Apresentação ai

206 visualizações

Publicada em

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
206
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação ai

  1. 1. Arquitetura da informação ESTÃO PRONTOS PARA SALVAR O URSO?
  2. 2. MAS,POR QUE ESSE TAL DE URSO? Louis Rosenfeld e Peter Morville foram autores pioneiros em arquitetu- ra da informação para websites. O famoso livro com o urso polar na capa permanece atual e referência desde que foi lançado, em 1998.
  3. 3. QUE BICHO É ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO? O conceito de “Arquitetura da informação” se aplica a vários tipos de projetos e situações em que é necessária a utilização de padrões para localizar dados complexos e estruturar ou ma- pear informações para a criação de conhecimento. Termo criado em 1976 por Richard Wurman tem por objetivo organizar a informação de forma que seus usuários possam assimilá-la com facilidade e assim tornar o complexo claro. Começou baseadanamídiaimpressa,principalmentenaproduçãodeguias,mapaseAtlaseposteriormente expandida para as mais diversas áreas. Fonte: webinsider
  4. 4. A IMPORTÂNCIA DE UMA BOA AI ROSENFELD & MORVILLE (2002) citam a incapacidade de encontrar uma informação como um dos fatores que mais desagradam os usuários. Em 2001, pesquisas do Nielsen Norman Group apontavam que 27% das causas de insucesso das vendas de um website de comércio eletrônico se deviam ao usuário simplesmente não conseguir encontrar o item que procurava. Umamáarquiteturadeinformaçãoéacausadecincodosgrandesseteproblemasdeusabilidade mais encontrados em websites. Segundo pesquisa da Vidence Research (2001). Fonte: webinsider
  5. 5. DIMENSÕES DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO CONTEXTO USUÁRIOSCONTEÚDO Objetivos do projeto, políticas, culturas da organização tecnologia e recursos humanos Audiência, tarefas, necessidades, comportamentos de busca de informação, experiência, vocabulário Documentos, formatos/tipos, objetos, metadados, estrutura existente
  6. 6. SOBRE OS ARQUITETOS DE INFORMAÇÃO Essarecenteprofissãoveioparamelhoraqualidadedecomoohomemrelacionacomamáqui- na. Com a grande quantidade de informação houve-se a necessidade de um profissional que pudesse adequar todo esse volume transformando em algo de fácil utilização. “Indivíduo que organiza os padrões inerentes em dados, tornando claro aquilo que é complexo. Pessoa que cria a estrutura ou o mapa da informação que permite a outros encontrarem seus caminhos pessoais até o conhecimento” Richard Saul Wurman
  7. 7. entregáveis de uma arquitetura da informação Conte uma boa história Contar uma boa narrativa com início, meio e fim é desafio para quem trabalha com comunicação. Construa um texto que leve o leitor para ações recomendadas e com sessões muito bem estruturadas. Pense em como você contaria esta história Rapidamente tente contar parte deste texto para um amigo ou um colega. Fica- ria mais fácil se tivesse um gráfico, um esquema ou mapa para ajudar a explicar?. Aumento/queda, lugar, porcentagem, pontos chave, personagens, esquemas, etc, são sinais que o texto pede um infográfico. Faça o tempo do leitor valer a pena O texto não é a coisa mais importante, nem a foto, nem gráficos e sim o leitor. Se o texto não prende a atenção ou não é intuitivo para ele será uma perda de tempo. Uma boa prática é sempre imaginar como o leitor pensaria: qual a novidade? Por que eu devo ler isso?. 2 3 1
  8. 8. Pratique o poder da síntese Agrupe as informações em blocos Se você tentar mostrar tudo, é provável que o leitor não entenda nada. Use apenas informações que realmente interessam, a mensagem mais forte, os números mais relevantes, textos curtos e didáticos. Trechos repetitivos não são bem vindos para uma arquitetura enxuta. Quando possível, utilize textos de citção como fonte dei- xando sempre a informação principal para o em primeiro plano do conteúdo. Escrever para arte é muito diferente que escrever um texto normal, além dos textos serem curtos e dinâmicos é importante o agrupamento das informações por simi- lares, ou por um mesmo subtítulo, isso ajuda o leitor a ir direto ao que interessa. Se tiver vários blocos de textos é melhor ainda que eles estejam do mesmo tamanho, fica mais fácil de deixar a arte bonita. Evitar palavras longas que ocupem uma linha toda como exemplo: respectivamente, principalmente. Dê nome aos bois Após pensar em como você contaria sua história, crie o hábito de nomear cada sessão. Exemplo: [Página 1] [Destaque] [Citação] [Gráfico comparativo] [Mapa]. É claro que a análise final para infografia será do designer mas fazendo esta prática você vai analisando mais o texto e deixando a arquitetura cada vez mais intuitiva. 5 6 4
  9. 9. Considere a natureza da informação Os números dizem tudo e dados bem estruturados mais ainda, por isso valide sem- pre as informações que irão gerar alguma infografia: ♦♦ Tabelas: São comparativas, mostram hierarquias, categorizam, relacionam informações. ♦♦ Diagramas: mostram sequências, processos, como funciona, passo a passo. ♦♦ Mapas: são a dimensão espacial, devem ser usados sempre que a geografia é fator importante. ♦♦ Linhas do tempo: sequência onde o fator cronológico é importante. ♦♦ Gráficos: organizam visualmente as grandezes, mostrando crescimento, queda, proporção, porcentagens, etc. 8 Use palavras que ajudam a focar a parte gráfica Estamos sim falando dos títulos. Se sua arte vai mostrar um trem, você ajuda os leitores se “trem”ou “ferrovia estiverem no título. Seja claro, indo direto ao assunto. Bons títulos podem brincar com palavras mas sem perder o a clareza da informação. 7
  10. 10. LET’S GO - CARD SORTING Card Sorting é uma técnica de prototipagem rápida utilizada na arquitetu- ra da informação. Categorização é um mecanismo cognitivo fundamental que simplifica a interação do indivíduo com o ambiente.
  11. 11. CHECK-LIST DA INFORMAÇÃO A pesquisa do conteúdo foi retirada das fontes mais confiáveis possíveis? O objetivo do conteúdo e o que o leitor precisa saber está claro? Há informações suficientes para sustentar a ideia? As sessões foram divididas em bons blocos de informação? O texto está enxuto, dinâmico e coerente?
  12. 12. OBRIGADO! # SalvemOUrso Curti aprender sobre arquitetura da informação e quero aprender mais: http://arquiteturadeinformacao.com/ http://www.infolide.com http://www.uxdesign.blog.br/arquitetura-de-informacao/ Infografia passo a passo - Mario Kanno

×