O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
ViaG Turismo e Diversidade 25ViaG Turismo e Diversidade24
ESPECIAL
New Orleans
Conheça o Mardi Gras,
uma das mais alegres ...
ViaG Turismo e Diversidade 27ViaG Turismo e Diversidade26
Origem da festa
nos Estados Unidos
O Mardi Gras chegou aos Estad...
ViaG Turismo e Diversidade 29ViaG Turismo e Diversidade28
Outra tradição na cidade é o bolo
do rei. Super popular, o king ...
ViaG Turismo e Diversidade30
Já o Satyricon organiza um tradi-
cional baile de máscara no início da
temporada, enquanto qu...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

MARDIGRAS para a Via G por Ana Paula Garrido

48 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

MARDIGRAS para a Via G por Ana Paula Garrido

  1. 1. ViaG Turismo e Diversidade 25ViaG Turismo e Diversidade24 ESPECIAL New Orleans Conheça o Mardi Gras, uma das mais alegres e coloridas festas do mundo M áscaras belíssimas, cria- tivas fantasias, colares coloridos, plumas e mi- çangas, desfiles de carros alegóricos, gente dançando nas ruas, varandas lotadas formando verdadeiros camarotes, música e muita alegria. Pen- sou no carnaval brasileiro? Errou! É o Mardi Gras, festa super animada e co- memorada em alguns lugares do mun- do, mas que achou em NOLA, como New Orleans é carinhosamente chama- da, a versão mais divertida de todas as celebrações. Todos os anos, milhares de pessoas são atraídas para a cidade, fa- mosa por promover animados festivais e realizar um dos eventos mais alegres do planeta. A celebração do Mardi Gras, que em francês significa terça-feira gorda, é um costume cristão vindo da Europa Medieval, realizado até hoje em muitos países. O ápice da comemoração carna- valesca acontece na terça, considerado o último dia de farra, dos excessos e dos prazeres, dos fartos banquetes, das inú- meras festas e das explosões de alegria, antes da quaresma, onde se iniciam as privações e recolhimentos, segundo os costumes religiosos. Por Ana Paula Garrido
  2. 2. ViaG Turismo e Diversidade 27ViaG Turismo e Diversidade26 Origem da festa nos Estados Unidos O Mardi Gras chegou aos Estados Unidos no final do século 17, quando parte dos territórios da Louisiana, Alabama e Mississipi, pertenciam à França. A história remete a 22 de março de 1699, com a chegada do ex- plorador franco-canadense Le Moy- ne, justamente na terça-feira gorda, data do feriado francês. Por esse motivo, batizou aquelas terras como Point Du Mardi Gras. Segundo relatos históricos, a pri- meira festa de Mardi Gras no territó- rio americano aconteceu em 1702, a 60 milhas de New Orleans, na cidade de Mobile no Alabama, território es- colhido para construir o Forte Louis, para proteger o local que se tornaria a primeira capital da Louisiana fran- cesa. Ano após ano, a comemoração se tornou uma tradição na região, in- cluindo belíssimas festas particulares de bailes de máscara e procissões nas ruas com pessoas fantasiadas. Com a fundação de New Orleans em 1718, o evento também começou a fazer parte da tradição da cidade. Em 1740 o governador da Louisiana, Marquês de Valdreuil promoveu ele- gantes bailes para a alta sociedade, que viraram referências para as fes- tas chiques organizadas até os dias atuais. Em 1872 para homenagear a pas- sagem do Czar russo Alexis Roma- nov pela região, escolheram as cores roxa, verde e dourada para decorar as ruas e as alegorias carnavalescas. A partir desse momento, essas viraram as cores oficiais dos festejos até hoje. Cada cor tem um significado: o roxo representa a justiça, o ouro simboliza o poder e o verde, a fé. Dos bailes de máscaras para as ruas Com a popularidade da celebra- ção, além dos chiquérrimos bailes de máscaras e festas organizadas para a alta sociedade, o Mardi Gras foi se tornando cada vez mais popular até que em 1875, o governador Henry Warmoth, decretou a terça-feira gor- da um feriado oficial, transformando o evento num dos maiores festivais gratuitos de rua do planeta. A cidade se veste com as cores ofi- ciais que podem ser vistas em todas as portas, janelas e varandas das ca- sas. A música é ouvida nas ruas, e nas praças, bandas tocam e festas aconte- cem em todas as partes. Os prepara- tivos começam logo no início do ano e tem seu ápice na terça-feira, um dia antes da quarta-feira de cinzas. As celebrações incluem os des- files de blocos com bandas, que arrastam milhares de foliões para as ruas, os disputados bailes de máscaras, concursos de fantasias, competições esportivas até bucó- licos piqueniques familiares. Mo- radores e turistas fantasiados ou não, participam noite adentro, nos bares e clubes da cidade. No French Quarter, bairro histórico onde tudo acontece, janelas e varandas de to- das as casas e hotéis são tomados por animados grupos que assistem tudo que acontece, em verdadeiros camarotes. O evento é tão popular que costu- ma lotar hotéis, restaurantes e todas as casas noturnas da cidade, injetando cerca de U$ 1 bilhão de dólares na eco- nomia somente com essa celebração. A festa e suas tradições Muitos grupos ou blocos car- navalescos que desfilam pelas ruas costumam carregar suas tradições e simbologias, sempre com algum tema histórico ou homenagens a pro- tagonistas famosos da literatura e da mitologia. Uma das tradições mais popula- res e divertidas são as lembrancinhas que são lançadas para a multidão dos carros alegóricos e das varandas no circuito do desfile. Bichos de pelúcia, canecas, brinquedos e principalmen- te os coloridos colares de contas, con- feccionados em plástico ou acrílico. Os colares se tornaram uma das mar- cas do Mardi Gras em New Orleans, e a diversão é conseguir pegar o má- ximo deles. As moçinhas mais atrevi- das costumam mostrar os seios para serem alvos dos colares que voam principalmente na direção de quem se aventura a levantar as blusas. O evento lota ruas, hotéis, bares e restaurantes. Todas as tribos se misturam numa grande festa colorida e animada. Na ocasião, cerca de 1 bilhão de dólares são injetados na economia em função das festividades Multidão se aglomera para pegar colares e lembranças lançados de varandas e carros alegóricos Foto:neworleanscvb/ByPatGarin
  3. 3. ViaG Turismo e Diversidade 29ViaG Turismo e Diversidade28 Outra tradição na cidade é o bolo do rei. Super popular, o king cake costuma vender como água durante a temporada. O bolo é confeitado com um pequeno boneco de plástico que representa o menino Jesus. Quando o bolo é partido, a pessoa do grupo que receber o pedaço com o boneco, além de garantir um ano de sorte, também deverá oferecer a próxima festa, uma ótima desculpa para não deixar a di- versão acabar. Gay Mardi Gras A comunidade LGBT celebra o Mardi Gras desde 1830, mas o primei- ro grupo carnavalesco oficial somente foi formado depois de 1950. Nesta época, as festas eram totalmente un- derground, com bailes quase secretos, organizados em residências, mas nem por isso eram menos animados. Hoje, além do Mardi Gras que acontece no início do ano, a comunidade LGBT conta com uma das mais animadas festas gays do pla- neta, O Southern Decadance, como é conhe- cido o Gay Mardi Gras e outras festas como o Halloween Gay, comprovando que NOLA definitivamente é um dos mais abertos e di- vertidos destinos gay friendly do mundo. Hoje existem vários grupos carnavales- cos LGBTs, como o Petronius e o Amon-Ra. Muitos não desfilam, mas costumam promo- ver os mais incríveis bailes de fantasia, alguns são super disputados e concorridos como o organizado pelo Armeinius, que acontece aos sábado antes do Mardi Gras tradicional. O Petronius é um dos mais antigos e foi o pre- cursor dos outros grupos, o Lords of Leather, costuma organizar bailes fantásticos seguin- do as tradições medievais, imaginem o luxo. Ruas do French Quarter, onde a festa rola noite adentro King Cake Bandeiras do arco-íris estão por toda parte durantes as festas de rua da cidade Dos mais tradicionais aos mais ousados, criativas fantasias e adereços encantam os visitantes Foto: neworleanscvb/ By Kathy Anderson
  4. 4. ViaG Turismo e Diversidade30 Já o Satyricon organiza um tradi- cional baile de máscara no início da temporada, enquanto que o Mwein- do, um dos mais autênticos, costuma promover a festa carnavalesca para os que foram excluídos nas celebrações tradicionais no passado. Imperdível também é a Bourbon Street Awards, aguardada premiação do mais fa- moso concurso de Drag Queens das Américas, um evento de enorme sucesso que acontece há mais de 40 anos, atraindo drags do mundo intei- ro e suas fantasias maravilhosas. O Mardi Gras de 2017 promete muitas novidades para a comunidade LGBT e as celebrações começam no dia 23 de fevereiro e vão até dia 28. O burburinho acontece na esquina da rua Bourbon Street com a rua St Ann, o epicentro gay de New Orleans, com festas disputadas em todos os night- clubs do entorno. Pegue sua máscara, traga sua melhor fantasia e como dizem em NOLA, laissez les bons temps rouler, ou seja, deixe os bons tempos rola- rem e venha cair na gandaia num dos lugares mais divertidos e animados do mundo. A comunidade LGBT é presença forte em New Orleans. Além do Gay Mardi Gras, outros eventos gays acontecem durante o ano

×