ADRIANA CARRASQUINHORAFAEL FERREIRA                      PSICOLOGIA BRUBEN DUARTE                         HELENA BRAY     ...
ELEMENTOS ESTRUTURAIS EFUNCIONAIS DO SISTEMA NERVOSO                           SISTEMA NERVOSO      Conjunto de estruturas...
PROCESSOS DE INFORMAÇÃO          ESTÍMULOS                                     REACÇÃOR: receptoresE: efectores     Órgãos...
PROCESSOS DE INFORMAÇÃO: MECANISMOSDE ACÇÃO    MECANISMO     ACÇÃO    RECEPÇÃO      Órgãos dos sentidos (visão, audição, t...
O NEURÓNIO                                         UNIDADE BÁSICA DO SISTEMA NERVOSOCÉLULAS GLIAIS - Controla o desenvolvi...
O NEURÓNIO                   CONSTITUIÇÃO DO NEURÓNIOCORPO CELULAR   Contém o núcleo que é o armazém de energia da célula;...
O NEURÓNIO                  TIPOS DE NEURÓNIOS AFERENTES OU    Recolhem e conduzem as mensagens da  SENSORIAIS     perifer...
COMUNICAÇÃO NERVOSA –                                      INFLUXO NERVOSO*Dendrites captam o estímulo– sinais oriundos do...
SINAPSE E COMUNICAÇÃONERVOSA                                 SINAPSE  É uma junção funcional em que ocorre a transmissão d...
SINAPSE E COMUNICAÇÃO              NERVOSA ELEMENTOS DA SINAPSE:      Terminação axónica do neurónio emissor (BOTÃO PRÉ-SI...
SINAPSE E COMUNICAÇÃONERVOSA                 TIPOS DE SINAPSE:ELÉCTRICAS                                   QUÍMICAS      N...
O FUNCIONAMENTO                               GLOBAL DO CÉREBRO                               CÉREBRO  Sistema Nervoso Per...
O FUNCIONAMENTOGLOBAL DO CÉREBROEgípcios acreditavam que era no coração que residia o pensamento e os sentimentos –ideia d...
O FUNCIONAMENTO GLOBAL DOCÉREBRO   Cérebro humano apresenta características estruturais únicas                         É g...
O FUNCIONAMENTO GLOBAL DOCÉREBRO     CÉREBRO        Hemisfério Direito                Hemisfério Esquerdo Controla a forma...
LOBOS CEREBRAIS                   HEMISFÉRIOS DIREITO E                        ESQUERDO               Forma coordenada e c...
LOBOS OCCIPITAISLocalizados na parte inferior do cérebro; esta área é também designada por córtex visual                  ...
LOBOS TEMPORAIS                              Localizados na zona por cima das orelhas tendo como principal função         ...
LOBOS PARIENTAIS                     Localizados na parte superior do                     cérebro, sendo constituídos por ...
LOBOS FRONTAIS                                            Situados na parte da frente do cérebro                          ...
PAPEL DO CORTÉXPRÉ-FRONTAL                Córtex pré-frontal (ou                 áreas pré-frontais)             Responsáv...
CASOS DE PHINEAS GAGE E ELLIOT             PHINEAS GAGE
ESPECIALIZAÇÃO E INTEGRAÇÃO        SISTEMÁTICA      Modificação da ideia do                 EVOLUÇÃO DOS         funcionam...
AUTO-ORGANIZAÇÃO                                    PERMANTENTE                   No decorrer da gestação os neurónios div...
AUTO-ORGANIZAÇÃOPERMANTENTE A organização cerebral e o funcionamento do sistema nervoso ao longo do tempo              INI...
LENTIFICAÇÃO DO   DESENVOLVIMENTO CEREBRAL                            Processo de desenvolvimento                         ...
PLASTICIDADE CEREBRAL                    É a capacidade do cérebro de se remodelar                       em função das exp...
DESENVOLVIMENTO                                        CEREBRAL              Processo                  •Meio intrauterino ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cérebro - Trabalho alunos

6.368 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.368
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.201
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
154
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cérebro - Trabalho alunos

  1. 1. ADRIANA CARRASQUINHORAFAEL FERREIRA PSICOLOGIA BRUBEN DUARTE HELENA BRAY ESCOLA SECUNDÁRIA D. JOÃO II 12ºFSARA INÁCIO
  2. 2. ELEMENTOS ESTRUTURAIS EFUNCIONAIS DO SISTEMA NERVOSO SISTEMA NERVOSO Conjunto de estruturas responsáveis pelos nossos comportamentos Mais Complexos: Mais simples: Pensamento; Imaginação; Linguagem; Memória Reflexos
  3. 3. PROCESSOS DE INFORMAÇÃO ESTÍMULOS REACÇÃOR: receptoresE: efectores Órgãos dos sentidos -> Captam a informação do meio -> Informações interpretadas e tratadas pelo SN -> Coordena, processa e determina as respostas adequadas -> Estímulos recebem as respostas -> Músculos/ Glândulas efectuam as respostas
  4. 4. PROCESSOS DE INFORMAÇÃO: MECANISMOSDE ACÇÃO MECANISMO ACÇÃO RECEPÇÃO Órgãos dos sentidos (visão, audição, tacto,…) recebem os estímulos do meio COORDENAÇÃO Sistema nervoso central e periférico coordenam as informações e determinam as respostas REAÇÃO Músculos/Glândulas efectuam as respostas (reacção ao estímulo)
  5. 5. O NEURÓNIO UNIDADE BÁSICA DO SISTEMA NERVOSOCÉLULAS GLIAIS - Controla o desenvolvimento NEURÓNIO - Responsável pordos neurónios ao longo da vida; influenciam a grande parte das funções docomunicação cerebral, funcionamento das Sistema Nervoso; Não mantêmsinapses; importantes no desenvolvimento do contacto físico entre si.cérebro no período fetal e maturação dosneurónios
  6. 6. O NEURÓNIO CONSTITUIÇÃO DO NEURÓNIOCORPO CELULAR Contém o núcleo que é o armazém de energia da célula; Fabrica proteínas sob o controlo do ADN presente no núcleo celular; Deste componente saem dois tipos de prolongamentos: as dendrites e o axónio. DENDRITES Extensões do corpo celular; Graças a esta componente, o neurónio apresenta uma maior superfície de recepção e emissão de mensagens; Estas ramificações múltiplas recebem e transmitem informação de e para outras células com as quais o neurónio estabelece contactos AXÓNIO Transmite as mensagens de um neurónio a outro; prolonga-se a partir do corpo celular e termina num conjunto de ramificações semelhantes a uma raiz: telodendrites.
  7. 7. O NEURÓNIO TIPOS DE NEURÓNIOS AFERENTES OU Recolhem e conduzem as mensagens da SENSORIAIS periferia para os centros nervosos: espinal medula e encéfalo. EFERENTES OU Transmitem as mensagens dos centros nervosos MOTORES para os órgãos efectores, isto é, os órgãos responsáveis pelas respostas, que são os músculos e as glândulas DE CONEXÃO OU Interpretam as informações e elaboramINTERNEURÓNIOS respostas
  8. 8. COMUNICAÇÃO NERVOSA – INFLUXO NERVOSO*Dendrites captam o estímulo– sinais oriundos dosneurónios vizinhos - ENTRADA*Sinais são integrados*Gera-se um Impulso Nervoso *Transmitido ao axónio e conduzido às ramificações axónicas*Que se aproximam das dendritesdo neurónio seguinte – sinaltransmitido através da SINAPSE- SAÍDA
  9. 9. SINAPSE E COMUNICAÇÃONERVOSA SINAPSE É uma junção funcional em que ocorre a transmissão de informação entre dois neurónios ou entre um neurónio e uma outra célula (receptor sensorial, célula muscular, etc.). É através dela que as mensagens são transmitidas Na sinapse, estabelece-se uma comunicação entre um prolongamento do axónio do neurónio, que se designa por pré-sináptico ou neurónio emissor, com a membrana ou a dendrite de outro neurónio, que se designa pós -sináptico ou neurónio receptor. As membranas dos dois neurónios não estão em contacto directo, estão separados por uma fenda, que se designa por fenda sináptica
  10. 10. SINAPSE E COMUNICAÇÃO NERVOSA ELEMENTOS DA SINAPSE: Terminação axónica do neurónio emissor (BOTÃO PRÉ-SINÁPTICO); Uma dendrite do neurónio receptor (MEMBRANA PÓS-SINÁPTICA); Espaço cheio de líquido entre os neurónios ( FENDA SINÁPTICA).Quando o impulso atinge os terminais - axónios doneurónio pré-sináptico - induz a libertação deneurotransmissores que se difundem no espaçosináptico e são captados pelos receptores doneurónio pós-sináptico.
  11. 11. SINAPSE E COMUNICAÇÃONERVOSA TIPOS DE SINAPSE:ELÉCTRICAS QUÍMICAS Neurotransmissores – substâncias químicas que estabelecem contacto com ás células vizinhas sobre as quais provocam respostas eléctricas. INFLUXOS NERVOSOS
  12. 12. O FUNCIONAMENTO GLOBAL DO CÉREBRO CÉREBRO Sistema Nervoso Periférico Sistema Nervoso Central Espinal Medula EncéfaloConstituída por substância branca e Protegido pelas meninges ecinzenta, desempenha as funções de constituído por estruturascoordenação e condução especializadas
  13. 13. O FUNCIONAMENTOGLOBAL DO CÉREBROEgípcios acreditavam que era no coração que residia o pensamento e os sentimentos –ideia defendida por AristótelesSéc. XVI - Descartes propôs a separação do pensamento do corpoNo séc. XIX frenologistas defendem a relação entre o cérebro e as características pessoaisAs suas investigações e teorias estão na base das actuais concepções de localizaçãocerebral
  14. 14. O FUNCIONAMENTO GLOBAL DOCÉREBRO Cérebro humano apresenta características estruturais únicas É grande e apresenta circunvoluções, que lhe confere um aspecto enrugado
  15. 15. O FUNCIONAMENTO GLOBAL DOCÉREBRO CÉREBRO Hemisfério Direito Hemisfério Esquerdo Controla a formação de imagens, as relações espaciais, as percepções das formas, das cores, das tonalidades afectivas e o pensamento concreto Responsável pelo pensamento lógico, linguagem verbal, discurso, cálculo e memória COMPLEMENTAM-SE
  16. 16. LOBOS CEREBRAIS HEMISFÉRIOS DIREITO E ESQUERDO Forma coordenada e complementar 4 lobosLobo Frontal Lobo Parietal Lobo Occipital Lobo Temporal
  17. 17. LOBOS OCCIPITAISLocalizados na parte inferior do cérebro; esta área é também designada por córtex visual ÁREA FUNÇÕES EFEITOS DAS LESÕES Área visual • Recebe as mensagens Cegueira cortical – perda de primária visuais visão LOBOS OCCIPITAIS • Coordena os dados Agnosia visual – recebidos na área visual incapacidade de identificar primária permitindo os objectos conhecidos. Área visual reconhecer objectos secundária Cegueira verbal ou alexia – • Centro de reconhecimento incapacidade de reconhecer da escrita o significado das palavras.
  18. 18. LOBOS TEMPORAIS Localizados na zona por cima das orelhas tendo como principal função processar os estímulos auditivos ÁREA FUNÇÕES EFEITOS DAS LESÕES Área auditiva Surdez cortical – perda de • Recebe os sons elementares primária audiçãoLOBOS TEMPORAIS Agnosia auditiva – • Identifica e reconhece os incapacidade de reconhecer sons recebidos na área os sons comuns. Área auditiva auditiva primária secundária Surdez verbal – • Atribui significado ao incapacidade de atribuir Área de Wernicke discurso oral, permitindo a significado ao discurso oral; compreensão da linguagem as palavras ouvidas não têm falada sentido.
  19. 19. LOBOS PARIENTAIS Localizados na parte superior do cérebro, sendo constituídos por duas subdivisões ÁREA FUNÇÕES EFEITOS DAS LESÕES Área • Recebe as informações que Anestesia cortical – perda de somatossensorial têm origem na pele e nos sensibilidade táctil, térmica eLOBOS PARIETAIS primária músculos de dor. Agnosia somatossensorial – • Coordena e integra as incapacidade de reconhecer Área informações sensoriais objectos pelo tato, de somatossensorial recebidas na área discriminar pesos, de secundária somatossensorial primária localizar sensações tácteis e térmicas.
  20. 20. LOBOS FRONTAIS Situados na parte da frente do cérebro correspondendo a cerca de 1/3 do seu volume total ÁREA FUNÇÕES EFEITOS DAS LESÕES Paralisia cortical – Área motora • Responsável pelos incapacidade de produzir primária movimentos do corpo movimentos Apraxia – incapacidade deLOBOS FRONTAIS coordenar movimentos numa sequência. Área motora • Coordena e organiza os secundária movimentos corporais Agrafia – incapacidade de escrever. Área motora da • Centro da escrita linguagem (área • Produz a linguagem falada Afasia de Broca – dificuldade de Broca) em formar palavras, expressão verbal lenta e incorrecta.
  21. 21. PAPEL DO CORTÉXPRÉ-FRONTAL Córtex pré-frontal (ou áreas pré-frontais) Responsável pelas principais funções intelectuais superiores Memória, pensamento reflexivo e imaginação Complexas relações com as emoções
  22. 22. CASOS DE PHINEAS GAGE E ELLIOT PHINEAS GAGE
  23. 23. ESPECIALIZAÇÃO E INTEGRAÇÃO SISTEMÁTICA Modificação da ideia do EVOLUÇÃO DOS funcionamento CONHECIMENTOSCérebro funciona como um todo (rede funcional) Diferentes estruturas Funcionamento funcionam de modo integrado sistemático do cérebro Área lesionada deixa de exercer uma função e uma outra área vizinha CÉREBRO assume essa função perdida Sistema unitário, que trabalha como um Função vicariante (ou de todo, de forma interactiva, suplência do cérebro) caracterizando-se pela sua plasticidade
  24. 24. AUTO-ORGANIZAÇÃO PERMANTENTE No decorrer da gestação os neurónios dividem-se estabelecendo entre si um número incalculável de ligações – corticalizaçãoO desenvolvimento do cérebro do recém-nascido não está concluído. Nos primeirosseis meses de vida produzem-se imensas modificações na estrutura do córtex As várias capacidades humanas dependem da selecção de boas conexões Os genes e os estímulos do meio ambiente actuam no desenvolvimento cerebral
  25. 25. AUTO-ORGANIZAÇÃOPERMANTENTE A organização cerebral e o funcionamento do sistema nervoso ao longo do tempo INICIALMENTE ACTUALMENTE Definidos geneticamente: O cérebro é muito maleável: • programa genético predeterminado; • alterando-se com as experiências, • definia a estrutura e as funções das percepções, acções e várias áreas em todos os indivíduos da comportamentos do ser humano. espécie humana. • estas modificações começam a • o cérebro atingia o seu auge e força ocorrer nos primeiros meses de vida. no fim da puberdade acabando por se destruir ao longo do tempo.
  26. 26. LENTIFICAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO CEREBRAL Processo de desenvolvimento do cérebro é muito lentoPlasticidade do cérebro:motor de individualização Possibilita a influência do meio e portanto uma maior capacidade de aprendizagem
  27. 27. PLASTICIDADE CEREBRAL É a capacidade do cérebro de se remodelar em função das experiências do sujeito Permite a aprendizagem ao longo da vidaQuando determinadas áreas sofrem lesões As experiências feitas com cegosque comprometem as suas capacidades, adultos que começaram a aprenderos outros neurónios que se encontram nas Braille veio provarzonas vizinhas assumem as funções das neuroadaptabilidade do cérebroáreas danificadas
  28. 28. DESENVOLVIMENTO CEREBRAL Processo •Meio intrauterino Experiências genético •Meio ambiente do sujeito Processo auto- organizadoModificação ao Plasticidade Individuação -longo da vida do cérebro Variações individuais Resposta às Modificação aonecessidades do meio longo da vida

×