SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
FONTE:Ministério da Saude
PROJETO DE INTERVENÇÃO:
CTA amigo do idoso (a)!
CAXIAS-MA
NOV/2014
UNIVERSIDADE ANHANGUERA - UNIDERP
CENTRO DE ENSINO Á DISTÂNCIA
CURSO: SERVIÇO SOCIAL 6º PERÍODO
DISCIPLINA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO II
SUPERVISOR ACADÊMICO: FRANCILEIDE SANTOS DA SILVA
SUPERVISOR DE CAMPO: IVANISE RAMOS DA SILVA
ESTAGIÁRIOS: ALEXSANDRA VERAS RA: 382997
ANA MARIA BELO DO NASCIMENTO RA: 388852
JUCILEIDE V. DE ARAÚJO RA: 352096
PROJETO DE INTERVENÇÃO:
CTA amigo do idoso (a)!
Projeto de Intervenção do Estágio
Supervisionado II apresentado ao
Curso de Serviço Social do Centro de
Educação a Distância-CEAD da
Universidade Anhanguera-UNIDERP
como requisito obrigatório para
cumprimento da disciplina de Estágio
Supervisionado II.
CAXIAS-MA
NOV/2014
1. DADOS DA INSTITUIÇÃO:
1.1 IDENTIFICAÇÕES DE CAMPO:
Nome da Organização: CTA-Centro de Testagem e Aconselhamento
CNPJ: 06.082/0001-56
Endereço: Rua Saturnino Belo Bairro: Seriema Cidade: Caxias
Estado: Maranhão
CEP: 65602-720
Telefone: *******
E-mail: ctasae.caxias@hotmail.com
1.2. IDENTIFICAÇÃO DO REPRESENTANTE LEGAL:
Representante Legal: Maria José Vieira de Faria
Cargo: coordenadora
1.3. DESCRIÇÃO DO CAMPO:
O Programa no município de Caxias teve início em 28 de abril de 1998,
tendo como finalidade promover a equidade o acesso ao aconselhamento e
diagnóstico do HIV, sífilis e hepatites virais, favorecendo os segmentos
populacionais em situação de maior vulnerabilidade, com respeito aos direitos
humanos, à voluntariedade e à integralidade da atenção, sem restrições territoriais.
O CTA Caxias apresenta uma estrutura física, apropriada conforme as Diretrizes
para a Organização e Funcionamento dos CTA do Brasil que, é importante para o
seu bom funcionamento, estão distribuídas da seguinte forma: 01 sala da
coordenação, 01 recepção, 01 sala de cadastro, 01 sala para aconselhamento
coletivo (auditório), 03 salas para aconselhamento individual e entrega de
resultados (para cada profissional: assistente social, enfermeiro, psicólogo), 01
laboratório, 01 copa, 02 banheiros, 01 garagem, 01 espaço para espera de
realização de exames todos esses espaços estão devidamente identificados para
que os usuários localizem com facilidade, visando assim à garantia de privacidade
e confidencialidade.
Atualmente a demanda atendida pela instituição é muito alta, são em
média de 1,800 a 2,000 atendimentos por mês no município entre:
aconselhamento coletivo, aconselhamento individual, entrega de resultados de
diagnóstico e testagem para HIV, sífilis e hepatites virais, e em média por ano
21,600 usuários, entre eles de outros municípios como: Pedreiras, Capinzal do
Norte, Lago da Pedra, Coelho Neto, Duque Bacelar, Senador Alexandre Costa,
Aldeias Altas, São João do Sóter e até alguns casos de outros Estados.
2. DADOS DO PROJETO:
2.1 Título do Projeto
Projeto de Intervenção: CTA amigo do idoso (a)!
2.2 Local de desenvolvimento das atividades
Serviço Social do Comércio – SESC/Caxias - MA.
2.3 Área de abrangência (Ex: região, bairro, cidade)
Cidade: Caxias - MA
O grupo de idosos do SESC.
3. PROBLEMA DIAGNÓSTICADO
Com o aumento significativo, do número de idosos contaminados pelo HIV
no Brasil nos últimos 12 anos, de 4,8 (2001), para 8,7 em 2012, segundo o
Ministério da Saúde, e de acordo com os dados levantados no Diagnóstico Social
no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA – Caxias), identificou-se a partir
destes indicadores que há uma ausência significativa de idosos no processo de
testagem e aconselhamento. Nesse contexto de que forma o assistente social
pode sensibilizar os idosos quanto à importância da realização da testagem e
prevenção das DST, HIV e Hepatites Virais, visando à melhoria e o controle
dessas doenças na cidade de Caxias – MA?
4. OBJETIVOS
4.1 Geral
 Contribuir com o processo de sensibilização, prevenção e inclusão dos
idosos que fazem parte do grupo de idosos do SESC no Programa das
DST, HIV e Hepatites Virais do município de Caxias - MA.
 Orientar os idosos quanto à importância da realização da testagem para o
diagnóstico das DST, HIV e Hepatites Virais.
4.2 Específicos
 Divulgar informações sobre o funcionamento e missão do Centro de
Testagem e Aconselhamento – CTA, visando sua importância e
contribuição na prevenção e diagnóstico das DST, HIV e Hepatites Virais
em Caxias - MA;
 Promover a sensibilização do grupo de idosos que fazem parte do SESC
quanto à prevenção e diagnóstico das DST, HIV e Hepatites Virais em
Caxias - MA;
 Informar a importância do uso de preservativos na prevenção das DST,
HIV e Hepatites Virais;
 Convidar o grupo de idosos do SESC a participarem das ações:
Aconselhamento e Testagem que serão desenvolvidas pelas acadêmicas
de Serviço Social da Universidade Anhanguera-UNIDERP, com a
participação da equipe de profissionais do CTA, no auditório do Sesc
Caxias – MA, visando à implantação do Projeto de Intervenção: CTA amigo
do idoso (a)! ;
 Avaliar e monitorar o Projeto de Intervenção por meio da aplicação de
questionários direcionados a equipe do CTA, que participou da aplicação
do Projeto de Intervenção e caixas de sugestões deixadas no SESC;
 Divulgar aos Acadêmicos de Serviço Social da Universidade Anhanguera –
UNIDERP, CTA e SESC sobre as ações executadas no Projeto de
Intervenção: CTA amigo do Idoso (a)!
5.JUSTIFICATIVA
As doenças sexualmente transmissíveis (DST) são transmitidas,
principalmente, por contato sexual sem o uso de preservativos com uma pessoa
que esteja infectada, e geralmente se manifestam por meio de feridas,
corrimentos, bolhas ou verrugas.
Essas doenças quando não diagnósticadas e tratadas a tempo, podem
evoluir para complicações graves, como infertilidades, câncer e até a morte. O
tratamento das DST melhora a qualidade de vida do paciente e interrompe a
cadeia de transmissão dessas doenças. O atendimento e o tratamento são
gratuitos nos serviços de saúde do SUS.
Dentro desse contexto o CTA desempenha um papel importante na
estratégia de enfrentamento da epidemia da AIDS, pois, sendo “porta de entrada”
do sistema de prevenção e controle, é responsável pela detecção da infecção
pelo HIV, é também referência necessária para a assistência daqueles que são
diagnosticados como soropositivos.
É um espaço onde o aconselhamento privilegia as premissas do
acolhimento, ações educativas, compromisso ético-político, sua importância se
faz reconhecida pelos setores institucionais.
Neste sentido, o trabalho com a temática, proporciona ao assistente social
desenvolver ações direcionadas a facilitar o acesso do idoso aos serviços de
saúde da instituição e da rede de serviços, participando de um conjunto de ações
com a equipe de multiprofissionais, de caráter socioeducativas do Programa das
DST, HIV e Hepatites Virais, contra as doenças infectocontagiosas, de forma
compromissada e criativa visando à sensibilização, prevenção e o diagnóstico
quanto ao alto índice de pessoas idosas infectadas pelas DST, HIV e Hepatites
Virais, torna-se relevante por se tratar de uma questão social, assim faz – se
necessário o desenvolvimento deste projeto de intervenção junto ao grupo de
idosos do SESC/Caxias – MA com a finalidade de reduzir o alto indice de
contaminação entre os idosos.
6. PÚBLICO/BENEFICIÁRIO
O grupo de idosos do Serviço Social do Comércio-SESC, Caxias – MA.
7. DESCRIÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO E DOS EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS
PARA O DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES
Para a execução deste projeto iremos utilizar o auditório do SESC com
capacidade aproximada para 150 pessoas, viabilizando assim os encontros e
atividades que serão realizadas, onde contaremos com os equipamentos
necessários tais como: computador, data show, caixa amplificada, microfone,
cadeiras, mesa etc.
7.1 RELAÇÃODAS ATIVIDADES E DATAS DE EXECUÇÃO
DATA HORÁRIO ATIVIDADES LOCAL RESPONSÁVEIS
13/11/2014
Agendamento das
atividades que serão
realizadas.
SESC/Caxias - MA.
Alexsandra Veras
Ana Maria B. do Nascimento
Jucileide Veloso de Araújo
17/11/2014
Palestras de
Aconselhamento coletivo
sobre as DST, HIV e
Hepatites Virais.
SESC/Caxias - MA.
Alexsandra Veras
Ana Maria B. do Nascimento
Jucileide Veloso de Araújo
20/11/2014
Realização e entrega de
testes rápidos para
diagnóstico de HIV;
SESC/Caxias - MA. Enfermeiro Tiago
23/03/2015 Á 28/04/2015 Avaliação por meio da
aplicação de
questionários;
CTA-Centro de testagem
e Aconselhamento;
Equipe de multiprofissionais do
CTA, que participarão do Projeto
de Intervenção: CTA amigo do
idoso(a)!
23/03/2015 Á 28/04/2015 Caixas de sugestões. SESC/Caxias - MA. E o grupo de idosos do Serviço
Social do Comércio - SESC.
.
23/03/2015 Á 28/04/2015
Monitoramento do Projeto
de Intervenção: CTA
amigo do idoso (a)!
CTA-Centro de Testagem
e Aconselhamento;
SESC/Caxias - MA.
Alexsandra Veras
Ana Maria B. do Nascimento
Jucileide Veloso de Araújo
Fonte: Projeto de intervenção: CTA – amigo do idoso (a)!2015
8. PARCEIROS TÉCNICOS E FINANCEIROS
 CTA-Centro de Testagem e Aconselhamento Caxias–MA;
 Acadêmicas de Serviço Social da Universidade Anhanguera-UNIDERP:
Alexsandra Veras, Ana Maria Belo do Nascimento e Jucileide Veloso
Araújo.
9. PRODUTOS DO PROJETO
 A inserção do idoso no Programa das DST, HIV e Hepatites Virais do CTA;
 Redução da taxa de idosos infectados DST, HIV e Hepatites Virais;
 Idosos orientados sobre a importância do uso de preservativos.
10. IMPACTOS ESPERADOS
Para o CTA-Centro de Aconselhamento
Implantação de ações cujo motivo seja em prol da inserção do grupo de
idosos do SESC no Programa das DST, HIV e Hepatites Virais no município de
Caxias–MA, que atenda os idosos, atuando na promoção de ações cunho
socioeducativo voltado para a melhoria da qualidade de vida dos idosos.
Para os Idosos
Com este Projeto esperamos que os idosos entendam a importância e a
contribuição do CTA-Centro de Testagem e Aconselhamento no processo de
sensibilização, prevenção e diagnóstico das DST, HIV e Hepatites Virais, para
que eles possam usufruir de uma vida sexualmente ativa e mais saudável.
11. Cronograma
ATIVIDADES/PERÍODOS 2014.1 a 2015.2 MAI/14 NOV/14 MAR/15
1 Levantamento de literatura X
2 Montagem do Projeto X
3 Coleta de dados X
4 Tratamento dos dados X
5 Elaboração do Relatório Final X
6 Revisão do texto X
7 Entrega do trabalho X
8 Aplicação do Projeto X
9 Avaliação e monitoramento do projeto X
12. Investimentos (orçamento simplificado)
Produto/Serviço Quantidade Valor
Papel A4 02 R$ 32,00
Canetas 10 R$ 20,00
Banners 01 R$ 140,00
Papel 40 05 R$ 5,00
Impressões 30 R$ 30,00
Folders 40 R$ 40,00
Camisas 15 R$ 240,00
Lanche 01 R$ 200,00
Copos descartáveis 02 centros R$ 16,00
Guardanapos 03 pacotes R$ 12,00
TOTAL R$ 727,00
13. Meta de Público-Alvo
Participantes Quantidade
Grupo de Idosos que fazem parte
do SESC/Caxias - MA 60 pessoas
14. Metodologia
A metodologia do presente projeto será pautada no desenvolvimento de
ações de caráter informativo e sócio – educativo, voltadas para a inserção do
idoso no programa das DST, HIV e Hepatites Virais realizadas pelo Centro de
Testagem e Aconselhamento - CTA, visando ainda a promoção de sensibilização,
prevenção e diagnósticos dos mesmos, na redução da taxa de infectados pelas
doenças sexualmente transmissíveis.
No primeiro momento será desenvolvida uma pesquisa cunho bibliográfico
com cujo objetivo de fazer uma fundamentação teórica que servirá de base para a
compreensão e explicação da relação e intervenção que envolve profissional de
Serviço Social com a política da saúde. Em seguida realizou-se uma a pesquisa
de campo utilizando-se de rodas de conversas direcionada aos idosos do SESC,
visando reunir informações acerca das dúvidas quanto ao Programa das DST,
HIV e Hepatites Virais realizadas pelo CTA.
Dentro desse contexto optou - se por trabalhar a pesquisa-ação que
consiste na produção de conhecimento guiada pela prática, com a modificação de
uma dada realidade ocorrendo como parte do processo de pesquisa, onde
segundo Gil (1991) a mesma é realizada de forma articulada a uma ação em face
de um problema detectado no processo de pesquisa. A elaboração deste projeto
deve-se ao fato de que esse tipo de pesquisa trata-se de uma metodologia que
visa à transformação da realidade, ou seja, objetiva confrontar uma pesquisa num
campo concreto com um problema de ação que constitui a contribuição essencial
do pesquisador na sua relação com os outros dentro do contexto social.
A equipe de profissionais do Centro de Testagem e Aconselhamento de
Caxias juntamente as acadêmicas de Serviço Social do 6º período da Anhanguera
prevê a realização de encontros semanais no período da tarde com duração
aproximada de 80 minutos. Com a participação de 60 idosos do SESC. A equipe
é formada por 03 acadêmicas de Serviço Social, 01 assistente social, 01
psicólogo, 01 enfermeiro, 01 técnica de laboratório. Além disso, o grupo contará
com o suporte de uma bioquímica.
As atividades serão realizadas no auditório do SESC Caxias - MA, com
divulgação prévia, por meio de folders com informes sobre o Projeto de
Intervenção, onde serão discutidos os temas pertinentes à temática, através de
palestras de aconselhamento sobre o Programa das DST, HIV e Hepatites Virais
realizados pelo CTA, realização de testes rápidos para o conhecimento do estado
sorológico e rodas de conversas para uma melhor interação sobre a temática
abordada.
O planejamento das ações a serem desenvolvidas no projeto de intervenção
constitui-se nos seguintes passos:
Atividade 01: Agendamento de atividades no Serviço Social do Comércio-SESC
Caxias - MA.
Objetivo: Organizar os horários que serão realizados às atividades do projeto.
atividade 02: Palestra de Aconselhamento Coletivo sobre as DSTs, HIV e
Hepatites Virais”.
Objetivo: Trocar informações sobre as doenças sexualmente transmissíveis,
dando ênfase à importância dupla - prevenção e diagnóstico.
Conteúdo: Orientação sobre as DST, HIV e Hepatites Virais.
Desenvolvimento:
1º passo; Sensibilizá-los da necessidade de discutir a sexualidade como elemento
constitutivo da pessoa humana.
2º passo; Orienta-los quanto aos riscos das DST, HIV e Hepatites Virais e como
usar o preservativo, com demonstrações.
Atividade 03: Divulgação do projeto
Objetivo: Informar aos Acadêmicos de Serviço Social da Universidade
Anhanguera – UNIDERP, CTA e SESC, sobre a data da execução do Projeto de
Intervenção CTA- amigo do idoso (a)!.
Conteúdo: Informações e programação do evento que será realizado no SESC
Caxias - MA.
Desenvolvimento:
1º passo: Informar aos idosos do SESC para participarem do projeto.
2º Fazer uma breve explanação ao entregar os folders.
15. INDICADORES DE DESEMPENHO
Desempenho Meios de verificação Periodicidade
Equipe do CTA Questionários Mensal
Público beneficiário
(Idosos).
Caixa de sugestões Mensal
16. COORDENAÇÃO DO PROJETO
 Ana Maria Belo do Nascimento
17. EQUIPE RESPONSÁVEL
Nome Área de Atuação Fone/e-mail
Ana Maria Belo do Nascimento Acadêmica de Serviço
Social
(99) 9902-5399
mariagaduu@gmail.com
Alexsandra Veras Acadêmica de Serviço
Social
(99) 9904-1462
alexsandraveras2014@gmail.com
Jucileide Veloso de Araújo Acadêmica de Serviço
Social
(99) 8127-0950
jucileideveloso@hotmail.com
18. ASSINATURAS
Membros da equipe
____________________________________________________
Ana Maria Belo do Nascimento
____________________________________________________
Alexsandra Veras
____________________________________________________
Jucileide Veloso de Araújo
Coordenadora do projeto
____________________________________________________
Ana Maria Belo do Nascimento
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Com o aumento significativo do número de idosos contaminados pelo HIV
no Brasil nos últimos 12 anos, segundo o Ministério da Saúde 2006, e quanto à
ausência deste eixo populacional no (CTA), para realização da testagem, surgiu o
processo de construção de conhecimento desta temática, observou-se a
necessidade de inserir o público idoso que fazem parte do Serviço Social do
Comércio – SESC no Programa das DST s, HIV e Hepatites Virais, realizado no
município de Caxias - MA, visando à democratização do acesso aos serviços de
saúde, por meio do uso de estratégias de aproximação e informações,
estimulando à participação popular.
Neste contexto, por meio da elaboração deste projeto visa-se contribuir
para promoção da participação do idoso na política da saúde e controle do índice
de idosos contaminados pelas DST, HIV e Hepatites Virais, que fazem parte do
SESC Caxias - MA, promovendo desta forma melhoria na qualidade de vida dos
mesmos. Reconhecendo que a sensibilização, prevenção e diagnóstico destes
idosos, com relação as DST, HIV e Hepatites Virais são fatores primordiais para a
construção de uma vida mais saudável.
Pretende-se neste processo colaborar para inserção do idoso no
Programa das DST, HIV e Hepatites Virais de Caxias - MA, através de ações
caráter informativo e educativo na perspectiva de contribuir para o conhecimento
do status sorológico e participação dos idosos neste contexto.
Faz-se necessário que os mesmos tomem conhecimento dos serviços
públicos oferecidos e como ter o acesso. A partir do exposto, considerando o
Serviço Social e sua relação com a pesquisa, é necessário que o assistente social
busque o conhecimento da realidade social por meio de uma análise crítica, onde
a questão social se manifesta, a partir daí, estruturar seu trabalho e estabelecer
as competências e atribuições específicas necessárias ao enfrentamento das
situações e demandas sociais que se apresentam facilitando assim a intervenção
profissional.
Nesta perspectiva o Assistente Social, deve-se facilitar o acesso de todo e
qualquer usuário aos serviços de saúde da instituição e das redes de serviços e
direitos sociais, participando de um conjunto de ações com a equipe de saúde, de
caráter socioeducativas nos diversos programas, bem como saúde do idoso, e
das doenças infectocontagiosas DST/AIDS e Hepatites Virais, entre outras, de
forma compromissada e criativa a não se submeter à operacionalização de seu
trabalho aos rearranjos propostos pelos governos que descaracterizam a proposta
original do SUS de direito, ou seja, contidos no projeto de Reforma Sanitária.
É necessário que as ações realizadas direcionadas aos idosos tenham o
apoio da Secretaria de Saúde e do SESC, para que o desenvolvimento deste
projeto possa ser reconhecido e contribuir pra a sua abrangência local,
possibilitando que outras instituições tomem como incentivo esta iniciativa. E por
fim o Projeto de Intervenção: CTA-amigo do idoso (a)! Está fundamentado no
Parâmetro para Atuação do Assistente Social na Política da Saúde e Diretrizes
dos Centros de Testagem e Aconselhamento – CTA. Considerou-se as questões
baseadas na análise do perfil dos usuários, discutiu o interesse da continuidade
do trabalho, por meio das informações elencadas, no Diagnóstico Social, que
identificou a ausência dos idosos na realização da testagem. Por outro lado, pros
idosos que participarem das ações serão privilegiados com relação ao tema.
Entretanto percebemos que há muito que se fazer, quanto ao tema em questão,
estigmas sociais precisam ser quebrados, por tratarem idoso como alguém que
não pode ter uma vida sexualmente ativa, o tradicionalismo entre outras ações
dificultam a concretização dos ideias contidos neste projeto.
Referências Bibliográficas
Código de Ética Profissional do Assistente Social. Brasília: CFESS, 1993.
CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Parâmetros para atuação de
assistentes sociais na Política da Saúde. Série Trabalho e Projeto Profissional nas
Políticas Sociais, nº 2, Brasília: CFESS, 2010.
GIL, A. C. Métodos e Técnicas de pesquisa social. 2.ed. São Paulo: Atlas,
1991.
http://www.aids.gov.br/news/caxias-o-centro-de-testagem-e-aconselhamento-cta-
quer-redobrar-suas-acoes-de-coscientizaao-do
MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2006. Guia para Formação de Profissionais de Saúde e
de educação. Brasília/DF.
POLÍTICA NACIONAL DE DST/AIDS: Princípios e diretrizes/Coordenação Nacional
de DST e AIDS. 1ed. Brasília: Ministério da Saúde, 1999. p. 90.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

06 ficha de evolução de atendimento
06   ficha de evolução de atendimento06   ficha de evolução de atendimento
06 ficha de evolução de atendimentoJanaina Anjos
 
Relatório Final de Estágio Supervisionado - Recursos Humanos
Relatório Final de Estágio Supervisionado - Recursos HumanosRelatório Final de Estágio Supervisionado - Recursos Humanos
Relatório Final de Estágio Supervisionado - Recursos HumanosAlessandraLoureiro
 
Projeto de Intervenção
Projeto de IntervençãoProjeto de Intervenção
Projeto de Intervençãomoniquests
 
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.Rosane Domingues
 
Relatório Final Extensão 2010
Relatório Final Extensão 2010Relatório Final Extensão 2010
Relatório Final Extensão 2010jornalfensg
 
Serviço Social e Educação:
Serviço Social e Educação: Serviço Social e Educação:
Serviço Social e Educação: profadnilson
 
Trajetória do Serviço Social
Trajetória do Serviço SocialTrajetória do Serviço Social
Trajetória do Serviço SocialConceição Amorim
 
COMO FAZER RELATÓRIOS
COMO FAZER RELATÓRIOSCOMO FAZER RELATÓRIOS
COMO FAZER RELATÓRIOSDaiane Daine
 
Modelo de plano do projeto comunitário
Modelo de plano do projeto comunitárioModelo de plano do projeto comunitário
Modelo de plano do projeto comunitárioEulália Mata
 
Projeto - Metodologias de intervenção comunitária
Projeto - Metodologias de intervenção comunitáriaProjeto - Metodologias de intervenção comunitária
Projeto - Metodologias de intervenção comunitáriaRicardo da Palma
 
Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio Giselle Coutinho
 
O trabalho do assistente social na educação
O trabalho do assistente social na educaçãoO trabalho do assistente social na educação
O trabalho do assistente social na educaçãoEmmanuelle Feitosa
 
08 plano de acompanhamento familiar - folha de acoes - exemplos
08   plano de acompanhamento familiar - folha de acoes - exemplos08   plano de acompanhamento familiar - folha de acoes - exemplos
08 plano de acompanhamento familiar - folha de acoes - exemplosJanaina Anjos
 
Manual de Estágio em Serviço Social.pdf
Manual de Estágio em Serviço Social.pdfManual de Estágio em Serviço Social.pdf
Manual de Estágio em Serviço Social.pdfHELENO FAVACHO
 
Meu pré projeto joiara nara
Meu pré projeto joiara naraMeu pré projeto joiara nara
Meu pré projeto joiara narajoiramara
 
Modelo de proposta para trabalho pedagógico
Modelo de proposta para trabalho pedagógicoModelo de proposta para trabalho pedagógico
Modelo de proposta para trabalho pedagógicoElicio Lima
 
Apresentação serviço social.
Apresentação serviço social.Apresentação serviço social.
Apresentação serviço social.Felipe Marques
 

Mais procurados (20)

06 ficha de evolução de atendimento
06   ficha de evolução de atendimento06   ficha de evolução de atendimento
06 ficha de evolução de atendimento
 
Relatório Final de Estágio Supervisionado - Recursos Humanos
Relatório Final de Estágio Supervisionado - Recursos HumanosRelatório Final de Estágio Supervisionado - Recursos Humanos
Relatório Final de Estágio Supervisionado - Recursos Humanos
 
Projeto de Intervenção
Projeto de IntervençãoProjeto de Intervenção
Projeto de Intervenção
 
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
 
Relatório Final Extensão 2010
Relatório Final Extensão 2010Relatório Final Extensão 2010
Relatório Final Extensão 2010
 
Serviço Social e Educação:
Serviço Social e Educação: Serviço Social e Educação:
Serviço Social e Educação:
 
Trajetória do Serviço Social
Trajetória do Serviço SocialTrajetória do Serviço Social
Trajetória do Serviço Social
 
COMO FAZER RELATÓRIOS
COMO FAZER RELATÓRIOSCOMO FAZER RELATÓRIOS
COMO FAZER RELATÓRIOS
 
Exemplo. plano de aula
Exemplo. plano de aulaExemplo. plano de aula
Exemplo. plano de aula
 
Modelo de plano do projeto comunitário
Modelo de plano do projeto comunitárioModelo de plano do projeto comunitário
Modelo de plano do projeto comunitário
 
Projeto - Metodologias de intervenção comunitária
Projeto - Metodologias de intervenção comunitáriaProjeto - Metodologias de intervenção comunitária
Projeto - Metodologias de intervenção comunitária
 
Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio Relatorio de estágio do ensino médio
Relatorio de estágio do ensino médio
 
O trabalho do assistente social na educação
O trabalho do assistente social na educaçãoO trabalho do assistente social na educação
O trabalho do assistente social na educação
 
08 plano de acompanhamento familiar - folha de acoes - exemplos
08   plano de acompanhamento familiar - folha de acoes - exemplos08   plano de acompanhamento familiar - folha de acoes - exemplos
08 plano de acompanhamento familiar - folha de acoes - exemplos
 
VISITA DOMICILIAR
VISITA DOMICILIARVISITA DOMICILIAR
VISITA DOMICILIAR
 
Manual de Estágio em Serviço Social.pdf
Manual de Estágio em Serviço Social.pdfManual de Estágio em Serviço Social.pdf
Manual de Estágio em Serviço Social.pdf
 
Meu pré projeto joiara nara
Meu pré projeto joiara naraMeu pré projeto joiara nara
Meu pré projeto joiara nara
 
Modelo de proposta para trabalho pedagógico
Modelo de proposta para trabalho pedagógicoModelo de proposta para trabalho pedagógico
Modelo de proposta para trabalho pedagógico
 
Apresentação serviço social.
Apresentação serviço social.Apresentação serviço social.
Apresentação serviço social.
 
Estagio de observação
Estagio de observaçãoEstagio de observação
Estagio de observação
 

Semelhante a Projeto de intervenção estagio ii -

Caderno-de-Orientações-Técnicas-do-SCFV-para-Crianças-de-0-a-6-Anos-1.pdf
Caderno-de-Orientações-Técnicas-do-SCFV-para-Crianças-de-0-a-6-Anos-1.pdfCaderno-de-Orientações-Técnicas-do-SCFV-para-Crianças-de-0-a-6-Anos-1.pdf
Caderno-de-Orientações-Técnicas-do-SCFV-para-Crianças-de-0-a-6-Anos-1.pdfEloinaSoares1
 
Caderno de atencao hiv aids
Caderno de atencao hiv aidsCaderno de atencao hiv aids
Caderno de atencao hiv aidsMara Soares
 
Tst dst 2 cartilha (extra)
Tst   dst 2 cartilha (extra)Tst   dst 2 cartilha (extra)
Tst dst 2 cartilha (extra)Bolivar Motta
 
Cadernos de atenção básica 18 hiv-aids, hepatites e outras dst- 2006
Cadernos de atenção básica 18   hiv-aids, hepatites e outras dst- 2006Cadernos de atenção básica 18   hiv-aids, hepatites e outras dst- 2006
Cadernos de atenção básica 18 hiv-aids, hepatites e outras dst- 2006Nádia Elizabeth Barbosa Villas Bôas
 
Abordagem sindromica
Abordagem sindromicaAbordagem sindromica
Abordagem sindromicaAna Clara
 
CAB18 HIV.pdf
CAB18 HIV.pdfCAB18 HIV.pdf
CAB18 HIV.pdfMinBrenda
 
Relatório de Atividades - 2020
Relatório de Atividades - 2020Relatório de Atividades - 2020
Relatório de Atividades - 2020Oncoguia
 
Diretrizes aconselhamento
Diretrizes aconselhamentoDiretrizes aconselhamento
Diretrizes aconselhamentoTânia Souza
 
Dra. sandra gargur - 20/09/2012
Dra. sandra gargur - 20/09/2012Dra. sandra gargur - 20/09/2012
Dra. sandra gargur - 20/09/2012Anais IV CBED
 
Vigilância em Saúde no âmbito do Projeto Interfederativo de Resposta Rápida à...
Vigilância em Saúde no âmbito do Projeto Interfederativo de Resposta Rápida à...Vigilância em Saúde no âmbito do Projeto Interfederativo de Resposta Rápida à...
Vigilância em Saúde no âmbito do Projeto Interfederativo de Resposta Rápida à...http://bvsalud.org/
 
Catalogo de estratégias comunitarias
Catalogo de estratégias comunitariasCatalogo de estratégias comunitarias
Catalogo de estratégias comunitariasAlinebrauna Brauna
 
Plano de atenção ao idoso
Plano de atenção ao idosoPlano de atenção ao idoso
Plano de atenção ao idosoEvailson Santos
 

Semelhante a Projeto de intervenção estagio ii - (20)

Caderno-de-Orientações-Técnicas-do-SCFV-para-Crianças-de-0-a-6-Anos-1.pdf
Caderno-de-Orientações-Técnicas-do-SCFV-para-Crianças-de-0-a-6-Anos-1.pdfCaderno-de-Orientações-Técnicas-do-SCFV-para-Crianças-de-0-a-6-Anos-1.pdf
Caderno-de-Orientações-Técnicas-do-SCFV-para-Crianças-de-0-a-6-Anos-1.pdf
 
Caderno de atencao hiv aids
Caderno de atencao hiv aidsCaderno de atencao hiv aids
Caderno de atencao hiv aids
 
Tst dst 2 cartilha (extra)
Tst   dst 2 cartilha (extra)Tst   dst 2 cartilha (extra)
Tst dst 2 cartilha (extra)
 
Cadernos de atenção básica 18 hiv-aids, hepatites e outras dst- 2006
Cadernos de atenção básica 18   hiv-aids, hepatites e outras dst- 2006Cadernos de atenção básica 18   hiv-aids, hepatites e outras dst- 2006
Cadernos de atenção básica 18 hiv-aids, hepatites e outras dst- 2006
 
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
Seminário Saúde Mental na Atenção Básica: "Vínculos e Diálogos Necessários" -...
 
Abordagem sindromica
Abordagem sindromicaAbordagem sindromica
Abordagem sindromica
 
CAB18 HIV.pdf
CAB18 HIV.pdfCAB18 HIV.pdf
CAB18 HIV.pdf
 
Relatório de Atividades - 2020
Relatório de Atividades - 2020Relatório de Atividades - 2020
Relatório de Atividades - 2020
 
Diretrizes aconselhamento
Diretrizes aconselhamentoDiretrizes aconselhamento
Diretrizes aconselhamento
 
Fique sabendo estratégia de mobilização_2012
Fique sabendo   estratégia de mobilização_2012Fique sabendo   estratégia de mobilização_2012
Fique sabendo estratégia de mobilização_2012
 
Dra. sandra gargur - 20/09/2012
Dra. sandra gargur - 20/09/2012Dra. sandra gargur - 20/09/2012
Dra. sandra gargur - 20/09/2012
 
Vigilância em Saúde no âmbito do Projeto Interfederativo de Resposta Rápida à...
Vigilância em Saúde no âmbito do Projeto Interfederativo de Resposta Rápida à...Vigilância em Saúde no âmbito do Projeto Interfederativo de Resposta Rápida à...
Vigilância em Saúde no âmbito do Projeto Interfederativo de Resposta Rápida à...
 
Catalogo de estratégias comunitarias
Catalogo de estratégias comunitariasCatalogo de estratégias comunitarias
Catalogo de estratégias comunitarias
 
Diretrizes para organização e funcionamento dos cta_2010
Diretrizes para organização e funcionamento dos cta_2010Diretrizes para organização e funcionamento dos cta_2010
Diretrizes para organização e funcionamento dos cta_2010
 
Plano de atenção ao idoso
Plano de atenção ao idosoPlano de atenção ao idoso
Plano de atenção ao idoso
 
Atps para postagem vander
Atps para postagem vanderAtps para postagem vander
Atps para postagem vander
 
Trabalho cras
Trabalho crasTrabalho cras
Trabalho cras
 
Apresentação - Aedes aegypti: Desafios, estratégias e experiências de uma UBS...
Apresentação - Aedes aegypti: Desafios, estratégias e experiências de uma UBS...Apresentação - Aedes aegypti: Desafios, estratégias e experiências de uma UBS...
Apresentação - Aedes aegypti: Desafios, estratégias e experiências de uma UBS...
 
Sintonia 06-01-17
Sintonia 06-01-17Sintonia 06-01-17
Sintonia 06-01-17
 
Linha guiahivaids
Linha guiahivaidsLinha guiahivaids
Linha guiahivaids
 

Projeto de intervenção estagio ii -

  • 1. FONTE:Ministério da Saude PROJETO DE INTERVENÇÃO: CTA amigo do idoso (a)! CAXIAS-MA NOV/2014
  • 2. UNIVERSIDADE ANHANGUERA - UNIDERP CENTRO DE ENSINO Á DISTÂNCIA CURSO: SERVIÇO SOCIAL 6º PERÍODO DISCIPLINA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO II SUPERVISOR ACADÊMICO: FRANCILEIDE SANTOS DA SILVA SUPERVISOR DE CAMPO: IVANISE RAMOS DA SILVA ESTAGIÁRIOS: ALEXSANDRA VERAS RA: 382997 ANA MARIA BELO DO NASCIMENTO RA: 388852 JUCILEIDE V. DE ARAÚJO RA: 352096 PROJETO DE INTERVENÇÃO: CTA amigo do idoso (a)! Projeto de Intervenção do Estágio Supervisionado II apresentado ao Curso de Serviço Social do Centro de Educação a Distância-CEAD da Universidade Anhanguera-UNIDERP como requisito obrigatório para cumprimento da disciplina de Estágio Supervisionado II. CAXIAS-MA NOV/2014
  • 3. 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO: 1.1 IDENTIFICAÇÕES DE CAMPO: Nome da Organização: CTA-Centro de Testagem e Aconselhamento CNPJ: 06.082/0001-56 Endereço: Rua Saturnino Belo Bairro: Seriema Cidade: Caxias Estado: Maranhão CEP: 65602-720 Telefone: ******* E-mail: ctasae.caxias@hotmail.com 1.2. IDENTIFICAÇÃO DO REPRESENTANTE LEGAL: Representante Legal: Maria José Vieira de Faria Cargo: coordenadora 1.3. DESCRIÇÃO DO CAMPO: O Programa no município de Caxias teve início em 28 de abril de 1998, tendo como finalidade promover a equidade o acesso ao aconselhamento e diagnóstico do HIV, sífilis e hepatites virais, favorecendo os segmentos populacionais em situação de maior vulnerabilidade, com respeito aos direitos humanos, à voluntariedade e à integralidade da atenção, sem restrições territoriais. O CTA Caxias apresenta uma estrutura física, apropriada conforme as Diretrizes para a Organização e Funcionamento dos CTA do Brasil que, é importante para o seu bom funcionamento, estão distribuídas da seguinte forma: 01 sala da coordenação, 01 recepção, 01 sala de cadastro, 01 sala para aconselhamento coletivo (auditório), 03 salas para aconselhamento individual e entrega de resultados (para cada profissional: assistente social, enfermeiro, psicólogo), 01 laboratório, 01 copa, 02 banheiros, 01 garagem, 01 espaço para espera de realização de exames todos esses espaços estão devidamente identificados para que os usuários localizem com facilidade, visando assim à garantia de privacidade e confidencialidade.
  • 4. Atualmente a demanda atendida pela instituição é muito alta, são em média de 1,800 a 2,000 atendimentos por mês no município entre: aconselhamento coletivo, aconselhamento individual, entrega de resultados de diagnóstico e testagem para HIV, sífilis e hepatites virais, e em média por ano 21,600 usuários, entre eles de outros municípios como: Pedreiras, Capinzal do Norte, Lago da Pedra, Coelho Neto, Duque Bacelar, Senador Alexandre Costa, Aldeias Altas, São João do Sóter e até alguns casos de outros Estados. 2. DADOS DO PROJETO: 2.1 Título do Projeto Projeto de Intervenção: CTA amigo do idoso (a)! 2.2 Local de desenvolvimento das atividades Serviço Social do Comércio – SESC/Caxias - MA. 2.3 Área de abrangência (Ex: região, bairro, cidade) Cidade: Caxias - MA O grupo de idosos do SESC. 3. PROBLEMA DIAGNÓSTICADO Com o aumento significativo, do número de idosos contaminados pelo HIV no Brasil nos últimos 12 anos, de 4,8 (2001), para 8,7 em 2012, segundo o Ministério da Saúde, e de acordo com os dados levantados no Diagnóstico Social no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA – Caxias), identificou-se a partir destes indicadores que há uma ausência significativa de idosos no processo de testagem e aconselhamento. Nesse contexto de que forma o assistente social pode sensibilizar os idosos quanto à importância da realização da testagem e
  • 5. prevenção das DST, HIV e Hepatites Virais, visando à melhoria e o controle dessas doenças na cidade de Caxias – MA? 4. OBJETIVOS 4.1 Geral  Contribuir com o processo de sensibilização, prevenção e inclusão dos idosos que fazem parte do grupo de idosos do SESC no Programa das DST, HIV e Hepatites Virais do município de Caxias - MA.  Orientar os idosos quanto à importância da realização da testagem para o diagnóstico das DST, HIV e Hepatites Virais. 4.2 Específicos  Divulgar informações sobre o funcionamento e missão do Centro de Testagem e Aconselhamento – CTA, visando sua importância e contribuição na prevenção e diagnóstico das DST, HIV e Hepatites Virais em Caxias - MA;  Promover a sensibilização do grupo de idosos que fazem parte do SESC quanto à prevenção e diagnóstico das DST, HIV e Hepatites Virais em Caxias - MA;  Informar a importância do uso de preservativos na prevenção das DST, HIV e Hepatites Virais;  Convidar o grupo de idosos do SESC a participarem das ações: Aconselhamento e Testagem que serão desenvolvidas pelas acadêmicas de Serviço Social da Universidade Anhanguera-UNIDERP, com a participação da equipe de profissionais do CTA, no auditório do Sesc Caxias – MA, visando à implantação do Projeto de Intervenção: CTA amigo do idoso (a)! ;  Avaliar e monitorar o Projeto de Intervenção por meio da aplicação de questionários direcionados a equipe do CTA, que participou da aplicação do Projeto de Intervenção e caixas de sugestões deixadas no SESC;
  • 6.  Divulgar aos Acadêmicos de Serviço Social da Universidade Anhanguera – UNIDERP, CTA e SESC sobre as ações executadas no Projeto de Intervenção: CTA amigo do Idoso (a)! 5.JUSTIFICATIVA As doenças sexualmente transmissíveis (DST) são transmitidas, principalmente, por contato sexual sem o uso de preservativos com uma pessoa que esteja infectada, e geralmente se manifestam por meio de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas. Essas doenças quando não diagnósticadas e tratadas a tempo, podem evoluir para complicações graves, como infertilidades, câncer e até a morte. O tratamento das DST melhora a qualidade de vida do paciente e interrompe a cadeia de transmissão dessas doenças. O atendimento e o tratamento são gratuitos nos serviços de saúde do SUS. Dentro desse contexto o CTA desempenha um papel importante na estratégia de enfrentamento da epidemia da AIDS, pois, sendo “porta de entrada” do sistema de prevenção e controle, é responsável pela detecção da infecção pelo HIV, é também referência necessária para a assistência daqueles que são diagnosticados como soropositivos. É um espaço onde o aconselhamento privilegia as premissas do acolhimento, ações educativas, compromisso ético-político, sua importância se faz reconhecida pelos setores institucionais. Neste sentido, o trabalho com a temática, proporciona ao assistente social desenvolver ações direcionadas a facilitar o acesso do idoso aos serviços de saúde da instituição e da rede de serviços, participando de um conjunto de ações com a equipe de multiprofissionais, de caráter socioeducativas do Programa das DST, HIV e Hepatites Virais, contra as doenças infectocontagiosas, de forma compromissada e criativa visando à sensibilização, prevenção e o diagnóstico quanto ao alto índice de pessoas idosas infectadas pelas DST, HIV e Hepatites Virais, torna-se relevante por se tratar de uma questão social, assim faz – se necessário o desenvolvimento deste projeto de intervenção junto ao grupo de idosos do SESC/Caxias – MA com a finalidade de reduzir o alto indice de contaminação entre os idosos.
  • 7. 6. PÚBLICO/BENEFICIÁRIO O grupo de idosos do Serviço Social do Comércio-SESC, Caxias – MA. 7. DESCRIÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO E DOS EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES Para a execução deste projeto iremos utilizar o auditório do SESC com capacidade aproximada para 150 pessoas, viabilizando assim os encontros e atividades que serão realizadas, onde contaremos com os equipamentos necessários tais como: computador, data show, caixa amplificada, microfone, cadeiras, mesa etc. 7.1 RELAÇÃODAS ATIVIDADES E DATAS DE EXECUÇÃO DATA HORÁRIO ATIVIDADES LOCAL RESPONSÁVEIS 13/11/2014 Agendamento das atividades que serão realizadas. SESC/Caxias - MA. Alexsandra Veras Ana Maria B. do Nascimento Jucileide Veloso de Araújo 17/11/2014 Palestras de Aconselhamento coletivo sobre as DST, HIV e Hepatites Virais. SESC/Caxias - MA. Alexsandra Veras Ana Maria B. do Nascimento Jucileide Veloso de Araújo 20/11/2014 Realização e entrega de testes rápidos para diagnóstico de HIV; SESC/Caxias - MA. Enfermeiro Tiago 23/03/2015 Á 28/04/2015 Avaliação por meio da aplicação de questionários; CTA-Centro de testagem e Aconselhamento; Equipe de multiprofissionais do CTA, que participarão do Projeto de Intervenção: CTA amigo do idoso(a)! 23/03/2015 Á 28/04/2015 Caixas de sugestões. SESC/Caxias - MA. E o grupo de idosos do Serviço Social do Comércio - SESC. . 23/03/2015 Á 28/04/2015 Monitoramento do Projeto de Intervenção: CTA amigo do idoso (a)! CTA-Centro de Testagem e Aconselhamento; SESC/Caxias - MA. Alexsandra Veras Ana Maria B. do Nascimento Jucileide Veloso de Araújo Fonte: Projeto de intervenção: CTA – amigo do idoso (a)!2015
  • 8. 8. PARCEIROS TÉCNICOS E FINANCEIROS  CTA-Centro de Testagem e Aconselhamento Caxias–MA;  Acadêmicas de Serviço Social da Universidade Anhanguera-UNIDERP: Alexsandra Veras, Ana Maria Belo do Nascimento e Jucileide Veloso Araújo. 9. PRODUTOS DO PROJETO  A inserção do idoso no Programa das DST, HIV e Hepatites Virais do CTA;  Redução da taxa de idosos infectados DST, HIV e Hepatites Virais;  Idosos orientados sobre a importância do uso de preservativos. 10. IMPACTOS ESPERADOS Para o CTA-Centro de Aconselhamento Implantação de ações cujo motivo seja em prol da inserção do grupo de idosos do SESC no Programa das DST, HIV e Hepatites Virais no município de Caxias–MA, que atenda os idosos, atuando na promoção de ações cunho socioeducativo voltado para a melhoria da qualidade de vida dos idosos. Para os Idosos Com este Projeto esperamos que os idosos entendam a importância e a contribuição do CTA-Centro de Testagem e Aconselhamento no processo de sensibilização, prevenção e diagnóstico das DST, HIV e Hepatites Virais, para que eles possam usufruir de uma vida sexualmente ativa e mais saudável.
  • 9. 11. Cronograma ATIVIDADES/PERÍODOS 2014.1 a 2015.2 MAI/14 NOV/14 MAR/15 1 Levantamento de literatura X 2 Montagem do Projeto X 3 Coleta de dados X 4 Tratamento dos dados X 5 Elaboração do Relatório Final X 6 Revisão do texto X 7 Entrega do trabalho X 8 Aplicação do Projeto X 9 Avaliação e monitoramento do projeto X 12. Investimentos (orçamento simplificado) Produto/Serviço Quantidade Valor Papel A4 02 R$ 32,00 Canetas 10 R$ 20,00 Banners 01 R$ 140,00 Papel 40 05 R$ 5,00 Impressões 30 R$ 30,00 Folders 40 R$ 40,00 Camisas 15 R$ 240,00 Lanche 01 R$ 200,00 Copos descartáveis 02 centros R$ 16,00 Guardanapos 03 pacotes R$ 12,00 TOTAL R$ 727,00 13. Meta de Público-Alvo Participantes Quantidade Grupo de Idosos que fazem parte do SESC/Caxias - MA 60 pessoas
  • 10. 14. Metodologia A metodologia do presente projeto será pautada no desenvolvimento de ações de caráter informativo e sócio – educativo, voltadas para a inserção do idoso no programa das DST, HIV e Hepatites Virais realizadas pelo Centro de Testagem e Aconselhamento - CTA, visando ainda a promoção de sensibilização, prevenção e diagnósticos dos mesmos, na redução da taxa de infectados pelas doenças sexualmente transmissíveis. No primeiro momento será desenvolvida uma pesquisa cunho bibliográfico com cujo objetivo de fazer uma fundamentação teórica que servirá de base para a compreensão e explicação da relação e intervenção que envolve profissional de Serviço Social com a política da saúde. Em seguida realizou-se uma a pesquisa de campo utilizando-se de rodas de conversas direcionada aos idosos do SESC, visando reunir informações acerca das dúvidas quanto ao Programa das DST, HIV e Hepatites Virais realizadas pelo CTA. Dentro desse contexto optou - se por trabalhar a pesquisa-ação que consiste na produção de conhecimento guiada pela prática, com a modificação de uma dada realidade ocorrendo como parte do processo de pesquisa, onde segundo Gil (1991) a mesma é realizada de forma articulada a uma ação em face de um problema detectado no processo de pesquisa. A elaboração deste projeto deve-se ao fato de que esse tipo de pesquisa trata-se de uma metodologia que visa à transformação da realidade, ou seja, objetiva confrontar uma pesquisa num campo concreto com um problema de ação que constitui a contribuição essencial do pesquisador na sua relação com os outros dentro do contexto social. A equipe de profissionais do Centro de Testagem e Aconselhamento de Caxias juntamente as acadêmicas de Serviço Social do 6º período da Anhanguera prevê a realização de encontros semanais no período da tarde com duração aproximada de 80 minutos. Com a participação de 60 idosos do SESC. A equipe é formada por 03 acadêmicas de Serviço Social, 01 assistente social, 01 psicólogo, 01 enfermeiro, 01 técnica de laboratório. Além disso, o grupo contará com o suporte de uma bioquímica. As atividades serão realizadas no auditório do SESC Caxias - MA, com divulgação prévia, por meio de folders com informes sobre o Projeto de Intervenção, onde serão discutidos os temas pertinentes à temática, através de
  • 11. palestras de aconselhamento sobre o Programa das DST, HIV e Hepatites Virais realizados pelo CTA, realização de testes rápidos para o conhecimento do estado sorológico e rodas de conversas para uma melhor interação sobre a temática abordada. O planejamento das ações a serem desenvolvidas no projeto de intervenção constitui-se nos seguintes passos: Atividade 01: Agendamento de atividades no Serviço Social do Comércio-SESC Caxias - MA. Objetivo: Organizar os horários que serão realizados às atividades do projeto. atividade 02: Palestra de Aconselhamento Coletivo sobre as DSTs, HIV e Hepatites Virais”. Objetivo: Trocar informações sobre as doenças sexualmente transmissíveis, dando ênfase à importância dupla - prevenção e diagnóstico. Conteúdo: Orientação sobre as DST, HIV e Hepatites Virais. Desenvolvimento: 1º passo; Sensibilizá-los da necessidade de discutir a sexualidade como elemento constitutivo da pessoa humana. 2º passo; Orienta-los quanto aos riscos das DST, HIV e Hepatites Virais e como usar o preservativo, com demonstrações. Atividade 03: Divulgação do projeto Objetivo: Informar aos Acadêmicos de Serviço Social da Universidade Anhanguera – UNIDERP, CTA e SESC, sobre a data da execução do Projeto de Intervenção CTA- amigo do idoso (a)!. Conteúdo: Informações e programação do evento que será realizado no SESC Caxias - MA. Desenvolvimento: 1º passo: Informar aos idosos do SESC para participarem do projeto. 2º Fazer uma breve explanação ao entregar os folders.
  • 12. 15. INDICADORES DE DESEMPENHO Desempenho Meios de verificação Periodicidade Equipe do CTA Questionários Mensal Público beneficiário (Idosos). Caixa de sugestões Mensal 16. COORDENAÇÃO DO PROJETO  Ana Maria Belo do Nascimento 17. EQUIPE RESPONSÁVEL Nome Área de Atuação Fone/e-mail Ana Maria Belo do Nascimento Acadêmica de Serviço Social (99) 9902-5399 mariagaduu@gmail.com Alexsandra Veras Acadêmica de Serviço Social (99) 9904-1462 alexsandraveras2014@gmail.com Jucileide Veloso de Araújo Acadêmica de Serviço Social (99) 8127-0950 jucileideveloso@hotmail.com 18. ASSINATURAS Membros da equipe ____________________________________________________ Ana Maria Belo do Nascimento ____________________________________________________ Alexsandra Veras
  • 13. ____________________________________________________ Jucileide Veloso de Araújo Coordenadora do projeto ____________________________________________________ Ana Maria Belo do Nascimento CONSIDERAÇÕES FINAIS Com o aumento significativo do número de idosos contaminados pelo HIV no Brasil nos últimos 12 anos, segundo o Ministério da Saúde 2006, e quanto à ausência deste eixo populacional no (CTA), para realização da testagem, surgiu o processo de construção de conhecimento desta temática, observou-se a necessidade de inserir o público idoso que fazem parte do Serviço Social do Comércio – SESC no Programa das DST s, HIV e Hepatites Virais, realizado no município de Caxias - MA, visando à democratização do acesso aos serviços de saúde, por meio do uso de estratégias de aproximação e informações, estimulando à participação popular. Neste contexto, por meio da elaboração deste projeto visa-se contribuir para promoção da participação do idoso na política da saúde e controle do índice de idosos contaminados pelas DST, HIV e Hepatites Virais, que fazem parte do SESC Caxias - MA, promovendo desta forma melhoria na qualidade de vida dos mesmos. Reconhecendo que a sensibilização, prevenção e diagnóstico destes idosos, com relação as DST, HIV e Hepatites Virais são fatores primordiais para a construção de uma vida mais saudável. Pretende-se neste processo colaborar para inserção do idoso no Programa das DST, HIV e Hepatites Virais de Caxias - MA, através de ações caráter informativo e educativo na perspectiva de contribuir para o conhecimento
  • 14. do status sorológico e participação dos idosos neste contexto. Faz-se necessário que os mesmos tomem conhecimento dos serviços públicos oferecidos e como ter o acesso. A partir do exposto, considerando o Serviço Social e sua relação com a pesquisa, é necessário que o assistente social busque o conhecimento da realidade social por meio de uma análise crítica, onde a questão social se manifesta, a partir daí, estruturar seu trabalho e estabelecer as competências e atribuições específicas necessárias ao enfrentamento das situações e demandas sociais que se apresentam facilitando assim a intervenção profissional. Nesta perspectiva o Assistente Social, deve-se facilitar o acesso de todo e qualquer usuário aos serviços de saúde da instituição e das redes de serviços e direitos sociais, participando de um conjunto de ações com a equipe de saúde, de caráter socioeducativas nos diversos programas, bem como saúde do idoso, e das doenças infectocontagiosas DST/AIDS e Hepatites Virais, entre outras, de forma compromissada e criativa a não se submeter à operacionalização de seu trabalho aos rearranjos propostos pelos governos que descaracterizam a proposta original do SUS de direito, ou seja, contidos no projeto de Reforma Sanitária. É necessário que as ações realizadas direcionadas aos idosos tenham o apoio da Secretaria de Saúde e do SESC, para que o desenvolvimento deste projeto possa ser reconhecido e contribuir pra a sua abrangência local, possibilitando que outras instituições tomem como incentivo esta iniciativa. E por fim o Projeto de Intervenção: CTA-amigo do idoso (a)! Está fundamentado no Parâmetro para Atuação do Assistente Social na Política da Saúde e Diretrizes dos Centros de Testagem e Aconselhamento – CTA. Considerou-se as questões baseadas na análise do perfil dos usuários, discutiu o interesse da continuidade do trabalho, por meio das informações elencadas, no Diagnóstico Social, que identificou a ausência dos idosos na realização da testagem. Por outro lado, pros idosos que participarem das ações serão privilegiados com relação ao tema. Entretanto percebemos que há muito que se fazer, quanto ao tema em questão, estigmas sociais precisam ser quebrados, por tratarem idoso como alguém que não pode ter uma vida sexualmente ativa, o tradicionalismo entre outras ações dificultam a concretização dos ideias contidos neste projeto.
  • 15. Referências Bibliográficas Código de Ética Profissional do Assistente Social. Brasília: CFESS, 1993. CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Parâmetros para atuação de assistentes sociais na Política da Saúde. Série Trabalho e Projeto Profissional nas Políticas Sociais, nº 2, Brasília: CFESS, 2010. GIL, A. C. Métodos e Técnicas de pesquisa social. 2.ed. São Paulo: Atlas, 1991. http://www.aids.gov.br/news/caxias-o-centro-de-testagem-e-aconselhamento-cta- quer-redobrar-suas-acoes-de-coscientizaao-do MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2006. Guia para Formação de Profissionais de Saúde e de educação. Brasília/DF. POLÍTICA NACIONAL DE DST/AIDS: Princípios e diretrizes/Coordenação Nacional de DST e AIDS. 1ed. Brasília: Ministério da Saúde, 1999. p. 90.