Projeto interdisciplinar matemática 2011.1

3.765 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Projeto interdisciplinar matemática 2011.1

  1. 2. PROJETO INTERDISCIPLINAR Ensino da Matemática: Fundamentos e Metodologia Tema Gerador: Violência e Escola Professor: Heitor Achilles
  2. 3. Trabalhando o ser humano de forma total, contribuiremos para o seu desenvolvimento integral, o que é fundamental para uma nova sociedade. Através de jogos e brincadeiras os alunos vão estruturando e construindo seu mundo interior e exterior que, apesar de individualizados, deverão estar sempre inter-relacionados, na busca de maior e mais harmônica interação com o meio ambiente. A cada dia que passa, a educação lúdica vai ganhando novas conotações evoluindo, desenvolvendo e estimulando técnicas para um sentido mais político e transformador. O tema gerador envolvendo a violência e a escola, proporciona análise e posicionamentos frente aos vários tipos de violência, não só no âmbito escolar. A violência não é um comportamento natural. É um comportamento aprendido. Quando um menino apanha de outro menino na escola, ele recebe a seguinte mensagem dentro de casa: “ Amanhã você chega lá e bate nele, bem forte”. Com isso, acabamos criando uma cultura de violência. A violência fica tão banalizada, que determinadas atitudes violentas passam a ser encaradas como não sendo. Onde tem violência todos perdem!
  3. 4. Uma das formas de violência é a contra os Animais
  4. 6. Existe uma relação entre crueldade com seres humanos e com animais? * Muitos assassinos em série começaram matando animais. *Pesquisas norte-americanas mostram que a crueldade animal pode ser sintoma de uma mente doentia. Em 1998, Russell Weston entrou no Capitólio, puxou uma arma e começou a atirar ao redor. Quando terminou, dois policias estavam mortos e um visitante ferido. Poucas horas antes, Weston já havia atirado numa dúzia de gatos de rua alimentados por seu pai. No Brasil, a Sociedade Protetora de Animais, tem a missão de conscientizar e de protegê-los das agressões. Maus tratos contra seres indefesos são constantes, substituindo proteção por crueldade. Instituições utilizam-se de comunidades virtuais, para receberem denúncias e elaborar campanhas e denúncias, cujos resultados são encaminhados a Câmara de Deputados, Assembléias Legislativas, Governos Estaduais e Municipais e às instituições interessadas.
  5. 7. Observe a denúncia: FAMÍLIA MALTRATA CACHORRO enviada por Regina Lucileia de Mogi das Cruzes em São Paulo: _ Por favor, ajudem uma vida que está morrendo de fome e de sede. Fica todo o tempo amarrado, na chuva ou no sol, de dia e de noite. Pelo amor de Deus, vem rápido salvá-lo! Ele chora demais e não agüentamos ver tanta tortura... A mídia, com seu poder de tornar visível e influenciar pensamentos e comportamentos, tem papel fundamental para a sensibilização da sociedade. Ela já fez bastante e pode fazer muito mais, inclusive cobrando dos governantes mais empenho no cumprimento dos acordos e na efetivação das políticas públicas. Pensando nisso, podemos ampliar e usar os conhecimentos matemáticos analisando a evolução dos percentuais destas pesquisas com o objetivo que tais índices fiquem cada vez menores até chegar a extinção deste tipo de violência. A preservação do meio ambiente é assunto atual na mídia e mesmo as crianças da mais tenra idade precisam ser informadas sobre a importância de uma sociedade harmônica.
  6. 8. Vamos pensar? Além da violência “na” e “da” escola, existe a violência “à” escola: A violência na escola é aquela que se produz dentro do espaço escolar, sem estar ligada às atividades da instituição escolar, por ex.: quando um bando entra na escola para acertar contas de disputas do narcotráfico. A violência da escola é a violência institucional, simbólica, reproduzida através de seus agentes (professores, serventes), dos modos de atribuição de notas, de distribuição das classes, dos castigos, dos atos de exclusão, etc. Segundo Charlot (op.cit.), existe ainda a violência à escola , que está ligada aos atos contra a escola; são casos em que alunos provocam incêndios, ameaçam, insultam, agridem os professores ou funcionários da escola. Então Refletimos: Por que se preocupar com tais distinções? Porque, essas distinções orientam os professores e pesquisadores para pensarem a relação - efeito e causas da violência e que também leva-os pensar preventivamente sobre o que fazer com cada situação
  7. 9. Após exposição destes atos violentos, podemos aplicar em sala de aula, na Educação Infantil as seguintes dinâmicas: Que animal sou eu? Objetivos: observação, concentração, raciocínio e noção de conjunto. Material: máscaras de animais. Desenvolvimento : 1ª. Atividade – um aluno lidera a passeata com a máscara de palhaço e com cartaz sobre: “Circo legal não tem animal”, este é seguido por outros participantes com máscaras de animais. O professor distribui aos demais outras máscaras e cartelas com números pares e ímpares. Ao ouvir os números citados pelo professor o aluno posiciona-se a frente e depois se posicionarão, do lado direito do professor os que possuem números pares e do lado esquerdo os que possuem números ímpares . No final todos cantam a música: No sítio tinha um cachorro ia ia ô... 2ª. Atividade - turma dividida em grupos, o representante colocará uma máscara e através de perguntas ao grupo, uma de cada vez e somente com resposta sim ou não, deverão descobrir em que animal se transformaram. ****Para desenvolvermos melhor........
  8. 12. Concluindo... A falta de civilidade de alguns pode ser indício de que seus pais falharam na educação, mas eles não devem ser os únicos responsáveis. É possível que os pais hoje não sejam tão importantes para educar os filhos, como sinaliza o estudo de Judith Harris (1998). A influência dos grupos de pares, a televisão, os games , a interação com alguns sites da internet juntos, promovem a incivilidade como se fosse um bem. Ser um bad boy ou uma bad girl representa um status. Sozinha, a escola não tem o poder de reverter o processo de barbarização dos jovens. Até porque o professor pouco consegue estabelecer um vínculo com alunos incivilizados, que nessa condição podem reagir inconscientemente com indisciplina e até violência. Portanto, é urgente preparar os professores para saber interpretar e lidar com a nova geração resistente a ser civilizada. Não se trata de inculcar em ambos os valores da classe dominante, mas sim, transmitir os valores universais da civilização: convivência, respeito, tolerância, solidariedade, preservação, coletividade, entre outros.
  9. 13. <ul><li>Bibliografia: </li></ul><ul><li>* Sites: </li></ul><ul><li>- www.apasfa.org </li></ul><ul><li>- www.forum.cifraclub.com.br </li></ul><ul><li>www.jus.uol.com.br </li></ul><ul><li>* Livro: </li></ul><ul><li>Tapeçaria Recreativa Editora Sprint Autora: Solange Ferreira </li></ul>
  10. 14. Ensino da Matemática: Fundamentos e Metodologia IAVM – 2011.1 Alunas: *Aline Garotti Castro Calvão *Eliana Marçal dos Santos *Maria Estefânia Queiroz Bezerra *Nely Monteiro dos Santos de Carvalho *Renata de Araújo Gomes Bezerra de Menezes *Vanise Zema Ribeiro dos Santos

×