SAFETY POINT ANCORAGEM PREDIAL

685 visualizações

Publicada em

Ponto de Ancoragem Predial

É um dispositivo para ancoragem de cordas ou cabos que ira suportar toda carga aplicada em um sistema vertical ou horizontal, pode ser composto por um ou mais pontos de fixação, estando este ou não agrupados em uma mesma estrutura. Deve ser constituído de material resistente a intempéries, não provocar abrasão ou esforços cortantes nas cordas ou cabos e resistir a esforços de tração de 1.500 Kgf.

Exemplo de pontos de ancoragem predial, definitivos em edifício para serviços de manutenção de fachada. A ancoragem deve ser de aço inox, fixada em parte estrutural do edifício, os pontos de ancoragem também são utilizados para retirada de vítimas e acesso do Corpo de Bombeiros na edificação e área de risco.

Publicada em: Engenharia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
685
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

SAFETY POINT ANCORAGEM PREDIAL

  1. 1. . .
  2. 2. SAFETY POINT COMERCIO E SERVIÇOS DE ANCORAGEM E ALPINISMO INDUSTRIAL LTDA . SAFETY POINT
  3. 3. A SAFETY POINT Ancoragem e uma empresa especializada em Segurança em Altura com Ancoragem Predial e Linha de Vida, bem como no Treinamento e Capacitação de colaboradores para o Trabalho em Altura. Estrategicamente, a SAFETY POINT tem atualmente três divisões comerciais: Ancoragem Predial e Industrial, Educação Corporativa e Consultoria, que compartilham de forma produtiva e eficiente as áreas de Logística, Operações, Finanças, Administração, Recursos Humanos e de Comercio. .. E M P R E S A
  4. 4. Identidade Uma empresa é um organismo vivo. Tem personalidade, imagem e cultura própria. É constituída por profissionais com características e habilidades diferentes, mas que, juntos, se complementam em busca de objetivos e sonhos em comum. Resumimos aqui os nossos Valores, a nossa Missão e a nossa Visão. Elementos que fazem parte do nosso jeito de ser, que são reflexo da nossa maneira de pensar e orientam a nossa forma de agir. É preciso arte para integrar e coordenar o trabalho de uma equipe. Essa habilidade pode ser aprendida e desenvolvida por líderes que tenham alguns valores incorporados. Para orientá-los, a Safety Point conta com um amplo conjunto de software operacional, gerencial e educacional multiplataforma, a Tecnologia Empresarial Safety Point (TESP), com base em fundamentos éticos, morais e conceituais. E M P R E S A
  5. 5. QUEM SOMOS A SAFETY POINT Ancoragem e uma empresa especializada em Segurança em Altura com Ancoragem Predial e Linha de Vida, bem como no Treinamento e Capacitação de colaboradores para o Trabalho em Altura. MISSÃO Atender com excelência às demandas dos clientes, pelo desenvolvimento e oferta de produtos e serviços que contribuam para a melhoria da qualidade de vida das pessoas, gerando riqueza de forma sustentável. VISÃO Ser empresa de referência, reconhecida como a melhor opção por clientes, colaboradores, comunidade, fornecedores e investidores, pela qualidade de nossos produtos, serviços e relacionamento. VALORES – Integridade – Comprometimento – Valorização humana – Superação dos resultados – Melhoria contínua – Inovação – Sustentabilidade. E M P R E S A
  6. 6. APLICAÇÕES E USO . SAFETY POINT
  7. 7. É um dispositivo para ancoragem de cordas ou cabos que ira suportar toda carga aplicada em um sistema vertical ou horizontal, pode ser composto por um ou mais pontos de fixação, estando este ou não agrupados em uma mesma estrutura. Deve ser constituído de material resistente a intempéries, não provocar abrasão ou esforços cortantes nas cordas ou cabos e resistir a esforços de tração de 1.500 Kgf. FINALIDADE DA ANCORAGEM Sistema Permanente de Ancoragem Predial DISPOSITIVO DE ANCORAGEM EM AÇO INOXA P L I C A Ç Õ E S E U S O
  8. 8. APLICAÇÃO: Dispositivo de segurança e proteção contra quedas de trabalho ou resgate em altura. Este dispositivo pode ser utilizado sozinho ou em conjunto para ampliar as possibilidades de sistemas de ancoragem e trabalhos em lugares de difícil acesso com mais agilidade e maior segurança. Sua carga de ruptura é de 40KN (4.040 Kgf.), quando aplicados esforços nos sentidos previstos em projeto. COMPATIBILIDADE: Este dispositivo de ancoragem permite acoplamento de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), mosquetões ou ganchos, passagem ou amarração de cabos de aço apropriados. Pode ser utilizado sozinho ou em conjunto com ancoragens iguais ou semelhantes, desde que dentro das especificações técnicas dos projetos. . DISPOSITIVO DE ANCORAGEM EM AÇO INOX PROJETADO PARA SER FIXADO NA POSIÇÃO VERTICAL, HORIZONTAL, OU PLANO INCLINADO A P L I C A Ç Õ E S E U S O
  9. 9. . APLICAÇÕES DO SISTEMA DE ANCORAGEM A P L I C A Ç Õ E S E U S O
  10. 10. A instalação de um Sistema de Linha de Vida ou de um equipamento trava-quedas se inicia quando surge o risco de uma queda em locais com diferença de nível. O objetivo destes sistemas de segurança é deter a queda de pessoas. A energia gerada por uma queda livre é muito maior do que pode parecer. Uma pessoa de 100 kg. que cai de uma altura de 2,5 metros gera um esforço dinâmico em impacto de 1.500 kg. nas extremidades. . SISTEMAS DE LINHAS DE VIDAA P L I C A Ç Õ E S E U S O
  11. 11. Sistema de segurança de uso obrigatório pelo Ministério do Trabalho e Emprego em telhados, coberturas, estruturas, beirais, fachadas, pontes rolantes e ferroviárias. Fácil montagem utiliza componentes e cabo de aço de 8 mm de diâmetro, galvanizado ou inox, resistência de 3480 kg. Os poucos componentes do sistema estão, em parte, disponíveis em diferentes modelos ou materiais. Desta maneira, o sistema é especialmente polivalente e sua instalação é muito simples. . SISTEMAS DE LINHAS DE VIDAA P L I C A Ç Õ E S E U S O
  12. 12. Ganchos no teto da Caixa dos Elevadores Devem ser instalados no teto da caixa os ganchos para procedimentos de montagem e içamento, das guias e equipamentos do elevador. A posição dos ganchos no teto da caixa deve estar de acordo com as plantas do Projeto Executivo. Os ganchos devem possuir dimensões conforme plantas do Projeto Executivo. A P L I C A Ç Õ E S E U S O
  13. 13. Ganchos no teto da Caixa dos Elevadores Gancho posicionado no teto ou nas vigas da casa de máquinas, com as seguintes características: - deve ser fabricado em aço de baixo teor de carbono. - deve ser pintado na cor amarelo brilhante. - em torno do gancho deve ser pintada uma seção retangular na cor amarelo brilhante. - no interior da seção retangular deve ser pintada, na cor preta, a indicação da carga máxima admissível. Ex.: 2 t ou 2.000 Kg. - devem suportar, em qualquer ponto, a carga vertical indicada na planta de instalação. A P L I C A Ç Õ E S E U S O
  14. 14. LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA E APLICÁVEL . SAFETY POINT
  15. 15. Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e Emprego As Normas Regulamentadoras, também conhecidas como NRs, regulamentam e fornecem orientações sobre procedimentos obrigatórios relacionados à segurança e medicina do trabalho. Essas normas são citadas no Capítulo V, Título II, da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Foram aprovadas pela Portaria N.° 3.214, 8 de junho de 1978, são de observância obrigatória por todas as empresas brasileiras regidas pela CLT e são periodicamente revisadas pelo Ministério do Trabalho e Emprego. L E G I S L A Ç Ã O E S P E C Í F I C A
  16. 16. NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção Prevê que - As edificações com no mínimo quatro pavimentos ou altura de 12m (doze metros), a partir do nível do térreo, devem possuir previsão para a instalação de dispositivos destinados a ancoragem de equipamentos de sustentação de andaimes e de cabos de segurança para o uso de proteção individual, a serem utilizados nos serviços de limpeza, manutenção e restauração de fachadas. L E G I S L A Ç Ã O E S P E C Í F I C A
  17. 17. NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção 18.15.56.1 Nas edificações com, no mínimo, quatro pavimentos ou altura de 12m (doze metros) a partir do nível do térreo devem ser instalados dispositivos destinados à ancoragem de equipamentos de sustentação de andaimes e de cabos de segurança para o uso de proteção individual a serem utilizados nos serviços de limpeza, manutenção e restauração de fachadas. (Alterado pela Portaria SIT n.º 318, de 8 de maio de 2012). L E G I S L A Ç Ã O E S P E C Í F I C A
  18. 18. NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção 18.15.56.2 Os pontos de ancoragem devem: a) estar dispostos de modo a atender todo o perímetro da edificação; b) suportar uma carga pontual de 1.500 Kgf (mil e quinhentos quilogramas-força); (Alterada pela Portaria SIT n.º 318, de 8 de maio de 2012) c) constar do projeto estrutural da edificação; d) ser constituídos de material resistente às intempéries, como aço inoxidável ou material de características equivalentes. L E G I S L A Ç Ã O E S P E C Í F I C A
  19. 19. NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção 18.15.56.3 Os pontos de ancoragem de equipamentos e dos cabos de segurança devem ser independentes. 18.15.56.5 A ancoragem deve apresentar na sua estrutura, em caracteres indeléveis e bem visíveis: (Inserido pela Portaria SIT n.º 318, de 8 de maio de 2012) a) razão social do fabricante e o seu CNPJ; b) indicação da carga de 1.500 Kgf; c) material da qual é constituído; d) número de fabricação/série. L E G I S L A Ç Ã O E S P E C Í F I C A
  20. 20. NR 35 Trabalho em Altura Estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura, envolvendo o planejamento, a organização e a execução, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores envolvidos direta ou indiretamente com esta atividade. L E G I S L A Ç Ã O E S P E C Í F I C A
  21. 21. NR 35 Trabalho em Altura 35.4.5.1 A Análise de Risco deve, além dos riscos inerentes ao trabalho em altura, considerar: c) o estabelecimento dos sistemas e pontos de ancoragem; 35.5. Equipamentos de Proteção Individual, Acessórios e Sistemas de Ancoragem 35.5.1 Os Equipamentos de Proteção Individual - EPI, acessórios e sistemas de ancoragem devem ser especificados e selecionados considerando-se a sua eficiência, o conforto, a carga aplicada aos mesmos e o respectivo fator de segurança, em caso de eventual queda. L E G I S L A Ç Ã O E S P E C Í F I C A
  22. 22. NR 35 Trabalho em Altura 35.5.2 Na aquisição e periodicamente devem ser efetuadas inspeções dos EPI, acessórios e sistemas de ancoragem, destinados à proteção de queda de altura, recusando-se os que apresentem defeitos ou deformações. 35.5.3 O cinto de segurança deve ser do tipo paraquedista e dotado de dispositivo para conexão em sistema de ancoragem. 35.5.3.2 O trabalhador deve permanecer conectado ao sistema de ancoragem durante todo o período de exposição ao risco de queda. L E G I S L A Ç Ã O E S P E C Í F I C A
  23. 23. NR 35 Trabalho em Altura 35.5.4 Quanto ao ponto de ancoragem, devem ser tomadas as seguintes providências: a) ser selecionado por profissional legalmente habilitado; b) ter resistência para suportar a carga máxima aplicável; c) ser inspecionado quanto à integridade antes da sua utilização. (Inserido pela Portaria MTE n.º 593, de 28 de abril de 2014) 2.2 Durante a execução da atividade o trabalhador deve estar conectado a pelo menos duas cordas em pontos de ancoragem independentes. L E G I S L A Ç Ã O E S P E C Í F I C A
  24. 24. SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 11/2004 Saídas de Emergência . L E G I S L A Ç Ã O E S P E C Í F I C A
  25. 25. 5.13 Acesso de Guarnições de bombeiros na edificação e áreas de risco por meio de ponto de ancoragem Considera-se ponto de ancoragem todo dispositivo destinado à ancoragem de cordas para a retirada de vítimas e acesso de bombeiros na edificação e áreas de risco. . Instrução Técnica nº 11/2004 - Saídas de Emergência Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo L E G I S L A Ç Ã O E S P E C Í F I C A
  26. 26. 5.13.1 Características do ponto de ancoragem: a) Permitir a fixação de modo a não provocar a abrasão ou esforços de corte nas cordas; b) Ser constituído de material que resista a esforços de tração de 3.000 quilogramas força (tubulação preferencialmente com diâmetro de 63 mm ou vergalhão com diâmetro mínimo de 50 mm); c) Ser constituído de material que resista às intempéries; d) Ser fixado em pelo menos 2 pontos com resistência igual ao exigido na letra b; e) A distância mínima entre o ponto de ancoragem e a projeção horizontal da fachada atendida deve ser de 1 m. . Instrução Técnica nº 11/2004 - Saídas de Emergência Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo L E G I S L A Ç Ã O E S P E C Í F I C A
  27. 27. 5.13.2 Exigências a) Toda edificação com altura superior a 23 m deve possuir pelo menos um ponto de ancoragem, destinado a atender cada fachada, localizado na última laje e com acesso fácil aos bombeiros e ocupantes da edificação; b) Os pontos de ancoragem devem ser localizados de forma centralizada em relação às fachadas que visem a atender. . Instrução Técnica nº 11/2004 - Saídas de Emergência Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo L E G I S L A Ç Ã O E S P E C Í F I C A
  28. 28. ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 009/DAT/CBMSC) SISTEMA DE SAÍDAS DE EMERGÊNCIA . L E G I S L A Ç Ã O E S P E C Í F I C A
  29. 29. Art. 107. As edificações com a obrigatoriedade de apresentar dispositivos para ancoragem de cabos de salvamento deverão tê-los dispostos na cobertura e em pontos onde a parede ofereça menor probabilidade de exposição às chamas. Art. 108. Os dispositivos deverão atender o que segue: d) a ancoragem ser feita através de hastes que se prolonguem a partir da alça com, pelo menos, 30cm de comprimento para cada lado. Estas hastes serão conectadas no interior da peça de suporte juntamente com a sua armadura, posteriormente aos estribos; . IN 009/DAT/CBMSC – Sistema de Saídas de Emergência Corpo de Bombeiros do Estado de Santa CatarinaL E G I S L A Ç Ã O E S P E C Í F I C A
  30. 30. NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 16042 DE 2012 Elevadores elétricos de passageiros — Requisitos de segurança para construção e instalação de elevadores sem casa de máquinas L E G I S L A Ç Ã O A P L I C Á V E L
  31. 31. NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 16042 DE 2012 6.4.10 Manuseio do equipamento Um ou mais suportes ou ganchos de metal, o que for mais apropriado, com a indicação da carga segura de trabalho (15.4.5), devem estar convenientemente posicionados nos espaços da maquinaria, para permitir o içamento de equipamentos pesados (ver 0.2.5 e 0.3.14). 15.4.5 A carga máxima permissível em quilogramas deve estar indicada nos vigamentos ou ganchos de içamento (ver 6.4.10). L E G I S L A Ç Ã O A P L I C Á V E L
  32. 32. Rua Maestro Felício Toledo nº 495 Sala 820 - Centro Niterói - Rio de Janeiro Telefones 21.3786.1233 / 21.2717.2778 www.SAFETYPOINT.com.br . SAFETY POINT C O N T A T O

×