Aline Araújo nº 33
José maria Eça de Queiroz foi um
importante romancista português do
século XIX. Nasceu em 25 de Novembro,
de 1845, na cida...
 Macário era um homem de 22 anos, guarda-livros de um armazém
de panos do tio Francisco, solteirão, na cidade de lisboa n...
 Mas ao chegar a Lisboa, o amigo que lhe arrumou emprego no cabo verde
pediu para que Macário fosse fiador de uma grande ...
A narrativa constrói personagens de uma forma marcante
com uma coerência psicológica invejável.
Luísa Vilaça– Traços físic...
-> Pagamento do anel
Chamada de atenção do ourives
para o que havia acontecido
(roubo)
-> Discussão
-> Macário assume o
“e...
 No caso do narrador de
Singularidades de uma
rapariga loura, estamos
diante de um narrador
homodiegético e o narrador
é ...
 O Romantismo na obra:
-> No momento da paixão de Macário por Luísa;
-> Na perseverança em querer casar com ela, mesmo co...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Singularidades de uma rapariga loura

1.070 visualizações

Publicada em

singularidades de uma rapariga loura

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.070
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Singularidades de uma rapariga loura

  1. 1. Aline Araújo nº 33
  2. 2. José maria Eça de Queiroz foi um importante romancista português do século XIX. Nasceu em 25 de Novembro, de 1845, na cidade portuguesa de póvoa de varzim. Em 1866 formou-se em direito na universidade de Coimbra e trabalhou como administrador municipal no município de leiria e também como cônsul de Portugal na Inglaterra. Algumas características comuns em seus romances, como, por exemplo, abordagem de temas cotidianos, descrição de locais e comportamento de pessoas, pessimismo, ironia e humor. Eça de Queiroz morreu na cidade de paris em 1900.
  3. 3.  Macário era um homem de 22 anos, guarda-livros de um armazém de panos do tio Francisco, solteirão, na cidade de lisboa no ano de 1823. A serenidade deste jovem aplicado e comportado que ainda não conhecera os prazeres do sexo é perturbada quando vê uma loira muito bonita de 20 anos chamada Luísa Vilaça. Após 5 dias de tímido flerte, Macário se apaixona pela jovem de cabelos loiros que nas tardes se debruçava na janela. Após alguns encontros, Macário decide casar-se com Luísa e comunica a sua decisão ao seu tio que não aceitou a ideia. O jovem Macário perdeu o seu emprego com o seu tio e desesperado aceitou partir para cabo verde para trabalhar e até arrecadou uma pequena fortuna para se casar.
  4. 4.  Mas ao chegar a Lisboa, o amigo que lhe arrumou emprego no cabo verde pediu para que Macário fosse fiador de uma grande quantia e foge com o dinheiro. Macário fica mais uma vez na miséria. Quando decide voltar novamente para cabo verde em busca de trabalho, vai visitar o seu tio Francisco que inesperadamente muda de ideias a seu respeito e aceita o casamento de Macário com Luísa voltando a dar-lhe emprego. Marcado o dia do matrimónio, Macário leva a noiva a fazer compras e esta rouba um anel com duas pérolas. O empregado da joalheria colhe o flagrante do furto e Macário sem perder a calma pede desculpas e paga o anel roubado. Chegando na esquina, o jovem abandona Luísa, chamando-lhe de ladra e no dia seguinte parte para a província.
  5. 5. A narrativa constrói personagens de uma forma marcante com uma coerência psicológica invejável. Luísa Vilaça– Traços físicos: Era uma loira esbelta. Psicológicos: sofre diretamente a ação do determinismo: é portadora de uma doença de ordem psíquica (cleptomania). Macário - descrição do personagem em dois momentos: Macário jovem – romântico, ingênuo. A fragilidade e estupidez do romântico Macário é gritante não compreende a doença de sua noiva, confunde cleptomaníaco com ladra, ameaça a moça à policia, quando deveria procurar –lhe um psicanalista. Macário velho -(condenado a uma perpétua e infeliz solidão – Luísa era o motivo de sua realização existencial). Tio Francisco - O tio Francisco é qualificado como um velho autoritário e tirânico, solteirão e misógino. Ele exerce a função de ajudante do protagonista com relação ao seu processo profissional e económico, mas de oponente relativamente ao casamento de Macário com Luísa
  6. 6. -> Pagamento do anel Chamada de atenção do ourives para o que havia acontecido (roubo) -> Discussão -> Macário assume o “esquecimento” -> Já na rua a discussão entre Macário de Luísa atinge o ponto de ruptura. -> Macário não casa com uma ladra. (O Realismo sobrepõe-se ao Romantismo)
  7. 7.  No caso do narrador de Singularidades de uma rapariga loura, estamos diante de um narrador homodiegético e o narrador é personagem (o leitor vai tomar conhecimento da história ficcional do personagem Macário através de um narrador que fala na primeira pessoa).
  8. 8.  O Romantismo na obra: -> No momento da paixão de Macário por Luísa; -> Na perseverança em querer casar com ela, mesmo contrariando o seu tio e protector, assumindo todos os riscos de uma mudança de vida verdadeiramente radical; - No sofrimento que acompanhará Macário, provavelmente até ao fim da sua vida.  O Realismo na obra: -> Na forma como Macário parte para a nova vida, ou seja, tenta resolver o problema que o seu tio lhe coloca nas mãos, pondo a render as suas capacidades intelectuais e físicas; -> Não aceitando Luísa como esposa, depois da terrível descoberta, mesmo sabendo que a iria amar para sempre; -> O apelo aos valores ético, morais e comportamentais saem reforçados no homem em que Macário se torna, à imagem do seu tio Francisco.  Em Portugal, as semelhanças entre Realismo e Naturalismo eram muito fortes. O principal representante do Realismo português foi Eça de Queirós, com a publicação do conto Singularidades duma rapariga loira que, na opinião de Fialho de Almeida, foi a primeira narrativa realista escrita em português

×