SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
Centro de Ensino Urbano Rocha 
Imperatriz, _____ de outubro de 2014. 
Aluno (a): __________________________________________________________ nº ________ 
Professora: Mary Alvarenga Série: 2º ano “A” Turno: matutino 
Verificação de Arte 
A Arte Barroca no Brasil O estilo barroco chegou ao Brasil pelas mãos dos colonizadores, sobretudo portugueses. Seu desenvolvimento pleno se deu no século XVIII, cem anos após o surgimento do Barroco na Europa, estendendo-se até as duas primeiras décadas do século XIX. As primeiras manifestações do espírito barroco foram presenciadas não só em fachadas e frontões, mas também, principalmente, na decoração de algumas igrejas no final do século XVII. A talha barroca dourada em ouro, de estilo português, espalhou-se pelas regiões do Rio de Janeiro, Bahia e Pernambuco. O foco então se voltou para a região de Minas Gerais, desenvolvida à custa da descoberta de minas de ouro (1695) e diamante (1730). Não por acaso, dois dos maiores artistas barrocos brasileiros trabalharam exatamente neste período: Mestre Valentim (1745-1813), no Rio de Janeiro e o Aleijadinho, em Ouro Preto e adjacências. E foi na suavidade do estilo rococó mineiro (a partir de 1760) que se encontrou a expressão mais original do Barroco Brasileiro. No Brasil, a arquitetura religiosa foi o maior expoente da arte barroca. As igrejas eram maravilhosamente decoradas com entalhes em madeira cobertos de ouro, teto pintado com cenas bíblicas, esculturas de santos, altares com anjos, colunas, flores e muitos outros elementos decorativos. Caravaggio 
Michelangelo Merisi é um pintor italiano que nasceu em 1571, em Milão. Ele ficou conhecido como Caravaggio, devido ao nome da cidade que viveu com a família. O pintor foi um grande representante da pintura barroca e definiu a técnica do "claro-escuro", na contramão do renascimento. 
A obra de Caravaggio teve um impacto tão forte nos jovens artistas da época que seus traços passaram a ser imitados. Sua pintura retrata os personagens bíblicos com as feições das pessoas comuns que ele observava nas ruas de Roma. Ele utilizava modelos comuns como prostitutas, mendigos e crianças de rua para retratar passagens Bíblicas. 
Mas o artista não teve um fim muito feliz. Em vida, foi tido como louco e à sua obra não foi dada a devida importância. Caravaggio enfrentou momentos de miséria, produzindo seus quadros em série e os vendendo na rua. O pintor morreu em 1610, tendo uma vida curta, sem chegar aos 40 anos de idade. Somente após três séculos, em 1920, seu legado foi reconhecido. Você entendeu o texto? 1. Em qual período se deu a arte Barroca no Brasil? _______________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ 2. Como a arte barroca chegou ao Brasil? _______________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ 3. Por que Minas Gerais se tornou o centro da arte barroca brasileira? _______________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________
4. Descreva como eram decoradas as igrejas no período barroco brasileiro. _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ 5. Quem era Michelangelo Merisi? 
_______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ 6. Porque ele ficou conhecido como Caravaggio? 
_______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ 7. Que tipo de modelo ele usava nas pinturas? 
_______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ 8. Como foi o fim da vida do pintor? 
_______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ 
9. O Barroco brasileiro apresenta profundas diferenças regionais, isso se deve: 
I. A riqueza e o consequente desenvolvimento econômico de cada região 
II. A influencia artística recebida por cada região 
III. Por ser uma região pobre e pouco desenvolvida, São Paulo produziu obras mais modestas. 
IV. Nas regiões mineradoras e açucareiras, encontramos igrejas com talhas douradas e esculturas refinadas, feitas por artistas de renome. 
a) Todas estão corretas 
b) Somente a II é correta 
c) Somente a I, III e IV estão corretas. 
d) Somente a IV é correta 
10. Torna-se claro que quem descobriu a África no Brasil, muito antes dos europeus, foram os próprios africanos trazidos como escravos. E esta descoberta não se restringia apenas ao reino linguístico, estendia-se também a outras áreas culturais, inclusive à da religião. Há razões para pensar que os africanos, quando misturados e transportados ao Brasil, não demoraram em perceber a existência entre si de elos culturais mais profundos. 
SLENES, R. Malungu, ngoma vem! África coberta e descoberta do Brasil. Revista USP, n. 12, dez./jan./fev. 1991-92 (adaptado). 
 Com base no texto, ao favorecer o contato de indivíduos de diferentes partes da África, a experiência da escravidão no Brasil tornou possível a: 
a) formação de uma identidade cultural afro-brasileira. 
b) superação de aspectos culturais africanos por antigas tradições europeias. 
c) reprodução de conflitos entre grupos étnicos africanos. 
d) manutenção das características culturais específicas de cada etnia. 
Boa Sorte!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

7º ano avaliação de arte 1º bimestre
7º ano avaliação de arte 1º bimestre7º ano avaliação de arte 1º bimestre
7º ano avaliação de arte 1º bimestreFabiola Oliveira
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesGeo Honório
 
Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdf
Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdfApostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdf
Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdfWeslleyDias8
 
Atividades de Artes 6° ao 9° Ano
Atividades de Artes 6° ao 9° AnoAtividades de Artes 6° ao 9° Ano
Atividades de Artes 6° ao 9° AnoLeoneide Carvalho
 
ATIVIDADE DE ARTE - IMPRESSIONISMO - 19AI - BI.pdf
ATIVIDADE DE ARTE - IMPRESSIONISMO - 19AI - BI.pdfATIVIDADE DE ARTE - IMPRESSIONISMO - 19AI - BI.pdf
ATIVIDADE DE ARTE - IMPRESSIONISMO - 19AI - BI.pdfFranciscoGaleno3
 
Sequencia didatica caricatura arte 9º ano
Sequencia didatica caricatura   arte 9º anoSequencia didatica caricatura   arte 9º ano
Sequencia didatica caricatura arte 9º anoFabiola Oliveira
 
Avaliação diagnóstica de arte setimo ano
Avaliação diagnóstica de arte  setimo anoAvaliação diagnóstica de arte  setimo ano
Avaliação diagnóstica de arte setimo anoAndreza Andrade
 
Avaliação 7º ano
Avaliação 7º anoAvaliação 7º ano
Avaliação 7º anoEberty Cruz
 
Prova Artes 6° ano
Prova Artes 6° anoProva Artes 6° ano
Prova Artes 6° anoGeo Honório
 
P rovas 6°ao 9º Ano- Artes Professora Leoneide Carvalho
P rovas 6°ao 9º Ano- Artes  Professora Leoneide CarvalhoP rovas 6°ao 9º Ano- Artes  Professora Leoneide Carvalho
P rovas 6°ao 9º Ano- Artes Professora Leoneide CarvalhoLeoneide Carvalho
 
Arte grega texto para atividade
Arte grega texto para atividadeArte grega texto para atividade
Arte grega texto para atividadeCasiris Crescencio
 
Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )graduartes
 
6º ano diferenciação figurativo e abstrato
6º ano diferenciação figurativo e abstrato6º ano diferenciação figurativo e abstrato
6º ano diferenciação figurativo e abstratoFabiola Oliveira
 
Caça palavras sobre teatro atividade
Caça palavras sobre teatro atividadeCaça palavras sobre teatro atividade
Caça palavras sobre teatro atividadejosenmd
 

Mais procurados (20)

Questões Arte
Questões ArteQuestões Arte
Questões Arte
 
7º ano avaliação de arte 1º bimestre
7º ano avaliação de arte 1º bimestre7º ano avaliação de arte 1º bimestre
7º ano avaliação de arte 1º bimestre
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e Atividades
 
Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdf
Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdfApostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdf
Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdf
 
Atividades de Artes 6° ao 9° Ano
Atividades de Artes 6° ao 9° AnoAtividades de Artes 6° ao 9° Ano
Atividades de Artes 6° ao 9° Ano
 
Prova de arte 4b 9 ano1
Prova de arte 4b 9 ano1Prova de arte 4b 9 ano1
Prova de arte 4b 9 ano1
 
Prova 6º Ano
Prova 6º AnoProva 6º Ano
Prova 6º Ano
 
ATIVIDADE DE ARTE - IMPRESSIONISMO - 19AI - BI.pdf
ATIVIDADE DE ARTE - IMPRESSIONISMO - 19AI - BI.pdfATIVIDADE DE ARTE - IMPRESSIONISMO - 19AI - BI.pdf
ATIVIDADE DE ARTE - IMPRESSIONISMO - 19AI - BI.pdf
 
Sequencia didatica caricatura arte 9º ano
Sequencia didatica caricatura   arte 9º anoSequencia didatica caricatura   arte 9º ano
Sequencia didatica caricatura arte 9º ano
 
Avaliação diagnóstica de arte setimo ano
Avaliação diagnóstica de arte  setimo anoAvaliação diagnóstica de arte  setimo ano
Avaliação diagnóstica de arte setimo ano
 
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º  E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º  E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - O PONTO,PONTILHISMO E A SEMANA DA AR...
 
PROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENAPROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENA
 
Avaliação de Artes
Avaliação de ArtesAvaliação de Artes
Avaliação de Artes
 
Avaliação 7º ano
Avaliação 7º anoAvaliação 7º ano
Avaliação 7º ano
 
Prova Artes 6° ano
Prova Artes 6° anoProva Artes 6° ano
Prova Artes 6° ano
 
P rovas 6°ao 9º Ano- Artes Professora Leoneide Carvalho
P rovas 6°ao 9º Ano- Artes  Professora Leoneide CarvalhoP rovas 6°ao 9º Ano- Artes  Professora Leoneide Carvalho
P rovas 6°ao 9º Ano- Artes Professora Leoneide Carvalho
 
Arte grega texto para atividade
Arte grega texto para atividadeArte grega texto para atividade
Arte grega texto para atividade
 
Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )
 
6º ano diferenciação figurativo e abstrato
6º ano diferenciação figurativo e abstrato6º ano diferenciação figurativo e abstrato
6º ano diferenciação figurativo e abstrato
 
Caça palavras sobre teatro atividade
Caça palavras sobre teatro atividadeCaça palavras sobre teatro atividade
Caça palavras sobre teatro atividade
 

Destaque

Texto excelente para refletir
Texto excelente para refletirTexto excelente para refletir
Texto excelente para refletirMary Alvarenga
 
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino MédioAvaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino MédioMarcia Oliveira
 
Prova Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médioProva Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médioGeo Honório
 
Atividades filosofia mito, senso comum e pensamento filosófico e científico
Atividades filosofia mito, senso comum e pensamento filosófico e científicoAtividades filosofia mito, senso comum e pensamento filosófico e científico
Atividades filosofia mito, senso comum e pensamento filosófico e científicoDoug Caesar
 
O barroco no brasil
O barroco no brasilO barroco no brasil
O barroco no brasilHicarodg
 
Psicose e transtornos infantis
Psicose e transtornos infantisPsicose e transtornos infantis
Psicose e transtornos infantisOrlando Souza
 
Anorexia E Bulimia 3o Ano
Anorexia E  Bulimia 3o AnoAnorexia E  Bulimia 3o Ano
Anorexia E Bulimia 3o AnoFernanda Melo
 
Transtornos Alimentares e seus Aspectos Sociológicos
Transtornos Alimentares e seus Aspectos SociológicosTranstornos Alimentares e seus Aspectos Sociológicos
Transtornos Alimentares e seus Aspectos SociológicosLuis Dantas
 
Transtornos alimentares
Transtornos alimentaresTranstornos alimentares
Transtornos alimentarespollyana lopes
 
Teorias da Comunicação - Walter Benjamin
Teorias da Comunicação - Walter BenjaminTeorias da Comunicação - Walter Benjamin
Teorias da Comunicação - Walter Benjaminsabota
 
Disturbios Alimentares Trabalho De A.P
Disturbios Alimentares Trabalho De A.PDisturbios Alimentares Trabalho De A.P
Disturbios Alimentares Trabalho De A.P8Aap
 
Trabalho de met. artes [trabalhando a arte em sala de aula]
Trabalho de met. artes [trabalhando a arte em sala de aula]Trabalho de met. artes [trabalhando a arte em sala de aula]
Trabalho de met. artes [trabalhando a arte em sala de aula]Charlies Ponciano
 
Caricatura: Você no Desenho
Caricatura: Você no DesenhoCaricatura: Você no Desenho
Caricatura: Você no DesenhoRodTramonte
 
Distúrbios alimentares
Distúrbios alimentaresDistúrbios alimentares
Distúrbios alimentaresblog9e
 
6o. ano - 1)-arte paleolítica ou arte rupestre na europa
6o. ano - 1)-arte paleolítica ou arte rupestre na europa6o. ano - 1)-arte paleolítica ou arte rupestre na europa
6o. ano - 1)-arte paleolítica ou arte rupestre na europaArtesElisa
 
Barroco aula de literatura
Barroco   aula de literaturaBarroco   aula de literatura
Barroco aula de literaturaCrisBiagio
 

Destaque (20)

Ética e Moral
Ética e Moral   Ética e Moral
Ética e Moral
 
A lenda da filosofia
A lenda da filosofia   A lenda da filosofia
A lenda da filosofia
 
Texto excelente para refletir
Texto excelente para refletirTexto excelente para refletir
Texto excelente para refletir
 
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino MédioAvaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
 
Prova Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médioProva Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médio
 
Atividades filosofia mito, senso comum e pensamento filosófico e científico
Atividades filosofia mito, senso comum e pensamento filosófico e científicoAtividades filosofia mito, senso comum e pensamento filosófico e científico
Atividades filosofia mito, senso comum e pensamento filosófico e científico
 
O barroco no brasil
O barroco no brasilO barroco no brasil
O barroco no brasil
 
Psicose e transtornos infantis
Psicose e transtornos infantisPsicose e transtornos infantis
Psicose e transtornos infantis
 
Barroco no Brasil
Barroco no BrasilBarroco no Brasil
Barroco no Brasil
 
Anorexia E Bulimia 3o Ano
Anorexia E  Bulimia 3o AnoAnorexia E  Bulimia 3o Ano
Anorexia E Bulimia 3o Ano
 
Transtornos Alimentares e seus Aspectos Sociológicos
Transtornos Alimentares e seus Aspectos SociológicosTranstornos Alimentares e seus Aspectos Sociológicos
Transtornos Alimentares e seus Aspectos Sociológicos
 
Transtornos alimentares-bulimia e anorexia
Transtornos alimentares-bulimia e anorexiaTranstornos alimentares-bulimia e anorexia
Transtornos alimentares-bulimia e anorexia
 
Transtornos alimentares
Transtornos alimentaresTranstornos alimentares
Transtornos alimentares
 
Teorias da Comunicação - Walter Benjamin
Teorias da Comunicação - Walter BenjaminTeorias da Comunicação - Walter Benjamin
Teorias da Comunicação - Walter Benjamin
 
Disturbios Alimentares Trabalho De A.P
Disturbios Alimentares Trabalho De A.PDisturbios Alimentares Trabalho De A.P
Disturbios Alimentares Trabalho De A.P
 
Trabalho de met. artes [trabalhando a arte em sala de aula]
Trabalho de met. artes [trabalhando a arte em sala de aula]Trabalho de met. artes [trabalhando a arte em sala de aula]
Trabalho de met. artes [trabalhando a arte em sala de aula]
 
Caricatura: Você no Desenho
Caricatura: Você no DesenhoCaricatura: Você no Desenho
Caricatura: Você no Desenho
 
Distúrbios alimentares
Distúrbios alimentaresDistúrbios alimentares
Distúrbios alimentares
 
6o. ano - 1)-arte paleolítica ou arte rupestre na europa
6o. ano - 1)-arte paleolítica ou arte rupestre na europa6o. ano - 1)-arte paleolítica ou arte rupestre na europa
6o. ano - 1)-arte paleolítica ou arte rupestre na europa
 
Barroco aula de literatura
Barroco   aula de literaturaBarroco   aula de literatura
Barroco aula de literatura
 

Semelhante a A arte barroca no Brasil

Aula 3 ef - artes
Aula 3   ef - artesAula 3   ef - artes
Aula 3 ef - artesWalney M.F
 
Apostila arte barroca
Apostila arte barrocaApostila arte barroca
Apostila arte barrocanandacruz
 
Revista forma renascimento e barroco no séc. xxi
Revista forma   renascimento e barroco no séc. xxiRevista forma   renascimento e barroco no séc. xxi
Revista forma renascimento e barroco no séc. xxiAline Soares e Silva
 
Arte barroca trabalho imcompleto
Arte barroca trabalho imcompletoArte barroca trabalho imcompleto
Arte barroca trabalho imcompletoRuan Monte
 
Guião de visita pdf
Guião de visita pdfGuião de visita pdf
Guião de visita pdfCainha18
 
Navarro da costa, mário
Navarro da costa, márioNavarro da costa, mário
Navarro da costa, máriodeniselugli2
 
Van gogh colorido pronto para site
Van gogh colorido pronto para siteVan gogh colorido pronto para site
Van gogh colorido pronto para siteUniasselvi soares
 
Estudo dirigido Trovadorismo-Classicismo
Estudo dirigido Trovadorismo-ClassicismoEstudo dirigido Trovadorismo-Classicismo
Estudo dirigido Trovadorismo-ClassicismoProf Palmito Rocha
 
Revista forma beatriz milhazes barroco contemporâneo
Revista forma   beatriz milhazes barroco contemporâneoRevista forma   beatriz milhazes barroco contemporâneo
Revista forma beatriz milhazes barroco contemporâneoAline Soares e Silva
 
Material de apoio Termo IV (9° Ano)
Material de apoio Termo IV (9° Ano)Material de apoio Termo IV (9° Ano)
Material de apoio Termo IV (9° Ano)kamismilonas
 
A Arte Barroca
A Arte BarrocaA Arte Barroca
A Arte Barrocaggmota93
 
Slide a arte barroca by edenilson c santos 1a
Slide a arte barroca by edenilson c santos 1aSlide a arte barroca by edenilson c santos 1a
Slide a arte barroca by edenilson c santos 1aEdenilson Conceição
 
Texto Para As Fotos Do Barroco Prof
Texto Para As Fotos Do Barroco   ProfTexto Para As Fotos Do Barroco   Prof
Texto Para As Fotos Do Barroco Profhsjval
 
B Arroco E Maneirismo
B Arroco E ManeirismoB Arroco E Maneirismo
B Arroco E ManeirismoIsidro Santos
 
A arte brasileira no final do império e inicio da república
A arte brasileira no final do império e inicio da repúblicaA arte brasileira no final do império e inicio da república
A arte brasileira no final do império e inicio da repúblicaCéu Barros
 
Barroco em Pernambuco
Barroco em PernambucoBarroco em Pernambuco
Barroco em PernambucoJosé Emílio
 

Semelhante a A arte barroca no Brasil (20)

Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Aula 3 ef - artes
Aula 3   ef - artesAula 3   ef - artes
Aula 3 ef - artes
 
Apostila arte barroca
Apostila arte barrocaApostila arte barroca
Apostila arte barroca
 
Arte e cultura
Arte e culturaArte e cultura
Arte e cultura
 
Estilo barroco
Estilo barrocoEstilo barroco
Estilo barroco
 
Revista forma renascimento e barroco no séc. xxi
Revista forma   renascimento e barroco no séc. xxiRevista forma   renascimento e barroco no séc. xxi
Revista forma renascimento e barroco no séc. xxi
 
Arte barroca trabalho imcompleto
Arte barroca trabalho imcompletoArte barroca trabalho imcompleto
Arte barroca trabalho imcompleto
 
Guião de visita pdf
Guião de visita pdfGuião de visita pdf
Guião de visita pdf
 
Navarro da costa, mário
Navarro da costa, márioNavarro da costa, mário
Navarro da costa, mário
 
Van gogh colorido pronto para site
Van gogh colorido pronto para siteVan gogh colorido pronto para site
Van gogh colorido pronto para site
 
Estudo dirigido Trovadorismo-Classicismo
Estudo dirigido Trovadorismo-ClassicismoEstudo dirigido Trovadorismo-Classicismo
Estudo dirigido Trovadorismo-Classicismo
 
Revista forma beatriz milhazes barroco contemporâneo
Revista forma   beatriz milhazes barroco contemporâneoRevista forma   beatriz milhazes barroco contemporâneo
Revista forma beatriz milhazes barroco contemporâneo
 
Camargo, iberê
Camargo, iberêCamargo, iberê
Camargo, iberê
 
Material de apoio Termo IV (9° Ano)
Material de apoio Termo IV (9° Ano)Material de apoio Termo IV (9° Ano)
Material de apoio Termo IV (9° Ano)
 
A Arte Barroca
A Arte BarrocaA Arte Barroca
A Arte Barroca
 
Slide a arte barroca by edenilson c santos 1a
Slide a arte barroca by edenilson c santos 1aSlide a arte barroca by edenilson c santos 1a
Slide a arte barroca by edenilson c santos 1a
 
Texto Para As Fotos Do Barroco Prof
Texto Para As Fotos Do Barroco   ProfTexto Para As Fotos Do Barroco   Prof
Texto Para As Fotos Do Barroco Prof
 
B Arroco E Maneirismo
B Arroco E ManeirismoB Arroco E Maneirismo
B Arroco E Maneirismo
 
A arte brasileira no final do império e inicio da república
A arte brasileira no final do império e inicio da repúblicaA arte brasileira no final do império e inicio da república
A arte brasileira no final do império e inicio da república
 
Barroco em Pernambuco
Barroco em PernambucoBarroco em Pernambuco
Barroco em Pernambuco
 

Mais de Mary Alvarenga

19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
Ciclo de vida do mosquito Aedes aegypti e cruzadinha
Ciclo de vida do mosquito Aedes aegypti  e cruzadinhaCiclo de vida do mosquito Aedes aegypti  e cruzadinha
Ciclo de vida do mosquito Aedes aegypti e cruzadinhaMary Alvarenga
 
Mat - Casos prováveis de dengue (2023 - 2024)
Mat - Casos  prováveis de dengue (2023 - 2024)Mat - Casos  prováveis de dengue (2023 - 2024)
Mat - Casos prováveis de dengue (2023 - 2024)Mary Alvarenga
 
Caça palavras - BULLYING
Caça palavras  -  BULLYING  Caça palavras  -  BULLYING
Caça palavras - BULLYING Mary Alvarenga
 
Cruzadinha da dengue - Mosquito Aedes aegypti
Cruzadinha da dengue - Mosquito Aedes aegyptiCruzadinha da dengue - Mosquito Aedes aegypti
Cruzadinha da dengue - Mosquito Aedes aegyptiMary Alvarenga
 
Poema sobre o mosquito Aedes aegipyti -
Poema sobre o mosquito Aedes aegipyti  -Poema sobre o mosquito Aedes aegipyti  -
Poema sobre o mosquito Aedes aegipyti -Mary Alvarenga
 
Texto informativo - Bullying não é brincadeira
Texto informativo  - Bullying não é brincadeiraTexto informativo  - Bullying não é brincadeira
Texto informativo - Bullying não é brincadeiraMary Alvarenga
 
Texto informatico - Mosquito Aedes Aegypti
Texto informatico - Mosquito Aedes AegyptiTexto informatico - Mosquito Aedes Aegypti
Texto informatico - Mosquito Aedes AegyptiMary Alvarenga
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Mary Alvarenga
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da MulherMary Alvarenga
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
Regimento escolar - Deveres do aluno.
Regimento escolar -  Deveres do aluno.Regimento escolar -  Deveres do aluno.
Regimento escolar - Deveres do aluno.Mary Alvarenga
 
Matemática - Adição e subtração /cálculo mental.
Matemática - Adição e subtração /cálculo mental.Matemática - Adição e subtração /cálculo mental.
Matemática - Adição e subtração /cálculo mental.Mary Alvarenga
 
O impacto do lixo ao meio ambiente / Residuos especiais
O impacto do lixo ao meio ambiente / Residuos especiaisO impacto do lixo ao meio ambiente / Residuos especiais
O impacto do lixo ao meio ambiente / Residuos especiaisMary Alvarenga
 
Coletânea de poesias
Coletânea de poesias Coletânea de poesias
Coletânea de poesias Mary Alvarenga
 
Caça palavras bullying
Caça palavras  bullying Caça palavras  bullying
Caça palavras bullying Mary Alvarenga
 

Mais de Mary Alvarenga (20)

19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
Ciclo de vida do mosquito Aedes aegypti e cruzadinha
Ciclo de vida do mosquito Aedes aegypti  e cruzadinhaCiclo de vida do mosquito Aedes aegypti  e cruzadinha
Ciclo de vida do mosquito Aedes aegypti e cruzadinha
 
Mat - Casos prováveis de dengue (2023 - 2024)
Mat - Casos  prováveis de dengue (2023 - 2024)Mat - Casos  prováveis de dengue (2023 - 2024)
Mat - Casos prováveis de dengue (2023 - 2024)
 
Caça palavras - BULLYING
Caça palavras  -  BULLYING  Caça palavras  -  BULLYING
Caça palavras - BULLYING
 
Cruzadinha da dengue - Mosquito Aedes aegypti
Cruzadinha da dengue - Mosquito Aedes aegyptiCruzadinha da dengue - Mosquito Aedes aegypti
Cruzadinha da dengue - Mosquito Aedes aegypti
 
Poema sobre o mosquito Aedes aegipyti -
Poema sobre o mosquito Aedes aegipyti  -Poema sobre o mosquito Aedes aegipyti  -
Poema sobre o mosquito Aedes aegipyti -
 
Texto informativo - Bullying não é brincadeira
Texto informativo  - Bullying não é brincadeiraTexto informativo  - Bullying não é brincadeira
Texto informativo - Bullying não é brincadeira
 
Texto informatico - Mosquito Aedes Aegypti
Texto informatico - Mosquito Aedes AegyptiTexto informatico - Mosquito Aedes Aegypti
Texto informatico - Mosquito Aedes Aegypti
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
Regimento escolar - Deveres do aluno.
Regimento escolar -  Deveres do aluno.Regimento escolar -  Deveres do aluno.
Regimento escolar - Deveres do aluno.
 
Matemática - Adição e subtração /cálculo mental.
Matemática - Adição e subtração /cálculo mental.Matemática - Adição e subtração /cálculo mental.
Matemática - Adição e subtração /cálculo mental.
 
O impacto do lixo ao meio ambiente / Residuos especiais
O impacto do lixo ao meio ambiente / Residuos especiaisO impacto do lixo ao meio ambiente / Residuos especiais
O impacto do lixo ao meio ambiente / Residuos especiais
 
Coletânea de poesias
Coletânea de poesias Coletânea de poesias
Coletânea de poesias
 
Poemas de Natal
Poemas de Natal Poemas de Natal
Poemas de Natal
 
Caça palavras bullying
Caça palavras  bullying Caça palavras  bullying
Caça palavras bullying
 

Último

Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 

Último (20)

Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 

A arte barroca no Brasil

  • 1. Centro de Ensino Urbano Rocha Imperatriz, _____ de outubro de 2014. Aluno (a): __________________________________________________________ nº ________ Professora: Mary Alvarenga Série: 2º ano “A” Turno: matutino Verificação de Arte A Arte Barroca no Brasil O estilo barroco chegou ao Brasil pelas mãos dos colonizadores, sobretudo portugueses. Seu desenvolvimento pleno se deu no século XVIII, cem anos após o surgimento do Barroco na Europa, estendendo-se até as duas primeiras décadas do século XIX. As primeiras manifestações do espírito barroco foram presenciadas não só em fachadas e frontões, mas também, principalmente, na decoração de algumas igrejas no final do século XVII. A talha barroca dourada em ouro, de estilo português, espalhou-se pelas regiões do Rio de Janeiro, Bahia e Pernambuco. O foco então se voltou para a região de Minas Gerais, desenvolvida à custa da descoberta de minas de ouro (1695) e diamante (1730). Não por acaso, dois dos maiores artistas barrocos brasileiros trabalharam exatamente neste período: Mestre Valentim (1745-1813), no Rio de Janeiro e o Aleijadinho, em Ouro Preto e adjacências. E foi na suavidade do estilo rococó mineiro (a partir de 1760) que se encontrou a expressão mais original do Barroco Brasileiro. No Brasil, a arquitetura religiosa foi o maior expoente da arte barroca. As igrejas eram maravilhosamente decoradas com entalhes em madeira cobertos de ouro, teto pintado com cenas bíblicas, esculturas de santos, altares com anjos, colunas, flores e muitos outros elementos decorativos. Caravaggio Michelangelo Merisi é um pintor italiano que nasceu em 1571, em Milão. Ele ficou conhecido como Caravaggio, devido ao nome da cidade que viveu com a família. O pintor foi um grande representante da pintura barroca e definiu a técnica do "claro-escuro", na contramão do renascimento. A obra de Caravaggio teve um impacto tão forte nos jovens artistas da época que seus traços passaram a ser imitados. Sua pintura retrata os personagens bíblicos com as feições das pessoas comuns que ele observava nas ruas de Roma. Ele utilizava modelos comuns como prostitutas, mendigos e crianças de rua para retratar passagens Bíblicas. Mas o artista não teve um fim muito feliz. Em vida, foi tido como louco e à sua obra não foi dada a devida importância. Caravaggio enfrentou momentos de miséria, produzindo seus quadros em série e os vendendo na rua. O pintor morreu em 1610, tendo uma vida curta, sem chegar aos 40 anos de idade. Somente após três séculos, em 1920, seu legado foi reconhecido. Você entendeu o texto? 1. Em qual período se deu a arte Barroca no Brasil? _______________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ 2. Como a arte barroca chegou ao Brasil? _______________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ 3. Por que Minas Gerais se tornou o centro da arte barroca brasileira? _______________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________
  • 2. 4. Descreva como eram decoradas as igrejas no período barroco brasileiro. _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ 5. Quem era Michelangelo Merisi? _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ 6. Porque ele ficou conhecido como Caravaggio? _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ 7. Que tipo de modelo ele usava nas pinturas? _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ 8. Como foi o fim da vida do pintor? _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________ 9. O Barroco brasileiro apresenta profundas diferenças regionais, isso se deve: I. A riqueza e o consequente desenvolvimento econômico de cada região II. A influencia artística recebida por cada região III. Por ser uma região pobre e pouco desenvolvida, São Paulo produziu obras mais modestas. IV. Nas regiões mineradoras e açucareiras, encontramos igrejas com talhas douradas e esculturas refinadas, feitas por artistas de renome. a) Todas estão corretas b) Somente a II é correta c) Somente a I, III e IV estão corretas. d) Somente a IV é correta 10. Torna-se claro que quem descobriu a África no Brasil, muito antes dos europeus, foram os próprios africanos trazidos como escravos. E esta descoberta não se restringia apenas ao reino linguístico, estendia-se também a outras áreas culturais, inclusive à da religião. Há razões para pensar que os africanos, quando misturados e transportados ao Brasil, não demoraram em perceber a existência entre si de elos culturais mais profundos. SLENES, R. Malungu, ngoma vem! África coberta e descoberta do Brasil. Revista USP, n. 12, dez./jan./fev. 1991-92 (adaptado).  Com base no texto, ao favorecer o contato de indivíduos de diferentes partes da África, a experiência da escravidão no Brasil tornou possível a: a) formação de uma identidade cultural afro-brasileira. b) superação de aspectos culturais africanos por antigas tradições europeias. c) reprodução de conflitos entre grupos étnicos africanos. d) manutenção das características culturais específicas de cada etnia. Boa Sorte!!!