15-09-2011Inovação e mudança na educação: o quê, como e para onde?                   Escola Secundária Romeu Correia, 15 d...
15-09-2011                                    A mudança na esfera educativa                                      A constru...
15-09-2011                        A mudança na esfera educativa                                                           ...
15-09-2011     Perspectivas internacionais sobre a inovação em educação. As propostas da OCDE-CERI     (Centre for Educati...
15-09-2011           Perspectivas internacionais e nacionais sobre a inovação em educação.           As propostas da OCDE-...
15-09-2011            As lições das Escolas que em Portugal apesar-de-tudo-conseguemProjecto Escolas de Futuro (parceria M...
15-09-2011            As lições das Escolas que em Portugal apesar-de-tudo-conseguemFactores-chave de inovação e qualidade...
15-09-2011              Mudança e inovação na educação : cenários para o futuro                                  Desenvolv...
15-09-2011             Mudança e inovação na educação : que paradigmas para o futuro?               Concepções da educação...
15-09-2011         Mudança e inovação na educação : que concepções para o futuro?                                         ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Conferencia fernando serra almada 15 set 2011

647 visualizações

Publicada em

Apresentação do Prof. Dr. Fernando Serra, na Conferência sobre "Inovação e mudança em Educação", na Escola Secundária Romeu Correia, Almada a 15 Setembro de 2011.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
647
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conferencia fernando serra almada 15 set 2011

  1. 1. 15-09-2011Inovação e mudança na educação: o quê, como e para onde? Escola Secundária Romeu Correia, 15 de Setembro de 2011 Fernando Humberto Serra fserra@iscsp.utl.pt (Redacção pré-acordo ortográfico) Contextos e níveis de mudança na sociedade Um modelo de análise do funcionamento da sociedade (adap. Touraine, 1973; Bertrand & Valois, 1994) CAMPO PARADIGMÁTICO (Generalizações, concepções e crenças acerca do ser humano, da natureza da realidade e da vida em sociedade) CAMPO POLÍTICO (Espaço onde se opera a transformação das orientações definidas pelo campo paradigmático em normas, leis e regras) CAMPO ORGANIZACIONAL (área onde as normas, as leis e as regras são transformadas em práticas) 1
  2. 2. 15-09-2011 A mudança na esfera educativa A construção social e política da educação Campo intelectual e científico Produção intelectual da educação Mudança cultural- (intelligentsia; comunidades epistémicas: intelectuais e especialistas ): epistémica: e científica Debates e conhecimento (investigação, debates, controvérsias) Campo da justificação Selecção Campo político da técnico-científica da Mudança jurídico- política educação educação normativa: (políticos) (técnicos, peritos, especialistas) Decisões políticas de topo (mandatos; orientações; normativos) Campos organizacionais de contextualização Mudança nas Contextualização dinâmicas e práticas local local locais Escolas, estabelecimentos educativos e de formação, agentes educativos e suas práticas (pedagógicas e administrativas) A mudança na esfera educativa •Mudança planificada em larga escala •Implica opções políticas e redefinição de finalidades e objectivos educativos Reformas instituídas ou •Medidas legislativas nacionais tutelares •Planificação sequencial e racional: investigação; experimentação: generalização •Não leva em conta as estratégias dos actores e dos contextos As duas lógicas de •Apoia-se numa formação estandardizada, fora dos contextos concretos demudança em educação trabalho(adap. Carvalho & F. Diogo, 2001; Canário, 2005) •Mudança restrita, espontânea, de carácter singular e inventivo Iniciativas •Endógena aos contextos inovadoras •Dificilmente controlável e avaliável instituintes •De generalização difícil ou impossível •Dificilmente afecta o sistema global •Os professores envolvidos são por vezes ignorados ou mesmo marginalizados 2
  3. 3. 15-09-2011 A mudança na esfera educativa As iniciativas As grandes reformas inovadoras nas tutelares apenas A DUPLA INEFICÁCIA escolas têm um produzem mudança estatuto periférico e de tipo formal marginal Solução de compromissoPerspectivas nacionais sobre a inovação em educação. Evolução das estratégias de apoioà inovação em Portugal (1960-2000) (cf. Brederode Santos, Noesis, n.º 65, 2006) Ex. LBSE e RSE - Reforma do Sistema Educativo (1986) Mudar de “cima para baixo” Ex. Sistema de Incentivos à Qualidade da Educação (1993) Despacho n.º 113/ME/93 Mudar de “baixo para cima” Mudar em “vaivém” e “por medida” Ex. Programa Boa Esperança (1998) Despacho n.º 6366/98 de 17 de Abril Mudar na “horizontal” ou “em Ex. Iniciativas “Da escola para a rede” escola 3
  4. 4. 15-09-2011 Perspectivas internacionais sobre a inovação em educação. As propostas da OCDE-CERI (Centre for Educational Research and Innovation) http://www.oecd.org/department/0,3355,en_2649_35845581_1_1_1_1_1,00.html • Origem: O CERI – Criado em 1968 – Principal organismo do Directorado da Educação da OCDE – Reputação internacional • Acção: – Análise de tendências e temas emergentes Acção – Perspectiva de médio e longo prazos (5 – 10 anos) • Estratégia de trabalho – Implicação de todos os países membros, em pequenos grupos Metodologia – Apoio de especialistas para a investigação e análise – Participação em redes multidisciplinares, nacionais e internacionais • Disseminação – Destinatários: investigadores; políticos; agentes educativos Divulgação – Conferências; publicações; relatórios; brochuras; newsletters, etc. Perspectivas internacionais e nacionais sobre a inovação em educação. As propostas da OCDE-CERI (Centre for Educational Research and Innovation) http://www.oecd.org/department/0,3355,en_2649_35845581_1_1_1_1_1,00.html A INOVAÇÃO • A inovação é a implementação de novos produtos (bens ou Definição segundo a OCDE(Manual Oslo - tradução livre) serviços), processos, estratégias de marketing ou processos organizacionais. • Inovação de produto TIPOS DE • Inovação de processos INOVAÇÃO • Inovação de marketing • Inovação organizacional 4
  5. 5. 15-09-2011 Perspectivas internacionais e nacionais sobre a inovação em educação. As propostas da OCDE-CERI (Centre for Educational Research and Innovation) http://www.oecd.org/department/0,3355,en_2649_35845581_1_1_1_1_1,00.html INOVAÇÃO DE • Bem ou serviço novo ou significativamente melhorado. PRODUTO Na educação: – um novo currículo ou a sua melhoria; um novo software educacional, etc. INOVAÇÃO DE • Modo de produção ou procedimento novo ou significativamente PROCESSO melhorado. Na educação: – Por exemplo, uma nova pedagogia, ou uma clara melhoria das abordagens já existentes Perspectivas internacionais e nacionais sobre a inovação em educação. As propostas da OCDE-CERI (Centre for Educational Research and Innovation) http://www.oecd.org/department/0,3355,en_2649_35845581_1_1_1_1_1,00.html • Um novo método de marketing implicando uma significativa alteração no INOVAÇÃO DE design do produto, no seu empacotamento, armazenamento, promoção MARKETING ou preço. Na educação: – Uma nova imagem e simbologia da escola; uma nova estratégia de comunicação junto das famílias; uma nova estratégia de divulgação da escola na comunidade. • Introdução de novos métodos organizacionais , reestruturação dos locais INOVAÇÃO de trabalho, novos modos de relacionamento com o ambiente externo.ORGANIZACIONAL Na educação: – Novos modos de organização do trabalho dos docentes, alterações dos modos de gestão e administração, etc. 5
  6. 6. 15-09-2011 As lições das Escolas que em Portugal apesar-de-tudo-conseguemProjecto Escolas de Futuro (parceria Ministério da Educação; EPIS, e McKinsey & Company (2007-2009) INVESTIGAÇÃO • Inquérito em cerca de 500 escolas • Entrevistas em profundidade a presidentes de conselhos executivos de 29 escolas • Estudos de caso em 3 escolas BOAS PRÁTICAS • Elaboração de um manual de boas práticas nas diferentes áreas da gestão escolar: gestão estratégica, gestão da actividade pedagógica e gestão de áreas e actividades de suporte As lições das Escolas que em Portugal apesar-de-tudo-conseguem Estudo de Ana Nascimento et al, (2010)* Dois agrupamentos e três escolas secundárias do país, considerados como tendo desenvolvido práticas inovadoras e dinâmicas (escolas e agrupamentos não isentas de problemas e fragilidades) Situadas em comunidades caracterizadas pela: – pobreza – imigração – desemprego – falta de acompanhamento familiar – baixa escolaridade da população – falta de expectativas positivas *In Estado da Educação, Relatório online CNE, acessível em http://www.cnedu.pt/index.php?option=com_wrapper&view=wrapper&Itemid=1116&lang=pt 6
  7. 7. 15-09-2011 As lições das Escolas que em Portugal apesar-de-tudo-conseguemFactores-chave de inovação e qualidade (Nascimento et al, 2010):1. Abertura ao mundo e compromisso para com a comunidade local2. Escola como locus de acção colectiva3. Centralidade no trabalho escolar e na aprendizagem das crianças e jovens4. Capacidade para gerir percursos educativos diversos ajustados às diferentes necessidades, vocações e oportunidades5. Construção de um percurso organizacional sustentável, implicando práticas institucionalizadas de reflexão, inovação e auto-regulação Mudança e inovação na educação : cenários para o futuro Desenvolvimento da mudança: Mudança planeada (previsível, estável; desejada internamente) Intensidade da mudança: Fraca Forte Mudança não planeada (imprevisível; indesejada; forçada por factores externos) 7
  8. 8. 15-09-2011 Mudança e inovação na educação : cenários para o futuro Desenvolvimento da mudança: Mudança planeada (previsível, estável; desejada internamente) Incremental Transformacional CONSERVADORISMO INOVAÇÃOIntensidadeda mudança: Forte Fraca Evolucionária Turbulência REFORMISMO ADAPTATIVO RUPTURA Mudança não planeada (imprevisível; indesejada; forçada por factores externos) Mudança e inovação na educação : cenário muito provável: mudança por reacção adaptativa , turbulência e resistência à inovação Desenvolvimento da mudança: Mudança planeadaIntensidadeda mudança: Conservadorismo Inovação Fraca Forte Reformismo adaptativo Turbulência Mudança não planeada 8
  9. 9. 15-09-2011 Mudança e inovação na educação : que paradigmas para o futuro? Concepções da educação, concepções curriculares e práticas educativas Concepções do ser humano CONCEPÇÕES; IDEIAS; CRENÇAS Fins da Educação Concepções do conhecimento e da aprendizagem Concepções do currículo Práticas de ensino PRÁTICAS 2 Concepções da educação, concepções curriculares e práticas educativas (adap. A. Carvalho & F. Diogo, 2001) Tradicional Comportamen- Humanista Sócio-crítica Cognitivista talista Ética judaico-cristã Cientismo positivista Rosseau e o Reconstrucionismo PerspectivasOrigens Elementos da behaviorismo Romantismo social interaccionistas e Antiguidade Clássica Análise sistémica de Ideologias políticas de construtivistas tipo funcionalista EsquerdaConcepção do ser Essencialista e dualista Homem como produto Bondade inata da Ser humano como Sistema aberto, sujeitohumano de um meio controlador criança face a uma totalidade bio-psico- a reestruturações sociedade corrupta e social sucessivas e adaptativas repressiva ao meio Transmissão de Transmissão de uma Favorecer o Contribuir para a Articular conteúdosFins da educação verdades, de modelos cultura que habilite o desenvolvimento livre construção de uma culturais e autonomia (ideais) homem a controlar o da criança que não deve nova ordem social do sujeito seu ambiente (físico, ser esmagada pela Formação de pessoas social, cultural) racionalidade científica críticas e empenhadas na mudança socialConcepção do Determinista Conhecimento como Experiência pessoal e Visão dinâmica do Conhecimento comoconhecimento e da resultado directo da subjectiva como o conhecimento construção contínua Conhecimento experiência (empirismo) fundamento do Carácter instrumental Desenvolvimento comoaprendizagem abstracto-dedutivo processo de construção do conhecimento: serve um processo interno do conhecimento para resolver problemas Ênfase na disciplina Currículo como sistema Centrado no aluno Ênfase no currículo Saberes organizados deConcepção de intelectual e dos tecnológico de Deve criar uma oculto e no contexto da acordo com o conhecimentos produção atmosfera de liberdade acção educativa desenvolvimento dacurrículo abstractos Definição de metas e e de auto- estrutura cognoscitiva: Focado na herança objectivos de responsabilidade hierarquia; relação, cultural aprendizagem significado, etc. Centradas nos Ênfase na eficácia do Assente na liberdade de Professor como um Assente na actividadePráticas de ensino conteúdos e no acto educativo aprender (não- investigador e um do aluno professor Métodos e tecnologia directividade) agente comprometido Papel do grupo Auditorium-scriptorium educativa Professor como guia ou social e politicamente Professor como Pedagogia por facilitador Trabalho em equipa orientador e objectivos coordenador 9
  10. 10. 15-09-2011 Mudança e inovação na educação : que concepções para o futuro? ????????? TradicionalComportamentalista Cognitivista Sociocrítica Humanista É tempo de concluir… Inovação e mudança na educação: o quê, como e para… AGRADEÇO A ATENÇÃO! Fernando Humberto Serra fserra@iscsp.utl.pt 10

×