SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Baixar para ler offline
DIMENSIONAMENTO DE
INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE UMA
RESIDÊNCIA UNIFAMILIAR DE UM
PAVIMENTO
ALUNO: ALLAN VICTOR DE SOUSA SILVA
MATRÍCULA: 6101668
ORIENTADOR: IGOR AMINTAS
CURSO: ENGENHARIA CIVIL - UNIGRANRIO
INTRODUÇÃO
• Um projeto pode ser definido como uma descrição escrita e
detalhada de um empreendimento. Da mesma forma que um
projeto estrutural é uma representação detalhada de todas as
suas peças estruturais, dimensões, aços, plantas de locações e
os demais elementos. Um projeto elétrico é a previsão escrita
da instalação, com todos os seus detalhes, localização dos
pontos de utilização de energia elétrica, comandos, trajeto dos
condutores, divisão dos circuitos, seção dos condutores,
dispositivos de manobra, carga de cada circuito, carga total da
instalação, entre outros.
OBJETIVOS GERAIS
• Durante o trabalho são mostrados os pontos normativos da principal norma
brasileira referente a projeto elétrico, a NBR 5410 – instalações elétricas de
baixa tensão. Os aspectos normativos são de fundamental importância para um
dimensionamento de forma eficiente e correta. As concessionárias locais têm,
em sua grande maioria, normas ou regulamentos próprios que foram seguidos
para que o seu empreendimento tenha o fornecimento de energia elétrica feito
por elas.
• O objetivo deste trabalho é a elaboração de um projeto técnico de instalações
elétricas em baixa tensão. Sua correta estruturação é de fundamental
importância, pois ele, sendo empenhado por um profissional da área pertinente,
traz diversos benefícios, tanto a construção quanto as pessoas e animais que a
utilizam, dentre os quais: eficiência, segurança e economia.
METODOLOGIA
• Foi utilizado o método de pesquisa básica com a finalidade de
elaborar um projeto técnico de instalações elétricas residenciais
de baixa tensão, analisando os dados obtidos com o estudo e
com a elaboração do projeto. A finalidade da pesquisa é avaliar
e poder definir através dos estudos, os dados de levantamento
de carga, diversos dimensionamentos, para que ao final o
projeto possa ser aplicado de forma segura, eficiente e
econômica.
DESCRIÇÃO DO PROJETO RESIDENCIAL
• O projeto arquitetônico a ser apresentado neste trabalho para a
elaboração do projeto elétrico residencial de baixa tensão, foi
elaborado pelo autor deste trabalho, com o objetivo de detalhar
todo o processo de construção desde o projeto até a
apresentação final para o cliente final. Com área total do
terreno de: 167,89m², a residência conta com sala de estar,
sala de jantar, 2 quartos, banheiro, área de serviço e cozinha. A
residência conta com uma área total construída de: 73,83m².
Planta 1- Arquitetônica
Fonte: Autor
NORMAS APLICADAS
• NBR 5410:2004 – Instalações Elétricas de Baixa Tensão;
• NBR 5444:1989 – Símbolos gráficos para instalações
elétricas prediais;
• NBR 5361:1998 – Disjuntores de baixa tensão.
NBR 5410
• A norma NBR 5410:2004 tem como objetivo principal,
estabelecer as condições que devem satisfazer as instalações
elétricas de baixa tensão, objetivando garantir a segurança das
pessoas e dos animais, além de seu funcionamento adequado.
• DEFINIÇÕES DA NORMA
• Dispositivo de proteção a corrente diferencial-residual
• Quadro de distribuição principal
• Ponto de entrega
DIVISÃO DAS INSTALAÇÕES
• A divisão da instalação em circuitos deve atender a norma NBR 5410:2004 as
seguintes exigências:
• Segurança;
• Conservação de energia;
• Funcionais;
• Produção;
• Manutenção.
• A norma também exige que sejam previstos circuitos diferentes para cada parte
da instalação que requeira uso específico (por exemplo, circuitos de chuveiros).
Devem ser previstos ampliações e circuitos para necessidades futuras,
ampliações essas devem se refletir não só na potência de alimentação, mas
também na taxa de ocupação dos condutos e dos quadros de distribuição.
LEVANTAMENTO DE CARGA
• Pontos de iluminação
• Pontos de tomadas
• TUG’s e TUE’s
• Potência de iluminação
• Potência de tomadas
DISPOSITIVOS DE PROTEÇÃO
• Dispositivos que protejam apenas contra curtos-circuitos
(disjuntores eletromagnéticos e fusíveis);
• Dispositivos que assegurem apenas contra sobrecargas
(disjuntores térmicos e reles térmicos);
• Dispositivos de proteção contra curtos-circuitos e
sobrecargas (disjuntores com proteção térmica e
eletromagnética).
DESENVOLVIMENTO
• LEVANTAMENTO DE CARGAS
• Baseando-se no projeto residencial, inicialmente temos os valores de
áreas e os perímetros de cada cômodo.
Ambientes
Área
(m²)
Perímetro
(m)
Área de
Serviço 5,95 10,3
Sala 9,91 12,6
Dormitório
1 11,05 13,3
Dormitório
2 10,71 13,1
Cozinha 11,44 13,6
Copa 9,59 12,45
Circulação 1,79 5,37
Banheiro 4,14 8,2
TOTAL 64,58
Ambientes
Área
(m²)
Perímetro
(m)
Iluminação TUG's TUE's
Pot.
(VA)
Nº
pts
Pot.
(VA)
Nº
pts Equip.
Pot.
(W)
Área de Serviço 5,95 10,3 100 1 1800 3 - -
Sala 9,91 12,6 100 1 400 3 - -
Dormitório 1 11,05 13,3 160 1 400 3 - -
Dormitório 2 10,71 13,1 160 1 400 3 - -
Cozinha 11,44 13,6 160 1 2000 4 - -
Copa 9,59 12,45 100 1 1900 4 - -
Circulação 1,79 5,37 100 1 600 1 - -
Banheiro 4,14 8,2 100 1 600 1
Chuvei
ro 5000
TOTAL 64,58 980 8 8100 22 5000
Quadro 1 - Cargas estimadas e Equipamento
Fonte: Autor
Fonte: Autor
Tabela 1 - Perímetros e áreas
DIVISÃO DE CIRCUITOS
• A divisão de circuitos é extremamente importante para um projeto elétrico,
pois faze-la de forma errada acarretará em problemas nas instalações, como
por exemplo cabos com seções maiores do que o necessário, pode resultar
problemas até mesmo na capacidade do conduite de transportar os cabos
entre outros problemas.
Circuitos Tipo Descrição
Nº de
pontos
Potência
(W)
1 Ilum. Iluminação 1 4 460
2 Ilum. Iluminação 2 5 620
3,4 TUE's Chuveiro 1 5000
5 TUG's TUG's Dorm. 2 4 320
6 TUG's TUG's Copa 4 1520
7 TUG's
TUG's Sala e Dorm.
1 8 640
8 TUG's TUG's Cozinha 5 1600
9 TUG's TUG's Banh. E Circ. 2 960
11 TUG's TUG's Área de Serv. 3 1440
TOTAL 12560
Quadro 2 - Divisão de circuitos
Fonte: Autor
PLANTA DE PONTOS DE ILUMINAÇÃO E
TOMADAS
Quadro 2 - Divisão de circuitos
Planta 2- Planta de pontos de iluminação e tomadas
Fonte: Autor
DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES
• Com a divisão dos circuitos efetuada, temos a potência de cada circuito. Nessa etapa
existem duas correntes: a corrente de projeto e a corrente corrigida. A corrente de
projeto é a corrente nominal, é a potência do circuito dividida pela tensão de
alimentação. A corrente corrigida é o quociente da corrente nominal pelos fatores de
correção.
Número de
Circuitos
Fator de
Agrupamento
1 1.00
2 0.80
3 0.70
4 0.65
5 0.60
6 0.57
7 0.54
8 0.52
9 a 11 0.50
12 a 15 0.45
16 a 19 0.41
> 19 0.38
Tabela 2 – Fator de agrupamento
Fonte: NBR 5410
QUADRO DE CONDUTORES E DISJUNTORES
Circ. Descrição
Pot. Total
(VA)
Corrente
Nominal (A)
FCA
Corrente
Corrigida (A)
Disjuntor (A)
Seção do
Condutor
adotado (mm²)
1 Iluminação 1 460 3,62 0,7 5,17 10 1,5
2 Iluminação 2 620 4,88 0,7 6,97 10 1,5
3,4 Chuveiro 5000 22,73 1 22,73 32 4
5 TUG's Dorm. 2 400 3,15 0,7 4,50 20 2,5
6 TUG's Copa 1900 14,96 0,8 18,70 20 2,5
7
TUG's Sala e
Dorm. 1
800 6,30 0,7 9,00 20 2,5
8 TUG's Cozinha 2000 15,75 0,8 19,69 20 2,5
9
TUG's Banh. E
Circ.
1200 9,45 0,7 13,50 20 2,5
11
TUG's Área de
Serv.
1800 14,17 0,8 17,72 20 2,5
Quadro 3 – Condutores e Disjuntores
Fonte: Autor
DIMENSIONAMENTO DOS ELETRODUTOS
• Os eletrodutos são dimensionados de uma forma parecida com o fator de
agrupamento. Em um trecho são contados quantos condutores passam dentro do
mesmo eletroduto e baseado nisso dimensionamos a seção do mesmo.
Considerando que a Norma 5410 recomenda que somente 40% da seção do
eletroduto esteja ocupada.
Seção Nominal
(mm²)
Número de condutores no eletroduto
2 3 4 5 6 7 8 9 10
1,5 16 16 16 16 16 16 20 20 20
2,5 16 16 16 20 20 20 20 25 25
4 16 16 20 20 20 25 25 25 25
6 16 20 20 25 25 25 25 32 32
10 20 20 25 25 32 32 32 40 40
16 20 25 25 32 32 40 40 40 40
25 25 32 32 40 40 40 50 50 50
35 25 32 40 40 50 50 50 50 60
50 32 40 40 50 50 60 60 60 70
70 40 40 50 50 60 60 75 75 75
Tabela 3 – Dimensionamento de
eletrodutos
Fonte: NBR 5410
PLANTA DE CIRCUITOS ELÉTRICOS
Planta 3- Planta de circuitos elétricos
Fonte: Autor
FORNECIMENTO DE ENERGIA
• O fornecimento de energia é baseado nas normas de fornecimento da
ENEL Distribuidora de Energia.
• Os cálculos de potência de demanda foram feitos de acordo com as
normas da empresa de fornecimento de energia, da seguinte forma:
• D = a + ( b1 + b2 + b3 + b4 + b5 + b6 + b7 + b8 ) + c + d + e
• D = (8987 x 0,31) + ((5000 x 1,00) + b2 + b3 + b4 + b5 + b6 + b7
+ b8 ) + c + d + e
• Onde 0,31 é referente a 31%, valor retirado da tabela a seguir.
TABELA DE FATOR DE DEMANDA (ENEL)
Tabela 4 – Fator de demanda
Fonte: NTC 04 - ENEL
RESULTADOS
Fornecimento
Tipo de Alimentador Bifásico
Carga Instalada (VA) 13467 VA
Ramal de distribuição 16mm²
Medição 63A
Disjuntor Geral 63A
Como resultado final temos o quadro de cargas e as características do sistema.
O sistema será um bifásico com proteção geral de 63A e tensão de trabalho de
127/220V.
Circ. Descrição
Pot.
Total
(VA)
Corrente
Nominal
(A)
FCA
Corrente
Corrigida
(A)
Disjuntor
(A)
Seção do
Condutor
adotado
(mm²)
1 Iluminação 1 460 3,62 0,7 5,17 10 1,5
2 Iluminação 2 620 4,88 0,7 6,97 10 1,5
3,4 Chuveiro 5000 22,73 1 22,73 32 4
5
TUG's Dorm.
2
400 3,15 0,7 4,50 20 2,5
6 TUG's Copa 1900 14,96 0,8 18,70 20 2,5
7
TUG's Sala e
Dorm. 1
800 6,30 0,7 9,00 20 2,5
8
TUG's
Cozinha
2000 15,75 0,8 19,69 20 2,5
9
TUG's Banh.
E Circ.
1200 9,45 0,7 13,50 20 2,5
11
TUG's Área
de Serv.
1800 14,17 0,8 17,72 20 2,5
Quadro 4 – Quadro de Cargas
Fonte: Autor
Tabela 5 – Características do sistema
Fonte: Autor
PLANTA DE CIRCUITOS ELÉTRICOS
Planta 4 – 3D Circuitos elétricos
Fonte: Autor
CONSIDERAÇÕES FINAIS
• Os projetos, em âmbito geral, exigem bom-senso dos
projetistas, com o projeto elétrico, não poderia ser diferente.
As locações dos pontos, em sua maioria, não trazem aspectos
normativos, cabendo ao projetista a sua distribuição. Dessa
forma, se faz necessário um conhecimento prático algum tipo
de experiência para um bom desempenho no projeto
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
• ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR
5410:2004: Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Rio de
Janeiro, 2004.
• CAVALIM, G. Instalações Elétricas Prediais.19ª edição. São
Paulo: Erica, 2009
• NTC-04 Revisão 4. NORMA TÉCNICA SELG. Goiás, 2016.
• VILLAR, G. J. de V. Projeto de instalações elétricas de baixa
tensão. CEFET/RN. Natal/RN, 2003.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projetos elétricos residenciais - Palestra 1 de 4
Projetos elétricos residenciais - Palestra 1 de 4Projetos elétricos residenciais - Palestra 1 de 4
Projetos elétricos residenciais - Palestra 1 de 4Sala da Elétrica
 
Levantamento de carga
Levantamento de cargaLevantamento de carga
Levantamento de cargaCarlos Melo
 
DET1 Simbologia Desenho Elétrico
DET1 Simbologia Desenho ElétricoDET1 Simbologia Desenho Elétrico
DET1 Simbologia Desenho Elétricosinesiogomes
 
Dicas instalações elétricas prediais - residenciais
Dicas   instalações elétricas prediais - residenciaisDicas   instalações elétricas prediais - residenciais
Dicas instalações elétricas prediais - residenciaisFermi Xalegre
 
Projeto instalações predial sapres projeto instalacoes. pdf
Projeto  instalações predial sapres projeto instalacoes. pdfProjeto  instalações predial sapres projeto instalacoes. pdf
Projeto instalações predial sapres projeto instalacoes. pdfMa Dos Anjos Pacheco
 
005 previsão de cargas
005 previsão de cargas005 previsão de cargas
005 previsão de cargaskrigues
 
Projeto de instalação elétrica residencial
Projeto de instalação elétrica residencialProjeto de instalação elétrica residencial
Projeto de instalação elétrica residencialLuiz Avelar
 
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio becoEstruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio becoJonatas Ramos
 
Nbr 12214 nb 590 projeto de sistema de bombeamento de agua para abastecimen...
Nbr 12214 nb 590   projeto de sistema de bombeamento de agua para abastecimen...Nbr 12214 nb 590   projeto de sistema de bombeamento de agua para abastecimen...
Nbr 12214 nb 590 projeto de sistema de bombeamento de agua para abastecimen...Laise Bastos
 
Instalações elétricas comerciais
Instalações elétricas comerciaisInstalações elétricas comerciais
Instalações elétricas comerciaisAnderson Rodrigues
 
Dimensionamento de Tubulações Hidraulicas
Dimensionamento de Tubulações HidraulicasDimensionamento de Tubulações Hidraulicas
Dimensionamento de Tubulações HidraulicasGuilherme Camargos
 
NBR 14039 instalações elétricas de média tensão
NBR 14039   instalações elétricas de média tensãoNBR 14039   instalações elétricas de média tensão
NBR 14039 instalações elétricas de média tensãoPontes Eletrico
 
3 Métodos para calcular a corrente de curto circuito (1) (7)
3 Métodos para calcular a corrente de curto circuito (1) (7)3 Métodos para calcular a corrente de curto circuito (1) (7)
3 Métodos para calcular a corrente de curto circuito (1) (7)Sala da Elétrica
 
Apostila CEFET - Instalações Elétricas
Apostila CEFET - Instalações ElétricasApostila CEFET - Instalações Elétricas
Apostila CEFET - Instalações ElétricasFermi Xalegre
 
Eletricista predial previsão de carga-carlos eduardo
Eletricista predial previsão de carga-carlos eduardoEletricista predial previsão de carga-carlos eduardo
Eletricista predial previsão de carga-carlos eduardoCarlos Melo
 
E cap 5- divisão da instalação em circuitos
E cap 5- divisão da instalação em circuitosE cap 5- divisão da instalação em circuitos
E cap 5- divisão da instalação em circuitosAndré Felipe
 

Mais procurados (20)

Projetos elétricos residenciais - Palestra 1 de 4
Projetos elétricos residenciais - Palestra 1 de 4Projetos elétricos residenciais - Palestra 1 de 4
Projetos elétricos residenciais - Palestra 1 de 4
 
Antenas 1
Antenas 1Antenas 1
Antenas 1
 
Levantamento de carga
Levantamento de cargaLevantamento de carga
Levantamento de carga
 
DET1 Simbologia Desenho Elétrico
DET1 Simbologia Desenho ElétricoDET1 Simbologia Desenho Elétrico
DET1 Simbologia Desenho Elétrico
 
Dicas instalações elétricas prediais - residenciais
Dicas   instalações elétricas prediais - residenciaisDicas   instalações elétricas prediais - residenciais
Dicas instalações elétricas prediais - residenciais
 
Apostila predial 2
Apostila predial 2Apostila predial 2
Apostila predial 2
 
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdfDA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
 
Projeto instalações predial sapres projeto instalacoes. pdf
Projeto  instalações predial sapres projeto instalacoes. pdfProjeto  instalações predial sapres projeto instalacoes. pdf
Projeto instalações predial sapres projeto instalacoes. pdf
 
005 previsão de cargas
005 previsão de cargas005 previsão de cargas
005 previsão de cargas
 
Projeto de instalação elétrica residencial
Projeto de instalação elétrica residencialProjeto de instalação elétrica residencial
Projeto de instalação elétrica residencial
 
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio becoEstruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
 
Nbr 12214 nb 590 projeto de sistema de bombeamento de agua para abastecimen...
Nbr 12214 nb 590   projeto de sistema de bombeamento de agua para abastecimen...Nbr 12214 nb 590   projeto de sistema de bombeamento de agua para abastecimen...
Nbr 12214 nb 590 projeto de sistema de bombeamento de agua para abastecimen...
 
Instalações elétricas comerciais
Instalações elétricas comerciaisInstalações elétricas comerciais
Instalações elétricas comerciais
 
Dimensionamento de Tubulações Hidraulicas
Dimensionamento de Tubulações HidraulicasDimensionamento de Tubulações Hidraulicas
Dimensionamento de Tubulações Hidraulicas
 
NBR 14039 instalações elétricas de média tensão
NBR 14039   instalações elétricas de média tensãoNBR 14039   instalações elétricas de média tensão
NBR 14039 instalações elétricas de média tensão
 
3 Métodos para calcular a corrente de curto circuito (1) (7)
3 Métodos para calcular a corrente de curto circuito (1) (7)3 Métodos para calcular a corrente de curto circuito (1) (7)
3 Métodos para calcular a corrente de curto circuito (1) (7)
 
Apostila CEFET - Instalações Elétricas
Apostila CEFET - Instalações ElétricasApostila CEFET - Instalações Elétricas
Apostila CEFET - Instalações Elétricas
 
Eletricista predial previsão de carga-carlos eduardo
Eletricista predial previsão de carga-carlos eduardoEletricista predial previsão de carga-carlos eduardo
Eletricista predial previsão de carga-carlos eduardo
 
E cap 5- divisão da instalação em circuitos
E cap 5- divisão da instalação em circuitosE cap 5- divisão da instalação em circuitos
E cap 5- divisão da instalação em circuitos
 
08 quadro de distribuição
08  quadro de distribuição08  quadro de distribuição
08 quadro de distribuição
 

Semelhante a Projeto elétrico residência unifamiliar

Manual instal eletricas_prova
Manual instal eletricas_provaManual instal eletricas_prova
Manual instal eletricas_provaPedro Cruz
 
Dimensionamento de condutores
Dimensionamento de condutoresDimensionamento de condutores
Dimensionamento de condutoresAnderson Silva
 
Manual de instala__es_el_tricas_2_1
Manual de instala__es_el_tricas_2_1Manual de instala__es_el_tricas_2_1
Manual de instala__es_el_tricas_2_1Ueslei Santos
 
INSTALA%C3%87%C3%95ES EL%C3%89TRICAS RESIDENCIAIS PARTE 2.pdf
INSTALA%C3%87%C3%95ES EL%C3%89TRICAS RESIDENCIAIS PARTE 2.pdfINSTALA%C3%87%C3%95ES EL%C3%89TRICAS RESIDENCIAIS PARTE 2.pdf
INSTALA%C3%87%C3%95ES EL%C3%89TRICAS RESIDENCIAIS PARTE 2.pdfCristianoNardesPause1
 
Apostila instalações eletricas residenciais
Apostila   instalações eletricas residenciaisApostila   instalações eletricas residenciais
Apostila instalações eletricas residenciaisJarbas Rossatto
 
te344 aula 08 - divisao da instalacao_(2) (1).pdf
te344 aula 08 - divisao da instalacao_(2) (1).pdfte344 aula 08 - divisao da instalacao_(2) (1).pdf
te344 aula 08 - divisao da instalacao_(2) (1).pdfPriscilla Ramallo
 
Apresentação Projecto.pptx
Apresentação Projecto.pptxApresentação Projecto.pptx
Apresentação Projecto.pptxAmericoTivane
 
PADRONIZAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA ELÉTRICA DE UNIDADES CONSUMIDORAS DE BAIXA...
PADRONIZAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA ELÉTRICA DE UNIDADES CONSUMIDORAS DE BAIXA...PADRONIZAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA ELÉTRICA DE UNIDADES CONSUMIDORAS DE BAIXA...
PADRONIZAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA ELÉTRICA DE UNIDADES CONSUMIDORAS DE BAIXA...Ricardo Akerman
 
guia de instalação Cemig
guia de instalação Cemigguia de instalação Cemig
guia de instalação CemigJunio Fernandes
 
Instalações eletricas cabos e afins
Instalações eletricas cabos e afinsInstalações eletricas cabos e afins
Instalações eletricas cabos e afinsGuilherme Raposo
 
Desenho de Instalacoes Eletricas.ppt
Desenho de Instalacoes Eletricas.pptDesenho de Instalacoes Eletricas.ppt
Desenho de Instalacoes Eletricas.pptEngenheiroBenevides
 
Arthur besen soprano trabalho eletrotecnica
Arthur besen soprano   trabalho eletrotecnicaArthur besen soprano   trabalho eletrotecnica
Arthur besen soprano trabalho eletrotecnicaalessandro oliveira
 
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensãoCálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensãoEduardo Matos
 
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensãoCálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensãoGustavo Brito Beltrame
 

Semelhante a Projeto elétrico residência unifamiliar (20)

Manual instal eletricas_prova
Manual instal eletricas_provaManual instal eletricas_prova
Manual instal eletricas_prova
 
Aula 1 instalacoes
Aula 1 instalacoesAula 1 instalacoes
Aula 1 instalacoes
 
Dimensionamento de condutores
Dimensionamento de condutoresDimensionamento de condutores
Dimensionamento de condutores
 
Instalacoes eletricas 1
Instalacoes eletricas 1Instalacoes eletricas 1
Instalacoes eletricas 1
 
Manual de instala__es_el_tricas_2_1
Manual de instala__es_el_tricas_2_1Manual de instala__es_el_tricas_2_1
Manual de instala__es_el_tricas_2_1
 
INSTALA%C3%87%C3%95ES EL%C3%89TRICAS RESIDENCIAIS PARTE 2.pdf
INSTALA%C3%87%C3%95ES EL%C3%89TRICAS RESIDENCIAIS PARTE 2.pdfINSTALA%C3%87%C3%95ES EL%C3%89TRICAS RESIDENCIAIS PARTE 2.pdf
INSTALA%C3%87%C3%95ES EL%C3%89TRICAS RESIDENCIAIS PARTE 2.pdf
 
Manual pirelli_Parte_2.pdf
Manual pirelli_Parte_2.pdfManual pirelli_Parte_2.pdf
Manual pirelli_Parte_2.pdf
 
Acad 0_tabelario._2013docx
 Acad 0_tabelario._2013docx Acad 0_tabelario._2013docx
Acad 0_tabelario._2013docx
 
Prismian
PrismianPrismian
Prismian
 
Apostila instalações eletricas residenciais
Apostila   instalações eletricas residenciaisApostila   instalações eletricas residenciais
Apostila instalações eletricas residenciais
 
te344 aula 08 - divisao da instalacao_(2) (1).pdf
te344 aula 08 - divisao da instalacao_(2) (1).pdfte344 aula 08 - divisao da instalacao_(2) (1).pdf
te344 aula 08 - divisao da instalacao_(2) (1).pdf
 
Apresentação Projecto.pptx
Apresentação Projecto.pptxApresentação Projecto.pptx
Apresentação Projecto.pptx
 
PADRONIZAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA ELÉTRICA DE UNIDADES CONSUMIDORAS DE BAIXA...
PADRONIZAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA ELÉTRICA DE UNIDADES CONSUMIDORAS DE BAIXA...PADRONIZAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA ELÉTRICA DE UNIDADES CONSUMIDORAS DE BAIXA...
PADRONIZAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA ELÉTRICA DE UNIDADES CONSUMIDORAS DE BAIXA...
 
guia de instalação Cemig
guia de instalação Cemigguia de instalação Cemig
guia de instalação Cemig
 
Ctc m5 v3_t
Ctc m5 v3_tCtc m5 v3_t
Ctc m5 v3_t
 
Instalações eletricas cabos e afins
Instalações eletricas cabos e afinsInstalações eletricas cabos e afins
Instalações eletricas cabos e afins
 
Desenho de Instalacoes Eletricas.ppt
Desenho de Instalacoes Eletricas.pptDesenho de Instalacoes Eletricas.ppt
Desenho de Instalacoes Eletricas.ppt
 
Arthur besen soprano trabalho eletrotecnica
Arthur besen soprano   trabalho eletrotecnicaArthur besen soprano   trabalho eletrotecnica
Arthur besen soprano trabalho eletrotecnica
 
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensãoCálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
 
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensãoCálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
 

Último

Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdfAulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdfMateusSerraRodrigues1
 
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024Consultoria Acadêmica
 
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptx
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptxResistencias dos materiais I - Tensao.pptx
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptxjuliocameloUFC
 
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGuilhermeLucio9
 
AE03 - INFORMATICA INDUSTRIAL UNICESUMAR 51/2024
AE03 - INFORMATICA INDUSTRIAL UNICESUMAR 51/2024AE03 - INFORMATICA INDUSTRIAL UNICESUMAR 51/2024
AE03 - INFORMATICA INDUSTRIAL UNICESUMAR 51/2024Consultoria Acadêmica
 
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAMMODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAMCassio Rodrigo
 
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxConsultoria Acadêmica
 

Último (7)

Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdfAulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
 
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
 
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptx
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptxResistencias dos materiais I - Tensao.pptx
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptx
 
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
 
AE03 - INFORMATICA INDUSTRIAL UNICESUMAR 51/2024
AE03 - INFORMATICA INDUSTRIAL UNICESUMAR 51/2024AE03 - INFORMATICA INDUSTRIAL UNICESUMAR 51/2024
AE03 - INFORMATICA INDUSTRIAL UNICESUMAR 51/2024
 
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAMMODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
 
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
 

Projeto elétrico residência unifamiliar

  • 1. DIMENSIONAMENTO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE UMA RESIDÊNCIA UNIFAMILIAR DE UM PAVIMENTO ALUNO: ALLAN VICTOR DE SOUSA SILVA MATRÍCULA: 6101668 ORIENTADOR: IGOR AMINTAS CURSO: ENGENHARIA CIVIL - UNIGRANRIO
  • 2. INTRODUÇÃO • Um projeto pode ser definido como uma descrição escrita e detalhada de um empreendimento. Da mesma forma que um projeto estrutural é uma representação detalhada de todas as suas peças estruturais, dimensões, aços, plantas de locações e os demais elementos. Um projeto elétrico é a previsão escrita da instalação, com todos os seus detalhes, localização dos pontos de utilização de energia elétrica, comandos, trajeto dos condutores, divisão dos circuitos, seção dos condutores, dispositivos de manobra, carga de cada circuito, carga total da instalação, entre outros.
  • 3. OBJETIVOS GERAIS • Durante o trabalho são mostrados os pontos normativos da principal norma brasileira referente a projeto elétrico, a NBR 5410 – instalações elétricas de baixa tensão. Os aspectos normativos são de fundamental importância para um dimensionamento de forma eficiente e correta. As concessionárias locais têm, em sua grande maioria, normas ou regulamentos próprios que foram seguidos para que o seu empreendimento tenha o fornecimento de energia elétrica feito por elas. • O objetivo deste trabalho é a elaboração de um projeto técnico de instalações elétricas em baixa tensão. Sua correta estruturação é de fundamental importância, pois ele, sendo empenhado por um profissional da área pertinente, traz diversos benefícios, tanto a construção quanto as pessoas e animais que a utilizam, dentre os quais: eficiência, segurança e economia.
  • 4. METODOLOGIA • Foi utilizado o método de pesquisa básica com a finalidade de elaborar um projeto técnico de instalações elétricas residenciais de baixa tensão, analisando os dados obtidos com o estudo e com a elaboração do projeto. A finalidade da pesquisa é avaliar e poder definir através dos estudos, os dados de levantamento de carga, diversos dimensionamentos, para que ao final o projeto possa ser aplicado de forma segura, eficiente e econômica.
  • 5. DESCRIÇÃO DO PROJETO RESIDENCIAL • O projeto arquitetônico a ser apresentado neste trabalho para a elaboração do projeto elétrico residencial de baixa tensão, foi elaborado pelo autor deste trabalho, com o objetivo de detalhar todo o processo de construção desde o projeto até a apresentação final para o cliente final. Com área total do terreno de: 167,89m², a residência conta com sala de estar, sala de jantar, 2 quartos, banheiro, área de serviço e cozinha. A residência conta com uma área total construída de: 73,83m².
  • 7. NORMAS APLICADAS • NBR 5410:2004 – Instalações Elétricas de Baixa Tensão; • NBR 5444:1989 – Símbolos gráficos para instalações elétricas prediais; • NBR 5361:1998 – Disjuntores de baixa tensão.
  • 8. NBR 5410 • A norma NBR 5410:2004 tem como objetivo principal, estabelecer as condições que devem satisfazer as instalações elétricas de baixa tensão, objetivando garantir a segurança das pessoas e dos animais, além de seu funcionamento adequado. • DEFINIÇÕES DA NORMA • Dispositivo de proteção a corrente diferencial-residual • Quadro de distribuição principal • Ponto de entrega
  • 9. DIVISÃO DAS INSTALAÇÕES • A divisão da instalação em circuitos deve atender a norma NBR 5410:2004 as seguintes exigências: • Segurança; • Conservação de energia; • Funcionais; • Produção; • Manutenção. • A norma também exige que sejam previstos circuitos diferentes para cada parte da instalação que requeira uso específico (por exemplo, circuitos de chuveiros). Devem ser previstos ampliações e circuitos para necessidades futuras, ampliações essas devem se refletir não só na potência de alimentação, mas também na taxa de ocupação dos condutos e dos quadros de distribuição.
  • 10. LEVANTAMENTO DE CARGA • Pontos de iluminação • Pontos de tomadas • TUG’s e TUE’s • Potência de iluminação • Potência de tomadas
  • 11. DISPOSITIVOS DE PROTEÇÃO • Dispositivos que protejam apenas contra curtos-circuitos (disjuntores eletromagnéticos e fusíveis); • Dispositivos que assegurem apenas contra sobrecargas (disjuntores térmicos e reles térmicos); • Dispositivos de proteção contra curtos-circuitos e sobrecargas (disjuntores com proteção térmica e eletromagnética).
  • 12. DESENVOLVIMENTO • LEVANTAMENTO DE CARGAS • Baseando-se no projeto residencial, inicialmente temos os valores de áreas e os perímetros de cada cômodo. Ambientes Área (m²) Perímetro (m) Área de Serviço 5,95 10,3 Sala 9,91 12,6 Dormitório 1 11,05 13,3 Dormitório 2 10,71 13,1 Cozinha 11,44 13,6 Copa 9,59 12,45 Circulação 1,79 5,37 Banheiro 4,14 8,2 TOTAL 64,58 Ambientes Área (m²) Perímetro (m) Iluminação TUG's TUE's Pot. (VA) Nº pts Pot. (VA) Nº pts Equip. Pot. (W) Área de Serviço 5,95 10,3 100 1 1800 3 - - Sala 9,91 12,6 100 1 400 3 - - Dormitório 1 11,05 13,3 160 1 400 3 - - Dormitório 2 10,71 13,1 160 1 400 3 - - Cozinha 11,44 13,6 160 1 2000 4 - - Copa 9,59 12,45 100 1 1900 4 - - Circulação 1,79 5,37 100 1 600 1 - - Banheiro 4,14 8,2 100 1 600 1 Chuvei ro 5000 TOTAL 64,58 980 8 8100 22 5000 Quadro 1 - Cargas estimadas e Equipamento Fonte: Autor Fonte: Autor Tabela 1 - Perímetros e áreas
  • 13. DIVISÃO DE CIRCUITOS • A divisão de circuitos é extremamente importante para um projeto elétrico, pois faze-la de forma errada acarretará em problemas nas instalações, como por exemplo cabos com seções maiores do que o necessário, pode resultar problemas até mesmo na capacidade do conduite de transportar os cabos entre outros problemas. Circuitos Tipo Descrição Nº de pontos Potência (W) 1 Ilum. Iluminação 1 4 460 2 Ilum. Iluminação 2 5 620 3,4 TUE's Chuveiro 1 5000 5 TUG's TUG's Dorm. 2 4 320 6 TUG's TUG's Copa 4 1520 7 TUG's TUG's Sala e Dorm. 1 8 640 8 TUG's TUG's Cozinha 5 1600 9 TUG's TUG's Banh. E Circ. 2 960 11 TUG's TUG's Área de Serv. 3 1440 TOTAL 12560 Quadro 2 - Divisão de circuitos Fonte: Autor
  • 14. PLANTA DE PONTOS DE ILUMINAÇÃO E TOMADAS Quadro 2 - Divisão de circuitos Planta 2- Planta de pontos de iluminação e tomadas Fonte: Autor
  • 15. DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES • Com a divisão dos circuitos efetuada, temos a potência de cada circuito. Nessa etapa existem duas correntes: a corrente de projeto e a corrente corrigida. A corrente de projeto é a corrente nominal, é a potência do circuito dividida pela tensão de alimentação. A corrente corrigida é o quociente da corrente nominal pelos fatores de correção. Número de Circuitos Fator de Agrupamento 1 1.00 2 0.80 3 0.70 4 0.65 5 0.60 6 0.57 7 0.54 8 0.52 9 a 11 0.50 12 a 15 0.45 16 a 19 0.41 > 19 0.38 Tabela 2 – Fator de agrupamento Fonte: NBR 5410
  • 16. QUADRO DE CONDUTORES E DISJUNTORES Circ. Descrição Pot. Total (VA) Corrente Nominal (A) FCA Corrente Corrigida (A) Disjuntor (A) Seção do Condutor adotado (mm²) 1 Iluminação 1 460 3,62 0,7 5,17 10 1,5 2 Iluminação 2 620 4,88 0,7 6,97 10 1,5 3,4 Chuveiro 5000 22,73 1 22,73 32 4 5 TUG's Dorm. 2 400 3,15 0,7 4,50 20 2,5 6 TUG's Copa 1900 14,96 0,8 18,70 20 2,5 7 TUG's Sala e Dorm. 1 800 6,30 0,7 9,00 20 2,5 8 TUG's Cozinha 2000 15,75 0,8 19,69 20 2,5 9 TUG's Banh. E Circ. 1200 9,45 0,7 13,50 20 2,5 11 TUG's Área de Serv. 1800 14,17 0,8 17,72 20 2,5 Quadro 3 – Condutores e Disjuntores Fonte: Autor
  • 17. DIMENSIONAMENTO DOS ELETRODUTOS • Os eletrodutos são dimensionados de uma forma parecida com o fator de agrupamento. Em um trecho são contados quantos condutores passam dentro do mesmo eletroduto e baseado nisso dimensionamos a seção do mesmo. Considerando que a Norma 5410 recomenda que somente 40% da seção do eletroduto esteja ocupada. Seção Nominal (mm²) Número de condutores no eletroduto 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1,5 16 16 16 16 16 16 20 20 20 2,5 16 16 16 20 20 20 20 25 25 4 16 16 20 20 20 25 25 25 25 6 16 20 20 25 25 25 25 32 32 10 20 20 25 25 32 32 32 40 40 16 20 25 25 32 32 40 40 40 40 25 25 32 32 40 40 40 50 50 50 35 25 32 40 40 50 50 50 50 60 50 32 40 40 50 50 60 60 60 70 70 40 40 50 50 60 60 75 75 75 Tabela 3 – Dimensionamento de eletrodutos Fonte: NBR 5410
  • 18. PLANTA DE CIRCUITOS ELÉTRICOS Planta 3- Planta de circuitos elétricos Fonte: Autor
  • 19. FORNECIMENTO DE ENERGIA • O fornecimento de energia é baseado nas normas de fornecimento da ENEL Distribuidora de Energia. • Os cálculos de potência de demanda foram feitos de acordo com as normas da empresa de fornecimento de energia, da seguinte forma: • D = a + ( b1 + b2 + b3 + b4 + b5 + b6 + b7 + b8 ) + c + d + e • D = (8987 x 0,31) + ((5000 x 1,00) + b2 + b3 + b4 + b5 + b6 + b7 + b8 ) + c + d + e • Onde 0,31 é referente a 31%, valor retirado da tabela a seguir.
  • 20. TABELA DE FATOR DE DEMANDA (ENEL) Tabela 4 – Fator de demanda Fonte: NTC 04 - ENEL
  • 21. RESULTADOS Fornecimento Tipo de Alimentador Bifásico Carga Instalada (VA) 13467 VA Ramal de distribuição 16mm² Medição 63A Disjuntor Geral 63A Como resultado final temos o quadro de cargas e as características do sistema. O sistema será um bifásico com proteção geral de 63A e tensão de trabalho de 127/220V. Circ. Descrição Pot. Total (VA) Corrente Nominal (A) FCA Corrente Corrigida (A) Disjuntor (A) Seção do Condutor adotado (mm²) 1 Iluminação 1 460 3,62 0,7 5,17 10 1,5 2 Iluminação 2 620 4,88 0,7 6,97 10 1,5 3,4 Chuveiro 5000 22,73 1 22,73 32 4 5 TUG's Dorm. 2 400 3,15 0,7 4,50 20 2,5 6 TUG's Copa 1900 14,96 0,8 18,70 20 2,5 7 TUG's Sala e Dorm. 1 800 6,30 0,7 9,00 20 2,5 8 TUG's Cozinha 2000 15,75 0,8 19,69 20 2,5 9 TUG's Banh. E Circ. 1200 9,45 0,7 13,50 20 2,5 11 TUG's Área de Serv. 1800 14,17 0,8 17,72 20 2,5 Quadro 4 – Quadro de Cargas Fonte: Autor Tabela 5 – Características do sistema Fonte: Autor
  • 22. PLANTA DE CIRCUITOS ELÉTRICOS Planta 4 – 3D Circuitos elétricos Fonte: Autor
  • 23. CONSIDERAÇÕES FINAIS • Os projetos, em âmbito geral, exigem bom-senso dos projetistas, com o projeto elétrico, não poderia ser diferente. As locações dos pontos, em sua maioria, não trazem aspectos normativos, cabendo ao projetista a sua distribuição. Dessa forma, se faz necessário um conhecimento prático algum tipo de experiência para um bom desempenho no projeto
  • 24. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS • ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 5410:2004: Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Rio de Janeiro, 2004. • CAVALIM, G. Instalações Elétricas Prediais.19ª edição. São Paulo: Erica, 2009 • NTC-04 Revisão 4. NORMA TÉCNICA SELG. Goiás, 2016. • VILLAR, G. J. de V. Projeto de instalações elétricas de baixa tensão. CEFET/RN. Natal/RN, 2003.