Do Escudo ao Euro.

714 visualizações

Publicada em

Visto que não encontrei nenhum trabalho sobre o assunto decidi partilhar o meu e aqui têm.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
714
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Do Escudo ao Euro.

  1. 1. Do escudo ao euro
  2. 2.  O escudo foi criado em 22 de Maio de 1911,cinco meses após Proclamação da República, por decreto do Governo Provisório.  A moeda renovou o sistema monetário português, colocou a unidade monetária portuguesa ao nível das dos outros países e evitou as desvantagens praticas do real(moeda da monarquia),cujo valor era muito pequeno, o que obrigava ao emprego de grande numero de algarismos para representar na escrita uma quantia.
  3. 3. Nota de 100 escudos Moeda de 1 escudo
  4. 4.  Em 1913 que a contabilidade do estado português passou a ser feita em escudos.  Desde 1911,data do 1º Governo Constitucional, vivia-se em Portugal um forte clima de instabilidade politica, agravado, em 1914,pela Primeira Guerra Mundial e pela participação de Portugal neste conflito a partir de 1916.
  5. 5.  O euro foi introduzido em 1 de Janeiro de 1999 nas operações realizadas nos monetários cambiais e financeiros e para a grande maioria das operações de retalho  No entanto, a introdução física do euro aconteceu apenas em 1 de Janeiro de 2002,quando mais de 300 milhões de europeus começaram a utilizar as notas e moedas do euro. No final de fevereiro de 2002,as notas e moedas de euro tornaram-se as únicas com curso legal na área do euro.
  6. 6.  A introdução das notas e moedas de euro em Portugal exigiu um vasto trabalho de preparação.  Em setembro de 2001, foram distribuídas notas e moedas de euro às instituições de crédito e, em dezembro, às grandes empresas e retalhistas e também foram colocados à venda ao público, nas tesourarias do Banco de Portugal e aos balcões das instituições de crédito, mini-kits, no valor de 10 euros, com todas as denominações de moeda metálica corrente.
  7. 7.  A introdução das notas de euro exigiu, por outro lado, a conversão dos caixas automáticos - ATM (Automated Teller Machines). No dia 31 de dezembro de 2001 ainda foi possível levantar escudos, mas as máquinas foram adaptadas rapidamente: em Portugal. No final do dia 1 de janeiro de 2002, 63 por cento dos caixas automáticos disponibilizavam euros; no dia 4 de janeiro, já todos os ATM forneciam as novas notas.  A recolha do escudo começou em janeiro de 2002. Até maio desse ano, foi recolhido 95 por cento do valor total das notas em circulação a 31 de dezembro de 2001. No caso da moeda, a operação foi mais difícil, dada a complexidade do seu tratamento e manuseamento. Até 31 de maio de 2002, tinha sido recolhido apenas 33 por cento do valor total das moedas em circulação a 31 de dezembro de 2001.
  8. 8.  Para preparar a introdução física do euro, o Banco de Portugal desenvolveu uma campanha de informação a grande escala e realizou ações de formação destinadas, entre outros agentes, ao sistema financeiro, às autoridades policiais e às empresas de distribuição. Em Portugal, a substituição do escudo pelo euro foi bem-sucedida. A distribuição das notas de euro foi particularmente rápida, devido ao sucesso da operação de conversão das ATM. A circulação da nota de euro rapidamente atingiu valores estáveis, ainda que ligeiramente inferiores aos homólogos para as notas de escudo.
  9. 9.  Sites utilizados: http://www.bportugal.pt/pt- PT/NotaseMoedas/EuroANossaMoeda/P aginas/default.aspx e http://pt.wikipedia.org/wiki/Wikip%C3%A 9dia:P%C3%A1gina_principal .
  10. 10.  Trabalho realizado por :  Ana Carqueijeiro  Tatiana

×