Quando surgiu a educação não formal

13.186 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.186
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
181
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Quando surgiu a educação não formal

  1. 1. Quando surgiu aEducação Não-Formal?
  2. 2. Citações Selecionadas “O termo “educação não-formal” surge pela primeira vez com maior relevância (…) a partir da Conferência Sobre a Crise Mundial da Educação (1967) (…)” (Pinto, 2007)
  3. 3. Citações Selecionadas“Como nos diz Alan Rogers (2004:71): “The term had been usedin a few earlier writings but without a systematic context ofdebate”. Alan Rogers propõe-nos, aliás, uma revisão cronológicabibliográfica dos contributos mais significativos para o debatesobre a educação não-formal, cuja primeira entrada se situarealmente na década de 50”(Pinto, 2007)
  4. 4. Citações Selecionadas “(…) a educação não-formal surgiu, como conceito e como resposta educativa, para superar os problemas não resolvidos do sistema formal de ensino, sobretudo num contexto de desenvolvimento” (Pinto, 2007)
  5. 5. Citações Selecionadas“A Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa adotava, em 2000, arecomendação 1437 sobre Educação Não-Formal, “incitando todosaqueles que dão forma às políticas educativas a tomar conhecimento daeducação não-formal como parte essencial do processo educativo... ” e“interpelando os governos e outras autoridades competentes dosEstados-Membros a reconhecer a educação não-formal como umparceiro de facto no processo de aprendizagem ao longo da vida…””(Pinto, 2005)
  6. 6. Palavras-Chave Contexto de Parte essencial desenvolvimento Conferência Sobre a Anos 50/60 Crise Mundial da Educação
  7. 7. Principais ConclusõesA recomendação 1437 adotada pela AssembleiaParlamentar do Conselho da Europa em 2000, informa asentidades educativas, que a educação não formal passa afazer parte do processo educativo, assim como consistenuma peça fundamental no processo de aprendizagem doindividuo ao longo da vida.
  8. 8. Principais ConclusõesA educação não-formal foi oficializada em 1967, mas jáexistia anteriormente.Surgiu como solução para os problemas da educação formalnuma comunidade em desenvolvimento.
  9. 9. Resumo A educação não-formal surgiu pela primeira vez na década de 50; Só foi oficializada em 1967, na Conferência Sobre a Crise Mundial da Educação; O seu objetivo era resolver os problemas da educação formal numa sociedade cada vez mais desenvolvida.
  10. 10. Questões
  11. 11. Resumo Em 2000, a Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa reconhece a educação não-formal como uma prática educativa.
  12. 12. Aprendizagens significativas Em 1996 a UNESCO salienta a aprendizagem ao longo da vida como um processo alargado a diversos contextos da vida do individuo. Em 2004 a Comissão Europeia reconhece que “a identificação e validação da aprendizagem não-formal e informal têm lugar dentro e fora do ensino e formação formais, no local de trabalho e na sociedade civil” (Pinto, 2005)
  13. 13. Aprendizagens significativas Desde os primeiros tempos não se consegue categorizar adequadamente o que é a educação não-formal. No entanto, esta está a começar a ser entendida como escolar e está cada vez mais ligada à educação social, uma vez que ambas são realizadas fora do espaço e do tempo escolar.
  14. 14. Contributos para a Educação Social O surgimento da educação não-formal foi um grande contributo para a educação social, já que permitiu a implementação de novas práticas educativas.
  15. 15. Contributos para aEducação Social Um educador social precisa de vivências adquiridas através do quotidiano e das experiências vividas entre famílias, amigos, etc. é através desde sistema de aprendizagem que a educação social se foca, pois um processo de aprendizagem é feito ao longo da vida e neste caso completado assim com experiências adquiridas fora do conceito escolar.
  16. 16. Bibliografia Fávero, O. (2007). Educação Não-formal: Contextos, percursos e sujeitos. Educ. Soc., Campinas, vol. 28, nº 99, pp. 614-617. Pinto, L. (2005). Cadernos d’inducar. Sobre Educação Não-formal. Pinto, L. (2007). Educação Não-Formal. Um contributo para a compreensão do conceito e das práticas em Portugal.
  17. 17. Sociologia da Educação Não-FormalDocente Leonor TeixeiraEducação Social1º ano, 2º semestre, diurno Ana Machado nº 110230010 Cátia Estêvão nº 100230044 Inês Lucas nº 110230035 Márcia Gameiro nº 110230038

×