Arte Conceitual

14.814 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.814
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
452
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
272
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arte Conceitual

  1. 1. Arte conceitual
  2. 2. A arte conceitual é aquela que considera a ideia , o conceito por trás de uma obra artística como sendo superior ao próprio resultado final, sendo que este pode até ser dispensável.
  3. 3. A partir de 1960, essa forma de encarar a arte espalha-se pelo mundo inteiro, abarcando várias manifestações artísticas. Foi em meados de 1960 que esta nova forma de observar a arte surgiu criada por Joseph Kossuth. Contudo uma obra do francês Marcel Duchamp já prenunciava seu início em 1910 e 1920 ao desafiar as categorizações, artista influenciado pelo cubismo. O movimento estendeu-se de 1967 a 1978, aproximadamente e priorizou bastante o luxo, considerando este como algo tradicional. surgida na Europa e nos Estados Unidos no fim da década de 1960 e meados dos anos 1970,
  4. 4. Arte_Conceitual.jpg "Fonte", apresentada por Duchamp em 1917
  5. 5. MARCEL DUCHAMP Pintor francês (Blainville, 1887 – Neuilly-sur-Seine, 1968). Inicialmente influenciado pelo cubismo, teve depois participação importante no movimento dadá e no surrealismo. Tendo-se fixado nos E.U.A., dedicou-se à "antiarte“ e em 1914 criava o primeiro ready-made . Suas pesquisa s viriam a exercer influência na "pop-art". É um dos precursores da arte conceitual e introduziu a ideia de ready made como objeto de arte. 407px-Marcel_Duchamp_01.jpg
  6. 6. Sua principal característica é desafiar as pessoas a interpretar uma ideia, um conceito, uma crítica ou uma denúncia. O objetivo é instigar observador a refletir sobre o ambiente, a violência, o consumo e a sociedade.
  7. 7. Países como a Inglaterra foram grandes focos desse novo modelo. Publicações, como "Art and Language", do grupo liderado por Victor Burgin e John Stezaker, eram bastante influentes. O uso de diferentes meios para transmitir significados era comum na arte conceitual. As fotografias e os textos escritos eram o expediente mais comum, seguida por fitas K-7, vídeos, diagramas, etc.
  8. 8. Os artistas não se incomodavam em evitar as trivialidades, em criar elementos que tornassem interessantes suas composições ou realizar composições agradáveis ao olhar. Pelo contrário, era preferível que nada desviasse a atenção da idéia que um trabalho deveria expressar. Entretanto, grande parte dos artistas conceituais tinham por objetivo, com esse tipo de procedimento, realizar exatamente o contrário: popularizar a arte, fazer com que ela servisse como veículo de comunicação.
  9. 9. Joseph Kosuth é considerado um dos líderes do movimento nos Estados Unidos. É bastante conhecido seu trabalho “ One and Three Chairs ”, que apresenta uma cadeira propriamente dita, uma fotografia de uma cadeira e uma definição extraída do dicionário sobre o que seja uma cadeira. untitled.bmp
  10. 10. Na verdade, servindo-se de textos abstratos, normalmente aproveitando-se da lingüística ou da filosofia, acabam por possivelmente aumentar o hiato entre o artista e o grande público.
  11. 11. Na Moda Temos alguns exemplos de estilistas que vão contra as tendências e priorizam o conceito, a idéia. E assim sempre surpreendem, usam a roupa como suporte para reflexão, reutilizam de outros elementos, e por ai vai. Um desses exemplos é Martin Margiela que utiliza de elementos que utiliza de elementos improváveis afim de passar seu conceito. Em seus desfiles é comum ver casacos de cabelo, ombros bem marcados, óculos futuristas, dentre outros elementos.
  12. 12. maison-martin-margiela-show-62308-1.jpg
  13. 13. Alunos: Alessandra Nº: 39 Julia Ster Nº: 19 Maria Luiza Nº: 27 Rafael Morais Nº:

×