Relações interpessoais

8.655 visualizações

Publicada em

Relações interpessoais

  1. 1. RELAÇÕES INTERPESSOAIS Escola Secundária D. João II Prof. Helena Bray
  2. 2. A COGNIÇÃO SOCIAL
  3. 3. Escola Secundária D. João II Prof. Helena Bray PROCESSOS DE COGNIÇÃO SOCIAL INTERACÇÃO SOCIAL CONJUNTO DE INFLUÊNCIAS RECÍPROCAS QUE SE ESTABELECEM ENTRE AS PESSOAS
  4. 4. Escola Secundária D. João II Prof. Helena Bray COGNIÇÃO SOCIAL CONHECIMENTO DO MUNDO SOCIAL: Pessoas, grupos, instituições e comunidades CONJUNTO DE PROCESSOS SUBJACENTES AO MODO COMO ENCARAMOS OS OUTROS, A NÓS PRÓPRIOS E À FORMA COMO INTERAGIMOS
  5. 5. Escola Secundária D. João II Prof. Helena Bray PROCESSOS DE COGNIÇÃO SOCIAL IMPRESSÕES EXPECTATIVAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS ATITUDES
  6. 6. Escola Secundária D. João II Prof. Helena Bray CAPACIDADE LIMITADA DE PROCESSAR INFORMAÇÃO RELATIVA AO MUNDO SOCIAL ESQUEMAS ESTRUTURA COGNITIVA ATRAVÉS DA QUAL O SUJEITO ORGANIZA OS OBJECTOS E EXPERIÊNCIAS AGRUPANDO-AS SEGUNDO AS SUAS CARACTERÍSTICAS COMUNS
  7. 7. Escola Secundária D. João II Prof. Helena Bray IMPRESSÕES
  8. 8. Escola Secundária D. João II Prof. Helena Bray IMPRESSÕES NOÇÕES QUE SE CRIAM NO CONTACTO COM AS PESSOAS E QUE NOS DÃO UM QUADRO INTERPRETATIVO PARA AS AVALIARMOS Imagem ou ideias construída no primeiro contacto que temos com alguém que não conhecemos a partir de algumas características, ou de indícios.
  9. 9. Escola Secundária D. João II Prof. Helena Bray IMPRESSÃO MÚTUA Eu construo uma impressão do outro O outro também produz uma impressão de mim
  10. 10. FORMAÇÃO DAS IMPRESSÕES PROCESSO PELO QUAL SE ORGANIZA A INFORMAÇÃO SOBRE A PESSOA DE MODO A INTEGRÁ-LA NUMA CATEGORIA SIGNIFICATIVA CATEGORIZAÇÃO
  11. 11. EXPECTATIVAS
  12. 12. Escola Secundária D. João II Prof. Helena Bray EXPECTATIVAS MODO DE CATEGORIZAR AS PESSOAS ATRAVÉS DOS INDÍCIOS E DAS INFORMAÇÕES PREVENDO O SEU COMPORTAMENTO E AS SUAS ATITUDES
  13. 13. Escola Secundária D. João II Prof. Helena Bray AS EXPECTATIVAS SÃO MÚTUAS Eu espero comportamentos ou atitudes do outro O outro também espera comportamentos ou atitudes de mim
  14. 14. Escola Secundária D. João II Prof. Helena Bray O MODO COMO INTERPRETAMOS OS INDÍCIOS É INFLUENCIADO PELO PROCESSO DE SOCIALIZAÇÃO AS EXPECTATIVAS SÃO MARCADAS PELOS VALORES, CRENÇAS, NORMAS DE UM CONTEXTO SOCIAL E PELA HISTÓRIA PESSOAL
  15. 15. ATITUDES
  16. 16. Escola Secundária D. João II Prof. Helena Bray ATITUDES PREDISPOSIÇÃO, TENDÊNCIA RELATIVAMENTE ESTÁVEL PARA RESPONDER DE FORMA POSITIVA OU NEGATIVA A UM OBJECTO SOCIAL PREVENDO O SEU COMPORTAMENTO E AS SUAS ATITUDES
  17. 17. Escola Secundária D. João II Prof. Helena Bray ATITUDES PERMITEM-NOS INTERPRETAR, ORGANIZAR E PROCESSAR A INFORMAÇÃO
  18. 18. Escola Secundária D. João II Prof. Helena Bray COMPONENTES DAS ATITUDES COMPONENTE COGNITIVA CONJUNTO DE IDEIAS,DE INFORMAÇÕES, DE CRENÇAS SOBRE UM OBJECTO SOCIAL COMPONENTE AFECTIVA CONJUNTO DE VALORES E DE EMOÇÕES, POSITIVAS OU NEGATIVAS, RELATIVAMENTE A UM OBJECTO SOCIAL COMPONENTE COMPORTAMENTAL CONJUNTO DE REAÇÕES, DE RESPOSTAS, FACE AO OBJECTO SOCIAL
  19. 19. Escola Secundária D. João II Prof. Helena Bray FORMAÇÃO DAS ATITUDES PAIS FAMILIARES PRÓXIMOS EDUCAÇÃO ESCOLAR GRUPO DE PARES MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PROCESSO DE SOCIALIZAÇÃO
  20. 20. Escola Secundária D. João II Prof. Helena Bray REPRESENTAÇÕES SOCIAIS CONHECIMENTO QUE SE DISTINGUE DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO CONJUNTO DAS EXPLICAÇÕES, DAS CRENÇAS E DAS IDEIAS PARTILHADAS E ACEITES COLECTIVAMENTE NUMA DETERMINADA SOCIEDADE E QUE SÃO PRODUTO DAS INTERACÇÕES SOCIAIS
  21. 21. Escola Secundária D. João II Prof. Helena Bray ELABORAÇÃO DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS OBJECTIVAÇÃO Processo através do qual as representações complexas e abstractas se tornam simples e concretas -construção selectiva Esquematização figurativa naturalização ANCORAGEM Enraizamento, assimilação das imagens criadas pela objectivação na mentalidade colectiva
  22. 22. FUNÇÕES DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS FUNÇÃO DE SABER FUNÇÃO DE IDENTIDÁRIA FUNÇÃO DE ORIENTAÇÃO FUNÇÃO DE JUSTIFICAÇÃO

×