SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
A malacofauna terrestre do distrito de Vai-Volta, Tarumirim,
Minas Gerais
Amanda Oliveira Santos¹ & Flávia Oliveira Junqueira¹
¹ Centro Universitário do Leste de Minas Gerais, Campus Ipatinga: Rua Bárbara Heliodora, 725, Bom
Retiro, CEP:35160-215 - (31) 3846-5565; e-mail: amandaaoliver37@yahoo.com
RESUMO
Os moluscos terrestres constituem um dos grupos mais diversificados e pouco
explorado, são consideradas pragas de interesse médico e veterinário. O conhecimento
da malacofauna terrestre em Minas Gerais limita-se as informações fornecidas por
poucos trabalhos.O objetivo do trabalho dar continuidade ao levantamento florístico e
faunístico de remanescentes florestais em áreas do Bioma Mata ao conhecer os
moluscos terrestres presentes no distrito de Vai-Volta, Tarumirim, MG. Para isso, foram
realizadas coletas mensais de moluscos terrestres,no período de junho de 2013 a
fevereiro de 2014. Foram encontrados 1.196 exemplares de moluscos, sendo 698
espécimes e 498 conchas, pertencentes á seis famílias e oito espécies. B.tenuissimus foi
a espécie constante devido ao clima da região.
Palavra chave: B.tenuissimus, moluscos, malacofauna
INTRODUÇÃO
O grupo Mollusca compreende um filo animal altamente diverso com mais de
100.000 espécies reconhecidas, a maioria das quais apresenta uma concha como um
esqueleto externo distinto (Simone, 1999; Baker, 2001).
Os moluscos terrestres constituem um dos grupos animais de maior sucesso e
diversidade e ecossistema terrestre. Apesar da alta diversidade ecológica, os moluscos
terrestres têm sido pouco estudados e constituem o grupo de animais que apresentam o
maior número de espécies ameaçadas de extinção do mundo. (Barnes & Harrison 1994,
Barker 2011). É de consenso que a pouca habilidade de dispersão dos caracóis
terrestres, associada a sua dependência de microclima estável, faz de muitas espécies
bons indicadores da qualidade dos ambientes (Strom, 2004).
Os moluscos são considerados produtos de exploração econômica em diversas
atividades ligadas a pesca, cultivo, extrativismo,matéria-prima para industria, produção
de perolas, artesanato e colecionismo. (Colley et al., 2012 ).
É uma das classes pulmonatas que mais foram bem adaptados ao ambiente
terrestres, pois possuem mecanismos para evitar a perda de água (BAKER, 2001).
São consideradas pragas de cultivos vegetais e participam como hospedeiros
intermediários de helmintos parasitos de interesse médico e veterinário (SOLEM, 1984;
RAMBO et al., 1997; BARKER, 2001; BESSE et al., 2001).
O estudo da malacofauna terrestre na região do Vale do Aço foi iniciado com
o levantamento dos moluscos em Coronel Fabriciano e Ipatinga e na Reserva Particular
do Patrimônio Natural (RPPN) Fazenda Macedônia, Ipaba. Entretanto, trabalhos em
andamento estão levantamento de moluscos terrestres de outras localidades da região do
Leste de Minas Gerais.
Assim, pretende-se com este plano de trabalho dar continuidade ao levantamento
florístico e faunístico de remanescentes florestais em áreas do Bioma Mata ao conhecer
os moluscos terrestres presentes no distrito de Vai-Volta, Tarumirim, MG.
MATERIAL E MÉTODOS
O estudo foi realizado no distrito de Vai-Volta pertencente ao município de
Tarumirim, leste de Minas Gerais. O bioma predominante é de Mata Atlântica segundo
o IBGE (2014).
As coletas foram realizadas entre os meses de junho de 2013 a fevereiro de 2014
no período de manhã e a noite. As coletas de busca ativa foram realizadas duas vezes ao
mês perfazendo um total de 12 coletas.
Os espécimes vivos e as conchas de moluscos terrestres foram coletados
manualmente por um coletor durante duas horas com auxílio de luvas na vegetação,
terrenos e muros das casas, praças, hortas, jardins, fendas de rochas e troncos de
árvores.
Dados sobre o ambiente, como: temperatura (°C) e umidade relativa do ar (%)
foram aferidas durante amostragem utilizando um termohigrômetro digital posicionado
junto ao solo nos locais de coleta.
As amostras coletadas foram transportadas para o Laboratório de Ecologia do
Centro Universitário do Leste de Minas Gerais - UnilesteMG em recipientes plásticos
com vegetais retirados do local e mantidos em isopor. Os espécimes vivos foram
distendidos em água (6ºC a 8ºC) por 24 a 48 horas e fixados em álcool 70ºGL para a
correta determinação específica através do estudo da morfologia concha e dos sistemas
e estruturas dos animais.
As identificações taxonômicas serão realizadas com base na bibliografia
especializada
O índice de constância das espécies encontradas foi verificado, através da
seguinte fórmula: C = P/N x 100, em que C = índice de constância; P = número de
coletas em que a espécie foi capturada; e N = número total de coletas. A partir deste
índice, as espécies foram distribuídas em categorias: constante - presente em mais de
50% das coletas; acessória - presente em 25 a 50% das coletas; e acidental - presente em
menos de 25% das coletas (Bodenheimer, 1955 apud Silveira Neto et al., 1976).
A curva de acúmulo de espécies (Curva de Coleman) foi realizada para
relacionar se o número de coletas foi suficiente para o conhecimento das espécies de
moluscos terrestres.
RESULTADOS E DISCUSSÃO
Durante a realização do trabalho foram encontrados 1.196 exemplares de
moluscos, sendo 698 espécimes e 498 conchas, pertencentes á seis famílias e oito
espécies (Tabela 1).
Tabela 1: Famílias e espécies de gastrópodes terrestres com o número de indivíduos
e/ou conchas coletados no distrito de Vai-Volta, Tarumirim, MG, entre junho de 2013 a
fevereiro de 2014.
Famílias Espécies Individuos conchas
Bulimulidae
Bulimulus tenuissimus (Férussac,
1832)
130 285
Bradybaenidae Bradybaena similaris (Férussac,
1821)
7 191
Veronicellidae Sarasinula linguaeformis (Semper,
1885)
6
Subulinidae Leptinaria unilamellata (d´Orbigny,
1835)
4 27
Subulina octona (Bruguière, 1792) 540 71
Lamellaxis gracilis (Hutton,1834) 3
Allopeas micra (d´Orbigny, 1835) 1 6
Systrophiidae Happia sp. 1
As espécies de moluscos mais constantes foi Bulimulus tenuissimus (Férussac,
1832) e Subulina octona (Bruguière, 1792), Bradybena similaris (Férussac, 1821) e
Leptinaria unilamellata (d´Orbigny, 1835) foram acessórias e Sarasinula linguaeformis
(Semper, 1885), Lamellaxis graxilis (Hutton,1834), Allopeas micra (d´Orbigny, 1835) ,
Happia sp. foram acidentais.
Havia sido registrado anteriormente B. beckianum como espécie abundante em
Ipatinga por Andrade et al. (2013), porém neste trabalho Bulimulus tenuissimus, foi a
espécie mais abundante.
A espécie B. tenissimulus tem hábito alimentar generalista que garante seu
sucesso populacional. Outra particularidade é o fato de se reproduzirem melhor em
climas quentes, onde a taxa de crescimento e fecundação é maior (Meireles et al., 2008).
O clima quente quase constante no distrito de Vai-Volta pode ser o fator que
determina a densidade populacional de B. tenuissimus. (Clima e tempo 2014)
O S. octona, é uma espécie exótica, e se adapta bem a climas quentes e úmidos,
como a maioria dos gastrópodes, tem hábito alimentar herbívoro, e é bem resistente a
intempéries (Conquiologistas do Brasil, 2013).
O distrito de Vai-Volta o clima predominante e quente e isto dificultando na
coleta, pois os caramujos são encontrados em lugares frescos e sombreados.Em
períodos de chuva os caramujos era encontrado com maior ocorrência.
A espécie mais abundante em Coronel Fabriciano foi Bradybaena similaris
(FERUSSAC, 1821). Em comparação esta espécie estava presente em mais de 50% das
coletas no distrito de Vai Volta, pois era mais facilmente coletada pois estava presente a
nível do solo. (ARAÚJO 1989)
Espécies exóticas como S. octona e B. similaris tem alta resistência se forem
introduzidas em locais onde não é o habitat natural da espécie podendo causar
diversos impactos (SIMONE, 2006; Conquiologistas do Brasil, 2013)
As espécies S. linguaeformis, Tamayoa decolorata (DROUËT, 1859), Habroconus
semenlini (MORICAND, 1846), B. tenuissimus, B. beckianum e L. unilamellata foram
encontradas em trabalhos de levantamento de moluscos terrestres na região do Vale do Aço,
na área urbana nos municípios de Ipatinga e Coronel Fabriciano, MG (ANDRADE et al., 2013,
BIANCHINI et al., 2013) , porém no distrito de Vai-Volta apenas S. linguaeformis foi
encontrada.
Bulimulus tenuissimu (Férussac, 1832) é a única espécie em sua família com
importância parasitológica, sendo um hospedeiro intermediário para helmintos parasitas
que infestam animais domésticos (THIENGO & AMATO, 1995). Ele foi encontrado na
maioria das vezes na horta principalmente na base das hortaliças, pois se alimentam de
plantas, o crescimento é indeterminado e a fecundidade aumenta com o aumento do
tamanho do corpo. (THIENGO & AMATO, 1995).
Subulina octona (Bruguière, 1792) possui o comportamento agregado estratégia para
a conservação da água corporal. Favorecendo encontro do parceiro para o acasalamento.
( DAVILA et al.,)
Bradybena similari (Férussac, 1821) é uma de interesse econômico, pois é
considerada praga agrícola e também atua como hospedeiro intermediário de helmintos,
como Eurytema colematicum (MATTOS, AMOTO &VIANNA, 1987) . Esta espécie
tem origem na china porém foi introduzida em outras partes do mundo pelo comercio de
plantas. (OLIVEIRA, RESENDE, & CASTRO, 1981; OLIVEIRA, SÁ & BESSA,
1992).
Leptinaria unilamellata (D’Orbigny, 1835) esta presente em quase todos os
estados do Brasil pode atuar como parasita intermediário principamente em aves. A
única forma de controle das parasitoses e a redução da população dos hospedeiros
intermediários (ALMEIDA et al ., )
Sarasinula linguaeformis (Semper, 1885) podem atingira até dez centímetros de
comprimento por dois centímetros de largura e possuem o hábito de alimentar-se
durante a noite e nas horas de temperatura mais amena. Estes moluscos, nas fazes
jovens e adultas, consomem plântula, brotos, folhas, talos e até raízes das plantas. Além
disso, os vegetais infestados geralmente apresenta rastros de muco e presença de fezes,
que depreciam os produtos os na comercialização. Durante os meses mais frios do
inverno, costumam proteger-se no solo. (CHIARADIA et. al.,)
Happia sp. são terrestres e endêmicos da América do Sul e em termos gerais
apresentam concha achatada, variando em tamanho desde microscópicos até mais de
20mm. Dentre os representantes de Systrophiidae as espécies do gênero Happia
destacam-se por possuir o maior tamanho corporal quando comparado as demais
espécies da família (Centro de pesquisa e Conservação da Natureza- CPCN)
De acordo com a Curva de Coleman (Figura 1), o número de espécies coletadas
não estabilizou, teve um período de estabilização entre a 5ª (mês de setembro) a 10 ª
(mês de novembro), período que corresponde a seca. No mês de dezembro (10ª coleta) á
fevereiro (12 ª coleta) iniciou as chuvas, o que provocou novos registros de espécies.
Portanto se continuarmos as coletas ocorrerá mais possibilidade de encontrar novos
registros, isto irá depender do clima e do local de coleta.
Figura 1: Curva de Coleman das espécies coletadas de gastrópodes coletadas no distrito
de Vai-Volta, Tarumirim, MG ente junho de 2013 e fevereiro 2014.
0
1
2
3
4
5
6
7
8
9
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
Curva de Coleman
Número de coletas
CONCLUSÃO
O Presente trabalho foi de grande importância para o conhecimento da
malacofauna no distrito de Vai-Volta, pois quanto o maior o número de coleta maior a
possibilidade de encontrar registros diferentes de moluscos.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ALMEIDA, M. N. & MOTA. G. G. Ecologia, reprodução e crescimento da concha
de Leptinaria unilamellata (D’Orbigny) (Pulmonata, Subulinidae) em condições
naturais REVISTA bras. Ci. Vet ., v. 18, n. 1, p. 23-28, jan./abr. 2011
CHIARADIA, L. A. & MILANEZ, J. M. REVISTA Cultivar Grandes Culturas. 1993
COLLEY, E.; SIMONE, L. R. L. & J. L. SILVA. Uma viagem pela historia da
Malacologia. REVISTA Estudo da Biologia, Ambiente Diversos. 2012
D’AVILA, S.; DIAS, R . J. P & E. C. A. BESSA. Comportamento agregativo em
Subulina octona Brugüière) (Mollusca, Subulinidae) REVISTA Brasileira de
zoologia. 2006
HEYDRICH, I. Molusco Terrestres REVISTA Ministerio do Meio Ambieste
JUNQUEIRA, F. O. ; D’ AVILA, S.; BESSA. E. C. A. & F. PREZOTO. Ritmo de
Atividade de Bradybaena similaris (Férussac, 1821)(Mollusca, Xanthonychidae) de
Acordo com a Idade REVISTA de Etologia 2003, Vol.5, N°1, 41-46 Ritmo de
atividade
SIMONE, L.R.L. 2006. Land and freshwater Molluscus of Brazil. EGB, Fapesp. São
Paulo, 390p.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Chave de identificação anfíbios anuros da vertente de jundiaí da serra do japi
Chave de identificação anfíbios anuros da vertente de jundiaí da serra do japiChave de identificação anfíbios anuros da vertente de jundiaí da serra do japi
Chave de identificação anfíbios anuros da vertente de jundiaí da serra do japiAndre Benedito
 
Diversidade de abelhas em área de ecótono para manguezal em estação quente em...
Diversidade de abelhas em área de ecótono para manguezal em estação quente em...Diversidade de abelhas em área de ecótono para manguezal em estação quente em...
Diversidade de abelhas em área de ecótono para manguezal em estação quente em...Label-ha
 
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...Label-ha
 
Lepidópteros do brasil (agenda de campo) geraldo salgado neto
Lepidópteros do brasil (agenda de campo) geraldo salgado netoLepidópteros do brasil (agenda de campo) geraldo salgado neto
Lepidópteros do brasil (agenda de campo) geraldo salgado netoAndre Benedito
 
Extincao das Especies: uma ameaca ao direito das futuras geracoes
Extincao das Especies: uma ameaca ao direito das futuras geracoesExtincao das Especies: uma ameaca ao direito das futuras geracoes
Extincao das Especies: uma ameaca ao direito das futuras geracoesnataschatrennepohl
 
PLANTAS ORNAMENTAIS APÍCOLAS NO SUL DO BRASIL
PLANTAS ORNAMENTAIS APÍCOLAS NO SUL DO BRASILPLANTAS ORNAMENTAIS APÍCOLAS NO SUL DO BRASIL
PLANTAS ORNAMENTAIS APÍCOLAS NO SUL DO BRASILLabel-ha
 
Diversidade de abelhas (hymenoptera apidae) em área de amta atlantica (piraí)
Diversidade de abelhas (hymenoptera  apidae) em área de amta atlantica (piraí)Diversidade de abelhas (hymenoptera  apidae) em área de amta atlantica (piraí)
Diversidade de abelhas (hymenoptera apidae) em área de amta atlantica (piraí)Label-ha
 
Metodologia em levantamentos de fauna
Metodologia em levantamentos de faunaMetodologia em levantamentos de fauna
Metodologia em levantamentos de faunaSilvio Xavier
 
Mamíferos de médio e grande porte no parque ecológico quedas do rio bonito
Mamíferos de médio e grande porte no parque ecológico quedas do rio bonitoMamíferos de médio e grande porte no parque ecológico quedas do rio bonito
Mamíferos de médio e grande porte no parque ecológico quedas do rio bonitoKassius Santos
 
Ecossistemologia - Slides usados em aula 04/04/2016
Ecossistemologia - Slides usados em aula 04/04/2016Ecossistemologia - Slides usados em aula 04/04/2016
Ecossistemologia - Slides usados em aula 04/04/2016Carlos Alberto Monteiro
 
Teste relações ecológicas
Teste relações ecológicasTeste relações ecológicas
Teste relações ecológicasCimá Ferreira
 
Fauna de abelhas associada a plantas de manguezal na região da Baía da Babito...
Fauna de abelhas associada a plantas de manguezal na região da Baía da Babito...Fauna de abelhas associada a plantas de manguezal na região da Baía da Babito...
Fauna de abelhas associada a plantas de manguezal na região da Baía da Babito...Label-ha
 
Coleção do Label
Coleção do LabelColeção do Label
Coleção do LabelLabel-ha
 
Diversidade de formigas epigeicas trabalho
Diversidade de formigas epigeicas trabalhoDiversidade de formigas epigeicas trabalho
Diversidade de formigas epigeicas trabalhoMaira F Silva F
 

Mais procurados (20)

Chave de identificação anfíbios anuros da vertente de jundiaí da serra do japi
Chave de identificação anfíbios anuros da vertente de jundiaí da serra do japiChave de identificação anfíbios anuros da vertente de jundiaí da serra do japi
Chave de identificação anfíbios anuros da vertente de jundiaí da serra do japi
 
Diversidade de abelhas em área de ecótono para manguezal em estação quente em...
Diversidade de abelhas em área de ecótono para manguezal em estação quente em...Diversidade de abelhas em área de ecótono para manguezal em estação quente em...
Diversidade de abelhas em área de ecótono para manguezal em estação quente em...
 
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...
Abelhas nativas (Hymenoptera: Apidae) em Floresta Ombrófila Densa Submontana ...
 
Lepidópteros do brasil (agenda de campo) geraldo salgado neto
Lepidópteros do brasil (agenda de campo) geraldo salgado netoLepidópteros do brasil (agenda de campo) geraldo salgado neto
Lepidópteros do brasil (agenda de campo) geraldo salgado neto
 
Extincao das Especies: uma ameaca ao direito das futuras geracoes
Extincao das Especies: uma ameaca ao direito das futuras geracoesExtincao das Especies: uma ameaca ao direito das futuras geracoes
Extincao das Especies: uma ameaca ao direito das futuras geracoes
 
PLANTAS ORNAMENTAIS APÍCOLAS NO SUL DO BRASIL
PLANTAS ORNAMENTAIS APÍCOLAS NO SUL DO BRASILPLANTAS ORNAMENTAIS APÍCOLAS NO SUL DO BRASIL
PLANTAS ORNAMENTAIS APÍCOLAS NO SUL DO BRASIL
 
Ave noturna
Ave noturnaAve noturna
Ave noturna
 
Artigo bioterra v21_n2_05
Artigo bioterra v21_n2_05Artigo bioterra v21_n2_05
Artigo bioterra v21_n2_05
 
Diversidade de abelhas (hymenoptera apidae) em área de amta atlantica (piraí)
Diversidade de abelhas (hymenoptera  apidae) em área de amta atlantica (piraí)Diversidade de abelhas (hymenoptera  apidae) em área de amta atlantica (piraí)
Diversidade de abelhas (hymenoptera apidae) em área de amta atlantica (piraí)
 
Conservacao-de-mamiferos-do-brasil
Conservacao-de-mamiferos-do-brasilConservacao-de-mamiferos-do-brasil
Conservacao-de-mamiferos-do-brasil
 
Metodologia em levantamentos de fauna
Metodologia em levantamentos de faunaMetodologia em levantamentos de fauna
Metodologia em levantamentos de fauna
 
Mamíferos de médio e grande porte no parque ecológico quedas do rio bonito
Mamíferos de médio e grande porte no parque ecológico quedas do rio bonitoMamíferos de médio e grande porte no parque ecológico quedas do rio bonito
Mamíferos de médio e grande porte no parque ecológico quedas do rio bonito
 
Ecossistemologia - Slides usados em aula 04/04/2016
Ecossistemologia - Slides usados em aula 04/04/2016Ecossistemologia - Slides usados em aula 04/04/2016
Ecossistemologia - Slides usados em aula 04/04/2016
 
Teste relações ecológicas
Teste relações ecológicasTeste relações ecológicas
Teste relações ecológicas
 
Artigo bioterra v15_n2_03
Artigo bioterra v15_n2_03Artigo bioterra v15_n2_03
Artigo bioterra v15_n2_03
 
Biogeografia
BiogeografiaBiogeografia
Biogeografia
 
Fauna de abelhas associada a plantas de manguezal na região da Baía da Babito...
Fauna de abelhas associada a plantas de manguezal na região da Baía da Babito...Fauna de abelhas associada a plantas de manguezal na região da Baía da Babito...
Fauna de abelhas associada a plantas de manguezal na região da Baía da Babito...
 
Fungos micorrízicos
Fungos micorrízicosFungos micorrízicos
Fungos micorrízicos
 
Coleção do Label
Coleção do LabelColeção do Label
Coleção do Label
 
Diversidade de formigas epigeicas trabalho
Diversidade de formigas epigeicas trabalhoDiversidade de formigas epigeicas trabalho
Diversidade de formigas epigeicas trabalho
 

Destaque

Cultura Inglesa - Boicote Google
Cultura Inglesa - Boicote GoogleCultura Inglesa - Boicote Google
Cultura Inglesa - Boicote GoogleGrupo Phocus
 
Guia pirates 2 012
Guia pirates 2 012Guia pirates 2 012
Guia pirates 2 012Pedrolo
 
Medallero%20 clubes%202012
 Medallero%20 clubes%202012 Medallero%20 clubes%202012
Medallero%20 clubes%202012emiliomerayo
 
2015 Comunicação para o congresso Paulo Malaquias
2015 Comunicação para o congresso Paulo Malaquias2015 Comunicação para o congresso Paulo Malaquias
2015 Comunicação para o congresso Paulo MalaquiasPaulo Malaquias
 
Frecuencias.riobamba
Frecuencias.riobambaFrecuencias.riobamba
Frecuencias.riobambaMariaRobalino
 
Artigoinova o sepesq 2010 alterado
Artigoinova  o sepesq 2010 alteradoArtigoinova  o sepesq 2010 alterado
Artigoinova o sepesq 2010 alteradoCamilla Alécio
 
Inscripcion a cursada derecho aplicado
Inscripcion a cursada derecho aplicadoInscripcion a cursada derecho aplicado
Inscripcion a cursada derecho aplicadoMundo E
 
Freddy laminas historia del arte
Freddy laminas historia del arteFreddy laminas historia del arte
Freddy laminas historia del arte19551816
 
Trabajar con diagramas
Trabajar con diagramasTrabajar con diagramas
Trabajar con diagramasLooye
 
Formats de vídeo, imatge i so
Formats de vídeo, imatge i soFormats de vídeo, imatge i so
Formats de vídeo, imatge i sotocoloki
 

Destaque (20)

Cultura Inglesa - Boicote Google
Cultura Inglesa - Boicote GoogleCultura Inglesa - Boicote Google
Cultura Inglesa - Boicote Google
 
Guia pirates 2 012
Guia pirates 2 012Guia pirates 2 012
Guia pirates 2 012
 
Medallero%20 clubes%202012
 Medallero%20 clubes%202012 Medallero%20 clubes%202012
Medallero%20 clubes%202012
 
2015 Comunicação para o congresso Paulo Malaquias
2015 Comunicação para o congresso Paulo Malaquias2015 Comunicação para o congresso Paulo Malaquias
2015 Comunicação para o congresso Paulo Malaquias
 
20150722154439125
2015072215443912520150722154439125
20150722154439125
 
Frecuencias.riobamba
Frecuencias.riobambaFrecuencias.riobamba
Frecuencias.riobamba
 
Aspectos gerais da geografia
Aspectos gerais da geografiaAspectos gerais da geografia
Aspectos gerais da geografia
 
RECURSOS DE REDES
RECURSOS DE REDESRECURSOS DE REDES
RECURSOS DE REDES
 
Artigoinova o sepesq 2010 alterado
Artigoinova  o sepesq 2010 alteradoArtigoinova  o sepesq 2010 alterado
Artigoinova o sepesq 2010 alterado
 
Inscripcion a cursada derecho aplicado
Inscripcion a cursada derecho aplicadoInscripcion a cursada derecho aplicado
Inscripcion a cursada derecho aplicado
 
COMPRENSION DE TEXTOS
COMPRENSION DE TEXTOS COMPRENSION DE TEXTOS
COMPRENSION DE TEXTOS
 
Ateoriadeerikson as8idadesdh
Ateoriadeerikson as8idadesdhAteoriadeerikson as8idadesdh
Ateoriadeerikson as8idadesdh
 
Dia del agua
Dia del aguaDia del agua
Dia del agua
 
Cuidados del agua
Cuidados del aguaCuidados del agua
Cuidados del agua
 
Freddy laminas historia del arte
Freddy laminas historia del arteFreddy laminas historia del arte
Freddy laminas historia del arte
 
Trabajar con diagramas
Trabajar con diagramasTrabajar con diagramas
Trabajar con diagramas
 
Ventas
VentasVentas
Ventas
 
Test
TestTest
Test
 
Formats de vídeo, imatge i so
Formats de vídeo, imatge i soFormats de vídeo, imatge i so
Formats de vídeo, imatge i so
 
June 2012
June 2012June 2012
June 2012
 

Semelhante a A malacofauna terrestre do distrito de Vai Volta

Método de Captura de Artrópodes.pptx
Método de Captura de Artrópodes.pptxMétodo de Captura de Artrópodes.pptx
Método de Captura de Artrópodes.pptxTatianeKlossoski
 
Iniciação Científica e Trabalhos Desenvolvidos no NEC PUCPR - Caramujo Gigant...
Iniciação Científica e Trabalhos Desenvolvidos no NEC PUCPR - Caramujo Gigant...Iniciação Científica e Trabalhos Desenvolvidos no NEC PUCPR - Caramujo Gigant...
Iniciação Científica e Trabalhos Desenvolvidos no NEC PUCPR - Caramujo Gigant...ConexaoCaramujo
 
Resistencia de plantas a ataques de insetos - Eucalipto
Resistencia de plantas a ataques de insetos - EucaliptoResistencia de plantas a ataques de insetos - Eucalipto
Resistencia de plantas a ataques de insetos - EucaliptoLucas de Jesus
 
A AVIFAUNA EM DUAS ÁREAS DE UMA ZONA RURAL COM REMANESCENTES DE MATA ATLÂNTIC...
A AVIFAUNA EM DUAS ÁREAS DE UMA ZONA RURAL COM REMANESCENTES DE MATA ATLÂNTIC...A AVIFAUNA EM DUAS ÁREAS DE UMA ZONA RURAL COM REMANESCENTES DE MATA ATLÂNTIC...
A AVIFAUNA EM DUAS ÁREAS DE UMA ZONA RURAL COM REMANESCENTES DE MATA ATLÂNTIC...Marcos Paulo Machado Thome
 
Apresentação da família de peixes Poeciliidae e algumas curiosidades. (02-10-13)
Apresentação da família de peixes Poeciliidae e algumas curiosidades. (02-10-13)Apresentação da família de peixes Poeciliidae e algumas curiosidades. (02-10-13)
Apresentação da família de peixes Poeciliidae e algumas curiosidades. (02-10-13)MichelBFP
 
Teixeira 2012 técnicas de captura de hymenoptera (insecta)
Teixeira 2012 técnicas de captura de hymenoptera (insecta)Teixeira 2012 técnicas de captura de hymenoptera (insecta)
Teixeira 2012 técnicas de captura de hymenoptera (insecta)Frederico Machado Teixeira
 
Itapua peixe elétrico_giora
Itapua peixe elétrico_gioraItapua peixe elétrico_giora
Itapua peixe elétrico_gioraavisaassociacao
 

Semelhante a A malacofauna terrestre do distrito de Vai Volta (20)

Trabalho de Campo - Horto Florestal
Trabalho de Campo - Horto FlorestalTrabalho de Campo - Horto Florestal
Trabalho de Campo - Horto Florestal
 
Trabalho a campo - Horto Florestal
Trabalho a campo -  Horto FlorestalTrabalho a campo -  Horto Florestal
Trabalho a campo - Horto Florestal
 
Itapua formigas artigo
Itapua formigas artigoItapua formigas artigo
Itapua formigas artigo
 
Projeto i. rachovii (met. cientifica)
Projeto i. rachovii (met. cientifica)Projeto i. rachovii (met. cientifica)
Projeto i. rachovii (met. cientifica)
 
Artigo bioterra v1_n1_2019_04
Artigo bioterra v1_n1_2019_04Artigo bioterra v1_n1_2019_04
Artigo bioterra v1_n1_2019_04
 
Artigo bioterra v21_n1_04
Artigo bioterra v21_n1_04Artigo bioterra v21_n1_04
Artigo bioterra v21_n1_04
 
303 2299-1-pb
303 2299-1-pb303 2299-1-pb
303 2299-1-pb
 
R0746 1
R0746 1R0746 1
R0746 1
 
Método de Captura de Artrópodes.pptx
Método de Captura de Artrópodes.pptxMétodo de Captura de Artrópodes.pptx
Método de Captura de Artrópodes.pptx
 
Os RFG no planejamento agrícola.pptx
Os RFG no planejamento agrícola.pptxOs RFG no planejamento agrícola.pptx
Os RFG no planejamento agrícola.pptx
 
Iniciação Científica e Trabalhos Desenvolvidos no NEC PUCPR - Caramujo Gigant...
Iniciação Científica e Trabalhos Desenvolvidos no NEC PUCPR - Caramujo Gigant...Iniciação Científica e Trabalhos Desenvolvidos no NEC PUCPR - Caramujo Gigant...
Iniciação Científica e Trabalhos Desenvolvidos no NEC PUCPR - Caramujo Gigant...
 
Estudo levantamento-fauna-respectivos-metodos
Estudo levantamento-fauna-respectivos-metodosEstudo levantamento-fauna-respectivos-metodos
Estudo levantamento-fauna-respectivos-metodos
 
Resistencia de plantas a ataques de insetos - Eucalipto
Resistencia de plantas a ataques de insetos - EucaliptoResistencia de plantas a ataques de insetos - Eucalipto
Resistencia de plantas a ataques de insetos - Eucalipto
 
A AVIFAUNA EM DUAS ÁREAS DE UMA ZONA RURAL COM REMANESCENTES DE MATA ATLÂNTIC...
A AVIFAUNA EM DUAS ÁREAS DE UMA ZONA RURAL COM REMANESCENTES DE MATA ATLÂNTIC...A AVIFAUNA EM DUAS ÁREAS DE UMA ZONA RURAL COM REMANESCENTES DE MATA ATLÂNTIC...
A AVIFAUNA EM DUAS ÁREAS DE UMA ZONA RURAL COM REMANESCENTES DE MATA ATLÂNTIC...
 
Artigo bioterra v18_n1_07
Artigo bioterra v18_n1_07Artigo bioterra v18_n1_07
Artigo bioterra v18_n1_07
 
RFG solo, nascentes.pptx
RFG solo, nascentes.pptxRFG solo, nascentes.pptx
RFG solo, nascentes.pptx
 
Acão degradadores de madeira
Acão  degradadores de madeiraAcão  degradadores de madeira
Acão degradadores de madeira
 
Apresentação da família de peixes Poeciliidae e algumas curiosidades. (02-10-13)
Apresentação da família de peixes Poeciliidae e algumas curiosidades. (02-10-13)Apresentação da família de peixes Poeciliidae e algumas curiosidades. (02-10-13)
Apresentação da família de peixes Poeciliidae e algumas curiosidades. (02-10-13)
 
Teixeira 2012 técnicas de captura de hymenoptera (insecta)
Teixeira 2012 técnicas de captura de hymenoptera (insecta)Teixeira 2012 técnicas de captura de hymenoptera (insecta)
Teixeira 2012 técnicas de captura de hymenoptera (insecta)
 
Itapua peixe elétrico_giora
Itapua peixe elétrico_gioraItapua peixe elétrico_giora
Itapua peixe elétrico_giora
 

A malacofauna terrestre do distrito de Vai Volta

  • 1. A malacofauna terrestre do distrito de Vai-Volta, Tarumirim, Minas Gerais Amanda Oliveira Santos¹ & Flávia Oliveira Junqueira¹ ¹ Centro Universitário do Leste de Minas Gerais, Campus Ipatinga: Rua Bárbara Heliodora, 725, Bom Retiro, CEP:35160-215 - (31) 3846-5565; e-mail: amandaaoliver37@yahoo.com RESUMO Os moluscos terrestres constituem um dos grupos mais diversificados e pouco explorado, são consideradas pragas de interesse médico e veterinário. O conhecimento da malacofauna terrestre em Minas Gerais limita-se as informações fornecidas por poucos trabalhos.O objetivo do trabalho dar continuidade ao levantamento florístico e faunístico de remanescentes florestais em áreas do Bioma Mata ao conhecer os moluscos terrestres presentes no distrito de Vai-Volta, Tarumirim, MG. Para isso, foram realizadas coletas mensais de moluscos terrestres,no período de junho de 2013 a fevereiro de 2014. Foram encontrados 1.196 exemplares de moluscos, sendo 698 espécimes e 498 conchas, pertencentes á seis famílias e oito espécies. B.tenuissimus foi a espécie constante devido ao clima da região. Palavra chave: B.tenuissimus, moluscos, malacofauna INTRODUÇÃO O grupo Mollusca compreende um filo animal altamente diverso com mais de 100.000 espécies reconhecidas, a maioria das quais apresenta uma concha como um esqueleto externo distinto (Simone, 1999; Baker, 2001). Os moluscos terrestres constituem um dos grupos animais de maior sucesso e diversidade e ecossistema terrestre. Apesar da alta diversidade ecológica, os moluscos terrestres têm sido pouco estudados e constituem o grupo de animais que apresentam o maior número de espécies ameaçadas de extinção do mundo. (Barnes & Harrison 1994, Barker 2011). É de consenso que a pouca habilidade de dispersão dos caracóis terrestres, associada a sua dependência de microclima estável, faz de muitas espécies bons indicadores da qualidade dos ambientes (Strom, 2004).
  • 2. Os moluscos são considerados produtos de exploração econômica em diversas atividades ligadas a pesca, cultivo, extrativismo,matéria-prima para industria, produção de perolas, artesanato e colecionismo. (Colley et al., 2012 ). É uma das classes pulmonatas que mais foram bem adaptados ao ambiente terrestres, pois possuem mecanismos para evitar a perda de água (BAKER, 2001). São consideradas pragas de cultivos vegetais e participam como hospedeiros intermediários de helmintos parasitos de interesse médico e veterinário (SOLEM, 1984; RAMBO et al., 1997; BARKER, 2001; BESSE et al., 2001). O estudo da malacofauna terrestre na região do Vale do Aço foi iniciado com o levantamento dos moluscos em Coronel Fabriciano e Ipatinga e na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Fazenda Macedônia, Ipaba. Entretanto, trabalhos em andamento estão levantamento de moluscos terrestres de outras localidades da região do Leste de Minas Gerais. Assim, pretende-se com este plano de trabalho dar continuidade ao levantamento florístico e faunístico de remanescentes florestais em áreas do Bioma Mata ao conhecer os moluscos terrestres presentes no distrito de Vai-Volta, Tarumirim, MG. MATERIAL E MÉTODOS O estudo foi realizado no distrito de Vai-Volta pertencente ao município de Tarumirim, leste de Minas Gerais. O bioma predominante é de Mata Atlântica segundo o IBGE (2014). As coletas foram realizadas entre os meses de junho de 2013 a fevereiro de 2014 no período de manhã e a noite. As coletas de busca ativa foram realizadas duas vezes ao mês perfazendo um total de 12 coletas. Os espécimes vivos e as conchas de moluscos terrestres foram coletados manualmente por um coletor durante duas horas com auxílio de luvas na vegetação, terrenos e muros das casas, praças, hortas, jardins, fendas de rochas e troncos de árvores.
  • 3. Dados sobre o ambiente, como: temperatura (°C) e umidade relativa do ar (%) foram aferidas durante amostragem utilizando um termohigrômetro digital posicionado junto ao solo nos locais de coleta. As amostras coletadas foram transportadas para o Laboratório de Ecologia do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais - UnilesteMG em recipientes plásticos com vegetais retirados do local e mantidos em isopor. Os espécimes vivos foram distendidos em água (6ºC a 8ºC) por 24 a 48 horas e fixados em álcool 70ºGL para a correta determinação específica através do estudo da morfologia concha e dos sistemas e estruturas dos animais. As identificações taxonômicas serão realizadas com base na bibliografia especializada O índice de constância das espécies encontradas foi verificado, através da seguinte fórmula: C = P/N x 100, em que C = índice de constância; P = número de coletas em que a espécie foi capturada; e N = número total de coletas. A partir deste índice, as espécies foram distribuídas em categorias: constante - presente em mais de 50% das coletas; acessória - presente em 25 a 50% das coletas; e acidental - presente em menos de 25% das coletas (Bodenheimer, 1955 apud Silveira Neto et al., 1976). A curva de acúmulo de espécies (Curva de Coleman) foi realizada para relacionar se o número de coletas foi suficiente para o conhecimento das espécies de moluscos terrestres. RESULTADOS E DISCUSSÃO Durante a realização do trabalho foram encontrados 1.196 exemplares de moluscos, sendo 698 espécimes e 498 conchas, pertencentes á seis famílias e oito espécies (Tabela 1). Tabela 1: Famílias e espécies de gastrópodes terrestres com o número de indivíduos e/ou conchas coletados no distrito de Vai-Volta, Tarumirim, MG, entre junho de 2013 a fevereiro de 2014. Famílias Espécies Individuos conchas Bulimulidae Bulimulus tenuissimus (Férussac, 1832) 130 285
  • 4. Bradybaenidae Bradybaena similaris (Férussac, 1821) 7 191 Veronicellidae Sarasinula linguaeformis (Semper, 1885) 6 Subulinidae Leptinaria unilamellata (d´Orbigny, 1835) 4 27 Subulina octona (Bruguière, 1792) 540 71 Lamellaxis gracilis (Hutton,1834) 3 Allopeas micra (d´Orbigny, 1835) 1 6 Systrophiidae Happia sp. 1 As espécies de moluscos mais constantes foi Bulimulus tenuissimus (Férussac, 1832) e Subulina octona (Bruguière, 1792), Bradybena similaris (Férussac, 1821) e Leptinaria unilamellata (d´Orbigny, 1835) foram acessórias e Sarasinula linguaeformis (Semper, 1885), Lamellaxis graxilis (Hutton,1834), Allopeas micra (d´Orbigny, 1835) , Happia sp. foram acidentais. Havia sido registrado anteriormente B. beckianum como espécie abundante em Ipatinga por Andrade et al. (2013), porém neste trabalho Bulimulus tenuissimus, foi a espécie mais abundante. A espécie B. tenissimulus tem hábito alimentar generalista que garante seu sucesso populacional. Outra particularidade é o fato de se reproduzirem melhor em climas quentes, onde a taxa de crescimento e fecundação é maior (Meireles et al., 2008). O clima quente quase constante no distrito de Vai-Volta pode ser o fator que determina a densidade populacional de B. tenuissimus. (Clima e tempo 2014) O S. octona, é uma espécie exótica, e se adapta bem a climas quentes e úmidos, como a maioria dos gastrópodes, tem hábito alimentar herbívoro, e é bem resistente a intempéries (Conquiologistas do Brasil, 2013). O distrito de Vai-Volta o clima predominante e quente e isto dificultando na coleta, pois os caramujos são encontrados em lugares frescos e sombreados.Em períodos de chuva os caramujos era encontrado com maior ocorrência. A espécie mais abundante em Coronel Fabriciano foi Bradybaena similaris (FERUSSAC, 1821). Em comparação esta espécie estava presente em mais de 50% das
  • 5. coletas no distrito de Vai Volta, pois era mais facilmente coletada pois estava presente a nível do solo. (ARAÚJO 1989) Espécies exóticas como S. octona e B. similaris tem alta resistência se forem introduzidas em locais onde não é o habitat natural da espécie podendo causar diversos impactos (SIMONE, 2006; Conquiologistas do Brasil, 2013) As espécies S. linguaeformis, Tamayoa decolorata (DROUËT, 1859), Habroconus semenlini (MORICAND, 1846), B. tenuissimus, B. beckianum e L. unilamellata foram encontradas em trabalhos de levantamento de moluscos terrestres na região do Vale do Aço, na área urbana nos municípios de Ipatinga e Coronel Fabriciano, MG (ANDRADE et al., 2013, BIANCHINI et al., 2013) , porém no distrito de Vai-Volta apenas S. linguaeformis foi encontrada. Bulimulus tenuissimu (Férussac, 1832) é a única espécie em sua família com importância parasitológica, sendo um hospedeiro intermediário para helmintos parasitas que infestam animais domésticos (THIENGO & AMATO, 1995). Ele foi encontrado na maioria das vezes na horta principalmente na base das hortaliças, pois se alimentam de plantas, o crescimento é indeterminado e a fecundidade aumenta com o aumento do tamanho do corpo. (THIENGO & AMATO, 1995). Subulina octona (Bruguière, 1792) possui o comportamento agregado estratégia para a conservação da água corporal. Favorecendo encontro do parceiro para o acasalamento. ( DAVILA et al.,) Bradybena similari (Férussac, 1821) é uma de interesse econômico, pois é considerada praga agrícola e também atua como hospedeiro intermediário de helmintos, como Eurytema colematicum (MATTOS, AMOTO &VIANNA, 1987) . Esta espécie tem origem na china porém foi introduzida em outras partes do mundo pelo comercio de plantas. (OLIVEIRA, RESENDE, & CASTRO, 1981; OLIVEIRA, SÁ & BESSA, 1992). Leptinaria unilamellata (D’Orbigny, 1835) esta presente em quase todos os estados do Brasil pode atuar como parasita intermediário principamente em aves. A única forma de controle das parasitoses e a redução da população dos hospedeiros intermediários (ALMEIDA et al ., ) Sarasinula linguaeformis (Semper, 1885) podem atingira até dez centímetros de comprimento por dois centímetros de largura e possuem o hábito de alimentar-se
  • 6. durante a noite e nas horas de temperatura mais amena. Estes moluscos, nas fazes jovens e adultas, consomem plântula, brotos, folhas, talos e até raízes das plantas. Além disso, os vegetais infestados geralmente apresenta rastros de muco e presença de fezes, que depreciam os produtos os na comercialização. Durante os meses mais frios do inverno, costumam proteger-se no solo. (CHIARADIA et. al.,) Happia sp. são terrestres e endêmicos da América do Sul e em termos gerais apresentam concha achatada, variando em tamanho desde microscópicos até mais de 20mm. Dentre os representantes de Systrophiidae as espécies do gênero Happia destacam-se por possuir o maior tamanho corporal quando comparado as demais espécies da família (Centro de pesquisa e Conservação da Natureza- CPCN) De acordo com a Curva de Coleman (Figura 1), o número de espécies coletadas não estabilizou, teve um período de estabilização entre a 5ª (mês de setembro) a 10 ª (mês de novembro), período que corresponde a seca. No mês de dezembro (10ª coleta) á fevereiro (12 ª coleta) iniciou as chuvas, o que provocou novos registros de espécies. Portanto se continuarmos as coletas ocorrerá mais possibilidade de encontrar novos registros, isto irá depender do clima e do local de coleta. Figura 1: Curva de Coleman das espécies coletadas de gastrópodes coletadas no distrito de Vai-Volta, Tarumirim, MG ente junho de 2013 e fevereiro 2014. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Curva de Coleman Número de coletas
  • 7. CONCLUSÃO O Presente trabalho foi de grande importância para o conhecimento da malacofauna no distrito de Vai-Volta, pois quanto o maior o número de coleta maior a possibilidade de encontrar registros diferentes de moluscos. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALMEIDA, M. N. & MOTA. G. G. Ecologia, reprodução e crescimento da concha de Leptinaria unilamellata (D’Orbigny) (Pulmonata, Subulinidae) em condições naturais REVISTA bras. Ci. Vet ., v. 18, n. 1, p. 23-28, jan./abr. 2011 CHIARADIA, L. A. & MILANEZ, J. M. REVISTA Cultivar Grandes Culturas. 1993 COLLEY, E.; SIMONE, L. R. L. & J. L. SILVA. Uma viagem pela historia da Malacologia. REVISTA Estudo da Biologia, Ambiente Diversos. 2012 D’AVILA, S.; DIAS, R . J. P & E. C. A. BESSA. Comportamento agregativo em Subulina octona Brugüière) (Mollusca, Subulinidae) REVISTA Brasileira de zoologia. 2006 HEYDRICH, I. Molusco Terrestres REVISTA Ministerio do Meio Ambieste JUNQUEIRA, F. O. ; D’ AVILA, S.; BESSA. E. C. A. & F. PREZOTO. Ritmo de Atividade de Bradybaena similaris (Férussac, 1821)(Mollusca, Xanthonychidae) de Acordo com a Idade REVISTA de Etologia 2003, Vol.5, N°1, 41-46 Ritmo de atividade SIMONE, L.R.L. 2006. Land and freshwater Molluscus of Brazil. EGB, Fapesp. São Paulo, 390p.