SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 77
A ciência da Informação   no Brasil Capítulo 3 Fernanda Fernando Miriam Niele
O que essa é ciência e em que área ela atua? ,[object Object]
[object Object],O que essa é ciência e em que área ela atua?
Quais são as dificuldade enfrentadas por essa área? ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Quais são as dificuldade enfrentadas por essa área? ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Quais os elementos necessários para mudar esse quadro? ,[object Object],[object Object],[object Object]
O que é IBBD? ,[object Object],[object Object]
Qual é a relação de IBBD com a C.I.? ,[object Object]
Iniciativas e atividade importantes do IBBD . ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
CCN e sua importância. ,[object Object]
Criação do curso de documentação. ,[object Object]
Desenvolvimento e objetivo do curso? ,[object Object],[object Object]
IBBD torna-se IBICT. ,[object Object],[object Object]
Qual foi a sua importância? ,[object Object],[object Object]
3.1 Sociedade Cientifica
A história Na história da ciência mostra que a institucionalização da atividade científica coincide com a criação das Academias científicas.
As Primeiras Academias   ,[object Object]
•  Academia Del Cimento (1657 ) ,[object Object],Publicação
As Academias mais conhecidas são: ,[object Object],Sede da Royal Society, em Londres Onde abriga a  Academie des Sciences, na França (Paris). •  Academie des Sciences (1666)
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
A Ciência da Informação possui uma sociedade científica no campo do conhecimento   ,[object Object],[object Object]
American Society for information Science and Technology Anualmente,ocorre uma conferência. O tema da conferência do ano passado foi "Prosperando sobre a Diversidade: informações sobre oportunidades em um mundo pluralista“. Ocorreu em Vancouver, Columbia Britânica,no Canadá.
No Brasil:  A comunidade de pesquisadores da Ciência da Informação se congrega em uma associação cientifica. ,[object Object]
ANCIB   ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Os últimos grupos temáticos: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
O Principal é o  ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO  (ENANCIB). ,[object Object]
•  X ENANCIB ,[object Object],[object Object]
•  XI ENANCIB ,[object Object],[object Object]
3.2 – O Periódico Científico
Seu Surgimento ,[object Object]
[object Object],O Primeiro Periódico Científico
Objetivos do  JOURNAL DES SAVANTS ,[object Object]
O Primeiro Periódico científico
Seu declínio ,[object Object]
Novo Modelo
THE PHILOSOPHICAL TRANSACTIONS ,[object Object]
THE PHILOSOPHICAL TRANSACTIONS  (RESULTADOS) ,[object Object]
THE PHILOSOPHICAL TRANSACTIONS
NO BRASIL ,[object Object]
EXEMPLOS DE PERIÓDICOS BRASILEIROS : ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
PERIÓDICO CIENTÍFICO MODERNO ,[object Object]
PERIÓDICO CIENTÍFICO MODERNO, SUAS FUNÇÕES: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
PROBLEMAS INERENTES AO PERIÓDICOS: ,[object Object]
ENTRE OS PROBLEMAS ESTÃO: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Conclusões
3.3 – Programas de Pós-Graduação
Importância. ,[object Object]
Pós-graduação em C.I. ,[object Object],[object Object],Os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu são oferecidos sob a supervisão da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, com o objetivo de contribuir para o processo de capacitação profissional. Estão caracterizados como, Especialização e MBA, a saber: Especialização:  Carga horária mínima de 360 horas - Tem o objetivo de intensificar o domínio acadêmico-científico e técnico do profissional em determinada área do saber. MBA:  Carga horária mínima de 480 horas – Tem o objetivo de capacitar profissionais, com visão de negócios e de mercado.
[object Object],[object Object],[object Object],Os Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu são oferecidos sob a supervisão da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, com o objetivo de contribuir para o processo de capacitação acadêmico-científico de professores e pesquisadores. São definidos como, Mestrado e Doutorado, e têm por finalidade: •  Promover a formação científica aprofundada de professores e pesquisadores para o desenvolvimento de atividades acadêmicas e profissionais de alto nível; •  Desenvolver estudos sistemáticos e pesquisa avançada nas diversas áreas de concentração; •  Estimular a produção científica.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Atualmente, o campo conta  com oito programas de  pós-graduação,  em  diferentes instituições divididos em áreas de concentração e linhas de pesquisa.
Áreas de Concentração As Áreas de Concentração são os domínios restritos de especialização nos quais o Programa atua e para os quais estão direcionadas as suas atividades.
Linhas de Pesquisa São os desdobramentos da área de concentração. Cada linha congrega um conjunto de temas afins, que delimita os campos de interesse e saberes de um grupo de docentes e discentes do programa.
[object Object],[object Object],[object Object],Biblioteca do IBICT. Universidade Federal Fluminense (UFF)
UFF-IBICT     PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO  ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object]
UFMG     PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Departamento de Biblioteconomia.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],UFPB     PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO
[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],PUCCAMP     PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO
[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],UnB     PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO
[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Unesp - Marília     PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO
[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],UFBA   PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO
[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],UFSC   PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO
A ciência da Informação está presente também em outros dois programas: ,[object Object],Como área de concentração do Programa de Pós-Graduação em Comunicação. •  Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Como linha de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação.
[object Object],[object Object],USP   PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO UFRGS     PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO LP 1 -  Acesso à Informação LP 2 -  Mediação e Ação Cultural Area de Concentração:   Comunicação e Informação LP 1  - Comunicação, representação e práticas culturais LP 2  - Informação, tecnologias e práticas sociais
Recursos Humanos ,[object Object]
3.4 – Conclusões finais
Tipos de curso nas pós-graduações. ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
A Ciência da Informação no Brasil. ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
A infra-estrutura da C.I  ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Fontes: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a seminarioprofluciana

Cienncia da informaçao.pdf
Cienncia da informaçao.pdfCienncia da informaçao.pdf
Cienncia da informaçao.pdfAdrianaCosta215
 
A comunicação científica, de A. J. Meadows
A comunicação científica, de A. J. MeadowsA comunicação científica, de A. J. Meadows
A comunicação científica, de A. J. MeadowsJorge Prado
 
Palestra Biblio.lab Divulgação Científica
Palestra Biblio.lab Divulgação Científica Palestra Biblio.lab Divulgação Científica
Palestra Biblio.lab Divulgação Científica Fábio de Albuquerque
 
Divulgação Científica - Fábio F. de Albuquerque
Divulgação Científica - Fábio F. de AlbuquerqueDivulgação Científica - Fábio F. de Albuquerque
Divulgação Científica - Fábio F. de AlbuquerqueSemana Biblioteconomia
 
Comunicação e divulgação científica: perspectivas e desafios
Comunicação e divulgação científica: perspectivas e desafiosComunicação e divulgação científica: perspectivas e desafios
Comunicação e divulgação científica: perspectivas e desafiosRoberto Lopes
 
A comunicação científica e a urgência na democratização do conhecimento.pdf
A comunicação científica e a urgência na democratização do conhecimento.pdfA comunicação científica e a urgência na democratização do conhecimento.pdf
A comunicação científica e a urgência na democratização do conhecimento.pdfKatiuscia Dias
 
Ciencia_aberta_editores_cientificos_Ebook.pdf
Ciencia_aberta_editores_cientificos_Ebook.pdfCiencia_aberta_editores_cientificos_Ebook.pdf
Ciencia_aberta_editores_cientificos_Ebook.pdfRaphaelAndrade55
 
Ciência em portugal após o 25 de abril
Ciência em portugal após o 25 de abril Ciência em portugal após o 25 de abril
Ciência em portugal após o 25 de abril nanasimao
 
ANAIS COMPLETOSss(PAGINADO).pdf assutos variados
ANAIS COMPLETOSss(PAGINADO).pdf assutos variadosANAIS COMPLETOSss(PAGINADO).pdf assutos variados
ANAIS COMPLETOSss(PAGINADO).pdf assutos variadosfabiana643509
 
A Produção Discente: atual conjuntura do Curso de Biblioteconomia da Universi...
A Produção Discente: atual conjuntura do Curso de Biblioteconomia da Universi...A Produção Discente: atual conjuntura do Curso de Biblioteconomia da Universi...
A Produção Discente: atual conjuntura do Curso de Biblioteconomia da Universi...Zayr Silva
 
IEA - De ciências, comunicação e futebol a espiral da cultura científica
IEA - De ciências, comunicação e futebol a espiral da cultura científicaIEA - De ciências, comunicação e futebol a espiral da cultura científica
IEA - De ciências, comunicação e futebol a espiral da cultura científicaInstituto de Estudos Avançados - USP
 
Workshop de Producao Cientifica para Equipes do SIBiUSP
Workshop de Producao Cientifica para Equipes do SIBiUSPWorkshop de Producao Cientifica para Equipes do SIBiUSP
Workshop de Producao Cientifica para Equipes do SIBiUSPSIBiUSP
 
1 artigo luis r oficio antrop
1  artigo luis r oficio antrop1  artigo luis r oficio antrop
1 artigo luis r oficio antropLigia Soares
 
Acesso aberto à ciência, de Ernest Abadal
Acesso aberto à ciência, de Ernest AbadalAcesso aberto à ciência, de Ernest Abadal
Acesso aberto à ciência, de Ernest AbadalJorge Prado
 
Artigo divulgaçaoalgasredpop 1997
Artigo divulgaçaoalgasredpop 1997Artigo divulgaçaoalgasredpop 1997
Artigo divulgaçaoalgasredpop 1997AlexandrePedrini
 

Semelhante a seminarioprofluciana (20)

Cienncia da informaçao.pdf
Cienncia da informaçao.pdfCienncia da informaçao.pdf
Cienncia da informaçao.pdf
 
A comunicação científica, de A. J. Meadows
A comunicação científica, de A. J. MeadowsA comunicação científica, de A. J. Meadows
A comunicação científica, de A. J. Meadows
 
Palestra Biblio.lab Divulgação Científica
Palestra Biblio.lab Divulgação Científica Palestra Biblio.lab Divulgação Científica
Palestra Biblio.lab Divulgação Científica
 
Divulgação Científica - Fábio F. de Albuquerque
Divulgação Científica - Fábio F. de AlbuquerqueDivulgação Científica - Fábio F. de Albuquerque
Divulgação Científica - Fábio F. de Albuquerque
 
Comunicação e divulgação científica: perspectivas e desafios
Comunicação e divulgação científica: perspectivas e desafiosComunicação e divulgação científica: perspectivas e desafios
Comunicação e divulgação científica: perspectivas e desafios
 
A comunicação científica e a urgência na democratização do conhecimento.pdf
A comunicação científica e a urgência na democratização do conhecimento.pdfA comunicação científica e a urgência na democratização do conhecimento.pdf
A comunicação científica e a urgência na democratização do conhecimento.pdf
 
Ciencia_aberta_editores_cientificos_Ebook.pdf
Ciencia_aberta_editores_cientificos_Ebook.pdfCiencia_aberta_editores_cientificos_Ebook.pdf
Ciencia_aberta_editores_cientificos_Ebook.pdf
 
Seminário paty aula 6
Seminário paty aula 6Seminário paty aula 6
Seminário paty aula 6
 
Ciência em portugal após o 25 de abril
Ciência em portugal após o 25 de abril Ciência em portugal após o 25 de abril
Ciência em portugal após o 25 de abril
 
ANAIS COMPLETOSss(PAGINADO).pdf assutos variados
ANAIS COMPLETOSss(PAGINADO).pdf assutos variadosANAIS COMPLETOSss(PAGINADO).pdf assutos variados
ANAIS COMPLETOSss(PAGINADO).pdf assutos variados
 
A Produção Discente: atual conjuntura do Curso de Biblioteconomia da Universi...
A Produção Discente: atual conjuntura do Curso de Biblioteconomia da Universi...A Produção Discente: atual conjuntura do Curso de Biblioteconomia da Universi...
A Produção Discente: atual conjuntura do Curso de Biblioteconomia da Universi...
 
IEA - De ciências, comunicação e futebol a espiral da cultura científica
IEA - De ciências, comunicação e futebol a espiral da cultura científicaIEA - De ciências, comunicação e futebol a espiral da cultura científica
IEA - De ciências, comunicação e futebol a espiral da cultura científica
 
Plano de Unidades Didáticas
Plano de Unidades DidáticasPlano de Unidades Didáticas
Plano de Unidades Didáticas
 
1379 _ Silva et al..docx
1379 _ Silva et al..docx1379 _ Silva et al..docx
1379 _ Silva et al..docx
 
Workshop de Producao Cientifica para Equipes do SIBiUSP
Workshop de Producao Cientifica para Equipes do SIBiUSPWorkshop de Producao Cientifica para Equipes do SIBiUSP
Workshop de Producao Cientifica para Equipes do SIBiUSP
 
A ciência no Brasil1.ppt
A ciência no Brasil1.pptA ciência no Brasil1.ppt
A ciência no Brasil1.ppt
 
A5 Organizacoes
A5 OrganizacoesA5 Organizacoes
A5 Organizacoes
 
1 artigo luis r oficio antrop
1  artigo luis r oficio antrop1  artigo luis r oficio antrop
1 artigo luis r oficio antrop
 
Acesso aberto à ciência, de Ernest Abadal
Acesso aberto à ciência, de Ernest AbadalAcesso aberto à ciência, de Ernest Abadal
Acesso aberto à ciência, de Ernest Abadal
 
Artigo divulgaçaoalgasredpop 1997
Artigo divulgaçaoalgasredpop 1997Artigo divulgaçaoalgasredpop 1997
Artigo divulgaçaoalgasredpop 1997
 

Último

MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024azulassessoria9
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxsfwsoficial
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdfAntonio Barros
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 

Último (20)

MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 

seminarioprofluciana

  • 1. A ciência da Informação no Brasil Capítulo 3 Fernanda Fernando Miriam Niele
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 16. A história Na história da ciência mostra que a institucionalização da atividade científica coincide com a criação das Academias científicas.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22. American Society for information Science and Technology Anualmente,ocorre uma conferência. O tema da conferência do ano passado foi "Prosperando sobre a Diversidade: informações sobre oportunidades em um mundo pluralista“. Ocorreu em Vancouver, Columbia Britânica,no Canadá.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29. 3.2 – O Periódico Científico
  • 30.
  • 31.
  • 32.
  • 33. O Primeiro Periódico científico
  • 34.
  • 36.
  • 37.
  • 39.
  • 40.
  • 41.
  • 42.
  • 43.
  • 44.
  • 46. 3.3 – Programas de Pós-Graduação
  • 47.
  • 48.
  • 49.
  • 50.
  • 51. Atualmente, o campo conta com oito programas de pós-graduação, em diferentes instituições divididos em áreas de concentração e linhas de pesquisa.
  • 52. Áreas de Concentração As Áreas de Concentração são os domínios restritos de especialização nos quais o Programa atua e para os quais estão direcionadas as suas atividades.
  • 53. Linhas de Pesquisa São os desdobramentos da área de concentração. Cada linha congrega um conjunto de temas afins, que delimita os campos de interesse e saberes de um grupo de docentes e discentes do programa.
  • 54.
  • 55.
  • 56.
  • 57.
  • 58.
  • 59.
  • 60.
  • 61.
  • 62.
  • 63.
  • 64.
  • 65.
  • 66.
  • 67.
  • 68.
  • 69.
  • 70.
  • 71.
  • 72.
  • 74.
  • 75.
  • 76.
  • 77.