SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Baixar para ler offline
Conceitos em Nutrição Humana
LEIS DA ALIMENTAÇÃO
Pedro Escudero, médico argentino, que
em 1937, introduziu o estudo da
alimentação e da nutrição nas escolas de
medicina de seu país, com uma visão de
clínica médica;
Divulgou as Leis da Alimentação, aos
profissionais que coordenavam as equipes
de saúde.
LEIS FUNDAMENTAIS DA ALIMENTAÇÃO
QUANTIDADE
Deve ser suficiente para cobrir as exigências
calóricas do organismo, mantendo o peso
normal e o equilíbrio corporal.
As calorias que ingerimos devem ser
suficientes para permitir o cumprimento das
atividades de uma pessoa.
LEIS FUNDAMENTAIS DA ALIMENTAÇÃO
QUALIDADE
Deve ser completa em sua composição para
oferecer ao organismo todas as substâncias
necessárias ao bom funcionamento.
O cardápio completo inclui todos os
nutrientes que devem ser ingeridos
diariamente: Nº de refeições, Variedade,
Nutrientes essenciais;
LEIS FUNDAMENTAIS DA ALIMENTAÇÃO
HARMONIA
 As quantidades dos nutrientes que a
integram devem guardar uma proporção entre si.
CHO: 45 – 65%
LIP: 20 - 30%
PTN: 10 – 35%
LEIS FUNDAMENTAIS DA ALIMENTAÇÃO
ADEQUAÇÃO
A finalidade da alimentação está subordinada à sua
adequação ao organismo.
Essa adequação está subordinada ao momento
biológico da vida e, além disso, deve adequar-se aos
hábitos individuais, à situação econômica social da
pessoa e em relação ao seu sistema digestório e ao
órgão ou sistemas alterados por alguma enfermidade
SUFICIENTE COMPLETA HARMÔNICA ADEQUADA
FINALIDADES DA NUTRIÇÃO
 A dieta deve ser equilibrada e completa, tendo 3
finalidades principais:
 Aporte potencial de energia
 Aporte de nutrientes
 Aporte de água e eletrólitos
CONCEITOS
NUTRIENTES
São os elementos responsáveis pela
manutenção de todas as reações
bioquímicas necessárias para o perfeito
funcionamento do organismo.
Exemplo: Proteínas, carboidratos, lipídios,
vitaminas, minerais e água.
CONCEITOS
 Nutrientes Energéticos
 Os alimentos energéticos são compostos por
carboidratos, que fornecem energia para o corpo
realizar diversas atividades, principalmente as
físicas como andar, tocar cadeira de rodas,
deambular com órteses, fazer exercícios de
fortalecimento, esportes diversos e outros.
 Principais fontes:
Cereais: arroz, milho, trigo, outros.
Tubérculos e Raízes: Batata, mandioca, inhame,
outros
Diversos: Pães, massas, biscoitos, outros
CONCEITOS
 Nutrientes Construtores
 Os alimentos construtores são compostos pelas
proteínas, responsáveis pela formação e renovação
dos tecidos do corpo, como a pele, os músculos,
ossos e outros.
 Principais fontes:
Carnes: vermelha(bovinos, suínos, etc), carne
branca(aves, peixes), ovos, outros
Leite e derivados: queijos, iogurte, outros
Leguminosas: feijão, fava, lentilha, grão de bico,
outros
CONCEITOS
 Nutrientes Reguladores
 Os alimentos reguladores, têm como nutrientes, as
vitaminas e os minerais. Tais alimentos, conservam
e fortalecem o sistema imunológico, regulam a
digestão, a circulação sanguínea e proporcionam o
bom funcionamento do intestino, pois são ricos em
fibras.
 Principais fontes:
Verduras: alface, escarola, agrião, couve, outros
Legumes: abobrinha, cenoura, pepino, outros
Frutas: mamão, laranja, abacaxi, melão, abacate.
NUTRIENTES ESSENCIAIS
 São aqueles que não são produzidos pelo
organismo, portanto devem ser obtidos pela
alimentação;
 São eles: ácidos graxos, e alguns
aminoácidos (metiotina, lisina, valina,
isoleucina, leucina, triptofano, treonina,
fenilalanina e histidina).
NUTRIÇÃO
É o estudo dos alimentos e dos
mecanismos pelos quais o organismo
ingere, assimila e utiliza os nutrientes
que nos fornecem a energia necessária
para mantê-lo vivo.
Princípios básicos da nutrição
CALORIA
É a quantidade de energia necessária para
elevar a temperatura de 1ml de água, de
uma temperatura padrão inicial, em 1º C.
Princípios básicos da nutrição
QUILOCALORIA
São 1000 calorias. Porém, na maioria das
vezes as informações nutricionais presentes
em rótulos de embalagem simplificam tal
termo para apenas caloria.
Princípios básicos da nutrição
GASTO ENERGÉTICO BASAL
É a quantidade de energia utilizada em 24
horas por uma pessoa completamente em
repouso, 12 horas após uma refeição, em
temperatura e ambiente confortáveis.
Princípios básicos da nutrição
GASTO DE ENERGIA NO REPOUSO
É a quantidade de energia utilizada em 24
horas quando em repouso, três a quatro
horas após uma refeição.
Princípios básicos da nutrição
GASTO DE ENERGIA TOTAL
É o somatório do gasto de energia em
repouso, energia gasta em atividades físicas e
o efeito térmico dos alimentos em 24 horas.
Princípios básicos da nutrição
METABOLISMO
É o conjunto de reações químicas
responsáveis pelos processos de síntese e
degradação dos nutrientes na célula. Pode
ser dividido em:
Anabolismo e catabolismo.
Princípios básicos da nutrição
ANABOLISMO
É a síntese de compostos grandes a partir
de unidades pequenas ( por exemplo, a
formação de proteínas a partir de
aminoácidos). Possui gasto de energia.
Princípios básicos da nutrição
CATABOLISMO
É a degradação de compostos grandes em
unidades pequenas (por exemplo, a quebra
da proteína em suas unidades estruturais,
que são os aminoácidos)
São as reações que liberam energia.
Princípios básicos da nutrição
 Uma vez que a alimentação se dá em função
do consumo de alimentos e não de
nutrientes, uma alimentação saudável deve
estar baseada em práticas alimentares que
tenham significado social e cultural.
 Os alimentos têm gosto, cor, forma, aroma e
textura e todos esses componentes
precisam ser considerados na abordagem
nutricional.
Princípios básicos da nutrição
 A Política Nacional de Alimentação e
Nutrição (PNAN), homologada em 1999,
integra a Política Nacional de Saúde
(BRASIL, 2003f).
 Tem como principal objetivo contribuir com
o conjunto de políticas de governo voltadas
à concretização do direito humano universal
à alimentação e nutrição adequadas e à
garantia da Segurança Alimentar e
nutricional da população.
Princípios básicos da nutrição
 A PNAN tem como diretrizes a
promoção de práticas alimentares saudáveis
e a prevenção e o controle dos distúrbios
nutricionais e das doenças associadas à
alimentação e nutrição, o monitoramento da
situação alimentar e nutricional, a garantia
da qualidade dos alimentos colocados para
consumo no País, o desenvolvimento de
pesquisas e recursos humanos, bem como o
estímulo às ações intersetoriais que
propiciem o acesso universal aos alimentos.
Princípios básicos da nutrição
 Estratégia Global para a Promoção da Alimentação
Saudável, Atividade Física e Saúde, da Organização
Mundial da Saúde, recomenda:
 manter o equilíbrio energético e o peso saudável;
 limitar a ingestão energética procedente de
gorduras; substituir as gorduras saturadas
 por insaturadas e eliminar as gorduras trans
(hidrogenadas);
 aumentar o consumo de frutas, legumes e verduras,
cereais integrais e leguminosas (feijões);
 limitar a ingestão de açúcar livre;
 limitar a ingestão de sal (sódio) de toda procedência
e consumir sal iodado.
AULA NUTRIÇÃO APLICADA A ENFERMAGEM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

01 noções básicas de nutrição e dietética
01 noções básicas de nutrição e dietética01 noções básicas de nutrição e dietética
01 noções básicas de nutrição e dietéticaEliane Cristina
 
dietas hospitalares.ppt
dietas hospitalares.pptdietas hospitalares.ppt
dietas hospitalares.pptHeder13
 
Introdução a Nutrição
Introdução a NutriçãoIntrodução a Nutrição
Introdução a NutriçãoPaulo Matias
 
Nutrição enteral e parenteral
Nutrição enteral e parenteralNutrição enteral e parenteral
Nutrição enteral e parenteralAlexandra Caetano
 
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERAL
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERALNUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERAL
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERALElyda Santos
 
Livro dietas hospitalares pdf
Livro dietas hospitalares pdfLivro dietas hospitalares pdf
Livro dietas hospitalares pdfMarcela Cardoso
 
Nutrientes nos diferentes ciclos da vida
Nutrientes nos diferentes  ciclos da vidaNutrientes nos diferentes  ciclos da vida
Nutrientes nos diferentes ciclos da vidaMarcelo Silva
 
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idoso
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idosoNutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idoso
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idosoKetlenBatista
 
aula 3. Dietas hospitalares .pdf
aula 3. Dietas hospitalares .pdfaula 3. Dietas hospitalares .pdf
aula 3. Dietas hospitalares .pdfAna Alves
 
Necessidades Nutricionais no Idoso
Necessidades Nutricionais no IdosoNecessidades Nutricionais no Idoso
Necessidades Nutricionais no IdosoAmanda Thomé
 
Ética Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemÉtica Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemfnanda
 

Mais procurados (20)

01 noções básicas de nutrição e dietética
01 noções básicas de nutrição e dietética01 noções básicas de nutrição e dietética
01 noções básicas de nutrição e dietética
 
dietas hospitalares.ppt
dietas hospitalares.pptdietas hospitalares.ppt
dietas hospitalares.ppt
 
Introdução a Nutrição
Introdução a NutriçãoIntrodução a Nutrição
Introdução a Nutrição
 
Nutrição enteral e parenteral
Nutrição enteral e parenteralNutrição enteral e parenteral
Nutrição enteral e parenteral
 
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERAL
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERALNUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERAL
NUTRIÇÃO PARENTERAL E NUTRIÇÃO ENTERAL
 
Livro dietas hospitalares pdf
Livro dietas hospitalares pdfLivro dietas hospitalares pdf
Livro dietas hospitalares pdf
 
NUTRIÇÃO NO IDOSO
NUTRIÇÃO NO IDOSONUTRIÇÃO NO IDOSO
NUTRIÇÃO NO IDOSO
 
Nutrientes nos diferentes ciclos da vida
Nutrientes nos diferentes  ciclos da vidaNutrientes nos diferentes  ciclos da vida
Nutrientes nos diferentes ciclos da vida
 
Dietas hospitalares
Dietas hospitalaresDietas hospitalares
Dietas hospitalares
 
A1 introdução à nutrição
A1 introdução à nutriçãoA1 introdução à nutrição
A1 introdução à nutrição
 
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idoso
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idosoNutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idoso
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idoso
 
Nutrição do idoso
Nutrição do idosoNutrição do idoso
Nutrição do idoso
 
aula 3. Dietas hospitalares .pdf
aula 3. Dietas hospitalares .pdfaula 3. Dietas hospitalares .pdf
aula 3. Dietas hospitalares .pdf
 
TERAPIA NUTRICIONAL
TERAPIA NUTRICIONALTERAPIA NUTRICIONAL
TERAPIA NUTRICIONAL
 
Apresentação TNE
Apresentação TNEApresentação TNE
Apresentação TNE
 
Aula Diabetes
Aula  DiabetesAula  Diabetes
Aula Diabetes
 
Dietas
DietasDietas
Dietas
 
Apresentação dieta e nutrição
Apresentação dieta e nutriçãoApresentação dieta e nutrição
Apresentação dieta e nutrição
 
Necessidades Nutricionais no Idoso
Necessidades Nutricionais no IdosoNecessidades Nutricionais no Idoso
Necessidades Nutricionais no Idoso
 
Ética Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemÉtica Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagem
 

Semelhante a AULA NUTRIÇÃO APLICADA A ENFERMAGEM

Apostila 2013- Bruno Gripp
Apostila 2013- Bruno GrippApostila 2013- Bruno Gripp
Apostila 2013- Bruno Grippbgripp
 
Introdução- nutrição, nutrientes e alimentação equilibrada- semana 1.pdf
Introdução- nutrição, nutrientes e alimentação  equilibrada- semana 1.pdfIntrodução- nutrição, nutrientes e alimentação  equilibrada- semana 1.pdf
Introdução- nutrição, nutrientes e alimentação equilibrada- semana 1.pdfJulioCesar371362
 
Aula De NutriçãO IntroduçãO
Aula De NutriçãO IntroduçãOAula De NutriçãO IntroduçãO
Aula De NutriçãO IntroduçãOthemis dovera
 
AlimentacaoAdequada.pdf
AlimentacaoAdequada.pdfAlimentacaoAdequada.pdf
AlimentacaoAdequada.pdfTniaMarie
 
Almentação saudável
Almentação saudávelAlmentação saudável
Almentação saudávelPatrys Gen
 
Bruno Gripp - Educação Física
Bruno Gripp - Educação FísicaBruno Gripp - Educação Física
Bruno Gripp - Educação Físicabgripp
 
Apostila de Educação Física 2013
Apostila de Educação Física 2013Apostila de Educação Física 2013
Apostila de Educação Física 2013bgripp
 
Educação Física e saúde e nutrição.
Educação Física e saúde e nutrição.Educação Física e saúde e nutrição.
Educação Física e saúde e nutrição.Nicole Gouveia
 
Apostila de nutrição e dietética profª lívia motta
Apostila de nutrição e dietética profª lívia motta Apostila de nutrição e dietética profª lívia motta
Apostila de nutrição e dietética profª lívia motta LviaMotta3
 
Nutrição Funcional
Nutrição FuncionalNutrição Funcional
Nutrição FuncionalSanny Pereira
 
1-regras alimentares.ppt
1-regras alimentares.ppt1-regras alimentares.ppt
1-regras alimentares.pptCristelaRomo
 
1-regrasalimentares-230108233735-332d9d4c.pdf
1-regrasalimentares-230108233735-332d9d4c.pdf1-regrasalimentares-230108233735-332d9d4c.pdf
1-regrasalimentares-230108233735-332d9d4c.pdfCliaMachado11
 
11ºTec1_6575_Cuidados na alimentação e Hidratação04Outubro - Cópia (1) (1).pptx
11ºTec1_6575_Cuidados na alimentação e Hidratação04Outubro - Cópia (1) (1).pptx11ºTec1_6575_Cuidados na alimentação e Hidratação04Outubro - Cópia (1) (1).pptx
11ºTec1_6575_Cuidados na alimentação e Hidratação04Outubro - Cópia (1) (1).pptxdanielarodrigues796845
 
Ache nutricao web
Ache nutricao webAche nutricao web
Ache nutricao websaudefieb
 
nutrioaplicadaenfermagem1-160831134159.pptx
nutrioaplicadaenfermagem1-160831134159.pptxnutrioaplicadaenfermagem1-160831134159.pptx
nutrioaplicadaenfermagem1-160831134159.pptxdntascatarina
 

Semelhante a AULA NUTRIÇÃO APLICADA A ENFERMAGEM (20)

Apostila 2013- Bruno Gripp
Apostila 2013- Bruno GrippApostila 2013- Bruno Gripp
Apostila 2013- Bruno Gripp
 
Introdução- nutrição, nutrientes e alimentação equilibrada- semana 1.pdf
Introdução- nutrição, nutrientes e alimentação  equilibrada- semana 1.pdfIntrodução- nutrição, nutrientes e alimentação  equilibrada- semana 1.pdf
Introdução- nutrição, nutrientes e alimentação equilibrada- semana 1.pdf
 
AULA 1 Introduçao a Nutricao.ppt
AULA 1 Introduçao a Nutricao.pptAULA 1 Introduçao a Nutricao.ppt
AULA 1 Introduçao a Nutricao.ppt
 
Aula De NutriçãO IntroduçãO
Aula De NutriçãO IntroduçãOAula De NutriçãO IntroduçãO
Aula De NutriçãO IntroduçãO
 
AlimentacaoAdequada.pdf
AlimentacaoAdequada.pdfAlimentacaoAdequada.pdf
AlimentacaoAdequada.pdf
 
Almentação saudável
Almentação saudávelAlmentação saudável
Almentação saudável
 
Bruno Gripp - Educação Física
Bruno Gripp - Educação FísicaBruno Gripp - Educação Física
Bruno Gripp - Educação Física
 
Apostila de Educação Física 2013
Apostila de Educação Física 2013Apostila de Educação Física 2013
Apostila de Educação Física 2013
 
Alimentação da vida
Alimentação da vidaAlimentação da vida
Alimentação da vida
 
Educação Física e saúde e nutrição.
Educação Física e saúde e nutrição.Educação Física e saúde e nutrição.
Educação Física e saúde e nutrição.
 
Apostila de nutrição e dietética profª lívia motta
Apostila de nutrição e dietética profª lívia motta Apostila de nutrição e dietética profª lívia motta
Apostila de nutrição e dietética profª lívia motta
 
Nutrição Funcional
Nutrição FuncionalNutrição Funcional
Nutrição Funcional
 
Guia alimentacao-saudavel
Guia alimentacao-saudavelGuia alimentacao-saudavel
Guia alimentacao-saudavel
 
AulaNutri.pdf
AulaNutri.pdfAulaNutri.pdf
AulaNutri.pdf
 
1-regras alimentares.ppt
1-regras alimentares.ppt1-regras alimentares.ppt
1-regras alimentares.ppt
 
1-regrasalimentares-230108233735-332d9d4c.pdf
1-regrasalimentares-230108233735-332d9d4c.pdf1-regrasalimentares-230108233735-332d9d4c.pdf
1-regrasalimentares-230108233735-332d9d4c.pdf
 
ALIMENTACAO SAUDAVEL (1).pptx
ALIMENTACAO SAUDAVEL (1).pptxALIMENTACAO SAUDAVEL (1).pptx
ALIMENTACAO SAUDAVEL (1).pptx
 
11ºTec1_6575_Cuidados na alimentação e Hidratação04Outubro - Cópia (1) (1).pptx
11ºTec1_6575_Cuidados na alimentação e Hidratação04Outubro - Cópia (1) (1).pptx11ºTec1_6575_Cuidados na alimentação e Hidratação04Outubro - Cópia (1) (1).pptx
11ºTec1_6575_Cuidados na alimentação e Hidratação04Outubro - Cópia (1) (1).pptx
 
Ache nutricao web
Ache nutricao webAche nutricao web
Ache nutricao web
 
nutrioaplicadaenfermagem1-160831134159.pptx
nutrioaplicadaenfermagem1-160831134159.pptxnutrioaplicadaenfermagem1-160831134159.pptx
nutrioaplicadaenfermagem1-160831134159.pptx
 

Último

19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimWashingtonSampaio5
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadodanieligomes4
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzAlexandrePereira818171
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 

Último (20)

19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 

AULA NUTRIÇÃO APLICADA A ENFERMAGEM

  • 2. LEIS DA ALIMENTAÇÃO Pedro Escudero, médico argentino, que em 1937, introduziu o estudo da alimentação e da nutrição nas escolas de medicina de seu país, com uma visão de clínica médica; Divulgou as Leis da Alimentação, aos profissionais que coordenavam as equipes de saúde.
  • 3. LEIS FUNDAMENTAIS DA ALIMENTAÇÃO QUANTIDADE Deve ser suficiente para cobrir as exigências calóricas do organismo, mantendo o peso normal e o equilíbrio corporal. As calorias que ingerimos devem ser suficientes para permitir o cumprimento das atividades de uma pessoa.
  • 4. LEIS FUNDAMENTAIS DA ALIMENTAÇÃO QUALIDADE Deve ser completa em sua composição para oferecer ao organismo todas as substâncias necessárias ao bom funcionamento. O cardápio completo inclui todos os nutrientes que devem ser ingeridos diariamente: Nº de refeições, Variedade, Nutrientes essenciais;
  • 5. LEIS FUNDAMENTAIS DA ALIMENTAÇÃO HARMONIA  As quantidades dos nutrientes que a integram devem guardar uma proporção entre si. CHO: 45 – 65% LIP: 20 - 30% PTN: 10 – 35%
  • 6. LEIS FUNDAMENTAIS DA ALIMENTAÇÃO ADEQUAÇÃO A finalidade da alimentação está subordinada à sua adequação ao organismo. Essa adequação está subordinada ao momento biológico da vida e, além disso, deve adequar-se aos hábitos individuais, à situação econômica social da pessoa e em relação ao seu sistema digestório e ao órgão ou sistemas alterados por alguma enfermidade SUFICIENTE COMPLETA HARMÔNICA ADEQUADA
  • 7. FINALIDADES DA NUTRIÇÃO  A dieta deve ser equilibrada e completa, tendo 3 finalidades principais:  Aporte potencial de energia  Aporte de nutrientes  Aporte de água e eletrólitos
  • 8. CONCEITOS NUTRIENTES São os elementos responsáveis pela manutenção de todas as reações bioquímicas necessárias para o perfeito funcionamento do organismo. Exemplo: Proteínas, carboidratos, lipídios, vitaminas, minerais e água.
  • 9. CONCEITOS  Nutrientes Energéticos  Os alimentos energéticos são compostos por carboidratos, que fornecem energia para o corpo realizar diversas atividades, principalmente as físicas como andar, tocar cadeira de rodas, deambular com órteses, fazer exercícios de fortalecimento, esportes diversos e outros.  Principais fontes: Cereais: arroz, milho, trigo, outros. Tubérculos e Raízes: Batata, mandioca, inhame, outros Diversos: Pães, massas, biscoitos, outros
  • 10. CONCEITOS  Nutrientes Construtores  Os alimentos construtores são compostos pelas proteínas, responsáveis pela formação e renovação dos tecidos do corpo, como a pele, os músculos, ossos e outros.  Principais fontes: Carnes: vermelha(bovinos, suínos, etc), carne branca(aves, peixes), ovos, outros Leite e derivados: queijos, iogurte, outros Leguminosas: feijão, fava, lentilha, grão de bico, outros
  • 11. CONCEITOS  Nutrientes Reguladores  Os alimentos reguladores, têm como nutrientes, as vitaminas e os minerais. Tais alimentos, conservam e fortalecem o sistema imunológico, regulam a digestão, a circulação sanguínea e proporcionam o bom funcionamento do intestino, pois são ricos em fibras.  Principais fontes: Verduras: alface, escarola, agrião, couve, outros Legumes: abobrinha, cenoura, pepino, outros Frutas: mamão, laranja, abacaxi, melão, abacate.
  • 12. NUTRIENTES ESSENCIAIS  São aqueles que não são produzidos pelo organismo, portanto devem ser obtidos pela alimentação;  São eles: ácidos graxos, e alguns aminoácidos (metiotina, lisina, valina, isoleucina, leucina, triptofano, treonina, fenilalanina e histidina).
  • 13. NUTRIÇÃO É o estudo dos alimentos e dos mecanismos pelos quais o organismo ingere, assimila e utiliza os nutrientes que nos fornecem a energia necessária para mantê-lo vivo.
  • 14. Princípios básicos da nutrição CALORIA É a quantidade de energia necessária para elevar a temperatura de 1ml de água, de uma temperatura padrão inicial, em 1º C.
  • 15. Princípios básicos da nutrição QUILOCALORIA São 1000 calorias. Porém, na maioria das vezes as informações nutricionais presentes em rótulos de embalagem simplificam tal termo para apenas caloria.
  • 16. Princípios básicos da nutrição GASTO ENERGÉTICO BASAL É a quantidade de energia utilizada em 24 horas por uma pessoa completamente em repouso, 12 horas após uma refeição, em temperatura e ambiente confortáveis.
  • 17. Princípios básicos da nutrição GASTO DE ENERGIA NO REPOUSO É a quantidade de energia utilizada em 24 horas quando em repouso, três a quatro horas após uma refeição.
  • 18. Princípios básicos da nutrição GASTO DE ENERGIA TOTAL É o somatório do gasto de energia em repouso, energia gasta em atividades físicas e o efeito térmico dos alimentos em 24 horas.
  • 19. Princípios básicos da nutrição METABOLISMO É o conjunto de reações químicas responsáveis pelos processos de síntese e degradação dos nutrientes na célula. Pode ser dividido em: Anabolismo e catabolismo.
  • 20. Princípios básicos da nutrição ANABOLISMO É a síntese de compostos grandes a partir de unidades pequenas ( por exemplo, a formação de proteínas a partir de aminoácidos). Possui gasto de energia.
  • 21. Princípios básicos da nutrição CATABOLISMO É a degradação de compostos grandes em unidades pequenas (por exemplo, a quebra da proteína em suas unidades estruturais, que são os aminoácidos) São as reações que liberam energia.
  • 22. Princípios básicos da nutrição  Uma vez que a alimentação se dá em função do consumo de alimentos e não de nutrientes, uma alimentação saudável deve estar baseada em práticas alimentares que tenham significado social e cultural.  Os alimentos têm gosto, cor, forma, aroma e textura e todos esses componentes precisam ser considerados na abordagem nutricional.
  • 23. Princípios básicos da nutrição  A Política Nacional de Alimentação e Nutrição (PNAN), homologada em 1999, integra a Política Nacional de Saúde (BRASIL, 2003f).  Tem como principal objetivo contribuir com o conjunto de políticas de governo voltadas à concretização do direito humano universal à alimentação e nutrição adequadas e à garantia da Segurança Alimentar e nutricional da população.
  • 24. Princípios básicos da nutrição  A PNAN tem como diretrizes a promoção de práticas alimentares saudáveis e a prevenção e o controle dos distúrbios nutricionais e das doenças associadas à alimentação e nutrição, o monitoramento da situação alimentar e nutricional, a garantia da qualidade dos alimentos colocados para consumo no País, o desenvolvimento de pesquisas e recursos humanos, bem como o estímulo às ações intersetoriais que propiciem o acesso universal aos alimentos.
  • 25. Princípios básicos da nutrição  Estratégia Global para a Promoção da Alimentação Saudável, Atividade Física e Saúde, da Organização Mundial da Saúde, recomenda:  manter o equilíbrio energético e o peso saudável;  limitar a ingestão energética procedente de gorduras; substituir as gorduras saturadas  por insaturadas e eliminar as gorduras trans (hidrogenadas);  aumentar o consumo de frutas, legumes e verduras, cereais integrais e leguminosas (feijões);  limitar a ingestão de açúcar livre;  limitar a ingestão de sal (sódio) de toda procedência e consumir sal iodado.