VERSÃO DO PROFESSOR
D I S C I P L I N A

Didática e o Ensino de Geografia

O planejamento na
organização da prática pedagó...
Governo Federal
Presidente da República
Luiz Inácio Lula da Silva
Ministro da Educação
Fernando Haddad
Secretário de Educa...
VERSÃO DO PROFESSOR

Apresentação

O

planejamento é fundamental para qualquer atividade humana. Requer clareza de
intençõ...
VERSÃO DO PROFESSOR

Sobre o currículo
De início, gostaríamos de compartilhar nosso entendimento sobre o currículo como a
...
VERSÃO DO PROFESSOR

Atividade 1

sua resposta

Faça um pequeno texto relatando suas vivências curriculares no ensino bási...
VERSÃO DO PROFESSOR
médio devem ter uma base nacional comum, a ser complementada, em cada sistema de
ensino e estabelecime...
VERSÃO DO PROFESSOR
[re] construído no movimento da diversidade cultural, de acordo com o momento histórico
e considerando...
VERSÃO DO PROFESSOR

Pausa para orientação
Para prosseguirmos em nosso percurso sobre a organização da prática
pedagógica,...
VERSÃO DO PROFESSOR
Analisando as colocações acima, percebemos que o planejamento é uma atividade
intencional, não é uma a...
sua resposta

VERSÃO DO PROFESSOR

Planejamento educacional
O planejamento educacional, quando feito em nível de sistema e...
VERSÃO DO PROFESSOR
n

n

n

Estabelecer as condições necessárias para o aperfeiçoamento dos fatores que influem
diretament...
VERSÃO DO PROFESSOR

Pausa para orientação
Neste momento, é fundamental que você tenha clareza sobre os diferentes
planos ...
VERSÃO DO PROFESSOR
Plano da escola
1º) Posicionamento sobre as finalidades da educação escolar na sociedade e na nossa es...
VERSÃO DO PROFESSOR
produção e reprodução do conhecimento, ou seja, as intervenções docentes necessárias
para o desenvolvi...
VERSÃO DO PROFESSOR
Plano de ensino
Disciplina (ou grupo de disciplinas a que o plano corresponde)
Ciclo: (a qual o plano ...
VERSÃO DO PROFESSOR

Plano de aula
O plano de aula é um instrumento cotidiano do professor. Nele estão definidos os
objeti...
VERSÃO DO PROFESSOR
Plano de aula – Geografia
ESCOLA: (Nome da escola)
Série/Ciclo: (Indique a série ou o ciclo onde será ...
VERSÃO DO PROFESSOR
n

Planejamento como Princípio Prático:

O planejamento feito sem grande preocupação ou formalização, ...
VERSÃO DO PROFESSOR
dos ideais comuns. Esta perspectiva contrapõe-se com a visão tecnocrática e o posicionamento
utilitari...
VERSÃO DO PROFESSOR

Concluindo o percurso
Neste final de percurso, podemos concluir que o planejamento é uma atividade de...
VERSÃO DO PROFESSOR

Auto-avaliação
Releia o texto aqui apresentado, destaque os conceitos relacionados com
planejamento e...
VERSÃO DO PROFESSOR

Anotações

20

Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia
 
Material APROVADO (conteúdo e imagens)

Da...
Didática e o Ensino de Geografia – GEOGRAFIA

EMENTA
Análise dos documentos necessários à organização do ensino; fundament...
Didaticgeoaula8
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Didaticgeoaula8

917 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
917
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
56
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Didaticgeoaula8

  1. 1. VERSÃO DO PROFESSOR D I S C I P L I N A Didática e o Ensino de Geografia O planejamento na organização da prática pedagógica Autoras Sônia de Almeida Pimenta Ana Beatriz Gomes Carvalho aula 08 Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:_______________________________________
  2. 2. Governo Federal Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro da Educação Fernando Haddad Secretário de Educação a Distância – SEED Carlos Eduardo Bielschowsky Universidade Federal do Rio Grande do Norte Universidade Estadual da Paraíba Reitor José Ivonildo do Rêgo Reitora Marlene Alves Sousa Luna Vice-Reitora Ângela Maria Paiva Cruz Vice-Reitor Aldo Bezerra Maciel Secretária de Educação a Distância Vera Lúcia do Amaral Coordenadora Institucional de Programas Especiais - CIPE Eliane de Moura Silva Coordenador de Edição Ary Sergio Braga Olinisky Diagramadores Ivana Lima (UFRN) Johann Jean Evangelista de Melo (UFRN) Mariana Araújo (UFRN) Vitor Gomes Pimentel Projeto Gráfico Ivana Lima (UFRN) Revisora Tipográfica Nouraide Queiroz (UFRN) Revisora de Estrutura e Linguagem Rossana Delmar de Lima Arcoverde (UFCG) Ilustradora Carolina Costa (UFRN) Revisora de Língua Portuguesa Maria Divanira de Lima Arcoverde (UEPB) Editoração de Imagens Adauto Harley (UFRN) Carolina Costa (UFRN) Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca Central - UEPB 372.891 P644d    Pimenta, Sônia de Almeida.    Didática e o ensino de geografia / Sônia de Almeida Pimenta; Ana Beatriz Gomes Carvalho. – Campina Grande: EDUEP, 2008.    244 p. ISBN 978-85-7879-014-1 1. Geografia – Estudo e Ensino. I. Carvalho, Ana Beatriz Gomes. II. Título. 21. ed. CDD Copyright © 2008  Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste material pode ser utilizada ou reproduzida sem a autorização expressa da UFRN - Universidade Federal do Rio Grande do Norte e da UEPB - Universidade Estadual da Paraíba.
  3. 3. VERSÃO DO PROFESSOR Apresentação O planejamento é fundamental para qualquer atividade humana. Requer clareza de intenções, objetivos e métodos. Na educação o planejamento é indispensável, pois é a partir dele que podemos articular conteúdos e práticas significativas. Assumimos nesta aula uma perspectiva prática sobre o tema em tela, dado que é requerido do professor além do domínio dos conteúdos de sua área de atuação, os saberes sobre a organização de sua prática. Portanto, partimos para reflexão sobre as dimensões do planejamento na educação, e chegamos nos diferentes planos que compõem a prática pedagógica: O plano da escola, o plano de ensino e o plano de aula. Objetivos Ao final desta aula, esperamos que você: 1 2 3 4 Estabeleça as relações entre conteúdos e métodos do trabalho pedagógico a partir do conceito de currículo; Perceba a diferença entre planejamento educacional e planejamento de ensino; Esteja cônscio da importância dos planejamento na educação; Identifique os diferentes níveis de planejamento na escola; 5 Saiba planejar no contexto escolar; 6 Reflita sobre os sentidos do planejamento. Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________ 1
  4. 4. VERSÃO DO PROFESSOR Sobre o currículo De início, gostaríamos de compartilhar nosso entendimento sobre o currículo como a expressão dos vínculos entre a cultura e a sociedade exterior a escola e a educação; entre o conhecimento e a aprendizagem dos alunos, entre a teoria (idéias, suposições e aspirações) e a prática possível, dadas determinadas condições. Neste sentido, o currículo pode ser entendido como o caminho para o conhecimento útil ao desenvolvimento pleno do ser humano em seu meio. Entendido desta forma há, pelo menos, duas perspectivas do currículo: n n A perspectiva realista, na qual predomina uma visão conservadora da função social da escola/educação; uma teoria curricular e pedagógica tradicional; o conhecimento como objetos e fatos de significado fixo e, conseqüentemente, a cultura como algo fixo, herdado e estável. A perspectiva da construção social, na qual o currículo é local de construção do conhecimento, onde circulam e são produzidos os significados; o conhecimento é forma de compreender o mundo e torná-lo inteligível e a cultura é prática de significação. Os estudos curriculares têm a responsabilidade específica de analisar as diferentes concepções de currículo e suas relações com o significado das diferentes práticas educativas. As contribuições destes estudos podem ser resumidas a partir da seguinte classificação: n n n n n 2 Currículo tradicional – currículo abstrato que desenvolve saberes fragmentados, dogmáticos, prontos e acabados. Portanto, é desprovido de significado social, não desenvolvendo a consciência critica do educando. Nesta concepção de currículo o ensino é simples transmissão de conhecimento. Currículo tecnicista – currículo com ênfase excessiva no planejamento e nos elementos técnicos do processo curricular, especialmente na metodologia e nos recursos técnicos. É uma concepção curricular de natureza instrumental, voltada para a racionalização do ensino e para o uso de meios e técnicas consideradas eficazes. Currículo crítico – currículo que desenvolve saberes plurais, inacabados, contextualizados e enriquecidos com uma leitura crítica-construtiva da prática social. Articula a dimensão social e política dos conteúdos curriculares, voltando-se para a formação da consciência critica. Misto de Tradicional e Crítico – currículo com ênfase na concepção tradicional, intercalando, em momentos estanques, com assuntos de contexto social que não se articulam aos demais conteúdos trabalhados. Nessa inaceitável combinação, o que ocorre é uma pseudo-crítica. Currículo contextualizado – o conhecimento é tratado de forma integrada ao contexto social provocando, se bem trabalhado, aprendizagens significativas e uma relação de reciprocidade entre o educando e o objeto do conhecimento. Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________
  5. 5. VERSÃO DO PROFESSOR Atividade 1 sua resposta Faça um pequeno texto relatando suas vivências curriculares no ensino básico. Procure refletir sobre a maneira como o ensino era organizado e as práticas pedagógicas de seus professores e as conseqüências para sua aprendizagem. A consonância entre a concepção curricular e a sua prática promove práticas pedagógicas que potencializam a aprendizagem, pois, a depender da concepção curricular - a qual expressa um tipo de relação com o conhecimento e com o contexto - a aprendizagem será configurada a partir destas relações. Os princípios da democracia em curso não nos permitem mais pensar currículos e posturas pedagógicas que não levem a uma gestão democrática e libertadora, onde todos se sintam protagonistas da construção do conhecimento em meio à diversidade cultural. Tais princípios e seus desdobramentos estão explícitos na Lei de Diretrizes e Bases da Educação - LDB (Lei nº 9.394/96), no seu Art. 9º, no qual se estabelece que a União incumbirse-á de estabelecer, em colaboração com os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, competências e diretrizes para a educação infantil, o ensino fundamental e o ensino médio, que nortearão os currículos e seus conteúdos mínimos, de modo a assegurar formação básica comum”. E complementa no Art. 26º que os currículos do ensino fundamental e Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________ 3
  6. 6. VERSÃO DO PROFESSOR médio devem ter uma base nacional comum, a ser complementada, em cada sistema de ensino e estabelecimento escolar, por uma parte diversificada, exigida pelas características regionais e locais da sociedade, da cultura, da economia e da clientela. Pausa para orientação Neste momento você já tem elementos para refletir sobre as orientações legais para o currículo. Aproveite para registrar aqui suas reflexões, considerando, inclusive, em que medida estas orientações podem promover a autonomia na construção do currículo e o respeito à diversidade. Além disso, reflita sobre o currículo que você vivenciou no ensino básico e se este em algum momento trouxe a perspectiva regional. Considerando o aspecto legal, cabe à escola a elaboração de um currículo que se paute nas Diretrizes Curriculares elaboradas pelo Ministério da Educação para criar uma base nacional comum e, ao mesmo tempo, que traduza as características culturais do contexto no qual a escola está inserida. Estou no Caminho Certo? Do ponto de vista legal, existe flexibilidade para a construção do currículo? Se ela existe, como avaliar a educação nacional Retomando nosso início de conversa, o currículo se constitui num caminho para a construção do conhecimento útil em determinada sociedade. Percebemos que o currículo não é um fim em si mesmo, um conjunto de saberes legalizados como um “lugar” ou posição a ser atingida. Ao contrário, Este currículo deve ser a expressão dos sujeitos da educação no sentido de valorizar a comunidade e promover a aprendizagem contextualizada e significativa. O currículo não é fixo e nem único, pois deve ser constantemente refletido e 4 Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________
  7. 7. VERSÃO DO PROFESSOR [re] construído no movimento da diversidade cultural, de acordo com o momento histórico e considerando a sua dimensão social. Embora a LDB expresse a intenção de apenas nortear os currículos e seus conteúdos mínimos, bem sabemos que as instituições escolares, ao se submeterem aos processos de avaliações nacionais (a exemplo do ENADE escolas e o IDEB), estão submetidas a cumprir um currículo o qual será objeto da avaliação para identificar a qualidade da educação a partir destas instituições. Sob que perspectiva a escola deve elaborar seu currículo? Qual o currículo desejável? ENADE Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes. Tem o objetivo de aferir o rendimento dos alunos dos cursos de graduação em relação aos conteúdos programáticos, suas habilidades e competências. IDEB A despeito da base curricular nacional, a qual pode garantir conhecimentos reconhecidamente válidos para nossa nação, o currículo é prática de significações, de atribuições de sentidos relevantes para os grupos sociais. Portanto é dispositivo de definição de poderes, o local de luta das representações sociais e das identidades e alteridades que se produzem no interior destas práticas curriculares na perspectiva de uma educação que seja, necessariamente, multicultural como é o Brasil. Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. Criado em 2007 , é um dos indicadores da qualidade na educação. A partir deste instrumento, o Ministério da Educação traçou metas de desempenho bianuais para cada escola e cada rede até 2022. Mais do que conteúdo a ser definido em grades curriculares, o currículo corresponde a uma forma de entender o ensino, a relação educativa, o saber, a experiência de aprender, a importância de escutar o outro, de contar com o trabalho do aluno, de fixar-se no importante sem desprezar o imprevisto. Uma prática aberta ao criativo, ao inesperado, no que está por ocorrer. Muitos adjetivos podem ser usados para o currículo: Flexível, crítico, multicultural ou democrático. Para além destas adjetivações, o currículo como recuperação de uma trajetória do desenvolvimento do ser humano, de uma sociedade democrática, mais igualitária e justa pressupõe não a seleção de conteúdos e práticas, mas a capacidade de autogoverno coletivo das pessoas. Sendo assim, o conteúdo escolar deve ser definido a partir do cotidiano; da possibilidade de transformação do vivido; e da oportunidade de construção do conhecimento significativo. Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________ 5
  8. 8. VERSÃO DO PROFESSOR Pausa para orientação Para prosseguirmos em nosso percurso sobre a organização da prática pedagógica, é fundamental que você reflita sobre a importância do o currículo. Escreva um texto expressando, inclusive, a maneira como você compreende o currículo e a definição dos conteúdos escolares. O currículo é o primeiro nível de planejamento, dado que ele expressa a proposta educativa e estabelece objetivos gerais e seus desdobramentos em objetivos específicos. É ele que orienta as ações dos vários educadores envolvidos no mesmo programa. Planejamento na educação O homem sempre planeja. No momento em que a realidade torna-se complexa, somos obrigados a uma maior sistematização de pensamento e ação, de modo a compreender e a transformar a realidade, para isso é imprescindível o planejamento, o qual implica em contextualizar uma ação inerente à atividade humana em ações sistemáticas. Quando o homem planeja, organiza a ação, tornando-a mais responsável. Isto significa dizer que o planejamento não prescinde de uma crítica permanente, tornando-o um instrumento para a superação das rotinas e dando à ação humana uma reorganização contínua e consciente. Planejar é transformar a realidade numa direção escolhida; organizar a própria ação (de grupo, sobretudo) para a intervenção na realidade; é explicitar os fundamentos da ação do grupo; é realizar um conjunto de ações propostas para aproximar uma realidade de um ideal; é proporcionar meios para que se possam tomar decisões corretas, dentro e uma estrutura. A educação é um fator de mudanças e, portanto, está constante interação com o sistema social, do qual recebe solicitações das mais diversas naturezas. Cabe, pois, ao sistema educacional organizar-se de tal maneira que, ao mesmo tempo, atenda de modo eficiente às justas reivindicações do sistema social e, simultaneamente, ofereça subsídios eficazes na correção das distorções do planejamento e de suas repercussões na prática pedagógica. Nesta perspectiva, o planejamento é um processo em se que se estabelece ‘para onde ir’ e quais as maneiras adequadas de chegar lá, tendo em vista a situação presente e possibilidades futuras, de modo que a educação atenda tanto as necessidades do desenvolvimento da sociedade, quanto as do indivíduo. 6 Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________
  9. 9. VERSÃO DO PROFESSOR Analisando as colocações acima, percebemos que o planejamento é uma atividade intencional, não é uma atividade espontânea; neutra, pois, possui uma finalidade, um objetivo a alcançar e planejar exige a tomada de decisão. A reconfiguração da prática pedagógica se impõe como desafio não apenas para a garantia do direito à educação, mas a garantia de uma educação de qualidade, na qual a função social da escola atenda o desenvolvimento histórico-cultural do sujeito. Tal fato impõe, necessariamente, a concepção de planejamento como elemento essencial da prática pedagógica. Planejar, organizando a ação educativa, é oferecer um clima que favoreça o processo de construção do conhecimento, olhando para os objetivos que se pretende alcançar, o potencial didático da equipe escolar, as estratégias utilizadas, os recursos e etapas a serem percorridas. Através do registro no planejamento dos princípios da ação pedagógica, das ações futuras e de seus resultados (através das avaliações) é que poderemos criar a possibilidade de troca e diálogo com outras experiências. O registro/memória de nossas ações é uma das formas cabíveis de trazer legitimidade ao nosso trabalho. Caso contrário, corremos o risco de estarmos condenando o nosso trabalho ao esquecimento ou ao mero ativismo, além de estarmos, entre outras coisas, negando a outros educadores que realizam o mesmo trabalho a oportunidade de refletir concretamente sobre ele, ora se apropriando ora transformando-o. Ao planejamento cabe não só a reflexão sobre os problemas educacionais; incorre também a uma visão de mundo e de sociedade, de escola e de seus sujeitos. Ademais, o planejamento deve ser elaborado por estes mesmos sujeitos, pois são eles que vivenciam a realidade e devem superá-la. Porém, esta superação está atrelada a outra superação, aquela que diferencia quem planeja de quem executa, de quem decide não faz e que quem faz não decide. Atividade 2 Agora que você já sabe da importância do planejamento na educação, faça uma reflexão sobre como você planeja suas atividades discentes e a importância das mesmas para a sua vida, para seus objetivos. Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________ 7
  10. 10. sua resposta VERSÃO DO PROFESSOR Planejamento educacional O planejamento educacional, quando feito em nível de sistema educacional – a exemplo de uma rede de escolas oficiais numa cidade – estabelece as políticas educacionais no que diz respeito aos seus princípios, as estratégias de ação, os recursos e o cronograma de atividades. Devido à sua importância como fator de desenvolvimento e considerando as inúmeras variáveis que o afetam, o planejamento neste nível é indispensável como manifestação de uma política pública. É um processo dinâmico que propõe metas e as formas de como atingi-las. Para tanto, parte de um determinado contexto e propõe medidas que venham a modificá-lo, de modo a atender tanto o indivíduo como a sociedade. Está claro, pois, que o planejamento educacional, ao expressar uma política educacional, apresenta sua intencionalidade através de seus princípios, metas e objetivos. São exemplos de objetivos do planejamento educacional: n 8 Relacionar o desenvolvimento do sistema educacional com o desenvolvimento econômico, social, político e cultural do país, em geral e de cada comunidade em particular; Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________
  11. 11. VERSÃO DO PROFESSOR n n n Estabelecer as condições necessárias para o aperfeiçoamento dos fatores que influem diretamente sobre a eficiência do sistema educacional - estrutura, administração, financiamento, pessoal, conteúdo, procedimento e instrumentais. Alcançar maior coerência interna na determinação dos objetivos e nos meios adequados para atingi-los; Conciliar a eficiência interna e externa do sistema. Planejamento no contexto escolar O planejamento no contexto escolar compreende as atividades que supõem o conhecimento da dinâmica interna do processo de ensino e aprendizagem e das condições externas que co-determinam a sua efetivação. É importante ressaltar que o planejamento prevê a articulação com a avaliação porque, além de previsão e de organização, ele também é pesquisa e reflexão. O planejamento escolar consiste na prática de elaboração conjunta dos planos (Plano Escolar, Plano de Ensino e Plano de Aula), com discussão pública, tendo como principal característica o caráter processual, ou seja, é uma atividade constante de reflexão e ação. O planejamento analisa continuamente a realidade escolar em suas contradições concretas e busca soluções de problemas e tomada de decisões, tornando possível a revisão dos planos e projetos, corrigindo o rumo das ações, no caso de haver necessidade. O processo para que o planejamento seja elaborado e executado é ir percorrendo suas várias fases no seu ritmo, pois cada escola tem sua singularidade. Vasconcellos (2000) trata o planejamento como um processo contínuo e dinâmico de reflexão, de tomada de decisão, de colocação em prática e de acompanhamento. Já o Plano é um produto desta reflexão e tomada de decisão que, enquanto tal, pode ser explicitado em forma de registro ou não. Nesta abordagem o planejamento, enquanto processo, é permanente; enquanto o plano é provisório. Segundo Libâneo (1994), há três níveis de planos no cotidiano escolar: n n n Da escola / instituição: É um documento que contém orientações gerais da escola; De ensino: Corresponde ao trabalho docente a ser desenvolvido no ano / módulo, dividido em unidades seqüenciais, de acordo com as temáticas propostas; De aula: É o plano desenvolvido para uma aula, ou conjunto de aulas. Possui caráter específico para cada tema. Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________ 9
  12. 12. VERSÃO DO PROFESSOR Pausa para orientação Neste momento, é fundamental que você tenha clareza sobre os diferentes planos que constituem o planejamento escolar. Para prosseguirmos certos de sua direção, elabore um pequeno texto refletindo sobre cada um dos tipos de plano e o papel de cada sujeito escolar na definição dos mesmos. Ainda segundo este mesmo autor, os planos devem: n Articular-se à prática; n Ser refeitos e revistos; n Servir de instrumento para reflexão e avaliação. O planejamento na escola pode ser realizado a partir dos seguintes planos: Plano da escola Sabemos que a escola não é a único elemento de transformação da sociedade, mas como pólo de reflexão sobre as relações sociais, a escola precisa cumprir o seu papel de estar um passo à frente das discussões e de evidenciar um olhar crítico sobre as perspectivas dos horizontes que se abrem. Este papel caracteriza sua função emancipatória, dinâmica e compromissada com a construção de uma sociedade mais justa. O plano da escola é onde se expressam as concepções da instituição sobre o processo educativo. Considerando a importância dos princípios democráticos para qualquer educação de qualidade, este tipo de plano não pode prescindir da garantia dos processos participativos e ele mesmo ser a expressão dos mesmos. Entendemos que o plano da escola é um produto do trabalho coletivo. Como tal, traz a concepção de educação do corpo docente, assim como suas bases teórico-metodológicas. Para que a ação educativa seja significativa, é necessário a escola/instituição estar ciente de seu contexto social, político, econômico e cultural. Assim como se faz necessária a caracterização da estrutura organizacional e administrativa, da clientela (alunos), dos objetivos educacionais gerais, da estrutura curricular, diretrizes metodológicas gerais e do sistema de avaliação. Embora saibamos que cada escola deve elaborar seu plano a seu modo, traremos aqui um roteiro para elaboração do plano da escola proposto por Libâneo (1994): 10 Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________
  13. 13. VERSÃO DO PROFESSOR Plano da escola 1º) Posicionamento sobre as finalidades da educação escolar na sociedade e na nossa escola 2º) Bases teórico-metodológicas: O tipo de ser humano que se quer formar; As tarefas da educação geral; O significado do trabalho pedagógico (as teorias de ensino/aprendizagem); As relações entre o ensino e o desenvolvimento dos alunos. 3º) Contextualização social, política, econômica e cultural da escola: Panorama geral do contexto; Aspectos principais deste contexto que incidem no processo de ensino e aprendizagem. 4º) Características sócio-culturais dos alunos: Condições materiais de vida; Aspectos culturais (concepções de mundo, motivações e expectativas, linguagem, lazer, meios de comunicação, etc); Faixas etárias, aprendizagens. 5º) Objetivos educacionais gerais da escola, quanto à(s): Aquisição de conhecimentos; Aspectos a serem desenvolvidos. 6º) Diretrizes gerais para a elaboração do plano de ensino: O currículo; Critérios de seleção de objetivos e conteúdos; Diretrizes metodológicas gerais e organização do ensino; Sistemática de avaliações. 7º) Diretrizes quanto à organização e à administração: Estrutura organizacional da escola; Atividades coletivas do corpo docente: reuniões pedagógicas,conselho de classe, atividades comuns; Calendário e horário escolar; Sistema de organização de classes; Sistema de acompanhamento e aconselhamento dos alunos; Sistema de trabalho com os pais ou responsáveis; Atividades extra-classe: bibliotecas, grêmio estudantil, esportes, comemorações, recreação; visitas culturais, etc; Sistema de acompanhamento/aperfeiçoamento do corpo docente e administrativo; Normas gerais de funcionamento da vida coletiva: relações internas na escola e na sala de aula. Plano de ensino O plano de ensino deve acompanhar os objetivos determinados pelo plano da escola, com a especificidade de ser voltado para o processo ensino-aprendizagem, bem como para a relação professor aluno. Neste plano, elaborado e sistematizado pelos professores e equipe pedagógica como um todo, são apontados os objetivos educacionais por área, atividade, ou disciplina. Esta ação deve refletir o processo de mediação dos docentes no processo de construção, Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________ 11
  14. 14. VERSÃO DO PROFESSOR produção e reprodução do conhecimento, ou seja, as intervenções docentes necessárias para o desenvolvimento do aluno. É no plano de ensino que constam os objetos de conhecimento que serão abordados, a metodologia mais apropriada à realidade escolar, cultural e social do aluno, bem como a prática avaliativa que será desenvolvida na relação professor/aluno/objeto de conhecimento. Esta última prática deve ser entendida como processual, e não como um fim em si mesma. Além disso, o plano deve também listar algumas atividades (estratégias) que se pretende desenvolver. Este plano tem caráter provisório, sem diminuir, de algum modo, sua importância. Provisório no sentido do fato de que cada elemento novo ou de retomada do plano deve aparecer nas reflexões do grupo docente ou docente/discente, podendo ser reavaliado e reformulado quantas vezes se fizer necessário, concedendo-lhe, assim, caráter dinâmico. Para a elaboração do plano de ensino, convém destacar que o mesmo é um roteiro organizado das unidades didáticas para um ano ou semestre. E o que seria uma unidade didática? É o conjunto de temas inter-relacionados que compõem o plano de ensino para uma determinada série ou ciclo de aprendizagem. Cada unidade didática contém um tema central do conteúdo curricular proposto em determinada disciplina ou grupo de disciplinas (caso seja interdisciplinar), detalhado em tópicos (Libâneo, 1994). As unidades didáticas têm como características: formar um todo homogêneo de conteúdos em torno de um conteúdo central; apresentar tópicos que se relacionam significativamente e, possuir relevância social, de modo a fazer sentido na experiência social concreta dos alunos. Apresentaremos a seguir um modelo de plano de ensino proposto por Libâneo (1994). A seguir, detalharemos cada elemento deste plano, de modo a oferecer-lhes um roteiro para a elaboração do plano de ensino. Porém, não esqueça que cada escola, cada equipe docente deve elaborar seu plano de forma criativa e contextualizada. 12 Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________
  15. 15. VERSÃO DO PROFESSOR Plano de ensino Disciplina (ou grupo de disciplinas a que o plano corresponde) Ciclo: (a qual o plano está direcionado) Ano: Nº aulas: (a que o plano corresponde) Justificativas: Este item do plano deve responder a seguinte pergunta: Qual a importância e o papel da matéria/conteúdo de ensino no desenvolvimento cognoscitivo dos alunos? Em outras palavras, para que serve ensinar estes conteúdos deste modo aqui proposto? Resumindo, a justificativa da disciplina deve responder a três questões básicas do processo didático: o porquê, o para quê e como. Objetivos gerais: Os objetivos gerais se coadunam com o que desejamos alcançar com o trabalho docente com os alunos. Objetivos específicos: Ao escrever a justificativa desta matéria/conteúdo, é possível definir o que se espera com o conteúdo a ser assimilado. Os objetivos específicos correspondem aos resultados a serem obtidos no processo de ensino/aprendizagem através de conhecimentos, conceitos, habilidades (os objetivos específicos definem os conteúdos a serem aprendidos para atingi-los). Conteúdos (Unidades didáticas): Os conteúdos são delimitados pelas unidades didáticas, e são definidos a partir dos objetivos que se quer alcançar com o processo de ensino/aprendizagem. Desenvolvimento metodológico: É através do desenvolvimento metodológico que se articulam os objetivos e conteúdos com métodos e procedimentos de ensino que provoquem a atividade mental e prática dos alunos (através da resolução de situações problemas, trabalhos de elaboração mental, discussões, exercícios etc). Este item do plano deve responder as seguintes questões: Que atividades o professor deve desenvolver de forma a orientar sistematicamente as atividades dos alunos adequadas aos conteúdos e aos objetivos? Que atividades os alunos deverão desenvolver para atingir os objetivos propostos no plano? Processos de avaliação (do processo, da aprendizagem) Bibliografia (do professor) Bibliografia (indicada para o aluno) Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________ 13
  16. 16. VERSÃO DO PROFESSOR Plano de aula O plano de aula é um instrumento cotidiano do professor. Nele estão definidos os objetivos de determinada aula, sua estratégia de mediação entre o aluno e o objeto de conhecimento, bem como a forma de como acontecerá a avaliação deste processo. Desta forma, podemos perceber que o plano de aula é um detalhamento do plano de ensino. Portanto, o professor deverá rever seus objetivos gerais e a seqüência de conteúdos (unidades didáticas) propostas no plano de ensino, organizando conceitos, problemas e idéias a serem discutidas com os alunos em torno de uma de uma idéia central, de modo que o aluno possa ter uma percepção clara do assunto em questão, bem como atribuir sentido para a mesma. Para cada unidade didática, o professor pode organizar tópicos os quais correspondem aos seus objetivos específicos de ensino/aprendizagem. E, para cada tópico, é importante que sejam previstas estratégias metodológicas que proporcionem a introdução ou sensibilização para o assunto, o desenvolvimento e o estudo ativo do assunto; sistematização e aplicação do mesmo. As atividades que compõem estas estratégias metodológicas podem ser a exposição dialogada, a resolução de problemas, a sistematização e a aplicação dos conteúdos – através de exercícios. Pausa para orientação Para prosseguirmos nosso caminho, antes, é necessário que você reflita sobre o modo como os planos de ensino podem conjugar a realidade sócio-cultural dos alunos, no sentido de proporcionar aprendizagens mais significativas. A seguir, propomos um exemplo de plano de aula para o ensino de Geografia no 3º ciclo do ensino fundamental. 14 Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________
  17. 17. VERSÃO DO PROFESSOR Plano de aula – Geografia ESCOLA: (Nome da escola) Série/Ciclo: (Indique a série ou o ciclo onde será a aula. Por exemplo: 4º ciclo do 2º segmento do ensino fundamental) Unidade Didática: (Indique o tema do conjunto de conteúdos. Por exemplo: Regionalizações no Brasil”) OBJETIVOS ESPECÍFICOS CONTEÚDOS – Introdução: – Identificar as principais mudanças na divisão regional do Brasil (Quais são as regiões conhecidas? Como é a organização política–adminstrativa atualmente? Sempre foi assim? O que caracteriza as divisões regionais?) – Reconhecer processos sociais, econômicos e culturais a elas associados. – Compreender a construção e organização do espaço geográfico e o papel das sociedades na constituição do território, das paisagens e dos lugares. – Utilizar recursos da leitura, escrita, observação e registro para analisar textos e imagens referentes à organização do espaço no Brasil. DESENVOLVIMENTO METODOLÓGICO – Território – Desenvolvimento: – Regiões brasileiras (Discutir conceitos, leitura de mapas das regiões: observar áreas urbanas e rurais; elaborar quadros sobre desenvolvimento regional econômico e social; observar a diversidade cultural) – Regionalização – Sistematização/aplicação: (identificar as características da própria região, refletir sobre estas características, comparar com outras regiões) Recursos necessários: (Indique aqui os materiais e os recursos necessários. Por exemplo: mapas, textos) Avaliação: (Por exemplo: Considere o que os alunos desenvolveram em relação à leitura de textos e mapas, à capacidade de argumentação sobre os processos de regionalização). Retomando o planejamento como o processo de organização da prática pedagógica, algumas considerações precisam ser feitas. Embora a atividade de planejar seja tão antiga quanto o homem, pois está relacionada com as ações do cotidiano, sua sistematização esteve ligada ao mundo da produção a partir da 1ª e da 2ª Revolução Industrial e das emergências da Ciência da Administração, no século XIX. Foi neste século que o americano Taylor (1856-1915) e o francês Fayol (1841-1915) tornaram-se emblemáticos na configuração do planejamento, na elaboração de objetivos e estratégias. Somente no início do século XX o planejamento passa a fazer parte de todos os campos da sociedade. Neste contexto, também a escola passa a incorporar tal atividade. No entanto, a incorporação do planejamento no campo pedagógico ocorreu e não ocorre do mesmo modo em todas as realidades educacionais. É possível identificar três concepções de planejamento presentes nas tendências do campo educacional: Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________ 15
  18. 18. VERSÃO DO PROFESSOR n Planejamento como Princípio Prático: O planejamento feito sem grande preocupação ou formalização, basicamente pelo professor, tendo como horizonte a tarefa a ser desenvolvida em sala de aula. Uma vez elaborados, são retomados independente da realidade. n Planejamento Instrumental/Normativo: A tendência tecnicista da educação, de caráter cartesiano e positivista, gera a concepção do planejamento como a grande solução para os problemas de falta de produtividade da educação escolar sem, contudo, questionar os fatores sócio-políticos e econômicos – até em função da sua pretensa neutralidade, normatividade e universalidade. Neste caso, o aluno deve aprender exatamente aquilo que o professor planeja, reforçando a prática do ensino como mera transmissão, ou no pólo oposto, como uma instrução programada. Nesta perspectiva, planejar passa a ser entendido como a elaboração do documento, desvinculando-se assim da prática efetiva do planejamento e limitando-se apenas ao preenchimento de formulários. Como conseqüência, a prática da supervisão pedagógica fica limitada à fiscalização e ao controle do trabalho pedagógico, daí a crítica de alguns autores que dizem “não ser o planejamento que planeja o capitalismo, mas o capitalismo que planeja o planejamento”. n Planejamento Participativo: Nesta tendência o planejamento é um processo que parte de uma leitura de mundo. Neste processo, é necessário analisar e compreender a realidade, bem como buscar, através dos esforços, a participação conjunta nos processos educativos. O planejamento participativo implica em instrumento e metodologia, pois enquanto modelo técnico abre espaço especial para as questões políticas que cercam a educação. Re-significação da prática do planejamento na escola A partir dessas críticas, é importante termos em mente que o planejamento não é uma “prisão” para o trabalho pedagógico, mas um percurso que poderá assegurar ações pedagógicas comprometidas com o coletivo e com o desenvolvimento da escola. Considerando que o planejamento participativo consiste numa leitura de mundo, para que o mesmo seja democrático, faz-se necessária a participação de todos, o que significa não apenas contribuir para aceitação de propostas preparadas por grupos minoritários, mas representa a construção conjunta compreendendo interesses, intenções e benefícios das propostas. Partindo desta configuração, o planejamento participativo assume o caráter de modelo para superação das crises e busca uma sociedade nova, onde todos os interajam em benefícios 16 Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________
  19. 19. VERSÃO DO PROFESSOR dos ideais comuns. Esta perspectiva contrapõe-se com a visão tecnocrática e o posicionamento utilitarista da sociedade atual, na qual a pessoa é vista como objeto e valor de produção. No contexto escolar, o planejamento participativo envolve o ideal em que as pessoas sejam vistas como sujeitos ativos e que têm muito a contribuir para dar sentido à educação. Atividade 3 “... não creio que as escolas possam ser, literalmente, construtoras da nova ordem social. No entanto, as escolas, decerto, participarão, concretamente e não idealmente, na construção da ordem social do futuro à medida que se forem aliando com este ou aquele movimento, no seio das forças sociais existentes.” JOHN DEWEY, 1934. sua resposta John Dewey, reconhecido como um dos fundadores da escola filosófica do pragmatismo, concebia – tal como Vygotsky – o conhecimento e o seu desenvolvimento como um processo social, integrando os conceitos de sociedade e indivíduo. A partir da citação acima, desenvolva um pequeno texto relacionando a afirmação acima deste educador com a perspectiva do planejamento participativo. Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________ 17
  20. 20. VERSÃO DO PROFESSOR Concluindo o percurso Neste final de percurso, podemos concluir que o planejamento é uma atividade de racionalização, organização e coordenação das ações no campo educacional. Enquanto tal, requer clareza de objetivos, conteúdos e métodos, pois como organização da prática educacional, possui uma intencionalidade e significado político, implicando diretamente no tipo de sociedade que se quer construir. É o centro do trabalho docente, pois corresponde ao esforço de organizar a prática pedagógica de modo a articular as exigências sociais às condições e experiências de vida dos alunos. O planejamento articula-se à avaliação porque, além de previsão, de organização, também é pesquisa e reflexão. Mas a avaliação será o tema de nossa próxima viagem. Até lá!!! Leituras complementares PADILHA, Paulo R. Planejamento dialógico: Como construir o projeto polítco-pedagógico da escola. São Paulo: Editora Cortez/Instituto Paulo Freire: 2006.. “Todo projeto educacional, para qualquer sociedade, tem de responder às marcas e aos valores dessa sociedade. Só assim é que pode funcionar o processo educativo, ora como força estabilizadora, ora como fator de mudança (Paulo Freire, 1959).” Esta citação é a primeira nesta obra em que o autor discorre analiticamente sobre o planejamento e para construção de uma perspectiva dialógica, indicando inclusive caminhos para fazê-lo. Resumo O campo educacional, como qualquer outro campo de atuação humana que se pretenda exitoso, requer planejamento: Atividades que supõem o conhecimento da dinâmica interna do processo de ensino e aprendizagem e das condições externas que co-determinam a sua efetivação. Para tanto, existem três níveis de planejamento escolar: o plano da escola, do ensino e de aula. Todos estes planos devem esclarecer seus objetivos, conteúdos e métodos, pois neles estão contido o sentido político da prática pedagógica e implicados no modelo de sociedade que se quer construir. 18 Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________
  21. 21. VERSÃO DO PROFESSOR Auto-avaliação Releia o texto aqui apresentado, destaque os conceitos relacionados com planejamento e planos na educação, refletindo sobre as contribuições para uma nova perspectiva do Ensino de Geografia de forma contextualizada e significativa. Referências LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo: Editora Cortez, 1994. GADOTTI, Moacir ROMÃO, José E. (orgs). Autonomia da escola: princípios propostos. São Paulo: Cortez, 1997. VASCONCELLOS, Celso dos S. Planejamento: Projeto de ensino-aprendizagem e projeto político-pedagógico. São Paulo: Libertad, 2000. Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________ 19
  22. 22. VERSÃO DO PROFESSOR Anotações 20 Aula 08  Didática e o Ensino de Geografia   Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: ___/___/___ Nome:______________________
  23. 23. Didática e o Ensino de Geografia – GEOGRAFIA EMENTA Análise dos documentos necessários à organização do ensino; fundamentação teórico-metodológica para a organização do trabalho docente; tendências atuais do ensino de geografia; a geografia e a interdisciplinaridade; a utilização de diferentes fontes de informações e linguagens e a prática docente em geografia; situações problemas e a prática de ensino em geografia. AUTORAS n  Sônia de Almeida Pimenta n  Ana Beatriz Gomes Carvalho AULAS Didática e a prática educativa 02 Elementos da didática: os diferentes métodos de ensino 03 Tendências no ensino de Geografia 04 A contribuição dos parâmetros curriculares para o ensino de Geografia 05 O ensino de Geografia, a multiculturalidade e as tecnologias de informação 06 A interdisciplinaridade no ensino de Geografia e a pedagogia de projetos 07 Elementos para o ensino de Geografia (orientação e representação cartográfica) 08 O planejamento na organização da prática pedagógica 09 Teorias e práticas sobre a avaliação 10 A construção de conceitos nos primeiros anos do ensino fundamental 11 Temas em geografia no ensino fundamental 12 Temas em geografia no ensino médio 15 2º Semestre de 2008 01

×