do paciente

  • 1. CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL - LTDA CENTRO LITERATUS - CEL CURSO DE TECNICO EM ENFERMAGEM FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM Posicionamento e a sua Importância JANDRESSON SOARES DE ARAÚJO LEANDRO SILVA DE ARAÚJO KESIA IZEL TAVARES LAINIER CRISTINA PINTO CRUZ GEORGE LUCAS DUARTE MORAES GILDERLANE NUNES OLIVEIRA JAMILIS SIMÕES DOS SANTOS JORGE COELHO DE BRITO LARISSA BORGES RAMOS 17 18/16M
  • 2. Fundamentos de Enfermagem Existem várias formas de se posicionar o paciente no leito, cada qual com sua finalidade e justificativa. Lembrando que o paciente precisa fazer mudanças de posicionamento a cada duas horas para evitar formação de úlceras por pressão (UPP), mas há casos em que não há possibilidade. Para estas exceções, caberá ao profissional decidir caso a caso o que melhor pode ser feito, a fim de maximizar o conforto e alívio. A enfermagem precisa ter os conhecimentos necessários para mudar o paciente de posição de modo seguro e sem causar nenhum tipo de danos possível. Cada posição favorece a realização de um determinado procedimento ou exame a ser executado. Logo, é imprescindível que os profissionais de enfermagem conheçam todas as posições. Posicionamento e a sua Importância Conceito Geral
  • 4. Essa posição dorsal também pode ser chamada de supina, o paciente fica deitado de costas com a cabeça e os ombros ligeiramente elevados. Esse decúbito proporciona conforto ao paciente, além de um bom alinhamento do corpo. Considera-se que para melhorar o conforto devem ser utilizados travesseiros, almofadas e rolos, para dar apoio ao paciente, evitando as posições viciosas dos pés e mãos e preservar a posição anatômica do corpo. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Dorsal - DD Conceito
  • 5. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Dorsal - DD Procedimento Afim de promover conforto ao paciente e conseguir um bom alinhamento do corpo são utilizados travesseiros, almofadas e rolos, para dar apoio ao paciente, evitar as posições viciosas dos pés e mãos e preservar a posição anatômica do corpo.
  • 6. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Dorsal - DD Procedimento Posicionar-se de pé ao lado da cabeceira da cama com um dos pés a um passo à frente do outro, manter as costas eretas, flexionar os joelhos e abaixar os quadris e colocar um travesseiro sob a cabeça e ombros do paciente.
  • 7. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Dorsal - DD Procedimento Posicionar-se de pé ao lado do centro da cama com um dos pés a um passo à frente do outro, manter as costas eretas, flexionar os joelhos e abaixar os quadris e colocar um travesseiro sob a região lombar.
  • 8. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Dorsal - DD Procedimento Dirigir-se até os pés da cama, posicionar-se e proceder a colocação de um travesseiro nas pernas permitindo uma ligeira flexão dos joelhos
  • 9. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Dorsal - DD Procedimento Colocar um rolo nos pés afim de evitar posição viciosa dos mesmos.
  • 10. • É evitar a formação de úlcera por pressão ou lesões por pressão que é causada nos tecidos, por isso é primordial considerar nosso cuidado pautado em aliviar a pressão. Portanto, a mudança de decúbito é a mais efetiva ação. • O decúbito dorsal é indicado para realização do exame físico, como abdômen, tórax e alguns exames por imagens, cirurgias, entre outros. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Dorsal - DD Importância & Observações Pontos de Pressão
  • 12. A posição lateral é uma posição em que o paciente fica deitado de lado em um plano paralelo ao chão, podendo ser tanto decúbito lateral direito ou esquerdo, dependendo do lado que o paciente estiver. Normalmente o pescoço fica numa posição neutra em relação ao tronco e geralmente os membros ficam flexionados. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Lateral - DL Conceito Decúbito Lateral
  • 13. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Lateral - DL Procedimento Nessa posição o paciente fica deitado de lado com ambos os braços para frente e os joelhos e quadris curvados. O peso é suportado pela lateral do ilíaco e pela escápula.
  • 14. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Lateral - DL Procedimento • Assumir a posição de pé ao lado da cama para o qual é desejado que o paciente seja lateralizado. • Colocar o braço mais distante do paciente sobre o tórax e o outro braço deve estar em posição lateral ao corpo e para fora dele. Posicionar a perna do paciente mais distante sobre a outra perna.
  • 15. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Lateral - DL Procedimento • Ficar de frente para a beirada da cama e assumir uma postura de base ampla com um dos pés a frente do outro; • Colocar uma das mãos no ombro mais afastado do paciente e a outra sobre o quadril.
  • 16. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Lateral - DL Procedimento • Manter as costas eretas, deslocar o peso da perna da frente para a trás, flexionando os joelhos e abaixando os quadris, o paciente é lateralizado na direção do executor do movimento • O paciente é apoiado pelos cotovelos do executor do movimento que repousam sobre o colchão. O paciente adota o decúbito lateral, voltado para a beirada da cama;
  • 17. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Lateral - DL Procedimento • Colocar um travesseiro sob a cabeça e ombros do paciente e posicionar os braços do paciente para frente e colocar um travesseiro na região torácica anterior para apoiar o braço.
  • 18. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Lateral - DL Procedimento • Posicionar as pernas fletidas sendo que a parte superior da perna é fletida em grau maior que a parte inferior. Colocar um travesseiro entre os joelhos que permaneceram flexionados.
  • 19. • Essa posição que o paciente assume na cama serve para aliviar a pressão exercida pelo peso de seu corpo sobre o sacro ou outras partes vulneráveis a úlceras por pressão. • A posição de decúbito lateral é indicada em cirurgias renais, massagens nas costas, mudança de decúbito, melhora do fluxo sanguíneo, lavagem gástrica e além de proporcionar conforto, entre outros. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Lateral - DL Importância & Observações Pontos de Pressão na Posição Decúbito Lateral
  • 21. O paciente fica deitado com o ventre para baixo, braços fletidos ou esticados e mãos sob a testa. Esse decúbito serve para fazer realizações de exames na região cervical e na coluna vertebral. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Ventral - DV Conceito
  • 22. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Ventral - DV Procedimento As medidas de sustentação para o paciente nessa posição incluem a utilização de travesseiros e almofadas, conforme a necessidade.
  • 23. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Ventral - DV Procedimento • Posicionar-se de pé ao lado da cabeceira da cama com um dos pés a um passo à frente do outro, manter as costas eretas, flexionar os joelhos e abaixar os quadris e colocar um travesseiro sob a cabeça e ombros do paciente. • A cabeça deve ficar voltada para um dos lados e os braços do paciente ao longo do travesseiro, afim de manter a posição anatômica.
  • 24. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Ventral - DV Procedimento • Posicionar-se de pé ao lado da parte central da cama com um dos pés a um passo à frente do outro, manter as costas eretas, flexionar os joelhos e abaixar os quadris. • Colocar um travesseiro sob o abdome do paciente, no nível do diafragma, para dar apoio à curvatura lombar e no caso de paciente do sexo feminino, retirar o peso do tórax.
  • 25. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Ventral - DV Procedimento • Dirigir-se até os pés da cama, posicionar-se e proceder a colocação de um pequeno travesseiro sob a parte inferior das pernas. • Afim de levantar os dedos dos pés do paciente da cama e permitir uma ligeira flexão dos joelhos.
  • 26. • Trabalhe com movimentos firmes e seguros, utilizando a mão toda e não somente as pontas dos dedos; • Tenha as mãos sempre secas e quentes; • Nunca movimente sozinho um paciente obeso ou com dependência total; • Use sempre a mecânica corporal; • Faça movimentos sincronizados quando há dois ou mais operadores; • Respeite as limitações do paciente; • Mantenha a privacidade do paciente; • Preste atenção quando o paciente estiver com infusão venosa. OBS: Para drenos, sondas e outros aparelhos não sejam dobrados ou retirados em movimentos bruscos, planeje o movimento antes de escutá-lo. Fundamentos de Enfermagem Decúbito Ventral - DV Importância & Observações Pontos de Pressão na Posição Decúbito Ventral
  • 28. A posição de Fowler é uma posição em que o paciente fica em decúbito dorsal, semi-sentado ou sentado, onde os braços podem ficar estendidos ao lado do corpo, cabeceira da cama elevada e os membros inferiores podem permanecer retos e estendidos sobre a cama ou levemente elevados. Fundamentos de Enfermagem Fowler Conceito Posição Fowler Posição semi Fowler
  • 29. 1. Lavar as mãos. 2. Separar o material. 3. Orientar o paciente e/ou o acompanhante sobre o que será feito. 4. Posicionar o biombo S/N. 5. Calçar as luvas de procedimento. 6. Manter o paciente em posição dorsal, semi-sentado, encostado, com os joelhos fletidos, apoiados em travesseiros ou estrado da cama modificado. 7. Elevar a cabeceira da cama em ângulo de 45º ou 90º. 8. Elevar o estrado dos pés da cama para evitar que o cliente escorregue. 9. Verificar se o paciente está confortável. 10. Proteger o paciente com o lençol. 11. Após o exame, tratamento ou refeição, posicionar o paciente confortavelmente. 12. Recompor a unidade. 13. Retirar as luvas de procedimento e desprezá-las. 14. Lavar as mãos. 15. Anotar o procedimento realizado em impresso próprio, no prontuário do paciente. Fundamentos de Enfermagem Fowler Procedimento
  • 30. • É uma posição tipicamente utilizada para libertar a tensão sobre os músculos do paciente e para melhorar a respiração, sendo indicada para pacientes que apresentam problemas respiratórios e cardíacos, em pós-operatório nasal, buco maxilo e tireoidectomia, higiene oral, passagem de sondas: nasogástrica ou nasoenteral, conforto e durante a alimentação do paciente. • Também é usada como prevenção de aspiração pelas vias respiratórias de secreções ou vômitos em pacientes com nível de consciência rebaixados. • É importante lembrar que existem variações desta posição podendo ser baixo com ângulo de 45º, intermediário com 60º e alto de 90º. • Salienta-se que é extremamente importante e necessário que a equipe de enfermagem mude a posição desse paciente a cada duas Fundamentos de Enfermagem Fowler Importância & Observações
  • 32. Muito parecida com a posição litotômica, tanto que alguns autores referem-na como litotômica, diferenciando apenas pela curvatura dos joelhos, pois na litotômica ficam dobrados a 90º. A posição ginecológica é aquela em que a paciente fica em decúbito dorsal com as pernas fletidas e as coxas em adução e flexão. Fundamentos de Enfermagem Ginecológica Conceito
  • 33. 1. Lavar as mãos. 2. Separar o material. 3. Orientar a cliente e/ou o acompanhante sobre o que será feito. 4. Posicionar o biombo. 5. Calçar as luvas de procedimento 6. Colocar a cliente em decúbito dorsal. 7. Joelhos flexionados e bem separados. 8. Calcanhares sobre a cama. 9. Proteger a cliente com o lençol até o momento do exame. 10. Após o exame ou tratamento, colocar a cliente em posição confortável. 11. Recompor a unidade. 12. Retirar as luvas de procedimento e desprezá-las. 13. Lavar as mãos. 14. Anotar o procedimento realizado em impresso próprio, no prontuário da cliente. Fundamentos de Enfermagem Ginecológica Procedimento
  • 34. • É indicada para realizar um exame vaginal ou vulvo vaginal, cateterismo vesical feminino, tricotomia, parto normal, entre outras. • Antes de realizar qualquer exame ginecológico, é preciso nos adaptarmos à situação de cada paciente. É normal que a mulher possa ter algum grau de insegurança ou temor. • É muito importante tranquilizar a paciente e explicar o procedimento, estabelecendo um grau de segurança e confiança. Confiança e segurança que deve existir mesmo na sala de exame, local com bastante privacidade. • Considera-se conveniente para os profissionais do sexo masculino que estejam acompanhados por uma profissional do sexo feminino. Fundamentos de Enfermagem Ginecológica Importância & Observações
  • 36. A posição genupeitoral ou genito - peitoral é o decúbito no qual o peito e os joelhos ficam apoiados no leito. É caracterizada por se verificar apoio simultâneo do peito e dos joelhos no mesmo plano horizontal, ficando o eixo do tronco inclinado de trás para a frente e de cima para baixo. A cabeça deve estar lateralizada, apoiada sobre os braços. Fundamentos de Enfermagem Genupeitoral Conceito
  • 37. 1. Lavar as mãos. 2. Separar os materiais. 3. Orientar o paciente e/ ou o acompanhante sobre o que será feito. 4. Posicionar o biombo. 5. Calçar as luvas de procedimento. 6. Solicitar ao paciente para que fique em decúbito ventral (caso o paciente necessite o profissional deverá realizar). 7. Apoiar o peito do paciente de encontro com o colchão. 8. Pedir ao paciente para fletir os joelhos. 9. Colocar a cabeça virada para um dos lados, sobre um travesseiro. 10. Pedir para o paciente estender os braços sobre a cama, na altura da cabeça. 11. Solicitar ao paciente para que descanse o peso sobre a cabeça, ombro, peito e os joelhos, formando assim, um ângulo reto entre as coxas e as pernas. 12. Proteger o paciente com o lençol, expondo apenas o necessário. 13. Após o exame, colocar o paciente em posição confortável. 14. Retirar as luvas de procedimento e desprezá-las. 15. Lavar as mãos. Fundamentos de Enfermagem Procedimento Genupeitoral
  • 38. • Essa posição é indicada para realizar exames do reto e vagina, sigmoidoscopia, em casos de flatulência, etc. • O paciente deve ser orientado e acompanhado quanto a posição e a finalidade. • Mantenha sempre a privacidade do paciente , expondo somente a área a ser manipulada no momento do exame. Fundamentos de Enfermagem Importância & Observações Genupeitoral
  • 40. Fundamentos de Enfermagem Tipos de Cama Sem a ocupação do leito paciente. Permanece fechada até a admissão de um novo paciente. Cama Fechada
  • 41. Fundamentos de Enfermagem Tipos de Cama Com ocupação do leito paciente, que pode ou não se locomover. Cama Aberta
  • 42. Fundamentos de Enfermagem Tipos de Cama Deve ser preparada logo após o encaminhamento do paciente para cirurgia, facilitando sua recepção ao retorno do centro cirúrgico. Cama de Operado
  • 43. Fundamentos de Enfermagem Tipos de Cama Finalidades OBS: Não encostar os lençóis no jaleco ou no chão. Não passar as mãos sobre os lençóis, com intuito de esticá-los. 1. Proporcionar repouso, conforto, segurança e bem estar ao paciente. 2. Economizar tempo e energia da equipe de enfermagem. 3. Manter a unidade com aspecto agradável.