SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Platão e o mundo das Ideias
Introdução
Falaremos agora sobre um sujeito de ombros
largos que, entre tantas obras, veio a inspirar
gente desde políticos a cineastas.
O bom e velho Arístocles, mais
conhecido como Platão.
Atenas 428 aC – 348 aC Atenas
Sobre o homem
 Maior discípulo de Sócrates, o qual vem a
ser personagens de suas obras.
 Funda a Academia em 388 a.C., primeira
instituição de Ensino de Filosofia da
história.
 Platão foi o primeiro filósofo cuja obra foi
quase toda preservada. Também é dele o
primeiro sistema filosófico escrito que se
conhece.
Platão e a Teoria do Conhecimento
Uma questão que ocupa os filósofos gregos é aquela
sobre como se dá o conhecimento sobre as coisas.
Para estes filósofos, perguntar sobre o conhecimento é
querer responder à questão: como podemos saber o que algo
é?
De outro modo, os pensadores como Platão
preocupam-se em saber como podemos definir de
modo exato os objetos do mundo.
Façamos um exercício:
 Pensemos numa caneta.
 O que define esta caneta?
 Será que o que define esta caneta pode definir o que
toda caneta é?
 Como podemos definir todas as canetas do mundo?
A proposta
 A filosofia platônica pretende ser o reflexo dos ensinamentos do mestre
Sócrates, já que Platão é conhecido por ser o discípulo mais
“apaixonado” pela teoria socrática
 A prática da filosofia, para ele, pode se dar nas atitudes éticas e políticas
Questões fundamentais:
1- O conhecimento: É possível
conhecer a realidade?
2- O método: Como esse
conhecimento é possível?
3- Os instrumentos: sentidos e razão
4- O objeto do conhecimento: a
realidade ou a essência?
O que significa definir algo?
Definir é buscar aquilo que algo tem de próprio (que o distingue de
todas as outras coisas).
Não se trata de apenas estabelecer nomes ou dispor exemplos,
mas de encontrar aquilo que expressa de forma universal e de
modo racional o que algo é. O conjunto de propriedades que
define um objeto é sua essência (do grego eidos), que descreve a
forma geral do que se pretende definir.
Pense só: como definir um triângulo?
Será que um desenho (uma representação) do
triângulo basta?
Podemos então dizer que os interesses mais gerais da Teoria do
Conhecimento de Platão são: (i) estabelecer uma compreensão unificada e
racional dos fenômenos e (ii) buscar os fundamentos de uma definição.
Para Platão a busca da definição exata de algo aproxima-se da tarefa de um
matemático. O caminho para encontrar a definição das coisas está na busca
pela IDEIA (ou FORMA) dessas coisas.
A teoria das ideias de Platão
Para compreender o que Platão
quer dizer sobre o
conhecimento precisamos olhar
para o mundo das ideias. Uma boa
história para começarmos é
contada num livro do próprio
Platão, A República: o conhecido
mito da caverna.
Acesse o mito em diferentes versões:
http://phprof.wordpress.com/2012/05/
06/filosofia-1o-ano-aula-4-platao-e-o-
mundo-das-ideias/
O Mito da Caverna
Mito traz um significado
de ilustração, alegoria;
uma maneira didática
para compreensão da
Teoria das Ideias.
Acesse o mito em diferentes versões:
http://phprof.wordpress.com/2012/05/06/fil
osofia-1o-ano-aula-4-platao-e-o-mundo-
das-ideias/
• Eidos/Idea: Forma pura, modelo perfeito da realidade
material.
• Imaterialidade
• Independência
• Eternidade
Divisão Ontológica entre dois mundos, duas realidades:
O mundo sensível X O mundo das Ideias
(A Materialidade) (A Inteligibilidade)
Interpretação Epistemológica
O que Platão quis ilustrar com o mito??
 Interior da Caverna:
 Sombras:
 Fogueira:
 Exterior da Caverna:
 Objetos do Ext. da Cav.:
 Sol:
 Volta à caverna:
 Assassinato do Fugitivo:
A Dialética:
• Método de ascender a razão ao mundo
eidético(Ideal).
• Instrumento que o filósofo deve utilizar
para alcançar a verdade, a ideia de bem.
Objetivo:
 Compreender por que a sociedade ateniense condena à morte “o
mais sábio de todos os homens”
 Através da compreensão da cultura e da política, reflete sobre o
modo de vida e governo da Grécia antiga, seus valores e ideais.
 Preocupação com:
 ciência, moral e
 política
(enquanto formas de
Poder e realização da
condição humana)
A morte de Sócrates, por Jacques-Louis David (1787).
Notas sobre a filosofia política de Platão
Podemos levantar a seguinte questão com o mito
da caverna: como influenciar aqueles que não veem?
O sujeito que sai da caverna e torna-se filósofo
pode ser aquele que pode assumir este papel,
uma vez que é capaz de guiar a si mesmo pela
razão.
Este sujeito poderá ser o
melhor e mais capaz de
administrar os outros homens
de maneira boa e justa; é o
político por excelência.
Este viés de interpretação do
mito pode nos impulsionar para
alguns aspectos breves da
filosofia política de Platão.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Aula sobre Platão.pptx

Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.
Altair Moisés Aguilar
 
Capítulo 13 em busca da verdade
Capítulo 13   em busca da verdadeCapítulo 13   em busca da verdade
Capítulo 13 em busca da verdade
Edirlene Fraga
 
Aula de filosofia
Aula de filosofiaAula de filosofia
Aula de filosofia
Gutt1848
 

Semelhante a Aula sobre Platão.pptx (20)

Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Grega Clássica ao Helenismo-Prof.Altair Aguilar.
 
A filosofia de platão
A filosofia de platãoA filosofia de platão
A filosofia de platão
 
Capítulo 13 em busca da verdade
Capítulo 13   em busca da verdadeCapítulo 13   em busca da verdade
Capítulo 13 em busca da verdade
 
História da Filosofia
História da FilosofiaHistória da Filosofia
História da Filosofia
 
A filisofia do mundo
A filisofia do mundoA filisofia do mundo
A filisofia do mundo
 
Período Sistemático
Período Sistemático Período Sistemático
Período Sistemático
 
Conhecimento platônico
Conhecimento platônico Conhecimento platônico
Conhecimento platônico
 
A origem da filosofia e socrates - PROEJA CPII
A origem da filosofia e socrates - PROEJA CPII A origem da filosofia e socrates - PROEJA CPII
A origem da filosofia e socrates - PROEJA CPII
 
Filosofia Socrática
Filosofia SocráticaFilosofia Socrática
Filosofia Socrática
 
Aula de filosofia
Aula de filosofiaAula de filosofia
Aula de filosofia
 
3aula vestibular - filosofia
3aula   vestibular - filosofia3aula   vestibular - filosofia
3aula vestibular - filosofia
 
A metafísica na modernidade 1° integral.docx
A metafísica na modernidade 1° integral.docxA metafísica na modernidade 1° integral.docx
A metafísica na modernidade 1° integral.docx
 
O que é filosofia
O que é filosofiaO que é filosofia
O que é filosofia
 
Filosofia da educação
Filosofia da educaçãoFilosofia da educação
Filosofia da educação
 
Sócrates, Platão e Aristóteles
Sócrates, Platão e AristótelesSócrates, Platão e Aristóteles
Sócrates, Platão e Aristóteles
 
Resumofilo
ResumofiloResumofilo
Resumofilo
 
Texto períodos da filosofia
Texto   períodos da filosofiaTexto   períodos da filosofia
Texto períodos da filosofia
 
Revisão - Filosofia 1 ano (2º Bimestre)
Revisão - Filosofia 1 ano (2º Bimestre)Revisão - Filosofia 1 ano (2º Bimestre)
Revisão - Filosofia 1 ano (2º Bimestre)
 
O que é filosofia
O que é filosofiaO que é filosofia
O que é filosofia
 
filosofia.pdf
filosofia.pdffilosofia.pdf
filosofia.pdf
 

Último

Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 

Aula sobre Platão.pptx

  • 1. Platão e o mundo das Ideias
  • 2. Introdução Falaremos agora sobre um sujeito de ombros largos que, entre tantas obras, veio a inspirar gente desde políticos a cineastas. O bom e velho Arístocles, mais conhecido como Platão. Atenas 428 aC – 348 aC Atenas
  • 3. Sobre o homem  Maior discípulo de Sócrates, o qual vem a ser personagens de suas obras.  Funda a Academia em 388 a.C., primeira instituição de Ensino de Filosofia da história.  Platão foi o primeiro filósofo cuja obra foi quase toda preservada. Também é dele o primeiro sistema filosófico escrito que se conhece.
  • 4. Platão e a Teoria do Conhecimento Uma questão que ocupa os filósofos gregos é aquela sobre como se dá o conhecimento sobre as coisas. Para estes filósofos, perguntar sobre o conhecimento é querer responder à questão: como podemos saber o que algo é? De outro modo, os pensadores como Platão preocupam-se em saber como podemos definir de modo exato os objetos do mundo. Façamos um exercício:  Pensemos numa caneta.  O que define esta caneta?  Será que o que define esta caneta pode definir o que toda caneta é?  Como podemos definir todas as canetas do mundo?
  • 5. A proposta  A filosofia platônica pretende ser o reflexo dos ensinamentos do mestre Sócrates, já que Platão é conhecido por ser o discípulo mais “apaixonado” pela teoria socrática  A prática da filosofia, para ele, pode se dar nas atitudes éticas e políticas Questões fundamentais: 1- O conhecimento: É possível conhecer a realidade? 2- O método: Como esse conhecimento é possível? 3- Os instrumentos: sentidos e razão 4- O objeto do conhecimento: a realidade ou a essência?
  • 6. O que significa definir algo? Definir é buscar aquilo que algo tem de próprio (que o distingue de todas as outras coisas). Não se trata de apenas estabelecer nomes ou dispor exemplos, mas de encontrar aquilo que expressa de forma universal e de modo racional o que algo é. O conjunto de propriedades que define um objeto é sua essência (do grego eidos), que descreve a forma geral do que se pretende definir. Pense só: como definir um triângulo? Será que um desenho (uma representação) do triângulo basta?
  • 7. Podemos então dizer que os interesses mais gerais da Teoria do Conhecimento de Platão são: (i) estabelecer uma compreensão unificada e racional dos fenômenos e (ii) buscar os fundamentos de uma definição. Para Platão a busca da definição exata de algo aproxima-se da tarefa de um matemático. O caminho para encontrar a definição das coisas está na busca pela IDEIA (ou FORMA) dessas coisas. A teoria das ideias de Platão Para compreender o que Platão quer dizer sobre o conhecimento precisamos olhar para o mundo das ideias. Uma boa história para começarmos é contada num livro do próprio Platão, A República: o conhecido mito da caverna. Acesse o mito em diferentes versões: http://phprof.wordpress.com/2012/05/ 06/filosofia-1o-ano-aula-4-platao-e-o- mundo-das-ideias/
  • 8. O Mito da Caverna Mito traz um significado de ilustração, alegoria; uma maneira didática para compreensão da Teoria das Ideias. Acesse o mito em diferentes versões: http://phprof.wordpress.com/2012/05/06/fil osofia-1o-ano-aula-4-platao-e-o-mundo- das-ideias/
  • 9. • Eidos/Idea: Forma pura, modelo perfeito da realidade material. • Imaterialidade • Independência • Eternidade Divisão Ontológica entre dois mundos, duas realidades: O mundo sensível X O mundo das Ideias (A Materialidade) (A Inteligibilidade)
  • 10. Interpretação Epistemológica O que Platão quis ilustrar com o mito??  Interior da Caverna:  Sombras:  Fogueira:  Exterior da Caverna:  Objetos do Ext. da Cav.:  Sol:  Volta à caverna:  Assassinato do Fugitivo:
  • 11. A Dialética: • Método de ascender a razão ao mundo eidético(Ideal). • Instrumento que o filósofo deve utilizar para alcançar a verdade, a ideia de bem.
  • 12. Objetivo:  Compreender por que a sociedade ateniense condena à morte “o mais sábio de todos os homens”  Através da compreensão da cultura e da política, reflete sobre o modo de vida e governo da Grécia antiga, seus valores e ideais.  Preocupação com:  ciência, moral e  política (enquanto formas de Poder e realização da condição humana) A morte de Sócrates, por Jacques-Louis David (1787).
  • 13. Notas sobre a filosofia política de Platão Podemos levantar a seguinte questão com o mito da caverna: como influenciar aqueles que não veem? O sujeito que sai da caverna e torna-se filósofo pode ser aquele que pode assumir este papel, uma vez que é capaz de guiar a si mesmo pela razão. Este sujeito poderá ser o melhor e mais capaz de administrar os outros homens de maneira boa e justa; é o político por excelência. Este viés de interpretação do mito pode nos impulsionar para alguns aspectos breves da filosofia política de Platão.