Bullying

348 visualizações

Publicada em

Apesentação sobre campanhas e quem pratica o Bullying

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Bullying

  1. 1. Amanda n° 03 Fernanda n° 09 8°B
  2. 2. Bullying é quando alguém machuca ou humilha constantemente outra pessoa. Xingar, espalhar rumores, agredir ou excluir intencionalmente alguém também são formas de bullying.
  3. 3. Querer ser mais popular, sentir-se poderoso e obter uma boa imagem de si mesmo. Isso tudo leva o autor do bullying a atingir o colega com repetidas humilhações ou depreciações. É uma pessoa que não aprendeu a transformar sua raiva em diálogo e para quem o sofrimento do outro não é motivo para ele deixar de agir. Pelo contrário, sente-se satisfeito com a opressão do agredido, supondo ou antecipando quão dolorosa será aquela crueldade vivida pela vítima.
  4. 4. Wellington Menezes de Oliveira, o assassino que perpetrou o massacre em Realengo, teria sido vítima de bullying nos anos em que estudou na escola municipal Tasso da Silveira. http://veja.abril.com.br/noticia/brasil /atirador-de-realengo-sofriabullying-no-colegio-afirmamcolegas
  5. 5. Cartoon Network - http://www.chegadebullying.com.br/ Blog Não ao Bullying – http://campanhasantibullying.blogspot.com.br Capricho - http://capricho.abril.com.br/blogs/diganaoaobullying/ Todateen - http://todateen.uol.com.br/redacao/bullying/  Colégio Marista - http://www.colegiosmaristas.com.br/rede-decolegios-nao-ao-bullying/D24CN82486 Mean Stinks - http://www.vagalume.com.br/news/2012/09/20/demilovato-se-torna-embaixadora-de-campanha-contra-o-bullying.html Stop Bullying! - http://www.miudossegurosna.net/eventos/stopbullying.html Chega de Bullying - https://www.facebook.com/chegadebullying
  6. 6. No dia 05/11/2010 ocorreu no Colégio Marista Arquidiocesano a divulgação da campanha “Diga Não ao Bullying” da Capricho. http://capricho.abril.com.br/blogs/bl ogdaredacao/nao-ao-bullying-nocolegio-arquidiocesano/
  7. 7. http://campanhasantibullying.blogspot.com.br
  8. 8. “O que sofri foi mais como quando as pessoas catalogam você pelo que parece. Eu sempre fui quieta no meu canto. Era estudiosa, mas era mais uma daquelas que só passavam da média, mas não queria sempre tirar um 10, por mais que fosse bom. Até aqui tudo bem. Mas passaram-se o tempo de 3 a 4 anos, quando não existe a verdadeira amizade, mas sim uma companhia para brincadeiras. A partir desse momento as pessoas não olham o livro em si, mas sim a capa dele. Minha família tem uma genética para crescer e se desenvolver mais rápido. Ao período por volta dos 10 anos eu não tinha nenhuma amiga. Quando não estava na escola, estava brincando sozinha em casa. Por eu ser diferente me chamavam de apelidos como: Girafa, grandona, gigante, baleia (eu também era gorda, só pra piorar) e se quer saber o tempo está bem frio aqui em cima. Eu sofria muito. Todo dia era a mesma coisa! Humilhações e xingamentos... Meus pais me diziam que eu era linda e especial assim. Eu não ligava. Não acreditava. Não gostava de ser diferente. Mas hoje em dia eu estou feliz comigo mesmo. Gosto de ser assim, alta, diferente... Tenho 1,75. 12 anos de idade (sou a maior da sala, obvio, mas felizmente não a maior da escola) e estou perdendo o peso e superando o que as pessoas diziam de mim. Me arrependo muito das lágrimas que deixei cair. De quando fiquei triste, deprimida. E agora eu tenho amigos. Que mesmo eu sendo diferente, me aceitam do jeito que eu sou, sem preconceitos. Se alguém volta a me chamar de apelidos, eu não ligo, só creio que a pessoa tem inveja. É isso que as pessoas sentem com o Bullying. Sentem que são diferentes e se culpam por isso. Acreditam nos outros que falam isso delas. Mas não deveriam. Eles só querem descontar em alguém por ela ser diferente para poder se livrar de todas as tristezas que elas tem consigo mesmo, querem descontar em alguém. Ou até mesmo querem ser os maiores, os melhores. Mas o bullying tratado como brincadeira não é o certo. Esse assunto é algo sério, deve ser tratado como algo sério. Mas a principal culpada disso é a sociedade que não pode aceitar as diferenças. Querendo ou não, somos todos iguais. Temos sentimentos. Apoio muito a campainha que você está fazendo, parabéns mesmo porque até mesmo nos mundo dos blogs existem casos de preconceitos ou ofensas!” Gabi Brambilla
  9. 9. http://capricho.com.br/ http://chegadebullying.com.br http://brasilescola.com.br/sociologia/bullying http://revistaescola.com.br http://veja.com.br

×