 Desde o início das hostilidades, os alemães estavam cientes de que o
domínio aliado dos mares era uma potencial ameaça a...
 Em setembro de 1939, início da Segunda Guerra
Mundial, o almirante comandava 57 submarinos – bem
menos do que as 300 emb...
 A vida a bordo de um submarino alemão é descrita por
alguns que sobreviveram a guerra como, no mínimo,
insalubre, apenas...
 As principais armas usadas pelos submarinos eram os
torpedos. Um torpedo poderia ser facilmente descrito como
um micro s...
 Doenitz compreendera astutamente o
poderio de seus submarinos por uma razão
simples: a dificuldade dos aliados em
combat...
 Doenitz também orientou seus capitães a fazerem
uso da tática de "matilhas" (em
alemão,Rudeltaktik): um comandante de
su...
 Entre os maiores "ases" de submarino
da Alemanha Nazista, destacam-se:
 Otto Kretschmer (comandante do U-99);
 Günther...
U-99
U-47
U-100
U-96
U-123
 Winston Churchill, em suas memórias, descreveu os
"U-Boats" como a maior ameaça à vitória sobre
onazismo – não à toa ele...
 A Grã-Bretanha estava, por fim, salva da
predação nazista, não sem pagar um preço
elevadíssimo: além do afundamento de m...
 Para tentar frear este afluxo de matéria prima ao Eixo
fortaleceu-se a “Cintura do Atlântico”. A Cintura do Atlântico
é ...
 O Brasil vem a romper relações com o
Pacto Tripartido (Alemanha, Itália e Japão)
apenas em 28 de Janeiro de 1942, o que ...
 Neste momento navios brasileiros passam a
ser atacados ao largo da costa americana
e no Caribe , os primeiros foram:
O C...
 Buarque e Olinda (em 14 e 18.02.42,
respectivamente);
 Arabutan (07.03.42); Cairú (08.03.42);
 Parnaíba(01.05.42)
 O primeiro ataque efetuado em águas nacionais
foi o do Comandante Lira realizado pelo
submarino italiano Barbarigo que, ...
Submarinos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Submarinos Nazista - Prof. Altair Aguilar

429 visualizações

Publicada em

História

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
429
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Submarinos Nazista - Prof. Altair Aguilar

  1. 1.  Desde o início das hostilidades, os alemães estavam cientes de que o domínio aliado dos mares era uma potencial ameaça aos seus planos de guerra. Para comandar a frota de U-boats alemães, Hitler nomeou Karl Doenitz que já possuía experiência como submarinista na Primeira Guerra Mundial, portanto compreendia as necessidades dos marinheiros e o potencial do submarino como arma de guerra.
  2. 2.  Em setembro de 1939, início da Segunda Guerra Mundial, o almirante comandava 57 submarinos – bem menos do que as 300 embarcações com as quais um bloqueio contra a Grã-Bretanha seria efetivo.
  3. 3.  A vida a bordo de um submarino alemão é descrita por alguns que sobreviveram a guerra como, no mínimo, insalubre, apenas o capitão tinha uma acomodação individual; o restante da tripulação tinha de se virar entre tubos, torpedos, aparelhos medidores e equipamentos da nave, para comer, operar as máquinas e até mesmo fazer suas necessidades fisiológicas. Como os U-Boats não possuíam ventilação interna, os marinheiros eram obrigados a andar com passos leves e a não fazer muito esforço físico – pois, do contrário, corriam o risco de consumir todo o oxigênio.
  4. 4.  As principais armas usadas pelos submarinos eram os torpedos. Um torpedo poderia ser facilmente descrito como um micro submarino, a partir do momento em que era lançado. Em seu bico, continha uma carga de explosivos que era acionada no contato com o casco do navio inimigo; entretanto, não era uma tarefa simples lançá-los.
  5. 5.  Doenitz compreendera astutamente o poderio de seus submarinos por uma razão simples: a dificuldade dos aliados em combatê-los sem se limitar ao uso de comboios de navios.
  6. 6.  Doenitz também orientou seus capitães a fazerem uso da tática de "matilhas" (em alemão,Rudeltaktik): um comandante de submarino que localizasse um comboio aliado transmitia, por rádio, sua rota a submarinos vizinhos, que reuniam-se para atacar, à noite, o malfadado comboio e infligir lhe pesadas perdas.
  7. 7.  Entre os maiores "ases" de submarino da Alemanha Nazista, destacam-se:  Otto Kretschmer (comandante do U-99);  Günther Prien (a bordo do U-47);  Joachim Schepke (capitão do U-100);  Hans Lehmann-Willenbrock (à testa do U-96);  Reinhard Hardegen (ousado capitão do U-123, com o qual atacou navios em plena costa norte-americana, na Operação Paukenschlager, ou "Batida de Tambor", no início de 1942).
  8. 8. U-99
  9. 9. U-47
  10. 10. U-100
  11. 11. U-96
  12. 12. U-123
  13. 13.  Winston Churchill, em suas memórias, descreveu os "U-Boats" como a maior ameaça à vitória sobre onazismo – não à toa ele temia os afundamentos causados pelos U-Boats mais do que qualquer outra arma de Hitler.
  14. 14.  A Grã-Bretanha estava, por fim, salva da predação nazista, não sem pagar um preço elevadíssimo: além do afundamento de mais de 2.000 navios mercantes e militares e da perda de mais de 13,5 milhões de toneladas de carga, cerca de 40.000 de seus mais capazes marinheiros morreram enquanto serviam à pátria. No mesmo interim, os alemães perderam, em toda a guerra, 29.000 homens e 785 de seus 1.162 submarinos.
  15. 15.  Para tentar frear este afluxo de matéria prima ao Eixo fortaleceu-se a “Cintura do Atlântico”. A Cintura do Atlântico é o trecho mais estreito entre a América do Sul e a África, mais precisamente a linha reta que vai de Natal à Dacar com uma extensão de 1.700 milhas. Para que isso ocorresse deveriam ser instaladas bases no Brasil fato que se iniciou em meados de junho de 1941 quando da chegada da “Task- Force 3” e da liberação dos portos de Recife e Salvador para uso da marinha americana
  16. 16.  O Brasil vem a romper relações com o Pacto Tripartido (Alemanha, Itália e Japão) apenas em 28 de Janeiro de 1942, o que o colocou, segundo as palavras do Embaixador da Alemanha Sr. Pruefer, “em estado de guerra latente” com o Eixo.
  17. 17.  Neste momento navios brasileiros passam a ser atacados ao largo da costa americana e no Caribe , os primeiros foram: O Cabedelo que desaparece depois de partir dos Estados Unidos em 14.02.1942
  18. 18.  Buarque e Olinda (em 14 e 18.02.42, respectivamente);
  19. 19.  Arabutan (07.03.42); Cairú (08.03.42);
  20. 20.  Parnaíba(01.05.42)
  21. 21.  O primeiro ataque efetuado em águas nacionais foi o do Comandante Lira realizado pelo submarino italiano Barbarigo que, no entanto, não o conseguiu afundar. Devido a estes e outros ataques contra nossa marinha mercante, o Brasil vem a romper relações com o Eixo em 31.08.42.

×