Seminário complementar 02: Papel das Espécies Reativas de Oxigênio no Sistema Imunológico da Pele

191 visualizações

Publicada em

A apresentação faz parte do curso: Estrutura, fisiologia e bioquímica da pele aplicadas à ciência cosmética. Esta é uma apresentação que tem como o objetivo explorar a função fisiológica das espécies reativas na fisiologia da pele, desmistificando que esses exerçam apenas funções deletérias no nosso organismo. Aqui é explorado brevemente a importância dessas espécies químicas nas respostas imunológicas da pele.

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
191
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário complementar 02: Papel das Espécies Reativas de Oxigênio no Sistema Imunológico da Pele

  1. 1. Estrutura, fisiologia e bioquímica da pele aplicadas à ciência cosmética. Alexandre Ferreira Papel das Espécies Reativas de Oxigênio no Sistema Imunológico da Pele
  2. 2. Teoria X Prática Propagação do Conhecimento Comunicação Simplificação Pesquisa Detalhamento
  3. 3. Riscos das Simplificações Resposta Imunológica ROS Envelhecimento ROS Envelhecimento Existe correlação?? Quais evidências??
  4. 4. Reações Imunológicas e produção de ROS ROS RNS Alergias Doenças de pele inflamatórias
  5. 5. ROS ação biológica ↓ [ ] Segundo mensageiro ROS ↑ [ ] Patogêneses Estímulo Fisiológico Mediador de sinalização intracelular Respostas Celulares • Câncer • Envelhecimento • Arteriosclerose • Inflamação crônica Danos
  6. 6. Reações Imunológicas na Pele Alérgica Dermatite de Contato Irritativa 15-20% alergia a 1 químico Sensibilização Contato 2ario Contato 1ario Resposta Celular 3 mil substâncias químicas Resposta Humoral ≠ pele sensível
  7. 7. Resposta Alérgica • Lipofilicidade adequada • <1000Da Camada Viável Epiderme Proteína (Nucleofílica) Substância (Eletrofílica) Antígeno Ligação covalente • Não tóxica • Interpretada como patógeno
  8. 8. Resposta Alérgica Queratinócitos Antígeno Células de Langerhans Micro ambiente ATP Fragmentos de Ác. Hialurônico Ác. úrico ROS Padrões moleculares associados a Danos Amadurecimento Migração Ativação Linfócito T helper IFN-g Cel. T CD8+
  9. 9. Fontes celulares de ROS Sistema transportador de elétrons I e III mitocondrial NADPH-oxidase Óxido Nítrico Sintase Xantina Oxidase Cyclooxigenase Peroxisomos Citocromo P-450 Ribonucleotídeo Redutase Tem como função gerar ROS ROS
  10. 10. ROS ação imunológica ROS Ação direta em Bactérias ROS ↑ moléculas de superfície co-estimuladoras Carbonilação de Proteínas Secreção de citocinas Ativação de vias de sinalização
  11. 11. Ação 2° Mensageiro ROS Poder Catalítico Status Oxidativo Celular Detecção de Estresse Proteína Cinase Fosfatases Sistemas de Dissulfeto redutaseROS Grupos cisteína de proteínas Status Tiol(-SH)/Disulfeto(-HH-) AP1 NF-B • Proliferação celular • Expressão Genica • Adesão • Diferenciação • Senescência • Apoptose Fatores de transcrição
  12. 12. KnowWhy treinamentos especializados Alexandre HP Ferreira, Ph.D. www.linkedin.com/company/knowwhy alexhpf@yahoo.com.br Campinas - SP www.facebook.com/KnowWhy.br twitter.com/knowwhy_br br.linkedin.com/in/alexandrehpferreira/

×