SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Baixar para ler offline
Material​ ​Para
Concurso
Assunto:​​ ​Apostila​ ​de​ ​Didática
Ideias,​ ​concepções​ ​e​ ​teorias​ ​que​ ​sustentam​ ​a​ ​prática​ ​pedagógica​ ​do​ ​professor
Na prática pedagógica, as ações do professor se orientam por um conjunto de idéias, concepções,
teorias, mesmo que sua existência seja inconsciente. É possível compreender a ação docente, analisando a sua
concepção​ ​de​ ​mundo,​ ​de​ ​sociedade,​ ​de​ ​aluno,​ ​de​ ​ensino,​ ​entre​ ​outros,​ ​que​ ​se​ ​expressa​ ​em​ ​seus​ ​atos,​ ​referente​ ​a:
● Seleção​ ​dos​ ​conteúdos​ ​que​ ​os​ ​alunos​ ​vão​ ​aprender
● Como​ ​acredita​ ​que​ ​se​ ​dá​ ​o​ ​processo​ ​de​ ​aprendizagem​ ​–​ ​Os​ ​caminhos​ ​para​ ​a​ ​aprendizagem​ ​acontecer.
● Como​ ​acredita​ ​que​ ​deve​ ​ser​ ​o​ ​ensino.
A​ ​teoria​ ​empirista
● O​ ​modelo​ ​de​ ​aprendizagem​ ​estímulo-resposta.​ ​Substitui​ ​respostas​ ​erradas​ ​por​ ​certas.
● O aluno é vazio, mas vai ser preenchido pelas experiências com o mundo. Ele vai acumulando as
informações.​ ​(Paulo​ ​Freire​ ​chama​ ​isso​ ​de​ ​Educação​ ​bancária).
● A​ ​aprendizagem​ ​é​ ​o​ ​acumulo​ ​de​ ​informações.
● O​ ​processo​ ​de​ ​ensino​ ​é​ ​caracterizado​ ​pela​ ​cópia​ ​-​ ​questionário​ ​-​ ​repetições.
● O​ ​ensino​ ​se​ ​dá​ ​através​ ​da​ ​memorização.
● O aluno precisa memorizar e fixar as informações, que seguem das mais simples às mais complexas. (A
decorreba​ ​​da​ ​tabuada,​ ​sem​ ​saber​ ​o​ ​que​ ​está​ ​decorando,​ ​é​ ​exemplo​ ​disso).
No​ ​construtivismo
Questões​ ​Concurso​ ​Pedagogia.​ ​Materiais​ ​gratuitos,​ ​acesse:
http://superpreparado10.blogspot.com.br/
● O conhecimento pressupõe uma atividade que organiza e integra os novos conhecimentos aos já
existentes​ ​(Conhecimentos​ ​Prévios).
● O​ ​conhecimento​ ​prévio​ ​é​ ​a​ ​base​ ​da​ ​aprendizagem.
● O​ ​conhecimento​ ​é​ ​uma​ ​transformação​ ​do​ ​que​ ​já​ ​existe.​ ​Precisa​ ​ser​ ​algo​ ​apreensível.
● O aluno é um sujeito ativo que para aprender: reflete e interage com outras pessoas. Ele precisa
transformar​ ​a​ ​informação​ ​para​ ​poder​ ​assimilar.
● A idéia distorcida do construtivismo levou professores a deixar o aluno livre, construindo sem próprios
conhecimentos,​ ​sem​ ​a​ ​importante​ ​intervenção​ ​pedagógica.
● O professor deve atuar o tempo inteiro, propondo atividades, encorajando os alunos em suas ousadias,
desafiando.​ ​A​ ​intervenção​ ​do​ ​professor​ ​é​ ​determinante​ ​no​ ​processo​ ​de​ ​aprendizagem.
● O​ ​modelo​ ​de​ ​ensino​ ​se​ ​dá​ ​através​ ​de​ ​resolução​ ​de​ ​problemas,​ ​onde​ ​o​ ​professor​ ​também​ ​é​ ​aprendiz.
● O professor deve tomar cuidados com os erros cometidos pelos alunos (não deixar o aluno “fazer do seu
jeito”​ ​sem​ ​corrigir​ ​os​ ​erros)​ ​e​ ​ir​ ​montando​ ​as​ ​atividades​ ​que​ ​levam​ ​a​ ​construção​ ​do​ ​conhecimento.
LIBÂNEO,​ ​J.​ ​Carlos.​ ​​Didática.​ ​​SP:​ ​Cortez,​ ​1994,​ ​p.119-127.
OS​ ​OBJETIVOS​ ​DE​ ​ENSINO
Os objetivos são resultados esperados do trabalho desempenhado por professores e alunos. Expressam
conhecimentos,​ ​habilidades​ ​e​ ​hábitos​ ​a​ ​serem​ ​adquiridos​ ​para​ ​desenvolvimento​ ​das​ ​qualidades​ ​humanas.
Referências​ ​para​ ​a​ ​formulação​ ​dos​ ​objetivos:
● Valores​ ​e​ ​ideais​ ​presentes​ ​nas​ ​leis​ ​educacionais​ ​(os​ ​propósitos​ ​das​ ​forças​ ​políticas​ ​dominantes);
● Conteúdos​ ​básicos​ ​das​ ​ciências,​ ​produzidos​ ​e​ ​elaborados​ ​no​ ​decurso​ ​da​ ​prática​ ​social​ ​humana;
● Necessidades​ ​e​ ​expectativas​ ​de​ ​formação​ ​cultural​ ​exigidas​ ​pela​ ​população​ ​majoritária​ ​da​ ​sociedade.
Os objetivos requerem posicionamento ativo do professor no planejamento escolar e no
desenvolvimento​ ​das​ ​aulas.​ ​O​ ​professor​ ​deverá:
● Fazer​ ​uma​ ​avaliação​ ​crítica​ ​das​ ​referências​ ​acima.
● Saber​ ​avaliar​ ​a​ ​pertinência​ ​dos​ ​objetivos​ ​propostos​ ​pelo​ ​sistema​ ​escolar​ ​oficial.
● Saber​ ​compatibilizar​ ​os​ ​conteúdos​ ​com​ ​necessidades,​ ​aspirações,​ ​expectativas​ ​dos​ ​alunos.
● Tornar​ ​os​ ​conteúdos​ ​exeqüíveis​ ​face​ ​às​ ​condições​ ​sócio-culturais​ ​e​ ​de​ ​aprendizagem​ ​dos​ ​alunos.
● Perceber​ ​que​ ​é​ ​agente​ ​de​ ​uma​ ​prática​ ​profissional​ ​inserida​ ​no​ ​contexto​ ​da​ ​prática​ ​social.
Objetivos gerais ​- expressam propósito mais amplo acerca do papel da escola e do ensino diante das
exigências​ ​reais​ ​da​ ​sociedade​ ​e​ ​diante​ ​do​ ​desenvolvimento​ ​da​ ​personalidade​ ​do​ ​aluno.
Os​ ​objetivos​ ​gerais​ ​são​ ​explicitados​ ​em​ ​3​ ​níveis,​ ​pelo:
● Sistema​ ​escolar​ ​–​ ​expressa​ ​as​ ​finalidades​ ​educativas​ ​de​ ​acordo​ ​com​ ​ideais​ ​e​ ​valores​ ​dominantes.
2
Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique
http://www.superpreparado.com.br/
● Escola - estabelece princípios e diretrizes do trabalho escolar com base no Projeto Político
Pedagógico.
● Professor​ ​-​ ​concretiza​ ​no​ ​ensino​ ​da​ ​matéria​ ​a​ ​sua​ ​própria​ ​visão​ ​de​ ​educação​ ​e​ ​de​ ​sociedade.
Os​ ​objetivos​ ​gerais​ ​que​ ​podem​ ​auxiliar​ ​os​ ​professores​ ​na​ ​seleção​ ​dos​ ​específicos​ ​e​ ​conteúdos​ ​são:
● Colocar a educação escolar no conjunto das lutas pela democratização – levar os alunos a se
perceberem​ ​como​ ​sujeitos​ ​ativos.
● Garantir​ ​a​ ​todos,​ ​(sem​ ​discriminação)​ ​sólida​ ​preparação​ ​cultural​ ​e​ ​científica,​ ​evitando​ ​reprovações.
● Assegurar a todos o máximo de desenvolvimento de suas potencialidades, buscando superação das
desvantagens​ ​decorrentes​ ​das​ ​condições​ ​sócio-econômica.
● Formar nos alunos a capacidade crítica e criativa em relação às matérias de ensino e à aplicação dos
conhecimentos​ ​e​ ​habilidades.
● Atender a função educativa - formação de convicções para a vida coletiva (ética, caráter, lealdade,
dignidade,​ ​solidariedade,​ ​educação​ ​física​ ​e​ ​estética​ ​-​ ​apreciação​ ​das​ ​artes).
● Envolver​ ​toda​ ​a​ ​comunidade​ ​escolar.
A​ ​partir​ ​desses​ ​objetivos​ ​gerais,​ ​o​ ​professor​ ​define​ ​os​ ​objetivos​ ​específicos.
Objetivos específicos - determinam exigências e resultados esperados da atividade dos alunos referentes a
conhecimento, habilidade, atitudes e convicções. O professor deve vincular os objetivos específicos aos
gerais​ ​e​ ​também:
● Especificar conhecimentos, habilidades, capacidades que sejam fundamentais para serem assimiladas
e​ ​aplicadas​ ​em​ ​situações​ ​futuras,​ ​na​ ​escola​ ​e​ ​na​ ​vida​ ​prática;
● Observar uma seqüência lógica, de formar que os conceitos e habilidades estejam inter-relacionados,
possibilitando​ ​aos​ ​alunos​ ​uma​ ​compreensão​ ​de​ ​conjunto;
● Expressar os objetivos com clareza, de modo que sejam compreensíveis aos alunos e permitam que
estes​ ​introjetem​ ​os​ ​objetivos​ ​de​ ​ensino​ ​como​ ​objetivos​ ​seus;
● Dosar​ ​o​ ​grau​ ​de​ ​dificuldades,​ ​de​ ​modo​ ​que​ ​expressem​ ​desafios,​ ​questões​ ​estimulantes​ ​e​ ​viáveis;
● Formular​ ​os​ ​objetivos​ ​como​ ​resultados​ ​a​ ​atingir,​ ​facilitando​ ​o​ ​processo​ ​de​ ​avaliação;
● Indicar​ ​os​ ​resultados​ ​do​ ​trabalho​ ​dos​ ​alunos​ ​(o​ ​que​ ​devem​ ​compreender,​ ​saber,​ ​fazer,​ ​etc).
ZABALA,​ ​Antoni.​ ​​A​ ​prática​ ​educativa:​ ​como​ ​ensinar​.​ ​Porto​ ​Alegre:​ ​ArtMed,​ ​1998,​ ​p.​ ​41-48.
Tipologia​ ​dos​ ​conteúdos
Conteúdos​ ​factuais
● Referem-se ao conhecimento de fatos, situações, dados e fenômenos concretos. (Idade de alguém,
conquista​ ​de​ ​terras,​ ​localização​ ​de​ ​algo,​ ​códigos,​ ​matemática,​ ​física,​ ​etc).
● Tradicionalmente​ ​é​ ​o​ ​que​ ​o​ ​“homem​ ​culto”​ ​sabe​ ​–​ ​é​ ​o​ ​conteúdo​ ​do​ ​vestibular​ ​e​ ​concursos.
● Não​ ​devem​ ​ser​ ​conhecimentos​ ​mecânicos,​ ​precisam​ ​está​ ​associado​ ​a​ ​conceitos.
● Percebe-se que alguém aprendeu quando é capaz de reproduzir (muitas vezes sem compreensão),
quando recorda e expressa a data e o nome de algum acontecimento (descobrimento do Brasil) ou
quando​ ​há​ ​lembrança​ ​dos​ ​acontecimentos​ ​(de​ ​um​ ​romance).
● Podem ser aprendidos através de cópias, memorização, exercício de repetição verbal (tabuada),
estratégias​ ​de​ ​organização​ ​significativa​ ​ou​ ​associações​ ​entre​ ​conteúdos.
Conteúdos​ ​conceituais
● Conceito é o conjunto de fatos, objetos, ou símbolos que tem características comuns. (mamífero,
sujeito,​ ​romantismo,​ ​cidade).
3
Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique
http://www.superpreparado.com.br/
● Princípios – se referem às mudanças que se produzem num fato, objeto, ou situação relacionada a
outros​ ​fatos,​ ​objetos.
● Ambos necessitam de compreensão para se aprender. Se a pessoa não entende o significado do que
é um rio, se apenas repete sua definição e não utiliza o termo em qualquer outra atividade, não
aprendeu.
● Esta aprendizagem requer compreensão e não reprodução. É uma aprendizagem que nunca se caba
e​ ​que​ ​serve​ ​para​ ​construção​ ​de​ ​outras​ ​idéias.
Conteúdos​ ​procedimentais
● É um conjunto de ações ordenadas e dirigidas para realização de um objetivo (ler, desenhar, observar,
calcular,​ ​classificar,​ ​traduzir,​ ​saltar,​ ​etc)
● Como​ ​se​ ​aprende​ ​os​ ​conteúdos​ ​procedimentais?
1. Realizando​ ​a​ ​ação​ ​(aprende-se​ ​a​ ​ler,​ ​lendo).
2. Sempre​ ​exercitando​ ​(não​ ​basta​ ​fazer​ ​só​ ​uma​ ​vez).
3. Refletindo​ ​sobre​ ​a​ ​ação​ ​(tornar​ ​a​ ​ação​ ​consciente).
4. Aplicando​ ​em​ ​diversos​ ​contextos​ ​(Resolver​ ​3​ ​x​ ​9​ ​em​ ​qualquer​ ​situação).
Conteúdos​ ​atitudinais
▪ São​ ​conteúdos​ ​referentes​ ​a​ ​valores,​ ​atitudes​ ​e​ ​normas.
1. Valores – solidariedade, respeito aos outros, responsabilidade, liberdade – se adquire quando
é​ ​interiorizado​ ​e​ ​quando​ ​se​ ​elabora​ ​critérios​ ​para​ ​tomar​ ​posição.
2. Atitudes – cooperar com o grupo, ajudar aos colegas, respeitar o meio ambiente, participar de
tarefas​ ​escolares.​ ​–​ ​aprende-se​ ​quando​ ​a​ ​pessoa​ ​pensa​ ​e​ ​atua.
3. Normas – padrões ou regras de comportamento que os membros de um grupo devem seguir. –
(não rasgar cartazes, não roubar). – aprende-se quando se conforma se interioriza e se aceita
como​ ​regras​ ​para​ ​o​ ​funcionamento​ ​do​ ​grupo.
▪ A aprendizagem dos conteúdos atitudinais supõe conhecimento, reflexão, análise, tomada de posição,
revisão​ ​e​ ​avaliação​ ​da​ ​própria​ ​atuação.
LIBÂNEO,​ ​J.​ ​Carlos.​ ​​Didática.​ ​​SP:​ ​Cortez,​ ​1994,​ ​p.149-172.
OS​ ​MÉTODOS​ ​DE​ ​ENSINO
Conceito​ ​de​ ​método​ ​de​ ​ensino.
● É o caminho para atingir um objetivo, com os meios adequados; (investigação científica; assimilação do
conhecimento,​ ​etc.)
● Ver​ ​o​ ​objeto​ ​de​ ​estudo​ ​nas​ ​suas​ ​propriedades​ ​e​ ​relações​ ​com​ ​outros​ ​objetos​ ​e​ ​fenômenos​ ​e​ ​sob​ ​vários​ ​ângulos;
● São​ ​ações,​ ​passos​ ​e​ ​procedimentos​ ​vinculados​ ​a​ ​reflexão,​ ​compreensão​ ​e​ ​transformação​ ​da​ ​realidade;
● São​ ​ações​ ​do​ ​professor​ ​pelas​ ​quais​ ​se​ ​organizam​ ​as​ ​atividades​ ​de​ ​ensino​ ​e​ ​dos​ ​alunos​ ​para​ ​atingir​ ​os​ ​objetivos;
● Deve​ ​expressar​ ​compreensão​ ​global​ ​do​ ​processo​ ​educativo​ ​na​ ​sociedade:
A​ ​escolha​ ​e​ ​organização​ ​dos​ ​métodos.
● Deve​ ​corresponder​ ​à​ ​necessária​ ​unidade​ ​objetivo-conteúdo-método.​ ​(um​ ​depende​ ​do​ ​outro​ ​para​ ​ter​ ​sucesso).
● Dependem​ ​dos​ ​conteúdos​ ​específicos;
● Implica o conhecimento das características dos alunos quanto à capacidade de assimilação e quanto as suas
características​ ​sócio-culturais​ ​e​ ​individuais;​ ​(ligação​ ​entre​ ​os​ ​objetivos​ ​e​ ​as​ ​condições​ ​de​ ​aprender​ ​do​ ​aluno);
Princípios​ ​básicos​ ​do​ ​ensino.
4
Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique
http://www.superpreparado.com.br/
● Ter​ ​caráter​ ​científico​ ​e​ ​sistemático.​ ​(Ficar​ ​atento​ ​ao​ ​conteúdo​ ​científico);
● Ser​ ​compreensível​ ​e​ ​possível​ ​de​ ​ser​ ​assimilado.​ ​(Ver​ ​as​ ​condições​ ​dos​ ​alunos​ ​e​ ​ir​ ​dosando​ ​as​ ​dificuldades);
● Assegurar​ ​a​ ​relação​ ​conhecimento-prática.​ ​(Saber​ ​aplicar​ ​o​ ​conhecimento​ ​na​ ​sua​ ​vida​ ​prática);
● Apoiar-se​ ​na​ ​unidade​ ​ensino-aprendizagem.​ ​(Criar​ ​condições​ ​de​ ​ensino​ ​que​ ​resultem​ ​em​ ​aprendizagem);
● Garantir​ ​a​ ​solidez​ ​dos​ ​conhecimentos.​ ​(Recapitulação,​ ​fixação,​ ​etc);
● Levar​ ​à​ ​vinculação​ ​trabalho​ ​coletivo​ ​–​ ​particularidades​ ​individuais.​ ​(Educar​ ​a​ ​todos,​ ​observando​ ​as​ ​diferenças).
Classificação​ ​dos​ ​métodos​ ​de​ ​ensino.
1. ​Método de exposição pelo professor. ​Na exposição, o professor deve mobilizar a atividade interna do aluno de
concentrar-se​ ​e​ ​de​ ​pensar,​ ​e​ ​a​ ​combinar​ ​com​ ​outros​ ​procedimentos.
● Exposição verbal – sua função é explicar um assunto desconhecido. O professor deverá estimular sentimentos,
instigar a curiosidade, relatar sugestivamente um fato, descrever com vivacidade uma situação real, fazer leitura
expressiva,​ ​etc.
● Demonstração​​ ​–​ ​é​ ​a​ ​forma​ ​de​ ​representar​ ​fenômenos​ ​e​ ​processos​ ​reais​ ​(germinação).
● Ilustração ​– é uma forma de representar fatos e fenômenos reais através de gráficos, mapas, esquemas,
gravuras,​ ​etc.​ ​(Requer​ ​dos​ ​alunos​ ​capacidade​ ​de​ ​concentração​ ​e​ ​observação).
● Exemplificação​ ​​–​ ​é​ ​um​ ​meio​ ​de​ ​auxiliar​ ​a​ ​exposição​ ​verbal
2.​ ​​Método​ ​de​ ​trabalho​ ​independente.​​ ​(Uma​ ​das​ ​formas​ ​didática​ ​desse​ ​método​ ​é​ ​o​ ​estudo​ ​dirigido).
Atividades realizadas pelos alunos, dirigidas e orientadas pelo professor. Para que esse método seja eficiente, o
professor precisa: - Dar tarefas claras e acessíveis; - Assegurar condições de trabalho (silêncio, material, etc); -
Acompanhar​ ​de​ ​perto;​ ​-​ ​Aproveitar​ ​o​ ​resultado​ ​da​ ​tarefa​ ​para​ ​toda​ ​classe.
3. ​Método de elaboração conjunta. ​Interação entre alunos e professor. É a conversação, aula dialogada, com elaboração
de​ ​perguntas​ ​que​ ​leve​ ​os​ ​alunos​ ​a​ ​reflexão.
4.​ ​​Método​ ​de​ ​trabalho​ ​em​ ​grupo.​ ​​Sua​ ​finalidade​ ​é​ ​obter​ ​a​ ​cooperação​ ​dos​ ​alunos​ ​para​ ​realização​ ​de​ ​uma​ ​tarefa.
● Debate​​ ​–​ ​os​ ​debatedores​ ​devem​ ​defender​ ​uma​ ​posição.
● Philips​ ​66​​ ​–​ ​seis​ ​grupos​ ​de​ ​seis​ ​pessoas​ ​discutem​ ​uma​ ​questão​ ​em​ ​poucos​ ​minutos​ ​e​ ​apresentam​ ​a​ ​conclusão.
​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​(Verifica​ ​o​ ​nível​ ​de​ ​conhecimento​ ​da​ ​turma​ ​antes​ ​ou​ ​depois​ ​de​ ​uma​ ​explicação).
● Tempestade mental – escrever no quadro o que vem em mente sobre determinado assunto, destacar o mais
relevante​ ​e​ ​discutir.
● Grupo de verbalização ​– grupo de observação (GV-GO) – ​uma parte da turma forma um círculo central para
discutir​ ​o​ ​tema,​ ​outra​ ​parte​ ​fica​ ​em​ ​volta​ ​observando​ ​se​ ​o​ ​que​ ​está​ ​sendo​ ​apresentado​ ​tem​ ​coerência.
● Seminário​ ​–​​ ​pode​ ​ser​ ​exposição​ ​ou​ ​conversação​ ​sobre​ ​determinado​ ​assunto​ ​previamente​ ​estudado​ ​pelo​ ​grupo.
5. ​Atividades especiais. Complementam os métodos de ensino com objetivo de assimilação dos conteúdos. São os:
Jornal​ ​escolar,​ ​Museu​ ​escolar,​ ​Teatro,​ ​Biblioteca​ ​escolar,​ ​estudo​ ​do​ ​meio,​ ​etc.
O Estudo do meio não se limita só aos passeios, mas a todos os procedimentos que possibilitem a discussão e
compreensão​ ​do​ ​cotidiano.​ ​São​ ​necessárias​ ​3​ ​fases:
Planejamento​ ​–​ ​o​ ​que​ ​observar?​ ​Que​ ​perguntas​ ​poderão​ ​ser​ ​feitas?​ ​(O​ ​professor​ ​deverá​ ​fazer​ ​conhecer​ ​o​ ​local)
Execução​ ​–​ ​observar,​ ​tomar​ ​nota,​ ​conversar​ ​com​ ​as​ ​pessoas,​ ​etc.
Exploração​ ​dos​ ​resultados​ ​e​ ​avaliação​ ​–​ ​relatório,​ ​redação,​ ​sistematização​ ​pelo​ ​professor.​ ​Utilidade​ ​do​ ​estudo.
ZABALA,​ ​Antoni.​ ​​A​ ​prática​ ​educativa:​ ​como​ ​ensinar​.​ ​Porto​ ​Alegre:​ ​ArtMed,​ ​1998,​ ​p.​ ​195-209.
A​ ​AVALIAÇÃO
● A avaliação muitas vezes foi concebida apenas enquanto valorização dos resultados obtidos pelo
aluno.​ ​Hoje,​ ​a​ ​avaliação​ ​é​ ​um​ ​processo​ ​que​ ​envolve​ ​aluno,​ ​classe​ ​e​ ​professores.
● Se o objetivo do ensino é o desenvolvimento de todas as capacidades da pessoa (com a articulação
dos conteúdos atitudinais, conceituais e procedimentais), então a avaliação deve considerar todo esse
processo.​ ​Tudo​ ​depende​ ​dos​ ​objetivos​ ​selecionados.
5
Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique
http://www.superpreparado.com.br/
● Avaliação serve para aperfeiçoar a prática educativa que levará o aluno a conseguir desenvolver
várias​ ​competências​ ​e​ ​avaliar​ ​a​ ​ação​ ​docente.​ ​Inclui​ ​todo​ ​o​ ​processo​ ​de​ ​ensino​ ​aprendizagem.
A​ ​avaliação​ ​em​ ​processo​ ​tem​ ​várias​ ​fases:
A​valiação​ ​inicial.
● Vai​ ​identificar​ ​o​ ​que​ ​cada​ ​aluno​ ​sabe​ ​fazer​ ​e​ ​como​ ​faz.
● É​ ​o​ ​ponto​ ​de​ ​partida​ ​para​ ​o​ ​objetivo,​ ​os​ ​conteúdos​ ​e​ ​as​ ​atividades​ ​que​ ​o​ ​professor​ ​vai​ ​elaborar.
● Conforme os alunos vão se desenvolvendo, o docente vai propondo novas atividades com novos
desafios​ ​para​ ​aprendizagem.
● Assim​ ​estaremos​ ​realizando​ ​a​ ​​avaliação​ ​reguladora​​ ​(com​ ​adaptações​ ​e​ ​adequações)​ ​ou​ ​formativa.
Avaliação​ ​final
● É​ ​o​ ​conhecimento​ ​dos​ ​resultados​ ​obtidos.
Avaliação​ ​integradora​​ ​ou​ ​somativa
● É o conhecimento e avaliação de todo o percurso feito pelo aluno do início ao fim. Identificando o que
precisa​ ​ser​ ​feito​ ​ou​ ​refeito.
Avaliação​ ​dos​ ​conteúdos​ ​factuais
● A​ ​aprendizagem​ ​dos​ ​fatos​ ​implica​ ​o​ ​conhecimento​ ​significativo​ ​e​ ​a​ ​compreensão​ ​dos​ ​conteúdos.
● É preciso associar os fatos aos conceitos. O que é uma capital? É preciso citar determinada capital,
mas​ ​compreender​ ​o​ ​que​ ​significa​ ​capital.​ ​Entender​ ​e​ ​saber​ ​o​ ​que​ ​significou​ ​o​ ​descobrimento​ ​do​ ​Brasil.
Avaliação​ ​dos​ ​conteúdos​ ​conceituais
● Avaliar a aprendizagem desses conteúdos não é fácil, considerando que a aprendizagem de um
conceito dificilmente está concluída. Tudo depende do nível de profundidade de compreensão e da
capacidade​ ​dos​ ​alunos​ ​para​ ​utilizar​ ​convenientemente​ ​os​ ​conceitos​ ​apreendidos.
● É comum, nesse caso, o uso de perguntas orais ou escritas onde se espera que o aluno responda de
acordo​ ​com​ ​o​ ​livro.
● A​ ​aprendizagem​ ​dos​ ​conceitos​ ​não​ ​pode​ ​se​ ​prender​ ​as​ ​repetições.
● O professor precisa observar os alunos no uso dos conceitos em diversas situações e explicações
espontâneas​ ​(trabalho​ ​em​ ​equipe,​ ​debate,​ ​dialogo,​ ​etc).
● Tanto os conteúdos dos fatos, como dos conceitos se situam na capacidade cognitiva. É preciso
identificar​ ​o​ ​que​ ​os​ ​alunos​ ​sabem​ ​sobre​ ​estes​ ​conteúdos.
Avaliação​ ​dos​ ​conteúdos​ ​procedimentais
● Esses​ ​conteúdos​ ​implicam​ ​saber​ ​fazer.
● Para a sua avaliação é preciso fazer. Percebemos sua aprendizagem quando acontece a transposição
para a prática. O professor percebe isso através da observação sistemática. Como saber se um aluno
aprendeu​ ​a​ ​calcular?​ ​Fazendo​ ​com​ ​que​ ​calcule.
Avaliação​ ​dos​ ​conteúdos​ ​atitudinais
● Esses​ ​conteúdos​ ​são​ ​muitas​ ​vezes​ ​esquecidos​ ​nas​ ​escolas.
● Para a avaliação desses conteúdos é preciso situações conflitantes que permitam a observação do
comportamento​ ​e​ ​a​ ​opinião​ ​de​ ​cada​ ​aluno​ ​(no​ ​recreio,​ ​passeio,​ ​debates,​ ​atividade​ ​em​ ​equipe,​ ​etc.).
DELORS, Jacques. (org). ​Educação: Um tesouro a descobrir​. Relatório para UNESCO da Comissão
Internacional​ ​sobre​ ​a​ ​Educação​ ​para​ ​o​ ​Século​ ​XXI.​ ​MEC-​ ​CORTEZ.
6
Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique
http://www.superpreparado.com.br/
OS​ ​4​ ​PILARES​ ​DA​ ​EDUCAÇÃO
● Cabe a educação, de forma competente, fornecer os saberes que contribuam para a compreensão e
vivência​ ​no​ ​mundo​ ​atual,​ ​cheio​ ​de​ ​complexidade.
● Os conhecimentos precisam sempre está atualizado devendo ser, ao longo da vida, aprofundados e
enriquecidos.
● Para​ ​isso,​ ​a​ ​educação​ ​deve​ ​organizar-se​ ​em​ ​torno​ ​de​ ​4​ ​aprendizagens​ ​fundamentais:
APRENDER​ ​A​ ​CONHECER
● Combinando uma cultura geral, suficientemente vasta, com a possibilidade de trabalhar em
profundidade um pequeno numero de matérias. O que também significa: aprender a aprender, para
beneficiar-se​ ​das​ ​oportunidades​ ​oferecidas​ ​pela​ ​educação​ ​ao​ ​longo​ ​de​ ​toda​ ​a​ ​vida.
APRENDER​ ​A​ ​FAZER
● A​fim de adquirir qualificação profissional e competências que tornem a pessoa apta a enfrentar as
situações e a trabalhar em equipes. Também aprender a fazer, no âmbito das diversas experiências
sociais ou de trabalho que se oferecem, quer espontaneamente, fruto do contexto local ou nacional, quer
formalmente,​ ​graças​ ​ao​ ​desenvolvimento​ ​do​ ​ensino​ ​alternado​ ​com​ ​o​ ​trabalho.
APRENDER​ ​A​ ​VIVER​ ​JUNTO
● Desenvolvendo a compreensão do outro e a percepção das interdependências - realizar projetos comuns
e preparar-se para gerir conflitos - no respeito pelos valores do pluralismo, da compreensão mutua e da
paz.
APRENDER​ ​A​ ​SER
● P​ara melhor desenvolver a sua personalidade e estar a altura de agir com cada vez maior capacidade de
autonomia, de discernimento e de responsabilidade pessoal. Para isso, não negligenciar na educação
nenhuma das potencialidades de cada indivíduo: memória, raciocínio, sentido estético, capacidades
físicas,​ ​aptidão​ ​para​ ​comunicar-se.
7
Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique
http://www.superpreparado.com.br/
ABORDAGENS​ ​E​ ​PRÁTICA​ ​PEDAGÓGICA
1
Maria​ ​da​ ​Conceição​ ​dos​ ​Reis
A prática pedagógica está fundamentada na concepção de vida e sociedade do professor. É a partir dela que o
professor realiza as atividades cotidianas nas escolas, seguindo uma linha pedagógica que fornece diretrizes para essas
atividades, pois a pratica pedagógica destinada à sala de aula é, ainda hoje, influenciada pelas várias tendências ou teorias
pedagógicas​ ​que​ ​marcaram​ ​a​ ​história​ ​educacional​ ​no​ ​Brasil.
Saviani (2002) classifica essas teorias em dois grupos: ​teorias não-críticas ​e ​teorias crítico-reprodutivista ​e
apresenta uma nova proposta através da teoria crítica. Essas idéias são apresentadas através de cinco enfoques:
tradicional,​ ​escolanovismo,​ ​tecnicismo,​ ​crítico-reprodutivista​ ​e​ ​histórico-crítica.
Pelas idéias abordadas nas ​teorias não-críticas, ​a educação é entendida como instrumento de superação social.
O aluno marginalizado deveria ser integrado a sociedade. Cabendo a educação corrigir as distorções sociais. As idéias
das teorias ​não ​críticas se expressam através da Pedagogia Tradicional, Pedagogia Nova e Pedagogia Tecnicista.
Vejamos:
A Pedagogia Tradicional teve inicio juntamente com a educação escolar no Brasil, através dos jesuítas que,
mesmo sem facilitar uma prática pedagógica que contribuísse com a transformação da vida social e econômica da
colônia,​ ​monopolizaram​ ​toda​ ​essa​ ​educação​ ​desde​ ​1549​ ​até​ ​a​ ​expulsão​ ​da​ ​Companhia​ ​de​ ​Jesus​ ​em​ ​1759.
Essa expulsou não fez mudar o princípio pedagógico, apenas mudou os interesses - por passar das mãos da igreja
para a burguesia - o que antes era pedagogia tradicional religiosa, transformou-se em pedagogia tradicional leiga.
(Saviani,​ ​2002).
Com o discurso de construir uma sociedade democrática, a burguesia, que acabara de se consolidar no poder,
defendia o conhecimento para todos. Cabia a escola e ao professor transmitir o conhecimento aos alunos organizados em
classes. O professor era o centro das atenções que, através das aulas expositivas, transmitia todo o conteúdo que ele
mesmo determinava para o aluno. Esse, ouvia passivamente e disciplinadamente, sem direito a desenvolver sua
criatividade. Mas, começa a surgir os problemas, pois a escola não conseguia ser universal, os alunos que ingressavam
não obteriam os mesmos resultados esperados pela escola, "não se ajustavam ao tipo de sociedade que se queria
consolidar". (idem, p.7). A educação era totalmente dissociada das questões sociais vigentes. Também, não havia
unidade entre prática e teoria. A prática era vista como aplicação da teoria. (Veiga, 1989: 44). Porém, essa tendência
predominou,​ ​aproximadamente,​ ​até​ ​1930.
Com inspiração filosófica no humanismo moderno - visão de homem centrada na própria existência, - que ganha
impulso em 1924 com a criação da Associação Brasileira de Educação, começa a surgir a Pedagogia Nova fazendo
críticas à pedagogia tradicional. O escolanovismo, como ficou sendo conhecido, acreditava no potencial da escola para
erradicar a marginalidade social (o que a escola tradicional não estava conseguindo). Foi a partir dessa percepção que
1
​ ​Texto​ ​elaborado​ ​a​ ​partir​ ​da​ ​dissertação​ ​de​ ​mestrado​ ​da​ ​autora​ ​para​ ​a​ ​disciplina​ ​Didática​ ​-​ ​2006
8
Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique
http://www.superpreparado.com.br/
começou o movimento de reforma dessa escola, que passou a ser vista como "redentora da humanidade". O professor
passou a ser o facilitador da aprendizagem. O aluno era o centro de tudo, que deveria ser respeitado em suas escolhas. "A
prática​ ​pedagógica​ ​é​ ​ancorada​ ​em​ ​si​ ​mesma,​ ​sem​ ​vinculação​ ​com​ ​o​ ​contexto​ ​mais​ ​amplo"​ ​(Veiga,​ ​1989:52).
Essa tendência galgou forma no Brasil através da elaboração do projeto da primeira Lei de Diretrizes e Base da
Educação, pois para sua elaboração estavam presentes os principais educadores escolanovistas e representantes católicos,
portanto​ ​puderam​ ​definir​ ​os​ ​caminhos​ ​da​ ​educação​ ​brasileira.
Para atender aos pressupostos da Escola Nova, a educação católica, que ainda tinha muito poder, influência e
predomínio em várias escolas, buscou se renovar através do método pedagógico de Montessori e Lubienska,
disseminando o amor que o professor deveria ter com as crianças, para que as mesmas pudessem aprender num ambiente
amoroso e feliz. Foi em 1932 que surgiu o Manifesto da Escola Nova, cuja essência predominou até 1960, quando
começa a apresentar os sinais de crise. Com isso, ganha força a concepção analítica com seus princípios científicos
objetivos,​ ​racionais​ ​e​ ​neutros.
Em 1969, começa a ascensão da Pedagogia Tecnicista,dando ênfase a formação de técnicos para educação. Ao
professor competia efetivar a prática: A relação professor-aluno é estritamente técnica, ou seja, visa a garantir a eficácia
da​ ​transmissão​ ​dos​ ​conhecimentos.​ ​(Veiga,​ ​1989:​ ​58)
O que mais tinha destaque nesta teoria eram as técnicas e os métodos, que se preocupavam em preparar a
mão-de-obra para o mercado de trabalho que atendia aos interesses do capitalismo. A autora chama atenção que nesta
visão,​ ​a​ ​separação​ ​entre​ ​teoria​ ​e​ ​prática​ ​fica​ ​mais​ ​acentuada.
Durante o governo militar esta pedagogia teve seu ponto alto, porém começam os estudos à crítica da educação
dominante. Os educadores não aceitavam este tipo de educação baseada no autoritarismo e tecnicismo, que confiava à
escola, através dos seus meios de instrução baseada no behaviorismo, a função de conservar a sociedade capitalista
vigente.
A partir de 1974, com a abertura do regime militar no Brasil, os estudos e críticas dos educadores preocupados
com os caminhos da educação nacional, começam a se destacar através de denúncias à pedagogia oficial e fazendo
surgir uma nova pedagogia denominada por Saviani (2002) de ​crítico-reprodutivista, ​por conceber a função da educação
como reprodução das relações sociais, sem vislumbrar a possibilidade de uma educação que pudesse está comprometida
em​ ​promover​ ​a​ ​transformação​ ​dessas​ ​relações.
Portanto, estas teorias apenas explicam/criticam como a escola esta constituída. Nasce da crítica, mas não
elabora​ ​uma​ ​proposta​ ​pedagógica,​ ​vive​ ​apenas​ ​a​ ​combater​ ​as​ ​que​ ​se​ ​apresentam.
É por esta falta de proposta da pedagogia crítico-reprodutivista e pelo descrédito na transformação da escola,
que em 1979 começa a se espalhar à discussão sobre uma nova tendência embasada na concepção dialética. É neste
período que nasce a pedagogia que Saviani denomina ​de histórico-crítica, ​procurando articular uma proposta pedagógica
que busque a transformação social, através do resgate da importância da escola, da interação entre os sujeitos e da
9
Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique
http://www.superpreparado.com.br/
reorganização do trabalho educativo. Sobre a interação professor-aluno, inclusa nesta teoria ​histórico-crítica Veiga
(1989)​ ​explica​ ​que:
O trabalho pedagógico está centrado não no professor e no aluno, mas na questão
central da formação do homem. O professor é valorizado no seu papel de autoridade
que​ ​orienta​ ​e​ ​favorece​ ​o​ ​processo​ ​de​ ​ensinar​ ​e​ ​de​ ​aprender.
(...) O aluno e visto como um ser concreto situado historicamente. Traz consigo um
saber que Ihe é próprio, e que precisa ser valorizado e reelaborado para que,
concretamente, possa gerar mudanças na realidade. Neste sentido, a relação
pedagógica é calcada na autonomia e reciprocidade, provenientes de um processo de
maturação.​ ​(67)
É dessa forma que Saviani (2002) reconhece na educação um instrumento de luta, e diante da visão dialética, o
professor, com uma prática pedagógica reflexiva, crítica, criativa e transformadora, instrumentaliza seu aluno para a
prática​ ​social​ ​através​ ​da​ ​construção​ ​crítica​ ​do​ ​saber.
Portanto, o professor que se propõe crítico, precisa estar preparado para a prática pedagógica ancorada numa
concepção de educação articulada com a realidade social. Uma ação pedagógica que valorize a relação dialética
teoria-prática, em que a prática seja uma ação guiada e mediada pela teoria. A unidade entre o ideal (a teoria) e o real (a
prática), é de extrema importância no trabalho desenvolvido no cotidiano escolar para que os professores estejam atentos
no​ ​pensar​ ​e​ ​no​ ​fazer.
É nessa relação dialética, com a prática sendo alimentada pela teoria, e, ao mesmo tempo, a teoria sendo
alimentada pela prática, que se mantém a prática pedagógica do professor com características renovada, reflexiva e
transformadora.
Libâneo (2000, p. 37) afirma que os professores precisam ser críticos para compreender e analisar criticamente a
sociedade, a política, as diferenças sociais, a diversidade cultural, os interesses de classe, agir diante das situações
escolares​ ​e,​ ​assim,​ ​problematizar​ ​com​ ​os​ ​alunos​ ​o​ ​conhecimento.
Ao dissertar sobre prática pedagógica que busca uma transformação, ressalta-se a contribuição do educador Paulo
Freire, enquanto professor crítico/comprometido, que concebe a educação como um ato político, compreendendo-a como
um instrumento de luta que, em conjunto com as outras práticas sociais, está a serviço da transformação da sociedade
vigente.
Simulado
1.Com​ ​base​ ​no​ ​texto,​ ​assinale​ ​a​ ​opção​ ​correta​ ​a​ ​respeito​ ​da​ ​didática​ ​da​ ​Escola​ ​Nova.
10
Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique
http://www.superpreparado.com.br/
a) No ensino de disciplinas que compõem a área de conhecimento história natural, os materiais
didáticos devem ser plantas e animais vivos, a metodologia de ensino deve ser a observação direta
e​ ​imediata​ ​e​ ​o​ ​espaço​ ​da​ ​aula​ ​deve​ ​ser​ ​a​ ​natureza.
b) No ensino das chamadas exatas aplicadas, como química e física, o conteúdo teórico dos
experimentos​ ​em​ ​laboratórios​ ​deve​ ​ser​ ​aplicado​ ​após​ ​as​ ​aulas​ ​teóricas​ ​e​ ​expositivas.
c) O estudo do mundo geográfico deve englobar detalhes como a simbologia política dos países,
pois o conhecimento das especificidades é necessário para que o educando tenha a visão da
totalidade​ ​do​ ​fenômeno​ ​político-geográfico.
d) O ensino da realidade social e política deve restringir-se aos fatos passados e ater-se ao modo de
exposição oral, uma vez que a história não permite a experimentação, a observação direta e a
investigação.
2.A Didática tem papel muito importante no processo de formação de educadores, contudo, ao longo
de sua trajetória, tem suscitado discussões intensas. Por vezes negada ou exaltada, ela foi
assumindo, ao longo da história, diferentes compreensões. Podemos inferir que, atualmente, a
Didática​ ​pode​ ​ser​ ​compreendida​ ​como:
a) arte de ensinar tudo a todos, uma vez que enfatiza os direitos humanos e a promoção da
igualdade​ ​com​ ​respeito​ ​pelas​ ​diferenças.
b) ciência responsável pela formação do professor, responsabilizando-se por atribuir significado ao
trabalho​ ​docente.
c) estudo dos processos de ensino e aprendizagem em articulação com as dimensões humana,
técnica​ ​e​ ​político-​ ​social​ ​que​ ​devem​ ​orientar​ ​os​ ​princípios​ ​e​ ​práticas​ ​educativas.
d) técnica de aprender a melhor ensinar, auxiliando o professor a identificar e interrogar os valores
que​ ​estão​ ​subjacentes​ ​à​ ​ação​ ​e​ ​às​ ​concepções​ ​do​ ​humano.
3.Assinale​ ​a​ ​alternativa​ ​que​ ​apresenta​ ​a​ ​sequência​ ​correta.
a)​ ​Didática;​ ​Pedagogia;​ ​Didática;​ ​Pedagogia;​ ​Didática.
b)​ ​Pedagogia,​ ​Didática,​ ​Pedagogia;​ ​Didática;​ ​Didática.
c)​ ​Pedagogia;​ ​Pedagogia;​ ​Pedagogia;​ ​Didática;​ ​Didática
d)​ ​Pedagogia;​ ​Didática;​ ​Didática;​ ​Pedagogia;​ ​Pedagogia.
e)​ ​Didática;​ ​Pedagogia,​ ​Pedagogia;​ ​Didática;​ ​Pedagogia.
11
Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique
http://www.superpreparado.com.br/
4.Na história da educação brasileira, muitas foram as transformações pelas quais passaram as
escolas e a prática didática. Considerando a Pedagogia Progressista, as três Tendências
Pedagógicas​ ​que​ ​se​ ​manifestam​ ​são:
a)​ ​Libertária,​ ​Tradicional​ ​e​ ​Crítico-Social​ ​dos​ ​Conteúdos.
b)​ ​Tradicional,​ ​Renovada​ ​Progressista​ ​e​ ​Crítico-Social​ ​dos​ ​Conteúdos.
c)​ ​Libertária,​ ​Libertadora​ ​e​ ​Crítico-Social​ ​dos​ ​Conteúdos.
d)​ ​Tradicional,​ ​Tecnicista​ ​e​ ​Renovada​ ​Progressista.
e)​ ​Libertária,​ ​Libertadora​ ​e​ ​Tecnicista.
5.Sobre​ ​o​ ​ensino​ ​e​ ​a​ ​aprendizagem​ ​de​ ​História,​ ​assinale​ ​a​ ​alternativa​ ​INCORRETA.
a) Envolvem uma distinção básica entre o saber histórico, como um campo de pesquisa e produção
de conhecimento do domínio de especialistas, e o saber histórico escolar, como conhecimento
produzido​ ​no​ ​espaço​ ​escolar.
b) Os diferentes conceitos — de fato histórico, sujeito histórico e tempo histórico — independem das
distintas​ ​concepções​ ​de​ ​História​ ​e​ ​de​ ​como​ ​ela​ ​é​ ​estruturada​ ​e​ ​constituída.
c) Na sala de aula, os materiais didáticos e as diversas formas de comunicação escolar
apresentadas​ ​no​ ​processo​ ​pedagógico​ ​constituem​ ​o​ ​que​ ​se​ ​denomina​ ​saber​ ​histórico​ ​escolar.
d) O saber histórico escolar, na sua relação com o saber histórico, compreende, de modo amplo, a
delimitação de três conceitos fundamentais: o de fato histórico, de sujeito histórico e de tempo
histórico.
e) Didaticamente, as relações e as comparações entre o presente e o passado permitem uma
compreensão da realidade numa dimensão histórica, que extrapola as explicações sustentadas
apenas​ ​no​ ​passado​ ​ou​ ​só​ ​no​ ​presente​ ​imediato.
6.É​ ​característica​ ​da​ ​didática​ ​ativa:
a)​ ​não​ ​dar​ ​considerável​ ​importância​ ​aos​ ​métodos​ ​e​ ​técnicas​ ​de​ ​ensino.
b)​ ​não​ ​utilizar​ ​em​ ​sua​ ​prática​ ​o​ ​método​ ​científico​ ​de​ ​descoberta​ ​de​ ​conhecimento.
c)​ ​ser​ ​a​ ​direção​ ​do​ ​ensino,​ ​a​ ​sistematização​ ​e​ ​o​ ​controle​ ​do​ ​processo​ ​de​ ​aprendizagem.
d)​ ​valorizar​ ​mais​ ​os​ ​processos​ ​de​ ​aprendizagem​ ​do​ ​que​ ​os​ ​conhecimentos​ ​sistematizados.
e)​ ​considerar​ ​o​ ​aluno​ ​coadjuvante​ ​da​ ​aprendizagem.
7.Sobre​ ​a​ ​didática​ ​está​ ​correta​ ​a​ ​frase:
12
Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique
http://www.superpreparado.com.br/
a)​ ​Não​ ​generaliza​ ​o​ ​que​ ​é​ ​comum​ ​no​ ​processo​ ​educativo.
b)​ ​Estuda​ ​a​ ​finalidade​ ​da​ ​educação​ ​na​ ​sociedade.
c)​ ​Ocupa-se​ ​dos​ ​métodos​ ​de​ ​cada​ ​matéria.
d)​ ​Ocupa-se​ ​da​ ​teoria​ ​geral​ ​do​ ​ensino.
e)​ ​Estuda​ ​a​ ​educação​ ​a​ ​instrução​ ​e​ ​o​ ​ensino.
8.A​ ​Didática​ ​é​ ​um​ ​ramo​ ​de​ ​estudo​ ​da​ ​Pedagogia​ ​que:
a)​ ​investiga​ ​a​ ​natureza​ ​das​ ​finalidades​ ​da​ ​educação​ ​numa​ ​sociedade.
b) busca em outras ciências os conhecimentos que esclarecem o fenômeno educativo. c) estuda a
dinâmica​ ​das​ ​relações​ ​sociais​ ​e​ ​o​ ​processo​ ​do​ ​desenvolvimento​ ​humano.
d)​ ​investiga​ ​os​ ​fundamentos,​ ​condições​ ​e​ ​modos​ ​de​ ​realização​ ​da​ ​instrução​ ​e​ ​do​ ​ensino.
e)​ ​nenhuma​ ​alternativa​ ​está​ ​correta
9.Em​ ​relação​ ​à​ ​Didática,​ ​é​ ​incorreto​ ​afirmar​ ​que
a) contribui para transformar a prática pedagógica da escola, ao desenvolver a compreensão
articulada​ ​entre​ ​os​ ​conteúdos​ ​a​ ​serem​ ​ensinados​ ​e​ ​as​ ​práticas​ ​sociais.
b) não compete refletir acerca dos objetivos sócio-políticos e pedagógicos, ao selecionar os
conteúdos​ ​e​ ​métodos​ ​de​ ​ensino.
c) realiza-se por meio de ação consciente, intencional e planejada, no processo de formação
humana,​ ​estabelecendo-se​ ​objetivos​ ​e​ ​critérios​ ​socialmente​ ​determinados.
d) sua finalidade é converter objetivos sócio-políticos e pedagógicos em objetivos de ensino,
selecionar​ ​conteúdos​ ​e​ ​métodos​ ​em​ ​função​ ​desses​ ​objetivos.
10.​ ​São​ ​elementos​ ​estruturantes​ ​da​ ​Didática:
a)​ ​objetivos,​ ​conteúdos,​ ​tecnicismos,​ ​políticas​ ​de​ ​ensino,​ ​recursos​ ​e​ ​avaliação.
b)​ ​objetivos,​ ​políticas​ ​de​ ​ensino,​ ​tecnicismos,​ ​recursos,​ ​relação​ ​professor-aluno.
c)​ ​objetivos,​ ​conteúdos,​ ​metodologia,​ ​recursos,​ ​relação​ ​professor-aluno,​ ​avaliação.
d)​ ​objetivos,​ ​métodos​ ​de​ ​pesquisa,​ ​conteúdos,​ ​programas,​ ​políticas​ ​educacionais.
GABARITO​ ​1A;2C;3D;4C;5B;6D;7D;8D;9B;10C;
Esse​ ​simulado​ ​faz​ ​parte​ ​do​ ​Material​ ​Completo​ ​que​ ​se​ ​encontra
13
Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique
http://www.superpreparado.com.br/
na​ ​página:
http://questoesconcursopedagogia.com.br/mais1200questoes/
Olá,​ ​tudo​ ​bem?​ ​Sou​ ​professor​ ​Luiz​ ​Carlos​ ​Melo.
Perfil​ ​no​ ​facebook:
https://www.facebook.com/luizcarlos.melo.127
Fanpage:
https://www.facebook.com/superpreparado/
Canal​ ​no​ ​Youtube:
https://www.youtube.com/channel/UCZ3D5VBLZW1lacEE89nMJgg
Blog:
http://questoesconcursopedagogia.com.br/
14
Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique
http://www.superpreparado.com.br/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estratégias de ensinagem lea anastasiou
Estratégias de ensinagem   lea anastasiouEstratégias de ensinagem   lea anastasiou
Estratégias de ensinagem lea anastasioufamiliaestagio
 
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiou
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiouEstrategias de-ensinagem-lea-anastasiou
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiouPROIDDBahiana
 
3. planejamento de ensino peculiaridades significativas
3. planejamento de ensino   peculiaridades significativas3. planejamento de ensino   peculiaridades significativas
3. planejamento de ensino peculiaridades significativasClaudio Lima
 
Aula - Teoria Construtivista
Aula - Teoria ConstrutivistaAula - Teoria Construtivista
Aula - Teoria Construtivistapaula
 
Organizar e dirigir situações de aprendizagem
Organizar e dirigir  situações de aprendizagemOrganizar e dirigir  situações de aprendizagem
Organizar e dirigir situações de aprendizagemAlexandre Lopes
 
Estratégia de ensino e aprendizagem por simone helen drumond
Estratégia de ensino e aprendizagem por simone helen drumondEstratégia de ensino e aprendizagem por simone helen drumond
Estratégia de ensino e aprendizagem por simone helen drumondSimoneHelenDrumond
 
Situações de apreendizagem
Situações de apreendizagemSituações de apreendizagem
Situações de apreendizagemtecampinasoeste
 
A prática educativa zabala
A prática educativa zabalaA prática educativa zabala
A prática educativa zabalaSomos Cristo.
 
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...ANGRAD
 
O que é e Como Montar uma Oficina Pedagógica?
O que é e Como Montar uma Oficina Pedagógica?O que é e Como Montar uma Oficina Pedagógica?
O que é e Como Montar uma Oficina Pedagógica?Adilson P Motta Motta
 
Habilidades e Competências
Habilidades e CompetênciasHabilidades e Competências
Habilidades e CompetênciasAlexandre Lopes
 
10 novas competências para ensinar philippe perrenoud
10 novas competências para ensinar   philippe perrenoud10 novas competências para ensinar   philippe perrenoud
10 novas competências para ensinar philippe perrenoudStarosky Consultoria de RH
 

Mais procurados (20)

Estratégias de ensinagem lea anastasiou
Estratégias de ensinagem   lea anastasiouEstratégias de ensinagem   lea anastasiou
Estratégias de ensinagem lea anastasiou
 
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiou
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiouEstrategias de-ensinagem-lea-anastasiou
Estrategias de-ensinagem-lea-anastasiou
 
Processo de Ensinagem
Processo de EnsinagemProcesso de Ensinagem
Processo de Ensinagem
 
3. planejamento de ensino peculiaridades significativas
3. planejamento de ensino   peculiaridades significativas3. planejamento de ensino   peculiaridades significativas
3. planejamento de ensino peculiaridades significativas
 
Dez competências para ensinar
Dez competências para ensinarDez competências para ensinar
Dez competências para ensinar
 
Aulas 3 e 4 unidade 2
Aulas 3 e 4 unidade 2Aulas 3 e 4 unidade 2
Aulas 3 e 4 unidade 2
 
Philippe Perrenoud
Philippe PerrenoudPhilippe Perrenoud
Philippe Perrenoud
 
Ensinagem
EnsinagemEnsinagem
Ensinagem
 
Aula - Teoria Construtivista
Aula - Teoria ConstrutivistaAula - Teoria Construtivista
Aula - Teoria Construtivista
 
Organizar e dirigir situações de aprendizagem
Organizar e dirigir  situações de aprendizagemOrganizar e dirigir  situações de aprendizagem
Organizar e dirigir situações de aprendizagem
 
Prática pedagógica:a relação professor-aluno no ensino superior
Prática pedagógica:a relação professor-aluno no ensino superiorPrática pedagógica:a relação professor-aluno no ensino superior
Prática pedagógica:a relação professor-aluno no ensino superior
 
Estratégia de ensino e aprendizagem por simone helen drumond
Estratégia de ensino e aprendizagem por simone helen drumondEstratégia de ensino e aprendizagem por simone helen drumond
Estratégia de ensino e aprendizagem por simone helen drumond
 
Situações de apreendizagem
Situações de apreendizagemSituações de apreendizagem
Situações de apreendizagem
 
Celso antunes
Celso antunesCelso antunes
Celso antunes
 
A prática educativa zabala
A prática educativa zabalaA prática educativa zabala
A prática educativa zabala
 
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
 
Tecnicas de Ensino e Dominios de Aprendizagem
Tecnicas de Ensino  e Dominios de AprendizagemTecnicas de Ensino  e Dominios de Aprendizagem
Tecnicas de Ensino e Dominios de Aprendizagem
 
O que é e Como Montar uma Oficina Pedagógica?
O que é e Como Montar uma Oficina Pedagógica?O que é e Como Montar uma Oficina Pedagógica?
O que é e Como Montar uma Oficina Pedagógica?
 
Habilidades e Competências
Habilidades e CompetênciasHabilidades e Competências
Habilidades e Competências
 
10 novas competências para ensinar philippe perrenoud
10 novas competências para ensinar   philippe perrenoud10 novas competências para ensinar   philippe perrenoud
10 novas competências para ensinar philippe perrenoud
 

Semelhante a 13.apostila de didatica.docx

Palestra Tipos de Conteúdos
Palestra Tipos de ConteúdosPalestra Tipos de Conteúdos
Palestra Tipos de Conteúdoslouisacarla
 
Apresentação inicial agosto
Apresentação inicial agostoApresentação inicial agosto
Apresentação inicial agostoElvira Aliceda
 
Resenha do livro do zabala
Resenha do livro do zabalaResenha do livro do zabala
Resenha do livro do zabalareboferrari
 
Aula questões dissertativas
Aula   questões dissertativasAula   questões dissertativas
Aula questões dissertativasEduardo Lopes
 
2º encontro presencial
2º encontro presencial2º encontro presencial
2º encontro presencialanamariadis
 
Dez importantes-questoes-rosaura-soligo
Dez importantes-questoes-rosaura-soligoDez importantes-questoes-rosaura-soligo
Dez importantes-questoes-rosaura-soligoNaysa Taboada
 
Sugestões de como trabalhar (ensinar) a turma toda
Sugestões de como trabalhar (ensinar) a turma todaSugestões de como trabalhar (ensinar) a turma toda
Sugestões de como trabalhar (ensinar) a turma todaProfª Fabi Sobrenome
 
9. as formas de planejar do professor
9. as formas de planejar do professor9. as formas de planejar do professor
9. as formas de planejar do professorClaudio Lima
 
ot_-formao-pca.pptxebebebebebdbdbebrbddbdb
ot_-formao-pca.pptxebebebebebdbdbebrbddbdbot_-formao-pca.pptxebebebebebdbdbebrbddbdb
ot_-formao-pca.pptxebebebebebdbdbebrbddbdbDanielTuber
 
Apresentação currículo para o curso PAA e PA
Apresentação currículo para o curso PAA e PAApresentação currículo para o curso PAA e PA
Apresentação currículo para o curso PAA e PACesar Eduardo
 
ufcd_9637_-_principais_modelos_pedagogicos.pdf
ufcd_9637_-_principais_modelos_pedagogicos.pdfufcd_9637_-_principais_modelos_pedagogicos.pdf
ufcd_9637_-_principais_modelos_pedagogicos.pdfevapinto19
 
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...Jordano Santos Cerqueira
 

Semelhante a 13.apostila de didatica.docx (20)

Apostila de didatica
Apostila de didaticaApostila de didatica
Apostila de didatica
 
Palestra Tipos de Conteúdos
Palestra Tipos de ConteúdosPalestra Tipos de Conteúdos
Palestra Tipos de Conteúdos
 
Métodos de ensino
Métodos de ensinoMétodos de ensino
Métodos de ensino
 
Apresentação inicial agosto
Apresentação inicial agostoApresentação inicial agosto
Apresentação inicial agosto
 
Resenha do livro do zabala
Resenha do livro do zabalaResenha do livro do zabala
Resenha do livro do zabala
 
Aula questões dissertativas
Aula   questões dissertativasAula   questões dissertativas
Aula questões dissertativas
 
U4
U4U4
U4
 
Didatica i u4
Didatica i u4Didatica i u4
Didatica i u4
 
Didã¡tica iii
Didã¡tica iiiDidã¡tica iii
Didã¡tica iii
 
2º encontro presencial
2º encontro presencial2º encontro presencial
2º encontro presencial
 
Dez importantes-questoes-rosaura-soligo
Dez importantes-questoes-rosaura-soligoDez importantes-questoes-rosaura-soligo
Dez importantes-questoes-rosaura-soligo
 
Sugestões de como trabalhar (ensinar) a turma toda
Sugestões de como trabalhar (ensinar) a turma todaSugestões de como trabalhar (ensinar) a turma toda
Sugestões de como trabalhar (ensinar) a turma toda
 
didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3
 
9. as formas de planejar do professor
9. as formas de planejar do professor9. as formas de planejar do professor
9. as formas de planejar do professor
 
ot_-formao-pca.pptxebebebebebdbdbebrbddbdb
ot_-formao-pca.pptxebebebebebdbdbebrbddbdbot_-formao-pca.pptxebebebebebdbdbebrbddbdb
ot_-formao-pca.pptxebebebebebdbdbebrbddbdb
 
Apresentação currículo para o curso PAA e PA
Apresentação currículo para o curso PAA e PAApresentação currículo para o curso PAA e PA
Apresentação currículo para o curso PAA e PA
 
ufcd_9637_-_principais_modelos_pedagogicos.pdf
ufcd_9637_-_principais_modelos_pedagogicos.pdfufcd_9637_-_principais_modelos_pedagogicos.pdf
ufcd_9637_-_principais_modelos_pedagogicos.pdf
 
Masetto docencia universitaria
Masetto   docencia universitariaMasetto   docencia universitaria
Masetto docencia universitaria
 
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...
FACELI - Disciplina Especial - Didática com Márcia Perini Valle - 06 - Prova ...
 
Zabala
ZabalaZabala
Zabala
 

Mais de AlineMelo123

40.resumo para concurso professor henri wallon.docx
40.resumo para concurso professor   henri wallon.docx40.resumo para concurso professor   henri wallon.docx
40.resumo para concurso professor henri wallon.docxAlineMelo123
 
38.resumo para concurso professor vigotsky.docx
38.resumo para concurso professor   vigotsky.docx38.resumo para concurso professor   vigotsky.docx
38.resumo para concurso professor vigotsky.docxAlineMelo123
 
33. resumo para concurso professor decroly.docx
33. resumo para concurso professor   decroly.docx33. resumo para concurso professor   decroly.docx
33. resumo para concurso professor decroly.docxAlineMelo123
 
31.resumo para concurso professor carl rogers.docx
31.resumo para concurso professor   carl rogers.docx31.resumo para concurso professor   carl rogers.docx
31.resumo para concurso professor carl rogers.docxAlineMelo123
 
30.resumo de livros.docx
30.resumo de livros.docx30.resumo de livros.docx
30.resumo de livros.docxAlineMelo123
 
29. simulado john dewey (1)
29. simulado john dewey (1)29. simulado john dewey (1)
29. simulado john dewey (1)AlineMelo123
 
29. curriculo e diretrizes.docx
29. curriculo e diretrizes.docx29. curriculo e diretrizes.docx
29. curriculo e diretrizes.docxAlineMelo123
 
28. simulado comentado avaliação.docx
28. simulado comentado avaliação.docx28. simulado comentado avaliação.docx
28. simulado comentado avaliação.docxAlineMelo123
 
27.simulado philippe perrenoud (1)
27.simulado philippe perrenoud (1)27.simulado philippe perrenoud (1)
27.simulado philippe perrenoud (1)AlineMelo123
 
27. simulado políticas afirmativas.doc
27. simulado políticas afirmativas.doc27. simulado políticas afirmativas.doc
27. simulado políticas afirmativas.docAlineMelo123
 
26. sintese educação inclusiva.docx
26. sintese educação inclusiva.docx26. sintese educação inclusiva.docx
26. sintese educação inclusiva.docxAlineMelo123
 
25. simulado comentado vigostky.docx
25. simulado comentado vigostky.docx25. simulado comentado vigostky.docx
25. simulado comentado vigostky.docxAlineMelo123
 
24.simulado pierre lévy (1)
24.simulado pierre lévy (1)24.simulado pierre lévy (1)
24.simulado pierre lévy (1)AlineMelo123
 
24. resumo pcns.docx
24. resumo pcns.docx24. resumo pcns.docx
24. resumo pcns.docxAlineMelo123
 
23.simulado pierre bordieu (1)
23.simulado pierre bordieu (1)23.simulado pierre bordieu (1)
23.simulado pierre bordieu (1)AlineMelo123
 
22.simulado emile durkheim (1)
22.simulado emile durkheim (1)22.simulado emile durkheim (1)
22.simulado emile durkheim (1)AlineMelo123
 
22. simulado fundamentos da educação.docx (1)
22. simulado fundamentos da educação.docx (1)22. simulado fundamentos da educação.docx (1)
22. simulado fundamentos da educação.docx (1)AlineMelo123
 
21.simulado antonio gramsci (1)
21.simulado antonio gramsci (1)21.simulado antonio gramsci (1)
21.simulado antonio gramsci (1)AlineMelo123
 
20.simulado henry wallon (1)
20.simulado henry wallon (1)20.simulado henry wallon (1)
20.simulado henry wallon (1)AlineMelo123
 
20.. quadro tendencia pedagógica.docx
20.. quadro tendencia pedagógica.docx20.. quadro tendencia pedagógica.docx
20.. quadro tendencia pedagógica.docxAlineMelo123
 

Mais de AlineMelo123 (20)

40.resumo para concurso professor henri wallon.docx
40.resumo para concurso professor   henri wallon.docx40.resumo para concurso professor   henri wallon.docx
40.resumo para concurso professor henri wallon.docx
 
38.resumo para concurso professor vigotsky.docx
38.resumo para concurso professor   vigotsky.docx38.resumo para concurso professor   vigotsky.docx
38.resumo para concurso professor vigotsky.docx
 
33. resumo para concurso professor decroly.docx
33. resumo para concurso professor   decroly.docx33. resumo para concurso professor   decroly.docx
33. resumo para concurso professor decroly.docx
 
31.resumo para concurso professor carl rogers.docx
31.resumo para concurso professor   carl rogers.docx31.resumo para concurso professor   carl rogers.docx
31.resumo para concurso professor carl rogers.docx
 
30.resumo de livros.docx
30.resumo de livros.docx30.resumo de livros.docx
30.resumo de livros.docx
 
29. simulado john dewey (1)
29. simulado john dewey (1)29. simulado john dewey (1)
29. simulado john dewey (1)
 
29. curriculo e diretrizes.docx
29. curriculo e diretrizes.docx29. curriculo e diretrizes.docx
29. curriculo e diretrizes.docx
 
28. simulado comentado avaliação.docx
28. simulado comentado avaliação.docx28. simulado comentado avaliação.docx
28. simulado comentado avaliação.docx
 
27.simulado philippe perrenoud (1)
27.simulado philippe perrenoud (1)27.simulado philippe perrenoud (1)
27.simulado philippe perrenoud (1)
 
27. simulado políticas afirmativas.doc
27. simulado políticas afirmativas.doc27. simulado políticas afirmativas.doc
27. simulado políticas afirmativas.doc
 
26. sintese educação inclusiva.docx
26. sintese educação inclusiva.docx26. sintese educação inclusiva.docx
26. sintese educação inclusiva.docx
 
25. simulado comentado vigostky.docx
25. simulado comentado vigostky.docx25. simulado comentado vigostky.docx
25. simulado comentado vigostky.docx
 
24.simulado pierre lévy (1)
24.simulado pierre lévy (1)24.simulado pierre lévy (1)
24.simulado pierre lévy (1)
 
24. resumo pcns.docx
24. resumo pcns.docx24. resumo pcns.docx
24. resumo pcns.docx
 
23.simulado pierre bordieu (1)
23.simulado pierre bordieu (1)23.simulado pierre bordieu (1)
23.simulado pierre bordieu (1)
 
22.simulado emile durkheim (1)
22.simulado emile durkheim (1)22.simulado emile durkheim (1)
22.simulado emile durkheim (1)
 
22. simulado fundamentos da educação.docx (1)
22. simulado fundamentos da educação.docx (1)22. simulado fundamentos da educação.docx (1)
22. simulado fundamentos da educação.docx (1)
 
21.simulado antonio gramsci (1)
21.simulado antonio gramsci (1)21.simulado antonio gramsci (1)
21.simulado antonio gramsci (1)
 
20.simulado henry wallon (1)
20.simulado henry wallon (1)20.simulado henry wallon (1)
20.simulado henry wallon (1)
 
20.. quadro tendencia pedagógica.docx
20.. quadro tendencia pedagógica.docx20.. quadro tendencia pedagógica.docx
20.. quadro tendencia pedagógica.docx
 

Último

Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalSilvana Silva
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 

13.apostila de didatica.docx

  • 1. Material​ ​Para Concurso Assunto:​​ ​Apostila​ ​de​ ​Didática Ideias,​ ​concepções​ ​e​ ​teorias​ ​que​ ​sustentam​ ​a​ ​prática​ ​pedagógica​ ​do​ ​professor Na prática pedagógica, as ações do professor se orientam por um conjunto de idéias, concepções, teorias, mesmo que sua existência seja inconsciente. É possível compreender a ação docente, analisando a sua concepção​ ​de​ ​mundo,​ ​de​ ​sociedade,​ ​de​ ​aluno,​ ​de​ ​ensino,​ ​entre​ ​outros,​ ​que​ ​se​ ​expressa​ ​em​ ​seus​ ​atos,​ ​referente​ ​a: ● Seleção​ ​dos​ ​conteúdos​ ​que​ ​os​ ​alunos​ ​vão​ ​aprender ● Como​ ​acredita​ ​que​ ​se​ ​dá​ ​o​ ​processo​ ​de​ ​aprendizagem​ ​–​ ​Os​ ​caminhos​ ​para​ ​a​ ​aprendizagem​ ​acontecer. ● Como​ ​acredita​ ​que​ ​deve​ ​ser​ ​o​ ​ensino. A​ ​teoria​ ​empirista ● O​ ​modelo​ ​de​ ​aprendizagem​ ​estímulo-resposta.​ ​Substitui​ ​respostas​ ​erradas​ ​por​ ​certas. ● O aluno é vazio, mas vai ser preenchido pelas experiências com o mundo. Ele vai acumulando as informações.​ ​(Paulo​ ​Freire​ ​chama​ ​isso​ ​de​ ​Educação​ ​bancária). ● A​ ​aprendizagem​ ​é​ ​o​ ​acumulo​ ​de​ ​informações. ● O​ ​processo​ ​de​ ​ensino​ ​é​ ​caracterizado​ ​pela​ ​cópia​ ​-​ ​questionário​ ​-​ ​repetições. ● O​ ​ensino​ ​se​ ​dá​ ​através​ ​da​ ​memorização. ● O aluno precisa memorizar e fixar as informações, que seguem das mais simples às mais complexas. (A decorreba​ ​​da​ ​tabuada,​ ​sem​ ​saber​ ​o​ ​que​ ​está​ ​decorando,​ ​é​ ​exemplo​ ​disso). No​ ​construtivismo Questões​ ​Concurso​ ​Pedagogia.​ ​Materiais​ ​gratuitos,​ ​acesse: http://superpreparado10.blogspot.com.br/
  • 2. ● O conhecimento pressupõe uma atividade que organiza e integra os novos conhecimentos aos já existentes​ ​(Conhecimentos​ ​Prévios). ● O​ ​conhecimento​ ​prévio​ ​é​ ​a​ ​base​ ​da​ ​aprendizagem. ● O​ ​conhecimento​ ​é​ ​uma​ ​transformação​ ​do​ ​que​ ​já​ ​existe.​ ​Precisa​ ​ser​ ​algo​ ​apreensível. ● O aluno é um sujeito ativo que para aprender: reflete e interage com outras pessoas. Ele precisa transformar​ ​a​ ​informação​ ​para​ ​poder​ ​assimilar. ● A idéia distorcida do construtivismo levou professores a deixar o aluno livre, construindo sem próprios conhecimentos,​ ​sem​ ​a​ ​importante​ ​intervenção​ ​pedagógica. ● O professor deve atuar o tempo inteiro, propondo atividades, encorajando os alunos em suas ousadias, desafiando.​ ​A​ ​intervenção​ ​do​ ​professor​ ​é​ ​determinante​ ​no​ ​processo​ ​de​ ​aprendizagem. ● O​ ​modelo​ ​de​ ​ensino​ ​se​ ​dá​ ​através​ ​de​ ​resolução​ ​de​ ​problemas,​ ​onde​ ​o​ ​professor​ ​também​ ​é​ ​aprendiz. ● O professor deve tomar cuidados com os erros cometidos pelos alunos (não deixar o aluno “fazer do seu jeito”​ ​sem​ ​corrigir​ ​os​ ​erros)​ ​e​ ​ir​ ​montando​ ​as​ ​atividades​ ​que​ ​levam​ ​a​ ​construção​ ​do​ ​conhecimento. LIBÂNEO,​ ​J.​ ​Carlos.​ ​​Didática.​ ​​SP:​ ​Cortez,​ ​1994,​ ​p.119-127. OS​ ​OBJETIVOS​ ​DE​ ​ENSINO Os objetivos são resultados esperados do trabalho desempenhado por professores e alunos. Expressam conhecimentos,​ ​habilidades​ ​e​ ​hábitos​ ​a​ ​serem​ ​adquiridos​ ​para​ ​desenvolvimento​ ​das​ ​qualidades​ ​humanas. Referências​ ​para​ ​a​ ​formulação​ ​dos​ ​objetivos: ● Valores​ ​e​ ​ideais​ ​presentes​ ​nas​ ​leis​ ​educacionais​ ​(os​ ​propósitos​ ​das​ ​forças​ ​políticas​ ​dominantes); ● Conteúdos​ ​básicos​ ​das​ ​ciências,​ ​produzidos​ ​e​ ​elaborados​ ​no​ ​decurso​ ​da​ ​prática​ ​social​ ​humana; ● Necessidades​ ​e​ ​expectativas​ ​de​ ​formação​ ​cultural​ ​exigidas​ ​pela​ ​população​ ​majoritária​ ​da​ ​sociedade. Os objetivos requerem posicionamento ativo do professor no planejamento escolar e no desenvolvimento​ ​das​ ​aulas.​ ​O​ ​professor​ ​deverá: ● Fazer​ ​uma​ ​avaliação​ ​crítica​ ​das​ ​referências​ ​acima. ● Saber​ ​avaliar​ ​a​ ​pertinência​ ​dos​ ​objetivos​ ​propostos​ ​pelo​ ​sistema​ ​escolar​ ​oficial. ● Saber​ ​compatibilizar​ ​os​ ​conteúdos​ ​com​ ​necessidades,​ ​aspirações,​ ​expectativas​ ​dos​ ​alunos. ● Tornar​ ​os​ ​conteúdos​ ​exeqüíveis​ ​face​ ​às​ ​condições​ ​sócio-culturais​ ​e​ ​de​ ​aprendizagem​ ​dos​ ​alunos. ● Perceber​ ​que​ ​é​ ​agente​ ​de​ ​uma​ ​prática​ ​profissional​ ​inserida​ ​no​ ​contexto​ ​da​ ​prática​ ​social. Objetivos gerais ​- expressam propósito mais amplo acerca do papel da escola e do ensino diante das exigências​ ​reais​ ​da​ ​sociedade​ ​e​ ​diante​ ​do​ ​desenvolvimento​ ​da​ ​personalidade​ ​do​ ​aluno. Os​ ​objetivos​ ​gerais​ ​são​ ​explicitados​ ​em​ ​3​ ​níveis,​ ​pelo: ● Sistema​ ​escolar​ ​–​ ​expressa​ ​as​ ​finalidades​ ​educativas​ ​de​ ​acordo​ ​com​ ​ideais​ ​e​ ​valores​ ​dominantes. 2 Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique http://www.superpreparado.com.br/
  • 3. ● Escola - estabelece princípios e diretrizes do trabalho escolar com base no Projeto Político Pedagógico. ● Professor​ ​-​ ​concretiza​ ​no​ ​ensino​ ​da​ ​matéria​ ​a​ ​sua​ ​própria​ ​visão​ ​de​ ​educação​ ​e​ ​de​ ​sociedade. Os​ ​objetivos​ ​gerais​ ​que​ ​podem​ ​auxiliar​ ​os​ ​professores​ ​na​ ​seleção​ ​dos​ ​específicos​ ​e​ ​conteúdos​ ​são: ● Colocar a educação escolar no conjunto das lutas pela democratização – levar os alunos a se perceberem​ ​como​ ​sujeitos​ ​ativos. ● Garantir​ ​a​ ​todos,​ ​(sem​ ​discriminação)​ ​sólida​ ​preparação​ ​cultural​ ​e​ ​científica,​ ​evitando​ ​reprovações. ● Assegurar a todos o máximo de desenvolvimento de suas potencialidades, buscando superação das desvantagens​ ​decorrentes​ ​das​ ​condições​ ​sócio-econômica. ● Formar nos alunos a capacidade crítica e criativa em relação às matérias de ensino e à aplicação dos conhecimentos​ ​e​ ​habilidades. ● Atender a função educativa - formação de convicções para a vida coletiva (ética, caráter, lealdade, dignidade,​ ​solidariedade,​ ​educação​ ​física​ ​e​ ​estética​ ​-​ ​apreciação​ ​das​ ​artes). ● Envolver​ ​toda​ ​a​ ​comunidade​ ​escolar. A​ ​partir​ ​desses​ ​objetivos​ ​gerais,​ ​o​ ​professor​ ​define​ ​os​ ​objetivos​ ​específicos. Objetivos específicos - determinam exigências e resultados esperados da atividade dos alunos referentes a conhecimento, habilidade, atitudes e convicções. O professor deve vincular os objetivos específicos aos gerais​ ​e​ ​também: ● Especificar conhecimentos, habilidades, capacidades que sejam fundamentais para serem assimiladas e​ ​aplicadas​ ​em​ ​situações​ ​futuras,​ ​na​ ​escola​ ​e​ ​na​ ​vida​ ​prática; ● Observar uma seqüência lógica, de formar que os conceitos e habilidades estejam inter-relacionados, possibilitando​ ​aos​ ​alunos​ ​uma​ ​compreensão​ ​de​ ​conjunto; ● Expressar os objetivos com clareza, de modo que sejam compreensíveis aos alunos e permitam que estes​ ​introjetem​ ​os​ ​objetivos​ ​de​ ​ensino​ ​como​ ​objetivos​ ​seus; ● Dosar​ ​o​ ​grau​ ​de​ ​dificuldades,​ ​de​ ​modo​ ​que​ ​expressem​ ​desafios,​ ​questões​ ​estimulantes​ ​e​ ​viáveis; ● Formular​ ​os​ ​objetivos​ ​como​ ​resultados​ ​a​ ​atingir,​ ​facilitando​ ​o​ ​processo​ ​de​ ​avaliação; ● Indicar​ ​os​ ​resultados​ ​do​ ​trabalho​ ​dos​ ​alunos​ ​(o​ ​que​ ​devem​ ​compreender,​ ​saber,​ ​fazer,​ ​etc). ZABALA,​ ​Antoni.​ ​​A​ ​prática​ ​educativa:​ ​como​ ​ensinar​.​ ​Porto​ ​Alegre:​ ​ArtMed,​ ​1998,​ ​p.​ ​41-48. Tipologia​ ​dos​ ​conteúdos Conteúdos​ ​factuais ● Referem-se ao conhecimento de fatos, situações, dados e fenômenos concretos. (Idade de alguém, conquista​ ​de​ ​terras,​ ​localização​ ​de​ ​algo,​ ​códigos,​ ​matemática,​ ​física,​ ​etc). ● Tradicionalmente​ ​é​ ​o​ ​que​ ​o​ ​“homem​ ​culto”​ ​sabe​ ​–​ ​é​ ​o​ ​conteúdo​ ​do​ ​vestibular​ ​e​ ​concursos. ● Não​ ​devem​ ​ser​ ​conhecimentos​ ​mecânicos,​ ​precisam​ ​está​ ​associado​ ​a​ ​conceitos. ● Percebe-se que alguém aprendeu quando é capaz de reproduzir (muitas vezes sem compreensão), quando recorda e expressa a data e o nome de algum acontecimento (descobrimento do Brasil) ou quando​ ​há​ ​lembrança​ ​dos​ ​acontecimentos​ ​(de​ ​um​ ​romance). ● Podem ser aprendidos através de cópias, memorização, exercício de repetição verbal (tabuada), estratégias​ ​de​ ​organização​ ​significativa​ ​ou​ ​associações​ ​entre​ ​conteúdos. Conteúdos​ ​conceituais ● Conceito é o conjunto de fatos, objetos, ou símbolos que tem características comuns. (mamífero, sujeito,​ ​romantismo,​ ​cidade). 3 Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique http://www.superpreparado.com.br/
  • 4. ● Princípios – se referem às mudanças que se produzem num fato, objeto, ou situação relacionada a outros​ ​fatos,​ ​objetos. ● Ambos necessitam de compreensão para se aprender. Se a pessoa não entende o significado do que é um rio, se apenas repete sua definição e não utiliza o termo em qualquer outra atividade, não aprendeu. ● Esta aprendizagem requer compreensão e não reprodução. É uma aprendizagem que nunca se caba e​ ​que​ ​serve​ ​para​ ​construção​ ​de​ ​outras​ ​idéias. Conteúdos​ ​procedimentais ● É um conjunto de ações ordenadas e dirigidas para realização de um objetivo (ler, desenhar, observar, calcular,​ ​classificar,​ ​traduzir,​ ​saltar,​ ​etc) ● Como​ ​se​ ​aprende​ ​os​ ​conteúdos​ ​procedimentais? 1. Realizando​ ​a​ ​ação​ ​(aprende-se​ ​a​ ​ler,​ ​lendo). 2. Sempre​ ​exercitando​ ​(não​ ​basta​ ​fazer​ ​só​ ​uma​ ​vez). 3. Refletindo​ ​sobre​ ​a​ ​ação​ ​(tornar​ ​a​ ​ação​ ​consciente). 4. Aplicando​ ​em​ ​diversos​ ​contextos​ ​(Resolver​ ​3​ ​x​ ​9​ ​em​ ​qualquer​ ​situação). Conteúdos​ ​atitudinais ▪ São​ ​conteúdos​ ​referentes​ ​a​ ​valores,​ ​atitudes​ ​e​ ​normas. 1. Valores – solidariedade, respeito aos outros, responsabilidade, liberdade – se adquire quando é​ ​interiorizado​ ​e​ ​quando​ ​se​ ​elabora​ ​critérios​ ​para​ ​tomar​ ​posição. 2. Atitudes – cooperar com o grupo, ajudar aos colegas, respeitar o meio ambiente, participar de tarefas​ ​escolares.​ ​–​ ​aprende-se​ ​quando​ ​a​ ​pessoa​ ​pensa​ ​e​ ​atua. 3. Normas – padrões ou regras de comportamento que os membros de um grupo devem seguir. – (não rasgar cartazes, não roubar). – aprende-se quando se conforma se interioriza e se aceita como​ ​regras​ ​para​ ​o​ ​funcionamento​ ​do​ ​grupo. ▪ A aprendizagem dos conteúdos atitudinais supõe conhecimento, reflexão, análise, tomada de posição, revisão​ ​e​ ​avaliação​ ​da​ ​própria​ ​atuação. LIBÂNEO,​ ​J.​ ​Carlos.​ ​​Didática.​ ​​SP:​ ​Cortez,​ ​1994,​ ​p.149-172. OS​ ​MÉTODOS​ ​DE​ ​ENSINO Conceito​ ​de​ ​método​ ​de​ ​ensino. ● É o caminho para atingir um objetivo, com os meios adequados; (investigação científica; assimilação do conhecimento,​ ​etc.) ● Ver​ ​o​ ​objeto​ ​de​ ​estudo​ ​nas​ ​suas​ ​propriedades​ ​e​ ​relações​ ​com​ ​outros​ ​objetos​ ​e​ ​fenômenos​ ​e​ ​sob​ ​vários​ ​ângulos; ● São​ ​ações,​ ​passos​ ​e​ ​procedimentos​ ​vinculados​ ​a​ ​reflexão,​ ​compreensão​ ​e​ ​transformação​ ​da​ ​realidade; ● São​ ​ações​ ​do​ ​professor​ ​pelas​ ​quais​ ​se​ ​organizam​ ​as​ ​atividades​ ​de​ ​ensino​ ​e​ ​dos​ ​alunos​ ​para​ ​atingir​ ​os​ ​objetivos; ● Deve​ ​expressar​ ​compreensão​ ​global​ ​do​ ​processo​ ​educativo​ ​na​ ​sociedade: A​ ​escolha​ ​e​ ​organização​ ​dos​ ​métodos. ● Deve​ ​corresponder​ ​à​ ​necessária​ ​unidade​ ​objetivo-conteúdo-método.​ ​(um​ ​depende​ ​do​ ​outro​ ​para​ ​ter​ ​sucesso). ● Dependem​ ​dos​ ​conteúdos​ ​específicos; ● Implica o conhecimento das características dos alunos quanto à capacidade de assimilação e quanto as suas características​ ​sócio-culturais​ ​e​ ​individuais;​ ​(ligação​ ​entre​ ​os​ ​objetivos​ ​e​ ​as​ ​condições​ ​de​ ​aprender​ ​do​ ​aluno); Princípios​ ​básicos​ ​do​ ​ensino. 4 Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique http://www.superpreparado.com.br/
  • 5. ● Ter​ ​caráter​ ​científico​ ​e​ ​sistemático.​ ​(Ficar​ ​atento​ ​ao​ ​conteúdo​ ​científico); ● Ser​ ​compreensível​ ​e​ ​possível​ ​de​ ​ser​ ​assimilado.​ ​(Ver​ ​as​ ​condições​ ​dos​ ​alunos​ ​e​ ​ir​ ​dosando​ ​as​ ​dificuldades); ● Assegurar​ ​a​ ​relação​ ​conhecimento-prática.​ ​(Saber​ ​aplicar​ ​o​ ​conhecimento​ ​na​ ​sua​ ​vida​ ​prática); ● Apoiar-se​ ​na​ ​unidade​ ​ensino-aprendizagem.​ ​(Criar​ ​condições​ ​de​ ​ensino​ ​que​ ​resultem​ ​em​ ​aprendizagem); ● Garantir​ ​a​ ​solidez​ ​dos​ ​conhecimentos.​ ​(Recapitulação,​ ​fixação,​ ​etc); ● Levar​ ​à​ ​vinculação​ ​trabalho​ ​coletivo​ ​–​ ​particularidades​ ​individuais.​ ​(Educar​ ​a​ ​todos,​ ​observando​ ​as​ ​diferenças). Classificação​ ​dos​ ​métodos​ ​de​ ​ensino. 1. ​Método de exposição pelo professor. ​Na exposição, o professor deve mobilizar a atividade interna do aluno de concentrar-se​ ​e​ ​de​ ​pensar,​ ​e​ ​a​ ​combinar​ ​com​ ​outros​ ​procedimentos. ● Exposição verbal – sua função é explicar um assunto desconhecido. O professor deverá estimular sentimentos, instigar a curiosidade, relatar sugestivamente um fato, descrever com vivacidade uma situação real, fazer leitura expressiva,​ ​etc. ● Demonstração​​ ​–​ ​é​ ​a​ ​forma​ ​de​ ​representar​ ​fenômenos​ ​e​ ​processos​ ​reais​ ​(germinação). ● Ilustração ​– é uma forma de representar fatos e fenômenos reais através de gráficos, mapas, esquemas, gravuras,​ ​etc.​ ​(Requer​ ​dos​ ​alunos​ ​capacidade​ ​de​ ​concentração​ ​e​ ​observação). ● Exemplificação​ ​​–​ ​é​ ​um​ ​meio​ ​de​ ​auxiliar​ ​a​ ​exposição​ ​verbal 2.​ ​​Método​ ​de​ ​trabalho​ ​independente.​​ ​(Uma​ ​das​ ​formas​ ​didática​ ​desse​ ​método​ ​é​ ​o​ ​estudo​ ​dirigido). Atividades realizadas pelos alunos, dirigidas e orientadas pelo professor. Para que esse método seja eficiente, o professor precisa: - Dar tarefas claras e acessíveis; - Assegurar condições de trabalho (silêncio, material, etc); - Acompanhar​ ​de​ ​perto;​ ​-​ ​Aproveitar​ ​o​ ​resultado​ ​da​ ​tarefa​ ​para​ ​toda​ ​classe. 3. ​Método de elaboração conjunta. ​Interação entre alunos e professor. É a conversação, aula dialogada, com elaboração de​ ​perguntas​ ​que​ ​leve​ ​os​ ​alunos​ ​a​ ​reflexão. 4.​ ​​Método​ ​de​ ​trabalho​ ​em​ ​grupo.​ ​​Sua​ ​finalidade​ ​é​ ​obter​ ​a​ ​cooperação​ ​dos​ ​alunos​ ​para​ ​realização​ ​de​ ​uma​ ​tarefa. ● Debate​​ ​–​ ​os​ ​debatedores​ ​devem​ ​defender​ ​uma​ ​posição. ● Philips​ ​66​​ ​–​ ​seis​ ​grupos​ ​de​ ​seis​ ​pessoas​ ​discutem​ ​uma​ ​questão​ ​em​ ​poucos​ ​minutos​ ​e​ ​apresentam​ ​a​ ​conclusão. ​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​​ ​(Verifica​ ​o​ ​nível​ ​de​ ​conhecimento​ ​da​ ​turma​ ​antes​ ​ou​ ​depois​ ​de​ ​uma​ ​explicação). ● Tempestade mental – escrever no quadro o que vem em mente sobre determinado assunto, destacar o mais relevante​ ​e​ ​discutir. ● Grupo de verbalização ​– grupo de observação (GV-GO) – ​uma parte da turma forma um círculo central para discutir​ ​o​ ​tema,​ ​outra​ ​parte​ ​fica​ ​em​ ​volta​ ​observando​ ​se​ ​o​ ​que​ ​está​ ​sendo​ ​apresentado​ ​tem​ ​coerência. ● Seminário​ ​–​​ ​pode​ ​ser​ ​exposição​ ​ou​ ​conversação​ ​sobre​ ​determinado​ ​assunto​ ​previamente​ ​estudado​ ​pelo​ ​grupo. 5. ​Atividades especiais. Complementam os métodos de ensino com objetivo de assimilação dos conteúdos. São os: Jornal​ ​escolar,​ ​Museu​ ​escolar,​ ​Teatro,​ ​Biblioteca​ ​escolar,​ ​estudo​ ​do​ ​meio,​ ​etc. O Estudo do meio não se limita só aos passeios, mas a todos os procedimentos que possibilitem a discussão e compreensão​ ​do​ ​cotidiano.​ ​São​ ​necessárias​ ​3​ ​fases: Planejamento​ ​–​ ​o​ ​que​ ​observar?​ ​Que​ ​perguntas​ ​poderão​ ​ser​ ​feitas?​ ​(O​ ​professor​ ​deverá​ ​fazer​ ​conhecer​ ​o​ ​local) Execução​ ​–​ ​observar,​ ​tomar​ ​nota,​ ​conversar​ ​com​ ​as​ ​pessoas,​ ​etc. Exploração​ ​dos​ ​resultados​ ​e​ ​avaliação​ ​–​ ​relatório,​ ​redação,​ ​sistematização​ ​pelo​ ​professor.​ ​Utilidade​ ​do​ ​estudo. ZABALA,​ ​Antoni.​ ​​A​ ​prática​ ​educativa:​ ​como​ ​ensinar​.​ ​Porto​ ​Alegre:​ ​ArtMed,​ ​1998,​ ​p.​ ​195-209. A​ ​AVALIAÇÃO ● A avaliação muitas vezes foi concebida apenas enquanto valorização dos resultados obtidos pelo aluno.​ ​Hoje,​ ​a​ ​avaliação​ ​é​ ​um​ ​processo​ ​que​ ​envolve​ ​aluno,​ ​classe​ ​e​ ​professores. ● Se o objetivo do ensino é o desenvolvimento de todas as capacidades da pessoa (com a articulação dos conteúdos atitudinais, conceituais e procedimentais), então a avaliação deve considerar todo esse processo.​ ​Tudo​ ​depende​ ​dos​ ​objetivos​ ​selecionados. 5 Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique http://www.superpreparado.com.br/
  • 6. ● Avaliação serve para aperfeiçoar a prática educativa que levará o aluno a conseguir desenvolver várias​ ​competências​ ​e​ ​avaliar​ ​a​ ​ação​ ​docente.​ ​Inclui​ ​todo​ ​o​ ​processo​ ​de​ ​ensino​ ​aprendizagem. A​ ​avaliação​ ​em​ ​processo​ ​tem​ ​várias​ ​fases: A​valiação​ ​inicial. ● Vai​ ​identificar​ ​o​ ​que​ ​cada​ ​aluno​ ​sabe​ ​fazer​ ​e​ ​como​ ​faz. ● É​ ​o​ ​ponto​ ​de​ ​partida​ ​para​ ​o​ ​objetivo,​ ​os​ ​conteúdos​ ​e​ ​as​ ​atividades​ ​que​ ​o​ ​professor​ ​vai​ ​elaborar. ● Conforme os alunos vão se desenvolvendo, o docente vai propondo novas atividades com novos desafios​ ​para​ ​aprendizagem. ● Assim​ ​estaremos​ ​realizando​ ​a​ ​​avaliação​ ​reguladora​​ ​(com​ ​adaptações​ ​e​ ​adequações)​ ​ou​ ​formativa. Avaliação​ ​final ● É​ ​o​ ​conhecimento​ ​dos​ ​resultados​ ​obtidos. Avaliação​ ​integradora​​ ​ou​ ​somativa ● É o conhecimento e avaliação de todo o percurso feito pelo aluno do início ao fim. Identificando o que precisa​ ​ser​ ​feito​ ​ou​ ​refeito. Avaliação​ ​dos​ ​conteúdos​ ​factuais ● A​ ​aprendizagem​ ​dos​ ​fatos​ ​implica​ ​o​ ​conhecimento​ ​significativo​ ​e​ ​a​ ​compreensão​ ​dos​ ​conteúdos. ● É preciso associar os fatos aos conceitos. O que é uma capital? É preciso citar determinada capital, mas​ ​compreender​ ​o​ ​que​ ​significa​ ​capital.​ ​Entender​ ​e​ ​saber​ ​o​ ​que​ ​significou​ ​o​ ​descobrimento​ ​do​ ​Brasil. Avaliação​ ​dos​ ​conteúdos​ ​conceituais ● Avaliar a aprendizagem desses conteúdos não é fácil, considerando que a aprendizagem de um conceito dificilmente está concluída. Tudo depende do nível de profundidade de compreensão e da capacidade​ ​dos​ ​alunos​ ​para​ ​utilizar​ ​convenientemente​ ​os​ ​conceitos​ ​apreendidos. ● É comum, nesse caso, o uso de perguntas orais ou escritas onde se espera que o aluno responda de acordo​ ​com​ ​o​ ​livro. ● A​ ​aprendizagem​ ​dos​ ​conceitos​ ​não​ ​pode​ ​se​ ​prender​ ​as​ ​repetições. ● O professor precisa observar os alunos no uso dos conceitos em diversas situações e explicações espontâneas​ ​(trabalho​ ​em​ ​equipe,​ ​debate,​ ​dialogo,​ ​etc). ● Tanto os conteúdos dos fatos, como dos conceitos se situam na capacidade cognitiva. É preciso identificar​ ​o​ ​que​ ​os​ ​alunos​ ​sabem​ ​sobre​ ​estes​ ​conteúdos. Avaliação​ ​dos​ ​conteúdos​ ​procedimentais ● Esses​ ​conteúdos​ ​implicam​ ​saber​ ​fazer. ● Para a sua avaliação é preciso fazer. Percebemos sua aprendizagem quando acontece a transposição para a prática. O professor percebe isso através da observação sistemática. Como saber se um aluno aprendeu​ ​a​ ​calcular?​ ​Fazendo​ ​com​ ​que​ ​calcule. Avaliação​ ​dos​ ​conteúdos​ ​atitudinais ● Esses​ ​conteúdos​ ​são​ ​muitas​ ​vezes​ ​esquecidos​ ​nas​ ​escolas. ● Para a avaliação desses conteúdos é preciso situações conflitantes que permitam a observação do comportamento​ ​e​ ​a​ ​opinião​ ​de​ ​cada​ ​aluno​ ​(no​ ​recreio,​ ​passeio,​ ​debates,​ ​atividade​ ​em​ ​equipe,​ ​etc.). DELORS, Jacques. (org). ​Educação: Um tesouro a descobrir​. Relatório para UNESCO da Comissão Internacional​ ​sobre​ ​a​ ​Educação​ ​para​ ​o​ ​Século​ ​XXI.​ ​MEC-​ ​CORTEZ. 6 Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique http://www.superpreparado.com.br/
  • 7. OS​ ​4​ ​PILARES​ ​DA​ ​EDUCAÇÃO ● Cabe a educação, de forma competente, fornecer os saberes que contribuam para a compreensão e vivência​ ​no​ ​mundo​ ​atual,​ ​cheio​ ​de​ ​complexidade. ● Os conhecimentos precisam sempre está atualizado devendo ser, ao longo da vida, aprofundados e enriquecidos. ● Para​ ​isso,​ ​a​ ​educação​ ​deve​ ​organizar-se​ ​em​ ​torno​ ​de​ ​4​ ​aprendizagens​ ​fundamentais: APRENDER​ ​A​ ​CONHECER ● Combinando uma cultura geral, suficientemente vasta, com a possibilidade de trabalhar em profundidade um pequeno numero de matérias. O que também significa: aprender a aprender, para beneficiar-se​ ​das​ ​oportunidades​ ​oferecidas​ ​pela​ ​educação​ ​ao​ ​longo​ ​de​ ​toda​ ​a​ ​vida. APRENDER​ ​A​ ​FAZER ● A​fim de adquirir qualificação profissional e competências que tornem a pessoa apta a enfrentar as situações e a trabalhar em equipes. Também aprender a fazer, no âmbito das diversas experiências sociais ou de trabalho que se oferecem, quer espontaneamente, fruto do contexto local ou nacional, quer formalmente,​ ​graças​ ​ao​ ​desenvolvimento​ ​do​ ​ensino​ ​alternado​ ​com​ ​o​ ​trabalho. APRENDER​ ​A​ ​VIVER​ ​JUNTO ● Desenvolvendo a compreensão do outro e a percepção das interdependências - realizar projetos comuns e preparar-se para gerir conflitos - no respeito pelos valores do pluralismo, da compreensão mutua e da paz. APRENDER​ ​A​ ​SER ● P​ara melhor desenvolver a sua personalidade e estar a altura de agir com cada vez maior capacidade de autonomia, de discernimento e de responsabilidade pessoal. Para isso, não negligenciar na educação nenhuma das potencialidades de cada indivíduo: memória, raciocínio, sentido estético, capacidades físicas,​ ​aptidão​ ​para​ ​comunicar-se. 7 Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique http://www.superpreparado.com.br/
  • 8. ABORDAGENS​ ​E​ ​PRÁTICA​ ​PEDAGÓGICA 1 Maria​ ​da​ ​Conceição​ ​dos​ ​Reis A prática pedagógica está fundamentada na concepção de vida e sociedade do professor. É a partir dela que o professor realiza as atividades cotidianas nas escolas, seguindo uma linha pedagógica que fornece diretrizes para essas atividades, pois a pratica pedagógica destinada à sala de aula é, ainda hoje, influenciada pelas várias tendências ou teorias pedagógicas​ ​que​ ​marcaram​ ​a​ ​história​ ​educacional​ ​no​ ​Brasil. Saviani (2002) classifica essas teorias em dois grupos: ​teorias não-críticas ​e ​teorias crítico-reprodutivista ​e apresenta uma nova proposta através da teoria crítica. Essas idéias são apresentadas através de cinco enfoques: tradicional,​ ​escolanovismo,​ ​tecnicismo,​ ​crítico-reprodutivista​ ​e​ ​histórico-crítica. Pelas idéias abordadas nas ​teorias não-críticas, ​a educação é entendida como instrumento de superação social. O aluno marginalizado deveria ser integrado a sociedade. Cabendo a educação corrigir as distorções sociais. As idéias das teorias ​não ​críticas se expressam através da Pedagogia Tradicional, Pedagogia Nova e Pedagogia Tecnicista. Vejamos: A Pedagogia Tradicional teve inicio juntamente com a educação escolar no Brasil, através dos jesuítas que, mesmo sem facilitar uma prática pedagógica que contribuísse com a transformação da vida social e econômica da colônia,​ ​monopolizaram​ ​toda​ ​essa​ ​educação​ ​desde​ ​1549​ ​até​ ​a​ ​expulsão​ ​da​ ​Companhia​ ​de​ ​Jesus​ ​em​ ​1759. Essa expulsou não fez mudar o princípio pedagógico, apenas mudou os interesses - por passar das mãos da igreja para a burguesia - o que antes era pedagogia tradicional religiosa, transformou-se em pedagogia tradicional leiga. (Saviani,​ ​2002). Com o discurso de construir uma sociedade democrática, a burguesia, que acabara de se consolidar no poder, defendia o conhecimento para todos. Cabia a escola e ao professor transmitir o conhecimento aos alunos organizados em classes. O professor era o centro das atenções que, através das aulas expositivas, transmitia todo o conteúdo que ele mesmo determinava para o aluno. Esse, ouvia passivamente e disciplinadamente, sem direito a desenvolver sua criatividade. Mas, começa a surgir os problemas, pois a escola não conseguia ser universal, os alunos que ingressavam não obteriam os mesmos resultados esperados pela escola, "não se ajustavam ao tipo de sociedade que se queria consolidar". (idem, p.7). A educação era totalmente dissociada das questões sociais vigentes. Também, não havia unidade entre prática e teoria. A prática era vista como aplicação da teoria. (Veiga, 1989: 44). Porém, essa tendência predominou,​ ​aproximadamente,​ ​até​ ​1930. Com inspiração filosófica no humanismo moderno - visão de homem centrada na própria existência, - que ganha impulso em 1924 com a criação da Associação Brasileira de Educação, começa a surgir a Pedagogia Nova fazendo críticas à pedagogia tradicional. O escolanovismo, como ficou sendo conhecido, acreditava no potencial da escola para erradicar a marginalidade social (o que a escola tradicional não estava conseguindo). Foi a partir dessa percepção que 1 ​ ​Texto​ ​elaborado​ ​a​ ​partir​ ​da​ ​dissertação​ ​de​ ​mestrado​ ​da​ ​autora​ ​para​ ​a​ ​disciplina​ ​Didática​ ​-​ ​2006 8 Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique http://www.superpreparado.com.br/
  • 9. começou o movimento de reforma dessa escola, que passou a ser vista como "redentora da humanidade". O professor passou a ser o facilitador da aprendizagem. O aluno era o centro de tudo, que deveria ser respeitado em suas escolhas. "A prática​ ​pedagógica​ ​é​ ​ancorada​ ​em​ ​si​ ​mesma,​ ​sem​ ​vinculação​ ​com​ ​o​ ​contexto​ ​mais​ ​amplo"​ ​(Veiga,​ ​1989:52). Essa tendência galgou forma no Brasil através da elaboração do projeto da primeira Lei de Diretrizes e Base da Educação, pois para sua elaboração estavam presentes os principais educadores escolanovistas e representantes católicos, portanto​ ​puderam​ ​definir​ ​os​ ​caminhos​ ​da​ ​educação​ ​brasileira. Para atender aos pressupostos da Escola Nova, a educação católica, que ainda tinha muito poder, influência e predomínio em várias escolas, buscou se renovar através do método pedagógico de Montessori e Lubienska, disseminando o amor que o professor deveria ter com as crianças, para que as mesmas pudessem aprender num ambiente amoroso e feliz. Foi em 1932 que surgiu o Manifesto da Escola Nova, cuja essência predominou até 1960, quando começa a apresentar os sinais de crise. Com isso, ganha força a concepção analítica com seus princípios científicos objetivos,​ ​racionais​ ​e​ ​neutros. Em 1969, começa a ascensão da Pedagogia Tecnicista,dando ênfase a formação de técnicos para educação. Ao professor competia efetivar a prática: A relação professor-aluno é estritamente técnica, ou seja, visa a garantir a eficácia da​ ​transmissão​ ​dos​ ​conhecimentos.​ ​(Veiga,​ ​1989:​ ​58) O que mais tinha destaque nesta teoria eram as técnicas e os métodos, que se preocupavam em preparar a mão-de-obra para o mercado de trabalho que atendia aos interesses do capitalismo. A autora chama atenção que nesta visão,​ ​a​ ​separação​ ​entre​ ​teoria​ ​e​ ​prática​ ​fica​ ​mais​ ​acentuada. Durante o governo militar esta pedagogia teve seu ponto alto, porém começam os estudos à crítica da educação dominante. Os educadores não aceitavam este tipo de educação baseada no autoritarismo e tecnicismo, que confiava à escola, através dos seus meios de instrução baseada no behaviorismo, a função de conservar a sociedade capitalista vigente. A partir de 1974, com a abertura do regime militar no Brasil, os estudos e críticas dos educadores preocupados com os caminhos da educação nacional, começam a se destacar através de denúncias à pedagogia oficial e fazendo surgir uma nova pedagogia denominada por Saviani (2002) de ​crítico-reprodutivista, ​por conceber a função da educação como reprodução das relações sociais, sem vislumbrar a possibilidade de uma educação que pudesse está comprometida em​ ​promover​ ​a​ ​transformação​ ​dessas​ ​relações. Portanto, estas teorias apenas explicam/criticam como a escola esta constituída. Nasce da crítica, mas não elabora​ ​uma​ ​proposta​ ​pedagógica,​ ​vive​ ​apenas​ ​a​ ​combater​ ​as​ ​que​ ​se​ ​apresentam. É por esta falta de proposta da pedagogia crítico-reprodutivista e pelo descrédito na transformação da escola, que em 1979 começa a se espalhar à discussão sobre uma nova tendência embasada na concepção dialética. É neste período que nasce a pedagogia que Saviani denomina ​de histórico-crítica, ​procurando articular uma proposta pedagógica que busque a transformação social, através do resgate da importância da escola, da interação entre os sujeitos e da 9 Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique http://www.superpreparado.com.br/
  • 10. reorganização do trabalho educativo. Sobre a interação professor-aluno, inclusa nesta teoria ​histórico-crítica Veiga (1989)​ ​explica​ ​que: O trabalho pedagógico está centrado não no professor e no aluno, mas na questão central da formação do homem. O professor é valorizado no seu papel de autoridade que​ ​orienta​ ​e​ ​favorece​ ​o​ ​processo​ ​de​ ​ensinar​ ​e​ ​de​ ​aprender. (...) O aluno e visto como um ser concreto situado historicamente. Traz consigo um saber que Ihe é próprio, e que precisa ser valorizado e reelaborado para que, concretamente, possa gerar mudanças na realidade. Neste sentido, a relação pedagógica é calcada na autonomia e reciprocidade, provenientes de um processo de maturação.​ ​(67) É dessa forma que Saviani (2002) reconhece na educação um instrumento de luta, e diante da visão dialética, o professor, com uma prática pedagógica reflexiva, crítica, criativa e transformadora, instrumentaliza seu aluno para a prática​ ​social​ ​através​ ​da​ ​construção​ ​crítica​ ​do​ ​saber. Portanto, o professor que se propõe crítico, precisa estar preparado para a prática pedagógica ancorada numa concepção de educação articulada com a realidade social. Uma ação pedagógica que valorize a relação dialética teoria-prática, em que a prática seja uma ação guiada e mediada pela teoria. A unidade entre o ideal (a teoria) e o real (a prática), é de extrema importância no trabalho desenvolvido no cotidiano escolar para que os professores estejam atentos no​ ​pensar​ ​e​ ​no​ ​fazer. É nessa relação dialética, com a prática sendo alimentada pela teoria, e, ao mesmo tempo, a teoria sendo alimentada pela prática, que se mantém a prática pedagógica do professor com características renovada, reflexiva e transformadora. Libâneo (2000, p. 37) afirma que os professores precisam ser críticos para compreender e analisar criticamente a sociedade, a política, as diferenças sociais, a diversidade cultural, os interesses de classe, agir diante das situações escolares​ ​e,​ ​assim,​ ​problematizar​ ​com​ ​os​ ​alunos​ ​o​ ​conhecimento. Ao dissertar sobre prática pedagógica que busca uma transformação, ressalta-se a contribuição do educador Paulo Freire, enquanto professor crítico/comprometido, que concebe a educação como um ato político, compreendendo-a como um instrumento de luta que, em conjunto com as outras práticas sociais, está a serviço da transformação da sociedade vigente. Simulado 1.Com​ ​base​ ​no​ ​texto,​ ​assinale​ ​a​ ​opção​ ​correta​ ​a​ ​respeito​ ​da​ ​didática​ ​da​ ​Escola​ ​Nova. 10 Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique http://www.superpreparado.com.br/
  • 11. a) No ensino de disciplinas que compõem a área de conhecimento história natural, os materiais didáticos devem ser plantas e animais vivos, a metodologia de ensino deve ser a observação direta e​ ​imediata​ ​e​ ​o​ ​espaço​ ​da​ ​aula​ ​deve​ ​ser​ ​a​ ​natureza. b) No ensino das chamadas exatas aplicadas, como química e física, o conteúdo teórico dos experimentos​ ​em​ ​laboratórios​ ​deve​ ​ser​ ​aplicado​ ​após​ ​as​ ​aulas​ ​teóricas​ ​e​ ​expositivas. c) O estudo do mundo geográfico deve englobar detalhes como a simbologia política dos países, pois o conhecimento das especificidades é necessário para que o educando tenha a visão da totalidade​ ​do​ ​fenômeno​ ​político-geográfico. d) O ensino da realidade social e política deve restringir-se aos fatos passados e ater-se ao modo de exposição oral, uma vez que a história não permite a experimentação, a observação direta e a investigação. 2.A Didática tem papel muito importante no processo de formação de educadores, contudo, ao longo de sua trajetória, tem suscitado discussões intensas. Por vezes negada ou exaltada, ela foi assumindo, ao longo da história, diferentes compreensões. Podemos inferir que, atualmente, a Didática​ ​pode​ ​ser​ ​compreendida​ ​como: a) arte de ensinar tudo a todos, uma vez que enfatiza os direitos humanos e a promoção da igualdade​ ​com​ ​respeito​ ​pelas​ ​diferenças. b) ciência responsável pela formação do professor, responsabilizando-se por atribuir significado ao trabalho​ ​docente. c) estudo dos processos de ensino e aprendizagem em articulação com as dimensões humana, técnica​ ​e​ ​político-​ ​social​ ​que​ ​devem​ ​orientar​ ​os​ ​princípios​ ​e​ ​práticas​ ​educativas. d) técnica de aprender a melhor ensinar, auxiliando o professor a identificar e interrogar os valores que​ ​estão​ ​subjacentes​ ​à​ ​ação​ ​e​ ​às​ ​concepções​ ​do​ ​humano. 3.Assinale​ ​a​ ​alternativa​ ​que​ ​apresenta​ ​a​ ​sequência​ ​correta. a)​ ​Didática;​ ​Pedagogia;​ ​Didática;​ ​Pedagogia;​ ​Didática. b)​ ​Pedagogia,​ ​Didática,​ ​Pedagogia;​ ​Didática;​ ​Didática. c)​ ​Pedagogia;​ ​Pedagogia;​ ​Pedagogia;​ ​Didática;​ ​Didática d)​ ​Pedagogia;​ ​Didática;​ ​Didática;​ ​Pedagogia;​ ​Pedagogia. e)​ ​Didática;​ ​Pedagogia,​ ​Pedagogia;​ ​Didática;​ ​Pedagogia. 11 Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique http://www.superpreparado.com.br/
  • 12. 4.Na história da educação brasileira, muitas foram as transformações pelas quais passaram as escolas e a prática didática. Considerando a Pedagogia Progressista, as três Tendências Pedagógicas​ ​que​ ​se​ ​manifestam​ ​são: a)​ ​Libertária,​ ​Tradicional​ ​e​ ​Crítico-Social​ ​dos​ ​Conteúdos. b)​ ​Tradicional,​ ​Renovada​ ​Progressista​ ​e​ ​Crítico-Social​ ​dos​ ​Conteúdos. c)​ ​Libertária,​ ​Libertadora​ ​e​ ​Crítico-Social​ ​dos​ ​Conteúdos. d)​ ​Tradicional,​ ​Tecnicista​ ​e​ ​Renovada​ ​Progressista. e)​ ​Libertária,​ ​Libertadora​ ​e​ ​Tecnicista. 5.Sobre​ ​o​ ​ensino​ ​e​ ​a​ ​aprendizagem​ ​de​ ​História,​ ​assinale​ ​a​ ​alternativa​ ​INCORRETA. a) Envolvem uma distinção básica entre o saber histórico, como um campo de pesquisa e produção de conhecimento do domínio de especialistas, e o saber histórico escolar, como conhecimento produzido​ ​no​ ​espaço​ ​escolar. b) Os diferentes conceitos — de fato histórico, sujeito histórico e tempo histórico — independem das distintas​ ​concepções​ ​de​ ​História​ ​e​ ​de​ ​como​ ​ela​ ​é​ ​estruturada​ ​e​ ​constituída. c) Na sala de aula, os materiais didáticos e as diversas formas de comunicação escolar apresentadas​ ​no​ ​processo​ ​pedagógico​ ​constituem​ ​o​ ​que​ ​se​ ​denomina​ ​saber​ ​histórico​ ​escolar. d) O saber histórico escolar, na sua relação com o saber histórico, compreende, de modo amplo, a delimitação de três conceitos fundamentais: o de fato histórico, de sujeito histórico e de tempo histórico. e) Didaticamente, as relações e as comparações entre o presente e o passado permitem uma compreensão da realidade numa dimensão histórica, que extrapola as explicações sustentadas apenas​ ​no​ ​passado​ ​ou​ ​só​ ​no​ ​presente​ ​imediato. 6.É​ ​característica​ ​da​ ​didática​ ​ativa: a)​ ​não​ ​dar​ ​considerável​ ​importância​ ​aos​ ​métodos​ ​e​ ​técnicas​ ​de​ ​ensino. b)​ ​não​ ​utilizar​ ​em​ ​sua​ ​prática​ ​o​ ​método​ ​científico​ ​de​ ​descoberta​ ​de​ ​conhecimento. c)​ ​ser​ ​a​ ​direção​ ​do​ ​ensino,​ ​a​ ​sistematização​ ​e​ ​o​ ​controle​ ​do​ ​processo​ ​de​ ​aprendizagem. d)​ ​valorizar​ ​mais​ ​os​ ​processos​ ​de​ ​aprendizagem​ ​do​ ​que​ ​os​ ​conhecimentos​ ​sistematizados. e)​ ​considerar​ ​o​ ​aluno​ ​coadjuvante​ ​da​ ​aprendizagem. 7.Sobre​ ​a​ ​didática​ ​está​ ​correta​ ​a​ ​frase: 12 Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique http://www.superpreparado.com.br/
  • 13. a)​ ​Não​ ​generaliza​ ​o​ ​que​ ​é​ ​comum​ ​no​ ​processo​ ​educativo. b)​ ​Estuda​ ​a​ ​finalidade​ ​da​ ​educação​ ​na​ ​sociedade. c)​ ​Ocupa-se​ ​dos​ ​métodos​ ​de​ ​cada​ ​matéria. d)​ ​Ocupa-se​ ​da​ ​teoria​ ​geral​ ​do​ ​ensino. e)​ ​Estuda​ ​a​ ​educação​ ​a​ ​instrução​ ​e​ ​o​ ​ensino. 8.A​ ​Didática​ ​é​ ​um​ ​ramo​ ​de​ ​estudo​ ​da​ ​Pedagogia​ ​que: a)​ ​investiga​ ​a​ ​natureza​ ​das​ ​finalidades​ ​da​ ​educação​ ​numa​ ​sociedade. b) busca em outras ciências os conhecimentos que esclarecem o fenômeno educativo. c) estuda a dinâmica​ ​das​ ​relações​ ​sociais​ ​e​ ​o​ ​processo​ ​do​ ​desenvolvimento​ ​humano. d)​ ​investiga​ ​os​ ​fundamentos,​ ​condições​ ​e​ ​modos​ ​de​ ​realização​ ​da​ ​instrução​ ​e​ ​do​ ​ensino. e)​ ​nenhuma​ ​alternativa​ ​está​ ​correta 9.Em​ ​relação​ ​à​ ​Didática,​ ​é​ ​incorreto​ ​afirmar​ ​que a) contribui para transformar a prática pedagógica da escola, ao desenvolver a compreensão articulada​ ​entre​ ​os​ ​conteúdos​ ​a​ ​serem​ ​ensinados​ ​e​ ​as​ ​práticas​ ​sociais. b) não compete refletir acerca dos objetivos sócio-políticos e pedagógicos, ao selecionar os conteúdos​ ​e​ ​métodos​ ​de​ ​ensino. c) realiza-se por meio de ação consciente, intencional e planejada, no processo de formação humana,​ ​estabelecendo-se​ ​objetivos​ ​e​ ​critérios​ ​socialmente​ ​determinados. d) sua finalidade é converter objetivos sócio-políticos e pedagógicos em objetivos de ensino, selecionar​ ​conteúdos​ ​e​ ​métodos​ ​em​ ​função​ ​desses​ ​objetivos. 10.​ ​São​ ​elementos​ ​estruturantes​ ​da​ ​Didática: a)​ ​objetivos,​ ​conteúdos,​ ​tecnicismos,​ ​políticas​ ​de​ ​ensino,​ ​recursos​ ​e​ ​avaliação. b)​ ​objetivos,​ ​políticas​ ​de​ ​ensino,​ ​tecnicismos,​ ​recursos,​ ​relação​ ​professor-aluno. c)​ ​objetivos,​ ​conteúdos,​ ​metodologia,​ ​recursos,​ ​relação​ ​professor-aluno,​ ​avaliação. d)​ ​objetivos,​ ​métodos​ ​de​ ​pesquisa,​ ​conteúdos,​ ​programas,​ ​políticas​ ​educacionais. GABARITO​ ​1A;2C;3D;4C;5B;6D;7D;8D;9B;10C; Esse​ ​simulado​ ​faz​ ​parte​ ​do​ ​Material​ ​Completo​ ​que​ ​se​ ​encontra 13 Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique http://www.superpreparado.com.br/
  • 14. na​ ​página: http://questoesconcursopedagogia.com.br/mais1200questoes/ Olá,​ ​tudo​ ​bem?​ ​Sou​ ​professor​ ​Luiz​ ​Carlos​ ​Melo. Perfil​ ​no​ ​facebook: https://www.facebook.com/luizcarlos.melo.127 Fanpage: https://www.facebook.com/superpreparado/ Canal​ ​no​ ​Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCZ3D5VBLZW1lacEE89nMJgg Blog: http://questoesconcursopedagogia.com.br/ 14 Material​ ​completo​ ​para​ ​concurso​ ​professor,​ ​clique http://www.superpreparado.com.br/