SUBSÍDIOS PARA A LIÇÃO 13
Lição 13 – O SACRIFÍCIO QUE AGRADA DEUS.
No que tange os objetivos da lição:
Compreender como fo...
ou vanglória, mas com a humildade e respeito um ao outro como mais importante do que vós; não se limitar
a olhar para seus...
O verbo grego na frase que recebi tudo em plenitude era comumente usado em um sentido comercial,
palavra grega para design...
As lições cruciais na contentamento ilustrados aqui na vida de Paulo pode ser resumida em cinco
palavras: fé, humildade, s...
em relação à comunhão com o apóstolo! Por isso Paulo pretende dizer mais uma vez no final: nenhuma
pessoa na igreja está e...
Trabalhando todo contexto pesquisado:
Concordância textual bíblica:
4.14- tomar Hb10.33; Ap 1.9.
4.15 - no princípio Fp 1....
1. Paulo relembra o apoio dos filipenses: destaca o apoio recebido, e como eles se tornaram importante
para avanço do Rein...
----- CFA -----
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

escola dominical 3º trimestre lição 13

661 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
661
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

escola dominical 3º trimestre lição 13

  1. 1. SUBSÍDIOS PARA A LIÇÃO 13 Lição 13 – O SACRIFÍCIO QUE AGRADA DEUS. No que tange os objetivos da lição: Compreender como foi a participação da igreja de Filipos nas tribulações de Paulo; Explicar o ato de reminiscência entre Paulo e os filipenses; Analisar a oblação e a generosidade dos filipenses. Vamos lá... Trabalhando o título: No dicionário... Sacrifício: Oferta solene à divindade, em donativos ou vítimas, a morte de Cristo; Imolação, abandono daquilo que é precioso; renuncia; abnegação; isenção. Agradar: Parecer bem; satisfazer; gostar; comprazer-se; alisar e destorrar; gradar. “A renuncia de algo aparentemente importante, para satisfazer o Criador do Universo”. Texto áureo: Sl 54.6. Sacrifício voluntário: literalmente com liberdade de fazer, sendo um ato de se sacrificar voluntariamente, não por voto (Lv 22.18-30; Nm 15.1-6). Teu nome, representando a quem fazer o sacrifício de voluntariedade, sendo aos cuidados do Senhor (Gn 35.3). Verdade Prática: “Ajudando nossos irmãos, contribuímos para a obra de Deus, e ao Senhor, oferecemos a mais pura ação de graças.” Leitura Bíblica em Classe - Ação: Texto de Filipenses 4 . 14 - 23. A vertente final por Paulo é preocupação para com os outros, aqueles que vive só para si nunca vai estar contente, porque contentamento para eles só pode vir quando as circunstâncias são exatamente como eles querem. Somente aqueles que, desinteressadamente, colocam o "bem-estar dos outros acima de seu próprio, encontrará contentamento. Paulo orou para que o amor dos filipenses “ cresça ainda mais e mais" (1.9), uma das qualidades do verdadeiro amor bíblico (1 Co 13.5.). Ele também exortou, "Nada façais por partidarismo
  2. 2. ou vanglória, mas com a humildade e respeito um ao outro como mais importante do que vós; não se limitar a olhar para seus próprios interesses pessoais, mas também para os interesses dos outros" (2. 3-4). Essa é a atitude "que esteve também em Cristo Jesus" (2.5). No entanto é importante ver o pensamento de Paulo. Apesar da sua situação ( 2 Co 8.1-2), tinha enviado um presente através de Epafrodito (4.18). Depois de ficar preso por um tempo e ministrando, enviou Epafrodito para Filipos, trazendo a carta de Paulo com ele. Em que a igreja dizia: "Não digo isto por falta, porque já aprendi a viver contente em qualquer circunstância"; "Aprendi o segredo de ser preenchido e ter passando fome, tanto de ter abundância e sofrer necessidade" e "Posso todas as coisas naquele que me fortalece" (4. 11-13). Para ter certeza de que os filipenses não entendesse mal ele, Paulo apressou-se a assegurar-lhes que eles tinham feito bem (kalos, algo nobre ou bela personagem) para compartilhar com ele em sua aflição. Mas então ele precisava explicar para eles como o presente poderia ter sido um ato nobre, se não precisar dele. Paulo começou por tirar os leitores de volta dez anos de sua primeira pregação do Evangelho em Filipos. Durante esse tempo, e mesmo depois que ele deixou Macedônia para as cidades Achaian de Atenas e Corinto, nenhuma outra igreja compartilhou com ele na questão de dar e receber. Essa frase reflete terminologia de negócios. A matéria palavra traduzida às vezes é traduzida "Contas" (Mt 18.23; 25.19) ou "contabilidade" (Lc 16.2) e os termos dar e receber pode significar "crédito" e, evidentemente, Paulo foi "débito". Um gestor cuidadoso de seus recursos e manteve um relato de suas receitas e despesas. Mesmo antes de deixar Macedônia Filipenses apoiou, durante o seu ministério em Tessalônica, eles mandaram um presente mais de uma vez para as suas necessidades. A sua generosidade, junto com o trabalho do próprio Paulo rígido, permitiu-lhe ministro gratuitamente em Tessalônica (1Ts 2.9; 2Ts 3.8) e Corinto (At 18.5; 2Co 11.8). Paulo pôde alegrar-se em seu dom ainda assim ser o conteúdo da provisão soberana de Deus para ele porque ele era altruísta. Esse desprendimento levou a escrever, não que eu procurar o presente em si, mas procuro o lucro que aumenta a sua conta (Mt 6.19-20; 1Tm 6.17-19). Seu dom trouxe Paul alegria não por causa de seu benefício material pessoal para ele, mas por causa de seu benefício espiritual para eles. O princípio de que aqueles que dão generosamente será abençoado é ensinada repetidamente nas Escrituras. Salomão escreveu: "Não é aquele que espalha, e ainda aumenta ainda mais, e há um que retém o que é justamente devido, e ainda resulta apenas na miséria. O homem generoso será próspero, e quem águas vão-se ser regado "(Pv 11.24-25). Mais tarde, em Provérbios, ele acrescentou: "Aquele que é a graça de um homem pobre empresta ao Senhor, e Ele irá recompensá-lo por sua boa ação" (Pv 19.17), "Quem é generoso será abençoado" (Pv 22.9), e "Quem dá aos pobres nunca mais vai querer" (Pv 28.27). Em Lucas 6.38 Jesus disse: "Dai, e será dado a você. Eles vão deitar em seu colo uma boa medida, recalcada, sacudida, e atropelamento. Pelo seu padrão de medida que será usada para medir vocês em troca. "Aos Coríntios, Paulo escreveu:" E agora digo isto, aquele que semeia pouco, pouco também ceifará, e aquele que semeia em abundância também ceifará "(2Co 9.6). O próprio Paulo foi um exemplo de alguém que generosamente aos pobres, como ele lembrou os anciãos de Éfeso: "Em tudo o que eu mostrei que, trabalhando duro desta maneira você deve ajudar os fracos e lembrar as palavras do Senhor Jesus, que Ele mesmo disse: 'Há mais felicidade em dar que em receber”(At 20.35).
  3. 3. O verbo grego na frase que recebi tudo em plenitude era comumente usado em um sentido comercial, palavra grega para designar o pagamento integral. Esta afirmação é que recebimento tinha efeito em Paulo quanto aos Filipenses. Já possui a abundância traduz um verbo grego que significa "a transbordar", "ter um excesso", ou "ter mais do que suficiente." O verbo grego na declaração final de Paulo Estou amplamente suprido fala de ser cheio completamente. Em conjunto essas três frases mostram que Paulo, tendo recebido de Epafrodito o necessário para ele, foi uma esmagadora “generosidade” dos Filipenses. Usando uma linguagem sacrificial do Antigo Testamento, Paulo descreveu a filipenses presente como um aroma perfumado (Gn 8.20-21;. Ex 29:18; Lv 1.9, 13, 17; Nm 15.3 ), um sacrifício aceitável ( Lv 19.5; 22.29; Is 56.7), bem agradável a Deus ( Sl 51.19). Paulo viu o filipenses presente como um ato de sacrifício de adoração a Deus. Tais sacrifícios espirituais são necessários de crentes da Nova Aliança, em vez dos sacrifícios de animais da Antiga Aliança. Em Romanos 12.1 comandos crentes Paulo: "Apresentei os vossos corpos em sacrifício vivo e santo e agradável a Deus, que é o vosso culto espiritual de adoração." O autor de Hebreus exorta: "Por Ele, então, vamos continuar a oferecer um sacrifício de louvor a Deus, isto é, o fruto dos lábios que dão graças ao Seu nome. E não se esqueçam de fazer o bem e de partilha, porque com tais sacrifícios Deus se agrada "(Hb 13.15-16). Pedro lembra aos crentes que eles são um "sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo" (1Pe 2.5). A alegria de Paulo aos filipenses que faria tal sacrifício aceitável a Deus ultrapassou em muito a sua alegria ao receber seu presente. Paulo sabia que os filipenses não só receber as bênçãos espirituais nos céus pela sua generosidade, mas também que Deus iria suprir todas as suas necessidades físicas nesta vida. Os filipenses tinham sacrificialmente (2Co 8.1-3) dada de suas posses terrenas para apoiar o servo de Deus, Paul. Em troca, Deus seria amplamente suprir suas necessidades, Ele não estaria em sua dívida. Tendo semeado em abundância, eles ceifará (2Co 9.6.); Ter "honra [va] o Senhor a partir de [sua] riqueza e do primeiro de todos os [seus] produzir ... celeiros [sua] será preenchido com bastante e cubas de [sua] transbordarão de vinho novo "(Pv 3.9-10). Eles descobrem que é impossível dar mais do que Deus. A frase de acordo com Suas riquezas na glória em Cristo Jesus revela na medida em que Deus iria suprir as necessidades dos filipenses. Ele iria fazê-lo segundo as suas riquezas, e não fora deles; Seu dando a eles seria em relação à imensidão de sua riqueza eterna, isto é, tão generosamente quanto é consistente com suas riquezas na glória em Cristo Jesus. O Novo Testamento repetidamente apresenta Cristo Jesus como a fonte de todas as riquezas de Deus. Nele "estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento" (Cl 2.3), para o Paul Colossenses escreveu: "Pois foi bom prazer do Pai por toda a plenitude a habitar nele .... Porque nele todos os plenitude da divindade habita em forma corpórea "(Cl 1.19; 2.9). "O Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo... tem-nos abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo" (Ef 1.3). Em Efésios 1.23 o apóstolo descreveu Jesus como "Aquele que preenche tudo em todos", e lembrou o Corinthians de "a graça de Deus que foi dada [eles] em Cristo Jesus, que em tudo [que] foram enriquecidos nEle "(1Co 1.4-5). Repetindo esse pensamento, Pedro escreveu: "Seu divino poder concedido a tudo nos diz respeito à vida e à piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou por Sua própria glória e virtude" (2Pe 1.3).
  4. 4. As lições cruciais na contentamento ilustrados aqui na vida de Paulo pode ser resumida em cinco palavras: fé, humildade, submissão, dependência, altruísmo e. Essas virtudes caracterizam todos os que já aprendi a contentar. v. 17 - Paulo travou uma luta contra toda santificação “legalista”. Demonstrou particularmente aos colossenses (cf. o comentário à carta aos Colossenses) que quaisquer “estatutos” apenas servem para segregar partes de nossa vida para Deus, ao invés de ligar a vida toda com Deus, santificando-a. Em vista disso é característico para Paulo que justamente no final desse “recibo” sobre uma quantia recebida os pensamentos subam sem constrangimento até Deus. Não se trata de prender uma “cauda” espiritual a um assunto “mundano”. Paulo está profundamente imbuído de que o donativo que o “preenche” na realidade foi feito para Deus. Afinal, um “sacrifício” nunca é ofertado a pessoas, mas somente a Deus. Consequentemente também esse dinheiro, tão implacável e de fato muitas vezes “sujo”, é “um aroma sacrifical agradável, um sacrifício bem-vindo, aprazível para Deus”. Mas Deus não aceita nenhum presente. O fato de que os filipenses levantaram essa oferta em meio à necessidade e à pobreza em momento algum induz Paulo a ponderações que são habituais entre nós: vocês não precisavam ter doado tanto, pois vocês mesmos possuem tão pouco, não posso aceitar isso! Não, Paulo aparece diante da igreja que lhe traz donativos com atitude régia, como o procurador de um grande e rico Deus. “Meu Deus”, o Deus ao qual sirvo, o Deus cujo poder e fidelidade experimentei tantas vezes, “há de suprir cada uma de vossas necessidades segundo sua riqueza pela glória em Cristo Jesus”. Com certeza Paulo pensa, no começo da frase, nas diversas privações e dificuldades exteriores em Filipos. Deus pode “preencher todas as necessidades”, afinal é “rico”. Contudo, assim como nas intercessões de todas as cartas o olhar de Paulo imediatamente se dirigia para a constituição interior da vida eclesial, assim ele também situa as “necessidades” dos filipenses mais profundamente do que nas coisas que lhes faltam exteriormente. Mas justamente ali está muito mais à disposição deles a riqueza de Deus, que na verdade é uma “riqueza por glória em Cristo Jesus”. Naquilo em que os filipenses agora estão privados – também por causa de sua pronta doação para Paulo – eles por fim obterão glórias eternas. SAUDAÇÕES E FINALIZAÇÃO, vs 21-23 v.21 - Assim como a carta moderna, a carta antiga também termina com saudações. Inicialmente o próprio Paulo envia saudações. É verdade que a carta será lida na reunião da igreja perante todos. Mas para Paulo é importante que cada pessoa se sinta realmente saudada e que mesmo aqueles santos que – talvez escravos ou enfermos – não puderam estar presente por ocasião da leitura da carta recebam os votos. Por algum motivo Paulo enfatiza especialmente nesta carta o “todo” e “cada”. Na sua exortação de Fp 2.2 ele pede: tornem perfeita minha alegria por vocês, estabelecendo a unanimidade plena entre vocês; se isso acontece, é porque devem ter havido dificuldades nesse ponto, sem que já houvesse diferenças “dogmáticas” mais profundas, que realmente não podem ser constatadas na presente carta. Mesmo as tensões entre duas mulheres muito ativas na igreja não devem ter permanecido limitadas a elas pessoalmente. Com quanta facilidade isso poderia gerar pensamentos de ciúme e desconfiança até mesmo
  5. 5. em relação à comunhão com o apóstolo! Por isso Paulo pretende dizer mais uma vez no final: nenhuma pessoa na igreja está excluída de meu amor, de minhas lembranças e de minhas saudações. Cada um, como “santo em Cristo Jesus”, é precioso e importante para mim. Expressem isso também pelo fato de não privar ninguém de minha saudação! Apesar do endurecimento de sua prisão Paulo tem a possibilidade de estar pessoalmente junto de irmãos. Aqueles que no momento estão com ele enviam saudações. v. 22 - Contudo também “todos os santos”, ou seja, toda a igreja local, com os quais o apóstolo igualmente ainda pode manter relacionamentos intensos, saúdam os filipenses. Entre eles estão “principalmente os da casa do imperador”. O uso contemporâneo amplamente documentado assegura que aqui não se tinha em mente membros da família imperial, mas “empregados da corte do imperador”, que eram predominantemente escravos, além de alforriados. Tais “escravos imperiais” não existiam apenas em Roma, mas em todo o Império Romano. Há provas de que em Éfeso existiam “associações” de tais escravos de César. Consequentemente eles também podem ter existido em Filipos, uma colônia militar romana. No entanto a saudação muito especial dos empregados da corte com os quais o apóstolo preso está ligado não se deve ao fato de saberem da existência de companheiros de classe em Filipos. Nesse caso certamente haveria uma referência mais explícita. Tampouco devemos supor outras razões desconhecidas por trás desta saudação, de cunho pessoal. “Cristãos – e com certeza, verdadeiros cristãos! – no palácio e na corte de alguém como Nero!” – isso com certeza faziam com que os filipenses prestassem máxima atenção com gratidão, alegria e temor! Portanto o evangelho encontrara um caminho até mesmo para esse lugar! “Santos”, pessoas que são propriedade de Jesus e servem ao Deus verdadeiro e vivo, existem até na corte de César! Contudo, que dificuldade eles devem ter enfrentado! Justamente eles carecem muito da irmandade e da intercessão sustentadora das igrejas! É tudo isso que depreendemos do adendo: “principalmente os da casa de César”. Alegrai-vos com os milagres do poder de Jesus, que até mesmo aqui resgatou pessoas do pecado e da existência mortífera! Porém, não se esqueçam de nós, orem por nós, para que continuemos guardados em Cristo! v. 23 - Paulo gostava de acrescentar uma saudação final de próprio punho às cartas que ditava (p. ex., Gl 6.11; Cl 4.18; 2Ts 3.17). Aqui ele não faz isso de forma expressa. Mas o voto “A graça do Senhor Jesus Cristo com vosso espírito!” pode ter sido escrito por ele mesmo no final da carta. A palavra “espírito” ocorre para designar o ser humano interior propriamente dito. Contudo é empregada por Paulo especialmente em vista do cristão, no qual o Espírito de Deus separou a vida interior do âmbito meramente “psíquico”. Apenas agora o ser humano possui realmente um “espírito”. Mas também esse espírito, ao qual o Espírito de Deus atesta a condição de filho (Rm 8.16), carece permanentemente da “graça” de Jesus. Também os amados em Filipos só são “santos” “em Cristo Jesus”. Não existe um estado cristão “autônomo”, dissociado de Jesus. Viver integralmente da graça de Jesus é que perfaz o cristão pleno. Por essa razão esse último voto do apóstolo sintetiza tudo o que no final das contas se pode desejar a cristãos. Ainda assim é mais que um “desejo”! Ele, que é o “Senhor”, Jesus-Javé, Jesus, o Cristo, ele, diante de quem se dobrarão todos os joelhos no universo, ele é clemente com os filipenses. “A minha graça te basta”, disse Jesus a Paulo quando passava por grande tribulação. Por isso, tudo o que a carta tinha a dizer à igreja pode, em suma, descansar na certeza de que: “A graça do Senhor Jesus Cristo com vosso espírito!”.
  6. 6. Trabalhando todo contexto pesquisado: Concordância textual bíblica: 4.14- tomar Hb10.33; Ap 1.9. 4.15 - no princípio Fp 1.5; Macedônia Rm 15.26; comunicou 2Co 11.9. 4.16 - Tessalônica At 17.1; 1Ts 2.9. 4.17 - não 2Co 9.5; 1Co 9.11. 4.18- Epafrodito Fp 2.25; como cheiro 2Co 2.14; Ef 5.2. 4.19 - meu Deus 2Co 9.8; riquezas Rm 2.4. 4.20 - nosso Gl 1.4; seja Rm 11.36. 4.21 - os irmãos Gl 1.21. 4.22- todos 2Co 13.3; santos At 9.13. 4.23 - Graça Rm 16.20; seja 2Tm 4.22. INTRODUÇÃO Que até aqui os ensinamentos do apostolo aos filipenses tenha edificado nós todas essas treze lições, sendo Paulo um homem que se colocou a disposição do Senhor, Aos Filipenses, a epístola que destaca a alegria em meio aos sofrimentos e a gratidão de Paulo quanto a tudo vivido, sem contar com a doutrina existente no começo de filipenses 2.5, também a demonstração de amor, carinho demonstrado pela igreja no sustento e demais. Ao Senhor seja dada toda glória!!!! I – A PARTICIPAÇÃO DA IGREJA NAS TRIBULAÇÕES DE PAULO (4.14). 1. Os filipenses tomam parte nas aflições do apóstolo: para Paulo a participações dos filipenses era provisão de Deus para fortalecer o seu coração. 2. O exemplo da igreja após o pentecostes: a igreja de Filipos vivia na mesma dimensão da dos dia de Pentecostes de At 2.41-47( uma igreja exemplar; 1º formada de crentes batizados, unidos, com padrões definidos de doutrina, comunhão, amor e oração; 2º era segundo a autoridade dos apóstolos, seu ensino deriva-se de Cristo sendo preservado no NT; 3º o centro da comunhão era manifesta no “Ágape” (ex. santa ceia), na comunidade dos bens, e socorro dos necessitados; 4º louvor e alegria no Senhor; 5º frequência no culto; e 6º crescimento e excelente reputação). 3. O padrão de amor para a igreja: demonstra o padrão que deve ser de todo cristão (Hb 13.16). II – REMINISCÊNCIA: O ATO DE DAR E RECEBER (4.15-17).
  7. 7. 1. Paulo relembra o apoio dos filipenses: destaca o apoio recebido, e como eles se tornaram importante para avanço do Reino de Deus. 2. O necessário para viver: sempre era enviado o necessário, mostrando que Deus é quem estava com ele, sabendo que sempre precisamos do necessário de Deus para nossas vidas. 3. “Não procuro dádivas”: o dom gratuito que Paulo procurava era outro foco, a salvação como um todo, diferente de muitos, que a partir que se torna do ministério que ser superior. III – A OBLAÇÃO DE AMOR E SAUDAÇÕES FINAIS (4.18-23). 1. A oblação no Antigo Testamento: O sacrifício no AT era queimado no holocausto em sinal de agradecimento a Deus por tudo que tinha concedido, desde a vida até a morte.( Lv 1.3-7 - A oferta de gado (1.3-9). O termo hebraico traduzido por holocausto (’olah) significa, literalmente, “aquilo que vai para cima”. Também se chamava oferta queimada (9), porque o ’olah era totalmente queimado no altar (com exceção do couro que ia para o sacerdote). As vezes, o vocábulo e qualificado pelo adjetivo “todo”. Em outros sacrifícios, partes da oferta eram comidas pelos sacerdotes ou ate pelos ofertantes. Mas no holocausto, a oferta inteira subia para Deus por cheiro suave. Hirsch supõe que isto indique “a necessidade e a aspiração de ‘esforçar-se para subir mais alto’”.2 Micklem afirma que “significa autooblação total a Deus em louvor e amor”.3 Esta autoentrega e louvor estão impreterivelmente unidos na expiação, pois o versículo 4 diz que e para a expiação do ofertante. A totalidade da oferta e para Deus. A oferta tem de satisfazer as especificações divinas. E Deus quem determina o que e como deve ser dada. Tem de ser um macho sem mancha (3; “sem defeito”, NVI). Ha quem imagine que Paulo tinha esta oferta em mente quando exortou os romanos a apresentar os corpos em sacrifício vivo, totalmente aceitável a Deus (Rm 12.1,2). Só o melhor e suficientemente bom para Deus, e tem de ser oferecido sem reservas para que o homem seja aceito por Deus...). 2. A oblação e a generosidade dos filipenses: os filipenses tido pelo apóstolo como feitores da verdadeira oblação, a respeito de sua assistência em todos os momentos, e que Deus recebera como cheiro suave, e que seus atos agradaram ao Senhor. 3. Doxologia: saudação final à igreja de Filipos, concluindo de forma não menos que: “A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. Amém!” lembrando-os que a graça do Senhor estariam com eles enquanto estivesse neste sentimento. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA: http://www.priberam.pt/ Lições Bíblicas. CPAD - 3º trimestre de 2013; Explicada, A Bíblia. CPAD - 2000. VIDA Nova, Bíblia. SBB - 1976. Contemporâneo, Novo Comentário Bíblico. Editora Vida. Dake, Bíblia de Estudo. Ed. Atos - 2010. BEACON, Comentário Bíblico. CPAD – 2005. NVI, Comentário Bíblico. Editora Vida – 2009.
  8. 8. ----- CFA -----

×