UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS                           ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE                         ...
INTRODUÇÃO DEFINITION (DEFINIÇÃO) CLINICAL FEATURES(CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS) DIAGNOSIS (DIAGNÓSTICO) TREATMENT (TRATA...
AMELOBLASTOMA13/12/2011                        Figura. 2
AMELOBLASTOMA• Neoplasia benigna• Tumor odontogênico raro• Agressivo localmente• Incidência:    – Manifesta-se igualmente ...
ESTRUTURAS ACOMETIDAS• Acomete a                      • É mais freqüente  mandíbula quatro                 na região de  v...
ORIGEM DA DOENÇA• Se originam do epitélio  odontogênico.• Teoricamente, podem-se  originar de:  Remanescentes celulares  d...
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS  •   Deslocamentos Dentais  •   Reabsorções radiculares  •   Grandes abaulamentos  •   Tumefação as...
Pela carência de sintomas, o paciente geralmente consulta       o profissional quando este apresenta grande extensão.     ...
DIAGNÓSTICO  • Análise radiológica e pela biópsia.  • Apresentam-se das seguintes formas:    Como lesões radiotransparente...
Figura. 7A análise radiológica revela trábeculas, ou seja, estruturasmultiloculares em formato de bolha de sabão ao redor ...
Figura 8.Do ponto de vista histológico, são tumores constituídos exclusivamente de epitélioodontogênico. O parênquima do t...
As células mais centralmente localizadas algumas vezes mostram morfologia semelhante à doreticulo estrelado do órgão do es...
DIAGNÓSTICO DIFERENCIALQuando a lesão apresenta:• Aspecto cístico, unilocular e bem definido: o diagnóstico  diferencial s...
Partes Ósseas envolvidas com   seus respectivos nomes em inglês                                      Figura. 111- Fossa Pt...
Figura. 12         Orthopantomogram (OPG)Orthopantomogram (OPG)Panorâmica de Raio-X Dental                              AM...
Computed(Axial)Tomography (CT)       Tomografia Computadorizada (TC)             Janelas ósseas                Janelas de ...
OSSOS MAXILARES                         • MANDÍBULA                         1- Ângulo da                         Mandíbula...
First of four radiographs illustrating history                                       of ameloblastoma associated with non-...
Third of four radiographs.                                    Multilocular radiolucency of                                ...
TRATAMENTO DA DOENÇA E       PREVENÇÃO DE RECIDIVAS • As técnicas cirúrgicas conservadoras: 1) Enucleação 2) Curetagem    ...
CASO CLÍNICO               SEGMENTAL RESECTION                 Figura. 21                                   Figura. 22    ...
Segmental Section13/12/2011                                 Figura. 23
Figura. 24             Gross    Appearance    After   Segmental13/12/2011             Resection of Mandible.
Referência Bibliográfica• NEVILLE, B; DAMM, D; ALLEN, C; BOUQUOT, J. Patologia Oral &  Maxilofacial. 2a. Edição – Guanabar...
Referência Bibliográfica•   Sites:•   http://www.abstractsonline.com/OASISMedia/Default.aspx?CKey={126B55E6-    0AEE-48C3-...
Referência das Figuras•   Figura 1: Imagens Google•   Figura 2: http://rad.usuhs.edu/medpix/kiosk_image.html?imageid=38325...
Referência das Figuras•   Figura 15, 16, 17, 18: http://www.pathconsultddx.com/pathCon/diagnosis?pii=S1559-    8675(06)706...
OBRIGADA(O) PELA   ATENÇÃO!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ameloblastoma

16.511 visualizações

Publicada em

Descrição de Ameloblastoma e Caso Clínico

  • Seja o primeiro a comentar

Ameloblastoma

  1. 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DISCIPLINA DE INGLÊS INSTRUMENTAL AMELOBLASTOMA Ac. Ana Cláudia da Cunha Ferreira Professor Orientador: Nilton Hitotuzi22/4/2010
  2. 2. INTRODUÇÃO DEFINITION (DEFINIÇÃO) CLINICAL FEATURES(CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS) DIAGNOSIS (DIAGNÓSTICO) TREATMENT (TRATAMENTO) CLINICAL CASE (CASO CLÍNICO) Figura. 1 TERMINOLOGY (TERMINOLOGIA)13/12/2011 2
  3. 3. AMELOBLASTOMA13/12/2011 Figura. 2
  4. 4. AMELOBLASTOMA• Neoplasia benigna• Tumor odontogênico raro• Agressivo localmente• Incidência: – Manifesta-se igualmente em ambos os sexos – Mais frequente em torno dos 30 anos – É indiferente a um ou outro grupo étnico. Figura. 313/12/2011
  5. 5. ESTRUTURAS ACOMETIDAS• Acomete a • É mais freqüente mandíbula quatro na região de vezes mais que a molares e de maxila. ramo ascendente. • É encontrado no seio maxilar, principal mente região do canino, e cavidade nasal. 13/12/2011 Figura. 4
  6. 6. ORIGEM DA DOENÇA• Se originam do epitélio odontogênico.• Teoricamente, podem-se originar de: Remanescentes celulares do órgão do esmalte, Do revestimento epitelial de cisto odontogênico, Ou das células da camada basal da mucosa oral.13/12/2011 Figura. 5
  7. 7. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS • Deslocamentos Dentais • Reabsorções radiculares • Grandes abaulamentos • Tumefação assintomática ou uma lesão de grandes proporções • Perfuração das corticais ósseas • Tem crescimento lento, aparência benigna • Invasividade local • Alto potencial de recidiva13/12/2011
  8. 8. Pela carência de sintomas, o paciente geralmente consulta o profissional quando este apresenta grande extensão. Figura. 613/12/2011
  9. 9. DIAGNÓSTICO • Análise radiológica e pela biópsia. • Apresentam-se das seguintes formas: Como lesões radiotransparentes uniloculares bem definidas, associadas a um dente incluso; • Com aspecto multilocular:  Com septos internos e padrão em "favos de mel" (honeycombs)  Ou "bolhas de sabão“ (soap bubbles)  As loculações podem ser ovais ou arredondadas e variam de dimensões.13/12/2011
  10. 10. Figura. 7A análise radiológica revela trábeculas, ou seja, estruturasmultiloculares em formato de bolha de sabão ao redor doterceiro molar com características radiolúcidas.
  11. 11. Figura 8.Do ponto de vista histológico, são tumores constituídos exclusivamente de epitélioodontogênico. O parênquima do tumor se apresenta como massas celulares sólidas oucomo cordões ou ilhas cujas células periféricas, via de regra, assumem o aspectocolunar ou cuboidal semelhante aos ameloblastos.
  12. 12. As células mais centralmente localizadas algumas vezes mostram morfologia semelhante à doreticulo estrelado do órgão do esmalte. O estroma é pouco representado, sendo constituídopor tecido conjuntivo pouco irrigado. Figura. 9
  13. 13. DIAGNÓSTICO DIFERENCIALQuando a lesão apresenta:• Aspecto cístico, unilocular e bem definido: o diagnóstico diferencial se faz principalmente com ceratocistos odontogênicos, cistos dentígeros e cistos ósseos traumáticos;• Aspecto expansivo multilocular: deve ser diferenciado do tumor marrom do hiperparatireoidismo, granuloma de células gigantes e hemangiomas ósseos atípicos. A forma localmente agressiva e as formas recidivantes podem ter aspectos semelhantes aos das neoplasias malignas.
  14. 14. Partes Ósseas envolvidas com seus respectivos nomes em inglês Figura. 111- Fossa Pterigopalatina; 2- Lâmina do Processo Pterigóide; 3- Meato Acústico Externo;4- Arco Zigomático; 5- Limite Lateral da Maxila; 6- Limite Final do Arco; 7- Limite Inferiorda Maxila; 8- Palato Duro; 9- Concha Nasal Inferior 13/12/2011
  15. 15. Figura. 12 Orthopantomogram (OPG)Orthopantomogram (OPG)Panorâmica de Raio-X Dental AMELOBLASTOMA Representa 1% dos tumores de maxilares – Surge dos ameloblastos que provêm do esmalte Aparência Multilocular, Bordas bem definidas Acentuada Expansão da Mandíbula, Localmente agressivo Deslocamento Dental e Reabsorção Radicular13/12/2011
  16. 16. Computed(Axial)Tomography (CT) Tomografia Computadorizada (TC) Janelas ósseas Janelas de Tecidos Moles13/12/2011 Figura. 13
  17. 17. OSSOS MAXILARES • MANDÍBULA 1- Ângulo da Mandíbula 2- Região do Terceiro Molar ( 2 3- Lesão com aspecto de Bolhas de Sabão1 3 Figura. 14 13/12/2011
  18. 18. First of four radiographs illustrating history of ameloblastoma associated with non- erupted third molar tooth in a 19-year-old female patient. Subtle, atypical radiolucency can be discerned below tooth. Tooth was surgically removed. No surgical specimen was obtained. (April, 1971) Figura. 15Second of four radiographs. Routine dentalroentgenogram revealed residual orrecurrent cystic lesion. Surgical curettagewas performed and ‘early’ ameloblastomademonstrated. No further treatment wasgiven. (September, 1974) Figura. 1613/12/2011
  19. 19. Third of four radiographs. Multilocular radiolucency of more typical character. Tumor was resected. (February, 1978) Figura. 17 There is no evidence of residual tumor. (December, 1978)13/12/2011 Figura. 18
  20. 20. TRATAMENTO DA DOENÇA E PREVENÇÃO DE RECIDIVAS • As técnicas cirúrgicas conservadoras: 1) Enucleação 2) Curetagem Figura. 19 3) Criocirurgia 4) Radioterapia 5) Marsupialização - descompressão do tumor An ameloblastoma • As abordagens cirúrgicas radicais: 1) Ressecção marginal 2) Ressecção segmentar da mandíbula ou Figura. 20 maxila 3) Hemissecção Tumor removed and jaw13/12/2011 reconstructed
  21. 21. CASO CLÍNICO SEGMENTAL RESECTION Figura. 21 Figura. 22 11-year-old Afghan girl, Latifah, with Latifah recovering after resection of her massive maxillary tumor diagnosed ameloblastoma as an ameloblastoma.13/12/2011
  22. 22. Segmental Section13/12/2011 Figura. 23
  23. 23. Figura. 24 Gross Appearance After Segmental13/12/2011 Resection of Mandible.
  24. 24. Referência Bibliográfica• NEVILLE, B; DAMM, D; ALLEN, C; BOUQUOT, J. Patologia Oral & Maxilofacial. 2a. Edição – Guanabara Koogan. Rio de Janeiro, 2004.• MEDEIROS, M; PORTO, G; LAUREANO, J; PORTELA, L; VASCONCELLOS, R. Ameloblastoma em Mandíbula. Rev. Brasileira de Otorrinolaringologia, vol 74, n. 3, Maio/Junho 2008 - São Paulo.• SADDY, M; CHILVARQUER, I; DIB, L; SANDOVAL, R. Aspectos clínicos, radiográficos e terapêuticos do ameloblastoma. RPG Rev. Pós Grad. Vol12( ano 4): págs460-465, out.-dez.2005.• GRANATO, L; BORGES, R; SOFIA, O; MIRACCA, R. Ameloblastomas de maxilar: apresentação de caso e revisão de literatura. Rev. Soc. Bras. Cir. Craniomaxilofac;11(2):75-79, 2008. ilus.
  25. 25. Referência Bibliográfica• Sites:• http://www.abstractsonline.com/OASISMedia/Default.aspx?CKey={126B55E6- 0AEE-48C3-B751-F1B1ADD15740}&Mkey={22FDF1E0-BB98-47D9-B084- 94213A1B7D4D}• http://inforum.insite.com.br/73352/9041634.html• http://www.odontologiadiferenciada.com.br/?cont=unilocularameloblastoma• http://www.asahq.org/Newsletters/2007/01-07/javernick01_07.html• http://jeb.biologists.org/cgi/content/figsonly/208/23/4509• http://www.worldlingo.com/ma/enwiki/pt/OPG• http://www.pathconsultddx.com/pathCon/diagnosis?pii=S1559-8675(06)70616- 7#fig1• http://www.odontologiadiferenciada.com.br/?cont=unilocularameloblastoma• http://www.library.vcu.edu/tml/oralpathology/radio.html• http://www.pathconsultddx.com/pathCon/diagnosis?• http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-92008000300029&script=sci_arttext
  26. 26. Referência das Figuras• Figura 1: Imagens Google• Figura 2: http://rad.usuhs.edu/medpix/kiosk_image.html?imageid=38325&pt_id=11236&recid=5982#pic• Figura 3: http://www.library.vcu.edu/pdfgif/tml/oralpathology/46-ameloblastoma.jpg• Figura 4: http://www.anatomiaonline.com/osteologia/cranio.htm• Figura 5: http://inforum.insite.com.br/73352/9041634.html• Figura 6: http://screening.iarc.fr/atlasoral_detail.php?flag=0&lang=1&Id=E0100011&cat=E1• Figura 7: http://www.library.vcu.edu/tml/oralpathology/radio.html• Figura 8 e 9: http://www.estomatologia.com.br/diagnosticos_det2.asp?cod_diag=12• Figura 10: http://www.abstractsonline.com/OASISMedia/DisplayImage.aspx?Mkey={22FDF1E0-BB98- 47D9-B084-94213A1B7D4D}&cKey={126B55E6-0AEE-48C3-B751-F1B1ADD15740}&refID=2863• Figura 11: http://www.abstractsonline.com/OASISMedia/DisplayImage.aspx?Mkey={22FDF1E0-BB98- 47D9-B084-94213A1B7D4D}&cKey={126B55E6-0AEE-48C3-B751-F1B1ADD15740}&refID=2868• Figura 12: http://www.abstractsonline.com/OASISMedia/DisplayImage.aspx?Mkey={22FDF1E0-BB98- 47D9-B084-94213A1B7D4D}&cKey={126B55E6-0AEE-48C3-B751-F1B1ADD15740}&refID=2864• Figura 13: http://www.abstractsonline.com/OASISMedia/DisplayImage.aspx?Mkey={22FDF1E0-BB98- 47D9-B084-94213A1B7D4D}&cKey={126B55E6-0AEE-48C3-B751-F1B1ADD15740}&refID=2899• Figura 14: http://www.radpod.org/2007/08/01/ameloblastoma/
  27. 27. Referência das Figuras• Figura 15, 16, 17, 18: http://www.pathconsultddx.com/pathCon/diagnosis?pii=S1559- 8675(06)70616-7• Figura 19: http://scw.asahi-u.ac.jp/~kawamata/jpg/amelo2.jpg• Figura 20: http://www.odontologiadiferenciada.com.br/?cont=unilocularameloblastoma• Figura 21: http://www.asahq.org/Newsletters/2007/01-07/javernick01_07.html• Figura 22: http://www.asahq.org/images/jave7.jpg• Figura 23: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/c3/Ameloblastoma.jpg• Figura 24: http://www.pathconsultddx.com/pathCon/diagnosis?pii=S1559-8675(06)70616- 7#fig1
  28. 28. OBRIGADA(O) PELA ATENÇÃO!

×