Projeto Griot - Prof. Reginaldo

783 visualizações

Publicada em

Trabalho apresentado no Seminário Educação, Diversidade e Relações Interculturais

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
783
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
211
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto Griot - Prof. Reginaldo

  1. 1. ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CANOAS Secretaria Municipal da Educação SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE CANOAS 27ª Coordenadoria Regional de Educação Faculdade EST Espaço DiversidadeCurso de Extensão: Educação, Diversidade e Relações Interculturais Seminário: Educação, Diversidade e Relações Interculturais “Projeto Griot: O Professor Contador de Histórias” Reginaldo Tupinambá Cassemiro Madruga EMEF Profa. Odette Yolanda Oliveira Freitas EMEF Max Adolfo Oderich
  2. 2. “Projeto Griot:O professor contador dehistórias” A presença da literatura negra na sala de aula Reginaldo T. C . Madruga
  3. 3. “A sociedade africana está baseada no diálogo entre os indivíduos e na comunicação entre comunidades ou grupos étnicos, os Griots são os agentes ativos e naturais nessas conversações.”Amadou Hampâté Bâ
  4. 4. “Segundo Hampâté Bâ, naslínguas e dialetos da região suldo Saara, noroeste da África,na tradição oral dos gruposétnicos Bambaras e Fulas naregião do Mali, de ondeoriginam os griôs, eles têmdiversos nomes e funçõessociais, como por exemplo, emBambara: Dielis, que significasangue, uma analogia com oque circula no organismovivo. Eles são genealogistas,contadores de histórias,músicos/poetas populares,importantes agentes dacultura.”(Pedagogia Griô – Areinvenção da roda da vida)
  5. 5. “Na maior parte dotempo, nas escolas nosvemos sentados de costasuns para os outros, emfilas, sirenes de políciachamando para amerenda, cores semvitalidade, livros semheróis de nossa cultura,sem arte e significado devida;...”(Pedagogia Griô – Areinvenção da roda davida)
  6. 6. “Na África, cadaancião que morre éuma biblioteca que sequeima.”Amadou Hampâté Bâ
  7. 7. “Eu queria saberhistórias de negros paracontar para os meusalunos, a gente só sabehistórias de Branca deNeve e outras históriasde reis e rainhasbrancos.”(Profa. SheilaJorge/Projeto Griô - Areinvenção da roda davida)
  8. 8. Obras Literárias do Projeto Griot
  9. 9. Vídeo 1
  10. 10. Vídeo 2
  11. 11. Registros
  12. 12. Ziraldo
  13. 13. Giba-Giba
  14. 14. Heloisa Prieto
  15. 15. Nei Lopes
  16. 16. Formandos de 2007EMEF Profa. Odette Yolanda Oliveira Freitas “Pai contra mãe”
  17. 17. Grupo de TeatroInfanto-Juvenil Axé(EMEF Santo Inácio –Esteio/RS)
  18. 18. Grupo de TeatroInfanto-Juvenil IbejiEMEF Maria da Glória– Sapucaia do Sul/RS) Heloisa Pires Lima (Feira do Livro de Porto Alegre 2009)
  19. 19. Júlio Emílio Braz
  20. 20. Grupo de TeatroInfanto-JuvenilIreti(EMEF Profa.Odette YolandaOliveira Freita –Canoas/RS)
  21. 21. “O professor é a raiz,o educando a sua rama.”
  22. 22. “Driblando ”
  23. 23. .
  24. 24. O poder de ZeusNaquele tempo Zeus era casado com Hera, em cuja companhia vivia tranquilamente, em seupalácio.Zeus queria ser muito mais poderoso e respeitado e para isto consultou o Oráculo. Naconsulta foi exigida uma oferenda para Ares que queria garantir ao deus tudo o quedesejava.Depois de oferecida a oferenda, todas as vezes que Zeus abria a boca ao falar, sua voz saíapossante como um trovão e inúmeras labaredas acompanhavam suas palavras.Desta forma Zeus passou a ser temido e respeitado por todos e ninguém se atrevia acontestar suas palavras ou desobedecer às suas ordens.Diante do poder de seu marido, Hera resolveu consultar o Oráculo, com a finalidade de setornar tão poderosa quanto ele. Na consulta foi-lhe determinado que fizesse a mesmaoferenda.Hera, rapidamente, tratou de fazer a sua oferenda e em pouco tempo adquiriu poderessemelhantes aos do seu esposo.Quando Zeus descobriu que sua mulher havia adquirido um poder igual ao seu, ficou furiosoe começou a maldizer Ares por haver proporcionado tamanho poder a uma simples mulher.Humilhada, Hera procurou Ares, para que desse um paradeiro no impasse criado. Aresdeterminou então que, a partir daquele dia, a voz de Zeus soaria como o trovão e queprovocaria incêndios onde ele bem entendesse, mas, para que isso pudesse acontecer, serianecessário que Hera falasse primeiro, para que o fogo de sua palavras (os raios)provocassem o surgimento do som as palavras de Zeus (o trovão), assim com o fogo que elasproduzem sobre a Terra (os incêndios provocados pelos raios que se projetam sobre aTerra).É por este motivo que, até hoje, não se pode ouvir o ribombar do trovão sem que antes umraio ilumine o céu.Este foi o castigo imposto por Ares ao poderoso Zeus, por gostar de humilhar sua mulher.
  25. 25. O poder de XangôNaquele tempo Xangô era casado com Iansã, em cuja companhia vivia tranquilamente, emseu palácio em Oyó.Xangô queria ser muito poderoso e respeitado e para isto consultou Ifá. Na consulta foiexigido um sacrifício para Exu que queria garantir ao Orixá tudo o que desejava.Depois de oferecido o ebó, todas as vezes que Xangô abria a boca ao falar, sua voz saíapossante como um trovão e inúmeras labaredas acompanhavam suas palavras.Desta forma Xangô passou a ser temido e respeitado por todos e ninguém se atrevia acontestar suas palavras ou desobedecer às suas ordens.Diante do poder de seu marido, Iansã resolveu consultar o Oráculo, com a finalidade de setornar tão poderosa quanto ele. Na consulta foi-lhe determinado que fizesse o mesmo ebó.Iansã, rapidamente, tratou de fazer o seu ebó e em pouco tempo adquiriu poderessemelhantes aos do seu esposo.Quando Xangô descobriu que sua mulher havia adquirido um poder igual ao seu, ficoufurioso e começou a maldizer Exu por haver proporcionado tamanho poder a uma simplesmulher.Humilhada, Iansã procurou Exu, para que desse um paradeiro no impasse criado. Exudeterminou então que, a partir daquele dia, a voz de Xangô soaria como o trovão e queprovocaria incêndios onde ele bem entendesse, mas, para que isso pudesse acontecer, serianecessário que Iansã falasse primeiro, para que o fogo de sua palavras (os raios)provocassem o surgimento do som as palavras de Xangô (o trovão), assim com o fogo queelas produzem sobre a Terra (os incêndios provocados pelos raios que se projetam sobre aTerra).É por este motivo que, até hoje, não se pode ouvir o ribombar do trovão sem que antes umraio ilumine o céu.Este foi o castigo imposto por Exu a Xangô, por gostar de humilhar sua mulher.
  26. 26. 2012
  27. 27. 2012
  28. 28. 2012
  29. 29. "Um povo semconhecimento, saliência deseu passado histórico,origem e cultura, é comouma árvore sem raízes.( Bob Marley ) Obrigado! Prof. Reginaldo Canoas, RS, 14 de maio de 2012.

×